Hawkins DD- 873 - História

Hawkins DD- 873 - História

Hawkins

William Deane Hawkins nasceu em 19 de abril de 1914 em Fort Scott, Kansas, e se alistou no Corpo de Fuzileiros Navais em 5 de janeiro de 1942. Ele aceitou uma comissão de campo de batalha nas Ilhas Salomão em 18 de novembro de 1942 e foi morto em 21 de novembro de 1943 no ataque a Tarawa. O primeiro-tenente Hawkins recebeu a medalha de honra por sua bravura durante o ataque sangrento a Betio, no qual deu sua vida. A citação diz em parte: "Conduzindo destemidamente seus homens para unir-se às forças que lutavam desesperadamente para ganhar uma cabeça de ponte, ele arriscou repetidamente sua vida durante o dia e a noite para dirigir e liderar ataques a caixas de remédios e instalações com granadas e demolições .... Recusando-se a se retirar depois de ser gravemente ferido no peito durante esta escaramuça, o primeiro-tenente Hawkins firmemente levou a luta até o inimigo, destruindo mais três caixas de pílulas antes de ser pego por uma explosão ou granada japonesa Gre e mortalmente ferido. Seu espírito de luta implacável no face à oposição formidável e suas táticas excepcionalmente ousadas foram uma inspiração para seus camaradas durante a fase mais crucial da batalha e refletem o maior crédito para o Serviço Naval dos Estados Unidos. "

(DD - 873: dp. 2.425, 1. 390'6 ", b. 41'1", dr. 18'6 ", s. 35 k .; cpl. 367; a. 65", 63 ", 521" tt., 6 dcp., 1 dcp. (hh),

2 dct .; cl. Engrenagem)

Hawkins (DD-873), originalmente Beatty, mas renomeado em 22 de junho de 1944, foi lançado por ~ Consolidated Steel Co, Orange, Tex., 7 de outubro de 1944; patrocinado pela Sra. Clara Hawkins, mãe do primeiro-tenente Hawkins; e comissionado em 10 de fevereiro de 1945, Comdr. C. Iverson no comando.

Após o treinamento de shakedown no Caribe, Hawkins chegou a Norfolk em 23 de março de 1945 para ser convertido em um navio de piquete de radar. Emergindo em 26 de maio, ela conduziu exercícios de treinamento antes de embarcar em 18 de junho da Baía de Guantánamo, Cuba, para San Diego e Pearl Harbor. Após sua chegada em 8 de julho, Hawkins se preparou para entrar na última fase da Guerra do Pacífico, mas três dias após sua partida em 12 de agosto de Pearl Harbor para Eniwetok, os japoneses se renderam. O contratorpedeiro continuou de Eniwetok a Iwo Jima e a Baía de Tóquio, chegando em 27 de agosto e auxiliado nas primeiras operações de ocupação. Ela então escoltou navios de ida e volta para as Marianas, permanecendo em águas japonesas até 3 de janeiro de 1946. Hawkins então navegou para as Filipinas e Saipan, finalmente chegando a Pearl Harbor em 3 de abril ~ 1o.

Chegando a San Diego em 11 de abril, o contratorpedeiro participou de operações de treinamento na costa oeste até navegar novamente para o Extremo Oriente em 6 de janeiro de 1947. Durante os meses que se seguiram, ela navegou entre os portos chineses e coreanos, auxiliando e apoiando unidades da Marinha americana em suas tentativas para estabilizar a explosiva situação chinesa e proteger vidas americanas. Hawkins também participou de operações de resgate ao largo de Hong Kong em 19 de julho de 1947, quando o gigante navio a vapor Hong Kong afundou com mais de 2.000 passageiros a bordo. Ela voltou ao United Status em outubro de 1947.

Após um ano de operações saindo de San Diego, o navio navegou novamente para o conturbado Extremo Oriente, chegando a Tsingtao, China, em 29 de outubro. Após as operações na costa da China, Hawkins começou a partir de Tsingtao em 6 de dezembro. Nesta longa viagem, completando um circuito do globo, o destróier visitou o Ceilão, Turquia, Gibraltar, Nova York e o Panamá antes de chegar a San Diego em 16 de março de 1949.

Hawkins foi transferido para a Frota do Atlântico logo depois, chegando ao seu novo porto, Newport, em 23 de maio de 1949. No ano seguinte, ela participou de cruzeiros de treinamento de reserva e exercícios de preparação no Caribe. O navio foi reclassificado como DDR 573 em 15 de março de 1949. Hawkins partiu em 2 de maio de 1950 para um cruzeiro com a 6ª Frota no estratégico Mediterrâneo.

Enquanto estava lá, ela e o mundo ficaram chocados com a invasão comunista da Coréia do Sul. Após as manobras da OTAN, ela voltou a Newport em 10 de outubro e se preparou para se tornar parte do longínquo baluarte da nação no conflito coreano. Navegando em 3 de janeiro pelo Canal do Panamá, ela chegou a Pusan ​​em 5 de fevereiro. Durante seus 4 meses de serviço coreano, os parentes de Hau examinaram as forças da transportadora móvel durante ataques a posições inimigas e linhas de abastecimento, forneceu proteção anti-submarino e controlou aeronaves a jato em patrulhas aéreas de combate. Ela também atuou como guarda de avião durante as operações no estreito de Formosa, destinadas a desencorajar a agressão comunista contra a ilha amiga. Saindo do Extremo Oriente em junho, o destróier retornou a Newport em 8 de agosto pelo Mediterrâneo.

Nos anos seguintes, o navio veterano alternou as operações de piquete e treinamento no Atlântico ocidental com cruzeiros periódicos para o Mediterrâneo com a 6ª Frota. Ela estava no Mediterrâneo Oriental durante o verão de 1956, quando a crise de Suez ameaçou a segurança e a paz da região. Hawkins chegou a Mayport, Flórida, seu novo porto de origem, em 18 de agosto de 1960, e logo retomou seu padrão de cruzeiros para o Mediterrâneo. Em 1961 ela operou com um Grupo de Tarefa especial em conexão com experimentos espaciais americanos e testes de mísseis ao largo do Cabo Canaveral, agora Cabo Kennedy. Quando a introdução de mísseis ofensivos em Cuba em 1962 ameaçou a segurança dos Estados Unidos, Hawkins juntou-se a outros navios na quarentena daquele país caribenho, cruzando o Caribe do final de outubro até dezembro em uma demonstração moderna do poder das forças à tona. Em 1963, o navio voltou ao Mediterrâneo na primavera e em agosto participou de testes de mísseis Polaris no Caribe com o submarino Alexander Hamilton. Durante os 5 meses seguintes, Hawkins operou com companhias aéreas na Flórida e no Caribe. Após testes adicionais de mísseis Polaris com Andrew ~ Jackson (SSBN-619) em fevereiro de 1964, ela viajou para Boston em 21 de março e foi colocada em comissão, na reserva, antes de passar por uma revisão do FRAM I.

