West Ham United News Online

West Ham United News Online

No final do jogo em Selhurst Park no sábado, os torcedores do West Ham United cantaram “Você está assistindo, Allardyce?” Esta música recebeu algumas críticas dos amigos de Sam na mídia, que os acusaram de serem ingratos. Esses foram os mesmos jornalistas que previram que os Hammers seriam rebaixados depois que Allardyce deixou o clube.

Os torcedores do West Ham estavam mostrando um ponto importante. Se Allardyce tivesse sido o treinador no sábado, ele teria preparado o time para manter uma folha limpa com a esperança de marcar um gol de segunda mão. Para ser justo, isso é o que eu também teria feito. O Crystal Palace mostrou nesta temporada que defende fundo e gosta de contra-ataque. Depois do jogo com o Sunderland, sugeri que Slaven Bilić jogasse com Pedro Obiang como médio-defensor, em vez do mais ofensivo Manuel Lanzini. Foi o que provavelmente Alan Pardew pensou que aconteceria e sem dúvida influenciou seus preparativos para o jogo.

O Bilić não jogou apenas com Lanzini, mas deu-lhe ordens para atacar com a maior frequência possível. Logo no primeiro minuto, Mark Noble encontrou o argentino emprestado livre na ala esquerda. Ele levou a bola até a entrada da área antes de acertar um cruzamento que Payet não conseguiu alcançar.

O West Ham continuou a dominar o jogo e aos 22 minutos o West Ham avançou com um golo bem trabalhado. Uma das características do Bilić é atacar em grande número. Depois de uma rápida troca de passes que incluiu Noble e Cresswell no lado esquerdo, a bola cruzou o campo através de Lanzini e Payet. Quando chegou a Moses, fora da área, ele foi capaz de encontrar Carl Jenkinson com um passe de régua de cálculo e o zagueiro calmamente chutou a bola para longe de Wayne Hennessey.

Infelizmente, Jenkinson deu um pênalti menos de dois minutos depois, quando seu desafio desajeitado derrubou Dwight Gayle. Foi suave e em câmera lenta, parecia que Gayle havia sujado Jenkinson. No entanto, Jenkinson precisa estar mais ciente de seu entorno. Foi seu empurrão desnecessário em Fabio Borini na semana passada que resultou no primeiro gol do Sunderland. Não adianta argumentar que o atacante caiu facilmente, se você fizer tal desarme, você deixa em aberto para o árbitro tomar uma decisão que vai contra você. A primeira tentativa de pênalti de Yohan Cabaye teve que ser repetida por causa da invasão de Gayle. Ele fez o mesmo pela segunda vez, mas desta vez Mark Clattenburg permitiu que o gol permanecesse.

Gayle, que estava apenas fazendo sua quarta aparição na liga da temporada, estava tentando impressionar seu chefe com a energia que estava colocando para fechar o West Ham. Isso resultou em ele recebendo um cartão amarelo depois de mergulhar contra Payet. Poucos minutos depois, ele cutucou o goleiro dos Hammers, Adrián, depois que a bola saiu do jogo. Pouco antes do intervalo, Gayle foi expulso quando recebeu uma segunda advertência, por uma entrada tardia em Kouyate.

Pardew decidiu jogar o segundo tempo com dez homens atrás da bola. O West Ham foi paciente, mas não conseguiu testar Hennessey, embora um cabeceamento de Sakho de um cruzamento de Jenkinson tenha acertado a trave. Bilić então fez a ousada jogada de trazer Carroll para o lugar de Noble. No entanto, foi a introdução de Zárate, a quinze minutos do fim, que mudou o jogo. No início, ele se concentrou em atirar à distância. Então ele pareceu se lembrar para o que havia sido enviado e fez algumas corridas pelas laterais da defesa do palácio.

Aos 88 minutos, Zárate conseguiu finalmente um grande cruzamento e Carroll conseguiu ultrapassar o seu marcador para cabecear. Seu colega substituto Nikica Jelavic foi frustrado em suas tentativas de engatinhar a bola para o gol, mas ela correu solta e Manuel Lanzini disparou em um remate imparável à queima-roupa. Lanzini foi o meu melhor jogador em campo antes de marcar o golo. Ele estava em toda parte e percorreu mais de 7 milhas no jogo.

O Palace teve de avançar para tentar conseguir um ponto, o que os deixou vulneráveis ​​ao contra-ataque. Zárate saiu correndo antes de passar para Lanzini, que deu uma excelente bola para o sempre alerta Payet, que a acertou na cabeça de Wayne Hennessey para um gol que confirma ainda mais seu status de jogador mais eficaz que o West Ham teve por anos . Em nove jogos nesta temporada, ele marcou cinco gols e deu três assistências. A vitória por 3-1 significou que o Hammers estendeu sua invencibilidade na Premier League para seis jogos.

Depois da partida, a mídia se concentrou no fato de que o Crystal Palace teve dez jogadores durante todo o segundo tempo e ignorou o fato de que o West Ham claramente superou o adversário antes de Gayle ser expulso. No entanto, como Damien Delaney apontou, o West Ham foi o melhor time que o Palace jogou até agora nesta temporada. Estou certo de que jogadores do Arsenal, Manchester City e Liverpool poderiam ter dito a mesma coisa. Também jogamos futebol ofensivo, marcando 20 gols em nossos primeiros nove jogos, o segundo melhor registro do campeonato.

