Richard Heron Anderson, 1821-1879

Richard Heron Anderson, 1821-1879

Richard Heron Anderson, 1821-1879

Um general confederado cuja carreira incluiu o cerco do Fort Sumner, todas as batalhas significativas na Virgínia, as invasões de Robert E. Lee ao norte e a retirada final para o Tribunal de Appomattox, assumindo o comando temporário do corpo de Longstreet durante muitas das principais batalhas de 1864. Um nativo da Carolina do Sul, Richard Anderson entrou em West Point em 1838, graduando-se em 1842 na mesma classe que James Longstreet e DH Hill (embora ele tenha se formado apenas em 40º, isso ainda o colocava bem acima de Longstreet!). De West Point ele entrou para os Dragões, servindo com eles no oeste e na Guerra do México.

Quando a Carolina do Sul se separou, Anderson renunciou ao Exército dos EUA para se tornar coronel da 1ª infantaria da Carolina do Sul. Seu regimento esteve presente durante o cerco de Fort Sumner, que desencadeou a guerra civil. Logo depois, o general Beauregard foi promovido ao comando do Exército da Virgínia e Anderson substituiu o seu no comando de Charleston, recebendo uma promoção a brigadeiro-general em 19 de julho de 1861. De Charleston, Anderson foi enviado para Pensacola, onde Braxton Bragg tentava capturar Fort Pickens, ainda nas mãos da União. Este esforço terminou em fracasso como resultado indireto da campanha de George B. McClellan na Península de 1862. As tropas ao redor de Pensacola foram convocadas para a Virgínia, onde cada homem sobrando era necessário para se opor ao enorme exército da União de McClellan.

Anderson foi nomeado para comandar uma brigada na divisão de Longstreet em Yorktown. Esta brigada fazia parte da retaguarda engajada em Williamsburg, onde Anderson comandava a ala esquerda da divisão de Longstreet. Durante o contra-ataque confederado em Seven Pines, Anderson comandou duas brigadas. Mais tarde, ele foi elogiado por sua bravura no relatório de Longstreet sobre a batalha.

Após as Batalhas dos Sete Dias, Anderson foi promovido a major-general (14 de julho de 1862) e recebeu o comando de uma divisão. Esta divisão fazia parte da força deixada para defender Richmond quando Robert E. Lee se mudou para o norte para atacar o Exército de Pope da Virgínia na campanha que terminou na Segunda Corrida de Touros. Quando ficou claro que o Exército do Potomac estava deixando a península, a divisão de Anderson foi chamada para o norte, chegando a tempo de participar no segundo dia de batalha, juntando-se ao ataque bem-sucedido de Longstreet.

A essa altura, Anderson já tinha atribuições independentes. Lee agora estava determinado a invadir o norte, acreditando que essa era a única maneira de os confederados conquistarem sua independência. Logo depois de cruzar para o norte, Lee decidiu capturar Harper’s Ferry. A divisão de Anderson fazia parte da força destacada do exército principal para conseguir isso. Foi ainda destacado para guardar Crampton’s Gap, onde foi capaz de impedir que o exército da União abrisse caminho a tempo de socorrer Harper’s Ferry.

Circunstâncias combinadas para reduzir o papel de Anderson em suas próximas duas batalhas. Sua divisão desempenhou um papel importante em Antietam, mas o próprio Anderson foi gravemente ferido logo após chegar ao campo de batalha vindo da Harper’s Ferry. Ele se recuperou antes do final de 1862, retornando à sua unidade a tempo de participar da batalha de Fredericksburg, mas sua divisão foi postada na extrema esquerda da linha e dificilmente foi atacada durante a batalha, sofrendo apenas 89 baixas.

Ele teve mais chance de se destacar em Chancellorsville. Com a ausência de Longstreet, a divisão de Anderson estava sob o comando direto de Lee. Sua contribuição mais importante veio no final da batalha, quando um contra-ataque da União sob o general Sedgwick quase mudou o resultado da batalha. A divisão de Anderson (com McLaws) liderou a resposta confederada, forçando Sedgwick a recuar sobre o rio Rappahannock.

Após a batalha, Anderson foi elogiado no relatório de Lee e até mesmo mencionado como um possível comandante de corpo de exército. Quando Lee reorganizou seu exército em três corpos, a divisão de Anderson foi transferida do corpo de Longstreet para A.P. Hill's. Apesar dessa transferência, em Gettysburg, a divisão de Anderson lutou pela primeira vez para apoiar o ataque de Longstreet no segundo dia. Ele também forneceu suporte para a divisão de Pickett durante sua famosa investida no terceiro dia.

No início da campanha do General Grant's Overland em 1864, Anderson ainda era um comandante de divisão. No entanto, Longstreet foi gravemente ferido durante a batalha do deserto, e em 6 de maio Anderson foi escolhido para assumir o comando temporário de seu corpo, mantendo-o até o retorno de Longstreet em outubro. No dia seguinte, Anderson provou que Lee estava certo em confiar nele. Uma das características mais marcantes de Anderson como comandante era sua velocidade. Em 7 de maio, Grant começou a se mover em direção à Spotsylvania. Se ele pudesse chegar a essa posição antes que Lee pudesse bloqueá-lo, os homens de Grant estariam em uma boa posição para correr para Richmond à frente dos confederados.

Lee ordenou a Anderson que bloqueasse esse movimento e disse-lhe que se mudasse às 3 da manhã do dia 8 de maio. Provavelmente seria tarde demais para impedir Grant, mas Anderson estava pronto para se mudar quatro horas antes do planejado e, sem esperar por novos pedidos, decidiu se mudar o mais rápido possível. Ao fazer isso, ele garantiu que seus homens estariam na Spotsylvania à frente de Grant.

