Poderia um soldado alistado no Exército Imperial Alemão obter uma classificação acima do Gefreiter?

Poderia um soldado alistado no Exército Imperial Alemão obter uma classificação acima do Gefreiter?

De acordo com o wiki, até 1918, Gefreiter era o único posto para o qual um soldado alistado poderia ser promovido.

Soa estranho. É verdade?

Para onde os alemães levaram seus cabos, sargentos e Feldwebels?

Um soldado que já havia se tornado Gefreiter não poderia ser promovido ainda mais, mesmo que tivesse realizado algo grande? Mesmo durante a Grande Guerra?

Lembro-me da biografia de Hindenburg que ele desprezava Hitler por atingir apenas o posto de Gefreiter em uma guerra tão grande. Acho que o marechal alemão deve saber as regras ...


Depois de pesquisar um pouco mais, encontrei esta página sobre Prêmios e Promoções em um site sobre Werner Voss.

O site afirma que, como seria padrão, todos os soldados começaram com o posto de "Soldat" ou um equivalente baseado em unidade.

Ele também afirma:

Além disso, os soldados alemães progrediram na hierarquia em um ritmo muito lento. Normalmente, um Soldat não seria elegível para promoção a Obergefreiter até que estivesse no Exército por seis anos.

Dado que a página wiki que você citou menciona que o período de recrutamento padrão era de 2-3 anos, pareceria que NCOs de uma classificação superior a Gefreiter (Obergefreiter e acima) seriam retirados do pool de Enlistados de Voluntários de Longo Prazo, como mencionei em meu Comente.

EDITAR Encontrei a seguinte citação em greatwar.com, que também afirma que apenas soldados de carreira podem ser promovidos.

Um soldado do Exército alemão ganhava cerca de US $ 5,10 por mês (mês de 30 dias), enquanto um soldado dos EUA ganhava 30,00 / mês com US $ 6,00 extras se no serviço "estrangeiro". Isso era comparável a outro pagamento do Exército europeu e ensinou o soldado a gastar seu dinheiro com as necessidades e os endureceu para os tempos difíceis no campo. As promoções foram reservadas para os soldados de carreira. Raramente um recruta de dois anos recebia qualquer classificação. O comandante da unidade fazia todas as recomendações de promoções quando surgia uma vaga, que era então aprovada pelos comandantes regimentais. Voluntários de um ano com excelentes registros e pelo menos 9 meses de serviço podem ser promovidos.

Em outra parte do artigo, afirma que, com a eclosão da guerra, todos os recrutas eram obrigados a servir até seu 45º aniversário (uma medida razoavelmente padrão, o mesmo acontecia em outros lugares). Esta mudança efetivamente os colocou em pé de igualdade com os voluntários de longo prazo, no que diz respeito ao tempo de serviço.


… Gefreiter era o único posto para o qual um soldado alistado poderia ser promovido.

O termo "alistado" é um pouco confuso aqui, pois se traduz mal para o sistema do exército alemão.

No sistema anglo-americano, você tem duas "classes": oficiais alistados e oficiais comissionados.

No sistema alemão, você obtém três "classes": soldados rasos, sargentos ("Unteroffiziere") e oficiais.

Se tudo o que você faz é cumprir o seu mandato de recrutamento (já que o exército alemão era um exército de recrutas), você receberá seu treinamento básico, servirá como um soldado raso (Soldat / Gefreiter) e pronto. Na medida em que a página Wiki está correta - você não é promovido de Gefreiter a Unteroffizier.

Então, de onde vêm os sargentos? Fácil: Se você voluntariamente ampliar seu mandato, você receberá seu treinamento básico, então receber treinamento de NCO e subir para o posto de NCO (com melhor remuneração).

(A propósito, este ainda é o caso no exército alemão hoje, mesmo com o recrutamento suspenso neste momento. Se você quiser se tornar um Unteroffizier ou superior, você tem que se voluntariar para um tempo de serviço mais longo e passar por treinamento mais extenso.)


É claro que, embora o acima fosse "a regra", sempre havia exceções. Um soldado promissor poderia ser convidado a participar do treinamento de sargento ou mesmo oficial. Os soldados rasos que se provaram em ação poderiam receber uma promoção no campo de batalha, embora eu esperasse que eles fossem mandados de volta para receber o treinamento apropriado na próxima oportunidade.

Não consegui apresentar estatísticas sobre a frequência com que essas coisas aconteciam.

O melhor que consegui fazer durante uma pesquisa ad-hoc na web foi este artigo (na página 21 e seguintes) falando sobre como, após a Primeira Guerra Mundial, o número de voluntários para treinamento de oficiais não atendia aos requisitos. (O prestígio de ser um oficial militar havia sofrido muito, e um futuro no encolhimento militar era uma perspectiva incerta no início da República de Weimar.) Então, eles preencheram as vagas no treinamento de oficiais com sargentos e soldados promissores, a ponto de, em 1928 , 3,5% do corpo de oficiais (117 indivíduos) eram ex-sargentos.

Trata-se de NCOs realocados para o treinamento de oficiais, não sobre Privates / Gefreite conseguir promoções no campo de batalha para o posto NCO. Mas acho que dá uma marca geral tanto da existência e raridade relativa de "saltos" entre carreiras.


Posições do Bundeswehr alemão

o Fileiras das Forças Armadas Alemãs, (em alemão: Bundeswehr), foram criados pelo presidente com o Anordnung des Bundespräsidenten über die Dienstgradbezeichnungen und die Uniform der Soldaten com base na seção 4, parágrafo 3 da Soldatengesetz (lei federal relativa ao estatuto jurídico dos soldados). o Bundesbesoldungsordnung (Regulamento da Tabela Salarial Federal) regula as escalas salariais de todos os titulares de cargos federais e funcionários, incluindo soldados. O 'ZdV-64/10 - Abkürzungen in der Bundeswehr' fornece as abreviações e uma lista das abreviações.


Conteúdo

Em todos os três ramos das forças armadas alemãs, existem três planos de carreira: oficiais (Offiziere), NCOs (Unteroffiziere, sargentos) e soldados alistados (Mannschaften) Oficiais são subdivididos em Tenentes (Leutnante), Capitães (Hauptleute), Oficiais de Pessoal (Stabsoffiziere) e almirantes (Admiräle) ou generais (Generäle) NCOs são divididos em aqueles com ou sem um talabarte de nó de espada (mit / ohne Portepee).

