Este Dia na História: 17/06/1885 - Chega a Estátua da Liberdade

Este Dia na História: 17/06/1885 - Chega a Estátua da Liberdade

Este Dia na História nos leva de volta a 17 de junho de 1885, quando o maior imigrante do mundo veio para a costa dos Estados Unidos. Saiba como chegamos a ter a Estátua da Liberdade. A França deu isso aos EUA como um presente e é um símbolo de liberdade. Descubra alguns fatos interessantes sobre a liberdade feminina e veja tudo aqui neste clipe educacional.


História da liberdade

No início de 1800, colonos americanos começaram a chegar à área de Liberty.

Em 1822, o assentamento havia crescido e se tornado a sede do condado de Clay. Incorporada em 1829, Liberty é a segunda cidade incorporada mais antiga a oeste do Rio Mississippi.

O Liberty Landing estava localizado ao longo do rio Missouri. Durante a década de 1830, o Liberty Landing foi uma das várias docas de barcos a vapor localizadas ao longo do rio Missouri. Como Liberty foi o ponto de & ldquojumping off & rdquo para os expansionistas da fronteira e do oeste, Liberty Landing foi um local de desembarque de mercadorias e primeiros colonizadores para aqueles que vinham de St. Louis e outros pontos do leste. Os barcos a vapor disparariam um canhão quando estivessem a vários quilômetros de Liberty, a fim de dar aos mercadores e às pessoas da cidade tempo de chegar ao cais antes que o barco chegasse. Durante esta década, até 5 & ldquosteamers & rdquo iriam subir o rio diariamente e pelo menos um iria atracar em Liberty Landing.

A Cadeia de Liberty, construída em 1833, é conhecida por seu prisioneiro mais famoso, Joseph Smith, primeiro presidente e profeta da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Em outubro de 1838, o governador Lilburn Boggs ordenou a prisão do profeta mórmon Joseph Smith Jr. no assentamento do extremo oeste do condado de Caldwell. Imediatamente após o término da Guerra Mórmon, Smith e outros líderes Mórmons foram encarcerados na prisão de Liberty no inverno de 1839. Embora Alexander Doniphan liderasse uma força de voluntários do Missouri ordenados para capturar os líderes, ele defendeu Joseph Smith no julgamento e o conquistou uma mudança no local. Enquanto a caminho de seu novo local, Smith e seus seguidores escaparam e deixaram o Missouri para o novo assentamento Mórmon em Nauvoo, Illinois. Do final da década de 1840 até a década de 1860, um êxodo de mais de 70.000 mórmons passou a caminho de sua & ldquoNew Zion & rdquo em Salt Lake City, Utah.

William Jewell College, uma das faculdades particulares mais antigas do Missouri, foi fundada em 1849 com uma doação de US $ 10.000 do Dr. William Jewell de Columbia, Missouri. Havia também o Liberty Female Institute (também conhecido como Liberty Ladies College) no lado oposto da cidade, que oferecia uma educação comparável para mulheres.

O Clay County Savings Bank foi o local do primeiro assalto a banco durante o dia em 13 de fevereiro de 1866 - supostamente cometido pela gangue James-Younger.

A ferrovia interurbana passava por Liberty, de Excelsior Springs a Kansas City, começando em 1913 a 1933. Vários trens paravam todos os dias no depósito localizado na Mill Street.

De 1943 a 1945, durante a Segunda Guerra Mundial, um campo de prisioneiros de guerra alemão foi instalado em uma fazenda de perus. Os prisioneiros ficaram em casas de postura de perus adaptadas para alojamentos. Aproximadamente 600 prisioneiros foram alojados neste local. Os prisioneiros foram transportados para fazendas de áreas para trabalhar e produzir safras para a economia local e o esforço de guerra.

Desde 2005, a National Arbor Day Foundation reconhece o compromisso da Liberty & rsquos com o manejo de sua floresta da comunidade com a designação TreeCity.

Para se tornar uma Tree City nos EUA, uma comunidade deve atender a certos padrões, como ter um conselho ou departamento de árvores, uma lei de cuidado de árvores, um programa florestal comunitário abrangente com um orçamento de pelo menos $ 2 per capita e a observância do Dia da Árvore.

Em 2007, Liberty foi designada uma comunidade Preserve America. O programa Preserve America é um esforço da Casa Branca para encorajar e apoiar comunidades que preservam e promovem o patrimônio cultural e natural dos Estados Unidos.

Os residentes sabem há muito tempo que a Cidade da Liberdade, Mo., é um ótimo lugar para se viver. Em 2011, duas publicações respeitadas nacionalmente revelaram o segredo. A revista Family Circle classificou Liberty como um dos três melhores lugares para famílias. De acordo com um comunicado à imprensa do Family Circle, & ldquothe comunidades apresentadas na revista & rsquos resumo anual de lugares perfeitos para chamar de lar combinam habitação acessível, bons vizinhos, espaços verdes, sistemas de escolas públicas fortes e espíritos generosos.

No mesmo ano, a CNN / Money Magazine elegeu a Liberty como o 7º melhor lugar para se viver. Por meio de uma longa lista de estatísticas usadas no ranking, o Liberty se saiu muito bem em várias áreas quando comparado com a média dos & ldquoBest Places & rdquo. Entre outras estatísticas, o Liberty:

  • desfruta de um maior crescimento do emprego nos últimos 10 anos
  • tem um preço médio de casa mais baixo
  • registrou melhores notas de leitura e matemática
  • tem melhor índice de qualidade do ar e
  • tem tempos de deslocamento mais curtos

Hoje, a Liberty continua desfrutando de empreendimentos residenciais e comerciais, ao mesmo tempo em que mantém seu forte senso de história. Liberty abriga 5 distritos históricos locais, 7 distritos e 7 propriedades individuais no Registro Nacional de Locais Históricos, uma próspera praça histórica no centro da cidade e área circundante, 3 museus e muitos locais de interesse notáveis.


