Ninho de atirador japonês, Nova Guiné

Ninho de atirador japonês, Nova Guiné

Ninho de atirador japonês, Nova Guiné

Tropas americanas investigam um ninho de atirador japonês durante os combates em Papua, na Nova Guiné.


História militar da Nova Zelândia durante a Segunda Guerra Mundial

o história militar da Nova Zelândia durante a Segunda Guerra Mundial começou quando a Nova Zelândia entrou na Segunda Guerra Mundial declarando guerra à Alemanha nazista com a Grã-Bretanha. O estado de guerra com a Alemanha foi oficialmente considerado como existindo desde as 21h30 de 3 de setembro de 1939 (hora local), simultaneamente com o da Grã-Bretanha, mas na verdade a declaração de guerra da Nova Zelândia não foi feita até que a confirmação fosse recebida da Grã-Bretanha. que seu ultimato à Alemanha havia expirado. Quando Neville Chamberlain transmitiu a declaração de guerra da Grã-Bretanha, um grupo de políticos da Nova Zelândia (liderados por Peter Fraser porque o primeiro-ministro Michael Savage estava em estado terminal) a ouviu no rádio de ondas curtas na sala de Carl Berendsen nos edifícios do Parlamento. Por causa da estática no rádio, eles não tinham certeza do que Chamberlain havia dito até que uma mensagem telegráfica codificada foi recebida mais tarde de Londres. Esta mensagem não chegou até pouco antes da meia-noite porque o mensageiro com o telegrama em Londres se abrigou devido a um (falso) aviso de ataque aéreo. O Gabinete agiu após ouvir a notificação do Almirantado à frota de que a guerra havia estourado. No dia seguinte, o Gabinete aprovou quase 30 regulamentos de guerra, conforme estabelecido no Livro de Guerra, e depois de completar as formalidades com o Conselho Executivo, o Governador-Geral, Lord Galway, emitiu a Proclamação de Guerra, com data anterior às 21h30 do dia 3 de setembro. [1] [2]

Diplomaticamente, a Nova Zelândia expressou oposição vocal ao fascismo na Europa e também ao apaziguamento das ditaduras fascistas, [3] e o sentimento nacional por uma forte demonstração de força encontrou o apoio geral. Considerações econômicas e defensivas também motivaram o envolvimento da Nova Zelândia - a dependência da Grã-Bretanha significava que as ameaças à Grã-Bretanha se tornavam ameaças à Nova Zelândia também em termos de laços econômicos e defensivos.

Havia também uma forte ligação sentimental entre a ex-colônia britânica e o Reino Unido, com muitos vendo a Grã-Bretanha como a "pátria mãe" ou "casa". O primeiro-ministro da Nova Zelândia na época, Michael Joseph Savage, resumiu isso na eclosão da guerra com uma transmissão em 5 de setembro (em grande parte escrita pelo procurador-geral Henry Cornish) [4] [5] que se tornou um clamor popular na Nova Zelândia durante a guerra:

É com gratidão no passado e com confiança no futuro que nos colocamos sem medo ao lado da Grã-Bretanha, para onde ela for, nós iremos! Onde ela está, nós estamos! [6]

A Nova Zelândia fornecia pessoal para servir na Royal Air Force (RAF) e na Royal Navy e estava preparada para ter neozelandeses servindo sob o comando britânico. Pilotos da Royal New Zealand Air Force (RNZAF), muitos treinados no Empire Air Training Scheme, foram enviados para a Europa, mas, ao contrário dos outros Domínios, a Nova Zelândia não insistiu em suas tripulações servindo com esquadrões RNZAF, acelerando assim a taxa em que eles entraram em serviço. O Long Range Desert Group foi formado no Norte da África em 1940 com voluntários da Nova Zelândia e da Rodésia, bem como britânicos, mas não incluiu australianos pelo mesmo motivo.

O governo da Nova Zelândia colocou a Divisão da Nova Zelândia da Marinha Real à disposição do Almirantado e colocou à disposição da RAF 30 novos bombardeiros médios Wellington que aguardavam no Reino Unido para embarque para a Nova Zelândia. O Exército da Nova Zelândia contribuiu com a 2ª Força Expedicionária da Nova Zelândia (2NZEF).


Conteúdo

No início das hostilidades, a Austrália não tinha forças disponíveis para a defesa da Nova Guiné e das Novas Hébridas, devido ao mandato da Liga das Nações sob o qual os antigos territórios alemães eram administrados. [5] Pequenas unidades, em sua maioria ad hoc, de homens levemente treinados, espalhadas pela região. [5] O governo australiano tomou a decisão de mover pequenas unidades para locais estratégicos para auxiliar a defesa. Isso incluiu elementos da 7ª Divisão, composta principalmente por homens da 2/6ª Companhia de Campo, no transporte Orcades, que foram enviados a Java e lutaram ao lado das forças holandesas lá, mas, como a maioria das outras guarnições menores, logo foram subjugadas. [6]

Antes da formação da Força da Nova Guiné, em janeiro de 1942, a 30ª Brigada foi destacada para a Nova Guiné chegando no navio de tropas RMS Aquitania, [7] com os 39º e 53º Batalhões de Infantaria, e assumiu o comando do 49º Batalhão de Infantaria. [8] Inicialmente, todas as forças australianas na Nova Guiné faziam parte do 8º Distrito Militar, no entanto, em abril de 1942, uma reorganização de todo o Exército foi realizada, o que viu o estabelecimento de um novo comando - Força da Nova Guiné - com o Major General Basil Morris no comando. Essa força posteriormente substituiu o 8º Distrito Militar como a formação responsável por todas as forças australianas nos territórios de Papua e Nova Guiné. [9] [10]

Em agosto de 1942, o HQ I Corps foi transferido de Queensland para Port Moresby e em 15 de agosto de 1942 tornou-se conhecido como Quartel-General da Força da Nova Guiné (HQ NG Force). [11] Tropas do Corpo de exército e duas brigadas da 7ª Divisão entraram posteriormente. [12]

Após a chegada, a 21ª Brigada, comandada pelo Brigadeiro Arnold Potts, foi despachada para Port Moresby, de onde ajudaria a reforçar o 39º Batalhão, que lutava em uma ação de retaguarda na Trilha Kokoda. [13] Na mesma época, a 18ª Brigada, sob o comando do Brigadeiro George Wootten, foi enviada para Milne Bay, [14] [15] para reforçar a 7ª Brigada, que estava defendendo o campo de aviação na ponta leste de Papua, apoiado pela Real Força Aérea Australiana e engenheiros dos EUA. [16] A luta que se seguiu ficou conhecida como a Batalha da Baía de Milne. [17]

Outras formações do I Corpo foram alternadas através do teatro de operações da Nova Guiné sob o comando da Força da Nova Guiné:

  • Em abril de 1942, a 3ª Divisão havia sido designada para o Australian I Corps, [11] e no início de 1943 a 3ª Divisão chegou à Nova Guiné, com a 15ª Brigada sendo enviada para Port Moresby e a 4ª Brigada indo para a Baía de Milne. [18]
  • Em agosto de 1943, a 5ª Divisão chegou à Nova Guiné com a 29ª Brigada. A 4ª Brigada da 3ª Divisão foi transferida para a 5ª Divisão e posteriormente substituída dentro da divisão pela 29ª Brigada. [18]
  • De janeiro a maio de 1944, as brigadas da 7ª Divisão retornaram à Austrália. [19] [20]
  • Em agosto de 1944, as brigadas da 3ª Divisão foram retiradas de volta à Austrália e designadas para o II Corpo de exército australiano. [21]

Estrutura [editar | editar fonte]

A 7ª Divisão consistia nas seguintes unidades: & # 9167 & # 93

Membros da Companhia "B", 2/12 Batalhão, que ajudaram a silenciar um canhão de montanha japonês durante a Batalha de Prothero I & amp II. (Da esquerda para a direita) "Magro" McQueen, Ron Lord, Eric Willey e Alan F Hackett. (Fotógrafo: Colin Halmarick.)