Reclassificado DD-873 em 1º de abril, Hawkins completou FRAM no final de 1964. Atribuído ao Destroyer Squadron 24, ela operou em Newport até partir em 29 de setembro para o serviço no Ear East. Navegando pelo Canal do Panamá e pela Costa Oeste, ela se juntou à 7ª Frota em 23 de novembro como parte do poderoso compromisso naval da América para impedir a agressão comunista no Sudeste Asiático. Nos três meses seguintes, ela protegeu porta-aviões de grande impacto no Mar da China Meridional e no Golfo de Tonkin e forneceu suporte de tiros para as tropas terrestres ao longo da costa do Vietnã do Sul. Ela partiu de Subic Bay no final de fevereiro de 1966, navegou pelo Canal de Suez e chegou a Newport em 8 de abril.

Hawkins manteve a prontidão máxima de sua tripulação e equipamento nos meses seguintes, com exercícios na Costa Leste e no Caribe. Saindo de Newport em 28 de novembro, ela se juntou à quinta Frota em Gibraltar em 8 de dezembro e tornou-se a capitânia do ComDesRon 24. Por mais de 3 meses ela cruzou o Mediterrâneo da Espanha à Grécia antes de retornar a Newport em 20 de março de 1967. Em meados de 1967 ela operou ao longo do Costa Atlântica da Nova Inglaterra à Flórida, preparada como sempre para cruzar em defesa dos Estados Unidos e do mundo livre.

Hawkins recebeu duas estrelas de batalha pelo serviço coreano.


USS Hawkins (DD-873)

USS Hawkins (DD-873 / DDR-873) là một tàu khu trục lớp Engrenagem được Hải quân Hoa Kỳ chế tạo vào giai đoạn cuối Chiến tranh Thế giới thứ hai. Nó là chiếc tàu chiến duy nhất của Hải quân Mỹ được đặt theo tên Đại úy Thủy quân Lục chiến William Deane Hawkins (1914–1943), người đã tử trận trong trong trận Tara và chiến William Deane Hawkins. [3] [4] Không kịp hoạt động trong Thế chiến II, con tàu tiếp tục phục vụ trong giai đoạn Chiến tranh Lạnh, Chiến tranh Triều Tiên và Chiến tranh Việt Nam n t Nam, 1979 đến khi nừm ng. chuyển cho Đài Loan vào năm 1983 và tiếp tục phục vụ cùng Hải quân Trung Hoa dân quốc như là chiếc ROCS Shao Yang, còn được gọi là Tze Yang, cho đến những năm cuối của thập niên 1990 con tàu bị tháo dỡ sau đó, nhưng một phần cấu trúc thượng tầng còn được giữ lại để trưng bày. Hawkins được tặng thưởng hai Ngôi sao Chiến trận do thành tích phục vụ trong Chiến tranh Triều Tiên.

  • DDR-873, 18 de março de 1949
  • DD-873, 1º de abril de 1964
  • 2.616 tấn Anh (2.658 t) (tiêu chuẩn)
  • 3,460 tấn Anh (3,520 t) (đầy tải)
  • 2 × turbina hơi nước hộp số General Electric
  • 4 × nồi hơi
  • 2 × trục
  • công suất 60.000 shp (45.000 kW)
  • 6 × pháo 5 in (127 mm) / 38 calibre trên bệ Mk 38 lưỡng dụng nòng đôi (3 × 2)
  • 12 × pháo phòng không Bofors 40 mm (2 × 4 e amp 2 × 2)
  • 11 × pháo phòng không Oerlikon 20 mm
  • 2 × đường ray thả mìn sâu
  • 6 × máy phóng mìn sâu K-gun
  • 10 × ống phóng ngư lôi21 pol (533 mm)

USS Hawkins (DD-873), J.G. Lotto, segunda guerra mundial

USS Hawkins (DD-873) foi um contratorpedeiro da classe Gearing na Marinha dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. Após a guerra, o navio prestou serviço na Guerra da Coréia e, na década de 1970, foi transferido para a Marinha da República da China como Shao Yang, também conhecido como Tze Yang. Ela permaneceu no serviço até a década de 1990. O navio foi então sucateado, com exceção de sua superestrutura, que se tornou parte de uma exibição em um museu.

Hawkins, originalmente chamado de Beatty, mas renomeado em 22 de junho de 1944 e lançado pela Consolidated Steel Corporation, Orange, Texas, 7 de outubro de 1944, patrocinado pela Sra. Clara Jane Hawkins, mãe do primeiro tenente homônimo William Deane Hawkins (morto em Tarawa). O destruidor foi comissionado em 10 de fevereiro de 1945, Comdr. C. Iverson no comando.

Após o treinamento de shakedown no Caribe, Hawkins chegou a Norfolk em 23 de março de 1945 para se submeter à conversão em um piquete de radar. Emergindo em 26 de maio, ela conduziu exercícios de treinamento antes de embarcar em 18 de junho da Baía de Guantánamo, Cuba, para San Diego e Pearl Harbor. Após sua chegada em 8 de julho, Hawkins se preparou para entrar na última fase da Guerra do Pacífico, mas três dias após sua partida em 12 de agosto de Pearl Harbor para Eniwetok, os japoneses se renderam. O contratorpedeiro continuou de Eniwetok a Iwo Jima e a Baía de Tóquio, chegando em 27 de agosto, e auxiliou nas primeiras operações de ocupação. Ela então escoltou navios de e para as Marianas, permanecendo em águas japonesas até 3 de janeiro de 1946. Hawkins então navegou para as Filipinas e Saipan, finalmente chegando a Pearl Harbor em 3 de abril.