Bilić trouxe jogadores empolgantes, incluindo o musculoso Payet e o animado Lanzini, e também espera tirar o melhor de Andy Carroll. Em seus comentários após o jogo, Slaven Bilić foi generoso em seus elogios a Carroll. "Ele tem algo que é muito difícil de enfrentar. Joguei como zagueiro e conheço essa posição. Na área, quando a bola entra, geralmente é mais sobre você do que sobre o centroavante. Você é aquele que tem mais chance. Mas quando a bola chega até ele, é mais sobre ele do que você, o zagueiro, e é por isso que ganhamos hoje. Ele é habilidoso, tem boa visão, tem boas ideias, é um grande jogador. Seu maior problema era seu preparo físico devido a lesões, mas ele está treinando há oito semanas e tem sido um treinamento muito chato para ser justo: trabalho individual, mas ele o fez bem. Estamos muito felizes por ele estar de volta. ”

West Ham United: Adrián (7); Tomkins (7); Jenkinson (7), Collins (6), Cresswell (7); Nobre (7); Moisés (6); Kouyaté (7); Payet (7); Lanzini (8); Sakho (7).

Antes do jogo, o West Ham tinha o melhor recorde fora de casa da liga. Eles haviam vencido os três jogos e sofrido apenas um gol. Isso foi contra três dos melhores times da liga: Manchester City, Arsenal e Liverpool.

Ao mesmo tempo, o Sunderland estava em último lugar na liga e não havia vencido nesta temporada. Esta foi provavelmente a razão pela qual Pedro Obiang esteve no banco. Ele se machucou e não jogou contra o Arsenal, mas eu o considerei um dos jogadores mais importantes nas outras duas vitórias fora. Slaven Bilić tende a não escolher Obiang para os jogos em casa, mas, como disse no meu relatório sobre o jogo com o Norwich City, acho que é um erro grave. Obiang é o nosso jogador mais subestimado. Seu trabalho muitas vezes passa despercebido, já que ele nunca faz nada muito sofisticado, mas ele é ótimo defendendo nossas quatro defesas. Não é nenhuma surpresa que quando ele começa (Liverpool, Newcastle, Manchester City) nós sempre ganhamos o jogo.

O West Ham parecia visualmente chocado com a forma como o Sunderland começou o jogo. O jogo de alta pressão deles resultou em uma série de passes errados que conseguimos até que Carl Jenkinson concedeu uma cobrança de falta boba por um empurrão desnecessário em Fabio Borini quando ele estava fugindo do gol. Steven Fletcher perdeu seu marcador e correu para o pênalti. Lanzini, que estava posicionado para impedir tal movimento, não parecia estar olhando quando Yann M’Vila deslizou rasteiro em direção a Fletcher, que rebateu a bola passando por Adrián invisível.

Esta não foi uma boa notícia, já que os Hammers só ganharam nesta temporada quando marcaram primeiro. Isso sugere que temos dificuldade em mudar a maneira como jogamos depois de ir para trás. A situação piorou ainda mais aos 22 minutos, quando Dimitri Payet tentou um passe semelhante ao que Noble fez na semana anterior que resultou no primeiro gol de Norwich. A estocada de Winston Reid, como a de Tomkins na semana passada, não conseguiu pegar a bola e M’Vila conseguiu afastar Jeremain Lens, que despachou a mais delicada das fichas por cima de Adrián e pela parte inferior da barra.

O Sunderland estava a cortar-nos à vontade, mas Bilić, compreensivelmente, pensou que enviar Obiang quando estava a dois a zero provavelmente não era uma boa ideia. Felizmente para nós, as jogadas inteligentes de Fabio Borini não foram acompanhadas por remates certeiros e, quando John O'Shea conseguiu um bom cabeceamento à baliza, o confiável Adrián fez uma boa defesa.

Pouco antes do intervalo, a maré mudou. Victor Moses, que vinha fazendo um jogo tranquilo, conseguiu fazer uma boa corrida labiríntica que colocou três zagueiros do Sunderland fora do jogo. O cruzamento encontrou o atrasado Carl Jenkinson que marcou de perto.

O West Ham dominou o segundo tempo. Isso foi ajudado pelo fato de Sunderland estar reduzido a dez homens depois que Jeremain Lens foi expulso por dois desarmes ruins. Mesmo assim, foi preciso um grande erro do goleiro para fazer o 2-2. Lanzini, acertou um tiro de longo alcance direto para Costel Pantilimon. No entanto, pareceu afundar no último minuto e ele não conseguiu segurá-lo. Dimitri Payet, que havia feito o passe original para Lanzini, continuou correndo em direção ao gol e conseguiu varrer o gol do empate. Payet não é apenas um excelente craque, ele também tem os instintos de um excelente atacante.

Pelos 30 minutos seguintes, o West Ham salpicou o gol do Sunderland com chutes. No entanto, a grande maioria errou o alvo, sendo Lanzini e o suplente Zarate os piores ofensores. A única chance real era de um cruzamento de Payet que iludiu Sakho e Jelavic. Após o jogo, Slaven Bilić comentou: "As emoções estão misturadas, um ponto é outro, especialmente quando estávamos a perder por 2-0, mas se olharmos para os últimos 20 minutos, estou desapontado por não termos aproveitado isso ... Mas, por outro lado, não podemos nos dar ao luxo de cometer esse tipo de erros ou começos malfeitos ou o que quer que seja, especialmente aqui na Premier League. "

Esperamos que possamos encarar o próximo jogo contra o Crystal Palace da mesma maneira que fizemos contra o Manchester City, Arsenal e Liverpool. Isso significa começar com Pedro Obiang no centro da nossa defesa.

West Ham: Adrián (7), Jenkinson (6), Tomkins (6), Reid (7), Cresswell (6), Noble (6), Zarate (5), Kouyate (6), Lanzini (5), Payet ( 8), Moisés (6), Jelavic (5), Sakho (6).

O jogo contra o Norwich seguiu o mesmo padrão dos jogos em casa contra o Leicester City e o Bournemouth. Um erro defensivo inicial nos colocou para trás e isso significava que o West Ham não poderia jogar seu jogo natural. Pelo menos desta vez conseguimos um empate, mas é claro que não podemos continuar assim.