Neste dia de 1885, a desmontada Estátua da Liberdade, um presente de amizade do povo da França ao povo da América, chega ao porto de Nova York depois de ser transportada pelo Oceano Atlântico em 350 peças individuais embaladas em mais de 200 caixas. A estátua de cobre e ferro, que foi remontada e dedicada no ano seguinte em uma cerimônia presidida pelo presidente dos Estados Unidos Grover Cleveland, tornou-se conhecida em todo o mundo como um símbolo duradouro de liberdade e democracia.

Destinada a comemorar a Revolução Americana e um século de amizade entre os EUA e a França, a estátua foi projetada pelo escultor francês Frederic-Auguste Bartholdi (que a modelou com base em sua própria mãe), com a ajuda do engenheiro Gustave Eiffel, que posteriormente desenvolveu o icônico torre em Paris que leva seu nome. A estátua foi inicialmente programada para ser concluída em 1876, o 100º aniversário da Declaração da Independência da América & # 8217s. No entanto, os esforços de arrecadação de fundos, que incluíram leilões, uma loteria e lutas de boxe, demoraram mais do que o previsto, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, onde o o pedestal da estátua deveria ser financiado e construído. A estátua por si só custou aos franceses cerca de US $ 250.000 (mais de US $ 5,5 milhões em dinheiro de hoje).

Finalmente concluída em Paris no verão de 1884, a estátua, uma figura feminina vestida com um manto e um braço erguido segurando uma tocha, alcançou sua nova casa na Ilha Bedloe & # 8217s no porto de Nova York (entre a cidade de Nova York e o Condado de Hudson, Nova Jersey) em 17 de junho de 1885. Depois de ser remontada, a estátua de 450.000 libras foi oficialmente dedicada em 28 de outubro de 1886, pelo presidente Cleveland, que disse: & # 8220 Não esqueceremos que Liberty aqui fez seu lar, nem seu altar escolhido será negligenciada. & # 8221 Estando a mais de 305 pés da fundação de seu pedestal até o topo de sua tocha, a estátua, apelidada de & # 8220Liberty Enlightening the World & # 8221 por Bartholdi, era mais alta do que qualquer estrutura na cidade de Nova York na época . A estátua era originalmente de cor cobre, mas ao longo dos anos ela passou por um processo natural de mudança de cor chamado patinação, que produziu seu atual tom azul-esverdeado.

Em 1892, Ellis Island, localizada perto de Bedloe & # 8217s Island (que em 1956 foi rebatizada de Ilha da Liberdade), foi inaugurada como principal estação de imigração da América & # 8217s e, pelos 62 anos seguintes, Lady Liberty, como a estátua é apelidada, vigiou o mais de 12 milhões de imigrantes que navegaram no porto de Nova York. Em 1903, uma placa com a inscrição de um soneto intitulado & # 8220The New Colossus & # 8221 da poetisa americana Emma Lazarus, escrito 20 anos antes para um pedestal de arrecadação de fundos, foi colocada em uma parede interna do pedestal. Lazarus & # 8217 agora famosas palavras, que incluem & # 8220Dê-me seu cansado, seus pobres / Suas massas amontoadas ansiando por respirar livre, & # 8221 tornaram-se um símbolo da visão da América & # 8217s de si mesma como uma terra de oportunidades para imigrantes.

Cerca de 60 anos depois que o presidente Calvin Coolidge designou a estátua como monumento nacional em 1924, ela passou por uma restauração multimilionária (que incluiu uma nova tocha e uma chama coberta de folha de ouro) e foi rededicada pelo presidente Ronald Reagan em 4 de julho de 1986 , em uma celebração pródiga. Após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, a estátua foi fechada sua base, pedestal e plataforma de observação reaberta em 2004, enquanto sua coroa foi reaberta ao público em 4 de julho de 2009. (Por razões de segurança, a tocha foi esteve fechado para visitantes desde 1916, após um incidente chamado de explosões Black Tom em que barcaças carregadas de munições e vagões de trem na orla de Jersey City, New Jersey, foram explodidos por agentes alemães, causando danos à estátua próxima.)

Hoje, a Estátua da Liberdade é um dos marcos mais famosos da América. Ao longo dos anos, foi palco de manifestações e protestos políticos (de sufragistas a ativistas anti-guerra), foi destaque em vários filmes e inúmeras fotografias e recebeu milhões de visitantes de todo o mundo.


Criando a Estátua da Liberdade

Um esboço de Auguste Bartholdi da Estátua da Liberdade como um Farol por volta de 1880

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

Os primeiros estágios

Em 1865, um intelectual político francês e ativista antiescravista chamado Edouard de Laboulaye propôs que uma estátua representando a liberdade fosse construída para os Estados Unidos. Este monumento homenagearia o centenário de independência dos Estados Unidos e a amizade com a França. O escultor francês Auguste Bartholdi apoiou a ideia de Laboulaye e em 1870 começou a projetar a estátua de & quotLiberty Enlightening the World. & Quot

Enquanto Bartholdi desenhava a estátua, ele também fez uma viagem aos Estados Unidos em 1871. Durante a viagem, Bartholdi escolheu a Ilha de Bedloe como local para a estátua. Embora a ilha fosse pequena, era visível para todos os navios que entravam no porto de Nova York, que Bartholdi via como o "portal da América".