Membros da Companhia "C", 2/9º Batalhão de Infantaria cavando em uma parte recém-ocupada de Shaggy Ridge.


Higgins nasceu na Inglaterra em 1920. Ele é o segundo filho do "Duque de Perth" (da Escócia) em uma família que pertence à nobreza britânica há quase 800 anos. Como um segundo filho, o título oficial dele é senhor Jonathan Higgins. O irmão mais velho de Higgins seria considerado o "Barão de Perth". Sua tia-avó Matilda era a dama de companhia da Rainha Vitória e afirmava que a família descendia de Ricardo Coração de Leão. A tia do bisavô de seu pai era a duquesa de Clyde, cujo tio materno era o conde de Throckmorton e sobrinho de Eduardo VI, filho de Jane Seymour e Henrique VIII.

Higgins, década de 1940
Higgins, anos 1960
Em sua juventude, ele foi educado em várias escolas públicas e preparatórias britânicas, incluindo o prestigioso Eton College (idades 13-18) em Eton, Berkshire, onde foi um aluno estelar e o melhor Esgrimista de sua classe. Depois de Eton, ele frequentou o Royal Military College (RMC) em Sandhurst, mas foi expulso durante seu terceiro ano após ser falsamente acusado de causar paralisia parcial de um colega durante uma pegadinha na escola. Foi então que ele alistado no exército britânico. Após a guerra, ele se formou na Universidade de Cambridge como Doutor em Matemática em 1947.

Jonathan tem "vários" irmãos (sem nome) e uma irmã (sem nome) que mora em Sussex com seus quatro filhos. Seu pai, Albert Stanley Higgins, gerou vários filhos fora do casamento durante suas viagens na Primeira Guerra Mundial, que incluem Elmo Ziller (americano), pe. Paddy McGuiness (irlandês), Don Luis Mongueo (espanhol), Soo Ling (chinês), Elizabeth Whitefeather (desconhecido) e Catoomba Noomba (africano).

Higgins se tornou o mordomo de Robin's Nest em 1972. Ele nunca foi casado e não tem filhos conhecidos.

Linha do tempo de Higgins

1920 - Nasce Jonathan Quayle Higgins (o local de nascimento exato é desconhecido).

1925-1926 (De 5 a 6 anos) - Frequentou uma escola preparatória britânica sem nome quando criança.
- Frustrado novamente (3.8)

1927-1931 (7 a 11 anos) - Aos 7 anos, frequentou uma escola militar para meninos na "costa chuvosa e ventosa de." [Inglaterra].
- Tran Quoc Jones (5,9)

1928 - O pai de Higgins, Albert Stanley Higgins, era adido militar na embaixada em Pequim. Ele foi convidado a escoltar um contingente de freiras episcopais a Hentiy (Mongólia), onde deveriam estabelecer uma missão. Ao longo do caminho, eles foram emboscados por bandidos mongóis, liderados por uma bela mulher de cabelos negros. Ela nunca tinha visto um inglês antes e achou Albert fascinante, tão fascinante que ela estava disposta a deixar as freiras irem em troca de certos favores. Ela levou Albert para um penhasco com vista para o mar e. 9 meses depois nasceu Soo-Ling (meia-irmã de Higgins).
- Fé e Begorra (3.23)

1932-1936 (12 a 16 anos) - Educado na prestigiosa escola pública para meninos Eton College (idades 13-18) em Eton, Berkshire. Ele era um aluno estelar e o melhor Esgrimista de sua classe. Aos 16 anos, ele interpretou Hamlet na peça da escola como um substituto de última hora, quando o garoto originalmente escalado adoeceu repentinamente. Ele também dirigiu uma produção de Gilbert & amp Sullivan's O Mikado.
- O caso do ator da cara vermelha (4.12) e frustrado novamente (3.8)

1937-1939 (Idade de 17 a 19) - Estudante do Royal Military College (RMC) em Sandhurst. Ele era "enviado" no inverno de seu terceiro ano, quando foi falsamente acusado de causar paralisia parcial de um colega durante uma pegadinha na escola. Na primavera seguinte, ele se alistou no Exército Britânico, onde mais tarde se tornaria Sargento-Mor do Regimento (RSM).
- Holmes é onde o coração está (4.18) e Compulsão (5.14)

1937 (17 anos) - Depois de terminar seu segundo superior em Sandhurst, o pai de Higgins convidou a família para uma viagem à cidade turística de Blackpool para comemorar. Lá eles viram alguns shows de teatro, incluindo um ato Quick-change das Irmãs LaSalle. Higgins, no entanto, não teve coragem de dizer ao pai que Blackpool era um pouco espalhafatoso para seus gostos.
- Engajamento limitado (4.5)

1937 - No Suez, os egípcios o cercaram completamente.
- Tempo passado (3,5)

1939 (19 anos) - Noivos para se casar com Lady Ashley, uma mulher que é "construído como o Príncipe Albert Memorial". Pouco depois do noivado, Higgins entrou no serviço. Lady Ashley decidiu que não queria esperar por Jonathan e procurou um podólogo. Ela enviou a Higgins uma Carta de Querido John. Eles se encontraram novamente cerca de 45 anos depois, em Oahu, em 1982.
- Data do computador (2.14) e Echoes of the Mind (5.1 e 5.2)

1940 (20 anos) - Em Alexandria, como um jovem Lance-Cabo, foi forçado a fingir matrimônio (razão não revelada) com não uma, mas três filhas de um Príncipe Beduíno. "Como um jovem Lance-Corporal que experimentou apenas um affaire de coeur em [seu] 22 anos, a perspectiva de uma noite de casamento iminente com três beduínos de sangue quente era realmente incrível. Felizmente, quando a filha mais nova fechou a fogueira morrendo e mergulhou a tenda na escuridão total, Higgins relembrou um capítulo particularmente relevante do tratado clássico de Rommel sobre guerra de tanques.
- Eu faço? (3,17)

1940 - Participou de um ataque no Passo Khyber contra combatentes afegãos.
- Emerald não é o melhor amigo de uma garota (Simon & amp Simon episódio de crossover)

1941 - Atirado em El Alamein, Egito, soube que ele tem o raro tipo de sangue AB negativo, que está presente apenas em

1941 - Logo após o Cerco de Tobruk na Campanha do Deserto Ocidental, a unidade de Higgins capturou um oficial da SS. Camaradas de Higgins "trabalhou nele por uma semana", mas nada. Então eles trouxeram Higgins para fazer a interrogação. Aqui, Higgins tem o áudio de seu fone de ouvido cortado por Rick.
- Texas Lightning (2.18)

1942 - Nos primeiros seis meses, ele esteve em Turbia (fictício), um pitoresco principado no alto dos Pirineus, onde os monges faziam voto de silêncio. Ele levou um a xingá-lo.
- O Grande Golpe (3.22)

  • Sob o comando do Marechal de Campo Harold Alexander no Grupo do 15º Exército Britânico / Americano, um grupo de Tuaregues o capturou. Ele não foi capaz de suborná-los. Fazia 130 graus na sombra. Ele ficou amarrado no calor sem chapéu no deserto, e sempre teve medo do sol depois daquela experiência.
    - J. "Digger" Doyle (1.17)
  • Em agosto de 1942, suportando o calor, a malária e a comida ruim enquanto os Aliados se preparavam para tomar Trípoli, ele tentou levantar o moral organizando um jogo de basquete e criou o que mais tarde ficou conhecido como 'zona flutuante', ou defesa de esfera.
    - Caixa de cesto (3.15)
  • Também em agosto de 1942, Inky Gilbert, dono de um carnaval, enlouqueceu e correu para o ninho de uma metralhadora. O irmão Donald correu atrás de Inky e foi gravemente queimado. Higgins manteve a posição. Don se tornou Gus Zimmer, uma lenda carny.
    - Eu nunca quis ir para a França, de qualquer maneira (6.12)
  • Um rapaz tentou avisar sobre um regimento de alemães em seu flanco esquerdo, mas ele havia mentido com muita freqüência e foi ignorado, apenas Higgins escapou com vida.
    - Menor que a vida (4.3)
  • Invadiu um depósito de suprimentos de Jerry com os rapazes e topou com algumas mulheres beduínas com um dromedário que cuspia o tempo todo.
    - J. "Digger" Doyle (1.17)
  • Mata acidentalmente um colega soldado britânico à noite, que não consegue se identificar corretamente.
    - No valor nominal (4.19)