Os nomes das patentes no Exército e na Força Aérea são idênticos aos da Marinha e os dos oficiais médicos são diferentes. Os soldados femininos têm o mesmo posto que os seus homólogos masculinos. A abreviatura (w) às vezes ainda é adicionada para mulheres, mas é totalmente sem base legal - as únicas adições permitidas e mantidas em ZDv 14/5 bzw. no ZDv 20/7 são:

  • UA / RUA - Candidato NCO (Unteroffizieranwärter) / Candidato NCO reserva (Reserveunteroffizier-Anwärter)
  • FA / RFA - Sargento Candidato (Feldwebelanwärter) / Candidato a Sargento Reserva (Reservefeldwebel-Anwärter)
  • OA / ROA - Candidato a Oficial (Offizieranwärter) / Candidato a Oficial Reserva (Reserveoffizier-Anwärter)
  • SanOA - Candidato a Oficial Médico (Sanitätsoffizieranwärter)
  • MilMusikOA - Candidato a Oficial Musical Militar (Militärmusikoffizier-Anwärter)

Ajuda. Problemas com NCO e ranks de alistados

Postado por FANGIO & raquo 17 de abril de 2004, 06:21

Desculpe incomodar-se com este assunto mais uma vez. Tenho certeza de que foi discutido um milhão de vezes, mas ainda não consigo entender alguns NCO & amp Enlisted Ranks. Já vi vários sites sobre ranks alemães na segunda guerra mundial, incluindo este mesmo site (usando a pesquisa), e sempre vejo nomes diferentes (ranks), por exemplo:

Classificações recrutadas:

Diferentes classificações do sistema alistado que eu vi:
1. Schutze - Oberschutze - Gefreiter - Obergefreiter
2. Schutze - Oberschutze - Gefreiter - Obergefreiter - Stabsgefreiter
3. Schutze - Oberschutze - Gefreiter - Unteroffizier-anwärterFähnenjunker-Gefreiter - Obergefreiter - Obergefreiter (com mais de 6 anos de serviço) - Stabsgefreiter

Perguntas:
a) Qual é o significado de Fähnenjunker?
b) Qual é o significado de anwärter?
c) Das três opções acima, a terceira seria o sistema de patente de alistado exato do exército alemão?
d) Outra dúvida que tenho em relação aos Graus Alistados são alguns nomes como: “Fahrer”, “Kraftfahrer”, “Reiter” e “Soldat”, o que eles significam (excluindo Soldat) ?, essas patentes estão no nível de Schutze ?, que termo o exército alemão usou: Soldat ou Schutze, ou ambos?

1. Unteroffizier - Unterfeldwebel - Fähnrich - Feldwebel - Oberfeldwebel - Oberfähnrich - Stabsfeldwebel
2. Unteroffizier - Unterfeldwebel - Fähnrich - Feldwebel - Oberfeldwebel - Hauptfeldwebel - Stabsfeldwebel
3. Unteroffizier - Unterfeldwebel - Feldwebel - Oberfeldwebel - Stabsfeldwebel
4. Unteroffizier - Fähnenjunker-Unteroffizier - Unteroffizier Offizier-anwärter - Unterfeldwebel - Feldwebel - Oberfeldwebel - Stabsfeldwebel

Perguntas:
a) A classificação Hauptfeldwebel realmente existia? Quer dizer, porque aparece apenas na 2ª opção. Se existisse, os homens com esta classificação usavam alguma alça de ombro ou divisa especial ?, alguma foto ou gráfico para esta classificação.
b) Há uma classificação que não consegui ver em nenhum site: Fähnenjunker-Oberfeldwebel. Embora em http://www.das-ritterkreuz.de esteja listado um Fhj-Ofw Wilhelm Berkenbusch (apenas para dar um exemplo). Novamente, os homens com esta categoria usaram alguma alça de ombro ou divisa especial? Existe alguma foto ou gráfico de uma alça de ombro para esta categoria?
c) Qual é o significado de Fähnrich?
d) Qual seria a classificação completa do sistema NCO?

Peço desculpa por tantas questões. Acho que isso é tudo (por enquanto). Por favor, qualquer ajuda será muito apreciada assim como qualquer correção, qualquer exemplo gráfico, fotos, etc.
Atenciosamente a todos.


Minha resposta consiste em três partes. Começo com a Segunda Guerra Mundial porque há mais registros (individuais) disponíveis e presumo que as pessoas estejam mais interessadas neles. A segunda parte enfoca a Primeira Guerra Mundial e possíveis dificuldades de pesquisa. A última parte cobre projetos e instituições que fornecem, e. informações sobre cemitérios e memoriais de ambas as guerras.

Segunda Guerra Mundial

Sua principal fonte de registros históricos sobre as forças armadas alemãs, especialmente para a Segunda Guerra Mundial, é o arquivo nacional (Bundesarchiv). Desde 2019, documentos do primeiro Deutsche Dienststelle (Foi, Deutsche Dienststelle für die Benachrichtigung der nächsten Angehörigen von Gefallenen der ehemaligen deutschen Wehrmacht) são mantidos no departamento PA (Personenbezogene Auskünfte zum Ersten und Zweiten Weltkrieg).

Por favor, veja sua lista em seus registros. Isso inclui documentos pessoais, listas, documentos sobre perdas militares e um registro contendo mais de 18 milhões de soldados da Segunda Guerra Mundial.

Você tem que preencher um formulário de solicitação, fornecer informações conhecidas (obrigatório: nome e data de nascimento) sobre seus antepassados, verifique as opções em que tipo de informação você está interessado. Você também deve declarar seu relacionamento, por exemplo, "Neto".

(Eles podem pedir que você forneça informações adicionais para provar seu parentesco, especialmente se seu sobrenome for diferente ou se você estiver procurando por antepassados ​​que não sejam seus ancestrais diretos. Pode ser útil fornecer essas informações em sua primeira consulta. Para dar um exemplo: Se você está procurando por um irmão de seu avô, o WASt provavelmente enviará informações se você declarar sinceramente que esse irmão nunca foi casado e morreu sem filhos conhecidos.)

O relatório geralmente contém informações biográficas básicas (pai, data e local de nascimento), data de redação, número da etiqueta do cão, unidades de treinamento e unidades durante a guerra, patentes, notas sobre ferimentos e cativeiro.

Você pode ter que esperar até dois anos antes de receber uma resposta. As informações são fornecidas de acordo com a tabela de honorários do Arquivo Federal.

