Dia 168, 6 de julho de 2011 - História

Dia 168, 6 de julho de 2011 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Dia 168, 6 de julho de 2011

O presidente Barack Obama tuitou uma pergunta durante o Twitter Town Hall na Sala Leste da Casa Branca, 6 de julho de 2011. O cofundador do Twitter e Presidente Executivo Jack Dorsey, que atuou como moderador da prefeitura, é mostrado à esquerda.

9h15 O PRESIDENTE e O VICE-PRESIDENTE recebem o Briefing Diário Presidencial
sala Oval


10:45 O PRESIDENTE se reúne com consultores seniores
sala Oval


11h15 O PRESIDENTE e O VICE-PRESIDENTE se reúnem com o Secretário do Tesouro Geithner
sala Oval


12h30 O PRESIDENTE e O VICE-PRESIDENTE se encontram para almoçar
Sala de Jantar Privada


14h O PRESIDENTE hospeda uma prefeitura no Twitter
Sala Leste - Transcrição

16h30 O PRESIDENTE e O VICE-PRESIDENTE se reúnem com a Secretária de Estado Clinton
sala Oval


26 Código dos EUA § 168 - Sistema de recuperação de custo acelerado

Uma escolha nos termos do parágrafo (2) (D) [1] ou (3) (D) pode ser feita em relação a 1 ou mais classes de bens para qualquer ano tributável e uma vez feita em relação a qualquer classe deve ser aplicada a todos os bens em tal classe colocada em serviço durante esse ano tributável. Tal eleição, uma vez feita, será irrevogável.

Para os fins desta seção, o período de recuperação aplicável será determinado de acordo com a seguinte tabela:

No caso de:

O aplicável

período de recuperação

Propriedade para aluguel residencial

Bens imóveis não residenciais

Qualquer nivelamento de ferrovia ou furo de túnel

Salvo disposição em contrário nesta subseção, a convenção aplicável é a convenção semestral.

A convenção semestral é uma convenção que trata todos os bens colocados em serviço durante qualquer ano tributável (ou alienados durante qualquer ano tributável) como colocados em serviço (ou alienados) na metade desse ano tributável.

A convenção do meio do mês é uma convenção que trata todas as propriedades colocadas em serviço durante qualquer mês (ou alienadas durante qualquer mês) como colocadas em serviço (ou alienadas) na metade desse mês.

A convenção de meio do trimestre é uma convenção que trata todos os bens colocados em serviço durante qualquer trimestre de um ano tributável (ou alienados durante qualquer trimestre de um ano tributável) como colocados em serviço (ou alienados) no ponto médio de tal trimestre.

Salvo disposição em contrário nesta subseção, a propriedade deve ser classificada na seguinte tabela:

A propriedade deve ser tratada como:

Se tal propriedade tiver uma vida útil (em anos) de:

Mais de 4, mas menos de 10

10 ou mais, mas menos que 16

16 ou mais, mas menos que 20

20 ou mais, mas menos de 25

O termo “propriedade de 20 anos” significa o desmatamento inicial e nivelamento das benfeitorias do terreno com relação a qualquer planta de transmissão e distribuição de energia elétrica.

O termo "nivelamento da ferrovia ou furo do túnel" significa todas as melhorias resultantes de escavações (incluindo túneis), construção de aterros, clareiras, desvios de estradas e córregos, sodding de encostas e de trabalho semelhante necessário para fornecer, construir, reconstruir, alterar, proteger, melhorar, substituir ou restaurar um leito de estrada ou faixa de domínio de uma ferrovia.

Qualquer filme de cinema ou fita de vídeo.

Quaisquer obras que resultem da fixação de uma série de sons musicais, falados ou outros, independentemente da natureza do material (como discos, fitas ou outras gravações fonográficas) em que tais sons estão incorporados.

No caso de qualquer propriedade à qual esta seção se aplicaria, exceto para este parágrafo, a dedução da depreciação nos termos da seção 167 será determinada de acordo com as disposições desta seção como em vigor antes das alterações feitas pela seção 201 da Lei de Reforma Tributária de 1986.

No caso de:

A recuperação

(i) Propriedade não descrita na cláusula (ii) ou (iii)

(ii) Bens pessoais sem vida de classe

(iii) Propriedade de aluguel residencial

(iv) Bens imóveis não residenciais

(v) Qualquer nivelamento de ferrovia ou furo de túnel ou propriedade de serviço de água

Para os fins do parágrafo (2), no caso de bens descritos em qualquer um dos seguintes subparágrafos da subseção (e) (3), o

Se a propriedade for descrita

no subparágrafo:

No caso de qualquer equipamento tecnológico qualificado, o período de recuperação usado para os fins do parágrafo (2) será de 5 anos.

No caso de qualquer automóvel ou caminhão leve de uso geral, o período de recuperação usado para os fins do parágrafo (2) será de 5 anos.

No caso de qualquer propriedade da seção 1245 que seja propriedade sem vida de classe, o período de recuperação usado para os fins do parágrafo (2) será de 40 anos.

Salvo disposição em contrário neste parágrafo, o termo "propriedade financiada por títulos isentos de impostos" significa qualquer propriedade na medida em que tal propriedade seja financiada (direta ou indiretamente) por uma obrigação cujos juros são isentos de impostos nos termos da seção 103 (a) .

Para os fins do subparágrafo (A), o produto de qualquer obrigação deve ser tratado como usado para financiar bens adquiridos em conexão com a emissão de tal obrigação na ordem em que tais bens são colocados em serviço.

O termo “propriedade financiada por títulos isentos de impostos” não deve incluir nenhum projeto de aluguel residencial qualificado (dentro do significado da seção 142 (a) (7)).

Se o contribuinte fizer uma escolha nos termos deste parágrafo com relação a qualquer classe de propriedade para qualquer ano tributável, o sistema de depreciação alternativo sob esta subseção será aplicável a todos os bens em tal classe colocados em serviço durante tal ano tributável. Não obstante a frase anterior, no caso de aluguel residencial, tal escolha pode ser feita separadamente em relação a cada imóvel.

Uma eleição segundo o subparágrafo (A), uma vez feita, será irrevogável.

A propriedade descrita neste parágrafo deve consistir em qualquer propriedade residencial para aluguel e propriedade de melhoria qualificada detida por um comércio ou negócio de propriedade real eleito (conforme definido em 163 (j) (7) (B)).

Salvo disposição em contrário nesta subseção, o termo “(B) Bens imóveis não residenciais

A cláusula (i) se aplica a qualquer propriedade somente se a parte de tal propriedade alugada para entidades isentas de impostos em arrendamentos desqualificados for superior a 35 por cento da propriedade.

Para os fins deste subparágrafo, benfeitorias em uma propriedade (exceto terrenos) não devem ser tratadas como uma propriedade separada.

A subcláusula (IV) da cláusula (ii) não se aplica a qualquer propriedade que seja locada dentro de 3 meses após a data em que essa propriedade é usada pela primeira vez pela (C) Exceção para locações de curto prazo

A propriedade não deve ser tratada como arrendamento de curto prazo.

O termo "seção 511. Para os fins do subparágrafo (B) (iii), qualquer parte de uma propriedade assim utilizada não deve ser tratada como alugada para um (E) imóvel não residencial definido

Para os fins deste parágrafo, o termo “aluguel residencial.

Para os fins desta subseção, uma organização deve ser tratada como uma organização descrita no subparágrafo (A) (ii) com relação a qualquer propriedade (exceto propriedade detida por tal organização) se tal organização for uma organização (diferente de uma cooperativa descrita em seção 521) isenta do imposto cobrado por este capítulo a qualquer momento durante o período de 5 anos que termina na data em que tal propriedade foi usada pela primeira vez por tal organização. A frase anterior e o subparágrafo (D) (ii) não se aplicam à Federal Home Loan Mortgage Corporation.

No caso de uma organização anteriormente isenta de impostos nos termos da seção 501 (a) como uma organização descrita na seção 501 (c) (12), a cláusula (i) não se aplica a tal organização com relação a qualquer propriedade se tal organização decidir não estar isento de impostos nos termos da seção 501 (a) durante o período de uso isento de impostos com relação a essa propriedade.

Para os fins da subcláusula (I), o termo “(III) Eleição

Qualquer eleição nos termos da subcláusula (I), uma vez feita, será irrevogável.

Qualquer organização que se dedique a atividades substancialmente semelhantes àquelas exercidas por uma organização antecessora deverá ser bem-sucedida no tratamento previsto neste subparágrafo de tal organização antecessora.

A subcláusula (II) da cláusula (i) não se aplica a qualquer propriedade que seja alugada dentro de 3 meses após a data em que tal propriedade é usada pela primeira vez pelas (4) Entidades relacionadas Para os fins desta subseção-

No caso de qualquer propriedade que é alugada para uma parceria, a determinação de se qualquer parte dessa propriedade é (B) Outras entidades pass-thru entidades estratificadas

Regras semelhantes às regras do subparágrafo (A) também se aplicam no caso de qualquer entidade pass-thru que não seja uma parceria e no caso de parcerias em camadas e outras entidades.

A menos que seja estabelecido de outra forma para satisfação do Secretário, deve-se presumir que os sócios de uma parceria estrangeira (e os beneficiários de qualquer outra entidade estrangeira pass-thru) são pessoas que não são (6) Tratamento de bens pertencentes a parcerias etc.

Para os fins do subparágrafo (A), uma seção 704 (c)), o que resultar na maior parcela proporcional.

Para os fins da cláusula (i), se a seção 704 (c)) puder variar durante o período em que essa entidade for parceira na parceria, essa parcela deverá ser a maior parcela que essa entidade poderá receber.

Para os fins desta subseção, no caso de qualquer propriedade que pertença a uma parceria que tenha (E) Outras entidades pass-thru, entidades estratificadas

Regras semelhantes às regras dos subparágrafos (A), (B), (C) e (D) também se aplicam no caso de qualquer entidade pass-thru que não seja uma parceria e no caso de parcerias em camadas e outras entidades.

Para os fins deste parágrafo e do parágrafo (5), salvo disposição em contrário neste subparágrafo, qualquer (ii) Eleição se a (I)

Para os fins da subcláusula (I), no caso de uma empresa cujas ações são negociadas publicamente em um mercado de valores mobiliários estabelecido, ações detidas por uma (III) Seção 318 para aplicar

Para os fins desta cláusula, uma seção 318 (determinada sem levar em consideração a limitação de 50 por cento contida na subseção (a) (2) (C)).

Para os fins desta subseção, o termo “(8) Regulamentos

O Secretário prescreverá os regulamentos que forem necessários ou apropriados para cumprir os objetivos desta subseção.

O termo “equipamento periférico relacionado” significa qualquer máquina auxiliar (seja on-line ou off-line) que é projetada para ser colocada sob o controle da unidade de processamento central de um computador.

Para os fins deste parágrafo, o termo "equipamento médico de alta tecnologia" significa qualquer eletrônico, eletromecânico ou (3) termo de locação

Para efeito da cláusula (i) da alínea (A), no caso de arrendamento residencial, não será considerada qualquer opção de renovação pelo justo valor de mercado, apurado no momento da renovação.

De acordo com os regulamentos, um contribuinte pode manter uma ou mais contas de ativos gerais para qualquer propriedade à qual esta seção se aplica. Exceto conforme previsto nos regulamentos, todas as receitas realizadas em quaisquer (5) Mudanças no uso

O Secretário deverá, por meio de regulamentos, estabelecer o método de determinação da dedução permitida de acordo com a seção 167 (a) com relação a qualquer propriedade tangível para qualquer ano tributável (e os anos tributáveis ​​seguintes) durante o qual tal propriedade muda de status sob esta seção, mas continua a ser realizada pela mesma pessoa.

No caso de qualquer propriedade transferida em uma transação descrita no subparágrafo (B), o cessionário deve ser tratado como o cedente para fins de cálculo da dedução de depreciação determinada nesta seção com relação a tanto da base nas mãos do cessionário como não exceda a base ajustada nas mãos do cedente. Em qualquer caso em que esta seção em vigor antes das alterações feitas pela seção 201 da Lei de Reforma Tributária de 1986 aplicada à propriedade nas mãos do cedente, a referência na frase anterior a esta seção deve ser tratada como uma referência a esta seção está em vigor.

De acordo com os regulamentos, os bens que são alienados e depois readquiridos pelo contribuinte devem ser tratados para fins de cálculo da dedução permitida na subseção (a) como se esses bens não tivessem sido alienados.

No caso de qualquer edifício erguido (ou melhorias feitas) em propriedade alugada, se tal edifício ou melhoria for propriedade a que esta seção se aplica, a dedução da depreciação deve ser determinada de acordo com as disposições desta seção.

Para o tratamento de propriedade imobiliária de longo prazo qualificada construída ou melhorada em conexão com dinheiro ou redução de aluguel do locador para o locatário, consulte a seção 110 (b).

Uma maneira de não cumprir os requisitos do subparágrafo (A) é se o contribuinte, para fins de tarifação, usar um procedimento ou ajuste incompatível com os requisitos do subparágrafo (A).

Os procedimentos e ajustes que devem ser tratados como inconsistentes para os fins da cláusula (i) devem incluir qualquer procedimento ou ajuste para fins de tarifação que use uma estimativa ou projeção das despesas fiscais do contribuinte, despesas de depreciação ou reserva para impostos diferidos nos termos do subparágrafo ( A) (ii) a menos que tal estimativa ou projeção também seja usada, para fins de fixação de taxas, com relação aos outros 2 itens e com relação à base da taxa.

O Secretário pode, por meio de regulamentos, prescrever procedimentos e ajustes (além daqueles especificados na cláusula (ii)) que devem ser tratados como inconsistentes para os fins da cláusula (i).

No caso de qualquer seção 167 (a), será um valor calculado usando o método e o período referido no subparágrafo (A) (i).

O termo "pesquisa e experimentação" tem o mesmo significado que o termo pesquisa e experimental tem na seção 174.

Os termos "propriedade da seção 1245" e "propriedade da seção 1250" têm os significados dados a tais termos pelas seções 1245 (a) (3) e 1250 (c), respectivamente.

O termo “gado” inclui aves.

O termo “propriedade qualificada para aluguel próprio” significa propriedade mantida por um revendedor de aluguel próprio para fins de estar sujeito a um contrato de aluguel próprio.

O termo "revendedor de aluguel próprio" significa uma pessoa que, no curso normal dos negócios, regularmente celebra contratos de aluguel próprio com clientes para o uso de propriedade do consumidor, se uma parte substancial desses contratos for encerrada e o a propriedade é devolvida a essa pessoa antes do recebimento de todos os pagamentos necessários para transferir a propriedade da propriedade dessa pessoa para o cliente.

O termo “propriedade do consumidor” significa propriedade pessoal tangível de um tipo geralmente usado dentro de casa para uso pessoal.

Tal termo não inclui qualquer equipamento de transporte, ativos de serviços administrativos, armazéns, prédios administrativos, hotéis ou motéis.

Tal termo não incluirá qualquer bem colocado em serviço após 31 de dezembro de 2020.

Para os fins da subseção (a), o período de recuperação aplicável para propriedade de reserva indígena qualificada deve ser determinado de acordo com a tabela contida no parágrafo (2) em vez da tabela contida na subseção (c).

Para os fins do parágrafo (1) -

No caso de:

Bens imóveis não residenciais

Para fins de determinação do rendimento tributável mínimo alternativo de acordo com a seção 55, a dedução de acordo com a subseção (a) para propriedade de reserva indígena qualificada deve ser determinada de acordo com esta seção, sem levar em consideração qualquer ajuste de acordo com a seção 56.

O subparágrafo (A) (ii) não se aplica a propriedade de infraestrutura qualificada localizada fora da reserva indígena se o propósito de tal propriedade for conectar-se a propriedade de infraestrutura qualificada localizada dentro da reserva indígena.

Para os fins desta subseção, o aluguel a terceiros de bens imóveis localizados dentro de uma reserva indígena deve ser tratado como a conduta ativa de um comércio ou negócio dentro de uma reserva indígena.

Qualquer referência nesta subseção a uma disposição não contida neste título deve ser tratada para os fins desta subseção como uma referência a tal disposição em vigor na data da promulgação deste parágrafo.

Se um contribuinte fizer uma escolha de acordo com este parágrafo com relação a qualquer classe de bens em qualquer ano tributável, o parágrafo (1) não se aplicará a todos os bens de tal classe colocados em serviço durante esse ano tributável. Tal eleição, uma vez feita, será irrevogável.

Esta subseção não se aplica a bens colocados em serviço após 31 de dezembro de 2020.

No caso de um imóvel que seja 1º de janeiro de 2027.

Para os fins deste subparágrafo, o termo “(iv) Aplicação do subparágrafo

Este parágrafo não se aplica a nenhum bem descrito no subparágrafo (C).

No caso de um contribuinte fabricar, construir ou produzir propriedade para uso próprio do contribuinte, os requisitos da subcláusula (III) do subparágrafo (B) (i) serão tratados como cumpridos se o contribuinte começar a fabricar, construir ou produzir o propriedade antes de 1º de janeiro de 2027.

No caso de um automóvel de passageiros (conforme definido na seção 280F (d) (5)) que é propriedade qualificada, o Secretário deve aumentar a limitação da seção 280F (a) (1) (A) (i) em $ 8.000.

A dedução permitida de acordo com o parágrafo (1) deve ser levada em consideração no cálculo de qualquer valor de recaptura de acordo com a seção 280F (b) (2).