1943 - Lutou na invasão aliada da Sicília. Ele foi presenteado pessoalmente com uma bengala pelo próprio "Monty" (General Montgomery)!
- Cure-se (3.12)

1943 - No verão de 1943, ele foi transferido da campanha do Norte da África para a Kokoda Track Campaign na Nova Guiné. Ele foi designado para a 7ª Divisão australiana para empurrar o inimigo de volta contra a linha de montanhas na ilha, na trilha de Kokona de 160 quilômetros, uma polegada de chuva caiu em cinco minutos, e a lama negra estava cheia de doenças. Ele ficou lá seis meses. Faminto, sem balas, perdido por um dia, ele encontrou os homens de Sato Osawa. Eles trocaram rações pelo quinino de Sato. Durante todo o dia, Sato e Jonathan não trocaram uma única palavra. Eles conversaram depois da guerra, quando ele encontrou Sato em um acampamento russo, e mais tarde trocaram cartas. Eles se veriam brevemente no Robin's Nest em 1982.
- A Oitava Parte da Aldeia (3.4)

1943 - Malásia, 1943, nosso regimento estava desesperadamente em menor número e enfrentava a morte certa. Em nossas fileiras estava um jovem tenente Ian Bowerly e durante uma calmaria na batalha ele recitou Gunga Din, suponho que para manter nossa coragem diante do inevitável. Sua recitação eloquente foi ficando cada vez mais alta até que trovejou pela selva. Para nosso espanto, as tropas japonesas avançaram. Embora não falassem inglês, ficaram fascinados com o poema. Eles permitiram que todos nós saíssemos ilesos da área, exceto o pobre Sr. Bowerly. Enquanto escapávamos, podíamos ouvi-lo recitar outras canções favoritas de Kipling, literalmente a quilômetros de distância. Até hoje, seu destino permanece desconhecido. "
- Quem é Don Luis Higgins. (6,19)

1943 - Separou-se de sua unidade em uma escaramuça e passou 9 dias sozinho caçado pelos japoneses. Embora ele tenha levado um tiro quando tentou pular de uma árvore sobre o líder do esquadrão, e ele estava armado apenas com uma faca, ele manteve os três homens como prisioneiros.
- Autumn Warrior (7.13)

1944 - No início do ano, ele esteve na Itália (ao norte de Salerno) na Batalha de Monte Cassino, uma "bagunça sangrenta". Ele e o tenente Carlton Houghtailing foram imobilizados por um franco-atirador por 16 dias em uma adega de cogumelos abandonada. Eles comeram apenas cogumelos, o que causou efeitos deletérios para o tenente Houghtailing, pelo sexto dia ele havia esquecido seu próprio nome, pelo décimo, ele estava convencido de que eram Júlio César e Marco Antônio.
- Caixa de cesto (3.15)

1944 - No Pacífico, ele passou horas antes das batalhas fazendo aquarela. Uma adorável donzela da ilha o arrastou para sua cabana para ver sua arte primitiva. Ele passou várias semanas maravilhosas com ela e dominou a técnica, mas não seu talento.
- Uma imagem vale a pena (7.3)

1944 - Organizou uma competição de surf (usando asas de avião descartadas) na costa marroquina para ostentar o moral de sua unidade. Higgins terminou em 6º atrás de Corky Bostwick, Binky Farmbush. [cortar]. Afirmou que foi um dos momentos mais memoráveis ​​de sua vida, porque foi capaz de tentar a morte sem realmente matar ninguém.
- Sonhe um pouco (4.20)

1944 - Antes do Dia D, ele estava envolvido em tarefas não especificadas para a Operação Hambone *, operações de engano para apoiar a invasão dos Aliados na Normandia.
* Mais comumente referido como "Operação Copperhead".
- Princípio do prazer (8.3) e Resoluções de amplificadores (8.12)

1944 - 6 de junho, Dia D em Gold Beach, onde conheceu brevemente seu meio-irmão Elmo Ziller. "Abaixe seu traseiro avermelhado antes que seja disparado!", Higgins gritou quando o viu.
- A história de Elmo Ziller (2.21)

1944 - Em 23 de julho, Higgins estava na Cidade do México com o MI6. O Terceiro Reich colocou alguns documentos ultrassecretos em um banco mexicano (o "Banco Internacional") para custódia. A tarefa de Higgins era contratar um criminoso notório para roubá-los, um homem que parecia estar roubando apenas outro banco. Higgins escolheu o notório ladrão de bancos Garwood Huddle, o "Bandido Desarmado". Após o roubo, Garwood devolveu todo o dinheiro e se recusou a aceitar qualquer pagamento. "Foi sua contribuição para o esforço de guerra."
- The Legacy of Garwood Huddle (5.4)

1944 - Jogou o melhor jogador de tênis semente da América no Exército, Tappy Larsen. Ele saltou de pára-quedas nos Urais com uma equipe de demolição para infiltrar as linhas alemãs.
- Pares Mistos (3.10)

  • Higgins é o contato britânico com os Marauders do Merrill na Birmânia. Enquanto ajuda a treinar uma das forças de defesa locais da Birmânia, Higgins faz amizade com o americano William Wainwright, que está em Merrill's Marauders. Durante a estação das monções, William construiu uma engenhoca "raquetes de neve" feita de vinhas e folhas para evitar que as tropas afundassem no "sujeira até os joelhos". Duas horas depois de limparem o acampamento, um ataque aéreo arrasou tudo ao redor. Várias centenas de soldados devem suas vidas à inventividade de William Wainwright.
    - Uma garota chamada Sue (8.7)
  • Participou da reconstrução da Estrada da Birmânia com um engenheiro do Exército dos EUA, Coronel Len Carlson - "Carlson. Mesmo agora o nome tem o poder de evocar as emoções mais poderosas. Às vezes eu acordo no meio da noite com um sobressalto, imaginando que ele está ali na sala comigo, dominando tudo, todo o poder se fundiu, de alguma forma, no espírito indomável daquele homem ".
    - The Great Hawaiian Adventure Company (8.9)
  • Ele esteve envolvido na Ferrovia da Birmânia (a "Ferrovia da Morte") e trabalhou na famosa ponte do rio Kwai.
    - Tempo passado (3,5)
  • Participou da "Operação Neville", um assalto a uma ponte sobre o rio Irrawaddy (como parte das operações do rio Irrawaddy no início de 1945). A operação falhou, em parte devido ao fato de que os homens de Higgins passaram a maior parte da noite antes de beber uma mistura potente chamada "Brandy Bullfight".
    - A aparência (4.9)
  • Um dos camaradas de Higgins na Campanha da Birmânia era um rapaz chamado "Tanker" Moran. Ele obteve o nome quando sozinho enfrentou um tanque japonês e o retirou. Agora, ele está vendendo geleia em Devonshire [Inglaterra].
    - Você viu o nascer do sol (1) (3.1)
  • Estacionado em Rangoon (capital da Birmânia) por um período de tempo não revelado. "A vida era quieta, pacífica, tranquila, até que o tenente Hilton-Thorpe foi transferido. Então, tornou-se um negócio medonho e deprimente."
    - Sr. White Death (3,9)
  • Enquanto estavam na Birmânia, Higgins e um zaftig escriturário do Exército americano inventaram um método de catalogação de biblioteca que melhorou o sistema decimal de Dewey em uma noite de paixão literária em que se viram sozinhos, depois do expediente, na biblioteca da base.
    - Arrebatamento (6.11)
  • No esforço de expulsar os japoneses da Birmânia, sua unidade encontrou a aldeia natal de seu guia nativo, que foi completamente destruída pelos japoneses. O guia ficou tão perturbado que atacou o capitão da unidade em uma tentativa bem-sucedida de fazer com que Higgins e seus homens o matassem.
    - Relativo distante (4,4)