Importante: Observe que esses relatórios compilados não dirão a você o que seu ancestral passou, se ele participou de crimes de guerra ou que tipo de homem ele era. É uma mera lista burocrática de sua carreira militar. Muitos registros foram destruídos, então pode haver lacunas e a carreira militar pode ser reconstruída apenas a partir de listagens, não de registros pessoais individuais. Leia publicações sobre certas unidades (geralmente escritas por veteranos com forte tendência), literatura sobre um determinado teatro e literatura moderna sobre a história geral da Segunda Guerra Mundial para uma perspectiva mais ampla.

Se o seu ancestral fosse um Policial ou oficial na Wehrmacht, o Bundesarchiv em Freiburg (Bundesarchiv, Abteilung Militärarchiv) contém documentos pessoais. Eles também têm documentos sobre julgamentos militares e prêmios para todas as classes. o Bundesarchiv em Berlim possui registros de membros da SA, SS e Waffen-SS. Para acesso e custos, entre em contato com o Bundesarchiv.

Nota geral sobre o uso de recursos de arquivo alemães:

  1. Contate-os e diga o que você está procurando. Pergunte se é necessário / possível passar por aqui ou se a pesquisa pode ser feita pelo arquivo. (O último geralmente é possível para tarefas simples, como informações sobre a filiação ao partido nazista (NSDAP) e outras tarefas simples de pesquisa. Arquivos alemães geralmente não conduzem pesquisas extensas, você deve fazer isso por conta própria ou usar um serviço de pesquisa profissional .)
  2. Sua resposta conterá informações sobre os registros disponíveis, uso do arquivo e preços. Eles também enviarão um Benutzungsantrag (aplicativo). Você tem que preencher seus dados, em que está trabalhando e qual o propósito de sua pesquisa (acadêmico, particular (por exemplo, genealogia), oficial ...) e assinar suas condições. Para se ter uma ideia do preço: No verão de 2013, paguei ao Bundesarchiv por 30 minutos de pesquisa 15,34 euros e 0,43 euros por cada exemplar. Visitar um arquivo e fazer pesquisas nele geralmente é gratuito.

Informações sobre cativeiro de guerra podem estar contidas em seu dossiê da Deutsche Dienststelle. o Cruz Vermelha Alemã, Suchdienst München tem acesso a registros de prisioneiros em cativeiro soviético e soldados desaparecidos. Um registro soviético sobre um prisioneiro de guerra alemão geralmente consiste em cinco páginas. Ele contém informações que também podem ser úteis para questões genealógicas que não sejam relacionadas ao próprio prisioneiro de guerra:

  • notas sobre acampamentos e realocações
  • informações biográficas sobre o prisioneiro de guerra (data e local de nascimento, último endereço conhecido, conhecimento do idioma, filiação a partidos políticos, confissão, educação, profissão, situação familiar, posses, conexões privadas com a União Soviética, julgamentos, habilidades práticas)
  • informações militares (data de redação, ramo de serviço, unidade, número da etiqueta de cão, posto, função, prêmios, se entregue ou capturado, data e local)
  • natureza visual e características especiais do POW
  • informações biográficas de seus pais, esposa e irmãos (nome, sobrenome, idade, profissão, local de residência) e ainda mais detalhes sobre o pai (bens)

Eles enviam os registros dentro de algumas semanas. Os registros estão em russo. Eles costumam adicionar uma carta com uma tradução de notas sobre acampamentos e realocações. Eles não traduzem detalhes biográficos e militares. Você obterá um resumo onde poderá ver qual coluna contém quais informações e terá que procurar a tradução em outro lugar.

Tanto quanto sei, este serviço é gratuito. Eles pedem doações. Por favor, tenha em mente que o Suchdienst também ajuda a encontrar indivíduos desaparecidos em conflitos modernos.

Cruz Vermelha Alemã Suchdienst fornece também acesso a Vermisstenbildlisten. Essas listas de vítimas perdidas em ação foram criadas na década de 1950. O banco de dados foi criado a partir de consultas de familiares e outras partes, não é uma coleção de todos os soldados desaparecidos. 125.000 páginas em 225 volumes contêm 1.400.000 soldados (e civis), 900.000 entradas com fotografias. As listas estão online desde abril de 2015, no entanto, usá-las ainda é complicado, pois não podem ser pesquisadas por nome ou data de nascimento. Você precisa de um Feldpostnummer, um número de campo, um endereço de campo ou um último lugar conhecido.

As informações sobre os oficiais da Luftwaffe são compiladas em um site privado: Resumos de carreira de oficiais da Luftwaffe.

Primeira Guerra Mundial

Olhando para a Primeira Guerra Mundial, é importante saber onde seus ancestrais viveram na Alemanha. Dentro das forças do Império Alemão, dominado pela Prússia, os contingentes da Baviera, Württemberg e Saxônia permaneceram semi-autônomos e também mantiveram seus próprios registros.

Muitos dos registros de participantes da Primeira Guerra Mundial foram destruídos quando o arquivo militar prussiano em Potsdam pegou fogo em 1945. Exceto alguns Reichsmarine registros (da marinha), quase todos os documentos individuais do prussiano exército está perdido. Registros sobre membros da marinha nos anos entre 1871 e 1947 podem estar disponíveis no Deutsche Dienststelle (conforme detalhado acima).

Os registros de combatentes da Baviera, Württemberg, Baden e Saxônia são mantidos em arquivos locais:

Os registros de Württemberg e Baden podem ser acessados ​​online gratuitamente a partir do arquivo. Por favor, veja esta introdução (em alemão): Soldaten im Ersten Weltkrieg Findmittel zu den Personalunterlagen des XIV. Armeekorps im Generallandesarchiv Karlsruhe jetzt online. Você escolhe o período de tempo relevante para as escalas de serviço e pesquisa por unidade (não indexado).

Os registros da Baviera (Kriegsranglisten und -stammrollen des Königreichs Bayern) também estão disponíveis em Ancestralidade.com. Eles geralmente contêm informações biográficas curtas como ocupação e local de residência, carreira militar (posto, participação em batalhas, prêmios) e informações sobre os pais do soldado.

Não usei o arquivo saxão sozinho, então não sei se a pesquisa para registros militares individuais é conduzida pelo arquivo. Por favor, veja minhas dicas gerais acima.

O que fazer se seu ancestral lutou no exército prussiano? Durante a guerra, o exército anunciou mortes, ferimentos, soldados desaparecidos e prisioneiros de guerra no chamado Verlustlisten. Essas listas estavam em exibição pública. Eles contêm nomes, locais de nascimento e datas de nascimento completas ou incompletas (apenas dia e mês). Os nomes são listados de acordo com as unidades do soldado, portanto, se seu ancestral foi morto ou ferido, desapareceu em combate ou se tornou um prisioneiro de guerra, você pode reconstruir onde ele estava lutando e de qual unidade ele era membro nessa época. Lista de abreviações (com traduções) para diferentes tipos de ferimentos e mortes.