Slaven Bilić terá de considerar a possibilidade de iniciar Pedro Obiang nos jogos em casa. Sem ele, a oposição parece ter muita facilidade para passar pelo centro da nossa defesa. Depois de apenas nove minutos, Mark Noble cometeu o erro fundamental de fazer um passe quadrado bem no meio do campo. Isso é algo que ele fez várias vezes nesta temporada, mas antes tinha se safado. Não dessa vez. A bola foi colocada longe demais para Tomkins e foi interceptada por Brady, que correu confiante para bater Adrian. Tony Gale achou que Tomkins deveria ter percebido que não iria alcançar a bola e, em vez de mergulhar, deveria ter recuado e defendido seu gol. Dada a velocidade do jogo, acho que está sendo duro com Tomkins, que só errou a bola por alguns centímetros.

Nos quinze minutos seguintes, Norwich perdeu duas boas chances de tornar o jogo seguro. O West Ham esteve muito mal durante este período e cada vez que a equipa visitante atacava parecia que iria marcar. Lanzini e Moses não conseguiram entrar no jogo. Payet lutou para exercer sua influência e quando pegou a bola tentou fazer muito com ela e as estatísticas mostram que ele perdeu a bola 19 vezes na partida.

Mesmo assim, foi Payet quem trouxe o West Ham de volta ao jogo. Aos 33 minutos, Sakho estendeu a bola para Payet e avançou para acertar o cruzamento perfeito do francês. Foi o quinto gol do atacante senegalês na temporada. Durante a meia hora seguinte, o West Ham esteve em ascensão, mas não conseguiu converter suas chances. Manuel Lanzini esteve a poucos centímetros de colocar o West Ham na frente com uma cobrança de falta de 25 jardas. Sakho perdeu três boas oportunidades e Kouyaté só conseguiu disparar a bola ao lado quando esta caiu para ele na grande área.

O Norwich continuou a parecer perigoso no contra-ataque e, aos 57 minutos, Bilić convocou Obiang para substituir Moses. O West Ham parecia muito mais sólido com essa mudança e parecia que seria apenas uma questão de tempo até que marcassem o vencedor. No entanto, trazer Carroll para Lanzini não surtiu o efeito desejado. Carroll está claramente longe de estar em forma e ele constantemente falhou em segurar a bola no chão e o serviço que recebeu no ar foi terrível.

Alex Neil ainda perdeu apenas uma partida da liga longe de Carrow Road desde que assumiu o cargo em janeiro. Para lhes dar crédito, não tiveram medo de atacar o West Ham e aos 83 minutos recuperaram a liderança. O West Ham não conseguiu evitar o escanteio e Nathan Redmond recebeu dentro da área. Noble não conseguiu exibi-lo do lado de fora e ele foi capaz de mover a bola para o pé direito e seu chute bateu o invisível Adrián.

Durante o resto do jogo, o West Ham lançou uma série de bolas altas para a área à procura de Andy Carroll. Em uma ocasião, a bola chegou a seus pés e, em vez de passar a bola por John Ruddy, ele tentou controlá-la. Mais uma vez, seu primeiro toque não foi bom o suficiente e a chance foi perdida.

No primeiro minuto dos descontos, um livre cobrado por Payet foi dirigido a Carroll. Ele errou, mas o fraco soco de Ruddy acertou o atacante e caiu na frente de Kouyaté, que marcou com alguma facilidade. Mesmo um Carroll incapaz ainda tem a capacidade de causar pânico na melhor das defesas.

Um golo de última hora mudou o ambiente em Upton Park e o West Ham conseguiu manter o 3º lugar na tabela. Porém, mais uma vez, os Hammers perderam valiosos pontos em casa. O Norwich jogou bem e no final da temporada podemos ver isso como um bom resultado. No próximo sábado temos a chance de jogar fora de casa novamente. No papel, isso parece muito mais fácil do que os três jogos fora de casa anteriores. Mas, dada a nossa história passada, eu, pelo menos, não investirei muito dinheiro para que o West Ham derrote o Sunderland.

West Ham United: Adrián (8); Jenkinson (6); Tomkins (7); Reid (7); Cresswell (6); Nobre (5); Obiang (7); Kouyaté (7); Payet (6); Lanzini (6); Sakho (6); Moisés (5); Carroll (5).

Eu geralmente consigo assistir Sky's Suplemento de Domingo. Nas últimas duas temporadas, jornalistas de futebol criticaram regularmente os torcedores do West Ham por argumentarem que Sam Allardyce deveria ser demitido. Não concordei com aqueles apoiadores de que Allardyce deveria ir, mas também estava convencido de que ele não deveria receber um novo contato. No entanto, sempre me irritou que os jornalistas estivessem tão unidos em acreditar que Allardyce era o homem certo para o futuro a longo prazo da equipe. Eles constantemente apontavam que todos os times que ele comandava, quando ele os deixou, estavam em uma posição superior na liga do que quando ele entrou. Isso era verdade, mas ele só teve sucesso em um clube, o Bolton Wanderers.

Allardyce claramente fez um bom trabalho quando conseguiu que o West Ham fosse promovido e, nas três temporadas seguintes, conseguiu manter o clube na Premier League. Os especialistas do futebol pareciam convencidos de que, se Allardyce tivesse permissão para sair, o West Ham seria rebaixado. Ainda assim, para a maioria dos fãs do West Ham, estava claro que ele estava nos segurando. Eles são as pessoas que assistem a todos os jogos, enquanto os jornalistas confiam principalmente em assistir aos destaques editados e aos jogos ímpares ao vivo, onde tentam avaliar o desempenho de ambas as equipes. Os torcedores são, portanto, muito mais confiáveis ​​em suas percepções sobre o desempenho de seu clube do que os gurus do futebol, que confiam demais nas instruções dadas a eles por treinadores e seus comparsas.