Para efeitos de determinação do rendimento tributável mínimo alternativo ao abrigo da secção 55, a dedução ao abrigo da secção 167 para (H) Produção colocada em serviço Para efeitos do subparágrafo (A) -

Uma eleição nos termos deste parágrafo só pode ser revogada com o consentimento do Secretário.

Se este parágrafo se aplica a qualquer planta especificada, tal planta especificada não deve ser tratada como (E) Dedução permitida no cálculo do imposto mínimo

Regras semelhantes às regras do parágrafo (2) (G) devem ser aplicadas para os fins deste parágrafo.

Se um contribuinte fizer uma escolha nos termos deste parágrafo com relação a qualquer classe de propriedade para qualquer ano tributável, os parágrafos (1) e (2) (F) não se aplicarão a qualquer (8) Redução gradual no caso de 28 de setembro de 2017 , e colocado em serviço pelo contribuinte após 27 de setembro de 2017, o parágrafo (6) será aplicado substituindo cada porcentagem nele-

Qualquer eleição nos termos deste parágrafo deverá ser feita no momento, na forma e maneira que o Secretário possa prescrever.

Tal termo não incluirá nenhuma propriedade à qual se aplique a subseção (k).

Tal termo não incluirá qualquer propriedade descrita na subseção (k) (2) (D).

Tal termo não incluirá qualquer propriedade cuja parte seja financiada com o produto de qualquer obrigação cujos juros sejam isentos de imposto nos termos da seção 103.

Se um contribuinte fizer uma escolha de acordo com este subparágrafo com relação a qualquer classe de propriedade em qualquer ano tributável, esta subseção não se aplicará a todos os bens de tal classe colocados em serviço durante tal ano tributável.

Para os fins desta subseção, regras semelhantes às regras da subseção (k) (2) (E) devem ser aplicadas.

Para os fins desta subseção, regras semelhantes às regras da subseção (k) (2) (G) devem ser aplicadas.

Para os fins desta subseção, regras semelhantes às regras da seção 179 (d) (10) devem ser aplicadas com relação a qualquer propriedade de planta de biocombustível de segunda geração qualificada que deixe de ser propriedade de planta de biocombustível de segunda geração qualificada.

O termo “propriedade qualificada de reutilização e reciclagem” não deve incluir nenhuma propriedade à qual se aplique a subseção (k) (determinada sem levar em consideração o parágrafo (4)).

O termo "propriedade de reutilização e reciclagem qualificada" não deve incluir qualquer propriedade à qual se aplique o sistema de depreciação alternativo na subseção (g), determinado sem levar em conta o parágrafo (7) da subseção (g) (relativo à opção de aplicar o sistema).

Se um contribuinte fizer uma escolha sob esta cláusula com respeito a qualquer classe de propriedade para qualquer ano tributável, esta subseção não se aplicará a todos os bens de tal classe colocados em serviço durante tal ano tributável.

No caso de um contribuinte fabricar, construir ou produzir propriedade para uso próprio do contribuinte, os requisitos da cláusula (iv) do subparágrafo (A) serão tratados como cumpridos se o contribuinte começar a fabricar, construir ou produzir a propriedade após agosto 31, 2008.

Para fins de determinação do rendimento tributável mínimo alternativo de acordo com a seção 55, a dedução de acordo com a subseção (a) para propriedade de reutilização e reciclagem qualificada deve ser determinada de acordo com esta seção, sem levar em consideração qualquer ajuste de acordo com a seção 56.

O termo "propriedade de reutilização e reciclagem" significa qualquer máquina e equipamento (não incluindo edifícios ou imóveis), juntamente com todos os seus acessórios, incluindo software necessário para operar tal equipamento, que é usado exclusivamente para coletar, distribuir ou reciclar reutilização qualificada e materiais recicláveis.

Tal termo não inclui material rodante ou outro equipamento usado para transportar materiais reutilizáveis ​​e recicláveis.

O termo “reutilização qualificada e materiais recicláveis” significa sucata de plástico, sucata de vidro, sucata de têxteis, sucata de borracha, sucata de embalagem, fibra recuperada, sucata de metais ferrosos e não ferrosos ou sucata eletrônica gerada por um indivíduo ou empresa.

O termo "reciclagem" ou "reciclar" significa aquele processo (incluindo classificação) pelo qual materiais gastos ou supérfluos são fabricados ou processados ​​em commodities de grau de especificação que são adequados para uso como substituto ou substituto de materiais virgens na fabricação de produtos comerciais e de consumo tangíveis , incluindo embalagem.

[1] Consulte as referências na nota do texto abaixo.

[3] Então, no original. A palavra “ou” provavelmente não deve aparecer.

O parágrafo (2) (D), referido na subseção. (b) (5), significa par. (2) (D) da subsec. (b) desta seção, que foi redesignada para o par. (2) (C) da subsec. (b) por Pub. L. 115–97, título I, § 13203 (b), 22 de dezembro de 2017, 131 Stat. 2109.

A data da promulgação da Lei de Reconciliação da Receita de 1990, referida nas subseções. (e) (3) (B) (vi) (II), (III), (g) (4) (K), e (i) (1), é a data de promulgação da Pub. L. 101–508, que foi aprovado em 5 de novembro de 1990.

A Seção 168 (e) em vigor antes das emendas feitas pela Lei de Reforma Tributária de 1986, mencionada na subseção. (f) (5) (A) (i), é subsec. (e) desta seção antes da alteração geral desta seção pelo Pub. L. 99–514.

A data da promulgação deste parágrafo, referida na subseção. (f) (5) (B) (ii) (I), provavelmente significa a data de promulgação da Pub. L. 99-514, que foi aprovado em 22 de outubro de 1986.

A Lei da Reforma Tributária de 1986, referida nas subseções. (f) (5) (B) (iii), (C) e (i) (7) (A), é Pub. L. 99–514, seção 201 (a) da qual emendou esta seção em geral.

O Communications Satellite Act de 1962, referido na subseção. (i) (10) (C), é Pub. L. 87-624, 31 de agosto de 1962, 76 Stat. 419, conforme alterado, que é geralmente classificado no capítulo 6 (§ 701 e seguintes) do Título 47, Telecomunicações. Para obter a classificação completa desta Lei para o Código, consulte a nota de título resumida definida na seção 701 do Título 47 e Tabelas.

A data da promulgação desta sentença, referida na subseção. (j) (6), é a data de promulgação da Pub. L. 105–34, que foi aprovado em 5 de agosto de 1997.

A data da promulgação deste parágrafo, referida na subseção. (j) (7), é a data de promulgação da Pub. L. 103–66, que foi aprovado em 10 de agosto de 1993.

A data da promulgação desta subseção, referida na subseção. (1) (2) (B), (C), é a data de promulgação da Pub. L. 109-432, que foi aprovado em 20 de dezembro de 2006.

Par. (3) da seção 165 (h), referida na subseção. (n) (3) (B), (C), foi revogado pela Pub. L. 113–295, div. A, título II, § 221 (a) (27) (A), 19 de dezembro de 2014, 128 Stat. 4040. No entanto, os termos “desastre declarado pelo governo federal” e “área de desastre” são definidos em outra parte dessa seção.

Bar. L. 110–234 e Pub. L. 110–246 fez emendas idênticas a esta seção. As alterações do Pub. L. 110-234 foram revogados pela seção 4 (a) do Pub. L. 110–246.

Uma seção anterior 168, atua em 16 de agosto de 1954, cap. 746, 68A Stat. 52, 26 de agosto de 1957, Pub. L. 85–165, § 4, 71 Stat. 414 2 de setembro de 1958, Pub. L. 85–866, título I, § 9 (a), (b), 72 Stat. 1608, 1609, relacionado a deduções com relação à amortização de instalações de emergência, antes da revogação pela Pub. L. 94–455, título XIX, § 1951 (b) (4) (A), 4 de outubro de 1976, 90 Stat. 1837.

Subsec. (e) (6) (A). Bar. L. 116–136, § 2307 (a) (1) (B), inserido “feito pelo contribuinte” após “qualquer melhoria”.

Subsec. (g) (3) (B). Bar. L. 116-136, § 2307 (a) (2), item eliminado da tabela relacionado ao subpar. (D) (v) e item da tabela inserido relacionado ao subpar. (E) (vii).

2019 - Subsec. (e) (3) (A) (i) (I). Bar. L. 116–94, § 114 (a) (1), substituiu “1 de janeiro de 2021” por “1 de janeiro de 2018”.

Subsec. (e) (3) (A) (i) (II). Bar. L. 116–94, § 114 (a) (2), substituído “31 de dezembro de 2020” por “31 de dezembro de 2017”.

Subsec. (i) (15) (D). Bar. L. 116–94, § 115 (a), substituiu “31 de dezembro de 2020” por “31 de dezembro de 2017”.

Subsec. (j) (9). Bar. L. 116–94, § 116 (a), substituiu “31 de dezembro de 2020” por “31 de dezembro de 2017”.

Subsec. (1) (2) (D). Bar. L. 116–94, § 130 (a), substituiu “1 de janeiro de 2021” por “1 de janeiro de 2018”.

2018 - Subsec. (d) (3) (B) (i). Bar. L. 115–141, § 401 (a) (49), inserida vírgula após “bens imóveis”.

Subsec. (e) (3) (A) (i) (I). Bar. L. 115–123, § 40304 (a) (1), substituiu “1 de janeiro de 2018” por “1 de janeiro de 2017”.

Subsec. (e) (3) (A) (i) (II). Bar. L. 115–123, § 40304 (a) (2), substituído por “31 de dezembro de 2017” por “31 de dezembro de 2016”.

Subsec. (e) (3) (B). Bar. L. 115–141, § 302 (a) (2), substituído "subcláusula (I) ou (II) da cláusula (vi) por ser Pub. L. 115-141, § 302 (a) (1), substituído "tem uma capacidade de produção de energia não superior a 80 megawatts, ou" por "é uma pequena instalação de produção de energia qualificada na acepção da seção 3 (17) ( C) do Federal Power Act (16 USC 796 (17) (C)), em vigor em 1 de setembro de 1986, ou ”.

Subsec. (g) (4) (G). Bar. L. 115–141, § 401 (d) (1) (D) (iv), eliminado “(exceto uma corporação que tem uma eleição em vigor sob a seção 936)” após “corporação nacional”.

Subsec. (i) (15) (D). Bar. L. 115–123, § 40305 (a), substituído “31 de dezembro de 2017” por “31 de dezembro de 2016”.

Subsec. (j) (3). Bar. L. 115-141, § 101 (e) (1), Pub. Substituído. L. 115–141, § 101 (e) (2), substituiu “parágrafo (1)” por “esta subseção”.

Subsec. (j) (9). Bar. L. 115–123, § 40306 (a), substituído “31 de dezembro de 2017” por “31 de dezembro de 2016”.

Subsec. (k) (2) (B) (i) (III). Bar. L. 115–141, § 101 (d) (1), inserido “vinculação” antes de “contrato”.

Subsec. (k) (5) (B) (ii). Bar. L. 115–141, § 101 (d) (2), inserido “safra ou” após “mais de uma” e “uma safra comercial ou rendimento de” após “começa a produzir”.

Subsec. (1) (2) (D). Bar. L. 115–123, § 40412 (a), substituiu “1 de janeiro de 2018” por “1 de janeiro de 2017”.

Subsec. (n). Bar. L. 115–141, § 401 (b) (13) (A), eliminado subsec. (n) relacionados com subsídio especial para propriedade qualificada para assistência a desastres.

2017 — Subsec. (b) (2) (B) a (D). Bar. L. 115–97, § 13203 (b), parágrafos reformulados. (C) e (D) como (B) e (C), respectivamente, e eliminou o subpar anterior. (B) que tem a seguinte redação: “qualquer propriedade usada em uma empresa agrícola (dentro do significado da seção 263A (e) (4)),”.

Subsec. (b) (3) (G) a (I). Bar. L. 115–97, § 13204 (a) (2), adicionado subpar. (G) e eliminou os subpars anteriores. (G) a (I) que se lê da seguinte forma:

“(G) Propriedade de melhoria de propriedade arrendada qualificada descrita na subseção (e) (6).

“(H) Propriedade de restaurante qualificada descrita na subseção (e) (7).

“(I) Propriedade de melhoria de varejo qualificada descrita na subseção (e) (8).”

Subsec. (e) (3) (B) (vii). Bar. L. 115–97, § 13203 (a), substituído “após 31 de dezembro de 2017” por “após 31 de dezembro de 2008, e que é colocado em serviço antes de 1º de janeiro de 2010”.

Subsec. (e) (3) (E) (iv) a (ix). Bar. L. 115–97, § 13204 (a) (1) (A), cls redesignado. (vi) a (viii) como (iv) a (vi), respectivamente, e eliminou os antigos cls. (iv), (v) e (ix) que se lê como segue:

“(Iv) qualquer propriedade de melhoria de arrendamento qualificada,

“(V) qualquer restaurante qualificado,

“(Ix) qualquer propriedade de melhoria de varejo qualificada.”

Subsec. (e) (6). Bar. L. 115–97, § 13204 (a) (1) (B), (4) (B) (i), adicionado par. (6) e eliminou o par. (6) que definiu “propriedade de melhoria de propriedade arrendada qualificada”.

Subsec. (e) (7), (8). Bar. L. 115–97, § 13204 (a) (1) (B), pars. (7) e (8) que definiram “propriedade de restaurante qualificada” e “propriedade de melhoria de varejo qualificada”, respectivamente.

Subsec. (g) (2) (C) (iii) a (v). Bar. L. 115–97, § 13204 (a) (3) (C), itens adicionados (iii) a (v) na tabela e eliminados os itens anteriores (iii) e (iv) que se relacionavam com o real não residencial e o pub. L. 115–97, § 13204 (a) (3) (B), itens de tabela inseridos relacionados aos subpars. (D) (v) e (E) (iv) a (vi) e riscou os itens da tabela relacionados ao subpar. (E) (iv) a (ix).

Subsec. (i) (7) (B). Bar. L. 115–97, § 13504 (b) (1), eliminou as disposições finais que se lêem como segue: “O subparágrafo (A) não se aplica no caso de rescisão de uma parceria nos termos da seção 708 (b) (1) (B). ”

Subsec. (k). Bar. L. 115–97, § 13201 (b) (2) (B), riscado "adquirido depois de 31 de dezembro de 2007 e antes de 1 de janeiro de 2020" após "propriedade" no cabeçalho.

Subsec. (k) (1) (A). Bar. L. 115–97, § 13201 (a) (1) (A), substituído por “thePub. L. 115–97, § 13201 (g) (1), subcl. (4). Subcl. (IV) foi adicionado a cl. (i) após o antigo subcl. (IV) foi eliminado pelo Pub. L. 115–97, § 13204 (a) (4) (A), tendo em vista a redação do diretório que altera o cl. (i) “conforme alterado pela seção 13204”. Veja abaixo.

Bar. L. 115–97, § 13204 (a) (4) (A), eliminado subcl. (IV) que tem a seguinte redação: “which isPub. L. 115–97, § 13201 (g) (1), subcl. (V).

Subsec. (k) (2) (A) (ii). Bar. L. 115–97, § 13201 (c) (1), emendado cl. (ii) em geral. Antes da alteração, cl. (ii) leia o seguinte: “cujo uso original começa com o contribuinte, e”.

Subsec. (k) (2) (A) (iii). Bar. L. 115–97, § 13201 (b) (1) (A) (i), substituiu “1 de janeiro de 2027” por “1 de janeiro de 2020”.

Subsec. (k) (2) (B) (i) (II). Bar. L. 115–97, § 13201 (b) (1) (A) (ii) (I), substituiu “1 de janeiro de 2028” por “1 de janeiro de 2021”.

Subsec. (k) (2) (B) (i) (III). Bar. L. 115–97, § 13201 (b) (1) (A) (i), substituiu “1 de janeiro de 2027” por “1 de janeiro de 2020”.

Subsec. (k) (2) (B) (ii). Bar. L. 115–97, § 13201 (b) (1) (A) (ii) (II), substituiu “pré-1º de janeiro de 2027” por “pré-1º de janeiro de 2020” no título.

Bar. L. 115–97, § 13201 (b) (1) (A) (i), substituiu “1 de janeiro de 2027” por “1 de janeiro de 2020”.

Subsec. (k) (2) (E) (i). Bar. L. 115–97, § 13201 (b) (1) (A) (i), substituiu “1 de janeiro de 2027” por “1 de janeiro de 2020”.

Subsec. (k) (2) (E) (ii). Bar. L. 115–97, § 13201 (c) (2), emendado cl. (ii) em geral. Antes da alteração, o texto é o seguinte: "Para os fins da cláusula (iii) e do subparágrafo (A) (ii), se a propriedade for-

“(I) originalmente colocado em serviço por uma pessoa, e

“(II) vendido e alugado de volta por tal pessoa dentro de 3 meses após a data em que tal propriedade foi originalmente colocada em serviço,

tal propriedade deve ser tratada como originalmente colocada em serviço, não antes da data em que tal propriedade é usada sob o relocação referido na subcláusula (II). ”

Subsec. (k) (2) (E) (iii) (I). Bar. L. 115–97, § 13201 (c) (3), subcl. (Eu geralmente. Antes da alteração subcl. (I) ler o seguinte: “a propriedade é originalmente colocada em serviço pelo locador de tal propriedade”.