Anderson manteve o comando da corporação de Longstreet ao longo do verão de 1864, comandando no North Anna River e Cold Harbor, bem como na primeira parte do cerco de Richmond e Petersburg. Durante seu período de comando, ele provou ser um comandante de corpo capaz, mas não notável, embora nesse período o Exército da Virgínia do Norte tivesse sido forçado à defensiva, dando a Anderson pouca chance de demonstrar qualquer habilidade maior. Ele foi temporariamente promovido a major-general (31 de maio de 1864) enquanto mantinha o comando do corpo, retornando ao seu próprio posto quando Longstreet retornou em outubro de 1864.

Durante a retirada para o Tribunal de Appomattox, Anderson teve o azar de participar do que foi, na verdade, a batalha final do Exército da Virgínia do Norte. Em Saylor’s Creek (6 de abril de 1865), Anderson e Ewell foram isolados pelas forças da União que os perseguiam. Ewell foi forçado a se render. Enquanto a maioria dos homens de Anderson escapou, o próprio Anderson foi capturado, perdendo a rendição final por apenas três dias.

No pós-guerra, Anderson voltou ao serviço da Carolina do Sul, primeiro com a Estrada de Ferro da Carolina do Sul (muitos dos comandantes confederados derrotados encontraram empregos ferroviários no sul após a guerra) e, em seguida, como inspetor estadual de fosfatos. Ele morreu em 1879. Sua carreira durante a guerra abrangeu quase toda a duração da guerra civil, muitas vezes em uma posição de alguma antiguidade. Ele era um comandante de divisão muito hábil, mas apenas um comandante de corpo competente e, como resultado, provavelmente é menos conhecido do que merece. Na Spotsylvania, suas ações imediatas podem muito bem ter salvado toda a posição confederada na Virgínia por quase um ano.


General Richard Heron Anderson

Confederado General Richard Heron Anderson fez parte do Exército de Lee da Virgínia do Norte e participou de cada uma de suas principais batalhas.

Anderson nasceu no condado de Sumter, Carolina do Sul, em 7 de outubro de 1821, e foi membro da prodigiosa classe de West Point de 1842, que incluía os futuros generais confederados D. H. Hill, Lafayette McLaws, Earl Van Dorn e James Longstreet. Anderson serviu na Guerra do México sob o comando do general Winfield Scott e foi promovido a primeiro-tenente por sua conduta. Após a guerra, Anderson serviu na fronteira e foi membro da expedição do Coronel Albert Sidney Johnston em Utah. Anderson estava estacionado no território de Nebraska quando soube da secessão da Carolina do Sul e prontamente renunciou à sua comissão para oferecer seus serviços à Confederação.

Anderson inicialmente serviu sob o comando de P. G. T. Beauregard em Charleston e esteve presente durante a crise de Fort Sumter e os disparos dos primeiros tiros da guerra. Quando Beauregard assumiu o comando das forças confederadas em Manassas, Virgínia, Anderson foi promovido a general de brigada e assumiu o comando de Charleston.

No início de 1862, Anderson foi transferido para Richmond, onde foi colocado no comando de uma brigada sob Longstreet durante a Campanha da Península. Anderson ajudou a executar a retirada dos confederados de Yorktown, manteve a perseguição das forças da União em Williamsburg e participou do ataque fracassado em Fair Oaks.

Depois que Robert E. Lee recebeu o comando das forças confederadas na península e reorganizou e renomeou o Exército da Virgínia do Norte, Anderson assumiu um papel de destaque. Tendo sido promovido ao posto de General de Brigada, Anderson participou da destruição de outro de seus colegas de classe em West Point, John Pope, em Second Manassas. Anderson foi ferido no início da batalha em Antietam, mas voltou a tempo de comandar a extrema esquerda da linha Confederada em Fredericksburg, que foi bastante afastada da ação principal. Em Gettysburg, os homens de Anderson enviaram as tropas da União de Sickles caindo de volta para o Cemitério Ridge no segundo dia de batalha e quase cortaram o exército da União em dois.

No ano seguinte, 1864, Anderson assumiu o posto de tenente-general quando Longstreet foi ferido na batalha do deserto e comandou o corpo do Velho Pete em sua ausência. Anderson lutou em Spotsylvania e Cold Harbor, mas quando Longstreet voltou ao serviço em outubro, Anderson foi colocado no comando de um segmento das defesas de Richmond.

Após a queda de Petersburgo, Anderson guiou à direita da retirada. A maior parte de seu comando foi aniquilado na batalha de Sayler's Creek em 6 de abril de 1865 e, embora ele mesmo tenha escapado para se juntar ao exército, Anderson se viu sem um comando adequado para sua posição, e foi aliviado e teve permissão para voltar para casa no dia antes da rendição em Appomattox.

O período após a guerra foi particularmente cruel com Anderson, e ele morreu virtualmente na pobreza em 26 de junho de 1879 em Beaufort, Carolina do Sul.


Anderson nasceu nas High Hills de Santee em Borough House Plantation (Hill Crest), perto da cidade de Stateburg localizada no Condado de Sumter, na Carolina do Sul. Ele era filho do Dr. William Wallace Anderson e sua esposa, Mary Jane Mackensie, [2] e neto do herói e homônimo da Guerra da Revolução Americana, Richard Anderson.

