O Festival das Luzes de Diwali: uma celebração da liberdade e do bem triunfando sobre o mal

O Festival das Luzes de Diwali: uma celebração da liberdade e do bem triunfando sobre o mal

Diwali / Deepavali também é conhecido como o Festival de luzes (o nome deste festival pode ser traduzido literalmente do sânscrito como fileiras de luzes) , e é um dos festivais indianos mais conhecidos e importantes. Embora as origens deste festival possam ser encontradas na fé hindu, ele é celebrado também por adeptos de outras religiões, incluindo sikhs e jainistas. Além disso, embora o Diwali seja um feriado nacional na Índia, sua celebração não se limita apenas a esse país e hoje também é celebrado em muitas outras partes do mundo.

O dia para comemorar Diwali

A data exata do Diwali varia de ano para ano, conforme determinado pelo calendário lunisolar hindu. No entanto, o festival geralmente cai entre meados de outubro e meados de novembro de cada ano.

Uma página do calendário lunisolar hindu de 1871-72.

O festival de Diwali é celebrado por um período de cinco dias e coincide com o ano novo hindu. Para alguns, Diwali também marca o início de um novo ano financeiro para os negócios indianos. O verdadeiro dia de Diwali é tradicionalmente celebrado no terceiro dia desta época festiva. Existem várias tradições associadas ao festival de Diwali.

A história por trás do Festival das Luzes

A mais compartilhada delas é a história do retorno de Rama do exílio e sua derrota do rei demônio de Lanka, Ravana. Esta história pode ser encontrada no grande épico hindu, o Ramayanae comemora o triunfo do bem sobre o mal.

De acordo com essa história, Rama foi exilado de sua casa em Ayodhya por sua madrasta, que queria colocar seu próprio filho no trono. Rama foi acompanhado em seu exílio por sua esposa, Sita, e seu irmão mais novo, Lakshmana.

Rama partindo para catorze anos de exílio de Ayodhya.

Durante seu exílio de 14 anos, Sita foi sequestrada por Ravana, que queria se vingar de Rama e Lakshmana por cortar o nariz de sua irmã, a demônio Surpanakha. Eventualmente, Rama resgatou sua esposa derrotando e matando o rei demônio. No final do exílio, os três protagonistas voltaram a Ayodhya e Rama foi coroado rei. Ao chegarem à cidade, foram recebidos com alegria pelos cidadãos, que acenderam milhares de lâmpadas de barro. Esta tradição ainda é praticada hoje pelos hindus que celebram o Diwali.

  • Ponte de Rama: onde a ciência moderna e os mitos antigos se encontram
  • Smithsonian lança enorme coleção digitalizada de tesouros asiáticos para uso público
  • Dwarka: a casa de Krishna é um portal para o céu e uma cidade subaquática

O papel humano para tornar o mundo um lugar melhor

Outra maneira de entender o festival de Diwali pode ser obtida olhando além do retorno de Rama a Ayodhya. Um estudioso apontou que durante o século 15, um poeta chamado Tulasidasa escreveu um relato da vida de Rama em sua versão do Ramayana. De acordo com Tulasidasa, o retorno de Rama do exílio marcou o início de um período de paz e prosperidade, caracterizado pela ausência de pobreza, analfabetismo, doença e violência.

Apesar do status de Rama como um deus (acredita-se que ele seja o 7º avatar de Vishnu), ele não trouxe essas transformações magicamente, mas contou com a ajuda de seres humanos. Assim, Diwali também pode ser visto como um festival que nos lembra de nossa responsabilidade como seres humanos em tornar este mundo um lugar melhor por meio da cooperação mútua.

O ‘Dia de Libertação do Prisioneiro’ Sikh

Para os Sikhs, o festival de Diwali coincide com outra celebração conhecida como Bandi Chhor Diwas , que significa 'Dia de Libertação do Prisioneiro'. Este festival é celebrado para marcar o dia em que o 6º Guru Sikh, Guru Hargobind, foi libertado do Forte Gwalior, junto com 52 Rajas hindus (reis), em 1619. Existem várias variações quanto a porque Guru Hargobind se tornou um prisioneiro dos Mughals.

Uma pintura rara no estilo Tanjore do final do século 19, representando os dez Gurus Sikh.

Guru Hargobind: Prisioneiro dos Mughals

Em uma versão, o Guru teria sido preso porque Jahangir, o imperador Mughal, tinha ciúmes do rápido crescimento da fé Sikh. Outra versão sugere que o Guru se tornou um bom amigo de Jahangir. Nesta versão, era um banqueiro rico chamado Chandu Shah que tinha ciúmes do bom relacionamento entre os dois homens e era o responsável pela prisão do Guru.

A chegada do Guru Hargobind.

Quando ele chegou ao Forte Gwalior, Guru Hargobind foi saudado por 52 Rajas Hindus que se opuseram aos Mughals. Quando Jahangir descobriu que Guru Hargobind era inocente e inofensivo, ele decidiu libertar o Guru. No entanto, este último recusou-se a sair, a menos que os 52 Rajas também fossem libertados.

Um acordo foi alcançado, e os Mughals prometeram que iriam libertar qualquer Raja que pudesse segurar o vestido do Guru. Parecia impossível que todos os 52 Rajas fossem capazes de manter o vestido do Guru e, portanto, obter sua liberdade. Guru Hargobind, no entanto, veio com uma solução engenhosa e tinha um vestido especial feito com 52 longas tiras presas a ele. Como resultado, o Guru conseguiu obter liberdade para todos os Rajas cativos.

  • Os textos sagrados hindus sobre as origens humanas
  • Templo Sree Padmanabhaswamy: adegas secretas criam o templo hindu mais rico da Índia
  • As origens mitológicas de Holi: festival antigo e colorido do sul da Ásia

Para comemorar esse evento, todos os anos no Diwali, os Sikhs iluminam o Templo Dourado em Amritsar e fazem uma exibição de fogos de artifício. As festividades também são realizadas por Sikhs fora da Índia. Pode-se argumentar que Diwali é um festival que visa trazer à tona o que há de melhor nas pessoas, onde quer que estejam.

Imagem composta de fogos de artifício sobre o Templo Dourado, Amritsar, Índia. ( CC BY 2.0 )

Imagem em destaque: Velas sendo acesas para o festival de Diwali.

Por Ḏḥwty


Significance Of Diwali & # 8211 Festival of Lights, Victory and Freedom

Diwali, uma festa de 5 dias de luzes, vitória e liberdade, vai do 13º dia da metade escura do mês lunar Ashvina até o segundo dia da metade clara de Karttika. Nesse período de tempo, você notaria uma mudança em todos. Você notaria que todos estão dispostos a celebrar uma causa que é justa e importante. Este festival convida a Deusa Laxmi a aderir ao significado sânscrito da palavra como “fileira de luzes & # 8221.

Nestes dias, lamparinas de barro são enchidas e acesas, rangolis são feitos mostrando a união entre os membros da família e sua criatividade para fazer coisas que lhes interessam além do nível de experiência que possuem. Dá para ver a troca de roupas, doação de doces, festejos, decoração de casas por toda luz.

Este festival originou-se da Índia, mas depois espalhou suas asas por todo o mundo para diferentes países ocidentais e europeus, como Nepal, Sri Lanka, Cingapura, Malásia, Maurício, Fiji, Suriname, Guiana, Trinidad e Tobago. Este festival é incentivado por muitos. Acredita-se que este festival mostra o triunfo do bem sobre o mal. Na parte norte da Índia, esta ocasião marca o retorno do Deus Rama e da Deusa Soya à cidade de Ayodhya após derrotar o demônio Ravana.