1945 - Imediatamente após a guerra, na Palestina, Higgins liderou uma patrulha que tinha ordens para atirar em refugiados judeus. Ele se deparou com o rabino Asher Solomon e outros em um barco salva-vidas a vapor, quando este chegou à costa. Higgins desobedeceu a uma ordem de "atirar na hora" e marchou para longe dos refugiados. Anos depois, eles se conheceram do lado de fora de um museu britânico, onde Jonathan lhe disse: "Eu estava obedecendo a uma lei superior que não me permite atirar em refugiados desarmados".
- Torá, Torá, Torá (5.21)

1945 - No verão, ele se transferiu de Beirute, no Líbano, para Gwangju, na Coreia do Sul.
- A Mulher na Praia (2.3)

1946 - Em Suez, Egito, onde chefiou o Comitê Britânico de Relocação, que trouxe 12 crianças refugiadas ao Havaí.
- Nunca mais. Nunca mais (1,7) e Esta ilha não é grande o suficiente (6,16)

1946 - Participei brevemente dos Julgamentos de Nuremberg na Alemanha.
- Nunca mais. Nunca Mais (1.7)

1946 - Ligação com o Exército Soviético de Ocupação em Viena. Os soviéticos tentaram recrutá-lo como agente, mas falharam, é claro.
- De Moscou a Maui (2,4)

1946(?) - Após a guerra, ele fez uma breve passagem pelo MI5 (British Military Intelligence, Section 5). Eles capturaram um general alemão que tentava fugir da Europa disfarçado de condessa albanesa. Ele foi pego porque era atraente demais para ser uma condessa albanesa!
- Torcedor Tigres (8.4)

1946 - Resumidamente em Xangai, "logo após a guerra". Ele aprendeu técnicas chinesas de acupressão.
- A beleza não conhece dor (1.18)

1947 - Graduado pela University of Cambridge como Doutor em Matemática.
- O Grande Golpe (3.22)

1947 - No Paquistão, onde encontrou o tenente Teddy Fabishaw, um bom oficial, mas com uma infeliz compulsão de adorar lagartos. Teddy perdeu sua comissão quando foi pego com a filha de um Coronel fazendo um ato indescritível com uma iguana!
- Casa do mar (4.1)

1948 - Na primavera, o General Chiang Kai-Shek deu a ele um vaso Ming. Ele era um conselheiro militar adido à 5ª Divisão de Infantaria Indiana. O general que recusou seu conselho agora é lavador de pratos em um restaurante mandarim medíocre em Stockton, Califórnia.
- O Grande Golpe (3.22)

1948 - Durante sua primeira turnê pela Índia, "um dos rapazes entrou em conflito com um Rajah menor.
- Legado de um amigo (3.19)

1948 - Na Índia, ele aprendeu hipnose. Mais tarde, ele o usou quando sua irmã perdeu o broche da família.
- Ausente em ação (1.9)

1948 - Em Mandalay, quando a Birmânia conquistou a independência. Um dos rapazes se envolveu com a filha de um comerciante de chá oriental. Ele era assessor de um ex-governador britânico e queria investigar, mas as implicações políticas o amarraram. Eles finalmente encontraram o corpo decomposto do rapaz. Foi horrível, pois ele era o melhor jogador de críquete que eles tinham!
- A Captura de Dick McWilliams (2.10)

1948 - Em Madagascar, ele conseguiu curar a visão dupla de um cabo Abbott por meio da acupressão.
- Squeeze Play (4.7)

1949 - Na Índia, ele era o batman de Lord Mountbatten enquanto o batman normal se recuperava de um acidente com uma vaca sagrada. Enquanto pegava figos para Monty, ele viu um homem santo que se parecia exatamente com sua mãe! Era "assustador"!
- Parte traseira do Mac (5.3)

1949 - Em Benares, treinou o time de rúgbi do regimento, trabalhando em estreita colaboração com os médicos militares. Uma vez, Corky Bostwick trouxe dois intocáveis ​​para a equipe.
- One More Summer (2.17) e The Case of the Red Face Thespian (4.12)

1949 - Seu pônei de pólo em Gwangju teve um boleto ferido tratado com lidocaína. No domingo da festa de aniversário da Rainha, Corky Bostwick perdeu o controle de uma égua quando o garanhão do outro time deu um relincho apaixonado.
- Mais um verão (2.17)

1950 - Passei um tempo em uma cela de prisão terrível em Calcutá.
- Luther Gillis: Arquivo # 521 (4.2)

1951 - Pesca em alto mar em Florida Keys com Ernest Hemingway em seu ketch quando as ondas curtas os avisaram sobre a aproximação de um furacão. Jonathan mais tarde ajudou Ernest a reescrever O homem velho e o mar.
- O Grande Golpe (3.22)

1951 - Estacionado em Hong Kong, Sargento-mor do Brig. Allistair Ffolkes, Exército Britânico.
- Não há necessidade de saber (1.5)

1951 - Na Coréia, teve que transfundir sangue para um turco atingido por um franco-atirador enquanto estava preso por dois dias em um arrozal congelado onde usou um talo de bambu. O atirador matou o turco dois dias depois.
- Todos por um (1) (5,15)

1951 - Ainda em 1951, estava na Nova Guiné, onde foi estaqueado um tenente Hilton Thorpe, coberto de mel, com as pálpebras fendidas. Depois dessa provação, o tenente teve que usar óculos escuros e odiar doces.
- Tempo passado (3,5)

1952 - Em Liverpool, onde se tornou aficionado por wrestling depois de assistir sua primeira luta profissional lá - uma que apresentava Yuri Karamazov (fictício), "o urso russo".
- Sr. White Death (3,9)

1953 - No início de 1953, ele estava no Vietnã com as forças francesas e era o consultor-chefe de Rand McNally quando eles atualizaram o mapa. Ele se hospedou no Hotel Royale.
- Todos por um (2) (5.16)

1953 - Ele estava no Quênia e aprendeu os costumes dos massai. Ele esteve presente durante a Revolta Mau Mau. Eles estavam no mato por uma semana quando encontraram dois soldados desaparecidos, horrivelmente mutilados. Era lua cheia. À meia-noite, eles encontraram os assassinos Mau Mau, mas Jonathan foi cortado na coxa por uma panga. Ele enviou os rapazes. Eles rastrearam os Mau Mau até a aldeia de Berebe, onde massacraram homens, mulheres e crianças. Higgins relatou isso e pediu a corte marcial para si mesmo (embora não estivesse presente) e seus homens, mas foi absolvido e os outros acabaram de ser enviados para fora do país. Os homens incluíam o soldado Buckminster, o soldado Taylor e o soldado Edwin Clutterbuck, o cabo Lance, entre outros.
- Preto no Branco (3,6)

1953 - O MI6 temporariamente designou Higgins para ajudar a Scotland Yard quando uma equipe feminina de rúgbi em Midlands foi aterrorizada por um sujeito demente apaixonado por moletons sujos.
- Pares Mistos (3.10)

1954 - Na primavera, ele estava no Quênia novamente, onde era o mais jovem de um plantel de seis, passando três meses cuidando da fazenda Andrews. Ele e a filha de Andrews, Elizabeth, davam longas caminhadas na grama, liam Shelley e ouviam a BBC. Mas ele foi transferido para a frente novamente. Quatro meses depois, ela se casou com Dan Davies, um membro do novo time.
- Luther Gillis: Arquivo # 001 (5.10)

1956 - Ele estava no Suez em uma patrulha de camelo - rastreando as forças da 3ª Divisão Egyption - quando seu guia, um beduíno de 12 anos, foi capturado por um bando de bandidos do deserto e foi torturado até a morte (sem revelar localização das forças britânicas).
- Under World (5.5)

1957 - Em Genebra, ele dirigia o Arlington Arms, um hotel tranquilo freqüentado por duques, condes e, ocasionalmente, viscondes.
- Tempo passado (3,5)

1958 - Ele passou quase um mês em uma cela infestada de ratos, de 3 por 6 pés, fora de Calcutá.
- Frustrado novamente (3.8)