Anderson se formou em 40º entre 56 cadetes da Academia Militar dos Estados Unidos em julho de 1842, e foi promovido a segundo-tenente no 1º Dragão dos EUA. [3] Ele serviu na escola de cavalaria para praticar no Quartel do Exército dos EUA em Carlisle, Pensilvânia, em 1842. Anderson passou 1843 em serviço na fronteira no oeste americano, servindo primeiro em Little Rock, Arkansas, e depois na guarnição em Forts Gibson e Washita, ambas localizadas no Território Indígena. Seu regimento escoltou o Agente Indígena dos Estados Unidos até Red River em 1843 e depois voltou ao Forte Washita, permanecendo lá até 1844. Anderson foi promovido a segundo-tenente em 16 de julho de 1844 e serviu no Forte Jesup, Louisiana, de 1844 a 1845. Seu regimento então se juntou à expedição para a ocupação militar do Texas em 1845, e Anderson estava em serviço de recrutamento em 1846. [4]

Na Guerra Mexicano-Americana, Anderson participou do Cerco de Veracruz em março de 1847 e depois escaramuçou perto de La Hoya em 9 de junho. Ele lutou na Batalha de Contreras em 19 de agosto, na escaramuça perto de San Agustín Altapulco no dia seguinte, e a Batalha de Molino del Rey em 8 de setembro. Por bravura durante os combates perto de San Agustín, ele foi promovido ao posto de primeiro-tenente em 17 de agosto. [5] Anderson também participou da luta e captura da Cidade do México em setembro 12–14. [4]

Depois do México, Anderson foi promovido a primeiro-tenente no 2º Dragoons dos EUA em 13 de julho de 1848, estava novamente no serviço de recrutamento em 1849. Ele retornou ao quartel Carlisle de 1849 a 1850, e então estava recrutando mais uma vez até 1852. Em seguida veio serviço de fronteira em várias instalações do Texas, incluindo em Fort Graham em 1852 a 1853, em Fort McKavett de 1853 a 1854, em San Antonio em 1854 e em Fort McKavett em 1855. [4] Ele foi promovido a capitão em 3 de março de 1855 , [3] e estava estacionado em Fort Riley, Kansas, de 1855 a 1856. Anderson ainda estava servindo no Kansas durante os problemas de fronteira de 1856 e 1857, então estava recrutando, bem como em sua última passagem pelo Carlisle Barracks em 1858. Ele participou da Guerra de Utah de 1858 e 1859, e esteve em serviço no Fort Kearny, Nebraska, de 1859 a 1861. [4]

Anderson escolheu seguir seu estado natal e a causa confederada, e renunciou ao Exército dos EUA (aceito em 3 de março de 1861) para entrar em serviço no Exército Confederado. Anderson aceitou uma comissão como coronel do 1º Regulares da Carolina do Sul a partir de 28 de janeiro. [3] Ele recebeu o comando da área do porto de Charleston após a captura do Fort Sumter naquele abril. [5] Ele foi promovido a general de brigada em 19 de julho e transferido para Pensacola, Flórida, onde foi ferido no cotovelo esquerdo durante a Batalha da Ilha de Santa Rosa em 9 de outubro. [3]

Após a recuperação, Anderson ingressou no Exército Confederado do Potomac em fevereiro de 1862 (que foi absorvido pelo Exército da Virgínia do Norte no final da primavera) como comandante de brigada. Anderson se destacou durante a Campanha da Península, assumindo temporariamente o comando da divisão em Seven Pines quando Longstreet servia como comandante de ala. Em Seven Pines, ele ganhou o apelido de "Fighting Dick", [6] [nota 1] e foi promovido a major-general em 14 de julho e recebeu o comando da antiga divisão do general Benjamin Huger. [3] Como parte do corpo de Longstreet, Anderson lutou na Second Bull Run. Sua divisão engajou a linha defensiva final da União em torno de Henry House Hill, mas o sol estava começando a se pôr e ele não pressionou o ataque.

Durante a Campanha de Maryland, a brigada do General Cadmus Wilcox foi adicionada ao comando de Anderson. Na Batalha de Antietam em setembro de 1862, ele estava no comando geral da estrada afundada, ou "Bloody Lane", no centro da defesa confederada. Ele foi ferido na coxa e deixou a batalha. Seu brigadeiro sênior Roger A. Pryor assumiu o comando. Após a saída de Anderson, sua divisão começou a vacilar e acabou sucumbindo aos ataques de flanco do Union que os expulsaram de sua posição. Na batalha de Fredericksburg naquele dezembro, sua divisão não foi fortemente engajada.

Durante a Batalha de Chancellorsville em maio de 1863, enquanto operava longe do comando de Longstreet (porque Longstreet estava em serviço destacado perto de Suffolk, Virgínia, na época), Anderson pressionou a saída da União enquanto o Tenente-General Thomas J. "Stonewall" Jackson atacava o certo. Anderson e o major-general Lafayette McLaws deixaram a linha de batalha principal em 3 de maio e atacaram o leste para impedir o avanço do VI Corps do major-general John Sedgwick que teria levado à retaguarda do general Robert E. Lee. Após a morte de Stonewall Jackson em 10 de maio, Lee reorganizou seu exército de dois em três corpos. Anderson era admirado o suficiente por Lee para ser considerado para o comando do corpo, mas em vez disso sua divisão foi designada para o novo Terceiro Corpo, comandado pelo agora Tenente-General A.P. Hill, que ultrapassava Anderson e era um dos generais mais antigos do exército. Após a reorganização, Anderson manteve a maior parte de seu comando existente, exceto o Brig. A brigada do Gen Lewis Armistead, que foi transferida para a divisão de George Pickett.

Gettysburg Edit

Na Batalha de Gettysburg em julho de 1863, a divisão de Anderson foi a terceira na linha de marcha se aproximando da cidade pelo oeste em 1º de julho, então eles chegaram atrasados ​​e tiveram pouco envolvimento no início da batalha.