A associação genealógica alemã Verein für Computergenealogie tem a única coleção completa, indexada e de acesso livre deles. Você pode pesquisar os registros indexados usando esta máscara de pesquisa. Uma lista de soldados prussianos perdidos em ação também foi indexada. Essas listas são classificadas por unidade e contêm informações sobre as pessoas a serem contatadas (principalmente membros da família).

Existem muitas publicações sobre unidades da Primeira Guerra Mundial, escritas por veteranos. Esses livros geralmente fornecem uma visão detalhada sobre as rotas e ações militares e, às vezes, também contêm fotos e listas.

Para oficiais, existem outras listas compiladas, por exemplo, Friedrich Uebe: Ehrenmal des preußischen Offizier-Korps: alphabetisches Verzeichnis der im Weltkriege 1914/1918 gefallenen Angehörigen des preußischen Offizier-Korps. 1939. (entrada Worldcat). Este livro contém uma lista alfabética dos sobrenomes dos oficiais mortos, indicando a última unidade, data e local da morte. Uma fonte para promoções e transferências de oficiais é o jornal militar Militär-Wochenblatt, disponível no Ancestry.

Os membros caídos da marinha estão listados no Marine-Gedenkbuch (34833 nomes manuscritos) de acordo com suas unidades / navios. Este livro também foi indexado.

Os arquivos do Agência Internacional de Prisioneiros de Guerra contém 500.000 páginas de listas e seis milhões de fichas sobre prisioneiros de guerra (Primeira Guerra Mundial), incluindo prisioneiros de guerra alemães.

Primeira Guerra Mundial e Segunda Guerra Mundial

Para perdas militares de ambas as guerras, você pode usar um mecanismo de busca (“Gräbersuche”) fornecido pelo Volksbund. Seu banco de dados de cemitérios contém informações como data e local da morte. Ele também contém informações sobre soldados perdidos em combate ou soldados mortos não enterrados em cemitérios conhecidos. Entrar em contato com o Volksbund em uma de suas entradas de banco de dados pode ser útil. Freqüentemente, eles têm informações adicionais, como o local de sepultamento original ou a última unidade militar conhecida da vítima de guerra em seus repositórios. A ajuda deles é gratuita, considere fazer uma doação.

Uma fonte amplamente esquecida sobre os combatentes mortos são registros de morte locais no local de última residência. Esses registros geralmente indicam a patente, o local da morte, o escritório militar comunicante e / ou as circunstâncias da morte. Uma cópia pode ser solicitada no local Standesamt (cartório) ou do arquivo comunitário (os registros posso ser transferido do cartório para o arquivo após um determinado período de tempo, basta perguntar ao cartório de quem os documentos estão). Aplicam-se taxas.


Conteúdo

Emblema Nacional (águia de peito): Hoheitszeichen ou Wehrmachtsadler [editar | editar fonte]

o Reichswehr's o reconhecimento visual da nova realidade nacional-socialista veio em 17 de fevereiro de 1934, quando o Ministério da Defesa & # 911 & # 93 ordenou que a águia-e-suástica do Partido Nazista, agora o emblema nacional da Alemanha, fosse usado em blusas de uniforme e chapéus a partir de 1º de maio. O desenho adotado, em prata para o Reichsheer (Exército) e em ouro para o Reichsmarine (Marinha), era uma águia estilizada com asas biseladas estendidas segurando um móbile coroado Hakenkreuz, mais tarde a ser chamado de Wehrmachtsadler ("Águia das Forças Armadas"). & # 912 & # 93 Nas túnicas, isso tomava a forma de um remendo de pano de cerca de 9 & # 160 cm (3⅝ ") de largura usado no peito direito, acima do bolso. Para uniformes alistados, era tecido jacquard (" BeVo ") ou às vezes feito à máquina -Bordado em rayon cinza-prata, para oficiais à máquina ou bordados à mão em seda branca ou fio de alumínio brilhante, e para generais bordados à mão em barras de ouro.Abzeichentuch), um tecido de veludo retorcido que era originalmente Reichsheer cinza, mas no final de 1935 o renomeado Wehrmacht Heer mudou seu Abzeichentuch cor para um azul-esverdeado escuro chamado Flaschengrün (garrafa verde).

A guerra trouxe várias variações para a águia de peito, embora deva-se ter em mente que nenhuma delas foi substituída ou desautorizada, e todas estavam sendo usadas lado a lado no final da guerra. Quando as hostilidades começaram em 1939, nos alistados Feldbluse ou a blusa de campo a águia foi alterada de branco prateado para cinza fosco para visibilidade reduzida e em 1940 os fundos começaram a ser produzidos em cinza de campo (Feldgrau) Outra versão surgiu com o advento do Field Blouse Modelo 1944, que usava um forro triangular para maior rapidez e simplicidade de fabricação. Muito tarde na guerra, alguns Hoheitszeichen foram simplesmente impressos em tecido fino.

Panzer bordado à máquina Hoheitszeichen

Havia também versões para outros uniformes: variações brancas e cinza em preto para o uniforme Panzer, e em cinza-azulado fosco no fundo marrom para o tropical (Afrikakorps) uniforme. Um alfinete de águia de metal estampado no peito foi usado com a túnica branca de verão dos oficiais.

Patches de colarinho (Kragenpatten) & # 914 e # 93 [editar | editar fonte]

Litzen [editar | editar fonte]

Doppellitze, por volta de 1900

Oficial da Primeira Guerra Mundial com Litzen

Nos exércitos alemães do século 19, a Guarda e outros regimentos de elite usavam comprimentos de trança dupla (Doppellitze) circundando todo ou a maior parte do colar como uma marca de distinção. Em meados da Primeira Guerra Mundial, essas golas ornamentadas foram reduzidas a uma representação bordada de tranças curtas unidas nas pontas, costuradas a remendos usados ​​na frente da gola. Quando o Reichsheer foi estabelecido em 1921 como o primeiro exército nacional da Alemanha & # 915 & # 93 Litzen foram prescritos como o colar universal para todo o pessoal, exceto generais, e o Terceiro Reich continuou a prática.