1960 - Na Malásia, durante a emergência malaia. Ele fazia parte do 6º regimento de Fuzis Gurkha * da Rainha Elizabeth. Foi aqui que ele conheceu Vivian Brock Jones (a Duquesa de Whitt) pela primeira vez.
* O período de tempo e a localização não são declarados nesta cena de flashback, mas com base na idade de Vivian e no ombro visto em Higgins (uma unidade britânica / Gurkha), este é provavelmente o período de tempo e o local deste evento.
- Carta para uma duquesa (4.6)

1961 - No Congo na maior parte do ano com uma força de paz da ONU.
- Todos por um (1) (5,15)

1962 - No Cairo, ele foi brevemente ligado ao Museu Britânico e aprendeu uma ou duas coisas sobre como consertar vasos.
- Boneca da China (1,3)

1967 - No Norte do País de Gales, com a Unidade de Investigação do Exército. Ele tinha um caso fascinante: um soldado matou um cabo na latrina porque o sargento disse ao soldado que todos os cabos são gays, mas endireitam-se novamente quando são espancados.
- J. "Digger" Doyle (1.17)

1972 - Contratado por Robin Masters para ser o mordomo do Ninho de Robin em Oahu depois que o mordomo anterior, Lowell Xavier Jamison, foi demitido.
- O caso do ator da cara vermelha (4.12)

1975 - Conhece a britânica Agatha Chumley em Oahu, que se torna sua melhor amiga.
- Ecos da mente (2) (5.2)

1976 - Higgins e Robin Masters competem juntos em uma corrida de iates no Havaí. Eles perderam a bujarrona dois dias depois e Robin quebrou o braço quando uma baleia colidiu com o barco. Eles terminaram em 8º lugar.
- Fragmentos (5.6)

1976 - Em Oahu, reencontra o velho amigo David Worth, que acredita ser Sherlock Holmes. Com Higgins fazendo o papel de Watson, eles embarcam em uma aventura maluca envolvendo vários disfarces, uma gangue chinesa, agentes secretos britânicos e um antro de ópio.
- Holmes é onde o coração está (4.18)

1979 - Apresentado a Thomas Sullivan Magnum IV, que se muda para a pousada em Robin's Nest a pedido do Mestre Robin.

1980-1988 - Ainda mordomo em Robin's Nest, ele está envolvido em inúmeras aventuras com Thomas e The Gang e desenvolve uma amizade próxima com todos eles, especialmente Magnum.

Em algum ponto no início de sua carreira, Higgins estava em uma missão de investigação nos arredores de Moscou no auge do inverno. Um soldado da infantaria russo voltando do front foi informado de que sua esposa e filho morreram de fome. Higgins observou o homem bater com o punho contra uma parede de tijolos até que todos os ossos de sua mão fossem esmagados!
- Laura (7,18)

Na Pérsia, ele foi parteira de uma jovem camponesa curdistana que não falava inglês. Ele teve que deixá-la inconsciente.
- O Grande Golpe (3.22)

Ele estava em Salzburgo "de volta", mas interrompe sem detalhes.
- The Legacy of Garwood Huddle (5.4)

Na Albânia, ele foi preso em uma fábrica de zíper com Bertie Farnbush e sua irmã solteira, e usou o grampo dela para escapar.
- O retorno de Luther Gillis (4.16)

No Congo com uma força de paz. Ele interrogou o Major Horling, um assassino de sangue frio que trabalhava com Morgan Lyden. Lyden mais tarde sequestraria Jonathan (junto com T.C.) em 1982. Magnum e Rick os resgataram com sucesso.
- Tempo passado (3,5)

Serviu no Sudão e foi cercado por 300 furiosos sudaneses quando Binky Sliberton acidentalmente entrou na cabana de um dos feiticeiros locais.
- Tempo passado (3,5)

Na Irlanda do Norte, ele estava com o MI6, ligado ao General Cornwall, o estrategista. No Baile de Aniversário da Rainha, Bannister, um operário que usava drag, apareceu com o mesmo vestido de Lady Ashley e causou um grande escândalo.
- O Jororo Kill (2.13)

Ele foi acidentalmente baleado por um belga durante um safári de caça White Rhino no Quênia. O belga François Forney carregou-o nas costas por quatro dias para receber tratamento médico em um acampamento base.
- Under World (5.5)

Passou 28 dias de sofrimento implacável em uma gaiola de tigre Kanji!
- Emerald não é o melhor amigo de uma garota (Simon & amp Simon episódio de crossover)

Certa vez, ficou preso em uma ilha na costa norte da África, ferido e inconsciente por uma semana. Quando ele acordou, ele se salvou transformando a fuselagem de um avião em uma canoa e navegando em segurança.
- Operação: Noite Silenciosa (4.10)

Na África, sua unidade já foi cercada por canibais por 39 dias antes de se render. Faced with being boiled alive, the commanding officer, Major Tewksbury, challenged the Cannibal King to a duel to the death with the soldiers' freedom as the prize. Although Tewksbury was of royal blood himself, he was no match for the King. he never knew what hit him.
- Jororo Farewell (4.11)

Attempted to swim across the English Channel. He almost made it, but had to give up because of a nosebleed.
- Home From the Sea (4.1)

In Northern India (with Alex Clutterbuck) looking for a lost Heathen Temple. The stone temple was said to be over 1,000 years old, and housed a statue of a Tibetan monkey and a sacred cow "engaged in a most obscene act".
- Two Birds of a Feather (3.20)

In the Fiji islands, he watched an old man successfully troll the sea with just one long strain of "monkey vine".
- Autumn Warrior (7.13)

While in the Gulf of Martaban, Higgins and his comrades pulled a Lt. Crosley out of the ocean. When they removed his diving helmet, he began "babbling on about the beautiful women he'd seen living in the sea". Sirens was the term he used. He said he saw an entire city of them, including a caravan of elephants!
- Rapture (6.11)

Studied the Kudu buck, a woodland antelope found throughout eastern and southern Africa, carefully and upclose during a trip to the Zambezi river, somewhere in the African plain.
- Dead Man's Channel (2.2)

Higgins was at Lizard Island (off the coast of Australia) when a young Kanaka (Polynesian) boy fell down a river embankment, straight into the mouth of a waiting crocodile! After killing the croc with a single well-placed shot, Higgins improvised a poultice for the boy's wounded leg consisting of a mix of local herbs and river-bed clay, which effected a miracle cure.
- Straight and Narrow (7.4)

In a time and place unspecified, Higgins made the mistake of cooking fish for his host, Abdul ben Bashi. Bashi, raised in the desert, didn't recognize the fish and thought Higgins had cooked his pet iguanas. He ordered Higgins to be stripped and staked out in the sun to bake until dead. In the face of this punishment, Higgins had the wit to request wryly that in deference to the modesty of Bashi's wives, he not be stripped.
- Autumn Warrior (7.13)

A soldier under his care, Private Channing, spent five days in a coma. Ten minutes after all hope was given up and a priest sent for, Channing opened his eyes and started asking for a pint of stout (location unknown).
- Limbo (7.22)

Trampled by a herd of wild South American capybaras. "It was in Peru, perhaps Bolivia."
- No More Mr. Nice Guy (4.13)

Had the frustration of writer's block syndrome. He sat for days searching for just the right superlatives to describe one Major Reginald "Humpy" Weddington. "Humpy" had overcome great adversity in his quest to become an officer. He was very short, very rotund, and he had lost his left ear in a freak rugby accident.
- Kiss of the Sabre (5.11)

Saw the legendary blues singer Alberta Hunter perform at the Dorchester Hotel in London. After seeing her show, he followed her career very closely.
- Paradise Blues (4.15)

Shoot me an email if you'd like to have something added or corrected


Batalha [editar | editar fonte]