Em 2 de julho, segundo dia de batalha, a divisão de Anderson atacou perto do centro da União, seguindo os ataques de Longstreet (as divisões do Maj. Gens. John B. Hood e McLaws) à sua direita. A direita de Anderson foi bem-sucedida no ataque ao Union Brig. Divisão do III Corpo de exército do general Andrew A. Humphreys ao longo da Estrada Emmitsburg. Seu centro, sob o comando de Ambrose R. Wright, penetrou o levemente defendido Cemetery Ridge. Carnot Posey moveu-se com dificuldade e William Mahone não se mudou de Seminary Ridge. Reforços da União correram para contra-atacar Wright e ele foi repelido. Anderson foi criticado por seu comando neste dia de batalha. Ele tinha pouco controle efetivo de suas brigadas. [ citação necessária ] Em 3 de julho, as brigadas de Anderson participaram dos minutos finais de Pickett's Charge, mas ambas foram rechaçadas.

Wilderness and Spotsylvania Editar

Durante a primavera de 1864, na Batalha do Deserto, Longstreet foi gravemente ferido e Anderson assumiu o comando do Primeiro Corpo de exército, liderando-o durante a Campanha Overland. Depois do deserto, ele lutou bem na Batalha de Spotsylvania Court House. Anderson e seu corpo executaram uma marcha forçada durante toda a noite em 7 de maio que garantiu aquela posição importante (reforçando a cavalaria confederada enviada para lá) e chegaram pouco antes dos soldados da União o fazerem. Alcançar e defender este local negou aos Federais uma maneira de contornar o exército de Lee em direção a Richmond, e Anderson o manteve durante combates pesados ​​de 8 a 12 de maio.

Anderson então lutou na Batalha de Cold Harbor no início de junho e participou do restante das operações do Exército da Virgínia do Norte ao sul de Petersburg, Virgínia, de meados de junho até outubro. [5] Anderson foi promovido a tenente-general temporário em 31 de maio. [8]

Quando Longstreet voltou de sua convalescença em 19 de outubro de 1864, Lee criou o novo Quarto Corpo, que Anderson liderou durante o Cerco de Petersburgo e a retirada para o Tribunal de Appomattox em 1865. Por causa de vários ataques da cavalaria federal beliscando seu corpo, Anderson foi forçado a diminuir a velocidade e até parar de vez em quando para repelir os ataques. Isso fez com que os confederados ficassem isolados do resto do exército de Lee que se movia para o oeste, e eles agora eram a retaguarda do exército. O corpo finalmente parou e lutou em Sayler's Creek em 6 de abril, que terminou em derrota, e quando Lee testemunhou, ele exclamou "O exército foi dissolvido?" [9] Enquanto os sobreviventes do corpo se reformavam e se juntavam ao exército, o que restava do Quarto Corpo foi fundido com o Segundo Corpo em 8 de abril. [10] Isso deixou Anderson sem um comando e ele voltou para casa na Carolina do Sul. Anderson assumiu o comando da Brigada de Cavalaria do Sr. H. Hannon depois que Hannon foi ferido na Encruzilhada de Monroe. Anderson foi perdoado em 27 de setembro de 1865, embora não haja registro de sua liberdade condicional. [3]

Após a guerra, Anderson foi um plantador em Stateburg de 1866 a 1868, tentando cultivar algodão. Sem experiência agrícola, esse esforço acabou em falência. Ele então se tornou um trabalhador e mais tarde um agente da Ferrovia da Carolina do Sul, trabalhando em Camden de 1868 a 1878. No entanto, Anderson foi demitido desta posição e, a seguir, serviu como inspetor estadual de fosfato / agente da Carolina do Sul em 1879. [11 ]

Anderson foi casado duas vezes. Em 1850 ele se casou com Sarah Gibson, e o casal teve dois filhos juntos, um filho e uma filha após sua morte, ele se casou com Martha Mellette em 24 de dezembro de 1874. [12] Cinco anos depois, Anderson morreu com 57 anos em Beaufort, South Carolina, e está enterrado lá no cemitério do cemitério da Igreja Episcopal de Santa Helena. [2]


General Richard Heron Anderson

Confederado General Richard Heron Anderson fez parte do Exército de Lee da Virgínia do Norte e participou de cada uma de suas principais batalhas.

Anderson nasceu no condado de Sumter, Carolina do Sul, em 7 de outubro de 1821, e foi membro da prodigiosa classe de West Point de 1842, que incluía os futuros generais confederados D. H. Hill, Lafayette McLaws, Earl Van Dorn e James Longstreet. Anderson serviu na Guerra do México sob o comando do general Winfield Scott e foi promovido a primeiro-tenente por sua conduta. Após a guerra, Anderson serviu na fronteira e foi membro da expedição do Coronel Albert Sidney Johnston em Utah. Anderson estava estacionado no território de Nebraska quando soube da secessão da Carolina do Sul e prontamente renunciou à sua comissão para oferecer seus serviços à Confederação.

Anderson inicialmente serviu sob o comando de P. G. T. Beauregard em Charleston e esteve presente durante a crise de Fort Sumter e os disparos dos primeiros tiros da guerra. Quando Beauregard assumiu o comando das forças confederadas em Manassas, Virgínia, Anderson foi promovido a general de brigada e assumiu o comando de Charleston.

No início de 1862, Anderson foi transferido para Richmond, onde foi colocado no comando de uma brigada sob Longstreet durante a Campanha da Península. Anderson ajudou a executar a retirada dos confederados de Yorktown, manteve a perseguição das forças da União em Williamsburg e participou do ataque fracassado em Fair Oaks.