Subsec. (k) (2) (F) (iii). Bar. L. 115–97, § 13201 (f), substituído por “adquirido pelo contribuinte antes de 28 de setembro de 2017 e colocado em serviço pelo contribuinte após 27 de setembro de 2017” por “colocado em serviço pelo contribuinte após 31 de dezembro de 2017 ”Nas disposições introdutórias.

Subsec. (k) (3). Bar. L. 115–97, § 13204 (a) (4) (B) (ii), eliminou o par. (3) que definiu a Pub. L. 115–97, § 12001 (b) (13), eliminou o par. (4) que se relacionava com a escolha de acelerar os créditos AMT em vez da depreciação de bônus.

Subsec. (k) (5) (A). Bar. L. 115–97, § 13201 (b) (1) (B), substituiu “1º de janeiro de 2027” por “1º de janeiro de 2020” nas disposições introdutórias.

"(I) no caso de uma planta que é plantada (ou enxertada) em 2018, '40 por cento 'e

"(Ii) no caso de uma planta que é plantada (ou enxertada) durante 2019, '30 por cento '."

“(A) no caso de bens colocados em serviço em 2018 (ou no caso de bens colocados em serviço em 2019 e descritos no parágrafo (2) (B) ou (C) (determinado substituindo '2019' por '2020 'nos parágrafos (2) (B) (i) (III) e (ii) e no parágrafo (2) (E) (i)),' 40 por cento ',

“(B) no caso de bens colocados em serviço em 2019 (ou no caso de bens colocados em serviço em 2020 e descritos no parágrafo (2) (B) ou (C),‘ 30 por cento ’.”

2015 — Subsec. (e) (3) (A) (i) (I). Bar. L. 114-113, § 165 (a) (1), substituído por “1 de janeiro de 2017” por “1 de janeiro de 2015”.

Subsec. (e) (3) (A) (i) (II). Bar. L. 114-113, § 165 (a) (2), substituído “31 de dezembro de 2016” por “31 de dezembro de 2014”.

Subsec. (e) (3) (E) (iv), (v). Bar. L. 114-113, § 123 (a), eliminado “colocado em serviço antes de 1º de janeiro de 2015” após “propriedade”.

Subsec. (e) (3) (E) (ix). Bar. L. 114-113, § 123 (b), eliminado “colocado em serviço depois de 31 de dezembro de 2008 e antes de 1º de janeiro de 2015” após “propriedade”.

Subsec. (e) (6). Bar. L. 114-113, § 143 (b) (6) (A), nas disposições introdutórias, substituído "Para os fins desta subseção" por "O termo 'propriedade de melhoria de arrendamento qualificada' tem o significado dado a tal termo na seção 168 (k) (3) exceto que as seguintes regras especiais se aplicam: ”subpares adicionados. (A) a (C) e subpars anteriores redesignados. (A) e (B) como (D) e (E), respectivamente e, no subpar. (E), substituiu “subparágrafo (D)” por “subparágrafo (A)” nas disposições introdutórias.

Subsec. (e) (7) (B). Bar. L. 114-113, § 143 (b) (6) (B), Pub substituído. L. 114-113, § 143 (b) (6) (C), eliminado subpar. (D). O texto diz o seguinte: “A propriedade descrita neste parágrafo que não seja uma propriedade de melhoria de propriedade arrendada qualificada não deve ser considerada Pub. L. 114-113, § 166 (a), substituiu “31 de dezembro de 2016” por “31 de dezembro de 2014”.

Subsec. (j) (8). Bar. L. 114-113, § 167 (b), adicionado par. (8). Par anterior. (8) redesignado (9).

Bar. L. 114-113, § 167 (a), substituiu “31 de dezembro de 2016” por “31 de dezembro de 2014”.

Subsec. (j) (9). Bar. L. 114-113, § 167 (b), par. (8) como (9).

Subsec. (k). Bar. L. 114-113, § 143 (b) (6) (J), substituído "e antes de 1 de janeiro de 2020" por "e antes de 1 de janeiro de 2016" no título.

Bar. L. 114-113, § 143 (a) (4) (A), substituiu “1º de janeiro de 2016” por “1º de janeiro de 2015” no título.

Subsec. (k) (2). Bar. L. 114-113, § 143 (b) (1), par. (2) em geral. Antes da alteração, par. (2) relacionado ao significado de Pub. L. 114-113, § 143 (a) (1) (B), substituiu “1º de janeiro de 2016” por “1º de janeiro de 2015” onde quer que apareça.

Subsec. (k) (2) (A) (iv). Bar. L. 114-113, § 143 (a) (1) (A), substituiu “1 de janeiro de 2017” por “1 de janeiro de 2016”.

Subsec. (k) (2) (B) (ii). Bar. L. 114-113, § 143 (a) (4) (B), substituído “pré-1º de janeiro de 2016” por “pré-1º de janeiro de 2015” no título.

Subsec. (k) (3). Bar. L. 114-113, § 143 (b) (2), par. (3) em geral. Antes da alteração, o par. (3) relacionado ao significado de propriedade de melhoria de arrendamento qualificada para fins de subsec. (k).

Subsec. (k) (4). Bar. EU.114-113, § 143 (b) (3), par. (4) em geral. Antes da alteração, o par. (4) relacionado à eleição para acelerar o AMT e créditos de pesquisa em vez de depreciação de bônus.

Subsec. (k) (4) (D) (iii) (II). Bar. L. 114-113, § 143 (a) (3) (A), substituiu “1 de janeiro de 2016” por “1 de janeiro de 2015”.

Subsec. (1) (2) (D). Bar. L. 114-113, § 189 (a), substituiu “1º de janeiro de 2017” por “1º de janeiro de 2015”.

Subsec. (1) (3) (A). Bar. L. 114-113, § 143 (b) (6) (E) (i), substituiu “subseção (k)” por “seção 168 (k)”.

Subsec. (1) (3) (B). Bar. L. 114-113, § 143 (b) (6) (E) (ii), substituiu "subseção (k) (2) (D)" por "seção 168 (k) (2) (D) (i) ”.

Subsec. (l) (4). Bar. L. 114-113, § 143 (b) (6) (F), substituído por "subseção (k) (2) (E) será aplicável." para o "subparágrafo (E) da seção 168 (k) (2) será aplicável, exceto que tal subparágrafo será aplicado—

“(A) substituindo 'a data da promulgação da subseção (l)' por '31 de dezembro de 2007' em cada lugar que aparece nele, e

“(B) substituindo 'Subsec. (1) (5). Bar. L. 114-113, § 143 (b) (6) (G), substituiu “subseção (k) (2) (G)” por “seção 168 (k) (2) (G)”.

2014 — Subsec. (b) (5). Bar. L. 113–295, § 210 (g) (2) (A), substituiu “parágrafo (2) (D)” por “parágrafo (2) (C)”.

Subsec. (e) (3) (A) (i) (I). Bar. L. 113–295, § 121 (a) (1), substituiu “1 de janeiro de 2015” por “1 de janeiro de 2014”.

Subsec. (e) (3) (A) (i) (II). Bar. L. 113–295, § 121 (a) (2), substituído “31 de dezembro de 2014” por “31 de dezembro de 2013”.

Subsec. (e) (3) (E) (iv), (v), (ix). Bar. L. 113–295, § 122 (a), substituiu “1º de janeiro de 2015” por “1º de janeiro de 2014”.

Subsec. (e) (7) (B), (8) (D). Bar. L. 113–295, § 211 (b), inserido “que não é propriedade de melhoria de arrendamento qualificada” após “Propriedade descrita neste parágrafo”.

Subsec. (i) (15) (D). Bar. L. 113–295, § 123 (a), substituiu “31 de dezembro de 2014” por “31 de dezembro de 2013”.

Subsec. (i) (18) (A) (ii), (19) (A) (ii). Bar. L. 113–295, § 210 (c), substituiu “16 anos” por “10 anos”.

Subsec. (j) (8). Bar. L. 113–295, § 124 (a), substituiu “31 de dezembro de 2014” por “31 de dezembro de 2013”.

Subsec. (k). Bar. L. 113–295, § 125 (d) (1), substituiu “1º de janeiro de 2015” por “1º de janeiro de 2014” no título.

Subsec. (k) (2). Bar. L. 113–295, § 125 (a) (2), substituiu “1º de janeiro de 2015” por “1º de janeiro de 2014” onde quer que apareça.

Subsec. (k) (2) (A) (iv). Bar. L. 113–295, § 125 (a) (1), substituiu “1 de janeiro de 2016” por “1 de janeiro de 2015”.

Subsec. (k) (2) (B) (i) (IV). Bar. L. 113–295, § 214 (b), substituída “cláusula também se aplica” por “cláusulas também se aplicam”.

Subsec. (k) (2) (B) (ii). Bar. L. 113–295, § 125 (d) (2), substituiu “pré-1º de janeiro de 2015” por “pré-1º de janeiro de 2014” no título.

Subsec. (k) (4) (C) (i). Bar. L. 113–295, § 210 (g) (2) (B), substituiu “subseção (b) (2) (D)” por “subseção (b) (2) (C)” nas disposições finais.

Subsec. (k) (4) (D) (iii) (II). Bar. L. 113–295, § 125 (c) (1), substituído “1 de janeiro de 2015” por “1 de janeiro de 2014”.

Subsec. (k) (4) (E) (iv). Bar. L. 113–295, § 212 (b), substituiu “imposto mínimo líquido ajustado” por “imposto mínimo ajustado”.

Subsec. (k) (4) (J) (iii). Bar. L. 113–295, § 202 (e), substituiu “seu primeiro ano fiscal encerrado após 31 de dezembro de 2010” por “qualquer ano fiscal encerrado após 31 de dezembro de 2010” nas disposições introdutórias.

Subsec. (1) (2) (D). Bar. L. 113–295, § 157 (a), substituiu “1º de janeiro de 2015” por “1º de janeiro de 2014”.

Subsec. (m) (2) (B) (i). Bar. L. 113–295, § 210 (d), substituiu “subseção (k) (determinado sem levar em consideração o parágrafo (4))” por “seção 168 (k)”.

Subsec. (n) (2) (C) (ii). Bar. L. 113–295, § 125 (d) (3), substituído por “1º de janeiro de 2015” por “1º de janeiro de 2014”.

2013 — Subsec. (e) (3) (E) (iv), (v), (ix). Bar. L. 112–240, § 311 (a), substituiu “1º de janeiro de 2014” por “1º de janeiro de 2012”.

Subsec. (i) (9) (A) (ii). Bar. L. 112–240, § 331 (d), inserido “(respeitando todas as escolhas feitas pelo contribuinte de acordo com esta seção)” após “tal propriedade”.

Subsec. (i) (15) (D). Bar. L. 112–240, § 312 (a), substituído “31 de dezembro de 2013” ​​por “31 de dezembro de 2011”.

Subsec. (j) (8). Bar. L. 112–240, § 313 (a), substituído “31 de dezembro de 2013” ​​por “31 de dezembro de 2011”.

Subsec. (k). Bar. L. 112–240, § 331 (e) (1), substituiu “1º de janeiro de 2014” por “1º de janeiro de 2013” ​​no título.

Subsec. (k) (2). Bar. L. 112–240, § 331 (a) (2), substituiu “1 de janeiro de 2014” por “1 de janeiro de 2013” ​​onde quer que apareça.

Subsec. (k) (2) (A) (iv). Bar. L. 112–240, § 331 (a) (1), substituiu “1 de janeiro de 2015” por “1 de janeiro de 2014”.

Subsec. (k) (2) (B) (ii). Bar. L. 112–240, § 331 (e) (2), substituiu “pré-1º de janeiro de 2014” por “pré-1º de janeiro de 2013” ​​no título.

Subsec. (eu). Bar. L. 112–240, § 410 (b) (2) (C), substituiu “segunda geração” por “celulósico” no cabeçalho.

Bar. L. 112–240, § 410 (b) (2) (A), substituiu “biocombustível de segunda geração” por “biocombustível celulósico” onde quer que apareça no texto.

Subsec. (l) (2). Bar. L. 112–240, § 410 (b) (2) (D), substituiu “segunda geração” por “celulósico” no cabeçalho.

Subsec. (1) (2) (A). Bar. L. 112–240, § 410 (b) (1), substituído “apenas para produzir biocombustível de segunda geração (conforme definido na seção 40 (b) (6) (E))” por “apenas para produzir biocombustível celulósico”.

Subsec. (1) (2) (D). Bar. L. 112–240, § 410 (a) (1), substituiu “1 de janeiro de 2014” por “1 de janeiro de 2013”.

Subsec. (I) (3) a (8). Bar. L. 112–240, § 410 (b) (2) (B), pars redesignado. (4) a (8) como (3) a (7), respectivamente, e eliminou o par. (3). O texto diz o seguinte: “O termo‘ biocombustível celulósico ’significa qualquer combustível líquido produzido a partir de qualquer matéria lignocelulósica ou hemicelulósica que esteja disponível de forma renovável ou recorrente.”

Subsec. (n) (2) (C) (ii). Bar. L. 112–240, § 331 (e) (3), substituiu “1 de janeiro de 2014” por “1 de janeiro de 2013”.

2010 — Subsec. (e) (3) (E) (iv), (v), (ix). Bar. L. 111–312, § 737 (a), substituiu “1º de janeiro de 2012” por “1º de janeiro de 2010”.

Subsec. (e) (7) (A) (i). Bar. L. 111–312, § 737 (b) (1), eliminado “se tal edifício for colocado em serviço depois de 31 de dezembro de 2008 e antes de 1º de janeiro de 2010”, depois de “edifício”.

Subsec. (e) (8) (E). Bar. L. 111–312, § 737 (b) (2), eliminado subpar. (E). O texto diz o seguinte: “Tal termo não incluirá qualquer melhoria colocada em serviço após 31 de dezembro de 2009.”

Subsec. (i) (15) (D). Bar. L. 111–312, § 738 (a), substituiu “31 de dezembro de 2011” por “31 de dezembro de 2009”.

Subsec. (j) (8). Bar. L. 111–312, § 739 (a), substituído “31 de dezembro de 2011” por “31 de dezembro de 2009”.

Subsec. (k). Bar. L. 111–312, § 401 (d) (1), substituiu “1º de janeiro de 2013” ​​por “1º de janeiro de 2011” no título.

Bar. L. 111–240, § 2022 (b) (1), substituiu “1º de janeiro de 2011” por “1º de janeiro de 2010” no título.

Subsec. (k) (2) (A) (iii). Bar. L. 111–312, § 401 (a) (2), substituiu “1º de janeiro de 2013” ​​por “1º de janeiro de 2011” nos subcls. (I) e (II).

Bar. L. 111–240, § 2022 (a) (2), substituiu “1º de janeiro de 2011” por “1º de janeiro de 2010” nos subcls. (I) e (II).

Subsec. (k) (2) (A) (iv). Bar. L. 111–312, § 401 (a), substituiu “1º de janeiro de 2013” ​​por “1º de janeiro de 2011” e “1º de janeiro de 2014” por “1º de janeiro de 2012”.

Bar. L. 111–240, § 2022 (a), substituiu “1º de janeiro de 2011” por “1º de janeiro de 2010” e “1º de janeiro de 2012” por “1º de janeiro de 2011”.

Subsec. (k) (2) (B) (ii). Bar. L. 111–312, § 401 (a) (2), (d) (2), substituído por "antes de 1 ° de janeiro de 2013" por "antes de 1 ° de janeiro de 2011" no título e "1 ° de janeiro de 2013" por “1º de janeiro de 2011” no texto.

Bar. L. 111–240, § 2022 (a) (2), (b) (2), substituído "antes de 1º de janeiro de 2011" por "antes de 1º de janeiro de 2010" no título e "1º de janeiro de 2011" por “1º de janeiro de 2010” no texto.

Subsec. (k) (2) (E) (i). Bar. L. 111–312, § 401 (a) (2), substituiu “1º de janeiro de 2013” ​​por “1º de janeiro de 2011”.

Bar. L. 111–240, § 2022 (a) (2), substituiu “1º de janeiro de 2011” por “1º de janeiro de 2010”.

Subsec. (k) (4) (D) (iii). Bar. L. 111–312, § 401 (d) (3) (C), ponto substituído por vírgula no final.

Bar. L. 111–312, § 401 (c) (1), substituído "ou produção" por "ou produção após 31 de março de 2008 e antes de 1 de janeiro de 2010, deve ser levado em consideração no subparágrafo (B) (ii ) dele ”, e subcls adicionados. (I) e (II) e disposições finais.

Subsec. (k) (4) (D) (iv), (v). Bar. L. 111–312, § 401 (d) (3) (A), riscado cls. (iv) e (v) que se lê da seguinte forma:

"(Iv) '1 ° de janeiro de 2011' deve ser substituído por '1 ° de janeiro de 2012' no subparágrafo (A) (iv) do mesmo, e

"(V) '1 ° de janeiro de 2010' deve ser substituído por '1 ° de janeiro de 2011' em cada lugar que apareça no subparágrafo (A)."

Subsec. (1) (5) (B). Bar. L. 111–312, § 401 (d) (4) (B), (C), subpar. (C) como (B) e eliminou o subpar anterior. (B) que diz o seguinte: "substituindo '1 de janeiro de 2013' por '1 de janeiro de 2011' na cláusula (i) do mesmo, e".

Bar. L. 111–240, § 2022 (b) (4), substituiu “1º de janeiro de 2011” por “1º de janeiro de 2010”.