Um mapa não assinado do século 19 do porto de Nova York, pensado para ser feito por Auguste Bartholdi.

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

Em 1876, artesãos e artesãos franceses começaram a construir a estátua na França sob a direção de Bartholdi. O braço que segurava a tocha foi concluído em 1876 e mostrado na Exposição do Centenário na Filadélfia. A cabeça e os ombros foram concluídos em 1878 e exibidos na Exposição Universal de Paris. A estátua inteira foi concluída e montada em Paris entre 1881 e 1884. Também em 1884, a construção do pedestal começou nos Estados Unidos.

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

Artesãos trabalhando na construção da Estátua da Liberdade em Paris.

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

A montagem da estátua em Paris ocorrida entre 1881 e 1884.

Uma ilustração de caixotes contendo a estátua da liberdade passando do navio Isère da Marinha francesa para os cargueiros. Os isqueiros foram então transportados para a Ilha de Bedloe.

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

Para os Estados Unidos

Depois que a estátua foi apresentada a Levi P Morton, o ministro dos EUA na França, em 4 de julho de 1884 em Paris, ela foi desmontada e enviada para os Estados Unidos a bordo do navio da Marinha francesa, Isère. A estátua chegou ao porto de Nova York em 17 de junho de 1885 e foi recebida com grande alarde. Infelizmente, o pedestal da estátua ainda não estava completo e toda a estrutura não foi remontada na Ilha de Bedloe até 1886.

Construção do pedestal da Estátua da Liberdade na Ilha de Bedloe.

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

Uma ilustração da "ascensão" da Estátua da Liberdade do Jornal Ilustrado de Frank Leslie, 17 de outubro de 1885.

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

Assim que o pedestal foi concluído em 1886, a estátua foi remontada com velocidade surpreendente por uma equipe de construção destemida - muitos dos quais eram novos imigrantes. A primeira peça da estátua a ser reconstruída foi a estrutura de ferro de Alexandre-Gustave Eiffel. O resto dos elementos da estátua seguiram sem o uso de andaimes - todos os materiais de construção foram içados por guindastes movidos a vapor e torres. Para esculpir a pele da estátua, Eiffel utilizou a técnica repoussé desenvolvida por Eugene Viollet-le-Duc. Essa técnica consistia no processo de moldar folhas de cobre leves, martelando-as na sagrada estrutura de madeira da estátua. O último trecho a ser concluído foi o rosto da Estátua da Liberdade, que permaneceu velado até a inauguração da estátua. Embora Fort Wood tenha permanecido na Ilha de Bedloe, não foi um obstáculo no projeto, construção ou remontagem da Estátua da Liberdade. Em vez disso, a estrutura em forma de estrela tornou-se parte da base da estátua - o pedestal fica dentro de suas paredes.

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

Trabalhadores da construção civil que montaram a estátua na Ilha de Bedloe. Muitos desses trabalhadores eram novos imigrantes.

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

Uma ilustração da estátua sendo reconstruída em seu pedestal na ilha de Bedloe.

A estátua em meio à fumaça de uma salva de tiros durante a inauguração da estátua em 28 de outubro de 1886.

Serviço Nacional de Parques, Estátua da Liberdade NM

Em 28 de outubro de 1886, a estátua da "Liberdade iluminando o mundo" foi oficialmente inaugurada. O tempo úmido e nebuloso do dia não impediu que cerca de um milhão de nova-iorquinos comparecessem para torcer pela Estátua da Liberdade. Desfiles em terra e no mar homenagearam a estátua enquanto bandeiras e música enchiam o ar e a inauguração oficial acontecia sob o colosso "reluzindo de chuva". Quando chegou a hora de Bartholdi lançar a bandeira tricolor da França que cobria o rosto de Liberty, ouviu-se o rugido de armas, apitos e aplausos.


Neste dia da história, a Estátua da Liberdade, desmontada em Paris para envio aos Estados Unidos, chegou ao porto de Nova York a bordo do navio da marinha francesa Isère. A estátua foi recebida com tremenda fanfarra e um desfile naval, mas foi colocada em armazenamento por um ano enquanto o pedestal era concluído. Foi finalmente revelado em uma cerimônia de dedicação em 28 de outubro de 1886.

As palavras do poema “The New Colossus” de Emma Lazarus não foram inscritas na estátua até 1903.

Não é como o gigante descarado da fama grega,
Com membros conquistadores montados de terra em terra
Aqui, em nossos portões banhados pelo mar, os portões do pôr do sol ficarão
Uma mulher poderosa com uma tocha, cuja chama
É o relâmpago preso, e o nome dela
Mãe dos Exilados. De sua mão-farol
Brilhos em todo o mundo dão as boas-vindas ao comando de seus olhos amenos
O porto com ponte aérea que molda as cidades gêmeas.
& # 8220Mantenha as terras antigas, sua pompa histórica! & # 8221 grita ela
Com lábios silenciosos. & # 8220Dá-me seu cansado, seu pobre,
Suas massas amontoadas ansiando por respirar livre,
O lixo miserável de sua costa abundante.
Envie estes, os sem-teto, tempest-tost para mim,
Eu levanto minha lâmpada ao lado da porta dourada! & # 8221

Você pode ler mais detalhes sobre a história da Estátua da Liberdade aqui.


17 de junho de 1885, a Estátua da Liberdade chega ao porto de Nova York

Em 17 de junho de 1885, a desmontada Estátua da Liberdade, um presente de amizade do povo da França ao povo da América, chega ao porto de Nova York depois de ser transportada pelo Oceano Atlântico em 350 peças individuais embaladas em mais de 200 caixas. A estátua de cobre e ferro, que foi remontada e dedicada no ano seguinte em uma cerimônia presidida pelo presidente dos Estados Unidos Grover Cleveland, tornou-se conhecida em todo o mundo como um símbolo duradouro de liberdade e democracia.