Rangoli são alguns belos padrões feitos no chão em quase todas as casas do país e em outros lugares com uma substância pulverulenta. Acredita-se que desenhar rangoli traz riqueza e boa sorte. A noite mais agradável é aquela em que todos queimam fogos de artifício. Parece celestial e você terá a sensação de aterrissar no céu depois de todas as tarefas poderosas que realizou durante o ano inteiro. Você encontrará paz celebrando de uma maneira que deseja superar todos os dias e noites tristes pelos quais passou. Você comemora esses dias com seus favoritos.

A liberdade que nossa série deu pode ser sentida até hoje. Depois da comemoração, você certamente perceberia que os dias agitados haviam acabado, enquanto o clima de comemoração era de loucura. Este festival traz felicidade refletida nos rostos de seus filhos e de outras crianças, por mais tristes que possam estar na noite anterior por causa de outras coisas diferentes.

Conhecimento bônus & # 8211 Confie em seus ancestrais. Seus colegas ainda têm fé em suas palavras de que a Deusa Laxmi visita as casas que são suficientemente limpas. Você também pode iluminar as escadas e seus interiores para ajudar a Deusa a encontrar o caminho.

Partha Sarathi Mishra

O Dr. Partha Sarathi Mishra é um oficial sênior do IAS no Governo de Odisha, ex-secretário adicional no Departamento de Educação Superior e atualmente trabalha como secretário adicional no Departamento do Interior do Governo de Odisha.


Significado e significância de Diwali

Diwali é derivado das palavras sânscritas “Dipavali” em que “Dipa” se refere a “Diya” ou uma lâmpada, vela ou lanterna e “avali” significa uma linha contínua, portanto traduzida como uma linha ou série de luz.

Uma das conotações mais significativas de Diwali é ser um símbolo de conhecimento ou luz iluminando a escuridão da noite. Portanto, é celebrado como a ocasião em que a ignorância é superada pela luz do conhecimento e da sabedoria. Diwali também marca o final do mês lunar, Ashwin e o início do mês de Kartika de acordo com o calendário hindu.

No entanto, Diwali não é celebrado apenas pelos hindus, mas também pelos jainistas como o dia da libertação espiritual final de Mahavira. Os sikhs celebram como “Bandi chhor divas” ou o dia em que seu venerado santo Guru Hargobind foi libertado da prisão pelo imperador mogol. A comunidade bengali celebra Diwali como Kali Puja, no qual adora a Deusa Kali. Entre a população nepalesa da Índia e do Nepal, este festival é conhecido como “Tihar” e entre os budistas é chamado de “Swanti”.

Diwali - suas várias histórias de origem

A história da origem de Diwali remonta ao Ramayana. O Senhor Rama, a encarnação do Senhor Vishnu, era o governante legítimo de Ayodhya, mas devido a algumas políticas familiares, ele foi enviado para “Vanvaas” junto com sua esposa Sita. Vanvaas deu a entender que foram forçados a viver na floresta como ascetas por um período de quatorze anos. Vendo essa injustiça acontecer com Rama, seu irmão Lakshmana insistiu que ele se juntasse a seu irmão e sua cunhada para seus Vanvaas.

O Senhor Rama encontrou muitos amigos e inimigos, durante este período, o mais falado sobre ser Ravana um poderoso governante do Sri Lanka. Ravana se apaixonou por Sita e quando soube que ela era casada, cega por seu poder, ele a sequestrou. O Senhor Rama ficou furioso e com a ajuda de seu irmão e devoto ardente, o Senhor Hanumana, junto com outros aliados, derrotou e matou Ravana.

Depois de muitas provações e tribulações, ele recuperou sua esposa e logo seu período estipulado na floresta também terminou. O Senhor Rama, sendo um líder justo e benevolente, foi recebido em Ayodhya com numerosos diyas, como um retorno triunfante do Rei legítimo.

Foi esta noite que mais tarde veio a ser celebrada como Diwali, a noite em que a luz venceu a escuridão e o triunfo do bem sobre o mal. Entre os hindus do sul da Índia, este dia marca a vitória do Senhor Krishna. Outra encarnação do Senhor Vishnu, o Senhor Krishna disse ter derrotado e matado o demônio Narakasura.

Este demônio era o rei de Pragjyotishepura e havia causado estragos entre seus súditos. Sendo um governante excepcionalmente poderoso, ninguém se atreveu a se opor a ele, portanto, o Senhor Krishna desafiou e matou o demônio, resgatando também dezesseis mil mulheres mantidas em cativeiro por Narakasura.

Diwali, também conhecido como Lakshmi Puja, está associado à deusa da prosperidade e riqueza. A Deusa Lakshmi nasceu de “Samudra Manthana”, que era a agitação do oceano pelos “Devas” ou Deuses e os “Asuras” ou Demônios.

O oceano foi agitado usando o Monte Mandara como a vara de agitação e “Nagaraja Vasuki”, ou o rei da cobra foi usado como a corda de agitação. Uma série de coisas divinas foram liberadas como resultado desse Manthana e a Deusa Lakshmi também nasceu desse evento. Diwali, portanto, comemora o dia em que a Deusa Lakshmi escolheu se casar com o Senhor Vishnu.

Nas regiões orientais do subcontinente indiano, os hindus celebram o Diwali em reverência à deusa de “Shakti” ou poder, Kali Mata. Entre certas famílias de comerciantes e mercadores da Índia, Diwali também celebra a deusa Saraswati, ou a deusa do conhecimento, aprendizado e sabedoria. Kubera, ou o Deus responsável pela tesouraria divina, contabilidade e gestão de capital, também é adorado neste dia.

Diwali entre os jainistas

Entre a comunidade Jain, Diwali é considerado “Mahavira Nirvana Divas”. Este dia marca a morte física de Mahavira, quando ele atingiu o nirvana. Houve dezoito reis que compareceram aos ensinamentos finais de Mahavira e proclamaram que ali reinos inteiros seriam iluminados com lâmpadas, in memoriam da luz espiritual de Mahavira. Este, de acordo com o Jainismo, começou sua tradição de celebrar o festival da luz.

Diwali entre os Sikhs

Diwali marca três marcos importantes na religião Sikh. É o dia em que a cidade de Amritsar foi fundada em 1577.

O próximo da fila é a libertação do Guru Hargobind preso por um imperador mogol. Guru Hargobind era o prisioneiro na Prisão do Forte Gwalior e foi neste dia que ele foi libertado e chegou ao Templo Dourado em Amritsar.

Finalmente, este dia marca o martírio de Bhai Mani Singh em 1738. Bhai Mani Singh recusou-se veementemente a se converter ao Islã, sob o Império Mughal, e também tentou celebrar Diwali, pelo qual foi cobrada uma multa, mas ele não conseguiu pagá-la. Eventualmente, ele foi martirizado e a comunidade Sikh ainda o reverencia na ocasião de Diwali.

A Elaborada Celebração do Festival dos Cinco Dias - Diwali

  1. DhanterasO primeiro dia: Dhanteras é uma palavra composta que consiste em “Dhan” que significa riqueza e “teras” que significa treze. O número treze significa o décimo terceiro dia ou a quinzena de Karthik. Também marca o início dos cinco dias do festival de Diwali.