Subsec. (n) (2) (C) (ii). Bar. L. 111–312, § 401 (d) (5), substituiu “1º de janeiro de 2013” ​​por “1º de janeiro de 2011”.

Bar. L. 111–240, § 2022 (b) (5), substituiu “1º de janeiro de 2011” por “1º de janeiro de 2010”.

2009 — Subsec. (k). Bar. L. 111-5, § 1201 (a) (2) (A), substituiu “1º de janeiro de 2010” por “1º de janeiro de 2009” no título.

Subsec. (k) (2) (A) (iii) (I), (II). Bar. L. 111–5, § 1201 (a) (1) (B), substituiu “1º de janeiro de 2010” por “1º de janeiro de 2009”.

Subsec. (k) (2) (A) (iv). Bar. L. 111–5, § 1201 (a) (1), substituiu “1º de janeiro de 2010” por “1º de janeiro de 2009” e “1º de janeiro de 2011”. para “1º de janeiro de 2010”.

Subsec. (k) (2) (B) (ii). Bar. L. 111–5, § 1201 (a) (1) (B), (2) (B), substituiu “antes de 1º de janeiro de 2010” por “antes de 1º de janeiro de 2009” no título e “1º de janeiro, 2010 ”para“ 1º de janeiro de 2009 ”no texto.

Subsec. (k) (2) (E) (i). Bar. L. 111-5, § 1201 (a) (1) (B), substituiu “1º de janeiro de 2010” por “1º de janeiro de 2009”.

Subsec. (k) (4) (D) (ii). Bar. L. 111-5, § 1201 (a) (3) (A) (i), (iii), adicionado cl. (ii). Ex-cl. (ii) redesignado (iii).

Subsec. (1) (5) (B). Bar. L. 111–5, § 1201 (a) (2) (C), substituiu “1º de janeiro de 2010” por “1º de janeiro de 2009”.

Subsec. (n) (2) (C) (ii). Bar. L. 111–5, § 1201 (a) (2) (D), substituiu “1º de janeiro de 2010” por “1º de janeiro de 2009”.

2008 — Subsec. (b) (2) (C), (D). Bar. L. 110–343, § 306 (c), adicionado subpar. (C) e subpar anterior redesignado. (C) como (D).

Subsec. (e) (3) (A) (i). Bar. L. 110–246, § 15344 (a), emendou cl. (Eu geralmente. Antes da alteração, cl. (i) ler o seguinte: “qualquer cavalo de corrida com mais de 2 anos de idade no momento em que é colocado em serviço”.

Subsec. (e) (3) (E) (iv), (v). Bar. L. 110–343, § 305 (a) (1), substituiu “1º de janeiro de 2010” por “1º de janeiro de 2008”.

Subsec. (e) (7). Bar. L. 110–343, § 305 (b) (1), título reencenado sem alteração e texto emendado em geral. Antes da alteração, o texto dizia o seguinte: “O termo 'estabelecimento de restaurante qualificado' significa qualquer pub. L. 110–343, § 305 (c) (2), par. (8).

Subsec. (g) (3) (B). Bar. L. 110–343, § 505 (b), item de tabela inserido relacionado ao subpar. (B) (vii).

Bar. L. 110–343, § 305 (c) (4), item de tabela inserido relacionado ao subpar. (E) (ix).

Subsec. (i) (15) (D). Bar. L. 110–343, § 317 (a), substituiu “31 de dezembro de 2009” por “31 de dezembro de 2007”.

Subsec. (j) (8). Bar. L. 110–343, § 315 (a), substituiu “31 de dezembro de 2009” por “31 de dezembro de 2007”.

Subsec. (k). Bar. L. 110–185, § 103 (c) (11), substituiu “31 de dezembro de 2007” por “10 de setembro de 2001” e “1º de janeiro de 2009” por “1º de janeiro de 2005” no título.

Bar. L. 110–185, § 103 (a) (1), (3), substituiu "31 de dezembro de 2007" por "10 de setembro de 2001" e "1 de janeiro de 2009" por "1 de janeiro de 2005", sempre que aparecer em texto.

Subsec. (k) (1) (A). Bar. L. 110–185, § 103 (b), substituiu “50 por cento” por “30 por cento”.

Subsec. (k) (2) (A) (iii) (I). Bar. L. 110–185, § 103 (a) (2), substituiu “1º de janeiro de 2008” por “11 de setembro de 2001”.

Subsec. (k) (2) (A) (iv). Bar. L. 110–185, § 103 (a) (4), substituiu “1º de janeiro de 2010” por “1º de janeiro de 2006”.

Subsec. (k) (2) (B) (i) (I). Bar. L. 110–185, § 103 (c) (1), substituído por “(iii) e (iv)” por “e (iii)”.

Subsec. (k) (2) (B) (i) (IV). Bar. L. 110–185, § 103 (c) (2), que direcionou a substituição de "cláusula (iii)" por "cláusulas (ii) e (iii)", foi executado substituindo "cláusula (iii)" por "cláusula (ii) ou (iii) ”para refletir a intenção provável do Congresso.

Subsec. (k) (2) (B) (ii). Bar. L. 110–185, § 103 (c) (12), substituiu “pré-1º de janeiro de 2009” por “pré-1º de janeiro de 2005” no cabeçalho.

Subsec. (k) (2) (C) (i). Bar. L. 110–185, § 103 (c) (3), substituído “, (iii) e (iv)” por “e (iii)”.

Subsec. (k) (2) (D) (iii). Bar. L. 110–185, § 103 (c) (5) (B), eliminou a última sentença que diz o seguinte: “A sentença anterior deve ser aplicada separadamente com respeito à propriedade tratada como Pub. L. 110–185, § 103 (c) (4), substituiu “$ 8.000” por “$ 4.600”.

Bar. L. 110–185, § 103 (c) (5) (A), eliminou o par. (4) que se relacionava ao tratamento de depreciação de bônus de 50 por cento para certa propriedade.

Subsec. (k) (4) (B) (iii). Bar. L. 110–185, § 103 (a) (4), substituiu “1º de janeiro de 2010” por “1º de janeiro de 2006”.

Subsec. (eu). Bar. L. 110–343, § 201 (b) (1), (2), substituiu “biocombustível celulósico” por “etanol de biomassa celulósico” no título e onde quer que apareça no texto.

Subsec. (l) (2). Bar. L. 110–343, § 201 (b) (3), substituiu “biocombustível celulósico” por “etanol de biomassa celulósica” no cabeçalho.

Subsec. (l) (3). Bar. L. 110–343, § 201 (a), título e texto emendados do par. (3) em geral. Antes da alteração, o texto dizia o seguinte: “Para os fins desta subseção, o termo‘ etanol de biomassa celulósica ’significa etanol produzido por hidrólise de qualquer matéria lignocelulósica ou hemicelulósica que esteja disponível em uma base renovável ou recorrente.”

Subsec. (1) (4). Bar. L. 110–185, § 103 (c) (6), subpar. (A) e subpars anteriores redesignados. (A) a (C) como (B) a (D), respectivamente.

Subsec. (1) (5) (A). Bar. L. 110–185, § 103 (c) (7) (A), substituiu “31 de dezembro de 2007” por “10 de setembro de 2001”.

Subsec. (1) (5) (B). Bar. L. 110–185, § 103 (c) (7) (B), substituiu “1º de janeiro de 2009” por “1º de janeiro de 2005”.

2007 — Subsec. (l) (3). Bar. L. 110-172 eliminou "enzimático" antes da "hidrólise".

2006 — Subsec. (e) (3) (E) (iv), (v). Bar. L. 109-432, § 113 (a), substituiu “2008” por “2006”.

Subsec. (j) (8). Bar. L. 109-432, § 112 (a), substituiu “2007” por “2005”.

2005 — Subsec. (e) (3) (B) (vi) (I). Bar. L. 109-135, § 410 (a), substituído "se 'energia solar ou eólica' fosse substituída por 'energia solar' na cláusula (i) deste" por "se 'solar e eólica' fossem substituídos por 'solar' em cláusula (i) da mesma ”.

Bar. L. 109–58, § 1301 (f) (5), subcl. (Eu geralmente. Antes da alteração, subcl. (I) leia o seguinte: "é descrito no subparágrafo (A) da seção 48 (a) (3) (ou seria descrito se 'solar e eólica' fossem substituídos por 'solar' na cláusula (i) deste), ”.

Subsec. (e) (3) (C) (iv), (v). Bar. L. 109–58, § 1326 (a), adicionado cl. (iv) e redesignado antigo cl. (iv) como (v).

Subsec. (g) (3) (B). Bar. L. 109–58, § 1326 (c), item de tabela inserido relacionado ao subpar. (C) (iv).

Bar. L. 109–58, § 1325 (b), item de tabela inserido relacionado ao subpar. (E) (viii).

Bar.L. 109–58, § 1308 (b), item de tabela inserido relacionado ao subpar. (E) (vii).

Subsec. (i) (15) (D). Bar. L. 109–135, § 412 (s), substituído por “Esse termo não deve incluir” por “Este parágrafo não se aplica a”.

Subsec. (k) (2) (A) (iv). Bar. L. 109–135, § 403 (j) (1), substituiu “subparágrafo (B) ou (C)” por “subparágrafos (B) e (C)”.

Subsec. (k) (4) (B) (ii). Bar. L. 109–135, § 405 (a) (1), emendado cl. (ii) em geral. Antes da alteração, cl. (ii) leia o seguinte: “que é adquirido pelo contribuinte após 5 de maio de 2003 e antes de 1º de janeiro de 2005, mas somente se nenhum contrato vinculante por escrito para a aquisição estiver em vigor antes de 6 de maio de 2003, e”.

Subsec. (k) (4) (B) (iii). Bar. L. 109–135, § 403 (j) (2), substituído “ou parágrafo (2) (C) (conforme modificado)” por “e parágrafo (2) (C)”.

2004 — Subsec. (b) (2) (A). Bar. L. 108-357, § 211 (d) (2), inserido "não referido no parágrafo (3)" antes da vírgula no final.

Subsec. (e) (3) (C) (ii). Bar. L. 108–357, § 704 (a), adicionado cl. (ii). Ex-cl. (ii) redesignado (iii).

Subsec. (e) (3) (C) (iii). Bar. L. 108-357, § 706 (a), adicionado cl. (iii). Ex-cl. (iii) redesignado (iv).

Subsec. (e) (3) (C) (iv). Bar. L. 108-357, § 706 (a), cl. (iii) como (iv).

Subsec. (g) (3) (A). Bar. L. 108-357, § 847 (a), inserido “(não obstante qualquer outro parágrafo deste parágrafo)” após “deverá”.

Subsec. (g) (3) (B). Bar. L. 108–357, § 901 (c), itens de tabela inseridos relacionados aos subpars. (E) (vi) e (F).

Bar. L. 108-357, § 706 (c), que direcionou a alteração da tabela ao inserir o item relacionado ao subpar. (C) (iii) após o item relacionado ao subpar. (C) (ii), foi executado fazendo a inserção após o item relacionado ao subpar. (C) (i) para refletir a intenção provável do Congresso.

Bar. L. 108-357, § 211 (e), itens de tabela inseridos relacionados aos subpars. (E) (iv) e (E) (v).

Subsec. (h) (2) (A). Bar. L. 108-357, § 847 (e), adicionado cl. (iv) e disposições finais.

Subsec. (h) (3) (A). Bar. L. 108-357, § 847 (d), inserido no final "Não obstante a subseção (i) (3) (A) (i), na determinação de aPub. L. 108-357, § 847 (c), adicionado cl. (ii) e redesignado antigo cl. (ii) como (iii).

Subsec. (j) (8). Bar. L. 108–311, § 316, substituiu “2005” por “2004”.

Subsec. (k) (2) (A) (iv). Bar. L. 108-357, § 336 (a) (2), substituiu “subparágrafos (B) e (C)” por “subparágrafo (B)”.

Subsec. (k) (2) (B) (i). Bar. L. 108–311, § 403 (a) (1), título reencenado sem alteração e texto emendado em geral. Antes da alteração, o texto é o seguinte: "O termo seção 263A em razão da cláusula (ii) ou (iii) da subseção (f) (1) (B) da mesma."

Subsec. (k) (2) (C). Bar. L. 108–357, § 336 (a) (1), subpar. (C). Subpar anterior. (C) redesignado (D).

Subsec. (k) (2) (D). Bar. L. 108-357, § 336 (a) (1), subpar. (C) como (D). Subpar anterior. (D) redesignado (E).

Subsec. (k) (2) (D) (ii). Bar. L. 108-311, § 408 (a) (6) (A), inserido "é" depois de "se propriedade" nas disposições introdutórias.

Bar. L. 108–311, § 403 (a) (2) (B), inserido “cláusula (iii) e” antes do “subparágrafo (A) (ii)” nas disposições introdutórias.

Subsec. (k) (2) (D) (ii) (I). Bar. L. 108–311, § 408 (a) (6) (B), eliminado “é” antes de “originalmente”.

Subsec. (k) (2) (E). Bar. L. 108-357, § 336 (a) (1), subpar. (D) como (E). Subpar anterior. (E) redesignado (F).

Subsec. (k) (2) (E) (iii) (II). Bar. L. 108-357, § 337 (a), que direcionou a alteração do subcl. (II) inserindo antes da vírgula no final “(ou, no caso de unidades múltiplas de propriedade sujeitas ao mesmo Congresso.

Subsec. (k) (2) (F). Bar. L. 108-357, § 336 (a) (1), subpar. (E) como (F). Subpar anterior. (F) redesignado (G).

Bar. L. 108–311, § 408 (a) (8), substituiu “mínimo” por “mínimo” no cabeçalho.

Subsec. (k) (4) (A) (ii). Bar. L. 108-357, § 336 (b) (2), substituiu “parágrafo (2) (D)” por “parágrafo (2) (C)”.

Subsec. (k) (4) (B) (iii). Bar. L. 108–357, § 336 (b) (3), inserido “e parágrafo (2) (C)” após “deste parágrafo)”.

Subsec. (k) (4) (C). Bar. L. 108-357, § 336 (b) (4), substituiu “subparágrafos (B), (C) e (E)” por “subparágrafos (B) e (D)”.

Subsec. (k) (4) (D). Bar. L. 108–357, § 336 (b) (5), substituiu “Parágrafo (2) (F)” por “Parágrafo (2) (E)”.

2003 — Subsec. (k). Bar. L. 108–27, § 201 (c) (1), substituiu “1 de janeiro de 2005” por “11 de setembro de 2004” no cabeçalho.

Subsec. (k) (2) (A) (iii). Bar. L. 108–27, § 201 (b) (2), substituiu “1 de janeiro de 2005” por “11 de setembro de 2004” nos subcls. (I) e (II).

Subsec. (k) (2) (B) (ii). Bar. L. 108–27, § 201 (b) (1), substituiu "pré-1 ° de janeiro de 2005" por "pré-11 de setembro de 2004" no título e "1 ° de janeiro de 2005" por "11 de setembro de 2004" no texto.

Subsec. (k) (2) (C) (iii). Bar. L. 108–27, § 201 (b) (3), inserido no final “A frase anterior deve ser aplicada separadamente com relação a bens tratados como Pub. L. 108–27, § 201 (b) (1) (A), substituiu “1 de janeiro de 2005” por “11 de setembro de 2004”.

2002 — Subsec. (j) (8). Bar. L. 107–147, § 613 (b), substituiu “31 de dezembro de 2004” por “31 de dezembro de 2003”.

1998 — Subsec. (c). Bar. L. 105–206, § 6006 (b) (2), subsec. título sem alteração e substituído "Para os fins desta seção, o período de recuperação aplicável será determinado de acordo com a seguinte tabela:" para "Para os fins desta seção—

“(1) Em geral. - Exceto conforme disposto no parágrafo (2), o período de recuperação aplicável será determinado de acordo com a seguinte tabela:”.

Subsec. (c) (2). Bar. L. 105–206, § 6006 (b) (1), título riscado e texto do par. (2) O texto diz o seguinte: "No caso de bens aos quais se aplica uma opção nos termos da subseção (b) (2) (C), o período de recuperação aplicável deve ser determinado de acordo com a tabela contida na subseção (g) (2) (C) . ”

Subsec. (g) (3) (B). Bar. L. 105–34, § 1086 (b) (2), item de tabela inserido relacionado ao subpar. (A) (iii).

Subsec. (j) (6). Bar. L. 105–34, § 1604 (c) (1), inseriu as disposições finais "Para os fins da frase anterior, tal seção 3 (d) deve ser aplicada tratando o termo 25 CFR Parte 151 (como em vigor na data da promulgação desta frase). ”

Subsec. (c) (1). Bar. L. 104–188, § 1613 (b) (2), item de tabela inserido relacionado ao Pub. L. 104–188, § 1702 (h) (1) (B), inseriu disposições de fechamento.

Subsec. (e) (3) (B) (vi) (I). Bar. L. 104-188, § 1704 (t) (54), desde que a seção 11813 (b) (9) (A) (i) da Pub. L. 101–508 deve ser aplicado como se uma vírgula aparecesse após “(3) (A) (ix)” no material proposto para ser riscado. Consulte a nota de alteração de 1990 abaixo.

Subsec. (e) (3) (F). Bar. L. 104–188, § 1613 (b) (3) (B) (i), riscado subpar. (F) que diz o seguinte: “Propriedade de 20 anos. - O termo Pub. L. 104–188, § 1613 (b) (3) (A), adicionado par. (5).