Na túnica do vestido (Waffenrock) e o posterior uniforme "ornamentado", o Litzen foram bordados em fio de alumínio fino em um remendo de Abzeichentuch no portador Waffenfarbe, ou cor do ramo, o suporte também apareceu no espaço entre os dois Litzen, a Mittelstreife. Nos uniformes de campo e serviço, começando no final de 1935, o patch (Patten) era verde-garrafa escuro para combinar com a gola do Waffenfarbe "mostrado através" (na verdade o cordão colorido foi costurado) na faixa central de cada trança, o Litzenspiegel. Serviço para homens alistados Litzen eram tecidos à máquina em raiom cinza prateado; os oficiais eram bordados mais elaboradamente em seda branca ou fio de alumínio e eram um pouco maiores para combinar com seus colarinhos mais altos.

M35 dos NCOs Litzen e Tresse

Oficiais não comissionados (Unteroffiziere) usavam remendos padrão de colarinho alistado, mas se distinguiam por uma faixa de trança de raiom tecido com diamante cinza prata de 9 mm (Tresse) costurado na frente da gola e nas bordas inferiores, exceto no vestido Waffenrock onde o Tresse era de alumínio brilhante e circundava a borda superior do colarinho.

Campo inscrito Litzen

Em 1938, o crescimento rápido Heer descobriram que era impraticável, para o uniforme de campo alistado, fabricar e estocar uma infinidade de remendos de colarinho em diversos Waffenfarben que também teve de ser costurado e frequentemente alterado por alfaiates de unidade. Assim, novo universal Litzen foram introduzidos com o Litzenspiegel e Mittlestreife tecido em verde escuro para combinar com o adesivo de fundo, e que pode ser aplicado na fábrica Waffenfarbe agora era exibido nas alças, que simplesmente abotoavam e eram facilmente trocadas. Com a mudança do tempo de guerra para insígnias de menor visibilidade alistadas Litzen foram tecidos em "cinza-rato" fosco com listras cinza-campo, que foram inicialmente costuradas em remendos verdes do colarinho como antes, mas cada vez mais diretamente no colarinho, que a partir de 1940 foi feito em Feldgrau como o cinza uniforme Patten nunca foram produzidos. As tropas, no entanto, preferiam os remendos verdes (e coleiras) se os tivessem ou pudessem, especialmente em uniformes "limpos" para abandonos e veteranos de longa data tinham orgulho particular dos pré-38 Litzen com listras coloridas.

Túnica NCO com insígnia pós-1940

Em contraste, os remendos do colarinho do uniforme de serviço dos oficiais nunca mudaram. Embora a maioria dos oficiais na linha de frente usasse o uniforme de campo alistado de acordo com os regulamentos do tempo de guerra, muitos optaram por ter seu uniforme verde e prata Kragenpatten adicionado em vez de (ou no topo) da fábrica Litzen.

Em uniformes tropicais verde-oliva, os remendos do colarinho eram bronzeados com cinza-azulado opaco Litzen para todos os oficiais de pessoal novamente, às vezes adicionavam seu verde Kragenpatten. NCO tropical Tresse era marrom-cobre, ou às vezes verde-oliva monótono.

Uniformes de veículos blindados [editar | editar fonte]

Panzer Totenkopf alfinete

Uma grande exceção ao uso de colarinho Litzen era o "panzer wrap", a jaqueta trespassada usada por tripulações de tanques e outros veículos blindados. Quando o Panzertruppe foram estabelecidos em 1935, eles receberam um uniforme preto distintivo e como um distintivo o Totenkopf ou Death's-head, versões das quais anteriormente eram usadas pelo corpo de tanques imperiais e várias unidades de cavalaria. Esses crânios assumiram a forma de pinos de metal branco presos a Kragenpatten que foram afiadas em Waffenfarbe tubulação.

Em meados de 1940, tripulações de armas de assalto (Sturmgeschützen) receberam uniforme próprio, de corte idêntico ao Panzerjacke mas em cinza de campo padrão, que usavam com canos de artilharia vermelhos. Ao longo da guerra, uma série de regulamentações desconcertantes e mutáveis ​​regeu os uniformes e as insígnias de armas de assalto, caça-tanques, carros blindados e armas autopropelidas (SPG). Dependendo da unidade e da data, o envoltório preto ou cinza ou o padrão Feldbluse pode ser autorizado, e na jaqueta cinza "arma de assalto", os remendos do colarinho podem ser pretos com crânios ou cinza com crânios, Litzenou nenhum dispositivo. O resultado na prática foi o caos que as fotos do tempo de guerra mostram uma mistura de uniformes e insígnias usados ​​não apenas no mesmo batalhão, mas até no mesmo veículo.

Oficialmente, ambas as cores do envoltório panzer estavam funcionando e os uniformes de campo para serem usados ​​somente dentro ou ao redor do veículo, esse regulamento foi universalmente ignorado. Panzertruppen recebiam uniformes padrão para uniformes de serviço e para sair, mas raramente os usavam, preferindo muito mais suas jaquetas exclusivas.

No Norte da África, as equipes do AFV usavam o mesmo uniforme tropical que os outros ramos, incluindo colarinho Litzen muitos petroleiros, no entanto, fixaram seus Totenkopf distintivos em suas lapelas.

Regimento da Infanterie "Großdeutschland" [editar | editar fonte]

Collar Litzen para NCO of I.R. "Großdeutschland"

Em junho de 1939, a Wehrmacht Heer queria renovar seus laços com a tradição do Velho Exército, introduzindo um novo uniforme para sua unidade de maior prestígio: Wachregiment "Berlin" que foi renomeado Regimento de infantaria "Großdeutschland". O novo Waffenrock para I.R. "Großdeutschland" tinha um Litzen alongado. Embora mostrado à imprensa, este novo uniforme não foi fornecido à unidade devido ao início da Segunda Guerra Mundial. Em vez disso, ele foi colocado no armazenamento do depósito.