As pessoas limpam suas casas e arredores durante este dia e colocam fileiras de Diyas ou lâmpadas de barro para iluminar e iluminar o céu noturno. Estas diyas bem iluminadas iluminam os locais de trabalho e as casas. As pessoas compram utensílios domésticos e utensílios especificamente neste dia, pois é considerado auspicioso. À noite, as pessoas oram para a Deusa Lakshmi e Lord Ganesha. Ofertas de doces e flores são feitas às divindades durante a oração.

Diz a lenda que o termo “Dhan” também se refere a “Dhanvantari”, a Deusa da saúde e da cura, que nasceu junto com a Deusa Lakshmi durante o “Samudra Manthana”, o evento da agitação do oceano.

Pessoas que praticam Ayurveda são vistas realizando “Yagya”, ou oferecendo orações à Deusa Dhanvantari durante os Dhanteras.

  • Chhoti DiwaliO segundo dia: “Chhoti” ou pequeno Diwali kis também conhecido como “Narakachaturdashi”. “Naraka” se traduz no inferno e “chaturdashi” é o décimo quarto. Este dia é considerado uma ocasião auspiciosa para a realização de vários rituais, para a emancipação da alma dos sofrimentos do inferno. Em outras palavras, este dia é considerado sagrado para a alma.

Em muitas comunidades hindus, este dia é considerado um momento assustador para iluminar o caminho dos ancestrais mortos, em sua jornada espiritual. As pessoas realizam rituais e oferecem luz, água e orações aos seus ancestrais, por uma vida bem iluminada e pacífica.

“Narakachaturdashi” também é o dia em que os celebrantes compram uma variedade de comidas e doces festivos. Muitas famílias preparam vários itens de confeitaria, como barfis, shreekhand, sandesh e halwa. As lojas são decoradas e vendem vários itens doces, como rasgulla e laddus.

As famílias também visitam seus parentes, amigos e colegas de trabalho durante este dia. Entre algumas das comunidades hindus de Tamil Nadu, Goa e Karnataka, este dia é comemorado quando Diwali e os membros mais jovens da família recebem uma massagem com óleo dos mais velhos da família, após a qual tomam um banho ritual antes do amanhecer.

  • Diwali - o terceiro dia: a quinzena mais escura do festival, Diwali é o terceiro dia em que o festival de cinco dias atinge seu apogeu. Todo o subcontinente indiano é iluminado durante esta ocasião e isso inclui os templos hindu, jainista e sikh.

Os mais velhos da família recebem visitas dos membros mais jovens. Há troca de presentes e gentilezas. Trabalhadores, operários e empregados recebem bônus Diwali de seus empregadores.

As pessoas limpam e decoram seus locais de trabalho durante esse dia. Eles também realizam celebrações de puja durante este dia em seus locais de trabalho. Algumas lojas fecham ou fecham mais cedo para que possam desfrutar mais tempo em família. A principal diferença entre o Diwali e muitos outros festivais hindus é o fato de que, ao contrário de outras ocasiões auspiciosas, as pessoas não jejuam durante este dia, mas em vez disso comem doces e iguarias.

O espírito festivo aumenta à medida que a noite se aproxima. Os celebrantes, ao terminar a preparação, tomam banho e vestem roupas novas. Muitas comunidades preferem usar seus trajes tradicionais e as crianças, podem ser vistas especialmente animadas para o festival de luz e alegria.

Os membros da família finalmente se reúnem para o Lakshmi puja. Orações e ofertas são feitas à Deusa Lakshmi pela família. Outros deuses e deusas como Ganesha, Saraswati, Ram, Laxman, Sita e Hanumana também são adorados e reverenciados durante este puja.

A oração chega a um crescendo com “aarti”. Depois disso, os mais velhos da família dão bênçãos e doces aos mais jovens e agora o puja diya ou lâmpada é usado para acender todos os diyas ou lâmpadas colocados em fileiras na casa. Uma vez que toda a casa e os arredores estão bem iluminados, as pessoas saem e acendem fogos de artifício, trocam presentes e gentilezas com seus vizinhos e parentes. Diwali é a maior celebração, onde todos celebram o festival dando doces e presentes para seus entes queridos.

Entre a comunidade hindu bengali, este dia é celebrado como Kali Puja. A Deusa Kali é o símbolo de “Shakti” ou poder, e o reino do poder supremo sobre o mal. Os rituais e a celebração do Diwali são aparentemente semelhantes aos do Lakshmi Puja e a única diferença é que o foco principal aqui é a adoração e a ênfase na Deusa Kali.

A limpeza e a iluminação das diyas em casa são importantes no Diwali, pois servem para garantir que Lakshmi entre nas casas das pessoas e é uma crença comum que a Deusa Lakshmi presida em casas que são limpas e bem iluminadas. Esta limpeza de casas e escritórios também é um símbolo das monções e do seu processo de limpeza e purificação das áreas circundantes.

  • Govardhan Puja - O quarto dia: O dia seguinte ao Diwali é o início da brilhante quinzena do calendário lunissolar. Este Puja é conhecido por nomes diferentes entre as diferentes comunidades da Índia, a saber:

Este dia tem diferentes histórias de referência e algumas delas são as seguintes:

Este dia é celebrado entre várias comunidades hindus como o dia em que o Senhor Vishnu derrotou o poderoso Bali. Bali era um rei imensamente poderoso e não podia ser derrotado por nenhum ser mortal. Conseqüentemente, os deuses tiveram que descer para derrotar este poderoso rei.

Govardhan Puja também é um símbolo do dia Lord Shiva e sua esposa Deusa Parvati, envolvidos em um jogo de “dyuta” ou dados, em um tabuleiro de doze quadrados e trinta peças. Lord Shiva acabou perdendo o jogo e teve que entregar seus adornos e trajes à Deusa Parvati. Este conto metafórico simboliza a energia feminina pró-criativa.

Os doze quadrados no tabuleiro de dados são o número de meses e as trinta peças, indicam o número de dias em um mês.

Este dia celebra o vínculo entre marido e mulher, em algumas comunidades os maridos dão presentes às esposas. Normalmente, os pais convidam o genro ou a nora e fazem uma refeição em família juntos.

Entre os hindus da região central e do noroeste da Índia, este dia é celebrado como Govardhan Puja, ou o dia em reverência ao Senhor Krishna. Diz-se que o Senhor Krishna salvou as comunidades de fazendeiros e pastores de animais contra grandes enchentes e chuvas fortes. Portanto, montanhas em miniatura de esterco de vaca são feitas para homenagear o Senhor Krishna durante o Govardhan Puja.

  • “Bhai-Dooj” ou “Bhai-Tika - O último dia: O último dia ou o quinto dia do Diwali é celebrado como Bhai-Dooj ou Bhai-Tika, ambos os termos traduzindo literalmente o dia do irmão. Este dia é significativo, pois acredita-se que o Senhor Krishna retorna para sua irmã, Subhadra, após derrotar Narakasura. Subhadra deu as boas-vindas a Krishna com uma "tilaka" ou "tika" na testa, por isso a tradição de aplicar "tika" na testa do irmão continuou.

Também é referido que neste dia “Yama” o Deus da Morte, foi recebido pela sua irmã “Yamuna”, aplicando Tilaka na sua testa.

Este dia se distingue de Rakhi, porque, ao contrário de Rakhi, onde as irmãs amarram o cordão sagrado nos pulsos de seus irmãos, em Bhai-dooj, as irmãs dão as boas-vindas a seus irmãos com Tilaka na testa seguido por uma refeição festiva como em Rakhi. Normalmente os irmãos viajam para a residência da irmã e celebram este dia.