Subsec. (g) (2) (C) (iv). Bar. L. 104–188, § 1613 (b) (4), inserido “orPub. L. 104–188, § 1120 (b), item de tabela inserido relacionado ao subpar. (E) (iii).

Bar. L. 104–188, § 1613 (b) (3) (B) (ii), eliminou o item da tabela relacionado ao subpar. (F) para o qual o Subsec. (g) (4) (K). Bar. L. 104-188, § 1702 (h) (1) (C), substituído "seção 48 (l) (3) (A) (ix) (conforme em vigor no dia anterior à data da promulgação da Receita Lei de Reconciliação de 1990) ”para“ seção 48 (a) (3) (A) (iii) ”.

Subsec. (i) (8). Bar. L. 104–188, § 1121 (a), título reencenado sem alteração e texto emendado em geral. Antes da alteração, o texto é o seguinte: "No caso de qualquer edifício erguido (ou melhorias feitas) em propriedade alugada, se tal edifício ou melhoria for propriedade a que esta seção se aplica, a dedução da depreciação será determinada de acordo com as disposições deste seção."

1995 — Subsec. (g) (4) (B) (i). Bar. L. 104–88 substituiu “transportador ferroviário sujeito à parte A do subtítulo IV” por “empresa ferroviária nacional que fornece transporte sujeito ao subcapítulo I do capítulo 105”.

1993 — Subsec. (c) (1). Bar. L. 103–66, § 13151 (a), substituiu “39 anos” por “31,5 anos” no item da tabela relativa ao Pub. L. 103–66, § 13321 (a), subseção adicionada. (j).

1990 — Subsec. (e) (2) (A). Bar. L. 101–508, § 11812 (b) (2) (A), subpar. (A) geralmente. Antes da alteração, subpar. (A) leia o seguinte: “O termo Subsec. (e) (3) (B) (vi) (I). Bar. L. 101–508, § 11813 (b) (9) (A) (i), que direcionou a substituição do "subparágrafo (A) da seção 48 (a) (3) (ou seria assim descrito se 'solar e vento 'foi substituído por' solar 'na cláusula (i) deste) ”para“ parágrafo (3) (A) (viii), (3) (A) (ix) ou (4) da seção 48 (l) ”era executado através da substituição do “parágrafo (3) (A) (viii), (3) (A) (ix) ou (4) da seção 48 (l)”. Veja a nota de alteração de 1996 acima.

Subsec. (e) (3) (B) (vi) (II). Bar. L. 101–508, § 11813 (b) (9) (A) (ii), inserido "(como em vigor no dia anterior à data da promulgação da Lei de Reconciliação da Receita de 1990)" após "48 (l ) ”.

Subsec. (e) (3) (D) (i). Bar. L. 101–508, § 11813 (b) (9) (B) (i), substituiu “subseção (i) (13)” por “seção 48 (p)”.

Subsec. (f) (2). Bar. L. 101–508, § 11812 (b) (2) (C), substituiu "subseção (i) (10)" por "seção 167 (l) (3) (A)."

Subsec. (g) (4). Bar. L. 101–508, § 11813 (b) (9) (C), substituiu o cabeçalho por um que dizia: “Propriedade usada predominantemente fora do pub. L. 101-508, § 11812 (b) (2) (D), inserido no final "A referência neste parágrafo à subseção (m) da seção 167 deve ser tratada como uma referência a tal subseção em vigor no dia antes da data da promulgação da Lei de Reconciliação da Receita de 1990. ”

Subsec. (i) (9) (A) (ii). Bar. L. 101–508, § 11812 (b) (2) (E), eliminado "(determinado independentemente da seção 167 (l))" após a "seção 167".

Subsec. (i) (10). Bar. L. 101–508, § 11812 (b) (2) (B), par. (10) em geral. Antes da alteração, o par. (10) leia o seguinte: “O termo Pub. L. 101–508, § 11813 (b) (9) (B) (ii), adicionado par. (13).

1989 — Subsec. (b) (3) (D), (E). Bar. L. 101–239, § 7816 (f), subpar. (D), relativo à propriedade descrita na subseção. (e) (3) (D) (ii), como (E).

Subsec. (b) (5). Bar. L. 101–239, § 7816 (e) (1), substituiu “parágrafo (2) (C)” por “parágrafo (2) (B)”.

Subsec. (c) (2). Bar. L. 101–239, § 7816 (e) (2), substituiu “subseção (b) (2) (C)” por “subseção (b) (2) (B)”.

Subsec. (i) (1). Bar. L. 101–239, § 7816 (w), fez uma emenda esclarecedora ao idioma do diretório do Pub. L. 100–647, § 6253, consulte a nota de alteração de 1988 abaixo.

1988 — Subsec. (b) (2). Bar. L. 100-647, § 1002 (a) (11) (A), substituiu “método de saldo decrescente de 150 por cento em certos casos” por “15 anos e pub. L. 100–647, § 6028 (a), adicionado subpar. (B) e subpar anterior redesignado. (B) como (C).

Subsec. (b) (3) (C). Bar. L. 100-647, § 1002 (i) (2) (B) (i), subpar. (C). Subpar anterior. (C) redesignado (D).

Subsec. (b) (3) (D). Bar. L. 100–647, § 6029 (b), adicionado subpar. (D) relativos à propriedade descrita na subseção. (e) (3) (D) (ii).

Bar. L. 100-647, § 1002 (i) (2) (B) (i), subpar. (C), relativa à propriedade em relação à qual o contribuinte escolhe de acordo com o par. (5), como (D).

Subsec. (b) (5). Bar. L. 100-647, § 1002 (i) (2) (B) (ii), substituído “parágrafo (3) (D)” por “parágrafo (3) (C)”.

Bar. L. 100-647, § 1002 (a) (11) (B), substituiu “parágrafo (2) (B) ou (3) (C)” por “parágrafo (3) (C)”.

Subsec. (c). Bar. L. 100-647, § 1002 (a) (11) (C), subsec. (c) geralmente, designando as disposições existentes como par. (1) e adicionando o par. (2)

Subsec. (d) (3) (A) (i). Bar. L. 100-647, § 1002 (a) (5), eliminado “e que estão” após “esta seção se aplica”.

Subsec. (d) (3) (B). Bar. L. 100–647, § 1002 (a) (23) (A), eliminado “real” após “Certos” no título e no texto emendado em geral. Antes da alteração, o texto era o seguinte: “Para os fins do subparágrafo (A), Pub. L. 100-647, § 1002 (i) (2) (E), Pub substituído. L. 100-647, § 1002 (a) (21), substituiu "qualquer propriedade da seção 1245" por "qualquer propriedade".

Subsec. (e) (3) (C). Bar. L. 100-647, § 6027 (b) (1) (C), cl. (iii) como (ii), e eliminou o antigo cl. (ii) com a seguinte redação: “qualquer estrutura agrícola ou hortícola de propósito único (dentro do significado da seção 48 (p)), e”.

Subsec. (e) (3) (D). Bar. L. 100-647, § 6029 (a), subpar. (D) geralmente. Antes da alteração, subpar. (D) leia o seguinte: “O termo Pub. L. 100–647, § 6027 (a), adicionado subpar. (D). Subpar anterior. (D) redesignado (E).

Subsec. (e) (3) (E), (F). Bar. L. 100–647, § 6027 (a), subpars anteriores redesignados. (D) e (E) como (E) e (F), respectivamente.

Subsec. (f) (4). Bar. L. 100-647, § 1002 (a) (16) (B), par. (4) em geral. Antes da alteração, o par. (4) leia o seguinte: "Qualquer gravação de som descrita na seção 48 (r) (5)."

Subsec. (f) (5) (B) (ii). Bar. L. 100-647, § 1002 (a) (6) (A) (i), substituiu “1º ano tributável” por “1º ano tributável completo”.

Subsec. (g) (3) (B). Bar. L. 100-647, § 6029 (c), substituído por “(D) (i)” por “(D)” e item adicionado por “(D) (ii)” na tabela.

Bar. L. 100-647, § 6027 (b) (2), substituído por “(D)” por “(C) (ii)”, “(E) (i)” por “(D) (i)”, “ (E) (ii) ”para“ (D) (ii) ”e“ (F) ”para“ (E) ”na tabela.

Subsec. (h) (2) (B). Bar. L. 100–647, § 1002 (a) (8), subpar. (B) geralmente. Antes da alteração, subpar. (B) leia o seguinte:

Subsec. (i) (1) (E) (iii). Bar. L. 100–647, § 1002 (i) (2) (G), adicionado cl. (iii), que previa: “Regra especial para nivelamento de ferrovias ou furos de túneis. - No caso de qualquer propriedade que seja aPub. L. 100-647, § 1002 (a) (7) (A), inserido no final "Em qualquer caso onde esta seção estava em vigor antes das alterações feitas pela seção 201 da Lei de Reforma Tributária de 1986 aplicada à propriedade em pelas mãos do cedente, a referência na frase anterior a esta seção deve ser tratada como uma referência a esta seção como em vigor. ”

Subsec. (i) (7) (B). Bar. L. 100–647, § 1002 (a) (7) (B), subpar. (B) geralmente. Antes da alteração, subpar. (B) leia o seguinte: "As transações descritas neste parágrafo são qualquer transação descrita na seção 332, 351, 361, 371 (a), 374 (a), 721 ou 731. O subparágrafo (A) não se aplica no caso de rescisão de uma parceria nos termos da seção 708 (b) (1) (B). ”

Subsec. (i) (7) (D). Bar. L. 100-647, § 1002 (a) (7) (C), eliminado subpar. (D) que diz o seguinte: "Este parágrafo não se aplica a qualquer transação à qual se aplica a subseção (f) (5) (relativa a transações de rotatividade)."

Subsec. (j) (9) (E). Bar. L. 100-647, § 1018 (b) (2), subpar. (E), conforme alterado pela seção 1802 (a) (2) da Pub. L. 99-514 e como em vigor antes da emenda geral pela seção 201 (a) da Pub. L. 99-514, substituindo “este parágrafo e o parágrafo (8)” por “este parágrafo” nos cls. (i) e (ii) (I) e eliminando cl. (iii) e inserção de um novo cl. (iii) que diz o seguinte: "Entidade controlada isenta de impostos.-

1986 — Pub. L. 99-514, § 201 (a), seção emendada geralmente, aplicável, com exceções enumeradas nas seções 203, 204 e 251 (d) da Pub. L. 99-514 [estabelecido como notas abaixo e na seção 46 deste título], a propriedade colocada em serviço após 31 de dezembro de 1986, modificando o sistema de recuperação acelerada de custos existente, substituindo novas subseções. (a) a (i) para as subsecs anteriores. (a) a (k). Veja os parágrafos seguintes da nota de emenda de 1986 para as emendas ao texto anterior pelas seções 1802 e 1809 da Pub. L. 99–514.

Subsec. (b) (2) (A). Bar. L. 99-514, § 1809 (a) (2) (A) (i) (I), eliminou as disposições finais relativas à determinação, no caso de bens imóveis de 19 anos, de Pub. L. 99–514, § 1809 (a) (2) (A) (i) (II), substituiu “Convenção do meio do mês para bens imóveis de 19 anos” por “Regra especial para o ano de pub. L. 99-514, § 1809 (a) (1) (A), que determinou que a tabela fosse emendada pela greve "e habitação de baixa renda" no último item, foi executada pela greve "e habitação de baixa renda" após “Imóvel de 19 anos” no penúltimo item, para refletir a provável intenção do Congresso, pois essa frase não apareceu no último item.

Bar. EU.99–514, § 1809 (a) (1) (B), inserido no item final para habitação de baixa renda com períodos de recuperação de 15, 35 ou 45 anos.

Subsec. (b) (4) (B). Bar. L. 99–514, § 1809 (a) (2) (B), substituiu “Convenção mensal” por “Regra especial para o ano de pub. L. 99-514, § 1809 (a) (2) (A) (ii), redesignou as disposições existentes como subpar. (B), eliminado “(i) Em geral”, subcls redesignados. (I) e (II) como cls. (i) e (ii), e na cl. (ii) riscado "(levando em consideração a penúltima frase da subseção (b) (2) (A))" após "atribuir percentagens" e riscado "(ii) Regra especial para pub. L. 99-514, § 1809 (b) (1), subpar. (A) geralmente, substituindo "No caso de propriedade de recuperação transferida em uma transação descrita no subparágrafo (B), para fins de cálculo da dedução permitida na subseção (a) com relação a tanto da base nas mãos do cessionário como não excede a base ajustada nas mãos do cedente -

"(I) se a transação for descrita no subparágrafo (B) (i), o cessionário será tratado da mesma maneira que o cedente, ou

"(Ii) se a transação for descrita na cláusula (ii) ou (iii) do subparágrafo (B) e o cedente fez uma escolha com relação a essa propriedade nos termos da subseção (b) (3) ou (f) (2) ( C), o cessionário será tratado como tendo feito a mesma escolha (ou seu equivalente). ”

Subsec. (f) (10) (B). Bar. L. 99-514, § 1809 (b) (2), inserido no final "A cláusula (i) não se aplica no caso de rescisão de uma parceria nos termos da seção 708 (b) (1) (B)."

Subsec. (f) (12) (B) (ii). Bar. L. 99-514, § 1809 (a) (4) (A), emendou cl. (ii) geralmente, substituindo "No caso de um imóvel de 19 anos, o valor da dedução permitida deve ser determinado usando o método linear (sem considerar o valor residual) e um período de recuperação de 19 anos." para disposições anteriores.

Subsec. (f) (12) (C). Bar. L. 99–514, § 1809 (a) (4) (B), substituiu “Exceção para habitação de baixa e média renda” por “Exceção para projetos para Pub. L. 99-514, § 1802 (b) (1), redesignado o par. (13) relativos a veículos motorizados que operam o pub. L. 99-514, § 1809 (a) (2) (C) (i), substituiu "Referência cruzada" por "propriedade real de 19 anos" no título e no texto alterado em geral, substituindo "Para outras convenções aplicáveis, consulte os parágrafos (2) (B) e (4) (B) da subseção (b). ” para disposições anteriores.

Subsec. (j) (3) (D). Bar. L. 99-514, § 1802 (a) (1), inserido no final “Para os fins do subparágrafo (B) (iii), qualquer parte de uma propriedade assim utilizada não deve ser tratada como arrendada a aPub. L. 99-514, § 1802 (a) (2) (A), (G), substituiu "qualquer propriedade (exceto propriedade detida por tal organização)" por "qualquer propriedade da qual tal organização seja locatária", " usado pela primeira vez por ”para“ primeiro alugado para ”, e“ frase anterior e subparágrafo (D) (ii) ”para“ frase anterior ”.

Subsec. (j) (4) (E) (ii). Bar. L. 99-514, § 1802 (a) (2) (B), (C), eliminado “da qual tal organização é a locatária” após “com respeito a qualquer propriedade” no subcl. (I) e substituído “é usado pela primeira vez pela organização” por “é colocado em serviço sob o Pub. L. 99-514, § 1802 (a) (2) (D), adicionado cl. (iv), usado pela primeira vez, que diz o seguinte: "Para os fins deste parágrafo, a propriedade deve ser tratada como o primeiro usado pela organização-

“(I) quando a propriedade é colocada em serviço pela primeira vez em um Pub. L. 99-514, § 1802 (a) (3), riscado cl. (iv), relativa à exclusão de bens não sujeitos a rápida obsolescência.

Subsec. (j) (8), (9) (A). Bar. L. 99-514, § 1802 (a) (4) (A), (B) (i), eliminado "e os parágrafos (4) e (5) da seção 48 (a)" após "Para os fins deste subseção ”nas disposições introdutórias.

Subsec. (j) (9) (B) (i). Bar. L. 99-514, § 1802 (a) (4) (B) (ii), inseriu uma vírgula entre “perda” e “dedução”.

Subsec. (j) (9) (D). Bar. L. 99–514, § 1802 (a) (7) (A), adicionado subpar. (D), determinação se a propriedade é usada em comércio ou negócios não relacionados, que se lê como segue: “Para os fins desta subseção, no caso de qualquer propriedade que seja propriedade de uma sociedade que possua ambos aPub. L. 99-514, § 1802 (a) (7), redesignado anterior subpar. (D) como (E) e substituído “(C), e (D)” por “e (C)”. Subpar anterior. (E), foi redesignado (F).

Bar. L. 99–514, § 1802 (a) (2) (E) (i), subpar. (E), tratamento de certas entidades tributáveis, consistindo em cl. (i), em geral, que se lê: "Para os fins deste parágrafo, exceto conforme disposto em contrário neste subparágrafo, qualquer seção 318 determinada sem levar em conta a limitação de 50 por cento contida na subseção (a) (2) (C) deste) por 1 ou mais entidades isentas de impostos. ” Subpar anterior. (E) foi redesignado (F).

Subsec. (j) (9) (F). Bar. L. 99-514, § 1802 (a) (7) (A), antigo subpar. (E) como (F). Subpar anterior. (F) redesignado (G).

Subsec. (j) (9) (G). Bar. L. 99-514, § 1802 (a) (7) (A), antigo subpar. (F) como (G).

1985 — Subsec. (b) (2). Bar. L. 99-121, § 103 (b) (1) (A), substituiu “bens imóveis de 19 anos” por “bens imóveis de 18 anos” no título e onde quer que apareça no texto.