Oficiais do Estado-Maior Geral [editar | editar fonte]

Litzen dos oficiais do Estado-Maior

Generalstaboffiziere foram oficiais cuidadosamente selecionados e treinados para representar o Corpo de Estado-Maior Alemão nas funções de comando e estado-maior. Eles classificaram de Hauptmann im Generalstab (capitão) através de Oberst i.G. (coronel). Todos foram graduados antes de 1939 na Academia Militar, o Kriegsakademie. Nas equipes de divisão, eles ocupavam a posição de I a (chefe de equipe operacional) ou Ib (chefe da retaguarda). Nos escalões mais altos, as seções do estado-maior de inteligência e treinamento ficavam a maior parte do tempo sob o comando pessoal dos oficiais do Estado-Maior. Os Oficiais do Estado-Maior Geral tinham seu próprio Litzen distinto, chamado alt-Preußische (antigo prussiano), ou Kolbenstickerei ("bordado de lóbulo"). Estes eram os mesmos em vestido carmim Kragenpatten ou patches de serviço verdes coloridos Litzenspiegel eram desnecessários. Oficiais do estado-maior geral atribuídos ao quartel-general supremo (o Reichskriegsministerium, mais tarde o OKH e o OKW), o Kriegsakademie e os adidos militares foram ainda mais distinguidos por terem seus Litzen em ouro em vez de prata. Esses Generalstaboffiziere foram chamados de "des Generalstabs", Oberst d.G., etc. Os Litzen dourados especiais foram abolidos em novembro de 1942. Apenas os adidos militares mantiveram seus Litzen enquanto permaneceram em suas posições atuais. O Führer queria uma união mais estreita entre a frente e o OKW e o OKH.

Além dos remendos no colarinho, os Oficiais do Estado-Maior usavam calças listradas, com o mesmo desenho dos generais, mas em carmim em vez de escarlate.

Generais [editar | editar fonte]

A partir de 1900, os generais prussianos usavam remendos ornamentados no colarinho, bordados em um estilo chamado alt-Larisch, que havia sido usado pela primeira vez no século 18 pelo Regimento de Infantaria 26 (älterer von Larisch), o Reichsheer e a Wehrmacht continuou a tradição. Esses dispositivos, às vezes chamados de Arabesken (arabescos), eram bordados em barras de ouro ou ouro sintético Celleon sobre Hochrot (escarlate) apoio. Os marechais de campo usavam o mesmo Arabesken como generais até abril de 1941, quando foram autorizados uma variante mais longa com três em vez de duas iterações do padrão de repetição, para um total de seis "pontas". Em alguns casos, o GFM não se preocupou em substituir as abas de seus generais, ou o fez apenas em seus uniformes de gala.

Oficiais gerais do Serviço de Tropas Especiais (Truppensonderdienst - TDS) e das carreiras especializadas (médica, veterinária, artilharia e parque automóvel) usaram a mesma insígnia até abril de 1944, quando foram obrigados a trocar seu escarlate Kragenpatten para alt-Larisch guias apoiadas em seus respectivos Waffenfarbe:

  • médico - azul centáurea Waffenfarbe
  • veterinário - carmim Waffenfarbe
  • munição - laranja & # 916 & # 93 Waffenfarbe
  • parque automóvel - rosa Waffenfarbe
  • TDS administrativo - azul brilhante Waffenfarbe
  • Judiciário TDS - vinho tinto Waffenfarbe.

Em outubro de 1944, o período de desgaste da cor de fundo escarlate para generais das carreiras de especialista foi estendido por um período indeterminado.

Chef [editar | editar fonte]

GFM von Rundstedt em túnica de oficial de infantaria como Chefe de cozinha do 18º I.R.

Ombros e Litzen de von Rundstedt

Na Wehrmacht Heer, após a aposentadoria, certos generais alemães graduados foram agraciados com o posto honorário de Chefe de cozinha of a regiment, much like the Honorary Colonel in the British Army. It was a German custom dating from the late 18th Century. These generals were authorized to wear the tunic and insignia of an officer of the regiment, including ordinary officers’ Litzen. Field Marshal Gerd von Rundstedt, Chef of the 18th Infanterie Regiment, wore a big 18 on his shoulderboards, and for everyday wear favored the ornamented tunic of an infantry officer with white piping rather than a general's uniform. Hitler appointed first Generaloberst Hans von Seeckt, ancient "Chef der Heeresleitung", to be Chef of the 67th Infanterie Regiment on his 70th birthday in April 1936, a few months before he died. Only seven German generals were appointed Chefs: in addition to Seeckt and Rundstedt they were General der Infanterie Ritter von Epp Chef of the 61st Infanterie Regiment in Munich  Generalfeldmarschall von Mackensen Chef of the 5th Kavallerie Regiment in Stolp, Generaloberst von Fritsch Chef of the 12th Artillerie Regiment in Schwerin, and Generalfeldmarschall von Böhm-Ermolli Chef of the 28th Infanterie Regiment in Troppau. Generalfeldmarschall von Blomberg was appointed Chef of I.R. 73 and wore a big 73 superimposed over the crossed batons of his shoulder board, but on 4 February 1938 he was dismissed and his name was deleted from the seniority list.

Shoulder-straps (Schulterklappen) and shoulderboards (Schulterstücke) [ edit | editar fonte]

Enlisted men [ edit | editar fonte]

o Reichsheer's shoulder-straps were very similar to those of World War I, made of feldgrau uniform cloth with pointed or "gable" button ends. In December 1934 the material was changed to grey badge-cloth (Abzeichentuch) and in September 1935 changed again to dark bottle-green (flaschengrün) These "first pattern" shoulder-straps were not edged in Waffenfarbe piping.

In 1938, simultaneous with the removal of Waffenfarbe from field-uniform collar patches, new shoulder-straps were issued. These "second pattern" straps had round rather than pointed ends, and were edged on three sides with wool (later rayon) piping in Waffenfarbe. This pattern would be used through the end of the war, although in 1940 manufacture reverted to field-grey uniform cloth, and as usual alternate versions were made to go with the Panzer uniform (black), tropical uniform (olive cotton) and HBT summer uniform (reed-green twill). Schulterklappen were not worn with the fatigue uniform, nor with camouflage smocks and parkas which used an alternate system of rank insignia.

For junior enlisted men (Mannschaften), rank insignia if any was worn on the left sleeve. However the epaulettes did indicate the wearer's unit (usually regiment or independent battalion) together with his sub-branch if any, machine-embroidered in branch-color. Por exemplo, um Schulterklappe with rose-pink piping and number "4" would indicate the 4th Panzer Regiment but if it carried a pink number "4" and letter "A" it would indicate the 4th Armored Reconnaissance (Aufklärungs) Battalion. The German Army used a very large assortment of Latin initials, Gothic initials, script ciphers, Arabic numerals, Roman numerals and symbols to designate all its various service branches and installations. Before the war, shoulder-buttons were embossed with the number of the wearer's company as well, this practice was discontinued "for the duration."

Cavalry Oberwachtmeister, tropical

Beginning in January 1940, shoulder-straps with unit insignia were (supposed to be) phased out as a security measure, and removable fabric loops with devices were issued instead. In May 1944 the embroidery was changed from waffenfarbe to light gray.