Chegando a San Diego em 11 de abril, o contratorpedeiro participou de operações de treinamento na costa oeste até navegar novamente para o Extremo Oriente em janeiro de 1947. Durante os meses que se seguiram, ela navegou entre portos chineses e coreanos, auxiliando e apoiando unidades da Marinha americana em seus tenta estabilizar a situação chinesa e proteger vidas americanas. Hawkins sob o comando do Comandante. Alfred L. Cope desempenhou um papel significativo nas operações de resgate ao largo de Chilang Point Hong Kong em 19 de julho de 1947, quando o navio SS Hong Kheng afundou com mais de 2.000 passageiros a bordo. Ela voltou aos Estados Unidos em 8 de outubro de 1947.

Após um ano de operações saindo de San Diego, o navio partiu novamente para o Extremo Oriente, chegando a Tsingtao, na China, em 29 de outubro. Após as operações na costa chinesa, Hawkins começou a partir de Tsingtao em 6 de dezembro. Nesta longa viagem, completando um circuito do globo, o destróier visitou o Ceilão, Turquia, Gibraltar, a cidade de Nova York e o Panamá antes de chegar a San Diego em 10 de março de 1949.

Hawkins no Mediterrâneo em 1957.

Hawkins foi transferido para a Frota do Atlântico dos EUA logo depois, chegando ao seu novo porto de origem, Newport, Rhode Island, em 23 de maio de 1949. No ano seguinte, ela participou de cruzeiros de treinamento da Reserva e exercícios de preparação no Caribe. O navio foi reclassificado como DDR-873 em 18 de março de 1949. Hawkins partiu em 2 de maio de 1950 para um cruzeiro com a 6ª Frota no Mediterrâneo.

Enquanto estava no Mediterrâneo, o mundo tomou conhecimento da invasão comunista da Coréia do Sul. Após as manobras da OTAN, Hawkins voltou a Newport em 10 de outubro e se preparou para fazer parte da frota que navegava para o que ficou conhecido como Guerra da Coréia. Navegando em 3 de janeiro pelo Canal do Panamá, ela chegou a Pusan ​​em 5 de fevereiro. Durante seus quatro meses de serviço coreano, Hawkins examinou as forças do porta-aviões móvel durante ataques a posições inimigas e linhas de abastecimento, forneceu proteção anti-submarino e controlou aeronaves a jato em patrulhas aéreas de combate. Ela também atuou como guarda de avião durante as operações no estreito de Formosa, destinadas a desencorajar a agressão comunista contra a ilha amiga. Partindo do Extremo Oriente em junho, o contratorpedeiro voltou a Newport em 8 de agosto via Mediterrâneo.

Serviço pós-guerra da Coréia até 1964

Nos anos seguintes, o navio veterano alternou as operações de piquete e treinamento no Atlântico ocidental com cruzeiros periódicos para o Mediterrâneo com a 6ª Frota. Ela estava no Mediterrâneo Oriental durante o verão de 1950, quando a crise de Suez ameaçou a segurança e a paz da região. Hawkins chegou a Mayport, Flórida, seu novo porto natal, em 18 de agosto de 1960. Ela se tornou parte do DESRON-8 realizando exercícios nas Bahamas e áreas do Caribe com uma implantação de serviço de piquete de radar na costa da Nicarágua retornando a Mayport em dezembro de 1960. Em janeiro 1961, o destruidor logo retomou seu padrão de cruzeiros para o Mediterrâneo. Em 1961 ela operou com um Grupo de Tarefa especial em conexão com experimentos espaciais americanos e testes de mísseis ao largo do Cabo Canaveral, Flórida. Quando a introdução de mísseis ofensivos em Cuba em 1962 ameaçou a segurança dos Estados Unidos, Hawkins juntou-se a outros navios para colocar em quarentena aquele país caribenho, cruzando o Caribe do final de outubro até dezembro. Em 1963, o navio voltou ao Mediterrâneo em janeiro retornando a Mayport em julho e em agosto participou de testes de mísseis Polaris no Caribe com o submarino USS Alexander Hamilton. Durante os próximos 5 meses, Hawkins operou com porta-aviões na Flórida e no Caribe. Após testes adicionais do míssil Polaris com o USS Andrew Jackson em fevereiro de 1964, o destróier voou para Boston em 21 de março e foi colocado em operação, na reserva, antes de passar por uma revisão do FRAM I.

Reclassificado DD-873 em 1º de abril, Hawkins completou o FRAM no final de 1964. Atribuída ao Destroyer Squadron 24, ela operou em Newport até partir em 29 de setembro para trabalhar no Extremo Oriente. Navegando pelo Canal do Panamá e pela Costa Oeste, ela se juntou à 7ª Frota em 23 de novembro. Nos três meses seguintes, ela protegeu porta-aviões no Mar da China Meridional e no Golfo de Tonkin e forneceu suporte de tiroteio para tropas terrestres ao longo da costa do Vietnã do Sul. Ela partiu de Subic Bay no final de fevereiro de 1966, navegou pelo Canal de Suez e chegou a Newport em 8 de abril.

Hawkins, nos meses seguintes, participou de exercícios navais na costa leste e no Caribe. Saindo de Newport em 28 de novembro, ela se juntou à 6ª Frota em Gibraltar em 8 de dezembro e se tornou a capitânia do ComDesRon 24. Por mais de três meses ela cruzou o Mediterrâneo da Espanha à Grécia antes de retornar a Newport em 20 de março de 1967. Em meados de 1967 ela operou ao longo a costa atlântica da Nova Inglaterra à Flórida.

Hawkins foi para o Estaleiro Naval de Boston em 1967 para uma revisão. Após meses no estaleiro e em doca seca, o navio foi para a Baía de Guantánamo, em Cuba, para um cruzeiro de shakedown.

Em 11 de fevereiro de 1969, Hawkins estava operando na costa de Cuba com o submarino USS Chopper quando Chopper sofreu um acidente quase fatal. O submarino conseguiu emergir, mas Chopper disparou pela superfície do oceano, quase vertical. Toda a seção dianteira do submarino, até a borda de popa da vela, passou pela superfície antes que ela caísse para trás.