As mulheres da família se reúnem e oferecem orações, pedindo o bem-estar de seus irmãos. Após a sessão de oração, eles oferecem aos seus irmãos refeições especiais que eles prepararam para esta ocasião. Em troca, os irmãos dão presentes e dinheiro às irmãs e o dia chega ao fim.

Diwali, portanto, pode ser denominado, não apenas como uma função religiosa, mas tem um impacto definitivo na infraestrutura socioeconômica do país. Vários setores de negócios obtêm melhores lucros durante este festival, já que as pessoas fazem alarde durante o Diwali, pois é considerado uma sorte investir durante o Lakshmi Puja.

Também existe uma ligação significativa nos círculos sociais, independentemente da religião, casta ou credo, pois o Diwali é o festival de partilha e divulgação do amor e das festividades.


Diwali: o festival das luzes - uma celebração do bem sobre o mal

O Festival das Luzes ou Diwali, que veio de & # 8220deepawali & # 8221 uma palavra sânscrita, é a celebração anual do bem sobre o mal, da luz sobre as trevas. Este festival é importante para várias religiões, não apenas para o Hinduísmo, mas também para o Jainismo, Sikhismo e Budismo. Entre todas as celebrações hindus, esta é a mais brilhante e a maior de todas. De modo geral, este é o momento do retorno do Deus Senhor Rama & # 8217 ao lar após derrotar Ravana, o rei demônio.

Copyright da imagem: mehta123 / 123RF Stock Photo

Diwali é duplamente importante na Índia, pois também marca o Ano Novo Hindu, portanto, na Índia, é considerado um feriado importante. Diwali também é uma grande celebração na Malásia e no Nepal e em todo o mundo, onde as comunidades hindus estão presentes. A principal noite do festival de Diwali é quando há uma lua nova (mês lunisolar hindu Kartik) e o céu noturno é muito escuro, ainda mais dramático porque a queima simbólica de velas e lâmpadas é destacada e os fogos de artifício que se seguem definitivamente vão iluminar o céu.

Quando é comemorado o Diwali?

A observância do Diwali varia anualmente, com base no calendário lunisolar dos hindus, mas geralmente cai em outubro ou em algum momento de novembro. Para 2015, a previsão é que ocorra no dia 11 de novembro, uma quarta-feira. A preparação começa alguns dias antes do evento principal. No total, Diwali é comemorado por cinco dias. Este ano, oito países celebrarão em 11 de novembro, enquanto quatro países celebrarão em 10 de novembro.

Na Índia, há dias festivos em torno de Diwali. Em algumas partes do oeste e do norte da Índia, eles observam o primeiro dia com Dhanteras, seguido por Naraka Chaturdasi. O terceiro dia é Deepawali, enquanto o quarto dia homenageia os casais com Diwali Padva. O quinto dia homenageia os irmãos, em uma festa chamada Bhau-beej.

Itens e tradições envolvidas na celebração do Diwali

Existem muitos itens usados ​​na observância do Diwali. Empregam-se guirlandas de jasmim e calêndula, comida, música, fogos de artifício, lâmpadas e luzes. Diyas, aquelas pequenas lâmpadas de óleo de barro são acesas e usadas para decorar casas em homenagem a Lakshmi, a deusa da riqueza. Rangolis (também chamado de Muggu ou Kolam) são padrões geométricos incríveis e coloridos feitos com pétalas de flores, areia colorida, tinta, giz colorido ou arroz. Eles são usados ​​para decorar as entradas, pátios e salas de estar das casas hindus para receber Lakshmi.

À semelhança da celebração cristã do Natal ou do Ano Novo, trocam-se doces e presentes, saudações e votos de boa sorte ao Diwali também são dados e enviados, agora com maior rapidez e a um maior número de pessoas através das redes sociais. As famílias geralmente preparam refeições luxuosas e muitas pessoas saem para comprar roupas novas para vestir. Jardins são enfeitados e casas passam por uma limpeza completa para ter um novo começo no ano novo. As janelas serão totalmente abertas para que Lakshmi possa entrar em suas casas e trazer prosperidade.

Origem do feriado

Diwali já foi um festival para celebrar a última colheita antes do início do inverno. Os hindus agradeceriam e pediriam as bênçãos da deusa da prosperidade e riqueza, Lakshmi, para o final do exercício financeiro e o início de um novo. Essa tradição é observada até hoje. Existem também várias lendas que descrevem a origem do festival & # 8217s. Alguns acreditavam que era para celebrar o casamento do Senhor Vishnu e Lakshmi.

Significado do Diwali para diferentes religiões

A celebração do Diwali tem um significado especial para diferentes religiões e está associada a diferentes tradições, mitos e eventos históricos, embora o tema principal envolva a luz.

No Jainismo, é o evento que comemora a conquista do nirvana pelo Senhor Mahavira & # 8217. Para os hindus, é o retorno triunfante do Senhor Rama, Sita e Lakshman de um exílio de 14 anos e a derrota de Ravana das mãos do Senhor Rama. Outros hindus interpretam Diwali como o demônio do dia que Narakasura foi derrotado pelo Senhor Krishna ou o demônio do dia, rei Bali, derrotado ao mundo inferior pelo Senhor Vishnu.

Os Sikhs celebram Diwali para marcar o dia em que Guru Har Gobind retornou com sucesso ao Templo Dourado de Amritsar & # 8217s após sua fuga da prisão de Jahangir, um imperador Mughal. Para os budistas, Diwali é o dia em que o imperador Ashoka se converteu ao budismo.

Diwali é uma ocasião alegre e tradicionalmente envolve uma grande celebração. Seu significado é profundo. Iluminar as casas com lâmpadas de lâmpadas de óleo de barro ou mesmo velas e usar fogos de artifício para iluminar o céu simbolizam obediência aos céus para a aquisição de prosperidade, paz, conhecimento, riqueza e saúde. Das trevas à luz - é um símbolo de encontrar uma nova esperança e razão, um compromisso renovado de fazer o bem e trazer luz à sua alma.


Por que os recursos visuais são importantes para o feriado

Os devotos hindus celebram o Diwali desde pelo menos 1AD. As antigas escrituras hindus Padma Purana e Skanda Purana registram a primeira celebração conhecida. Embora o Diwali seja, em sua essência, um feriado religioso, e a adoração e a honra sejam reservadas à deusa Lakshmi, o Diwali também mostra como os elementos comemorativos são importantes para os olhos. Ouro, roupas, rangoli em uma variedade de cores e uma casa limpa são coisas que os hóspedes do Diwali podem ver. Portanto, capturá-los adequadamente durante as celebrações é imprescindível.

Sendo uma das celebrações mais importantes de uma das maiores religiões do mundo, coloca Diwali em um radar globalmente dominante. Capturando adequadamente tradições centenáriasenquanto entende suas origensé uma necessidade para qualquer fotógrafo, artista ou cinegrafista. Os hindus colocam seu orgulho e alegria em adorar a deusa Lakshmi com reuniões de Diwali, e os artistas podem retratar isso de maneira adequada, uma vez que saibam quais marcadores brilhantes e coloridos do dia procurar.


1. Diwali é o festival religioso mais importante celebrado pelos seguidores do hinduísmo. Também é chamado de & # xa0Divali, Deepavali ou Deepawali& # xa0e é comumente referido como o Festival das Luzes.