Non-commissioned officers wore their rank insignia on their shoulder-straps, consisting of braid and pips (pyramidal "stars"). Um Unteroffizier's (corporal's) epaulette was edged with Tresse on three sides and an Unterfeldwebel's (sergeant's) on all four. Senior NCO's (Unteroffiziere mit Portepee) added one to three pips in addition, their unit identifiers took the form of white-metal pins rather than embroidery.

Shoulder-straps were made in both a standard width (4.5 cm, 1¾") and a wider one for three-digit unit numbers (5.3cm, 2"), and in three lengths depending on the size of the man. There was in addition an extra-large size for the overcoat (Mantel).

Officers [ edit | editar fonte]

Officers' shoulderboards were constructed from "Russia" braid, an aluminum-thread double piping. Company-grade officers (Leutnant Através dos Hauptmann/Rittmeister) wore epaulettes constructed by wrapping two side-by-side lengths of braid around the buttonhole and back, giving the appearance of eight parallel cords the whole was sewn to an underlay (Unterlagen) do Waffenfarbe badge-cloth. Until 1938 the underlay was of the same outer dimensions as the braid, and only visible edge-on in that year the underlay was made wider, so as to create the impression of edge piping like the enlisted shoulder-strap. Rank was indicated by zero to two gilt-metal pips unit designators were also of gilt metal.

Field-grade officer (Stabsoffizier) shoulderboards were made by plaiting together double widths of Russia braid and looping them to form a buttonhole, sewn to a Waffenfarbe underlay rank again was displayed by zero to two gilt pips.

Once the war began, dull grey aluminum braid appeared, but bright aluminum continued in use.

Generals [ edit | editar fonte]

Generals' shoulderboards were constructed similarly to those of field-grade officers, but comprised a length of silver Russia braid between two braided cords of gold bullion or Celleon. Since the resulting combination was wider, generals' boards were plaited in four 'loops' rather than five. Their buttons were gilt, and rank was indicated by zero to three silver pips, or crossed batons in the case of field marshals. The underlay was scarlet, except (from 1944) for generals of staff corps, who were instructed to wear Waffenfarbe em vez de.

Em abril de 1941, Generalfeldmarschall epaulettes were changed to incorporate a central gold cord instead of silver.

Colonels-in-chief wearing that uniform wore gold generals' shoulderboards underlaid with the Waffenfarbe of the regiment rather than scarlet GFM von Rundstedt sometimes simply pinned his crossed batons to an infantry colonel's epaulettes.

Retired Personnel [ edit | editar fonte]

By order of Marshal Hindenburg in March 1932, soldiers who retired after 15 years of service received the right to wear the uniform of the unit they left. The shoulderboards and shoulder straps of retired soldiers had a bridle 1.5 cm wide attached under the middle.

Headgear [ edit | editar fonte]

Caps and helmets bore two common insignia elements, in various forms: the National Emblem (eagle and swastika) and the national colors. World War I caps had carried dual cockades or roundels, one in Imperial black-white-red and one in the colors of the particular State within the Empire. o Reichsheer changed this to a single cockade in the Weimar Republic's black, red and gold almost as soon as Hitler took power he restored the pre-1919 tricolor flag, and ordered the Army to return to black-white-red.


Reference Key for Injuries for WWI German Casualty Lists?

Is anyone aware of a quick reference or list of injuries / cause of death for world-war-1 German Casualty lists, such as in the following example.

This doesn't appear to be just a death list, but any injury from translating a few but also seems to be broad.

I do not read or speak German, and Google Translate for like 'gefallen' says 'like' which doesn't make sense and also the 'bermenbet' I tried doesn't translate.. it could at least partially be my reading of German but would think it would be expedite my readings of these with a key.

I also looked at the very broad WWI and WWII German Soldier question and didn't see something jumping out in the links there as well as some other website's including Family Search's German Military Record page.

Is there a key to the casualty lists and more specifically the injuries / deaths associated with them?


Roman Army Ranks in Order

The following article describes in order the basic Roman army ranks. The Roman army was the most sophisticated armed force during its time. It was reformed several times in the course of history, and was finally disbanded in 476 A.D., as a consequence of the fall of Rome.

The following article describes in order the basic Roman army ranks. The Roman army was the most sophisticated armed force during its time. It was reformed several times in the course of history, and was finally disbanded in 476 A.D., as a consequence of the fall of Rome.

Efficient field and military formations, formidable fighting skills, a domineering infantry, genius garrison, arms, and armaments engineers and keenly crafted Roman weapons, are some of the features of the Roman army. This elite force not only consisted of Roman citizens but also of mercenaries who fought for wages. Among all these sophisticated features of the Roman army, the highly advanced structure of the army was a big contributing factor to the success of the force. The might of the army helped the Roman empire to rule a substantial part of central Europe, some part of Asia and also a part of Northern Africa, dominating the regions till its fall. On the whole the property and success of Roman civilization was largely aided by the army’s formidable campaigns.

Roman Army Corps and Field Formations

The army ranks which we know as of today, are an evolution of several reforms that were initiated after the blunders by Roman generals. Important lessons learned were during the wars against Carthage where Hannibal inflicted several losses on the Roman army in 216 B.C. Another incident in 9 A.D., where three Roman legions were slaughtered by the Germanic tribes in the ambush of Teutoburg forest, a loss too overwhelming. In 107 B.C., the Marian reforms gave birth to the initial and basic structure and ranks of the Roman army.

At the height of its power and glory, the Roman army was divided into 3 primary corps, namely, the Roman legions, Praetorian Guard and the Roman auxiliaries. The Roman cavalry is often considered to be a separate corps, however they were integrated into the field formations of the aforementioned corps. The basic armed unit was the legion and usually consisted of 6,000 soldiers, including officers. These men were divided into cohorts, which were further divided into centuries. The cohorts and centuries were commanded by the centurions and all the senior officers in turn commanded the centurions.

The primary field formation of the auxiliaries on the other hand was regimental. The auxiliaries were recruited from tribes, non-citizens, people from conquered Roman provinces. In general, they acted as mercenaries as compared to the Roman legions. Depending upon the deputation of auxiliary regiment and the need of the provinces strategic defenses, the ranks and field formations greatly differed. The auxiliaries consisted of three primary corps, namely, Cohortes (infantry), Alae (cavalry) and Cohortes equitatae (cavalry and infantry). These troops also often provided support such as logistics, patrolling, continuous watch, etc. They often acted as the paramilitary forces of Rome. There were some other corps of the auxiliaries, namely, heavily-armoured lancers, camel troops, scouts, and slingers.