Em julho de 1969, Hawkins, trabalhando em Cabo Canaveral, Flórida, começou os testes do míssil Polaris com o submarino HMS Renown da Royal Navy, que terminou com um teste de disparo bem-sucedido de um míssil abaixo de uma faixa de teste. Em seguida, esses mesmos testes foram feitos com o submarino USS Thomas Jefferson, mas neste caso o teste foi abortado logo após o lançamento.

Hawkins participou do projeto espacial dos Estados Unidos em novembro de 1969, quando foi designado para a Apollo 12 Atlantic Recovery Force. O navio foi equipado com equipamento especial de recuperação de cápsula e praticado junto com uma Equipe de Demolição Submarina da Marinha (UDT) para se preparar para recuperar a cápsula espacial no Atlântico se o pouso no Pacífico fosse abortado.

Em dezembro de 1969, Hawkins mudou o porto de origem de Newport, Rhode Island, para Norfolk, Virginia.

Em 1970, a Marinha dos Estados Unidos designou o contratorpedeiro USS Steinaker para a Força Naval Permanente do Atlântico da OTAN para o Exercício do Gelo Atlântico. Steinaker encalhou enquanto fazia manobras em um fiorde perto de Harstad, viajando a 25 nós (46 km / h 29 mph) e foi removido do exercício. Hawkins foi instruído a substituir Steinaker e concluir sua missão na OTAN. Hawkins encontrou Steinaker em Bergen, Noruega, para descarregar suas munições, permitindo-lhes entrar na instalação de reparos em Haakonsvern. De Bergen, Hawkins viajou para Oslo com exercícios acima do Círculo Ártico durante o trajeto. Depois de mais exercícios no Mar do Norte, a força parou em Kiel e seguiu para Copenhague em meados de maio. Houve um show de bandeiras em Antuérpia e Plymouth. Saindo de Plymouth no final de maio, a força exerceu com um submarino francês no Golfo da Biscaia antes de seguir para Lisboa.

Em 9 de fevereiro de 1971, Hawkins participou novamente do programa espacial como um navio de recuperação de backup no Atlântico para a Apollo 14.

Na primavera de 1977, o USS Hawkins DD-873 foi destacado para a Sexta Frota dos Estados Unidos, onde certamente serviu até outubro.

De 1976 a 1979, o Hawkins foi designado como navio de treinamento da Reserva Naval na Filadélfia. Naquela época, ela estava chegando ao fim de sua vida projetada. O escritor de ficção científica James D. Macdonald, então alferes da Reserva Naval dos Estados Unidos, foi designado para ela durante esse período e relatou ao capitão uma manhã que a fita sonora usada para verificar o nível da água nos tanques do navio havia furado a placa de impacto em um dos tubos de sondagem e a placa do casco além dela, indicando que o casco estava ficando danificado.

Transferência para a Marinha ROC e destino

O navio foi retirado da Lista da Marinha em 1 de outubro de 1979 e vendido para Taiwan em 1983. O navio foi renomeado para Shao Yang [1] [2] ou Tze Yang [3] em serviço na Marinha de Taiwan. O navio foi destruído no final dos anos 1990, mas parte de sua superestrutura está em exibição em um museu em Taiwan. [3] [4]


A tabela abaixo contém os nomes dos marinheiros que serviram a bordo do USS Hawkins (DD 873). Lembre-se de que esta lista inclui apenas registros de pessoas que enviaram suas informações para publicação neste site. Se você também serviu a bordo e se lembra de uma das pessoas abaixo, clique no nome para enviar um e-mail ao respectivo velejador. Você gostaria de ter uma lista de tripulantes em seu site?

Procurando memorabilia da Marinha dos EUA? Experimente a Loja Ship & # 039s.

Há 127 membros da tripulação registrados no USS Hawkins (DD 873).

Selecione o período (começando pelo ano de referência): precomm & ndash 1967 | 1968 e ndash 1973 | 1974 e ndash agora

NomeClassificação / TaxaPeríodoDivisãoObservações / foto
Wiebusch, CurtEW1Fevereiro de 1974 e dezembro de 1976OIGostei muito de fazer parte da tripulação deste navio
Torres Fermando sk36 de abril de 1974 e 19 de setembro de 1977abastecimento / barqueiroComecei como companheiro de barqueiro e depois fui transferido para o abastecimento. MEU E-MAIL EM CASA É, [email protected]
Villeneuve, RonaldMM31º de maio de 1974 e 30 de setembro de 1974Sala de máquinas à frente Caiu em Madagascar com Greg Welch após reabastecimento em 3 de agosto de 1974. [email protected] [email protected] Greg Welsh morreu de câncer em abril de 2012
Villeneuve, RonaldMM310 de maio de 1974 e 10 de outubro de 1974Sala de máquinas à frenteDormitido em Madascar com SM GW Welsh em 3 de agosto de 1974
Torres fernandosk 316 de junho de 1974 e 9 de setembro de 1977fornecemProcuro alguém envolvido em um acidente de tsunami na costa de Madagascar, 1974. Meu novo endereço de e-mail é [email protected]
Gilliam, DavidBT21975 e 1977B
Franckewich, Mike MM21975 e 1978M
Hommel, BobQM35 de janeiro de 1975 e 18 de dezembro de 1976Ops
Reilly, Tom (Raz)E2Julho de 1975 e agosto de 1977Contramestre companheiroEu sou um ex-trabalhador deficiente que passa todo o meu tempo e dias apodrecendo neste depósito de lixo F_ _ k in & # 039 que eu chamo de lar. Quem diria que todos os velhos tinham razão quando diziam que envelhecer é uma merda. Tenha um ótimo dia.
Lee, Ray (Munchkin)E-314 de setembro de 1975 e 11 de dezembro de 19771ST
Smith, JayEM316 de março de 1976 e 20 de junho de 1979R
Lipiec, StanSTG 31º de maio de 1976 e 1º de maio de 19783
Szabo, JohnGMT2Julho de 1976 e fevereiro de 1979
Ferguson, Kerry FergieEM-314 de julho de 1976 e 27 de março de 1977 inferno de uma viagem.
Johnson, Maurice & quotPc & quotPCSN15 de setembro de 1976 e fevereiro de 1978Funcionário dos Correios Na época, eu nunca pensei que sentiria falta agora, eu daria qualquer coisa para voltar para o mar com ela novamente, embora eu soubesse que a velha estava desmaiada.
Weber, ChuckLTJG1977 e 1978FornecemTransferido com a tripulação do USS Rich. Quarta e última vez, trabalhei com o CO & quotBig George & quot Stefencavage. Tempos loucos! O Hawk foi um navio quebrado.
Davison, PhilipGMGSA1º de janeiro de 1977 e 21 de maio de 1977Este foi meu primeiro navio. que viagem!
Isaman, BobSTG3Abril de 1977 e janeiro de 1978Primeiro navio da minha carreira! Saiu em & # 03978 para ir para a Submarine School.
Dube, EricGMG25 de abril de 1977 e 12 de maio de 1978Armas
Walker, JohnHT2Maio de 1977 e junho de 1979REspero que todos estejam bem!
Gusler, Hubert (Gus)BT21º de dezembro de 1977 e 31 de outubro de 1978BLPO # 2 FIRE ROOM
Fodi, DaveGMT1978 e 19791Saudades daquela velha
Weaver, Davidmmfn1978 e ndashm
MacDonald, JamesENS1978 e 1979Convés / ArtilhariaMeu primeiro navio como oficial, diretamente da OCS.
Turygan, DanSM2Julho de 1978 e setembro de 1980ComunicaçõesVeio dos ricos para ela. Que diferença! Enquanto os ricos assumiam todos os compromissos, o & quotHawk & quot estava tão desgastado e cansado que ficava constantemente ao lado do cais. Pobre Snipes! Boa equipe, entretanto. Ela desmaiou na Filadélfia. Grande CO!
Segura, RobertEM3Setembro de 1979 e dezembro de 1979RepararO EMMC da escola EM me deu ordens para o Hawk - como uma recompensa antes de eu ir para a Nuke School. Eu não tinha ideia de quão grande foi o favor que o MC fez por mim, até que cheguei ao meu sub-USS Nathaniel Greene SSBN 636. Obrigado MC.