Starting on 4 January 1942, Rabaul came under attack by large numbers of Japanese carrier-based aircraft. After the odds facing the Australians mounted significantly, Lerew signalled RAAF HQ in Melbourne with the Latin motto "Nos Morituri Te Salutamus" ("we who are about to die salute you"), ⎚] the phrase uttered by gladiators in ancient Rome before entering combat. ⎛] On 20 January, over 100 Japanese aircraft attacked in multiple waves. Eight Wirraways attacked and in the ensuing fighting three RAAF planes were shot down, two crash-landed, and another was damaged. Six of Australian aircrew were killed in action and five wounded. One of the attacking Japanese bombers was shot down by anti-aircraft fire. ⎜] ⎗] As a result of the intense air attacks, Australian coastal artillery was destroyed and Australian infantry were withdrawn from Rabaul itself. The following day, an RAAF Catalina flying boat crew located the invasion fleet off Kavieng, Ώ] and its crew managed to send a signal before being shot down. ⎗]

As the Australian ground troops took up positions along the western shore of Blanche Bay where they prepared to meet the landing, Δ] ⎝] the remaining RAAF elements, consisting of two Wirraways and one Hudson, were withdrawn to Lae. Once the aircraft had departed with a number of wounded, the Australians destroyed the airfield. ⎞] The bombing continued around Rabaul on 22 January and early that morning a Japanese force of between 3,000 and 4,000 troops landed just off New Ireland and waded ashore in deep water filled with dangerous mudpools. The 2/1st Independent Company had been dispersed around the island and the Japanese took the main town of Kavieng without opposition after a sharp fight around the airfield the commandos fell back towards the Sook River. Η] That night, the invasion fleet approached Rabaul and before dawn on 23 January, the South Seas Force entered Simpson Harbour and a force of around 5,000 troops, mainly from the 144th Infantry Regiment, commanded by Colonel Masao Kusunose, began to land on New Britain. Δ] ⎗]

A series of desperate actions followed near the beaches around Simpson Harbour, Keravia Bay and Raluana Point as the Australians attempted to turn back the attack. ⎟] The 3rd Battalion, 144th Infantry Regiment was held up at Vulcan Beach by a mixed company of Australians from the 2/22nd and the NGVR, but elsewhere the other two battalions of the South Seas Force were able to land at unguarded locations and began moving inland. ⎗] Within hours, Scanlan ordered "every man for himself", and Australian soldiers and civilians split into small groups, up to company size, and retreated through the jungle, moving along the north and south coasts. ⎠] During the fighting on 23 January, the Australians lost two officers and 26 other ranks killed in action. ΐ]

Only the RAAF had made evacuation plans. Although, initially ordered to turn his ground staff into infantrymen in a last-ditch effort to defend the island, Larew insisted that they be evacuated and organised for them to be flown out by flying boat and his one remaining Hudson. ⎡] Australian soldiers remained at large in the interior of New Britain for many weeks, but Lark Force had made no preparations for guerrilla warfare on New Britain. Without supplies, their health and military effectiveness declined. Leaflets posted by Japanese patrols or dropped from planes stated in English, "you can find neither food nor way of escape in this island and you will only die of hunger unless you surrender". ⎗] Over 1,000 Australian soldiers were captured or surrendered during the following weeks after the Japanese landed a force at Gasmata, on New Britain's south coast, on 9 February, severing the Australians' line of retreat. & # 9111 & # 93


The following officers served as commanding officer of New Guinea Force: [4] [5]

  • Early 1941 – August 1942: Major General Basil Morris – Became ANGAU commander after the arrival of I Corps
  • August – September 1942: Lieutenant General Sydney Rowell
  • September 1942 – August 1943: Lieutenant General Edmund Herring[notes 6]
  • January 1943 – May 1943: Lieutenant General Sir Iven Mackay (Acting)
  • August 1943 – January 1944: Lieutenant General Sir Iven Mackay
  • November 1943 – January 1944: Lieutenant General Sir Leslie Morshead (Acting)
  • January 1944 – April 1944: Lieutenant General Sir Leslie Morshead
  • April 1944: Lieutenant General Stanley Savige – Commander II Corps[notes 7]
  • 1944: Lieutenant General Frank Berryman
  • 1944󈞙: Lieutenant General Leslie Morshead

Japanese sniper's nest, New Guinea - History

Battle of Balikpapan
The Battle of Balikpapan was the concluding stage of the Operation Oboe. The landings took place on 1 July 1945. The Australian 7th Division, composed of the 18th, 21st and 25th Infantry Brigades, wit . More h support troops, made an amphibious landing, codenamed Operation Oboe Two a few miles north of Balikpapan, on the island of Borneo. The landing had been preceded by heavy bombing and shelling by Australian and US air and naval forces. The Japanese were outnumbered and outgunned, but like the other battles of the Pacific War, many of them fought to the death.

Major operations had ceased by July 21. The 7th Division's casualties were significantly lighter than they had suffered in previous campaigns. The battle was one of the last to occur in World War II, beginning a few weeks before the bombing of Hiroshima and Nagasaki effectively ended the war. Japan surrendered while the Australians were combing the jungle for stragglers.

Battle of Leyte
The Battle of Leyte in the Pacific campaign of World War II was the amphibious invasion of the Gulf of Leyte in the Philippines by American and Filipino guerrilla forces under the command of General D . More ouglas MacArthur, who fought against the Imperial Japanese Army in the Philippines led by General Tomoyuki Yamashita from 17 October 1944 - 1 July 1945. The operation code named King Two launched the Philippines campaign of 1944&ndash45 for the recapture and liberation of the entire Philippine Archipelago and to end almost three years of Japanese occupation.

Batalha
Landings
Preliminary operations for the Leyte invasion began at dawn on 17 October with minesweeping tasks and the movement of the 6th Rangers toward three small islands in Leyte Gulf. Although delayed by a storm, the Rangers were on Suluan and Dinagat islands by 0805. On Suluan, they dispersed a small group of Japanese defenders and destroyed a radio station, while they found Dinagat unoccupied. The next day, the third island Homonhon, was taken without any opposition. On Dinagat and Homonhom, the Rangers proceeded to erect navigation lights for the amphibious transports to follow. Meanwhile reconnaissance by underwater demolition teams revealed clear landing beaches for assault troops on Leyte. Independently, the 21st Infantry Regiment on 20 Oct. landed on Panaon Strait to control the entrance to Sogod Bay.

Following four hours of heavy naval gunfire on A-day, 20 October, Sixth Army forces landed on assigned beaches at 10:00. X Corps pushed across a 4 mi (6.4 km) stretch of beach between Tacloban airfield and the Palo River. 15 mi (24 km) to the south, XXIV Corps units came ashore across a 3 mi (4.8 km) strand between San José and the Daguitan River. Troops found as much resistance from swampy terrain as from Japanese fire. Within an hour of landing, units in most sectors had secured beachheads deep enough to receive heavy vehicles and large amounts of supplies. Only in the 24th Division sector did enemy fire force a diversion of follow-up landing craft. But even that sector was secure enough by 13:30 to allow Gen. MacArthur to make a dramatic entrance through the surf onto Red Beach and announce to the populace the beginning of their liberation: "People of the Philippines, I have returned! By the grace of Almighty God, our forces stand again on Philippine soil."

US 1st Cavalry troops wade through a swamp in Leyte
By the end of A-day, the Sixth Army had moved 1 mi (1.6 km) inland and five miles wide. In the X Corps sector, the 1st Cavalry Division held Tacloban airfield, and the 24th Infantry Division had taken the high ground on Hill 522 commanding its beachheads. In the XXIV Corps sector, the 96th Infantry Division held the approaches to Catmon Hill, and the 7th Infantry Division held Dulag and its airfield.

General Makino spent the day moving his command post from Tacloban, 10 mi (16 km) inland to the town of Dagami. The initial fighting was won at a cost of 49 killed, 192 wounded, and six missing. The Japanese counterattacked the 24th Infantry Division on Red Beach through the night, unsuccessfully.