Subsec. (b) (2) (A) (i). Bar. L. 99-121, § 103 (a), substituiu “período de recuperação de 19 anos” por “período de recuperação de 18 anos”.

Subseção (b) (3) (A). Bar. L. 99-121, § 103 (b) (1) (A), substituiu “bens imóveis de 19 anos” por “bens imóveis de 18 anos” na tabela.

Bar. L. 99-121, § 103 (b) (2), substituído por “19, 35 ou 45 anos” por “18, 35 ou 45” na tabela.

Subsec. (b) (3) (B) (ii), (iii). Bar. L. 99-121, § 103 (b) (1) (A), substituiu “bens imóveis de 19 anos” por “bens imóveis de 18 anos” onde quer que apareça.

Subsec. (c) (2) (D). Bar. L. 99-121, § 103 (b) (1) (A), substituiu “bens imóveis de 19 anos” por “bens imóveis de 18 anos” no título e no texto.

Subsec. (d) (2) (B). Bar. L. 99-121, § 103 (b) (1) (A), substituiu “bens imóveis de 19 anos” por “bens imóveis de 18 anos”.

Subsec. (f) (1) (B) (ii). Bar. L. 99–121, § 103 (b) (3) (B), substituído por “15 de março de 1984, e antes de 9 de maio de 1985, o” por “15 de março de 1984, o”.

Subsec. (f) (1) (B) (iii), (iv). Bar. L. 99-121, § 103 (b) (3) (A), (C), cl adicionado. (iii), redesignado antigo cl. (iii) como (iv), e na cl. (iv) substituiu “, (ii), ou (iii)” por “ou (ii)”.

Subsec. (f) (2), (5). Bar. L. 99-121, § 103 (b) (1) (A), substituiu “bens imóveis de 19 anos” por “bens imóveis de 18 anos” onde quer que apareça.

Subsec. (f) (12) (B) (ii). Bar. L. 99-121, § 103 (b) (4), substituiu "bens imóveis de 19 anos" por "bens imóveis de 15 anos" no título e onde quer que apareça no texto, e substituiu "19 anos" por "15 anos" .

Subsec. (j). Bar. L. 99-121, § 103 (b) (1) (A), substituiu “bens imóveis de 19 anos” por “bens imóveis de 18 anos” onde quer que apareça nos cabeçalhos, tabela e texto.

1984 — Subsec. (b) (2). Bar. L. 98–369, § 111 (a) (1), substituiu “bens imóveis de 18 anos” por “bens imóveis de 15 anos” no título e onde quer que apareça no texto.

Bar. L. 98-369, § 111 (d), inserido na disposição seguinte cl. (ii) “(usando uma convenção do meio do mês)”.

Subsec. (b) (2) (A). Bar. L. 98-369, § 111 (b) (3) (A), riscado no texto após o cl. (ii) disposição que, para os fins deste subparágrafo, “habitação de baixa renda” significa a propriedade descrita na seção 1250 (a) (1) (B) (i), (ii), (iii) ou (iv).

Subsec. (b) (2) (A) (i). Bar. L. 98–369, § 111 (a) (2), substituiu “período de recuperação de 18 anos” por “período de recuperação de 15 anos”.

Subsec. (b) (2) (A) (ii). Bar. L. 98–369, § 111 (a) (3), eliminou “(método de saldo decrescente de 200 por cento no caso de habitação de baixa renda)” após “método de saldo decrescente”.

Subsec. (b) (2) (B). Bar. L. 98–369, § 111 (d), inserido “(usando uma convenção do meio do mês)”.

Subsec. (b) (3) (A). Bar. L. 98–369, § 111 (e) (9) (A), substituído “nos termos do parágrafo (1), (2) ou (4)” por “nos termos dos parágrafos (1) e (2)”.

Bar. L. 98-369, § 111 (e) (9) (B), substituído na tabela "Propriedade de 18 anos e habitação de baixa renda" por "Propriedade de 15 anos" e "18" por "15" e eliminou “anos” após “45”.

Subsec. (b) (3) (B) (ii). Bar. L. 98–369, § 111 (e) (2), substituiu “imóvel de 18 anos ou moradia de baixa renda” por “imóvel de 15 anos”.

Subsec. (b) (3) (B) (iii). Bar. L. 98–369, § 111 (e) (1), substituiu “imóvel de 18 anos ou moradia de baixa renda” por “imóvel de 15 anos”.

Subsec. (c) (2) (D). Bar. L. 98–369, § 111 (b) (3) (B), subpar. (D) geralmente, substituindo “propriedade real de 18 anos” por “propriedade imobiliária de 15 anos” no título e no texto e incluindo dentro de tal definiçãoPub. L. 98–369, § 111 (b) (2), subpar. (F) e reprojetado antigo subpar. (F) como (G).

Subsec. (d) (2) (B). Bar. L. 98–369, § 111 (e) (3), substituiu “imóvel de 18 anos ou moradia de baixa renda” por “imóvel de 15 anos”.

Subsec. (e). Bar. L. 98-369, § 113 (b) (2) (A), substituiu “título” por “seção” na disposição anterior ao par. (1).

Subsec. (f) (1) (B). Bar. L. 98-369, § 111 (c), designou a disposição existente como cl. (i), título inserido, inserido ", e antes de 16 de março de 1984", e eliminou a disposição de que, para os fins da frase anterior, o método de cálculo da dedução permitida com relação a esse primeiro componente seja determinado como se fosse um edifício separado, cuja disposição é abordada em cl. (iii), e cls adicionados. (ii) e (iii).

Subsec. (f) (2) (B). Bar. L. 98–369, § 111 (e) (1), substituiu “propriedade real de 18 anos ou moradia de baixa renda” por “propriedade real de 15 anos” onde quer que apareça.

Subsec. (f) (2) (C) (i). Bar. L. 98–369, § 111 (e) (4), substituído na tabela “Imóveis de 18 anos ou de baixa renda” por “Imóveis de 15 anos”.

Subsec. (f) (2) (C) (ii) (II), (E), (5). Bar. L. 98–369, § 111 (e) (1), substituiu “imóvel de 18 anos ou moradia de baixa renda” por “imóvel de 15 anos”.

Subsec. (f) (12) (C). Bar. L. 98–369, § 628 (b) (1), disposições designadas que precedem o cl. (i) e cl. (i) abaixo da média. (C), e eliminou cls. (ii), (iii) e (iv) que tratam da aplicação do subpar. (A) para uma instalação de tratamento de esgoto ou resíduos sólidos, uma instalação de controle de poluição do ar ou da água ou uma instalação que recebeu uma subvenção de ação de desenvolvimento urbano nos termos da seção 119 da Lei de Desenvolvimento de Habitação e Comunidade de 1974.

Subsec. (f) (12) (D), (E). Bar. L. 98-369, § 628 (b) (2), subpar. (E) como (D) e eliminou o subpar anterior. (D) que diz o seguinte: "Para os fins deste parágrafo, o termo 'instalação existente' significa uma planta ou propriedade em operação antes de 1º de julho de 1982."

Subsec. (f) (13). Bar. L. 98–369, § 32 (a), segundo par. (13) relativos a veículos motorizados que operam o pub. L. 98–369, § 113 (a) (2), par. (14).

Subsec. (g) (2). Bar. L. 98–369, § 31 (d), inserido “Se qualquer propriedade (diferente da propriedade de classe da seção 1250) não tiver um presentPub. L. 98–369, § 474 (r) (7) (D), na subseção. (i) conforme alterado pela seção 209 (b) da Pub. L. 97-248, substituiu "subpartes A, B e D da parte IV" por "subparte A da parte IV".

Bar. L. 98–369, § 474 (r) (7) (A), na subseção. (i) conforme adicionado pela seção 208 (a) (1) da Pub. L. 97-248, substituiu "subpartes A, B e D da parte IV" por "subparte A da parte IV".

Subsec. (i) (1) (D) (iii). Bar. L. 98–369, § 612 (e) (5), na subseção. (i) conforme alterado pela seção 209 (b) da Pub. L. 97-248, substituiu “seção 26 (b) (2)” por “seção 25 (b) (2)”.

Bar. L. 98–369, § 612 (e) (4), na subseção. (i) conforme adicionado pela seção 208 (a) (1) da Pub. L. 97–248, substituiu “seção 26 (b) (2)” por “seção 25 (b) (2)”.

Bar. L. 98–369, § 474 (r) (7) (E), na subseção. (i) conforme alterado pela seção 209 (b) da Pub. L. 97–248, substituiu “seção 25 (b) (2)” por “a última frase da seção 53 (a)”.

Bar. L. 98–369, § 474 (r) (7) (B), na subseção. (i) conforme adicionado pela seção 208 (a) (1) da Pub. L. 97–248, substituiu “seção 25 (b) (2)” pela “última frase da seção 53 (a)”.

Subsec. (i) (4) (A). Bar. L. 98–369, § 12 (a) (3) (B), na subseção. (i) conforme alterado pela seção 209 (b) da Pub. L. 97–248, substituiu “1989” por “1985” em cls. (i) e (ii).

Bar. L. 98–369, § 474 (r) (7) (C), na subseção. (i) conforme adicionado pela seção 208 (a) (1) da Pub. L. 97-248, substituiu “seção 38” por “subparte A da parte IV do subcapítulo A deste capítulo”.

Subsecs. (j), (k). Bar. L. 98–369, § 31 (a), subseção adicionada. (j) e ex-subsec. (j) como (k).

1983 — Subsec. (b) (2) (A). Bar. L. 97-448, § 102 (a) (5), substituiu “No caso de bens imóveis de 15 anos” por “Para os fins deste subparágrafo” na terceira frase.

Subsec. (d) (2) (B). Bar. L. 97-448, § 102 (a) (2), substituiu “parágrafo (7) ou (10) da subseção (f)” por “subseção (f) (7)”.

Subsec. (e) (3) (C), (D). Bar. L. 97-424, § 541 (a) (1), subpar. (C). Subpar anterior. (C) redesignado (D).

Subsec. (e) (4) (D). Bar. L. 97-448, § 102 (a) (9) (A), inseriu a disposição que, no caso de aquisição de propriedade por qualquer parceria que resulte da rescisão de outra parceria nos termos da seção 708 (b) (1) (B), a determinação se a parceria adquirente está relacionada à outra parceria deve ser feita imediatamente antes que ocorra o evento que resultou em tal rescisão.

Subsec. (f) (4) (B). Bar. L. 97-448, § 102 (f) (4), substituiu “Eleição feita na volta” por “Feita na volta” como subpar. (B) título, as disposições existentes designadas como cl. (i), título adicionado para cl. (i), substituiu “Exceto conforme previsto na cláusula (ii), qualquer eleição” por “Qualquer eleição”, na cl. (i) conforme designado, e adicionado cl. (ii).

Subsec. (f) (5). Bar. L. 97-448, § 102 (a) (1), inseriu a disposição que, no caso de bens imóveis de 15 anos, a primeira frase deste parágrafo não se aplica ao ano tributável em que os bens são colocados em serviço ou eliminados.

Subsec. (f) (8) (D). Bar. L. 97-448, § 102 (a) (10) (A), subpar. (D), como em vigor antes das alterações feitas pela Lei de Patrimônio Líquido e Responsabilidade Fiscal de 1982 [Pub. L. 97–248], inserindo-se no final do mesmo a seguinte nova frase: “De acordo com os regulamentos prescritos pelo Secretário, Pub. L. 97-448, § 102 (a) (3), adicionado par. (13).

Subsec. (g) (8) (A). Bar. L. 97-448, § 102 (a) (4) (B), substituiu “Propriedade de utilização de carvão qualificada” por “Em geral” no título.

Subsec. (g) (8) (B). Bar. L. 97-448, § 102 (a) (4) (C), substituiu “Propriedade de utilização de carvão” por “Em geral” no título.

Subsec. (h) (4). Bar. L. 97-448, § 102 (a) (4) (A), substituiu “propriedade de utilização de carvão que, de outra forma, seria de 15 anos Pub. L. 97–248, § 206 (a), substituiu “tabela” por “tabelas” nas disposições introdutórias, eliminou a designação “(A)” precedendo a tabela e eliminou os subpar. (A) título que havia limitado a aplicação da tabela a bens colocados em serviço após 31 de dezembro de 1980 e antes de 1º de janeiro de 1985, e eliminou os subpares. (B) e (C), que forneceram tabelas, respectivamente, para os bens colocados em serviço em 1985 e para os bens colocados em serviço após 31 de dezembro de 1985.

Subsec. (e) (4). Bar. L. 97–248, §§ 206 (b), 224 (c) (1), substituiu “1981” por “1986” no título, no subpar. (E) inseriu a disposição de que uma regra semelhante se aplicará no caso de uma liquidação presumida nos termos da seção 338, e eliminou o subpar anterior. (H) que previa regras especiais para os bens colocados em serviço antes de certas percentagens entrarem em vigor.

Subsec. (f) (8). Bar. L. 97–248, § 209 (a), par. (8) em geral, substituindo as disposições relativas às regras especiais para financePub. L. 97–248, § 208 (a) (2) (A), inserido “exceto conforme previsto na subseção (i),” antes de “para os fins deste subtítulo”.

Subsec. (f) (8) (B) (i) (I). Bar. L. 97-354, § 5 (a) (19), substituiu “uma empresa S” por “uma empresa de pequeno porte elegendo (dentro do significado da seção 1371 (b))” na subseção. (f) (8) (B) (i) (I) como em vigor antes da promulgação da Lei de Patrimônio Fiscal e Responsabilidade Fiscal de 1982 [Pub. L. 97–248].

Bar. L. 97–248, § 208 (b) (1), inserido “que não é uma pessoa relacionada com relação ao locatário”.

Subsec. (f) (8) (B) (iii). Bar. L. 97–248, § 208 (b) (2), no subcl. (I) substituiu “120 por cento do presente Pub. L. 97–354, § 5 (a) (20), no par. (8) conforme alterado pela seção 209 (a) da Pub. L. 97–248, substituiu “uma corporação S” por “uma corporação de pequena empresa elegendo dentro do significado da seção 1371 (b)”.

Subsec. (f) (8) (D). Bar. EU.97-248, § 208 (b) (3), subpar. (D) geralmente. Antes da alteração, subpar. (D) leia o seguinte:

"(D) Propriedade alugada qualificada definida. - Para os fins do subparágrafo (A), o termo 'propriedade alugada qualificada' significa propriedade de recuperação (que não seja um edifício reabilitado qualificado na acepção da seção 48 (g) (1)) que é -

"(I) nova propriedade da seção 38 (conforme definido na seção 48 (b)) do locador que é alugada dentro de 3 meses após a referida propriedade ter sido colocada em serviço e que, se adquirida pelo locatário, teria sido uma nova propriedade da seção 38 do locatário,

“(I) que era nova seção 38 propriedade do locatário,

“(II) que foi alugado dentro de 3 meses após tal propriedade ter sido colocada em serviço pelo locatário, e

Subsec. (f) (8) (H) a (K). Bar. L. 97–248, § 208 (b) (4), parágrafos adicionados. (H) para (J) e antigo subpar. (H) como (K).

Subsec. (f) (10) (B) (i). Bar. L. 97–248, § 224 (c) (2), eliminado "(exceto uma transação em relação à qual a base é determinada de acordo com a seção 334 (b) (2))" após a "seção 332".

Subsec. (eu). Bar. L. 97–248, § 209 (b), subsec. (i) em geral, substituindo as disposições relativas às limitações relacionadas ao Pub. L. 97–248, § 208 (a) (1), subseção adicionada. (eu). Antigo subsec. (i) redesignado (j).

Subsec. (j). Bar. L. 97–248, § 208 (a) (1), subseção anterior redesignada. (i) como (j).


Este recurso está em construção.

Inscreva-se para receber notícias de última hora, devocionais e orações do 40 dias pela vida.

4112 East 29th Street
Bryan, TX 77802
888-LIFE-316
(888-543-3316)

Traduzir site para:

Faça login em sua conta 40 dias para a vida

Inscreva-se para uma conta de 40 dias para a vida

ACESSO:
Se você deseja acessar os dados pessoais que a 40 Days for Life mantém sobre você, clique AQUI.

EXCLUIR / APAGAR:
Se você gostaria de alterar ou excluir alguns ou todos os dados pessoais que a 40 Days for Life mantém sobre você, clique AQUI.

TEMPO DE RETENÇÃO:
O 40 Days for Life retém dados pessoais enquanto houver uma campanha ativa que seja relevante para você ou até que você solicite a exclusão ou por dois anos, a menos que você consinta novamente - um formulário de reconsentimento será enviado a você quando a marca de dois anos estiver se aproximando .

PORTABILIDADE:
Se você deseja uma cópia dos dados pessoais que a 40 Days for Life mantém sobre você, clique AQUI. Em alguns casos, pode haver uma pequena taxa por esse serviço.

Obrigado por criar uma conta. Agora você será logado automaticamente.

Redefina sua senha de 40 dias para a vida toda

Um e-mail foi enviado com instruções para configurar uma nova senha nos próximos 15 minutos.

Se você está acessando este formulário e reside em um país que é membro da União Europeia ("UE") ou do Espaço Econômico Europeu ("EEE"), clique aqui, pois você pode ter certos direitos de privacidade. Se você não tiver certeza se sua localização faz parte da UE ou EEE, clique aqui para obter uma lista completa de países.