2. O Festival das Luzes celebra o Ano Novo Hindu. É uma celebração da & # xa0 vitória da luz sobre as trevas e do triunfo do bem sobre o mal. & # Xa0

Decorações de Diwali em Mumbai

3. Este festival pode durar até cinco dias. Diwali ocorre todos os anos no final de outubro ou início de novembro, dependendo do ciclo da lua. O festival começa dois dias antes da chegada da lua nova. & # Xa0

Em 2020, as celebrações do Diwali vão de 12 de novembro a 16 de novembro. As principais celebrações acontecem em 14 de novembro de 2020.

Deepavali Street Decorations em Cingapura

4. O nome Deepavali origina-se do antigo idioma sânscrito indiano e significa 'fileira de luzes'. 'Dipa'significa' Luz 'e'Avali'é a palavra para' linha '.

5. Existem várias lendas que se referem ao festival. Eles tradicionalmente envolvem os deuses hindus Rama, Lakshmi ou Krishna. Todos eles celebram a vitória do bem sobre o mal e este festival é uma celebração de esperança, felicidade e paz.

Família comemorando Diwali com estrelinhas

6. Originalmente, o Diwali era celebrado como um festival da colheita na Índia, mas hoje o Diwali é celebrado como o Festival da Luz pelos hindus em todo o mundo.

Este festival é comemorado com estrelinhas, fogos de artifício e fogos de artifício são realizados em muitos lugares.

Diwali Fireworks em Varanasi / Índia

7. No Diwali, é tradição decorar e iluminar as casas, visitar o templo local para orar e compartilhar as refeições com familiares e amigos. As crianças ganham pequenos presentes e doces. A comida tradicional de Diwali inclui doces como o delicioso xarope & # xa0gulab Jamun& # xa0balls e outros doces indianos exibidos abaixo.

Doces Diwali (sentido horário a partir do canto superior esquerdo): Gulab Jamun, Karanji, Bundi Ladoo, Rasgulla e Kaju Katli

8. Acender velas, lamparinas e faíscas são os principais costumes deste festival. Índios luz diyas& # xa0que são castiçais ou lâmpadas de argila usados ​​para decoração.

Casas e edifícios também são decorados com Rangoli decorações feitas com flores, areia colorida ou mesmo arroz colorido, farinha ou especiarias. & # xa0

Decorações de flores rangoli em uma casa

9. As estátuas de Lakshmi, a deusa hindu da prosperidade com quatro braços, e de Ganesha, o senhor hindu do sucesso geralmente referido como o 'Deus Elefante', também são apreciadas e decoradas com flores em muitas casas.

Diyas são normalmente colocados

10. As maiores celebrações do Diwali fora da Índia acontecem no distrito de Little India, em Cingapura, bem como em Londres e Leicester / Reino Unido, Sydney / Austrália e Toronto / Canadá, onde algumas estradas principais são decoradas com luzes e a comunidade hindu se reúne e exibe tradições e artesanato indianos e comida indiana em feiras e festivais.

Sikhs, jainistas e budistas também celebram o ano novo com um festival de luz nessas datas, mas têm diferentes lendas e tradições referentes ao evento.

Celebrações de Diwali em Leicester, Reino Unido

O FESTIVAL DAS LUZES - DIWALI

Traga alguma luz para sua vida e celebre o Diwali este ano. Diwali is a five-day festival which is celebrated by Hindus, Sikhs and Jains all around the world and originated in India. Nearly one billion people celebrate Diwali every year! This year Diwali will be celebrated on 14 th November. The dates change every year as the festival is based on the lunar calendar.

Why Is Diwali Celebrated?

The word Diwali originates from the Sanskrit work deepavali, meaning row of lighted lamps. It is the celebration of Ram and Sita (Hindu deities) returning to Ayodhya after their 14 year exile. The people of Ayodhya lit up the city with candles and oil lamps, called diyas, so they could find their way back home. It is the celebration of good triumphing over evil as Rama defeated king Ravana.

The lights and lamps are said to help Lakshmi find her way into peoples’ home. Lakshmi is the goddess of wealth, purity and auspiciousness. Hence, the lights welcome Lakshmi and prosperity in the year to come!

How Can You Celebrate Diwali?

Rangoli is a popular Diwali tradition which is a design that is made with colourful powders, rice or flowers on the floor outside of your home to welcome guests. This is the perfect activity for you and your friends or your children to celebrate Diwali. You can get really creative and come up with your own patterns!

Diwali is the perfect time to enjoy time with your friends and family. People often get together to feast, exchange gifts and sweets. If you are feeling adventurous try my personal favourite Indian sweet, the gulab jamun! They are berry sized milk based sweets covered in a sugar syrup. If you have a sweet tooth, gulab jamun will be a massive game changer for you.

Another tradition is to wear new clothes and watch firework displays. With coronavirus, you might not be able to catch a firework display but fear not! Get some sparklers and light them up in your back yard. As a child this was my favourite part of celebrating Diwali.

The 5 Days Explained

Each of the five days signify something different so here is a break of what each day means:

The first day is known as ‘Dhanteras’. Being one of the most auspicious days in the year it is a custom to purchase something precious. People clean and decorate their homes on this day.

‘Naraka Chaturdas’ or ‘Kali Chaudas’ is celebrated by taking a holy bath and wearing new clothes to remove all sins and impurities.

14 th November – Day Three

The third day is the main Diwali festival. This day is celebrated by performing ‘Lakshmi Puja’, worshipping the Goddess Lakshmi, which brings good fortune. Lights are placed around the house and families exchange gifts with each other.

The fourth day is ‘Govardhan Puja’ or ‘Padva’. It is the day when Lord Krishna defeated Indra by lifting the huge Govardhan Mountain.

The last day is known as ‘Bhai Dooj’. Sisters pray for long and happy lives for their brothers and invite them over for a meal. Brothers usually give gifts to their sisters on this day.

Will you be celebrating Diwali this year? Share your rangolis with us on Instagram (@loveyourselfhq)


The Sparkling Genesis of a Historical Partnership

What is it that makes epic diamonds so inextricably a part of Diwali? Interestingly, the story of diamonds and Diwali go a long way back and begins with the exciting chase for the mysterious Symantaka diamond, the most beautiful and powerful of all gems. It was this diamond that brought Lord Krishna and his wife Satyabhama together after an arduous battle for the precious diamond. Lord Krishna retrieved it after many battles and returned it eventually to the grateful owner, Shatrajit who gave his beautiful daughter Satyabhama in marriage to Krishna. While the Symantaka diamond married Krishna with Satyabhama, the couple found themselves embroiled in another dramatic episode, connecting them to another set of diamonds, when together, they retrieved it and vanquished the demon Narakasura on Diwali day.

The Origins of Chhoti (small) Diwali : Paved with Diamonds, War and Love

Chhoti Diwali is the day that reminisces the glorious defeat of Narakasura – the ultimate triumph of good over evil and grace over greed. The love story of Lord Krishna and Satyabhama leads several years later to the scintillating tale of Naraka Chaturdashi ou Chhoti Diwali, the second day of the five day long Diwali festival. This is the day the demon Narakasura, was killed by none other than the fiery Satyabhama with help from Krishna. Assuming invincibility because of the boon by Lord Brahma, that he could only be killed by his ‘mother’ Bhumidevi, Narakasura attacked and conquered the three worlds. Defeating Indra, the King of Gods, he plundered Devlok* and unceremoniously stole the heavenly diamond earrings of Goddess Aditi, the Mother of the Devas: precious jewels so brilliant that they glowed even in the dark.