Na primeira metade de 2014-15, o West Ham teve um bom desempenho e no Natal parecia que poderíamos terminar entre os seis primeiros. No entanto, os últimos meses da temporada viram uma queda enorme na forma. Kevin Nolan foi questionado por um repórter por que isso aconteceu e ele respondeu que provavelmente foi porque ele se machucou durante a maior parte da primeira metade da temporada. Era uma piada engraçada, mas alguns apoiadores pensaram que ele estava falando a verdade. Os fãs ficaram surpresos por ele ter mantido seu lugar no time durante essa série de jogos ruins. O dele era doloroso de assistir. Suas pernas claramente tinham sumido. As estatísticas mostram que muitas vezes ele cobriu a maior parte do time, mas foi feito em um ritmo tão lento que ele raramente tocou na bola. Um fã comentou nas redes sociais que Nolan deve ser o filho apaixonado de Allardyce. Minha opinião era que ele era seu cobertor de segurança. Da mesma forma que algumas crianças pequenas não conseguem ir para a cama com um cobertor, um bichinho de pelúcia ou um brinquedo favorito, Allardyce não aguentaria sem Nolan estar em sua equipe.

O West Ham finalmente terminou em 12º lugar na temporada passada. Os especialistas do futebol disseram que é aí que o clube deve esperar, pois isso reflete nosso poder de compra. Os fãs do West Ham viram isso de forma diferente. Eles queriam comparar nossas conquistas com clubes como Southampton (7º) e Swansea (8º). A maioria dos torcedores, com ou sem razão, estava convencida de que, com o técnico certo, poderíamos competir pelos seis primeiros lugares.

Slaven Bilić não foi a primeira escolha do West Ham para substituir Allardyce (Rafael Benítez, Carlo Ancelotti e Unai Emery estavam todos à sua frente). No entanto, de acordo com David Sullivan, ele foi o primeiro homem a ser abordado após a demissão de Gianfranco Zola em maio de 2010. Bilić se recusou a assinar o contrato, a menos que lhe dessem £ 30 milhões para gastar. Esta ideia foi rejeitada e nomearam Avram Grant em seu lugar.

Quando voltaram para Slaven Bilić em junho de 2015, ele recebeu o dinheiro que pediu e trouxe Dimitri Payet, Pedro Obiang, Angelo Ogbonna, Manuel Lanzini (empréstimo), Victor Moses (empréstimo), Darren Randolph, Michail Antonio e Nikica Jelavić . Isso deu a ele um time que parece bom o suficiente para lutar por um lugar entre os seis primeiros.

Os primeiros resultados sugerem que os fãs do West Ham estavam certos ao exigir uma mudança de treinador. No sábado, os Hammers venceram seu terceiro jogo consecutivo fora de casa. Todos os três eram grandes rivais por vagas na Liga dos Campeões. O Chelsea foi o último clube a vencer essas três equipes. Isso foi na temporada 2005-06 e eles ganharam o título naquele ano. Não estou dizendo que vamos emular a equipe de José Mourinho, mas parece que teremos uma temporada emocionante.

O primeiro golo do West Ham frente ao Manchester City mostra o tipo de equipa que Bilić criou. Reid, Cresswell, Lanzini, Payet, Obiang, Noble, Tomkins trocaram passes em sua própria metade. Eles se moveram em busca de um bom passe para frente. Foi só quando Lanzini recebeu a bola que viu Payet perder seu marcador. Então, com uma deliciosa passagem curva lascada, ele encontrou Payet. Esta foi a décima segunda passagem do movimento. Payet disparou para o espaço que os defensores haviam permitido entre suas linhas. Ele olhou para cima e viu Moisés com terreno aberto à sua frente. Seu passe foi preciso, assim como o chute de Moses de 20 jardas que saiu do alcance de Hart e encerrou 572 minutos de resistência defensiva.

O segundo golo seguiu-se a um dos grandes cantos de Payet. Winston Reid acertou de cabeça na bola e Fernandinho deveria ter chutado no segundo poste, mas Pedro Obiang esticou-se e acertou uma parte da chuteira na baliza, onde Diafra Sakho cruzou antes de Touré , e foi capaz de enrolar o pé direito em torno da bola para inseri-la.

O West Ham agora tinha uma hora para impedir a entrada da linha de frente desenfreada da cidade. A defesa foi violada pouco antes do intervalo, quando o impressionante Kevin De Bruyne fez uma excelente estreia. Depois disso, os torcedores do City reclamaram do desaparecimento de David Silva, ignorando o fato de que seu substituto, £ 54 milhões De Bruyne, foi de acordo com vários jornais, o melhor em campo. Também é preciso lembrar que o time que jogou no sábado custou £ 300 milhões, um novo recorde na história da Premier League.

O Man City teve mais tentativas, posse de bola e toques na área adversária do que em qualquer jogo desta temporada. O West Ham registrou mínimos de temporada em todas as três categorias. Tiveram 16 cantos e 27 remates à baliza. Apesar dessas estatísticas, o West Ham sempre parecia perigoso no contra-ataque e poderia ter marcado mais alguns gols no jogo.

A vitória do West Ham também foi sua primeira vitória no Etihad e pôs fim ao recorde do Man City de 11 vitórias consecutivas na Premier League. Não se engane, esta é uma equipe excelente. Depois do jogo, Slaven Bilić comentou: "Este foi um jogo diferente daquele dos Emirados e de Anfield. Foi muito, muito mais difícil. Na segunda parte eles criaram, pressionaram-nos e eram a melhor equipa, para ser justo . Se eles tivessem igualado, teria sido merecidamente. "

Os especialistas em futebol estão começando a aceitar que este é um time especial. Niall Quinn disse à Sky Sports: "Adoro a forma como o Bilić fez com que esta equipa funcionasse como uma só. O ritmo de trabalho, a crença em si próprios e a parte difícil e essencial do jogo, fizeram-se tão bem como grupo. Isto é a atuação mais incrível de se vencer essas três partidas fora de casa. " Danny Murphy sobre o Jogo do Dia destacou que o West Ham é uma equipe de grande qualidade e mostra muita confiança e compostura com a bola.