Se você não estiver na ue ou na eea, clique aqui para continuar. Ou cancele e volte para a página inicial

Inscreva-se no 40 dias para a vida

ACESSO:
Se você deseja acessar os dados pessoais que a 40 Days for Life mantém sobre você, clique AQUI.

EXCLUIR / APAGAR:
Se você gostaria de alterar ou excluir alguns ou todos os dados pessoais que a 40 Days for Life mantém sobre você, clique AQUI.

TEMPO DE RETENÇÃO:
O 40 Days for Life retém dados pessoais enquanto houver uma campanha ativa que seja relevante para você ou até que você solicite a exclusão ou por dois anos, a menos que você consinta novamente - um formulário de reconsentimento será enviado a você quando a marca de dois anos estiver se aproximando .

PORTABILIDADE:
Se você deseja uma cópia dos dados pessoais que a 40 Days for Life mantém sobre você, clique AQUI. Em alguns casos, pode haver uma pequena taxa por esse serviço.

Obrigado por se inscrever.

Se você está acessando este formulário e reside em um país que é membro da União Europeia ("UE") ou do Espaço Econômico Europeu ("EEE"), clique aqui, pois você pode ter certos direitos de privacidade. Se você não tiver certeza se sua localização faz parte da UE ou EEE, clique aqui para obter uma lista completa de países.

Você indicou que é residente na UE ou EEE e está usando este formulário de um local da UE ou EEE. Em 25 de maio de 2018, a UE colocou em vigor o Regulamento Geral de Proteção de Dados ("GDPR"), que exige que você seja informado claramente quem está coletando, armazenando e acessando seus dados pessoais ("Controlador") e quais dados pessoais estão sendo coletou como ele está sendo usado como acessá-lo ("Direito de Acesso") como removê-lo / excluí-lo / apagado ("Direito de ser esquecido") como obter uma cópia ("Portabilidade") restringir o processamento e contestar.

Para obter informações completas sobre o GDPR da UE, clique em: https://www.eugdpr.org

QUEM ESTÁ COLETANDO E USANDO SEUS DADOS PESSOAIS?

Todos os dados pessoais fornecidos por você são controlados, coletados, armazenados, acessados ​​e processados ​​/ usados ​​pela 40 Days for Life, uma organização de caridade localizada no Texas, EUA.

A 40 Days for Life somente compartilha seus dados pessoais com nossos parceiros de confiança no cumprimento de nossa missão de acabar com o aborto e somente com o seu consentimento.

LOCAL NA REDE INTERNET: https://40daysforlife.com
MORADA: 4112 East 29th Street, Bryan, TX, 77802, EUA.
TELEFONE: + 1-888-LIFE-316

Clique AQUI para nossa DECLARAÇÃO DE PRIVACIDADE.

O QUE SÃO DADOS PESSOAIS?

Dados pessoais são informações que identificam você. O 40 Days for Life leva a sua privacidade e segurança a sério e, portanto, considera quase todos os dados sobre você como pessoais. Abaixo está uma lista dos dados pessoais que você deverá fornecer para este aplicativo.

PARA ONDE VAI MINHAS INFORMAÇÕES?

Todas as informações fornecidas por você serão transferidas, armazenadas e acessadas nos Estados Unidos da América exclusivamente com o propósito de promover nossa missão para acabar com o aborto.

SUA IDADE:

O 40 Days for Life não aceita ou coleta informações de menores / adolescentes. Clique no botão abaixo para indicar se você tem pelo menos dezoito (18) anos de idade ou a maioridade (se superior) em sua localidade:

Se você está acessando este formulário e reside em um país que é membro da União Europeia ("UE") do Espaço Econômico Europeu ("EEE"), clique aqui, pois você pode ter certos direitos de privacidade. Se você não tiver certeza se sua localização faz parte da UE ou EEE, clique aqui para uma lista completa de países.

Você indicou que é residente na UE ou EEE e está usando este formulário de um local da UE ou EEE. Em 25 de maio de 2018, a UE colocou em vigor o Regulamento Geral de Proteção de Dados ("GDPR"), que exige que você seja informado claramente quem está coletando, armazenando e acessando seus dados pessoais ("Controlador") e quais dados pessoais estão sendo coletou como ele está sendo usado como acessá-lo ("Direito de Acesso") como removê-lo / excluí-lo / apagado ("Direito de ser esquecido") como obter uma cópia ("Portabilidade") restringir o processamento e contestar.

Para obter informações completas sobre o GDPR da UE, clique em: https://www.eugdpr.org

QUEM ESTÁ COLETANDO E USANDO SEUS DADOS PESSOAIS?

Todos os dados pessoais fornecidos por você são controlados, coletados, armazenados, acessados ​​e processados ​​/ usados ​​pela 40 Days for Life, uma organização de caridade localizada no Texas, EUA.

A 40 Days for Life somente compartilha seus dados pessoais com nossos parceiros de confiança no cumprimento de nossa missão de acabar com o aborto e somente com o seu consentimento.

LOCAL NA REDE INTERNET: https://40daysforlife.com
MORADA: 4112 East 29th Street, Bryan, TX, 77802, EUA.
TELEFONE: + 1-888-LIFE-316

Clique AQUI para nossa DECLARAÇÃO DE PRIVACIDADE.

O QUE SÃO DADOS PESSOAIS?

Dados pessoais são informações que o identificam. O 40 Days for Life leva a sua privacidade e segurança a sério e, portanto, considera quase todos os dados sobre você como pessoais. Abaixo está uma lista dos dados pessoais que você deverá fornecer para este aplicativo.

PARA ONDE VAI MINHAS INFORMAÇÕES?

Todas as informações fornecidas por você serão transferidas, armazenadas e acessadas nos Estados Unidos da América exclusivamente com o propósito de promover nossa missão para acabar com o aborto.

SUA IDADE:

O 40 Days for Life não aceita ou coleta informações de menores / adolescentes. Clique no botão abaixo para indicar se você tem pelo menos dezoito (18) anos de idade ou a maioridade (se superior) em sua localidade:


Notícias do mundo fecham enquanto Rupert Murdoch age para limitar a precipitação radioativa

Rupert Murdoch agiu com crueldade característica ao fechar o News of the World, o jornal dominical mais vendido da Grã-Bretanha, em uma tentativa desesperada de limitar as consequências políticas e comerciais do caso de hackear telefones que engolfava seu império de mídia.

O filho de Murdoch, James, que dirige seus títulos no Reino Unido, disse aos 200 funcionários do jornal que a edição de domingo do jornal, que vende 2,6 milhões de cópias por semana, seria a última, encerrando a história de 168 anos do título que seu pai comprou em 1969, uma compra que o apresentou ao público britânico pela primeira vez. O último News of the World não terá publicidade comercial.

"As coisas boas que o News of the World faz ... foram maculadas por um comportamento errado. Na verdade, se as alegações recentes forem verdadeiras, isso foi desumano e não tem lugar em nossa empresa", disse ele.

"O objetivo do News of the World é responsabilizar os outros. Mas falhou quando se tratou de si mesmo."

Houve especulação imediata na noite passada de que o jornal será substituído por uma edição de domingo do Sun, que poderá ser produzida pela equipe do jornal. Os nomes de domínio TheSunOnSunday.co.uk, TheSunOnSunday.com e SunOnSunday.co.uk foram registrados há dois dias.

Leitores e varejistas reagiram com repulsa à revelação esta semana de que jornalistas do News of the World ordenaram que o investigador particular Glenn Mulcaire invadisse mensagens de correio de voz deixadas em um telefone celular pertencente à adolescente assassinada Milly Dowler em 2002, uma das mais prejudiciais em uma série de relatórios do Guardian sobre o escândalo de hackers nos últimos dois anos.

Também emergiu que Mulcaire pode ter visado parentes de soldados britânicos mortos no Afeganistão e no Iraque e sobreviventes dos ataques terroristas de 7 de julho em Londres. Um boicote de leitores também parecia provável e uma rede independente de jornaleiros disse que não estocaria o título.

Mark Lewis, o advogado da família de Milly Dowler, disse: "As pessoas estão perdendo seus empregos para se sacrificar para salvar os verdadeiros perpetradores ... muitos bons indivíduos perderam seus empregos ou perderão seus empregos e as pessoas que deveriam ter caído suas espadas ainda estão lá. "

Sobre Rupert Murdoch, que foi filmado em um campo de golfe durante a crise e se recusou a comentar, Lewis acrescentou: "É um pouco como Nero brincando enquanto Roma queima".

A executiva-chefe do News International, Rebekah Brooks, ex-editora do News of the World, teria chorado quando a notícia do fechamento foi anunciada. Um funcionário do News of the World que não quis ser identificado disse que Brooks havia dito que ela havia se oferecido para renunciar após o pedido de Ed Miliband para que ela fosse demitida, mas a oferta foi rejeitada. A News International nega essa afirmação.

Miliband disse ontem à noite sobre o fechamento: "É um grande ato, mas não acho que resolva os problemas reais. Uma das pessoas que permanece em seu cargo é a executiva-chefe da News International, que era a editora na época do hackear o telefone de Milly Dowler. "

Downing Street disse na noite passada: "O que importa é que todos os delitos sejam expostos e os responsáveis ​​por esses atos terríveis sejam levados à justiça".

A equipe do jornal reagiu com fúria à notícia, com uma fonte alegando que havia uma "mentalidade de linchamento da turba" em seus escritórios de Londres.

Colin Myler, o editor do News of the World, disse: "Seja qual for o preço que esta equipe está pagando por crimes passados, nada deve diminuir tudo o que este grande jornal alcançou."

O jornal já foi o título principal de Murdoch, embora seu colega, o Sol, agora seja mais lucrativo, mas continuou sendo um título totêmico em todo o mundo. Em 1951, vendeu 8,4 milhões de cópias, a maior tiragem de todos os jornais. Mesmo agora, apenas um punhado de jornais em inglês pode igualar sua circulação.

O fechamento se seguiu a outro dia de grande drama, durante o qual mais empresas, incluindo O2, a empresa de telefonia móvel 3, Sainsbury's e Boots disseram que não colocariam anúncios no jornal no domingo. O News of the World arrecada cerca de £ 660.000 em receitas de publicidade a cada fim de semana.

James Murdoch admitiu à equipe que era "uma questão de grande pesar" que ele autorizou um pagamento de seis dígitos a uma vítima de hacking de telefone há vários anos, mas culpou outros na empresa por sua decisão. "Agora sei que não tinha uma imagem completa quando o fiz", disse ele. "Atuei por conselho de executivos e advogados."

Um funcionário do News of the World disse que a equipe suspeitava que Murdoch fechara o título para garantir que sua oferta de £ 8 bilhões para assumir o controle total da BSkyB fosse aprovada. Miliband pediu o bloqueio do negócio.

O parlamentar trabalhista Tom Watson, que tem destacado o escândalo de hackeamento de telefones no jornal por dois anos, disse: "Rupert Murdoch não fechou o News of the World. É a repulsa das famílias de todo o país quanto ao que eles Ele iria perder todos os seus leitores e não tinha mais anunciantes. Eles não tinham escolha. "

Murdoch é conhecido por assumir riscos e por fazer movimentos ousados ​​rapidamente. Mas o fechamento do News of the World é uma das decisões mais chocantes e inesperadas que ele tomou desde que mudou seu título secretamente para Wapping, no leste de Londres, em uma tentativa bem-sucedida de quebrar os sindicatos da imprensa. É o primeiro fechamento de um jornal nacional na Grã-Bretanha desde que o Today foi fechado, também por Murdoch, em 1995.

Murdoch comprou o News of the World há 42 anos, após uma prolongada batalha de aquisição com o falecido Robert Maxwell, e imediatamente o levou a uma direção que muitos consideravam inferior. Tornou-se o bloco de construção de seu império de jornais no Reino Unido, que por sua vez financiaria a expansão da News Corp em um conglomerado de mídia global.


Assédio sexual: aqui estão alguns dos maiores casos

A empresa supostamente sabia que Bill O & # 39Reilly havia resolvido recentemente em um caso de assédio quando lhe deu um aumento de $ 7 milhões. Vídeo fornecido por Newsy

Ani Chopourian foi premiado, possivelmente, com o maior acordo individual como demandante em um processo de assédio sexual. (Foto: KXTV)

Seguindo o relatório de um acordo de assédio sexual de $ 32 milhões feito pelo ex-apresentador da Fox News Bill O'Reilly, aqui estão outros pagamentos importantes para as vítimas que acusaram terem sido assediadas sexualmente:

Ani Chopourian vs. Catholic Healthcare West (2012)

Um júri federal na Califórnia concedeu a Chopourian US $ 168 milhões, potencialmente o maior julgamento da história dos Estados Unidos para uma única vítima de assédio sexual no local de trabalho. O prêmio encerrou um julgamento no qual a ex-assistente médica do Hospital Geral Mercy em Sacramento alegou que ela entrou com várias queixas sem sucesso durante seu mandato de dois anos. As queixas incluíam a alegação de que um cirurgião a cumprimentava todas as manhãs dizendo: "Estou com tesão" e, em seguida, batia em seu traseiro, o Los Angeles Times relatado. Depois que os advogados de ambos os lados apresentaram argumentos legais sobre a sentença, o juiz do caso diminuiu o total para $ 82.230.484. Mas o juiz posteriormente anulou a sentença porque os advogados chegaram a um acordo negociado, mostram os registros do tribunal.

Ashley Alford vs. Aaron's Rents (2011)

Alford era um funcionário de Illinois na Aaron's Rents, uma rede de varejo em aluguel próprio que oferece móveis e outros itens de decoração. Ela ganhou um veredicto de US $ 95 milhões em um tribunal federal em um caso da Equal Employment Opportunity Commission no qual acusou ter sido assediada sexualmente e agredida por Richard Moore, um gerente de seu local de trabalho. Apesar de suas repetidas reclamações, a empresa fez pouco até que Moore a atacou, puxou sua camisa e se masturbou, ejaculando sobre ela, Alford alegou. O veredicto do júri foi posteriormente reduzido para US $ 41,3 milhões por causa de um limite para os danos federais. Aaron's Rents decidiu reconsiderar o veredicto ou ordenar um novo julgamento. Os registros do tribunal mostram que os advogados do caso chegaram a um acordo extrajudicial. O acordo totalizou US $ 6 milhões, de acordo com vários relatos da mídia.

Gretchen Carlson x Roger Ailes (2016)

A FOX concordou em pagar US $ 20 milhões à ex-emissora Gretchen Carlson para resolver um processo de assédio sexual que ela moveu contra o ex-CEO da FOX News Roger Ailes.

O ex-apresentador da Fox News Network, cujo novo livro & # 39Be Fierce: Stop Harassment e Take Your Power Back & # 39 foi lançado na terça-feira, entrega uma mensagem pessoal sobre o fim do assédio no local de trabalho.

A empresa controladora do canal Fox News pediu desculpas a Gretchen Carlson, uma ex-emissora da empresa, ao concordar com um acordo de US $ 20 milhões no processo de assédio sexual que ela moveu contra o ex-CEO da Fox News, Roger Ailes. O resultado foi confirmado por uma pessoa informada sobre os termos que buscou o anonimato porque o valor do acordo não foi divulgado publicamente. Junto com o pedido de desculpas, Fox elogiou o trabalho e profissionalismo de Carlson ao resolver as alegações de que seu contrato não foi renovado porque ela "se recusou a dormir" com Ailes e sofreu "assédio sexual severo e generalizado" no trabalho. Ailes deixou a empresa em julho de 2016 com um acordo de $ 40 milhões. Ele morreu em maio. Livro de Carlson, Seja feroz: pare o assédio e retire o seu poder, foi publicado este mês.

Anucha Browne Sanders vs. Madison Square Garden et al (2007)

Foto de arquivo tirada em 2007 mostra o presidente e técnico do New York Knicks, Isiah Thomas (à direita) deixando o tribunal federal de Manhattan na segunda semana de julgamento no processo de assédio sexual, a ex-executiva da equipe Anucha Browne Sanders movida contra Thomas, Madison Square Garden e o proprietário da equipe James Dolan . (Foto: Louis Lanzano, AP)

Browne Sanders, uma ex-executiva do New York Knicks da NBA, alegou que foi demitida após reclamar que havia sido assediada sexualmente por Isiah Thomas, o então presidente de operações de basquete e treinador principal do time. Ele a chamou de "vadia" e "vadia" na cara, e mais tarde fez uma "solicitação velada de sexo", alegou Browne Sanders. Um júri do tribunal federal de Manhattan decidiu em seu favor depois de um julgamento que exibiu um testemunho embaraçoso para Thomas, os Knicks, o Madison Square Garden e o dono da equipe James Dolan, que também era réu. O júri decidiu que Browne Sanders tinha direito a US $ 11,6 milhões em danos punitivos. Dias antes de um juiz considerar os danos compensatórios, os advogados de ambos os lados concordaram com um acordo de US $ 11,5 milhões que encerrou todos os recursos, O jornal New York Times relatado.