Destinada a comemorar a Revolução Americana e um século de amizade entre os Estados Unidos e a França, a estátua foi projetada pelo escultor francês Frederic-Auguste Bartholdi (que a modelou com base em sua própria mãe), com a ajuda do engenheiro Gustave Eiffel, que posteriormente desenvolveu o icônico torre em Paris que leva seu nome. A estátua estava inicialmente programada para ser concluída em 1876, o 100º aniversário da Declaração de Independência da América, no entanto, os esforços de arrecadação de fundos, que incluíram leilões, uma loteria e lutas de boxe, demoraram mais do que o previsto, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, onde o pedestal da estátua deveria ser financiado e construído. A estátua por si só custou aos franceses cerca de US $ 250.000 (mais de US $ 5,5 milhões em dinheiro de hoje).

Finalmente concluída em Paris no verão de 1884, a estátua, uma figura feminina vestida com um manto com um braço erguido segurando uma tocha, alcançou sua nova casa na Ilha de Bedloe no porto de Nova York (entre a cidade de Nova York e o Condado de Hudson, Nova Jersey) em junho 17 de 1885. Depois de ser remontada, a estátua de 450.000 libras foi oficialmente dedicada em 28 de outubro de 1886, pelo presidente Cleveland, que disse: “Não vamos esquecer que Liberty aqui fez sua casa, nem seu altar escolhido será negligenciado”. Com mais de 90 metros da fundação de seu pedestal até o topo de sua tocha, a estátua, apelidada de “Liberdade iluminando o mundo” por Bartholdi, era mais alta do que qualquer estrutura na cidade de Nova York na época. A estátua era originalmente de cor cobre, mas ao longo dos anos ela passou por um processo natural de mudança de cor chamado patinação, que produziu seu atual tom azul-esverdeado.

Em 1892, Ellis Island, localizada perto de Bedloe's Island (que em 1956 foi rebatizada de Ilha da Liberdade), foi inaugurada como a principal estação de imigração da América e, pelos 62 anos seguintes, Lady Liberty, como a estátua é apelidada, vigiou os mais de 12 milhões imigrantes que navegaram para o porto de Nova York. Em 1903, uma placa com a inscrição de um soneto intitulado “The New Colossus” da poetisa americana Emma Lazarus, escrito 20 anos antes para uma arrecadação de fundos de pedestal, foi colocada em uma parede interna do pedestal. As agora famosas palavras de Lázaro, que incluem "Dê-me seu cansaço, seus pobres / Suas massas amontoadas que desejam respirar livres", tornaram-se um símbolo da visão da América de si mesma como uma terra de oportunidades para os imigrantes.

Cerca de 60 anos depois que o presidente Calvin Coolidge designou a estátua como monumento nacional em 1924, ela passou por uma restauração multimilionária (que incluiu uma nova tocha e uma chama coberta de folha de ouro) e foi rededicada pelo presidente Ronald Reagan em 4 de julho de 1986 , em uma celebração pródiga. Após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, a estátua foi fechada sua base, pedestal e plataforma de observação reaberta em 2004, enquanto sua coroa foi reaberta ao público em 4 de julho de 2009. (Por razões de segurança, a tocha foi esteve fechado para visitantes desde 1916, após um incidente chamado de explosões Black Tom em que barcaças carregadas de munições e vagões de trem na orla de Jersey City, New Jersey, foram explodidos por agentes alemães, causando danos à estátua próxima.)

Hoje, a Estátua da Liberdade é um dos marcos mais famosos da América. Ao longo dos anos, foi palco de manifestações e protestos políticos (de sufragistas a ativistas anti-guerra), foi destaque em vários filmes e inúmeras fotografias e recebeu milhões de visitantes de todo o mundo.


Neste dia na história, 17 июнь

Os homens foram pegos tentando grampear a sede do Comitê Nacional Democrata no complexo de escritórios de Watergate. O escândalo acabou levando à renúncia do presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon.

1944 Islândia torna-se uma república

O país insular nórdico já havia sido incluído nas monarquias norueguesa e dinamarquesa. O primeiro presidente da república foi Sveinn Björnsson.

1940 Os três estados bálticos estão sob ocupação soviética

Enquanto a atenção do mundo estava voltada para a recente invasão alemã de Paris, a União Soviética anexou a Estônia, a Letônia e a Lituânia.

1928 Amelia Earhart se torna a primeira mulher a voar pelo Atlântico

Wilmer Stultz pilotou a aeronave Fokker F.VII, Earhart manteve o registro de vôo. Eles chegaram a Burry Port, no País de Gales, no Reino Unido, 20 horas e 40 minutos depois.

1885 A Estátua da Liberdade chega a Nova York

Centenas de milhares de espectadores deram as boas-vindas à emblemática estátua, que foi um presente do povo francês aos Estados Unidos e se tornou um dos símbolos mais reconhecidos do país.


A Estátua da Liberdade chegou de Paris a Nova York (1885)

Em 17 de junho de 1885, um navio da França carregado com partes da famosa Estátua da Liberdade chegou a Nova York. Claro, esta estátua foi um presente dos franceses para os Estados Unidos, e é interessante que na França ela não foi apenas fundida, mas uma vez até montada em tamanho real. Ou seja, a estátua foi montada pela primeira vez em Paris, na Rue de Chazelles. Só então foi desmontado, embalado em caixotes e enviado para Nova York.