The fierce Satyabhama soared through the sky mounted on an eagle, firing multiple arrows to vanquish the demon Narakasura and recover Goddess Aditi’s heavenly diamond earrings.
Jewellery: Harakh

Aditi rushed to Satyabhama for help. Satyabhama took matters into her own hands and sought Krishna’s aid to attack the Asura king. Krishna, aware of Narakasura’s boon and knowing that his wife was an avatar of Bhumidevi, decided to help Satyabhama as her charioteer in her battle against the Demon King. Symbolising the ultimate partnership of a couple in both love and war, they together defeated him in a long drawn war, recovering the stolen diamond earrings and releasing the princesses held captive by Narakasura.

Besides the victory of good over evil, this story illuminates the strength of love through something as rare and beautiful as a real diamond: the perfect partnership.

Rituals Celebrating Love and Light

Diamonds have remained the epitome of beauty and grace, purity and strength since time immemorial and continue to extend their exuberance to the spirit of Diwali today.

The five day festival of lights begins with Dhanteras** the day when people light diyas – to drive away the darkness of Amavasya ‘the new moon day’ on which Diwali is observed every year, making it sacred and auspicious with its underlying significance of light banishing the forces of darkness. There is a timeless tradition that comes packed with the festivities on the auspicious day of Dhanteras – purchasing gold and offering prayers to Goddess Lakshmi to invoke her blessings.

Today, the ritual has evolved to include gifting gold and diamond jewellery as a token of love to those closest to you. The tradition has been followed not only to welcome prosperity and joy to one’s life but also as a way to fend off bad omens and negativity.

It is strongly believed that the purchase of gold on the first day of Diwali ‘Dhanteras’ is an auspicious investment that will bring prosperity, wealth and good fortune bestowed by Goddess Lakshmi. The festival also witnesses the exchange of gifts including sparkling gold & diamond jewellery.
Jewellery: Neha Lulla Jewellery

Diwali, diyas, gold and diamonds together usher in big bling time. The festival offers multiple occasions of dressing up through the five days to don your gems and diamond jewellery in your traditional best. As dispelled by the flickering diyas: or the flashing natural diamonds, their sparkle and light ushers in fresh hope and good fortune. Probably why, unlike other Amavasyas, this day is believed to be more auspicious to begin new ventures or buy new valuables.

A diamond for love, a diamond for celebration: diamonds have been reflecting everlasting love and triumphing light over darkness for thousands of years, making the gem a symbol of hope and wonder throughout history.

*Devlok – a realm of eternal light and goodness where the gods exist.
**Dhanteras – The thirteenth lunar day in the Hindu calendar month of Kartik – the first of the five days of the Diwali celebration. ‘Dhan’ means wealth and ‘teras’ means thirteen.


Diwali Or Deepavali. . . A 'Festival Of Lights' . . . Triumphant Victory Of Good Over Evil

This article is re-printed from Yeshu Samaj website.

True Internal Diwali / Deepavali

Diwali, also known as Deepavali, is a 'festival of lights' celebrated especially by Hindus, Sikhs and Jains . This festival is spread over three to four days and is one of the most anticipated times of celebration. Homes are lit with hundreds of deeya (clay oil lamps) during the season, to signify victory of good over evil. The day of Diwali is the highlight of this celebratory mood. Families get together to start the day with oil baths, then exchange gifts and sweets, followed by the most exciting event of the year - family fire works. Fireworks begin before the crack of dawn and go well into the day. No amount of description is sufficient to capture all the excitement and celebrations associated with the Diwali festival. You have to be there to experience it.

Our traditions have several recorded stories of the triumphant victory of good over evil , and they are usually symbolized in the death of Ashuras (evil individuals with supernatural powers, who terrorize the innocent). Diwali is usually associated with either the return of Ram after vanvas (after defeating the Ashura Ravan), or Krishna 's defeat of Narakasur (another Ashura). In many places, the awesome show of fireworks occurs when huge, firecracker-filled, effigies of Ravan are destroyed, symbolizing the destruction of the evil Ravan. Inherently inclined to introspection, the Eastern mind also associates this with defeating the evil within - an act of self-purification. Many movie plots and modern spiritual teachings reflect this theme of removing the Ravan (evil) from within, so that we simply have Ram (good) within.

All celebrations aside, have we seriously attempted the removing of all evil from within? Have we succeeded in vanquishing the evil within us? Are just human efforts sufficient to overcome evil? I don't know how far you have gone. It is between you and God to determine that. But, after several years of introspection and attempts at self purification, I realized that I was just beginning. Then I looked around and rubbed shoulders with people who were farther along the way than me, and, they were in the same boat as me.

Let's even take one of the noblest men from recent history, Mahatma (super soul) Gandhi, who is a role model in this pursuit of self-purification. Mahatma Gandhi led a great life, and I admire his dedication to pursue truth. In the final chapter of his autobiography My Experiments with Truth, titled 'Farewell', he states, "But the path of self-purification is hard and steep. To attain perfect purity one has to become absolutely passion-free in thought, speech and action to rise above the opposing currents of love and hatred, attachment and repulsion. I know that I have not in me as yet that triple purity, in spite of constant ceaseless striving for it. But I know that I have still before me a difficult path to traverse …"

Well, if our Mahatma Gandhi, who got the title Mahatma (super soul) for his great life, sincerely states that he still has a difficult path ahead, what does that mean for you and me? How much hope do you and I have? Will we ever be able to fully vanquish the Ashura (evil) within? Is this why we think we need several lifetimes to get this right? Is there another approach to this? Well, the good news is that there is God's approach, that is available for us explore, where the Ashura within us is defeated with God's strength, not ours . Perhaps, learning to apply this purification might be the best Diwali Gift ever. Let us unveil this mystery.

The Ashura (Evil) within is more complex than the external entity. To secure permanent freedom for us, God has to deal with our accumulated karma (past), and has to give us the ability to defeat our tendency to give into evil (present). This victory over our past was accomplished when Yeshu, the immortal God, took upon himself the full blow of punishment reserved for us and faced death on our behalf. Yeshu opened the door for Pavitra Atma (God's Atma) to come and live within us after his resurrection (came back to life after conquering Death). When the Pavitra Atma comes to live in us, we have God as the Internal Guru who grants us power over evil in each of our circumstances through out life. By continuous surrender to the guidance of the Internal Guru, we get victory over the internal Ashura in every circumstance . When God enters our life, we begin a new life with a clean slate, with power to overcome evil in all circumstances.

God loves us so much that He decided to intervene to grant us this True Internal Diwali.

If I do not have sufficient words to describe the festivities and excitement of a three or four days Diwali festival, I have to admit that I am way over my head to even begin to describe the festival that lasts for eternity – Yeshu Diwali. Thankfully, God knows our inadequacy to even articulate such marvelous truths and has provided us with His inspired Word, which gives us a glimpse into what I am taking liberty to call Yeshu Diwali.

When we surrender to the leading of Pavitra Atma, we will be able to sincerely say this: "For God, who said, 'Let light shine out of darkness', made his light shine in our hearts to give us the light of the knowledge of the glory of God in the face of Yeshu . But we have this treasure in jars of clay to show that this all surpassing power is from God."