Campaign in the Leyte Valley
The Sixth Army made steady progress inland against sporadic and uncoordinated enemy resistance on Leyte in the next few days. The 1st Cavalry Division of Maj. Gen. Verne D. Mudge secured the provincial capital, Tacloban, on 21 October, and Hill 215 the next. On 23 October, Gen. MacArthur presided over a ceremony to restore civil government to Leyte. 1st and 2nd Cavalry Brigades initiated a holding action to prevent a Japanese counterattack from the mountainous interior, after which the 1st Cavalry was allowed to move on. The 8th Cavalry established itself on Samar by 24 Oct., securing the San Juanico Strait.

US infantrymen move cautiously toward a machinegun nest
On the X Corps left, the 24th Infantry Division under Maj. Gen. Frederick A. Irving, drove inland into heavy enemy resistance. After days and nights of hard fighting and killing some 800 Japanese, the 19th and 34th Infantry Regiments expanded their beachhead and took control of the high ground commanding the entrance to the northern Leyte Valley. By 1 November, after a seven-day tank-infantry advance supported by artillery fire, both regiments had pushed through Leyte Valley and were within sight of the north coast and the port of Carigara, which the 2nd Cavalry Brigade occupied the next day after Suzuki ordered a withdrawal. In its drive through Leyte Valley, the 24th Division inflicted nearly 3,000 enemy casualties. These advances left only one major port on Leyte&mdashOrmoc City on the west coast&mdashunder Japanese control.

A US 105 mm (4.1 in) howitzer fires at Catmon Hill
From the XXIV Corps beachhead Gen. Hodge had sent his two divisions into the southern Leyte Valley, which already contained four airfields and a large supply center. Maj. Gen. James L. Bradley's 96th Infantry Division was to clear Catmon Hill, a 1,400 ft (430 m) promontory, the highest point in both corps beachheads, and used by the Japanese as an observation and firing post to fire on landing craft approaching the beach on A-day. Under cover of incessant artillery and naval gunfire, Bradley's troops made their way through the swamps south and west of the high ground at Labiranan Head. After a three-day fight, the 382nd Infantry Regiment took a key Japanese supply base at Tabontabon, 5 mi (8.0 km) inland, and killed some 350 Japanese on 28 October. Simultaneously two battalions each from the 381st Infantry Regiment and 383rd Infantry Regiments slowly advanced up opposite sides of Catmon Hill and battled the fierce Japanese resistance. When the mop-up of Catmon Hill was completed on 31 October, the Americans had cleared 53 pillboxes, 17 caves, and several heavy artillery positions.

US armored car at Labiranan Head
On the left of XXIV Corps, the 7th Infantry Division under Maj. Gen. Archibald V. Arnold moved inland against the Japanese airfields of San Pablo 1 and 2, Bayug, and Buri, using "flying wedges" of American tanks, the 767th Tank Battalion, which cleared the way for the infantrymen. Between Burauen and Julita, the 17th Infantry overcame fanatical but futile resistance from Japanese spider holes, who placed satchel charges on the hulls of the American tanks. A mile north, 32nd Infantry soldiers killed more than 400 Japanese at Buri airfield. While two battalions of the 184th Infantry patrolled the corps' left flank, the 17th Infantry, with the 184th's 2nd Battalion attached, turned north toward Dagami, 6 mi (9.7 km) above Burauen. Using flamethrowers to root the enemy out of pillboxes and a cemetery, US troops captured Dagami on 30 October, which forced Gen. Makino to evacuate his command post further westward. Meanwhile, on 29 October, the 32nd Infantry's 2nd Battalion, preceded by the 7th Cavalry Reconnaissance Troop, moved 15 mi (24 km) south along the east coast to Abuyog for a probe of the area, and then over the next four days patrolled west through the mountains to Baybay, all without opposition.

Japanese counterattacks
With 432,000 Japanese soldiers in the Philippines, General Yamashita decided to make Leyte the main effort of the Japanese defense, and on 21 Oct. , ordered the 35th Army to coordinate a decisive battle with the Imperial Japanese Navy. The 16th Division was to be reinforced by the 30th Infantry Division from Mindanao, landing on Ormoc Bay. The 102nd Infantry Division would occupy Jaro, where the 1st and 26th Infantry Divisions were concentrating. Battalions from the 55th and 57th Independent Mixed Brigades were on Leyte by 25 Oct.

As the Sixth Army pushed deeper into Leyte, the Japanese struck back in the air and at sea. On 24 October, some 200 enemy aircraft approached American beachheads and shipping from the north. Fifty American land-based aircraft rose to intercept them, and claimed to have shot down between 66 and 84 of the attackers. Day and night air raids continued over the next four days, damaging supply dumps ashore and threatening American shipping. But by 28 October, counterattacks by US aircraft on Japanese airfields and shipping on other islands so reduced enemy air strength that conventional air raids ceased to be a major threat. As their air strength diminished, the Japanese resorted to the deadly kamikazes, a corps of suicide pilots who crashed their bomb-laden planes directly into US ships. They chose the large American transport and escort fleet that had gathered in Leyte Gulf on A-day as their first target and sank one escort carrier and badly damaged many other vessels.

Four Japanese snipers shot and killed in the muddy water of a bomb crater
A more serious danger to the US forces developed at sea. The Imperial Japanese Navy's high command decided to destroy US Navy forces supporting the Sixth Army by committing its entire remaining surface fleet to a decisive battle with the Americans. The Imperial Navy's plan was to attack in three major task groups. One, which included four aircraft carriers with few aircraft aboard, was to act as a decoy, luring the US 3rd Fleet north away from Leyte Gulf. If the decoy was successful, the other two groups, consisting primarily of heavy surface combatants, would enter the gulf from the west and attack the American transports.


Owen was born on 27 May 1905, [1] in Nagambie, Victoria. He worked as a bank officer in civilian life and served as a militia officer in the years prior to the outbreak of the Second World War. [2]

Owen enlisted in the Australian Imperial Force (AIF) on 8 July 1940, with the service number VX45223. [3] He was posted to the 2/22nd Infantry Battalion, with the rank of major, in command of 'A' Company. [4]

Battle of Rabaul Edit

The 2/22nd Infantry Battalion was sent to the town of Rabaul, on the island of New Britain, in early 1941. This was the closest Australian base to the Japanese, and considered unlikely to be successfully defended. In late January 1942, the 1,400-strong Rabaul (Australian) garrison was quickly overwhelmed by the Japanese. [5] Owen's 'A' Company was positioned at Vulcan beach, and bore the brunt of the main Japanese landing. After fighting for several hours, Owen ordered his men to break contact, as they would otherwise have been cut off. [6]

With the remainder of the Australian garrison, Owen and his men escaped from Rabaul. They faced a harrowing battle for survival in the mountains and along the southern coast. More than 150 men were massacred after being taken prisoner around Tol and Waitavalo plantations, up to 100 others died of illnesses, and about 800 surrendered and were taken back to Rabaul by the Japanese. Owen was one of only 400 to get off New Britain. [7] [8] He arrived in Port Moresby and after a period of recuperation in Australia was promoted to lieutenant colonel and assumed command of the 39th Battalion on 7 July 1942. [9]

Kokoda Track Campaign Edit

The 39th Battalion was preparing for deployment to the mountain village of Kokoda, as the first step in an Allied plan to occupy the north coast of Papua. The first troops departed the day after Owen assumed command. After the Japanese landed on the north coast on 21 July, Owen was flown up to Kokoda, from where 'B' Company was already engaging the enemy. [10] Facing overwhelming odds, the Australians were pushed back. Owen ordered the burning of the supply dump at Kokoda and a retreat to Deniki. [11] After realising the Japanese had not occupied Kokoda, he led his men back into the village in an attempt to reopen its airfield to receive reinforcements and supplies. The aircraft dispatched to Kokoda were not able to land. The Japanese started attacking in force on the evening of 28 July. [12]

Owen was mortally wounded at 0300 hrs on the morning of 29 July 1942, as the Japanese stepped up their attacks on the dug-in Australians. He was shot just above the right eye while in his forward weapon pit. Taken back to a hut that was being used as an aid post, he was examined by the medical officer, Captain Geoffrey 'Doc' Vernon. His situation was deemed hopeless and when the Australians were forced to withdraw from their location at 0430 hrs, Owen could not be moved. He was cleaned up and left as comfortable as possible. [13]