Bilić, a sua equipa agora em terceiro lugar na Premier League, estava compreensivelmente feliz com o início de carreira do West Ham. “Claro que é brilhante. É como chegar a um bar cheio de garotas. Você vai gostar." Quando questionado sobre como os Hammers podem ficar entre os quatro primeiros, Bilić respondeu: “Espero. Mas você seria o primeiro a dizer antes da temporada que isso seria impossível. Mesmo assim, apenas seis jogos se passaram. Temos que manter, temos que melhorar. Haverá altos e baixos, é claro. Mas só temos que continuar trabalhando e viver cada dia de treinamento e cada jogo. Então temos uma chance ... Vamos apenas tentar jogar um bom futebol e vencer todos os nossos jogos. Não sei aonde isso vai nos levar, mas deve ser uma boa jornada. ”

West Ham United: (4-2-3-1) Adrian (8), Jenkinson (8), Tomkins (8), Reid (9), Cresswell (7); Obiang (8); Lanzini (7), Payet (7), Noble (9), Moisés (7), Sakho (7).

Em 25 de junho de 2015, declarei neste blog que acreditava que Dimitri Payet seria a contratação mais importante do West Ham por muitos anos. Eu disse isso com base em vídeos do YouTube que vi de suas atuações anteriores pelo Marselha e o fato de que na última temporada Payet deu 17 assistências e marcou sete gols em 36 jogos no campeonato (o maior número de assistências em qualquer uma das principais ligas europeias). Ele é tudo menos uma maravilha de uma temporada. Payet marcou 51 gols nas últimas seis temporadas da Ligue 1.

Slaven Bilić tentou contratar Payet no início da temporada 2014-2015, mas recusou-se a mudar para o Beşiktaş. O ex-técnico da França, Raymond Domenech, aconselhou Payet a não se mudar para o West Ham. Ele sugeriu que era bom demais para o clube e que deveria esperar por uma oferta do Chelsea ou do Arsenal. No entanto, parece que José Mourinho e Arsène Wenger não estavam convencidos de que ele iria melhorar suas equipes.

Payet disse ao Daily Telegraph que ele se juntou ao West Ham para que pudesse jogar no Estádio Olímpico. “Este projeto me entusiasmou, é um projeto ambicioso e emocionante. Jogar no novo estádio influenciou minha escolha de vir jogar pelo West Ham. A atmosfera será ótima, tenho certeza, neste novo ambiente. ”

Como resultado das atuações de Payet nesta temporada, ele foi comparado a David Silva, Eden Hazard e Santi Cazorla. Na minha opinião, Payet vai mostrar que é um jogador mais eficaz do que essas estrelas. As suas capacidades de passe e drible são tão boas como a destes jogadores, mas é melhor na defesa e suspeito que vai marcar mais golos do que Silva, Hazard e Cazorla.

Depois de cinco jogos, é claro que Bilić quer que o West Ham jogue um futebol de contra-ataque. Um grande número de treinadores na Premier League deseja jogar desta forma. Como Bilić referiu na sua conferência pós-jogo, "o nosso objectivo é querer uma boa equipa que possa defender com números e atacar com números". Para fazer isso, você precisa de jogadores muito ativos no meio-campo. É por isso que nunca poderia haver um lugar para Kevin Nolan em sua equipe.

É mais fácil jogar um futebol de contra-ataque fora de casa. Por isso foi tão importante para o West Ham marcar o primeiro gol contra o Newcastle. Até agora nesta temporada, quando marcamos o primeiro gol, vencemos o jogo. Além disso, mantivemos lençóis limpos também.

O problema do West Ham nos dois jogos anteriores em casa é que os zagueiros cometeram erros que resultaram em gols. Antes da última rodada desta semana, os Hammers lideravam a tabela por erros que resultaram em gols para o adversário (3). Apenas o Arsenal se aproximou desse recorde (2).

Steve McClaren percebeu que Payet era o homem do perigo e designou Anita para marcá-lo. Essa estratégia funciona muito bem quando o jogador está no meio-campo, mas uma vez que o West Ham estava no ataque, Anita tendia a esquecer seu trabalho e disparou para sua própria área de pênalti. Foi o que aconteceu aos 9 minutos.

Uma boa passagem de jogo resultou em Sakho jogando um calcanhar para Noble no lado esquerdo da área de grande penalidade. Noble o rolou para Payet à espreita sem marcação do lado de fora da caixa. Ele acertou pela primeira vez no canto superior da rede de Tim Krul. Noble disse após o jogo que assim que passasse a bola sabia que seria um gol porque Payet faz isso o tempo todo nos treinos.

Com o gol madrugador, o West Ham conseguiu ceder o meio-campo ao Newcastle e jogar no contra-ataque. Durante o jogo, os Hammers tiveram apenas 39% da posse de bola. No entanto, Newcastle raramente parecia perigoso e Randolph tinha apenas quatro defesas normais para fazer.

Victor Moses desempenhou um papel importante na performance da noite passada e com seu ritmo alucinante era freqüentemente uma característica de nossos ataques. Moses nasceu em Lagos, Nigéria, filho de um pastor cristão. Quando ele tinha 11 anos, seus pais foram mortos. Com sua viagem sendo paga por parentes, Moses veio para a Grã-Bretanha como um solicitante de asilo em 2001. Desde que assinou pelo Chelsea, ele deve ter se sentido como um refugiado sendo emprestado a vários clubes. Esperamos dar a ele uma casa decente, dando-lhe uma mudança permanente no final da temporada.