Depois que Robert E. Lee recebeu o comando das forças confederadas na península e reorganizou e renomeou o Exército da Virgínia do Norte, Anderson assumiu um papel de destaque. Tendo sido promovido ao posto de General de Brigada, Anderson participou da destruição de outro de seus colegas de classe em West Point, John Pope, em Second Manassas. Anderson foi ferido no início da batalha em Antietam, mas voltou a tempo de comandar a extrema esquerda da linha Confederada em Fredericksburg, que foi bastante afastada da ação principal. Em Gettysburg, os homens de Anderson enviaram as tropas da União Sickles caindo de volta para o Cemitério Ridge no segundo dia de batalha e quase cortaram o exército da União em dois.

No ano seguinte, 1864, Anderson assumiu o posto de tenente-general quando Longstreet foi ferido na batalha do deserto e comandou o corpo do Velho Pete em sua ausência. Anderson lutou em Spotsylvania e Cold Harbor, mas quando Longstreet voltou ao serviço em outubro, Anderson foi colocado no comando de um segmento das defesas de Richmond.

Após a queda de Petersburgo, Anderson guiou à direita da retirada. A maior parte de seu comando foi aniquilado na batalha de Sayler's Creek em 6 de abril de 1865 e, embora ele mesmo tenha escapado para se juntar ao exército, Anderson se viu sem um comando adequado para sua posição, e foi aliviado e teve permissão para voltar para casa no dia antes da rendição em Appomattox.

O período após a guerra foi particularmente cruel com Anderson, e ele morreu virtualmente na pobreza em 26 de junho de 1879 em Beaufort, Carolina do Sul.


Richard Heron Anderson

Nasceu em Stateburg, Sumter County, SC: 7 de outubro de 1821
Graduado em West Point: 1842
Serviu com distinção na Guerra do México: 1846-1848
Serviu na Escola de Cavalaria em Carlisle, PA. e se casou com Sarah Gibson: 1850
Com a secessão da Carolina do Sul, ele seguiu seu estado natal
e tornou-se coronel do 1º Regimento de Infantaria SC e comandou o
defesa do porto de Charleston: 1861
Promovido a Brig. Gen. e transferido para a Flórida, onde estava
feridos nos combates na Ilha de Santa Rosa: 1861
Mais tarde foi transferido para a Virgínia e se destacou como um
comandante da brigada durante a campanha da Península: 1862
Aqui ele ganhou o apelido
"Fighting Dick"
Ele serviu em todas as principais campanhas do Exército do Norte
Virginia progredindo na classificação para comandar um corpo de exército. Ele tornou notável
contribuições na 2ª Manassas, Sharpsburg, onde ele estava novamente
feridos, Chancellorsville, Spotsylvania e Cold Harbor.
Após a guerra, ele retornou ao seu estado natal e foi nomeado
Agente de Fosfato Estadual. Ele morreu em Beaufort, SC, em 25 de junho de 1879.

Erguido pelos Filhos dos Veteranos Confederados, Camp 47, Beaufort, SC.

Tópicos Este marcador histórico está listado nestas listas de tópicos: Guerra, Guerra mexicana-americana e guerra de touros, Civil dos EUA. Uma data histórica significativa para esta entrada é 7 de outubro de 1821.

32 e 26.046 e # 8242 N, 80 e 40.458 e # 8242 W. Marker está em Beaufort, Carolina do Sul, no condado de Beaufort. O marcador pode ser alcançado a partir de Newcastle Street ao norte de North Street, à esquerda ao viajar para o norte. Marker está localizado no cemitério ao redor da Igreja de Santa Helenas. Toque para ver o mapa. O marcador está em ou próximo a este endereço postal: 507 Newcastle Street, Beaufort SC 29902, Estados Unidos da América. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. Pelo menos 8 outros marcadores estão a uma curta distância deste marcador. Coronel John Barnwell (a poucos passos deste marcador) Igreja Episcopal de Santa Helena (a uma distância de gritar deste marcador) Igreja de Santa Helena (a uma distância de gritar deste marcador) Primeira Igreja Presbiteriana (cerca de 120 metros de distância, medida em uma linha direta ) A Igreja Batista de Beaufort (cerca de 120 metros de distância) um marco diferente também chamado de Igreja Batista de Beaufort (cerca de 500 metros de distância) Local da Antiga Casa de Encontro Batista (cerca de 150 metros de distância) Grande Exército do Salão da República (cerca de 150 metros longe). Toque para obter uma lista e um mapa de todos os marcadores em Beaufort.


Igreja de Santa Helena

(Marcador Frente):
Esta paróquia episcopal foi estabelecida pela Lei da Assembleia de 7 de junho de 1712. O primeiro reitor conhecido, William Guy, conduzia os primeiros cultos em casas de colonos. A paróquia sofreu muito durante o ataque dos índios Yemassee em 1715, construiu o edifício atual em 1724 (ampliado em 1817 e 1842) e recebeu prata da comunhão em 1734 por John Bull, um capitão da milícia. De acordo com a tradição local, o

(Marcador reverso):
A igreja foi usada pelos britânicos para cavalos estáveis ​​durante a Revolução e como um hospital na Guerra Civil. Em 1823, o Dr. Joseph R. Walker tornou-se reitor, cumprindo 55 anos, período durante o qual pelo menos 25 paroquianos ingressaram no ministério. Entre os enterrados no cemitério estão 2 oficiais britânicos, 3 generais americanos e 17 ministros do evangelho. A casa paroquial de 1962 serve a comunidade para várias funções.

Erguido em 1992 pela Sociedade Histórica do Condado de Beaufort e pelo Fundo de Preservação da Igreja Episcopal Histórica de Santa Helena. (Número do marcador 7-22.)