A Estátua da Liberdade foi feita pelos franceses como a maior escultura de metal do mundo até então. A escultura tem 46 metros de altura, é feita de placas de cobre que formam a fôrma, e no seu interior são sustentadas por um esqueleto de ferro, composto de forma semelhante à Torre Eiffel. Na verdade, a estrutura de suporte de ferro foi projetada por Gustave Eiffel alguns anos antes da construção da Torre Eiffel em Paris.

A concha de cobre da estátua tem apenas 2,4 milímetros de espessura, mas a escultura inteira, junto com o esqueleto de ferro, pesa cerca de 225 toneladas. Essas peças foram armazenadas pelos franceses em 214 caixas e enviadas para os Estados Unidos. No total, as caixas continham 350 peças individuais, que foram remontadas em sua localização final na Ilha de Bedloe, em frente à cidade de Nova York. Supostamente, as unhas dos dedos da escultura chegam a 33 centímetros.

A ilhota em que a escultura é colocada foi renomeada de Bedloe Island para Liberty Island e tem uma área de quase 60 acres. A construção do pedestal na ilha foi financiada pelos americanos, principalmente com doações privadas. No total, com o pedestal, a Estátua da Liberdade chega hoje a 93 metros de altura.


Lady Liberty chegou ao porto de Nova York hoje em 1885

A Estátua da Liberdade nos dias atuais. ERIC THAYER / GETTY

Em 17 de junho de 1885, como um presente dos franceses, a agora icônica Estátua da Liberdade chegou desmontada de barco no porto de Nova York, de acordo com o The History Channel.

Lady Liberty foi enviada através do Atlântico em 350 peças embaladas em mais de 200 caixas e foi "remontada e dedicada no ano seguinte em uma cerimônia presidida pelo presidente dos Estados Unidos, Grover Cleveland", disse o The History Channel.

Como um presente de amizade, Edouard de Laboulaye, conhecido como o "Pai da Estátua da Liberdade", propôs a ideia de uma estátua em 1865 para representar a liberdade e a democracia que os americanos consideram sagradas. De acordo com o National Park Service, Laboulaye acreditava que a estátua dos EUA aumentaria o desejo de obter a mesma democracia na França. Ele formou a União Franco-Americana para arrecadar fundos.


"As Crônicas de Charbor"

Mais uma vez, convém reiterar, que não se trata de uma história muito extensa do que aconteceu neste dia (nem é a mais original - os links podem ser encontrados abaixo). Se você souber de algo que estou perdendo, por favor, envie-me um e-mail ou deixe um comentário e me avise!

17 de junho de 1885: chega a estátua da liberdade

Neste dia de 1885, o desmantelado Estado da Liberdade, um presente de amizade do povo da França ao povo da América, chega ao porto de Nova York depois de ser transportado pelo Oceano Atlântico em 350 peças individuais embaladas em mais de 200 caixas. A estátua de cobre e ferro, que foi remontada e dedicada no ano seguinte em uma cerimônia presidida pelo presidente dos Estados Unidos Grover Cleveland, tornou-se conhecida em todo o mundo como um símbolo duradouro de liberdade e democracia.

Destinada a comemorar a Revolução Americana e um século de amizade entre os Estados Unidos e a França, a estátua foi projetada pelo escultor francês Frederic-Auguste Bartholdi (que a modelou com base em sua própria mãe), com a ajuda do engenheiro Gustave Eiffel, que posteriormente desenvolveu o icônico torre em Paris que leva seu nome. A estátua foi inicialmente programada para ser concluída em 1876, o 100º aniversário da Declaração de Independência da América & # 8217s. No entanto, os esforços de arrecadação de fundos, que incluíram leilões, uma loteria e lutas de boxe, demoraram mais do que o previsto, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, onde o o pedestal da estátua deveria ser financiado e construído. A estátua por si só custou aos franceses cerca de US $ 250.000 (mais de US $ 5,5 milhões em dinheiro de hoje).

Finalmente concluída em Paris no verão de 1884, a estátua, uma figura feminina vestida com um manto com um braço erguido segurando uma tocha, alcançou sua nova casa em Bedloe & # 8217s Island em New York Harbor (entre New York City e Hudson County, New Jersey) em 17 de junho de 1885. Depois de ser remontada, a estátua de 450.000 libras foi oficialmente consagrada em 28 de outubro de 1886, pelo presidente Cleveland, que disse: & # 8220 Não esqueceremos que Liberty aqui fez seu lar, nem seu altar escolhido será negligenciada. & # 8221 Estando a mais de 305 pés da fundação de seu pedestal até o topo de sua tocha, a estátua, apelidada de & # 8220Liberty Enlightening the World & # 8221 por Bartholdi, era mais alta do que qualquer estrutura na cidade de Nova York na época . A estátua era originalmente de cor cobre, mas ao longo dos anos ela passou por um processo natural de mudança de cor chamado patinação, que produziu seu atual tom azul-esverdeado.

Em 1892, Ellis Island, localizada perto de Bedloe's Island (que em 1956 foi rebatizada de Ilha da Liberdade), foi inaugurada como a principal estação de imigração da América & # 8217, e pelos 62 anos seguintes Lady Liberty, como a estátua é apelidada, vigiou os mais de 12 milhões de imigrantes que embarcaram no porto de Nova York. Em 1903, uma placa com a inscrição de um soneto intitulado & # 8220The New Colossus & # 8221 da poetisa americana Emma Lazarus, escrito 20 anos antes para um pedestal de arrecadação de fundos, foi colocada em uma parede interna do pedestal. Lazarus & # 8217 agora famosas palavras, que incluem & # 8220Dê-me seu cansado, seus pobres / Suas massas amontoadas ansiando por respirar livre, & # 8221 tornaram-se um símbolo da visão da América & # 8217s de si mesma como uma terra de oportunidades para imigrantes.