Selecione o período (começando pelo ano do relatório): precomm & ndash 1967 | 1968 e ndash 1973 | 1974 e ndash agora


Hawkins DD- 873 - História

(DD-873: dp. 2.425, l. 390'6 ", b. 41'1", dr. 18'6 ", s. 35 k. Cpl. 367 a. 6 5", 6 3 ", 521" tt., 6 dcp., 1 dcp. (hh), 2 dct. cl. Engrenagem)

Hawkins (DD-873), originalmente Beatty, mas renomeado em 22 de junho de 1944, foi lançado pela Consolidated Steel Co, Orange, Tex., 7 de outubro de 1944, patrocinado pela Sra. Clara Hawkins, mãe do primeiro-tenente Hawkins e comissionado em 10 de fevereiro de 1945, Comdr. C. Iverson no comando.

Após o treinamento de shakedown no Caribe, Hawkins chegou a Norfolk em 23 de março de 1945 para ser convertido em um navio de piquete de radar. Emergindo em 26 de maio, ela conduziu exercícios de treinamento antes de embarcar em 18 de junho da Baía de Guantánamo, Cuba, para San Diego e Pearl Harbor. Após sua chegada em 8 de julho, Hawkins se preparou para entrar na última fase da Guerra do Pacífico, mas três dias após sua partida em 12 de agosto de Pearl Harbor para Eniwetok, os japoneses se renderam. O contratorpedeiro continuou de Eniwetok a Iwo Jima e a Baía de Tóquio, chegando em 27 de agosto e auxiliado nas primeiras operações de ocupação. Ela então escoltou navios de e para as Marianas, permanecendo em águas japonesas até 3 de janeiro de 1946. Hawkins então navegou para as Filipinas e Saipan, finalmente chegando a Pearl Harbor em 3 de abril.

Chegando a San Diego em 11 de abril, o contratorpedeiro participou de operações de treinamento na costa oeste até navegar novamente para o extremo leste em 6 de janeiro de 1947. Durante os meses que se seguiram, ela navegou entre os portos chinês e coreano, auxiliando e apoiando unidades da Marinha americana em suas tentativas para estabilizar a explosiva situação chinesa e proteger vidas americanas. Hawkins também participou de operações de resgate ao largo de Hong Kong em 19 de julho de 1947, quando o navio gigante Hong Kheng afundou com mais de 2.000 passageiros a bordo. Ela voltou aos Estados Unidos em 8 de outubro de 1947.

Após um ano de operações saindo de San Diego, o navio navegou novamente para o conturbado Extremo Oriente, chegando a Tsingtao, China, em 29 de outubro. Após as operações na costa da China, Hawkins começou a partir de Tsingtao em 6 de dezembro. Nesta longa viagem, completando um circuito do globo, o destróier visitou o Ceilão, Turquia, Gibraltar, Nova York e o Panamá antes de chegar a San Diego em 16 de março de 1949.

Hawkins foi transferido para a Frota do Atlântico logo depois, chegando ao seu novo porto, Newport, em 23 de maio de 1949. No ano seguinte, ela participou de cruzeiros de treinamento de reserva, exercícios de preparação para nudismo no Caribe. O navio foi reclassificado como DDR-873 em 18 de março de 1949. Hawkins partiu em 2 de maio de 1950 para um cruzeiro com a 6ª Frota no estratégico Mediterrâneo.

Enquanto estava lá, ela e o mundo ficaram chocados com a invasão comunista da Coréia do Sul. Após as manobras da OTAN, ela voltou a Newport em 10 de outubro e se preparou para se tornar parte do longínquo baluarte da nação no conflito coreano. Navegando em 3 de janeiro pelo Canal do Panamá, ela chegou a Pusan ​​em 5 de fevereiro. Durante seus 4 meses de dever na Coréia, Hawkins examinou as forças da transportadora móvel durante ataques a posições inimigas e linhas de abastecimento, forneceu proteção anti-submarino e controlou aeronaves a jato em patrulhas aéreas de combate. Ela também atuou como guarda de avião durante as operações no estreito de Formosa, destinadas a desencorajar a agressão comunista contra a ilha amiga. Saindo do Extremo Oriente em junho, o destróier retornou a Newport em 8 de agosto pelo Mediterrâneo.