On 9 August, Owen's body was found and buried [14] at Kokoda by members of 'A' Company, 39th Battalion, when they retook Kokoda for a short period between 8 and 10 August 1942. [15] Later in the war, the temporary Australian war graves at the various battle sites along the Kokoda Track were consolidated at Bomana, north-west of Port Moresby. [16] As a part of this, Owen's body was reburied. [17] He posthumously received the United States Distinguished Service Cross and was Mentioned in Despatches. [18] [19]


World War Photos

Troops inspect a bunker after capturing the Kwajalein Marine patrol and Japanese aircraft wrecks at Roi Airfield 7th Infantry Division at Japanese radio and power HQ American flag Kwajalein Atoll
24th Marines assault troops pinned down on a Namur beach 4th Marine Division Machine Gun crew advancing on Namur 4th Division Marine Lt Willis amid ruins on Namur Island Marines landing on Kwajalein Atoll in LVT 31 January 1944 2
Japanese soldier surrenders to Marines on Namur Marine fires on Japanese sniper from Kwajalein shell hole Marines search thru wreckage on Namur Island Row of Shermans
Bodies of fallen Japanese soldiers in trench on Namur Island U.S .Coast Guardsmen with captured Japanese at Kwajalein 1944 7th Division troops attack Japanese pillbox on Kwajalein 7th Division M10 and machine gunners advance on Kwajalein
Japanese soldier surrendering to troops of the 4th Marine on Roi-Namur near concrete blockhouse American flag over ruins of Japanese Headquarters on Namur LVT landing 7th Division troops on Enubuj Landing crafts tanks supplies troops on Kwajalein
Marines at camp after the capture of Kwajalein Marines of V Amphibious Corps pull an injured Japanese soldier from a bunker 4th Division Marines scan the front on blasted Roi Namur Island Battle of Kwajalein 4
7th Infantry Division soldiers and 767th Tank Battalion M10 advance on Kwajalein Landing Crafts transporting troops to Kwajalein Beach Battle of Kwajalein Marines Marines unload equipment on Namur Beach
Soldier with flamethrower views fallen soldiers on Namur Kwajalein on day before bombardment LSTs bringing Seabees and supplies to Kwajalein Avengers flying over Marines advancing to the north end of Namur
Aerial view of US Invasion of Namur and Roi Islands 23rd Marines on Roi watch giant explosion on Namur Battle of Kwajalein 3 M5A1 of Co B, 4th Tank Battalion, roll ashore at 13.00 on Green 2 Namur Island
7th Infantry Division soldiers advance on Kwajalein Marines in action Troops check IDs on fallen soldiers on Kwajalein Corpsmen carry a wounded Marine on a stretcher
Unloading LCM with tractor at Roi 4th Division Marines check Japanese dead at Roi Airfield Bulldozer aids USS LST-241 Roi Island 1st Battalion 24th Marines in action on Namur
Battle of Kwajalein 2 Crane unloads landing craft from USS Leedstown on Kwajalein M5A1 light tanks stalled on Green 2 Namur Marines landing on Kwajalein Atoll in LVT 31 January 1944
4th Division Marines land under fire February 13, 1944 Aerial view of shell torn Kwajalein with U.S. ships offshore 1944 Troops and reconstruction materials on Kwajalein Beach 4th Div Marines work to coax Japanese from pillbox on Namur
LVTs come in to the beach at low tide on Enubuj in the Kwajalein Atoll, landing 7th Division troops and equipment Marines in machine gun nest on Namur Marines landing on beach at Namur 4th Marine Division search for Japanese snipers on Namur
Soldier in action with flame thrower on Namur Island Marines attacking pillbox on Kwajalein Red Cross gives cigarettes to 4th Division Marines on Kwajalein 4th Division Marines guard Japanese soldier on Roi Namur
Marines move inland after landing on Roi Island

The Battle of Kwajalein was a battle of the Pacific campaign of World War II, fought from 31 January 1944 to 3 February 1944 on Kwajalein Atoll in the Marshall Islands.
After the capture of Makin and Tarawa in the Gilbert Islands, the next step in the United States Navy’s campaign in the central Pacific was the Marshall Islands. These islands had been German colonies until World War I, then assigned to Japan in the post-war settlement as the “Eastern Mandates”. After the loss of the Solomon Islands and New Guinea in 1943, the Japanese command decided that the Gilbert and Marshall islands would be expendable: they preferred to fight a decisive battle closer to home. However, at the end of 1943 the Marshalls were reinforced to make their taking expensive for the Americans. By January 1944 the regional commander in Truk, Admiral Masashi Kobayashi, had 28,000 troops to defend the Marshalls, but he had very few planes.
Expecting the US to attack the outermost islands in the group first, most of the defenders were stationed on Wotje, Mille, Maloelap, and Jaluit atolls to the east and south. This disposition was revealed to the Americans by ULTRA decryptions of Japanese communications, and Nimitz decided instead to bypass these outposts and land directly on Kwajalein. To do this, sea and air superiority were necessary. Accordingly, on 29 January 1944 US carrier planes attacked the Japanese airfield on Roi-Namur, destroying 92 of the 110 Japanese planes in the Marshalls.
The American forces for the landings were Rear Admiral Richmond K. Turner’s 5th Amphibious Force, and Major General Holland M. Smith’s V Amphibious Corps, which was comprised of the 4th Marine Division commanded by Maj. Gen. Harry Schmidt, the 7th Infantry Division commanded by Maj. Gen. Charles H. Corlett, plus the 22nd Marine, 106th Infantry, and the 111th Infantry regiments. The 4th and 7th Divisions were assigned to the initial landings at Kwajalein, while the 2nd Battalion of the 106th was assigned to the simultaneous capture of Majuro Atoll, about 490 km to the southeast. The rest of the 106th and the 22nd Marines were in reserve for Kwajalein, while awaiting the following assault on Eniwetok, scheduled for three months later.
The 7th Infantry Division began by capturing the small islands labeled Carlos, Carter, Cecil, and Carlson on 31 January, which were used as artillery bases for the next day’s assault. Kwajalein Island is 4 km long but only 800 m wide. There was therefore no possibility of defence in depth and the Japanese planned to counter-attack the landing beaches. They had not realized until the battle of Tarawa that American amphibious vehicles could cross coral reefs and so land on the lagoon side of an atoll accordingly the strongest defences on Kwajalein faced the ocean. Bombardment by battleships, B-29 bombers and artillery on Carlson was devastating. The US Army history of the battle quotes a participant as saying that “the entire island looked as if it had been picked up 20,000 feet and then dropped”. By the time the 7th Division landed on Kwajalein Island on 1 February 1944 there was little resistance: by night the Americans estimated that only 1,500 of the original 5,000 defenders were still alive.
On the north side of the atoll, the 4th Marine Division followed the same plan, first capturing islets Ivan, Jacob, Albert, Allen, and Abraham on 31 January, and landing on Roi-Namur on 1 February. The airfield on Roi (the eastern half) was captured quickly, and Namur the next day. The worst setback came when a Marine demolition team threw a satchel charge of high explosive into a Japanese bunker which turned out to be a torpedo warhead magazine. The resulting explosion killed twenty Marines and wounded dozens more. Only 51 of the original 3,500 Japanese defenders of Roi-Namur survived to be captured.
The relatively easy capture of Kwajalein demonstrated US amphibious capabilities and showed that the changes to training and tactics after the bloody battle of Tarawa had been effective. It allowed Nimitz to speed up operations in the Marshalls and invade Eniwetok Atoll on 17 February 1944.
The Japanese learned from the battle that beachline defenses were too vulnerable to bombardment by ships and planes. In the campaign for the Mariana Islands the defense in depth on Guam and Peleliu was much harder to overcome than the thin line on Kwajalein.

Site statistics:
photos of World War 2 : over 31500
aircraft models: 184
tank models: 95
vehicle models: 92
gun models: 5
units: 2
ships: 49


Assista o vídeo: Filme Completo Dublado Assassinato em 4 Atos