Tópicos e séries. Este marcador histórico está listado nestas listas de tópicos: Cemitérios e locais de sepultamento e igrejas e religião de touros e guerra de touros, civil dos EUA

& Bull War, US Revolutionary. Além disso, está incluído na lista da série da Sociedade Histórica do Condado de Beaufort da Carolina do Sul. Uma data histórica significativa para esta entrada é 7 de junho de 1951.

Localização. 32 e 26.042 e # 8242 N, 80 e 40.507 e # 8242 W. Marker está em Beaufort, Carolina do Sul, no condado de Beaufort. Marker está na Church Street, ao sul de King Street, ao viajar para o sul. Toque para ver o mapa. O marcador está neste endereço postal ou próximo a este: 501 Church Street, Beaufort SC 29902, Estados Unidos da América. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. Pelo menos 10 outros marcadores estão a uma curta distância deste marcador. Igreja Episcopal de Santa Helena (a uma distância de grito deste marcador) Coronel John Barnwell (a uma distância de grito deste marcador) Richard Heron Anderson (a uma distância de grito deste marcador) Primeira Igreja Presbiteriana (cerca de 300 pés de distância, medida em uma linha direta) Maxcy - Rhett House / "Secession House" (cerca de 500 pés de distância) Grande Exército da República Hall (cerca de 600 pés de distância) A Igreja Batista de Beaufort (cerca de 700 pés de distância) um marco diferente também chamado de Igreja Batista de Beaufort (cerca de 700 pés de distância) Local da Old Baptist Meeting House (cerca de 200 metros de distância) Tabernacle Baptist Church (aprox. 0,3 km de distância). Toque para obter uma lista e um mapa de todos os marcadores em Beaufort.

A respeito da Igreja de Santa Helena. A igreja faz parte do Distrito Histórico de Beaufort.

1. Igreja Paroquial de Santa Helena, YouTube. Situada no centro histórico de Beaufort, SC, a Igreja Paroquial de Santa Helena é parada obrigatória para quem visita a área. (Enviado em 26 de junho de 2012, por Brian Scott de Anderson, Carolina do Sul.)

2. St. Helenas 1712. A Câmara dos Comuns da Assembléia, sob os Lords Proprietors of Carolina, estabeleceu St. Helena s em 1712 como uma paróquia colonial da Igreja da Inglaterra. (Enviado em 26 de junho de 2012, por Brian Scott de Anderson, Carolina do Sul.)

3. Igreja Episcopal de Santa Helena. Situada dentro dos limites de um muro baixo de tijolos ao redor desta igreja e cemitério históricos, a Igreja Episcopal de Santa Helena testemunhou alguns dos contos mais convincentes de Beaufort. (Enviado em 26 de junho de 2012, por Brian Scott de Anderson, Carolina do Sul.)

4. Guerra de Yamasee. A Guerra Yamasee (também conhecida como Guerra Yemassee) (1715 & # 82111717) foi um conflito entre colonos britânicos da Carolina do Sul colonial e várias tribos indígenas americanas nativas, incluindo Yamasee, Muscogee, Cherokee, Chickasaw, Catawba, Apalachee, Apalachicola, Yuchi, Savannah River Shawnee, Congaree, Waxhaw, Pee Dee, Cape Fear, Cheraw e outros. (Enviado em 26 de junho de 2012, por Brian Scott de Anderson, Carolina do Sul.)

5. Distrito histórico de Beaufort. Beaufort é importante por seu papel como um importante centro da cultura de plantation pré-guerra da Carolina do Sul, sua contribuição


D. Retratos de Carolinianos notáveis

Retratos de carolinianos notáveis ​​são listados em ordem alfabética.

Esta imagem é cortesia da Biblioteca Caroliniana do Sul.

Nascido em Charleston em 1806, William Aiken (1806-1887) estudou na Hurlburt School e no South Carolina College. Depois de receber uma herança de seu pai, ele se tornou um bem-sucedido plantador de arroz.

Wyatt Aiken (1863-1923) era filho de David Wyatt Aiken, um fazendeiro de Abbeville bem-sucedido que liderou os Patrons of Husbandry da Carolina do Sul (a Granja), uma organização que deu poder político e a.

Sarah Campbell Allan (1860-1933) foi a primeira médica na Carolina do Sul. Um curso pré-médico oferecido no South Carolina College for Women em Columbia (mais tarde Chicora College - veja Chicora College.

Nascido em 1801 em Brookgreen Plantation, na paróquia de All Saints perto de Georgetown, Robert F.W. Allston (1801-1864) frequentou a escola preparatória e a Academia Militar de West Point, na qual se formou em 1821. Ele.

Nascido em uma plantação no rio Waccamaw, perto de Georgetown, Washington Allston (1779-1843) frequentou uma escola preparatória em Newport, Rhode Island, onde começou a se interessar por arte. Depois de.

O coronel William Alston (1756-1839) foi membro da Brigada de Francis Marion durante a Revolução Americana e participou da defesa de Georgetown. Ele era um criador de cavalos respeitado e a.

A Sra. William Alston (Mary Brewton Motte) (1769-1838) foi a segunda esposa do Coronel Alston (veja o Coronel William Alston) e lhe deu seis filhos após o casamento em 1791. Ela e sua mãe, a.

Conhecido como "Fighting Dick", Richard Heron Anderson (1821-1879) era o sul-caroliniano graduado no Exército Confederado, embora tivesse sido destituído de seu comando e não estivesse presente quando Lee.