Unlike the Diwali festival, where you have to be there to experience it, to experience Yeshu Diwali - you have to allow Yeshu to manifest in you. You have to make the choice to personally invite Yeshu (the Light) to ignite you in order to experience Yeshu Diwali. When it comes to this internal Diwali, we are just like the clay lamps that don't have light in themselves we have to be lit by the Light (Yeshu) who has victory over Evil. The Light has to shine in our hearts to give us the experience. As it is said about Yeshu, ‘The Light shines in the darkness, but the darkness can never extinguish it’.

Wish you a Happy Yeshu Diwali. Come, celebrate the vanquishing of the Ashura within.


About Diwali

Diwali is known as the festival of lights in India. Traditionally, it is one of the most revered occasions celebrated by Hindu, Jain, Buddhists and Sikhs communities. They commemorate Diwali as the victory of lights over darkness, which in literal sense, means that no matter how powerful an evil force it is fated to meet with its end finally. Today the Indian Festival of Diwali has become a worldwide phenomenon called as festival of lights. It is hailed in symbolic row of clay-prepared lamps called diyas, according to Skanda Purana. During the occasion, indoor and outdoor places are given spotless cleanliness. Diyasand colorful bulbs arelit around every corner of homes to greet Mata Lakshmi on Diwali.

Every festival of India bears a certain kind of mythological connection, and Diwali is also one of the fiestas bearing a religious and mythological linkto the goddess Laxmi and Lord Ganesha. Both the deities signify fortune, knowledge, wisdom, prosperity and spiritual enlightenment.

History of Diwali

The festival of Diwali is a harbinger of harvest season, a trend pioneered in the ancient India. The religious books of Skanda Purana e Padma Purana, written in Sanskrit texts, tell a detailed account of Diwali or Deepavali. Skanda Purana has referred the festival as the source of life-sustaining cosmic energy and light.

Another historical reference of Diwali is found in Sanskrit play of the King Harsha’s Nagananda in which the festival is named as Deepapratipadutsava. The translation of this name is light of first day festival. It is said to have originated because newly wedded couples were offered lit-clamps as gifts.

A well-known Sanskrit poet, by the name of Rajashekhara mentioned, in his Kavyamimamsa about Diwali. He called it a tradition in which people whitewashed their homes and adorned their home environment, streets, and markets with oil lamps in the night.

Al Biruni, a Persian traveller and historian, mentioned Diwali as the festival of Hindu held on the appearance of New Moon in Kartika month.

History also says that Mughal emperor Akbar gave Diwali a due honor and participated in the festival without discrimination. Sir William Jones, a noted philologist, also mentioned in his book, The Lunar Year of the Hindus, about Diwali, calling it a five-day festival held in the period of Aswina-Cartica.

Reasons why Diwali is celebrated

  1. From the standpoint of ethics, the reason to celebrate Diwali points to the direction of its moral messages, such as victory of light over darkness, triumph of knowledge over ignorance, e conquest of good over evil force.
  2. Diwali is celebrated with utmost religious adherence and ritual grammar in conjugation with the traditions the festival aligned with it. According to a popular tradition, the reason to celebrate Diwali is because this day marked Lord Rama’s victory over demon Ravanaas mentioned in the epic, Ramayana. According to Ramayana, when Lord Rama was serving exile for 14 years in the jungle with his younger brother, Lakshmana, and wife Sita, the tyrant king of Lanka, Ravana, driven by the lust of power and arrogance, abducted Sita, leaving Rama no option but to retort so as to break free his wife from the clutch of Ravana. This ultimately led to a pitch-war between Rama and Ravana. The war finally concluded with Ravana being killed by Rama, and Sita being freed from his captivity. The victory of Lord Rama was celebrated with great pomp and shows by the subjects of Ayodhya on return of Rama, Lakshmana and Sita.
  3. Diwali is celebrated because the associated deity of the festival,Laxmi, was born out of churning of the cosmic ocean, the process called Samudra manthan. The deity wedded to Lord Vishnu which later was commemorated with great splendor leading to festivity of Diwali thence.
  4. De acordo com Vaishnavism Tradition, goddess Lakshmi is considered Supreme Divine Being as goddess of wealth and prosperity. She is the consort of supreme Lord Vishnu. During Samudra Manthan, Laxmi came in her first incarnation during Amavasya of Kartik month. Therefore, Diwali is celebrated as the birthday of goddess Laxmi, considering she came into being from churning of cosmic ocean.
  5. Another reason for celebrating Diwali relates to the fifth incarnation of Lord Vishnu as Vamana in order to rescue Laakshmi from the captivity of King Bali.
  6. The celebration of Diwali has its mythological account with the incident involving Lord Krishna when he killed Narakasura, the ruler of the kingdom Pradyoshpur. The son of BhooDevee, Narakasura was a tyrant king. The boon of Brahma made him omnipotent. Blinded by his power and pride, he held captive of 16,000 women. The intervention of Lord Krishna to put an end to the tyranny of Narakasura came into light when celestial bodies pleaded him to kill the despotic king. Krishna, with his wife, Satyabhaamaa, engaged in pitch battle with Narakasura. The war concluded with Narakasura’s ending at the hands of Satyabhaamaa.
  7. According to Mahabharata, when Pandavas (Yudhishthira, Bhima, Arjuna, Nakula, and Sahadeva) completed their exile for 13 years as a result of banishment sentenced by Kauravas in the aftermath of their defeat in the game of dice, their return was celebrated with Diwali by the subjects of Hastinapura.
  8. Diwali is also celebrated to commemorate coronation of the greatest king of Ujjain, Vikramaditya, who sreigning is considered the best of all rulings ever happened in India.
  9. Diwali marks the day when the founder of Jainism, Mahavir Tirthankar attained his Nirvana or omniscience, when he was 42.

Diwali – Festival of Lights

Diwali is the festival of lights. It is a symbolic festivity broadly acknowledged all across India and on the world stage. This is the day marking the inception of auspiciousness. It is believed to promote the doctrine of victory of light over darkness or triumph of good over evil force. Today Diwali is a worldwide fiesta celebrated with great honor for deity Laxmi and lord Ganesha.

The Diwali Panch Parva Festival of lights, Diwali is also harbinger of spotless cleaning conspicuous when people clean their homes, utensils and ensure sanitation of every nook and corner of the streets during the day.

On the second day, people are seen giving eye-catching decorative styles to their homes, including clay lamps and various design patterns called Rangoli and also tiny colorful light bulbs. The worship of goddess Laxmi is held during third day of Diwali in which prayer is offered to goddess Lakshmi and lord Ganesha with sweets, flowers, chants of mantras and Aarti.

It is said that Laxmi Poojan during Diwali brings forth infinite growth in the financial aspect of your life, meaning boundless prosperity and growth happen in the life of devotees if Mata Laxmi and Lord Ganesha are worshipped under proper rituals. Consult to PavitraJyotish for Lakshmi and Ganesh Poojan on Diwali.

The fourth day of Diwali involves friends and relatives visiting each other’s place with gifts and Diwali greetings. Diwali festival is wrapped up on fifth day during which brothers pay visit to the homes of their married sisters and enjoy lavish meal.

Diwali Celebration and Maa Lakshmi Puja

Diwali is mostly recognized with lights and worship of goddess Laxmi and lord Ganesha. In addition, the day is harbinger of peace and prosperity for devotees enabling them to bask in forever happiness. Diwali celebration involves worship of goddess Lakshmi considered the Supreme Divine Being born out of churning of cosmic ocean. She wedded to Lord Vishnu.