Aos 43 minutos, um belo passe longo de Lanzini encontrou Payet, que deu um belo passe delicado que se enrolou na perna estendida do zagueiro para chegar aos pés de Moisés. Infelizmente, Moisés estava um pouco desequilibrado e seu chute foi longe do gol.

Faltavam apenas quatro minutos para o segundo tempo quando um péssimo livre de Newcastle resultou na liberação de Moses em seu próprio meio-campo. Com grande velocidade, ultrapassou os dois zagueiros e, ao chegar à entrada da área, acertou um potente remate na barra. Se fosse a última temporada, teria sido o fim do ataque. Mas, como Bilić apontou, ele acredita fortemente no ataque em número. No momento em que Moisés fez seu chute, Lanzini e Payet estavam na área de grande penalidade. Logo atrás deles estavam três outros jogadores do West Ham e o Newcastle estava em menor número. Portanto, não foi nenhuma surpresa quando a bola rebateu para Payet e ele foi capaz de rebatê-la para o gol.

A vitória do West Ham nos colocou na 5ª posição com uma diferença de gols de +5, o segundo melhor da liga. Já conseguimos vitórias fora no Arsenal e no Liverpool, mas o jogo de sábado contra o Manchester City será provavelmente o maior teste da temporada. Normalmente esperávamos perder, mas com a excelente estratégia de jogo do Bilić penso que podemos mantê-los num empate a zero.

West Ham United: Randolph (7); Tomkins (7); Jenkinson (6), Reid (7); Ogbonna (6); Cresswell (7); Nobre (7); Moisés (8); Kouyaté (7); Payet (9); Lanzini (6); Sakho (6).

Quando foi convidado a comentar os erros cometidos por Cresswell e Jenkinson no Match of the Day, o ex-técnico Sam Allardyce respondeu que isso não acontecia quando ele estava no comando. Pode ter sido verdade, mas também não vencemos no Arsenal e no Liverpool quando ele era treinador. Para ser justo, John Lyall, Lou Macari, Billy Bonds, Harry Redknapp, Glenn Roeder, Alan Pardew, Alan Curbishley, Gianfranco Zola e Avram Grant não conseguiram vencer em Anfield. No entanto, o nosso novo treinador, Slaven Bilić, conseguiu isso na primeira tentativa.

Com duas vitórias fora e duas derrotas em casa, parece que Slaven Bilić se sente mais confortável ao montar uma equipe defensiva. Depois do jogo, ele disse: "Sei que posso organizar uma equipe muito bem. Pode não parecer lógico termos derrotado o Liverpool e o Arsenal fora de casa, mas quando você pensa sobre isso, é lógico. Os jogadores sabiam o que eram fazendo e fizemos muito bem. " É lógico dizer que quando jogamos em casa a equipe não sabe o que está fazendo?

Olhando para os resultados até agora nesta temporada, um padrão parece estar surgindo. Nos primeiros 38 jogos, houve apenas 7 vitórias em casa. Bilić tem toda a razão, os treinadores estão a aprender como impedir uma equipa de marcar. Lembro-me da equipe de Sam Allardyce obtendo um 0-0 em Stamford Bridge. No entanto, isso era muito diferente. Como Bilić disse na conferência de imprensa pós-jogo: "Estacionamos o ônibus, mas não puxamos o freio de mão. Não há nada de errado com isso. Isso significa que quando o adversário está com a bola você o detém. Quando necessário, estávamos lá com nove homens, mas quando tivemos a oportunidade, tivemos jogadores na sua parte do relvado. "

Brendan Rogers pode continuar tendo 63% da posse de bola, mas claramente o West Ham foi mais eficaz quando teve a bola. Não só teve mais remates à baliza do que o Liverpool (5-1), mas também mais cantos (7-5). O primeiro golo aos 3 minutos mostrou a vontade do West Ham para o ataque em força com Sakho, Cresswell, Noble, Kouyaté, Payet e o marcador Lanzini em posições avançadas.

Foi o mesmo com o segundo gol. Tudo começou com um erro terrível de Dejan Lovren. O passe de Lanzini para Sakho pela linha foi interceptado por Nathaniel Clyne e a princípio parecia que a chance havia acabado. No entanto, com este time do West Ham, quando um ataque começa, eles levam muitos jogadores para a frente e a bola rompia para o Noble que se aproximava para deslizar uma finalização medida para o canto inferior da entrada da área de grande penalidade.

Os jogadores têm que estar em forma para jogar desta forma e Kouyaté e Obiang correram mais de 7 milhas durante o jogo. O mesmo teria acontecido com Noble se ele não tivesse sido expulso aos 77 minutos. Foi uma decisão ridícula e quase certamente será anulada em recurso.

Foi uma boa semana para o West Ham, com Kevin Nolan concordando em deixar o clube na quinta-feira. Seu substituto na equipe, Lanzini, fez um jogo excelente. Não só causou problemas constantes à defesa do Liverpool, como também tinha energia suficiente para proteger o lateral Tomkins. Payet fez o mesmo com Cresswell. Eles defenderam juntos e quando surgiu a oportunidade, eles atacaram juntos.

When I saw Lanzini and Payet play in pre-season I saw them both as luxury players and thought that it would be impossible to play them in the same team. I was completely wrong about this. They both deserve to play because they are willing to do the unromantic work of stopping the opposition from running at isolated full-backs. My one worry is that Lanzini likes to dribble his way out of defence and mistakes in that part of the pitch could prove costly.

Bilić thought that Lanzini had a great game: "Manuel was fantastic and not only because he scored a goal. Defensively he not only covered the left-back, Gomez, but he cut inside on Coutinho and Milner when he went outside. He was great. When he came in some of the people who were not for him and were for other players were slagging him off and they said he looks more like a jockey than a football player. Maybe, but he rides the challenges."