Nascido perto de Louisville, Kentucky, Robert Anderson (1805-1871) formou-se em West Point em 1825 e recebeu uma comissão do Exército dos EUA. Quando a secessão da Carolina do Sul se tornou iminente, ele foi enviado para.

John James Audubon (1785-1851), um ornitólogo americano, passou quase quatro décadas esboçando, publicando e promovendo um catálogo monumental dos pássaros da América, seu "The Birds of America".


Serviço da guerra civil

Anderson escolheu seguir seu estado natal e a causa confederada, e renunciou ao Exército dos EUA (aceito em 3 de março de 1861) para entrar em serviço no Exército Confederado. Anderson aceitou uma comissão como coronel do 1º Regimento de Infantaria da Carolina do Sul a partir de 28 de janeiro. [3] Ele recebeu o comando da área do porto de Charleston após a captura do Forte Sumter naquele abril. [5] He was promoted to brigadier general on July 19 and transferred to Pensacola, Florida, where he was wounded in the left elbow during the Battle of Santa Rosa Island on October 9. [3]

After recovering, Anderson joined the Confederate Army of the Potomac in February 1862 (which was absorbed into the Army of Northern Virginia later in the spring) as a brigade commander. During the Peninsula Campaign, he distinguished himself at the Battle of Williamsburg in May, during the Battle of Seven Pines, and in the Seven Days Battles in June and July. At Glendale, he took temporary command of Maj. Gen. James Longstreet's division. Because of his excellent performance on the Peninsula, he was promoted to major general on July 14, 1862, and was given command of General Benjamin Huger's former division. [3] *As part of Longstreet's corps, Anderson fought at Second Bull Run. His division engaged the final Union defensive line around Henry House Hill, but the sun was starting to go down and he did not press the attack.

During the Maryland Campaign, General Cadmus Wilcox's division was added to Anderson's command. At the Battle of Antietam in September 1862, he was in overall command at the sunken road, or "Bloody Lane", in the center of the Confederate defense. He was wounded in the thigh and left the battle. His senior brigadier Roger A. Pryor took over command. After Anderson's departure, his division began to falter and eventually succumb to Union flank attacks that routed them from their position. At the Battle of Fredericksburg that December, his division was not heavily engaged.

During the Battle of Chancellorsville in May 1863, while operating away from Longstreet's command (because Longstreet was on detached duty near Suffolk, Virginia, at the time), Anderson pressed the Union left while Lt. Gen. Thomas J. "Stonewall" Jackson attacked the right. Anderson and Maj. Gen. Lafayette McLaws left the main battle line on May 3, and struck east to check the advance of Union Maj. Gen. John Sedgwick's VI Corps that would have led into Gen. Robert E. Lee's rear. Following the death of Stonewall Jackson on May 10, Lee reorganized his army from two into three corps. Anderson was admired enough by Lee to be considered for corps command, but instead his division was assigned to the new Third Corps, commanded by now Lt. Gen A.P. Hill, who outranked Anderson and was one of the senior-most generals in the army. After reorganizing, Anderson retained most of his existing command except for Brig. Gen Lewis Armistead's brigade, which was reassigned to George Pickett's division.

Gettysburg

At the Battle of Gettysburg in July 1863, Anderson's division was third in line of march approaching the town from the west on July 1, so they arrived late and had little involvement in the start of the battle.

On July 2, the second day of battle, Anderson's division attacked near the Union center, following on from attacks by Longstreet (the divisions of Maj. Gens. John B. Hood and McLaws) to his right. Anderson's right was successful attacking Union Brig. Gen. Andrew A. Humphreys's III Corps division along the Emmitsburg Road. His center, under Ambrose R. Wright, penetrated the lightly defended Cemetery Ridge. Carnot Posey moved haltingly and William Mahone did not move from Seminary Ridge at all. Union reinforcements rushed to counter Wright and he was repulsed. Anderson was criticized for his command during this day of battle. He had little effective control of his brigades. [ citação necessária ] On July 3, Anderson's brigades under participated in the waning minutes of Pickett's Charge, but both were driven back.

Wilderness and Spotsylvania

During the spring of 1864, at the Battle of the Wilderness, Longstreet was severely wounded and Anderson took command of the First Corps, leading it throughout the Overland Campaign. After the Wilderness he fought well at the Battle of Spotsylvania Court House. Anderson and his corps executed an all-night forced march on May 7 that secured that important position (reinforcing the Confederate cavalry earlier sent there), and arrived just before Union soldiers did. Reaching and defending this spot denied the Federals a way around Lee's army towards Richmond, and Anderson held it during heavy fighting from May 8–12.

Anderson then fought at the Battle of Cold Harbor in early June, and participated in the rest of the Army of Northern Virginia's operations to the south of Petersburg, Virginia, from mid-June until October. [5] Anderson was promoted to temporary lieutenant general on May 31. [6]

When Longstreet returned from his convalescence on October 19, 1864, Lee created the new Fourth Corps, which Anderson led through the Siege of Petersburg and the retreat towards Appomattox Court House in 1865. Because of several attacks by Federal cavalry nipping at his corps, Anderson was forced to slow and even stop from time to time and beat off the attacks. This caused the Confederates to become isolated from the rest of Lee's army moving west, and they were now the army's rear guard. The corps finally halted and fought at Sayler's Creek on April 6 which ended in a rout, and as Lee witnessed it he exclaimed "Has the army been dissolved?" [7] As the corps' survivors reformed and rejoined the army, what was left of the Fourth Corps was merged with the Second Corps on April 8. [8] This left Anderson without a command and he proceeded home to South Carolina. Anderson was pardoned on September 27, 1865, although there is no record of his parole. [3]


Contents

Anderson attended the Military Academy at West Point , which he graduated in 1842 as the 40th of his year with the rank of lieutenant. He then served as the 1st US Dragoons and in the Mexican War , after which he was promoted to first lieutenant. On March 3, 1861, he resigned from the US Army and took over the 1st South Carolina Infantry Regiment as regimental commander .