Cerca de 60 anos depois que o presidente Calvin Coolidge designou a estátua como monumento nacional em 1924, ela passou por uma restauração multimilionária (que incluiu uma nova tocha e uma chama coberta de folha de ouro) e foi rededicada pelo presidente Ronald Reagan em 4 de julho de 1986 , em uma celebração pródiga. Após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, a estátua foi fechada sua base, pedestal e plataforma de observação reaberta em 2004, enquanto sua coroa foi reaberta ao público em 4 de julho de 2009. (Por razões de segurança, a tocha foi esteve fechado para visitantes desde 1916, após um incidente chamado de explosões Black Tom, nas quais barcaças carregadas de munições e vagões ferroviários na orla de Jersey City, New Jersey, foram explodidos por agentes alemães, causando danos à estátua próxima.).

Hoje, a Estátua da Liberdade é um dos marcos mais famosos da América. Ao longo dos anos, foi palco de manifestações e protestos políticos (de sufragistas a ativistas anti-guerra), foi destaque em vários filmes e inúmeras fotografias e recebeu milhões de visitantes de todo o mundo.











17 de junho de 1775: começa a batalha de Bunker Hill

O general britânico William Howe desembarca suas tropas na Península de Charlestown com vista para Boston, Massachusetts, e os lidera contra Breed's Hill, uma posição americana fortificada logo abaixo de Bunker Hill, neste dia de 1775.

Enquanto os britânicos avançavam em colunas contra os americanos, o general americano William Prescott teria dito a seus homens: "Não atirem nenhum de vocês até ver o branco dos olhos deles!" Quando os casacas-vermelhas estavam a menos de 40 metros, os americanos dispararam uma saraivada letal de tiros de mosquete, jogando os britânicos em retirada. Depois de reformar suas linhas, Howe atacou novamente, com praticamente o mesmo resultado. Os homens de Prescott estavam agora com pouca munição, porém, e quando Howe conduziu seus homens morro acima pela terceira vez, eles alcançaram os redutos e enfrentaram os americanos em um combate corpo a corpo. Os americanos em menor número foram forçados a recuar. No entanto, ao final do combate, o tiroteio dos Patriots havia cortado quase 1.000 soldados inimigos, incluindo 92 oficiais. Dos 370 Patriotas que caíram, a maioria foi atingida durante a retirada.

Os britânicos haviam vencido a chamada Batalha de Bunker Hill, e Breed's Hill e a Península de Charlestown caíram firmemente sob o controle britânico. Apesar de perder suas posições estratégicas, a batalha elevou o moral dos americanos, convencendo-os de que a dedicação patriótica poderia superar o poderio militar britânico superior.

Os britânicos entraram na Batalha de Bunker Hill com excesso de confiança. Se eles tivessem apenas guardado Charlestown Neck, eles poderiam ter isolado os Patriots com poucas perdas de vidas. Em vez disso, Howe decidiu tentar exterminar os Yankees levando 2.400 homens para um ataque frontal à posição bem defendida dos Patriots no topo da colina. Os britânicos nunca mais cometeriam o mesmo erro.
























17 de junho de 1940: as tropas britânicas e aliadas continuam a evacuação da França, enquanto Churchill tranquiliza seus compatriotas

Neste dia, em 1940, as tropas britânicas evacuam a França na Operação Ariel, um êxodo quase da ordem de Dunquerque. Enquanto isso, o primeiro-ministro britânico Winston Churchill oferece palavras de incentivo em uma transmissão à nação: "O que quer que tenha acontecido na França. Devemos defender nossa ilha natal, e com o Império Britânico lutaremos invencíveis até a maldição de Hitler é levantado. "

Com dois terços da França agora ocupados por tropas alemãs, as tropas britânicas e aliadas que não haviam participado da Operação Dínamo, a evacuação de Dunquerque, foram enviadas para casa. De Cherbourg e St. Malo, de Brest e Nantes, britânicos, poloneses e tropas canadenses foram resgatadas do território ocupado por barcos enviados da Grã-Bretanha. Embora esses homens não estivessem sob ameaça imediata de ataque, como em Dunquerque, eles não estavam de forma alguma seguros, como 5.000 soldados e civis franceses aprenderam uma vez a bordo do transatlântico Lancastria, que os resgatou em St. Nazaire. Bombardeiros alemães afundaram o transatlântico 3.000 passageiros morreram afogados.

Churchill ordenou que a notícia do Lancastria não fosse transmitida na Grã-Bretanha, temendo o efeito que teria no moral público, uma vez que todos já estavam em alerta elevado, temendo uma invasão iminente dos alemães agora que apenas um canal os separava. O público britânico acabaria por descobrir & # 8212mas não nas próximas seis semanas & # 8212 quando a notícia finalmente estourou nos Estados Unidos. Eles também teriam um descanso de outro tipo: Hitler não tinha planos imediatos para uma invasão da ilha britânica, "estando bem ciente das dificuldades envolvidas em tal operação", relatou o alto comando alemão.


















17 de junho de 1940: França se renderá

With Paris fallen and the German conquest of France reaching its conclusion, Marshal Henri Petain replaces Paul Reynaud as prime minister and announces his intention to sign an armistice with the Nazis. The next day, French General Charles de Gaulle, not very well known even to the French, made a broadcast to France from England, urging his countrymen to continue the fight against Germany.