Also called DHANLAKXMI, goddess Mata Laxmi is offered prayer and greetings by devotees during the occasion of Diwali. In some parts of India, the idols of Mata Lakshmi are worshipped and immersed during the conclusion of the festival.

Regarded as goddess of boundless fortune, Maa Lakshmi is believed to bless the devotees with material and spiritual opulence. She removes their obstacles, enabling them to enjoy each and every moment of their lives with peace and luxury.

It is believed that Lakshmi Poojan during Diwali is auspicious as the deity is invited to the homes of devotees to partake with valuable gifts and blessings of peace and prosperity. On the night of Diwali, goddess Lakshmi roams the earth and feels invited to the home that is decorated with light bulbs and diyas placed at doorsteps, windowsills and every corner of the residence. Apart from goddess Laxmi, prayer is offered to Lord Ganesha and Kubera. Mata Laxmi is symbolized by wealth and prosperity which is why importance of Lakshmi Poojan during Diwali is higher.

The story of Why Laxmi and Ganesha Both Are Worshipped On Diwali

There is a mythological tale as to why Lakshmi and Ganesha both are worshipped during Diwali. As the story goes by, once Mata Laxmi was preoccupied with vanity that she is the only divinity of wealth and so, she went on extolling herself in front of Lord Vishnu, her husband. At this, Bhagwan Narayan made Mata Laxmi understand that a woman full of whatsoever virtues is not considered complete until she bears progeny.

The implication was that since Laxmi was without the virtue of motherhood, she, therefore, was not complete. This explanation of Lord Vishnu apparently saddened Mata Laxmi and then she sought the help from goddess Parvati, the consort of Lord Shiva. Mata Laxmi pleaded Mata Parvati to let her adopt one of the two sons of her (Parvati) so that she could be blessed with motherhood.

Reluctance soon engulfed Mata Parvati as she knew that Lakshmi Mata has the tendency of moving from one place to another too frequently, a reason that deeply concerned Parvati if she allowed Laxmi to adopt one of her sons or not, because child needs continuous caring, while Laxmi is never constant.

However, when Mata Laxmi assured Mata Parvati that she would take a good care of the child and bless him with all happiness. Convinced Parvati then agreed to let her adopt her son, Ganesha. Elated Laxmi blessed Ganesha to have happiness and prosperity. He was also granted the boon to be worshiped first during Diwali. Lord Ganesha is symbolized by knowledge and wisdom while goddess Lakshmi is symbolic of wealth and prosperity.

Experiencing Diwali Festival in India

India is enkindled in colorful vibrancy of diya lamps and colorful bulbs during Diwali. This explains why visiting the country during the occasion of Diwali is an experience that will remain imprinted on your memory lane, giving you a nostalgic experience of the festivity throughout your life. This is the occasion India witnesses the unity in diversity. The whole ambience is dressed in twinkling and shining lights, marking Diwali as one of the most revered occasions. Elation blooms in the hearts of devotees by celebrating Deepavali with great pomp and shows.

In Goa, there is an age-old tradition of burning the effigy of demon Narakasura, an activity that marks triumph of good over evil force. No Mumbai, one can spot the never-forgettable splendor of the city’s sky witnessing a row of fireworks busting into pulsating sparks, glittering and illuminating the night sky beautifully.

No Odisha, Diwali is celebrated with special regards, a tribute offered to one’s forefathers. The festival is started by lighting jute sticks and family members of devotees chant mantra in tribute to their forefathers praying for their peace and salvation.

No Kumaon of India’s Uttarakhand State, celebration of Deepawali is celebrated as devotees paint thresholds of their homes in red using the art called Aipan. This art involves Geru a thickly-built pattern placed on the doorsill and is painted with rice solution to red patterns, a symbolic gesture to welcome advent of Diwali and Mata Laxmi to home. People also draw footprint of the deity in beautiful patterns on Diwali.

Jaipur in Diwali becomes at the height of its beauty with Jaipur Shopping Festival, a celebrated organized on Diwali in which traders partake to carry out promotion of their trades in Rajasthan. Besides, cultural shows and performances are also organized in the city during the festival of Diwali.

Therefore, from Kolkata to Mumbai and all parts of India, experiencing Diwali festival in the country is an experience that will never fade into oblivion in your memory lanes.

Our offers

As a leading professional establishment for accurate and reliable solutions in astrology, PavitraJyotish offers a myriad of products and service solutions dedicated to wellbeing of your life in its every aspect, such as health, career, finance, marriage, business, love relationship, and other personal ones.

Our Diwali Laxmi puja offers for devotees and our esteemed clients involve detailed puja according to specific time of Muhurta. We carry out Laxmi puja with rituals such as Laxmi Strotam path, Homam conducted under Pradoshkal Muhurta Timing, Nisheeth Kaal Muhurta Timing, and Mahanisheeth Kaala Muhurta Timing as deemed appropriate.

Laxmi puja on Diwali with rituals will be conducted by four learned pandits under the guidance of Pt. Umesh Chandra Pant Ji.

We also offer free gifts on Diwali Laxmi puja, which are:

Note: The free gifts bear no charge and are home-delivered free of cost.

Book your Diwali Laxmi puja and we will conduct it in your name with proper Vedic rituals.

Top Reasons to Book Diwali Lakshmi Puja from PavitraJyotish:

  1. A team of learned and experienced professional pandits.
  2. Puja conducted under rituals and ingredients as recommended in Vedic Shastra.
  3. Proper assistance to your questions regarding Laxmi puja.
  4. Cost-free energized and activated gifts home-delivered to your address.

Diwali is famed for being one of the most auspicious festival seasons marking beginning of seasonal harvest, peace and prosperity. Countless devotes from all across India and world pay their tribute to goddess Lakshmi and lord Ganesha during Diwali, seeking blessing of eternal prosperity and peaceful living from the deity.

Several mythological and cultural references lay the background of Diwali as the important devotional festival, being celebrated with utmost adherences and rituals. Spotless cleaning at homes and around surroundings is undertaken during Diwali, with people taking care of decorating their homes with colorful light bulbs and diya lamps. It is believed that on Diwali Mata Laxmi roams the earth and is pleased to enter into a home that is decorated with diya lamps and well-cleaned.

Symbolic of wealth and prosperity, deity Lakshmi is worshipped during Diwali and prayer is offered to her by devotees to bless them with wealth and happiness. Lord Ganesha is also worshipped on Diwali to bless the devotees with knowledge, wisdom, and prosperity. Book your Diwali Mahalakshmi Puja by our Puja and Anushthan Services by Reliable and Learned Pandits.


Different ways of Happy Diwali Celebration

The celebration of Diwali 2020 differs as per the diversity of India. In general, the celebration starts from the thirteenth day of Kartik, celebrated as &ldquo Dhan Teras&rdquo. Some also worship Dhanwantari, the God of medicine and herbs on this day. Some people worship Goddess Laxmi and Lord Ganesha during Diwali to celebrate and pray for wealth, peace, and happiness. In West Bengal, the Dipaboli festival (or Diwali) is associated with the supreme mother goddess Shyama and Kali's worship.

People decorate their houses with rangoli and light diyas. Everyone comes together to light firecrackers, celebrate the day with pujas, and meet at each other's homes to exchange sweets or gifts. As described above, people across India indulge in a happy Diwali celebration and celebrate this festival of light with grandeur.


Assista o vídeo: What is Diwali?