Pedro Obiang had a great game as the holding midfielder. He kept the Liverpool forwards quiet and helped instigate counterattacks with quick, snappy passing. According to Opta Stats he contributed with two tackles, four interceptions, seven ball recoveries and an impressive nine defensive duel winners. He also completed 25 accurate passes during the game.

Sakho was the lone-striker but he was never isolated and he was often joined in attack by our energetic midfielders. His perseverance was rewarded when he pounced on another Liverpool mistake to score in the 92nd minute.

In two away games we have kept clean-sheets and scored five goals against two teams who are expected to compete for the title. This is clearly top-four form. However, we cannot forget that we have also lost two home games against teams that were apparently in danger of being relegated this season.

I have been very impressed with Slaven Bilić's press conferences. He does not talk in football clichés and although English is not his main language he has the ability to express his thoughts in meaningful metaphors (the idea of the parked bus with its handbreak off was brilliant). I am convinced he is intelligent enough to develop a system that will work for us when playing at home. If he does, it is going to be an exciting season.

West Ham United: Randolph (7); Tomkins (8); Reid (8); Ogbonna (8); Cresswell (8); Noble (8); Obiang (8); Kouyaté (9); Payet (8); Lanzini (8); Sakho (7).

West Ham's great defensive display against Arsenal away has been followed by two woeful displays at home. Slaven Bilić could not say he had not been warned. Cresswell and Jenkinson had been terrorized by the wingers in the game against Leicester and the same thing happened on Saturday against Bournemouth. Hat-trick hero, Callum Wilson, admitted that Eddie Howe had identified West Ham's weakness and that all week they had been coached to attack them down the flanks.

After the game Bilić agreed that his full-backs had experienced a torrid time but insisted you cannot look at Cresswell and Jenkinson in isolation. He said that no full-back can deal with a fast and tricky winger without some sort of protection. Last season, West Ham defended and attacked down the flanks in pairs. This has not happened in the last two games and Bilić is the one who has to take the blame for this.

I became very nervous about the game when news arrived that Kevin Nolan was in the team. Last season I considered Nolan the worst player in the Premier League. I saw nothing in the early Europa League games to change my mind about this. Now, without the patronage of Sam Allardyce, I thought Nolan would be paid off and found a club in the lower divisions. Not only did Bilić play him, he made him captain. This seemed to upset Noble who had a terrible game while he was on the field.

After the first few minutes it seemed that Nolan was playing in a floating role just behind Sakho. Nolan must have been pleased about this but it caused serious problems for the rest of the team. It was difficult to see who was providing protection for the full-backs.

In the eleventh minute Cresswell found himself near his own goal with no one to pass to. He lost the ball when he attempted to dribble past Simon Francis. His cross was driven in by Wilson giving Randolph little chance to improve his recent record against Bournemouth (12 goals conceded in two games).

Cresswell could not blame a lack of cover for his next mistake. He received the ball in his own area and just prodded it towards the goal. To the spectator it looked like a subtle pass to Wilson who made no mistake in making it 2-0. Clearly changes had to be made but it was a surprise to me when he took Ogbonna off to replace him with Tomkins after 35 minutes. Ogbonna was no worse than anybody else in the defence and it seemed to be poor man management to drag him off in this way.

To spare Nolan the danger of being booed off, he was substituted at half-time. Jarvis was brought on to provide protection for Cresswell and he definitely had a better second-half. It also helped the team and within 8 minutes of the restart it was 2-2. Noble from the penalty spot and Kouyaté, who followed up a blocked shot from Sakho. With captain Noble driving them on it seemed that West Ham would go on to win the game.

However, the problems that Jenkinson had in the first-half had not been addressed. In the 66th minute Jenkinson dived in to a tackle on Pugh, who calmly side-stepped him to curl the ball into the far corner. Eleven minutes later the hapless full-back lost the ball near the half-way line to Max Gradel. He compounded this error by pulling back the flying winger once he got into the penalty area. He was sent off and Wilson scored from the spot.

In the 82nd minute it was Bournemouth's turn to gift the opposition a goal. Their defence split like the Red Sea and Maiga ambled through the gap. He seemed to miss hit the shot but this fooled the goalkeeper who went the wrong way and the ball trickled into the goal. The ten men piled on the pressure but were unable to get any shots on target and Bournemouth were able to get a well-deserved first win in the Premier League.

Hopefully, Bilić has now learnt his lesson and he will set-up his team right for the game against Liverpool. Payet must be played just behind Sakho and not assigned to any defensive duties (it is pointless to do otherwise as he is incapable of doing that side of the game). Jarvis needs to come in to help Cresswell and Bilić needs to come up with a defensive partnership to replace Jenkinson.

West Ham United: Randolph (7); Jenkinson (3); Reid (5); Ogbonna (5); Tomkins (6); Cresswell (3); Noble (5); Obiang (5); Kouyaté (7); Payet (6); Nolan (3); Jarvis (5); Sakho (6).

Last week Slaven Bilić showed us he knows how to set-up a team playing away to high-quality opposition. On Saturday he faced a different problem and it was one he was unable to solve. This is not the first time that Bilić's West Ham team had difficulty breaking down a packed defence. The same thing happened against Astra Giurgiu and Birkirkara.

West Ham enjoyed 63% possession with an 83% passing accuracy in the first-half, but did little damage with it and did not manage a shot on target before the break. Meanwhile, Leicester had scored two breakaway goals.

For the first, Reece Oxford matched Shinji Okazaki run from the half-way line but once he reached the penalty area he stopped and allowed the Japanese striker the freedom to score on his second attempt.