A military hero during World War I, Petain was appointed vice premier of France in May 1940 to boost morale in a country crumbling under the force of the Nazi invasion. Instead, Petain arranged an armistice with the Nazis. The armistice, signed by the French on June 22, went into effect on June 25, and more than half of France was occupied by the Germans. In July, Petain took office as "chief of state" at Vichy, a city in unoccupied France. The Vichy government under Petain collaborated with the Nazis, and French citizens suffered on both sides of the divided nation. In 1942, Pierre Laval, an opportunistic French fascist and dutiful Nazi collaborator, won the trust of Nazi leader Adolf Hitler, and the elderly Petain became merely a figurehead in the Vichy regime.

After the Normandy invasion in 1944, Petain and Laval were forced to flee to German protection in the east. Both were eventually captured, found guilty of high treason, and sentenced to die. Laval was executed in 1945, but provincial French leader Charles de Gaulle commuted Petain's sentence to life imprisonment. Petain died on the Ile d'Yeu off France in 1951.




Jun 16, 1940: Marshal Petain becomes premier of occupied France

On this day in 1940, Marshal Henri-Philippe Petain, World War I hero, becomes prime minister of the Vichy government of France.

As Germany began to overrun more French territory, the French Cabinet became desperate for a solution to this crisis. Premier Paul Reynaud continued to hold out hope, refusing to ask for an armistice, especially now that France had received assurance from Britain that the two would fight as one, and that Britain would continue to fight the Germans even if France were completely overtaken. But others in the government were despondent and wanted to sue for peace. Reynaud resigned in protest. His vice premier, Henri Petain, formed a new government and asked the Germans for an armistice, in effect, surrendering.

This was an ironic position for Petain, to say the least. The man who had become a legendary war hero for successfully repelling a German attack on the French city of Verdun during the First World War was now surrendering to Hitler.

In the city of Vichy, the French Senate and Chamber of Deputies conferred on the 84-year-old general the title of "Chief of State," making him a virtual dictator–although one controlled by Berlin. Petain believed that he could negotiate a better deal for his country–for example, obtaining the release of prisoners of war–by cooperating with, or as some would say, appeasing, the Germans.

But Petain proved to be too clever by half. While he fought against a close Franco-German military collaboration, and fired his vice premier, Pierre Laval, for advocating it, and secretly urged Spain's dictator Francisco Franco to refuse passage of the German army to North Africa, his attempts to undermine the Axis while maintaining an official posture of neutrality did not go unnoticed by Hitler, who ordered that Laval be reinstated as vice premier. Petain acquiesced, but refused to resign in protest because of fear that France would come under direct German rule if he were not there to act as a buffer. But he soon became little more than a figurehead, despite efforts to manipulate events behind the scenes that would advance the Free French cause (then publicly denying, even denouncing, those events when they came to light).

When Paris was finally liberated by General Charles de Gaulle in 1944, Petain fled to Germany. He was brought back after the war to stand trial for his duplicity. He was sentenced to death, which was then commuted to life in solitary confinement. He died at 95 in prison. The man responsible for saving his life was de Gaulle. He and Petain had fought in the same unit in World War I and had not forgotten Petain's bravery during that world war.



















Jun 16, 1970: Communists isolate Phnom Penh

North Vietnamese and Viet Cong attacks almost completely isolate Phnom Penh. The principal fighting raged in and around Kompong Thom, about 90 miles north of the capital. On June 17, Cambodia's last working railway line, which ran to the border of Thailand, was severed when communist troops seized a freight train with 200 tons of rice and other food supplies at a station at Krang Lovea, about 40 miles northwest of Phnom Penh.















Jun 17, 1953: Soviets crush antigovernment riots in East Berlin

The Soviet Union orders an entire armored division of its troops into East Berlin to crush a rebellion by East German workers and antigovernment protesters. The Soviet assault set a precedent for later interventions into Hungary in 1956 and Czechoslovakia in 1968.

The riots in East Berlin began among construction workers, who took to the streets on June 16, 1953, to protest an increase in work schedules by the communist government of East Germany. By the next day, the crowd of disgruntled workers and other antigovernment dissidents had grown to between 30,000 and 50,000. Leaders of the protest issued a call for a general strike, the resignation of the communist East German government, and free elections. Soviet forces struck quickly and without warning. Troops, supported by tanks and other armored vehicles, crashed through the crowd of protesters. Some protesters tried to fight back, but most fled before the onslaught. Red Cross officials in West Berlin (where many of the wounded protesters fled) estimated the death toll at between 15 and 20, and the number of wounded at more than 100. The Soviet military commanders declared martial law, and by the evening of June 17, the protests had been shattered and relative calm was restored.

In Washington, President Dwight D. Eisenhower declared that the brutal Soviet action contradicted Russian propaganda that the people of East Germany were happy with their communist government. He noted that the smashing of the protests was "a good lesson on the meaning of communism." America's propaganda outlet in Europe, the Voice of America radio station, claimed, "The workers of East Berlin have already written a glorious page in postwar history. They have once and for all times exposed the fraudulent nature of communist regimes." These criticisms had little effect on the Soviet control of East Germany, which remained a communist stronghold until the government fell in 1989.




















Jun 17, 1972: Nixon's re-election employees are arrested for burglary

Five burglars are arrested in the Democratic National Committee headquarters at the Watergate office and apartment complex in Washington, D.C. James McCord, Frank Sturgis, Bernard Barker, Virgilio Gonzalez, and Eugenio Martinez were apprehended in the early morning after a security guard at the Watergate noticed that several doors leading from the stairwell to various hallways had been taped to prevent them from locking. The intruders were wearing surgical gloves and carrying walkie-talkies, cameras, and almost $2,300 in sequential $100 bills. A subsequent search of their rooms at the Watergate turned up an additional $4,200, burglary tools, and electronic bugging equipment.