Carla Ingraham vs. UBS Financial Services (2011)

Foto de arquivo tirada em 2009 mostra o logotipo do UBS em um prédio da cidade de Nova York onde o banco suíço tem escritórios. (Foto: Chris Hondros, Getty Images)

Ingraham era um associado sênior de atendimento ao cliente no UBS Financial Services em Kansas City, Missouri. A partir de 2003, o corretor para quem ela trabalhava se referia a ela como sua "esposa de trabalho" e disse que era "melhor transar" em um fim de semana específico , Ingraham alegou. Ele também fez comentários sobre o tamanho dos seios dela, perguntou de quais posições sexuais ela gostava e uma vez a aconselhou a fazer sexo oral com um cliente financeiro, acusou Ingraham. O UBS a demitiu em 2009, uma semana depois que ela entrou com uma nova acusação de discriminação sexual, mostram os documentos judiciais. Depois que Ingraham processou, um júri do tribunal estadual concedeu-lhe $ 10.592.000, concordando que ela havia sido assediada sexualmente e descobrindo que o UBS havia retaliado contra ela. Um juiz reduziu o prêmio para $ 8.439.941, incluindo os honorários advocatícios e outras despesas, mostram os registros do tribunal. Mas o prêmio foi cancelado em janeiro de 2012, quando os advogados chegaram a uma "resolução confidencial" do caso, mostram os registros.

Linda Gilbert vs. Daimler Chrysler (1999)

Foto de arquivo tirada em 2012 mostra a fábrica de montagem da Chrysler & # 39s Jefferson North em Detroit, Michigan. (Foto: GEOFF ROBINS, AFP / Getty Images)

Gilbert foi a primeira moça na fábrica de montagem Jefferson North da Chrysler, em Michigan, quando foi contratada em 1992. Ela alegou que colegas de trabalho do sexo masculino imediatamente começaram a assediá-la, com um comentando que uma "cadela" havia se juntado às equipes de trabalho e outro sugerindo que ela usava um vestido para trabalhar para que ele pudesse olhar por cima de sua saia, Gilbert acusou. O suposto assédio sexual continuou por sete anos, com insultos sexuais e um incidente em que uma colega de trabalho desconhecida deixou um desenho "obsceno" em sua caixa de ferramentas, ela acusou. Depois que Gilbert processou, um júri do tribunal estadual concedeu a ela US $ 21 milhões por suas alegações de assédio. Um tribunal de apelações manteve a decisão, determinando que era impossível dizer que o tribunal de primeira instância abusou de seu arbítrio. Mas a Suprema Corte de Michigan anulou a decisão em 2004, determinando que o advogado de Gilbert havia usado uma "retórica provocadora do preconceito" e argumentos enganosos que levaram os jurados a um veredicto de "paixão" e "preconceito". O tribunal superior devolveu o caso para um novo processo.


Lista dos 30 melhores empreendedores sociais da Forbes

Darell Hammond leu um artigo do Washington Post sobre crianças que sufocaram enquanto brincavam em um carro abandonado porque não tinham outro lugar para brincar. Willy Foote conheceu agricultores de baunilha no México que não tinham acesso a crédito e não conseguiam se conectar aos mercados. Sara Horowitz trabalhava como advogada, não se qualificou para o seguro saúde porque era considerada uma "freelancer" e começou a pensar em outras pessoas que enfrentavam o mesmo problema. Enquanto trabalhava na Argentina, Linda Rottenberg se perguntou por que mais empreendedores latino-americanos não criaram empresas globais.

E então - ao contrário de milhões de nós que reconhecem algum tipo de problema, sentem uma pontada de desesperança e seguem em frente - Hammond, Foote e outros mudaram de carreira e começaram a resolver os problemas que viam no mundo.

Pela primeira vez nos 94 anos de história da Forbes, reunimos o Impact 30: uma lista dos principais empreendedores sociais do mundo. Estamos definindo "empreendedor social" como uma pessoa que usa os negócios para resolver questões sociais.

Veja Jordan Kassalow, por exemplo. Optometrista por formação, Kassalow agora dirige uma organização que vende óculos de leitura prontos para pessoas no mundo em desenvolvimento. (Confira um perfil mais longo aqui.)

Sam Goldman e Ned Tozun, da D.Light Design, fabricam lâmpadas baratas e as vendem em comunidades que não têm eletricidade confiável.

Tom Skazy saiu de Princeton para criar a Terracycle, que vende fertilizantes e mais de 250 produtos feitos de 60 fluxos de resíduos.

A empresa de Jane Chen fabrica um dispositivo semelhante a um saco de dormir chamado "Thermpod", que aquece bebês com baixo peso ao nascer em hospitais e clínicas que têm eletricidade não confiável e lâmpadas de calor que nem sempre funcionam.

Algumas das pessoas em nossa lista administram organizações sem fins lucrativos, então a abordagem baseada no mercado não se aplica. Mas nós os incluímos de qualquer maneira, porque eles estão criando soluções novas e inovadoras para uma série de problemas antigos.

Para selecionar nossa lista, recrutamos um painel de alto nível de especialistas, incluindo:

O fundador e presidente-executivo da Ashoka, Bill Drayton

Professor de economia de Yale e pesquisador do MIT Poverty Action Lab, Dean Karlan

Deb Nelson, diretora executiva da Social Venture Network

Antony Bugg-Levine, o presidente-executivo do Fundo de Financiamento para Organizações Sem Fins Lucrativos e

Jed Emerson, o vice-presidente executivo da ImpactAssets.

Nossos painelistas nos ajudaram a identificar os inovadores líderes em saúde, educação, finanças e outros setores. Eles também forneceram bons insights para minha história de capa sobre a fundadora do Acumen Fund, Jacqueline Novogratz.

Minha esperança é que, daqui a alguns anos, os membros de nossa lista estejam desempregados, suas organizações tão bem-sucedidas que o problema que se propuseram a resolver não exista mais. Até então, mostramos seus esforços.


Documentos vazados confirmam o segredo mais mal guardado da presidência de Trump

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Trump sai do Salão Oval em 25 de janeiro de 2019. Por Alex Edelman / AFP / Getty Images.

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Um dos segredos mais bem guardados e mais mal guardados de Donald Trump's presidência é sua preguiça extraordinária. Apesar dos esforços para projetar um ardor viril, o atual líder do mundo livre passa a maior parte de seu tempo livre tweetando, ligando para amigos e assistindo a Fox News. De seus 745 dias no cargo, Trump passou 222 dias relaxando em propriedades da marca Trump e 168 dias jogando golfe. De acordo com o testemunho de vários funcionários da West Wing, ele se esforça para se concentrar nas reuniões, ignora em grande parte as instruções de inteligência e ignora minúcias de política. Uma vez, de acordo com o ex-assessor da Casa Branca Cliff Sims, Trump literalmente se levantou e se afastou enquanto Paul Ryan estava no Salão Oval tentando explicar o projeto de saúde republicano. Enquanto Ryan ainda estava falando, Trump caminhou pelo corredor até sua sala de jantar privada e ligou a TV.

Sabemos desde janeiro de 2018 que os funcionários da Casa Branca têm uma designação oficial para esses períodos não estruturados na programação privada de Trump: “Tempo Executivo”. O que não sabíamos é exatamente quanto do dia médio do presidente é gasto sem presidir.

Na verdade, “Executive Time” é muito mais do que apenas uma folga das obrigações do escritório. No que talvez seja o vazamento mais notável da Casa Branca este ano, a Axios publicou no domingo cerca de três meses das programações diárias privadas de Trump, datando do dia seguinte às eleições de meio de mandato. Eles revelam que Trump gastou cerca de 297 horas - ou cerca de 60 por cento de suas horas de vigília desde o semestre - no "Tempo Executivo". Para efeito de comparação, ele passou apenas cerca de 77 horas em reuniões - menos tempo do que sua viagem (51 horas) e almoçando (39 horas) juntos.

Vazamentos são endêmicos para o governo Trump, mas este abalou especialmente uma já paranóica Casa Branca. “Se a maioria [dos vazamentos] for homicídio involuntário”, disse Sims a Axios, “este foi um assassinato premeditado”. O moral dentro da Ala Oeste sofreu um golpe substancial. “Que violação de confiança vergonhosa para vazar cronogramas”, tuitou Madeleine Westerhout, o diretor de operações do Salão Oval da Casa Branca. “O que isso não mostra são as centenas de ligações e reuniões que o @realDonaldTrump realiza todos os dias.”

Se Trump realmente está recebendo "centenas" de ligações e reuniões não documentadas todos os dias, isso é outro problema, pelo menos para aqueles que se preocupam com a transparência. Mas é difícil acreditar na negação de Westerhout, especialmente quando a evidência de como Trump passa seu tempo é tão óbvia online. Logo depois que ele acorda até o meio da manhã, o feed do presidente no Twitter costuma ser apenas respostas ao que ele está assistindo na Fox News. Muitas vezes, há um atraso consistente entre o que acabou de ser transmitido em Fox & amp amigos e um tweet de Trump, sugerindo que o presidente assista a seus programas em um DVR. À noite, ele volta a tuítar ao vivo seus apresentadores favoritos da Fox ou se enfurece contra uma história nada lisonjeira na CNN.

Em contraste, as programações dos antecessores de Trump estavam lotadas. Bill Clinton era conhecido por trabalhar constantemente e em todas as horas, às vezes ligando para auxiliares no meio da noite. George W. Bush começou seu dia às 5:15 AM, e Barack Obama ficaria acordado até 2 horas da manhã. lendo. Trump parece acreditar que ninguém jamais trabalhou tão duro - “[Obama] apenas ficou sentado aqui e assistiu ao basquete o dia todo”, Sims se lembra de Trump dizendo no Salão Oval - mas seus protestos parecem ser pouco mais do que uma projeção.

Não está claro se o vazamento de cronogramas pós-semestre de Trump reflete um aumento ou diminuição no "Tempo Executivo" no ano passado, mas é claramente uma informação que a Casa Branca não queria que fosse tornada pública. A imagem do presidente de 72 anos vagando pela Casa Branca sem nada para fazer 60% do tempo dificilmente é a imagem que sua campanha deseja que seja vista pelo público antes da próxima eleição. Mas esse vazamento específico é enervante por outros motivos também. Isso sugere, mais uma vez, que o círculo interno de Trump não é leal a ele. Também parece confirmar muitos dos outros retratos nada lisonjeiros do presidente como desinteressados, desorganizados e distraídos. “Trump analisa os materiais de briefing, pelo menos se você fizer questão de que ele o faça”, disse um ex-funcionário sênior da Casa Branca à Axios. "Mas só se você falar e guiá-lo durante a leitura."


Julho de 2021 - Visão geral do mês

A Santíssima Virgem apareceu a São Simão Stock, segurando um escapulário na mão, e ordenou-lhe que fundasse uma Confraria cujos membros deveriam usar este escapulário e se consagrar ao seu serviço. O privilégio Sabbatine garantirá sua libertação antecipada do Purgatório no sábado após sua morte.

O mês de julho é dedicado a O Precioso Sangue de Jesus. Todo o mês cai dentro da temporada litúrgica de Tempo Comum, que é representado pela cor litúrgica verde. Este símbolo de esperança é a cor da semente que brota e desperta nos fiéis a esperança de colher a colheita eterna do céu, especialmente a esperança de uma ressurreição gloriosa. É usado nos ofícios e missas do tempo comum.

Amizade Social: Rezamos para que, em situações de conflito social, econômico e político, sejamos arquitetos corajosos e apaixonados do diálogo e da amizade. (Veja também Rede Mundial de Oração do Papa)

As festas do Calendário Romano Geral celebradas durante o mês de julho são:

As leituras do Evangelho para os domingos em julho de 2021 são tiradas de São Marcos e São João & # 8212 todas são do Ano B, Ciclo 1.

Julho costuma ser quente e uma época para relaxar. É também a época em que as safras plantadas na primavera estão amadurecendo e crescendo. Assim como as colheitas dependem das chuvas de verão não apenas para crescer, mas para sobreviver, nosso desenvolvimento espiritual depende de frequentarmos os sacramentos e recebermos o Sangue de Cristo.

As principais festas deste mês são São Junipero Serra (1 ° de julho), São Tomás Apóstolo (3 de julho) , Santo Antônio Maria e Santa Isabel de Portugal (5 de julho), Santa Maria Goretti, (6 de julho), Santo Agostinho Zhao Rong (9 de julho), Santo henrique (13 de julho), Bl. Kateri Tekakwitha (EUA - 14 de julho), São Boaventura (15 de julho), Nossa Senhora do Monte Carmelo (16 de julho),São Apolinário (20 de junho), São Lourenço de Brindisi (21 de julho), Santa Maria Madalena (22 de julho), Santa Brígida (23 de julho), St. Sharbel (24 de julho), Sts. Joachim e anne (26 de julho), São Pedro Crisólogo (30 de julho), Santo Inácio de Loyola (31 de julho).

As festas de São Benedito (11 de julho), São Camilo (18 de julho), e Santo James (25 de julho) são substituídos pela liturgia dominical.

O Sangue que correu nas veias de Cristo fez parte daquela Sagrada Humanidade tornada possível pela maternidade de Maria, cujos pais São Joaquim e Santa Ana são homenageados este mês. (26 de julho). O sangue de Nosso Senhor derramado na Cruz comprou nossa salvação, lavou as vestes dos mártires e deu à luz a Igreja que fluía de seu lado ferido. O Precioso Sangue de Cristo & # 151 agora pulsando através de seu Corpo Místico & # 151 continua sua obra salvífica, preservando e purificando, reparando e fornecendo alimento para regeneração e renovação de seus membros.

Dias mais longos e mais quentes de julho também nos fornecem a oportunidade de renovação, tanto interna quanto externamente. Os horários relaxam e as pressões facilitam, convidando a viagens. Mas, viajando ou não, como o missionário São Junipero Serra (1º de julho), pregamos aos outros & # 151 por meio de nossa conduta, de nossa palavra, até mesmo das roupas que vestimos. Que sejamos modestos em tudo o que fazemos, imitando Santa Maria Goretti, a jovem mártir da pureza (6 de julho), e & # 8220pregando & # 8221 Cristo a todos que encontramos.

As Leituras do Tempo Comum de verão nos lembram que a nossa peregrinação terrena é também um caminho, uma grande aventura rumo à união com Cristo, início e fim do nosso caminho. Cada domingo, com sua renovação da Páscoa, torna-se um marco miliário ao longo do caminho, ligando onde estivemos e para onde estamos indo. Que o Precioso Sangue de Jesus nos sustente em nossa jornada para o nosso verdadeiro lar, com Maria e os anjos como nossos companheiros de caminho.


Missão e # 038 Visão

A CARE trabalha em todo o mundo para salvar vidas, derrotar a pobreza e alcançar a justiça social. Buscamos um mundo de esperança, inclusão e justiça social, onde a pobreza seja superada e todas as pessoas vivam com dignidade e segurança.

História da CARE: uma linha do tempo

Em 1945, quando o mundo começou a se curar da devastação da Segunda Guerra Mundial, um grupo inspirado de americanos procurou aliviar o sofrimento. Sete décadas depois, sua ideia simples evoluiu de um pacote excedente de rações do Exército dos EUA para uma missão global para elevar mulheres e meninas e, por fim, erradicar a pobreza em todos os cantos do planeta.

A CARE trabalha em todo o mundo para salvar vidas, derrotar a pobreza e alcançar a justiça social. Buscamos um mundo de esperança, tolerância e justiça social, onde a pobreza seja superada e todas as pessoas vivam com dignidade e segurança.

90% de todas as nossas despesas vão para serviços do programa.

90% de todas as nossas despesas vão para serviços do programa.

A CARE é uma organização 501 (c) (3) sem fins lucrativos. Nosso número EIN é 13-1685039. © 2020 CARE. Todos os direitos reservados.


Deepwater Horizon - Derramamento de óleo da BP no Golfo do México

Em 20 de abril de 2010, a plataforma de perfuração de petróleo Deepwater Horizon, operando no Prospecto Macondo, no Golfo do México, explodiu e afundou resultando na morte de 11 trabalhadores na Deepwater Horizon e no maior vazamento de petróleo da história das operações de perfuração de petróleo em marinhas. 4 milhões de barris de petróleo fluíram do poço danificado de Macondo ao longo de um período de 87 dias, antes de ser finalmente limitado em 15 de julho de 2010. Em 15 de dezembro de 2010, os Estados Unidos entraram com uma queixa no Tribunal Distrital contra a BP Exploration & amp Production e vários outros réus supostamente responsáveis ​​pelo derramamento.

Esta página da web fornece informações e materiais sobre a resposta da EPA ao derramamento de óleo da Deepwater Horizon, acordos com vários dos réus, incluindo o acordo recorde com a BP Exploration & amp Production por uma penalidade sem precedentes de $ 5,5 bilhões na Lei de Água Limpa e até $ 8,8 bilhões em danos aos recursos naturais.

Esta página da web é limitada apenas às atividades relacionadas à aplicação da EPA e não cobre todas as ações legais ou outras ações contra a BP Exploration & amp Production e outras partes pelo derramamento, como acordos de partes privadas / ações coletivas para reivindicações médicas e danos econômicos ou outros ações contra os responsáveis ​​pelo derramamento. O Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Leste da Louisiana criou o site Deepwater Horizon Oil Spill para esse fim. Além disso, links para informações adicionais sobre o derramamento, atividades de limpeza e outras respostas são fornecidos abaixo.

Você pode precisar de um leitor de PDF para visualizar alguns dos arquivos desta página. Consulte a página Sobre PDF da EPA para saber mais.


Assista o vídeo: TI TI TI Capitulo 162 Completo HD


Comentários:

  1. Melville

    Autor +1

  2. Mehdi

    tópico muito curioso

  3. Sik'is

    Sinto muito, mas, na minha opinião, eles estavam errados. Escreva para mim em PM, ele fala com você.

  4. Ricard

    the Relevant point of view, attractive



Escreve uma mensagem