The second goal followed another break on the left-hand side and Riyad Mahrez converted the pass by Albrighton, who caused Jenkinson problems all afternoon. He was also poor going forward and probably had the worst ever game for the Hammers. Cresswell was also disappointing and was partly responsible for the second goal.

It looked like West Ham was going to get back in the game just before half-time when Schmeichel brought down Sakho as he pushed the ball past him. Schmeichel's reactions was of a man who had conceded a penalty. However, Anthony Taylor and his two assistants, were probably the only men in the ground who missed Schmeichel's raised arm that hit Sakho hard in the chest.

The largely anonymous Reece Oxford was replaced by new signing Obiang. West Ham dominated possession even more in the second-half and hopes were raised by Payet's fine goal in the 55th minute. After another ten minutes of continuous pressure it became clear that Leicester was having little difficulty dealing with the Hammers front-line. Except for a Sakho chance that he hit straight at Schmeichel, the home-side rarely looked like scoring.

One of the problems that Bilić's faces is the quality of his bench. Lanzini replaced Kouyaté but he failed to make an impact. A very poor Zárate remained on the field until the 83rd minute. However, you can see Bilić's point as his replacement was Maiga. West Ham desperately need to sign two or three dangerous attackers to give us a squad capable of competing at this level. One of the most disturbing aspects of the game was that Leicester, who is expected to be involved in a relegation fight, had a far better bench than we did.

Slaven Bilić put forward other arguments for the defeat: “We weren’t good enough at winning second balls and dealing with long balls. Leicester were getting all of them, there are plenty of those situations in a football game, and if you lose the majority of them then it is impossible to win.... I can’t accept that too many times, we weren’t doing the basics, and that makes it much harder. If you don’t win the first ball, you have to run, 20, 40 metres back to recover and that is a waste of energy.”

There is no doubt that Payet will make plenty of chances for the forwards this year. It will be a tragedy if we do not have the quality of player needed to convert these chances into goals. There has been a lot of talk about Charlie Austin and he no doubt will improve the team. But we need more than that. I would take a chance on signing a young player who has already shown that they can score when given the opportunity. Someone like Benik Afobe might make a very good addition to the squad. There is also talk of bringing in Andre Grey but when I saw him playing last season I thought he would find it difficult in the Premier League.

West Ham Utd: Adrian (8), Jenkinson (5), Reid (7), Ogbonna (7), Cresswell (6), Oxford (5), Noble (6), Kouyate (6), Payet (8), Zárate (5), Sakho (6).

I was one of those who criticised Slaven Bilić for playing a second-string eleven in Romania on Thursday. I questioned the logic of him saving his best players to to take part in a game against Arsenal where they were unlikely to get a result. How wrong can you be. The players he left behind achieved a stunning 2-0 victory over a side that many pundits are claiming will win the Premier League this season.

Bilić also selected the 16-year-old Reece Oxford to play in front of Ogbonna and Reid in the centre of defence. The Edmonton born youngster had an amazing debut and achieved a 95 per cent pass success rate - the highest of any player from either team. Oxford also did a magnificent job keeping Özil quiet and it was noticeable that Arsenal made their best chances after he was replaced by Nolan in the 79 minute.

Bilić set-up West Ham in a 4-4-2 formation with Payet just behind Zárate and Sakho. Arsenal made most of the chances in the first-half but Adrian was able to keep a clean sheet without making any outstanding saves. The nearest they came to scoring was when Ramsay's shot hit Cresswell on the back and it looped up to hit the bar.

In the 43rd minute West Ham was awarded a free-kick. Dimitri Payet’s delivery was excellent and Cech was tempted to come out for the ball. However, Kouyaté reached it first and had the simple task of nodding into the empty net.

In the second-half Arsenal began to have more of the ball but the West Ham team held its shape and once again Adrian was able to easily deal with shots from outside the area. When they had the ball they kept it very well and were rarely guilty of giving the ball way.

The Hammers also made regular attacks and in the 57th minute Cresswell attacked down the left. He was crowded out and an attempted clearance by Oxlade-Chamberlain was picked-up by Zárate and he twisted and turned trying to find a good angle for a strike at goal. Finally, he shaped up to curl it in the top corner. but then hit it on the ground towards the opposite corner. Cech, who had placed his weight on his left leg was unable to change direction and he got nowhere near the ball.

Arsenal put West Ham under a lot of pressure during the last 30 minutes but they coped very well and even made the odd breakaway that could have resulted in a third goal.

After the game Bilić was full of praise for Reece Oxford, the sixteen-year-old born in Edmonton, traditional Arsenal territory: "It was going to be a risk but he has got something. I thought we needed someone to sit in front of the defence who is cool and can be a third defender, but who can also play on the ball. I am very proud of him. Only on paper he is 16, he is a part of this new generation. Put it this way, if Lionel Messi was in front of me I would be more fazed than Reece." Winston Reid added: "He's only 16 and look at him, he's bigger than me and probably better than me!"

Slaven Bilić is obviously a hard task-master as he told the press he complained about the team's performance in the first-half. He suggested that West Ham needed to be convinced that they could beat Arsenal on their own ground. Maybe, he is right. The fact that West Ham had not won at the Emirates since 2007 might have influenced their attitude. We saw that happening last season every time they played away at a top side. If Bilić can change this negative view we might be in for a season to remember. (9th August, 2015)

West Ham Utd: Adrian (7), Tomkins (7), Reid (8), Ogbonna (8), Cresswell (7), Oxford (8), Noble (8), Kouyate (8), Payet (8), Zárate (7), Sakho (7).

West Ham News (1) (16th June - 25th June, 2015)

West Ham News (2) (26th June - 6th August, 2015)

West Ham News (3) (9th August - 17th October, 2015)


Assista o vídeo: Moyes: No Regrets With Noble Pen, My Decision. West Ham 1-2 Man Utd. Post Match Press Conference