Nos anos seguintes, o navio veterano alternou as operações de piquete e treinamento no Atlântico ocidental com cruzeiros periódicos para o Mediterrâneo com a 6ª Frota. Ela estava no Mediterrâneo Oriental durante o verão de 1956, quando a crise de Suez ameaçou a segurança e a paz da região. Hawkins chegou a Mayport, Flórida, seu novo porto de origem, em 18 de agosto de 1960, e logo retomou seu padrão de cruzeiros para o Mediterrâneo. Em 1961 ela operou com um Grupo de Tarefa especial em conexão com experimentos espaciais americanos e testes de mísseis ao largo do Cabo Canaveral, agora Cabo Kennedy. Quando a introdução de mísseis ofensivos em Cuba em 1962 ameaçou a segurança dos Estados Unidos, Hawkins juntou-se a outros navios na quarentena daquele país caribenho, cruzando o Caribe do final de outubro até dezembro em uma demonstração moderna do poder das forças à tona. Em 1963, o navio voltou ao Mediterrâneo na primavera e em agosto participou de testes de mísseis Polaris no Caribe com o submarino Alexander Hamilton. Durante os 5 meses seguintes, Hawkins operou com companhias aéreas na Flórida e no Caribe. Após testes adicionais de mísseis Polaris com Andrew Jackson (SSBN-619) em fevereiro de 1964, ela viajou para Boston em 21 de março e foi colocada em comissão, na reserva, antes de passar por uma revisão do FRAM I.

Reclassificado DD-873 em 1º de abril, Hawkins completou FRAM no final de 1964. Atribuído ao Destroyer Squadron 24, ela operou em Newport até partir em 29 de setembro para o serviço no Ear East. Navegando pelo Canal do Panamá e pela Costa Oeste, ela se juntou à 7ª Frota em 23 de novembro como parte do poderoso compromisso naval da América para impedir a agressão comunista no Sudeste Asiático. Nos 3 meses seguintes, ela protegeu porta-aviões de grande impacto no Mar da China Meridional e no Golfo de Tonkin e forneceu suporte de tiros para as tropas terrestres ao longo da costa do Vietnã do Sul. Ela partiu de Subic Bay no final de fevereiro de 1966, navegou pelo Canal de Suez e chegou a Newport em 8 de abril.

Hawkins manteve a prontidão máxima de sua tripulação e equipamento nos meses seguintes, com exercícios na Costa Leste e no Caribe. Saindo de Newport em 28 de novembro, ela se juntou à 6ª Frota em Gibraltar em 8 de dezembro e se tornou a capitânia do ComDesRon 24. Por mais de 3 meses ela cruzou o Mediterrâneo da Espanha à Grécia antes de retornar a Newport em 20 de março de 1967. Em meados de 1967 ela operou ao longo do Costa Atlântica da Nova Inglaterra à Flórida, preparada como sempre para cruzar em defesa dos Estados Unidos e do mundo livre.


Militares

Hawkins (DD-873), originalmente Beatty, mas renomeado em 22 de junho de 1944, foi lançado pela Consolidated Steel Co, Orange, Tex., 7 de outubro de 1944, patrocinado pela Sra. Clara Hawkins, mãe do primeiro-tenente Hawkins e comissionado em 10 de fevereiro de 1945, Comdr. C. Iverson no comando.

Após o treinamento de shakedown no Caribe, Hawkins chegou a Norfolk em 23 de março de 1945 para ser convertido em um navio de piquete de radar. Emergindo em 26 de maio, ela conduziu exercícios de treinamento antes de embarcar em 18 de junho da Baía de Guantánamo, Cuba, para San Diego e Pearl Harbor. Após sua chegada em 8 de julho, Hawkins se preparou para entrar na última fase da Guerra do Pacífico, mas três dias após sua partida em 12 de agosto de Pearl Harbor para Eniwetok, os japoneses se renderam. O contratorpedeiro continuou de Eniwetok a Iwo Jima e a Baía de Tóquio, chegando em 27 de agosto e auxiliado nas primeiras operações de ocupação. Ela então escoltou navios de e para as Marianas, permanecendo em águas japonesas até 3 de janeiro de 1946. Hawkins então navegou para as Filipinas e Saipan, finalmente chegando a Pearl Harbor em 3 de abril.

Chegando a San Diego em 11 de abril, o contratorpedeiro participou de operações de treinamento na costa oeste até navegar novamente para o extremo leste em 6 de janeiro de 1947. Durante os meses que se seguiram, ela navegou entre os portos chinês e coreano, auxiliando e apoiando unidades da Marinha americana em suas tentativas para estabilizar a explosiva situação chinesa e proteger vidas americanas. Hawkins também participou de operações de resgate ao largo de Hong Kong em 19 de julho de 1947, quando o navio gigante Hong Kheng afundou com mais de 2.000 passageiros a bordo. Ela voltou aos Estados Unidos em 8 de outubro de 1947.

Após um ano de operações saindo de San Diego, o navio navegou novamente para o conturbado Extremo Oriente, chegando a Tsingtao, China, em 29 de outubro. Após as operações na costa da China, Hawkins começou a partir de Tsingtao em 6 de dezembro. Nesta longa viagem, completando um circuito do globo, o destróier visitou o Ceilão, Turquia, Gibraltar, Nova York e o Panamá antes de chegar a San Diego em 16 de março de 1949.

Hawkins foi transferido para a Frota do Atlântico logo depois, chegando ao seu novo porto, Newport, em 23 de maio de 1949. No ano seguinte, ela participou de cruzeiros de treinamento de reserva, exercícios de preparação para nudismo no Caribe. O navio foi reclassificado como DDR-873 em 18 de março de 1949. Hawkins partiu em 2 de maio de 1950 para um cruzeiro com a 6ª Frota no estratégico Mediterrâneo.

Enquanto estava lá, ela e o mundo ficaram chocados com a invasão comunista da Coreia do Sul. Após as manobras da OTAN, ela voltou a Newport em 10 de outubro e se preparou para se tornar parte do longínquo baluarte da nação no conflito coreano. Navegando em 3 de janeiro pelo Canal do Panamá, ela chegou a Pusan ​​em 5 de fevereiro. Durante seus 4 meses de dever na Coréia, Hawkins examinou as forças da transportadora móvel durante ataques a posições inimigas e linhas de abastecimento, forneceu proteção anti-submarino e controlou aeronaves a jato em patrulhas aéreas de combate. Ela também atuou como guarda de avião durante as operações no estreito de Formosa, destinadas a desencorajar a agressão comunista contra a ilha amiga. Departing the Far East in June, the destroyer returned to Newport 8 August via the Mediterranean.