The Praetorian guard was an elite force, which was under the direct command of the Emperor or the Generals. The primary task of the Praetorian guards was to act as bodyguards but the probability that this guard engaged in commando and covert operations cannot be dismissed. The history of the guard is shrouded with controversy as the guard also had a political arm.

Roman Army Ranks in Order

The following are tables depicting the ranks of the Roman army, classified as per the corps mentioned above. It must be noted that the ranks are in descending order:

Roman Legions
Senior Officers – Starting from Senior most
Sr.No Name of Rank/Position Note
1. Legatus legionis ou Legate Legion commander, holding political authority, usually a senator with military experience, governor or head of the province, multiple legions under command, commanded an entire Legion of 6,000 men
2. Dux or Leader General of more than one provincial military unit
3. Tribunus laticlavius or the Broad Band Tribune Second in command of the legion, deputy or second in command of Legate or Dux
4. Praefectus castrorum Third in command and also usually a war hardened veteran, formidable field commander
5. Tribuni angusticlavii or Narrow Band Tribunes Every legion had about 5 or so Tribuni angusticlavii, who in most of the cases were members of high ranking families, and were quite young
Centurions – Starting from Senior most
Sr.No Name of Rank/Position Note
1. Primus pilus or 1st Centurion The senior most among all centurions and led the 1st century of the first cohort.
2. Pilus prior The next 9 Centurions younger and inexperienced to the Primus pilus
3. Primi ordines The next 5 Centurions, younger by experience to the Pilus priors
4. Other Centurions Centurions with lesser experience with 60 such centurions being attached to one legion
Other Ranks – Starting from Senior most
Sr.No Name of Rank/Position Note
1. Optio One deputy of each centurion again about 60 per legion, appointed by receptive centurions
2. Tesserarius or Guard commander Second in command and one for every century (100 men) and also acted as administrative assistant
3. Decurio Commander of a small cavalry unit known as eques legionis and has 10 to 30 men under his command.
4. Decanus Commanded 8 regular soldiers/legionaries
Praetorian Guard – Descending Order
Sr No Rank/Position Note
1. Praefectus Head of all Praetorian Guards
2. Tribuni Deputies to the Praefectus
3. Centuriones Commanders of Centuries of Guards, commanded up to 100 men
4. Evocati Augusti Guardsmen and soldiers who chose not to retire
5. Immunes Soldiers with highly specialized skills, right from engineers to intelligence and assassins
6. Milites Regular Soldiers

It must be noted that since auxiliaries were non-regular infantry soldiers. Due to the immense complexities in the organizations, their ranks have not been included. Within the legions some special duty ceremonial posts. These included, Aquilifer, Signifer, Cornicen, Imaginifer, Immunes, Evocati, and Duplicarius. Every cohort or century had at least one such post.


This Mayor took time off to go to war in Afghanistan

Posted On April 02, 2018 09:36:37

This post is reprinted with permission from NationSwell, new digital media company focused on American innovation and renewal.

Most of us can’t take a seven-month leave of absence from work, but most of us don’t have as good of an excuse as Mayor Pete Buttigieg of South Bend, Ind.

Mayor Buttigieg, better known as “Mayor Pete,” took office January 1, 2012, at the age of 29 — making him the youngest mayor in America to serve a city with more than 100,000 residents. He assumed command while still fulfilling his monthly commitments as a member of the Navy Reserve, but after about two years in office, he was called to serve abroad.

After a few months of preparation with his mayoral team, Buttigieg left South Bend in the hands of his Deputy Mayor Mark Neal and departed to perform intelligence counter-terrorism work in Afghanistan for seven months.

Buttigieg grew up in South Bend. His parents were transplants that arrived a few years before his birth to pursue work at the University of Notre Dame. Although his family found opportunity in the Indiana city, Buttigieg would come to learn while growing up that his hometown was a city in crisis: the all-too-familiar tale of a Midwestern town in an economic tailspin due to loss of industry. In South Bend’s case, it was the shuttering of the Studebaker car company, which until 1963, when its factories closed, was the largest employer in town.

After high school, Buttigieg left South Bend to pursue higher education, first at Harvard and later, at Oxford as a Rhodes Scholar. After spending some time in the private sector doing consulting work, he joined the Navy as a reservist in 2008, putting into practice his childhood admiration of his great uncle, a family hero who died while serving in 1941.

The Great Recession hit South Bend hard, and Mayor Pete recalls following his hometown’s news from a distance.

“I was reading headlines from home,” says Buttigieg, “I was thinking, ‘Jeez, we gotta do more, we gotta change things a little bit back home.’ And then beginning to stop asking that question ‘why don’t they…’ and start asking that question ‘why don’t we?’ or ‘why don’t I?'”

Buttigieg returned to South Bend in 2008 and made his first foray into politics: a run for Indiana State Treasurer in 2010 (an effort he lost decisively to incumbent Richard Mourdock). While contemplating his next step, it became apparent that South Bend would soon have an open-seat mayor’s race for the first time in 24 years. Encouraged by his supporters in town, Buttigieg ran and was elected mayor on November 8, 2011, with 74 percent of the vote.

Buttigieg’s administration works hard to reinvent South Bend, while still acknowledging and celebrating its past, including work to redesign the old Studebaker campus into a turbo machinery facility in partnership with Notre Dame. By taking advantage of its excellent Internet capability (thanks to fiber optic cables that run through the town via old railroad routes), the city is attracting tech start-ups. Additionally, a 311 line has been set up for city residents.

But what might be called Buttigieg’s signature program is his plan to demolish, renovate or convert 1,000 vacant homes in 1,000 days. Since 1960, South Bend has lost about 30,000 residents, and empty homes pepper the entire town — attracting crime and lowering property values. This ambitious program, dubbed the Vacant Abandoned Properties Initiative, was launched in February 2013. As of January 10, 2015, 747 properties have been addressed, putting South Bend is ahead of schedule.

Buttigieg recently announced that he is running for a second term, perhaps surprising those who assumed he was only interested in using the mayor’s office to further his career. He is also personally renovating a home in the neighborhood where he grew up, while continuing to give one weekend a month to the reserves. He sees the recent initiatives in South Bend as a way to establish the next era for the community and is excited about the way South Bend is once again investing in itself.

“I would like to believe that if the work matters to you,” says Buttigieg, “and the importance of it is what fills your sails, that people can see that.”

More from NationSwell:

This article originally appeared at NationSwell Copyright 2015. Follow NationSwell on Twitter.


Assista o vídeo: ATK do Exército Alemão Yuri-takahashi Part 2