Although there was no immediate explanation as to the objective of the break-in, an extensive investigation ensued, eventually unveiling a comprehensive scheme of political sabotage and espionage designed to discredit Democratic candidates. McCord, who was one of the burglars, was also Richard Nixon's security chief for the Committee to Re-Elect the President (CREEP). Nixon campaign funds were ultimately linked back to the Watergate break-in. In addition, equipment used during the burglary had been borrowed from the CIA. In the fall of 1972, Nixon was re-elected into office, but the probe continued.

FBI agents soon established that hundreds of thousands of dollars in Nixon campaign contributions had been set aside to pay for a massive undercover anti-Democratic operation. According to federal investigators, CREEP had forged letters and distributed them under Democratic candidate's letterhead, leaked false and manufactured information to the press, seized confidential Democratic campaign files, and followed Democratic candidates' families in order to gather damaging information.

During an interview with the Senate select Watergate committee on July 16, 1973, former White House aide Alexander Butterfield revealed that Nixon had been taping all of his conversations and telephone calls in the White House since 1971. After losing a battle in the Supreme Court to keep these tapes private, Nixon was heard approving the cover-up of the Watergate burglary less than a week after it happened. During a June 20, 1972, discussion of the Watergate scandal between the President and former White House chief of staff H.R. Haldeman, an 18 1/4-minute gap had been inexplicably erased, causing frustration and speculation from investigators.

On August 9, 1974, President Nixon resigned-the first U.S. president to do so. However, newly elected President Gerald Ford pardoned Nixon a month later, saving him from facing criminal charges.
























Jun 17, 1876: Indians hammer U.S. soldiers at the Battle of the Rosebud

Sioux and Cheyenne Indians score a tactical victory over General Crook's forces at the Battle of the Rosebud, foreshadowing the disaster of the Battle of Little Big Horn eight days later.

General George Crook was in command of one of three columns of soldiers converging on the Big Horn country of southern Montana that June. A large band of Sioux and Cheyenne Indians under the direction of Sitting Bull, Crazy Horse, and several other chiefs had congregated in the area in defiance of U.S. demands that the Indians confine themselves to reservations. The army viewed the Indians' refusal as an opportunity to dispatch a massive three-pronged attack and win a decisive victory over the "hostile" Indians.

Crook's column, marching north from Fort Fetterman in Wyoming Territory, was to join with two others: General Gibbon's column coming east from Fort Ellis in Montana Territory, and General Terry's force coming west from Fort Abraham Lincoln in Dakota Territory. Terry's force included the soon-to-be-famous 7th Cavalry under the command of George Custer. The vast distances and lack of reliable communications made it difficult to coordinate, but the three armies planned to converge on the valley of the Big Horn River and stage an assault on an enemy whose location and size was only vaguely known.

The plan quickly ran into trouble. As Crook approached the Big Horn, his Indian scouts informed him they had found signs of a major Sioux force that must still be nearby. Crook was convinced that the Sioux were encamped in a large village somewhere along the Rosebud Creek just east of the Big Horn. Like most of his fellow officers, Crook believed that Indians were more likely to flee than stand and fight, and he was determined to find the village and attack before the Sioux could escape into the wilderness. Crook's Indian allies� Crow and Shoshone warriors—were less certain. They suspected the Sioux force was under the command of Crazy Horse, thee brilliant war chief. Crazy Horse, they warned, was too shrewd to give Crook an opportunity to attack a stationary village.

Crook soon learned that his allies were right. Around 8 a.m. on this day in 1876, Crook halted his force of about 1,300 men in the bowl of a small valley along the Rosebud Creek in order to allow the rear of the column to catch up. Crook's soldiers unsaddled and let their horses graze while they relaxed in the grass and enjoyed the cool morning air. The American soldiers were out in the open, divided, and unprepared. Suddenly, several Indian scouts rode into the camp at a full gallop. "Sioux! Sioux!" they shouted. "Many Sioux!" Within minutes, a mass of Sioux warriors began to converge on the army.

A force of at least 1,500 mounted Sioux warriors caught Crook's soldiers by surprise. Crazy Horse had kept an additional 2,500 warriors in reserve to finish the attack. Fortunately for Crook, one segment of his army was not caught unprepared. His 262 Crow and Shoshone allies had taken up advanced positions about 500 yards from the main body of soldiers. With astonishing courage, the Indian warriors boldly countercharged the much larger invading force. They managed to blunt the initial attack long enough for Crook to regroup his men and send soldiers forward to support his Indian allies. The fighting continued until noon, when the Sioux-perhaps hoping to draw Crook's army into an ambush—retreated from the field.

The combined force of 4,000 Sioux warriors had outnumbered Crook's divided and unprepared army by more than three to one. Had it not been for the wisdom and courage of Crook's Indian allies, Americans today might well remember the Battle of the Rosebud as they do the subsequent Battle of the Little Big Horn. As it was, Crook's team was badly bloodied󈟬 men were killed and 56 were seriously wounded.

Crook had no choice but to withdraw and regroup. Crazy Horse had lost only 13 men and his warriors were emboldened by their successful attack on the American soldiers. Eight days later, they would join with their tribesmen in the Battle of the Little Big Horn, which would wipe out George Custer and his 7th Cavalry.


Here's a more detailed look at events that transpired on this date throughout history:


Assista o vídeo: Hoje na História: Estátua da Liberdade chega a Nova Iorque 17061885