For the next few years the veteran ship alternated picket duty and training operations in the western Atlantic with periodic cruises to the Mediterranean with the 6th Fleet. She was in the Eastern Mediterranean during the summer of 1956 when the Suez crisis threatened the security and peace of the area. Hawkins arrived Mayport, Fla., her new home port, 18 August 1960, and soon resumed her pattern of cruises to the Mediterranean. In 1961 she operated with a special Task Group in connection with American space Experiments and missile tests off Cape Canaveral, now Cape Kennedy. When the introduction of offensive missiles into Cuba in 1962 threatened the security of the United States, Hawkins joined with other ships in quarantining that Caribbean country, cruising the Caribbean from late October until December in a modern demonstration of the power of forces afloat. In 1963 the ship returned to the Mediterranean in the Spring and in August took part in Polaris missile tests in the Caribbean with submarine Alexander Hamilton. During the next 5 months Hawkins operated with carriers off Florida and in the Caribbean. Following additional Polaris missile tests With Andrew Jackson (SSBN-619) in February 1964, she steamed to Boston 21 March and was placed in commission, in reserve, prior to undergoing FRAM I overhaul.

Reclassified DD-873 on 1 April, Hawkins completed FRAM late in 1964. Assigned to Destroyer Squadron 24 she operated out of Newport until departing 29 September for duty in the Ear East. Steaming via the Panama Canal and the West Coast, she joined the 7th Fleet 23 November as part of America's powerful naval commitment to thwart Communist aggression in Southeast Asia. For the next 3 months she guarded hard-hitting carriers in the South China Sea and the Gulf of Tonkin and provided gunfire support for ground troops along the coast of South Vietnam. She departed Subic Bay late in February 1966, steamed via the Suez Canal, and arrived Newport 8 April.

Hawkins maintained the peak readiness of her crew and equipment over the next few months with exercises oft the East Coast and in the Caribbean. Departing Newport 28 November, she joined the 6th Fleet at Gibraltar 8 December and became flagship for ComDesRon 24. For more than 3 months she cruised the Mediterranean from Spain to Greece before returning to Newport 20 March 1967. Into mid-1967 she operated along the Atlantic Coast from New England to Florida, prepared as always to cruise in defense of the United States and the free world.


Post Korean War service to 1964 [ edit | editar fonte]

For the next few years the veteran ship alternated picket duty and training operations in the western Atlantic with periodic cruises to the Mediterranean with the 6th Fleet. She was in the Eastern Mediterranean during the summer of 1950 when the Suez crisis threatened the security and peace of the area. Hawkins arrived Mayport, Florida, her new homeport, 18 August 1960. She became part of DESRON-8 performing exercises in the Bahamas and Caribbean areas with one deployment of radar picket duty off the coast of Nicaragua returning to Mayport in December 1960. In January 1961 she soon resumed her pattern of cruises to the Mediterranean. In 1961 she operated with a special Task Group in connection with American space experiments and missile tests off Cape Canaveral, now Cape Kennedy. When the introduction of offensive missiles into Cuba in 1962 threatened the security of the United States, Hawkins joined with other ships in quarantining that Caribbean country, cruising the Caribbean from late October until December in a modern demonstration of the power of forces afloat. In 1963 the ship returned to the Mediterranean in January returnig to Mayport in July and in August took part in Polaris missile tests in the Caribbean with USS Alexander Hamilton (SSBN-617). During the next 5 months, Hawkins operated with carriers off Florida and in the Caribbean. Following additional Polaris missile tests with USS Andrew Jackson (SSBN-619) in February 1964, she steamed to Boston 21 March and was placed in commission, in reserve, prior to undergoing FRAM I overhaul.


Dicionário de navios de combate da Marinha Americana

William Deane Hawkins was born 19 April 1914 in Fort Scott, Kansas, and enlisted in the Marine Corps 5 January 1942. He accepted a battlefield commission in the Solomons 18 November 1942, and was killed 21 November 1943 in the assault on Tarawa. First Lieutenant Hawkins received the Medal of Honor for his gallantry during the bloody assault on Betio in which he gave his life. The citation reads in part: "Fearlessly leading his men on to join the forces fighting desperately to gain a beachhead, he repeatedly risked his life throughout the day and night to direct and lead attacks on pill boxes and installations with grenades and demolitions. . . . Refusing to withdraw after being seriously wounded in the chest during this skirmish, First Lieutenant Hawkins steadfastly carried the fight to the enemy, destroying three more pillboxes before he was caught in a burst of Japanese shell fire and mortally wounded. His relentless fighting spirit in the face of formidable opposition and his exceptionally daring tactics were an inspiration to his comrades during the most crucial phase of the battle and reflect the highest credit upon the United States Naval Service."

(DD-873 : dp. 2,425 l. 390'6" b. 41'1" dr. 18'6" s. 35 k. cpl. 367 a. 65", 63", 521" tt., 6 dcp., 1 dcp. (h.h), 2 dct. cl. Gearing)

Hawkins (DD-873), originally Beatty but renamed 22 June 1944, was launched by Consolidated Steel Co., Orange, Tex., 7 October 1944 sponsored by Mrs. Clara Hawkins, mother of First Lieutenant Hawkins and commissioned 10 February 1945, Comdr. C. Iverson in command.

Following shakedown training in the Caribbean, Hawkins arrived Norfolk 23 March 1945 to undergo conversion to a radar picket ship. Emerging 26 May, she conducted training exercises before sailing 18 June from Guantanamo Bay, Cuba, for San Diego and Pearl Harbor. After her arrival 8 July Hawkins prepared to enter the last phase of the Pacific War, but 3 days after her 12 August departure from Pearl Harbor for Eniwetok the Japanese surrendered. The destroyer continued from Eniwetok to Iwo Jima and Tokyo Bay, arriving 27 August, and assisted in early occupation operations. She then escorted ships to and from the Marianas, remaining in Japanese waters until 3 January 1946. Hawkins then steamed to the Philippines and Saipan, finally arriving Pearl Harbor 3 April.