After taking Fort Sumter , he was given command of the Charleston Harbor. On July 19, 1861 he was promoted to brigadier general and transferred to Pensacola , Florida , where he was wounded in the action at Fort Pickens . After his recovery he fought with his troops on May 5, 1862 in the Battle of Williamsburg , on May 31 and June 1, 1862 in the Battle of Seven Pines and in the Seven Day Battle of June 25 - July 1 1862. Since Williamsburg he took command of the Division , major General James Longstreet . For his services and successes he was promoted to major general on July 14, 1862 and was given command of the second division from Longstreets Corps .

At the Second Battle of Bull Run on August 28 and 30, 1862, he attacked the Union troops , broke through their lines and forced them to evade. Six weeks later, at the Battle of Antietam on September 17, 1862, he was wounded in the thigh. The next battles he participated in were the Battle of Fredericksburg December 11-15, 1862 and the Battle of Chancellorsville May 2-5, 1863. The Battle of Gettysburg July 1-3, 1863 was Anderson's division third on the scrimmage.

The next spring, at the Battle of the Wilderness on May 5-6, 1864, Longstreet was wounded and Anderson took command of the 1st Corps and led it during the overland campaign . He was promoted to lieutenant general on May 31, 1864, and when Longstreet returned recovered in October, Anderson led the newly created IV Corps during the Siege of Petersburg and the Appomattox Campaign , where he surrendered at Appomattox Court House in April 1865 .

After the war, Anderson became a state agent for the phosphate industry in South Carolina. He died in Beaufort in 1879 and was buried in the St. Helena Episcopal Curchyard .


The Parish Church of St. Helena: An Important Part of Beaufort's History

The Commons House of Assembly, under the Lords Proprietors of Carolina, established St. Helena’s in 1712 as a colonial parish of the Church of England. Construction of the church building was delayed by the Yemassee Indian War of 1715. Built of brick, much of which originally was ship’s ballast and smoothed over with stucco, the church has been enlarged several times-in 1769, 1817, and 1842. The original building was repaired and enlarged in 1769. In 1817, the 1769 building was extended to the west. The extension was retained in 1842 when the remainder of the church was demolished to ground level.

The present sidewalls were constructed at that time, and the foundations of the 1769 church were used to support the interior galleries.

Some of the wealthiest and most prominent families in the American South were represented in St. Helena’s Church. Among them were Barnwells, Heywards, Elliotts, Rhetts, Fullers, Graysons, Wiggs, and others. The parish and the town produced many men of mark in politics, scholarship and religion during the Antebellum years.

During the Civil War, when Union forces occupied Beaufort in November 1861, the entire congregation fled. Initially during the occupation, church services were held there, but eventually Federal troops converted the church to a hospital. The church was stripped of its furnishings, marble tombstones were brought in for use as operating tables and the balconies were decked over to make a second floor.

The present altar was given by the officers and carved by the sailors of the U.S.S. New Hampshire stationed in Port Royal Sound during the reconstruction era.

A hurricane on September 29th 1896 destroyed the east end of the church. When the debris was cleared away, the altar remained intact. The east end was subsequently rebuilt in its original form from salvaged bricks. By 1998, the 286-year-old church was badly in need of restoration and repair. The side walls were separating, the mortar crumbling and the roof needed work. The balconies, without pews or kneelers, were unsafe and major work was needed on both ends of the church, with asbestos needing to be removed.

One of the earliest burials in the churchyard was Colonel John Barnwell (1671-1724), better known as “Tuscarora Jack,” a famous Indian fighter and a founder of Beaufort Town in 1711. An early settler of the Carolina colony from Ireland, he won his nickname by successfully leading an expedition to northern Carolina against the Tuscarora Indians in 1711.

Two British officers, killed in the battle of Port Royal at Gray’s Hill during the American Revolution in February 1779, are buried in the churchyard. Recovered from a hasty grave on the battlefield, they were interred by an officer of the American forces, who read the funeral service from the church’s altar prayer book and then reportedly said, “Soldiers and fellow citizens: We have now shown our enemies that we have not only the courage to face and beat them in the field, but that we have the humanity to give their dead a decent and Christian burial.”

Also buried in the church yard are two Confederate generals. Best known is Lieutenant General Richard Heron Anderson (1821-1879). The other is Brigadier General Stephen Elliott, Jr. (1830-1866). A planter and politician, Elliott fought as the captain of the Beaufort Volunteer Artillery during the unsuccessful defense of Port Royal against the Union invasion in November 1861.

The Parish Church of St. Helena celebrated its Tricentennial just a few years ago. The town of Beaufort has grown, fallen, rebuilt and prospered right along side this amazing church for over 300 years. Today, just like in the past, the Parish Church of St. Helena is an important part of the Beaufort community hosting many events each year including its traditional Thanksgiving Dinner for the needy, many concerts, an enormous Bazaar and much more.

Take time to visit and walk the grounds. Covered in moss draped trees, tabby walls and iron gates that line the walkways you will find something new every time you visit.

Go and investigate the who’s who of Beaufort’s past and link them to the massive historic homes and other stories of legend that we so enjoy.

Enjoy some photos from the historic church…

A beautiful organ graces the inside of the Parish Church of St. Helena. Photo by Eric R. Smith Springtime at the Parish Church. Photo by Phil Heim


Assista o vídeo: 1805 - 1930 1930