Arriving San Diego 11 April, the destroyer took part in training operations off the west coast until sailing again for the far east 0 January 1947. During the months that followed she steamed between Chinese and Korean ports, assisting and supporting American Marine units in their attempts to stabilize the explosive Chinese situation and protect American lives. Hatching also took part in rescue operations off Hong Kong 19 July 1947, when giant steamer Hong Khcng sank with over 2,000 passengers on board. She returned to the United States 8 October 1947.

After a year of operations out of San Diego the ship sailed again for the troubled Far East, arriving Tsingtao, China, 29 October. Following operations off the China coast Hawkins got underway from Tsingtao C December. On this long voyage, completing a circuit of the globe, the destroyer visited Ceylon, Turkey, Gibraltar, New York, and Panama before arriving San Diego 10 March 1949.

Hawkins was reassigned to Atlantic Fleet soon afterward, arriving her new home port, Newport, 23 May 1949. For the next year she took part in reserve training cruises and readiness exercises in the Caribbean. The ship had been reclassifled DDR-873 18 March 1949. Hawkins departed 2 May 1950 for a cruise with 6th Fleet in the strategic Mediterranean.

While there she and the world were shocked by the Communist invasion of South Korea. After NATO maneuvers she returned to Newport 10 October and prepared to become part of the nation's far flung bulwark in the Korean conflict. Sailing 3 January via the Panama Canal she arrived Pusan 5 February. During her 4 months of Korean duty Haickins [sic] screened the mobile carrier forces during strikes on enemy positions and supply lines, provided antisubmarine protection, and controlled jet aircraft in combat air patrols. She also acted as plane guard during operations in the Formosa Straits designed to discourage Communist aggression against the friendly island. Departing the Far East in June, the destroyer returned to Newport 8 August via the Mediterranean.

For the next few years the veteran ship alternated picket duty and training operations in the western Atlantic with periodic cruises to the Mediterranean with the (6th Fleet. She was in the Eastern Mediterranean during the summer of 1950 when the Suez crisis threatened the security and peace of the area. Hawkins arrived May-port, Fla., her new homeport, 18 August 1960, and soon resumed her pattern of cruises to the Mediterranean. In 1961 she operated with a special Task Group in connection with American space experiments and missile tests off Cape Canaveral, now Cape Kennedy. When the introduction of offensive missiles into Cuba in 1962 threatened the security of the United States, Hawkins joined with other ships in quarantining that Caribbean country, cruising the Caribbean from late October until December in a modern demonstration of the power of forces afloat. In 1963 the ship returned to the Mediterranean in the Spring and in August took part in Polaris missile tests in the Caribbean with submarine Alexander Hamilton. During the next 5 months Hawkins operated with carriers off Florida and in the Caribbean. Following additional Polaris missile tests with Andrew Jackson (SSBN-619) in February 1964, she steamed to Boston 21 March and was placed in commission, in reserve, prior to undergoing FRAM I overhaul.

Reclassified DD-873 on 1 April, Hawkins completed FRAM late in 1964. Assigned to Destroyer Squadron 24, she operated out of Newport until departing 29 September for duty in the Far East. Steaming via the Panama Canal and the West Coast, she joined the 7th Fleet 23 November as part of America's powerful naval commitment to thwart Communist aggression in Southeast Asia. For the next 3 months she guarded hard-hitting carriers in the South China Sea and the Gulf of Tonkin and provided gunfire support for ground troops along the coast of South Vietnam. She departed Subic Bay late in February 1966, steamed via the Suez Canal, and arrived Newport 8 April.

Hawkins maintained the peak readiness of her crew and equipment over the next few months with exercises off the East Coast and in the Caribbean. Departing Newport 28 November, she joined the 6th Fleet at Gibraltar 8 December and became flagship for ComDesRon 24. For more than 3 months she cruised the Mediterranean from Spain to Greece before returning to Newport 20 March 1967. Into mid-1967 she operated along the Atlantic Coast from New England to Florida, prepared as always to cruise in defense of the United States and the free world. Hawkins received two battle stars for Korean service.


USS HAWKINS DD-873 Framed Navy Ship Display

This is a beautiful ship display commemorating the USS HAWKINS (DD-873). The artwork depicts the USS HAWKINS in all her glory. Mais do que apenas um conceito artístico do navio, esta exibição inclui uma placa de crista de navio personalizada e uma placa de estatísticas de navio gravada. Este produto é ricamente acabado com esteiras duplas de tamanho e corte personalizado e emoldurado com uma moldura preta de alta qualidade. Apenas os melhores materiais são usados ​​para completar nossos displays de navio. Os monitores de navio empório da Marinha são um presente generoso e pessoal para qualquer marinheiro da Marinha.

  • Brasão da Marinha com desenho personalizado e habilmente gravado posicionado em feltro preto fino
  • A obra de arte mede 16 x 7 polegadas em fosco pesado
  • Placa gravada informando as estatísticas vitais do navio
  • Fechado em uma moldura preta de 20 "X 16" de alta qualidade
  • Escolha de opções de cores de fosco

PLEASE VIEW OUR OTHER GREAT USS HAWKINS DD-873 INFORMATION:
USS Hawkins DD-873 Guestbook Forum


Welcome to the USS Hawkins DD-873 Guestbook Forum

Navy Emporium
Please view our commemorative USS Hawkins DD-873 products in our Ship's Store!

David Wm. Verde
Years Served: 1972
My first duty station in the Fleet. Came on board as MMFN from MM-A school in Great Lakes after Boot Camp in Orlando, Fla. and was looking forward to my live at sea. We went out once then went into drydock in Newport News and lived in a barrack. I volenteered for Viet Nam service to get into the mix and recieved my orders to the USS Newport News CA-148 in April, just before she pulled out for WESPAC. There were a few others that were transferred also, but I just remeber Dwight K. Rooks from Houston, Texas (Candy Street I think). He changed rates to Signalman if I remember correctly. The rest of my Naval Life is recorded on the Newport News Guestbook if anyone really cares. I loved my tour in the Navy and made life long friends.

I came on board in Rota Spain in 1972 on the Med Cruse. I came on as a steward then changed rates to OS. Tough study for me. My best friend, RM2 Paul Stone, made the time on the ship a lot of fun. Great ship, great group of guys! I am proud to have served with you all. I swapped to USS Reeves in Pearl Harbor in 1974. Hard to leave but what can I say…Hawaii! It was spectacular! Wishing you all the best!


Assista o vídeo: Hawkins