John Carver Timeline

John Carver Timeline

  • c. 1584 - 1621

    Vida de John Carver, primeiro governador da colônia de Plymouth.

  • 11 de novembro de 1620

    O Mayflower pousa na região dos dias modernos de Massachusetts, na América do Norte, trazendo os peregrinos ao Novo Mundo.

  • 11 de novembro de 1620

    O Mayflower Compact é assinado pelos peregrinos que estabelecem o governo democrático da Colônia de Plymouth.

  • 1621 - 1622

    Os peregrinos estabelecem a colônia de Plymouth com a ajuda de nativos americanos que os ensinam a sobreviver e florescer.


Mesmo quando criança, Carver se interessava pela natureza. Poupado de um trabalho árduo por causa de sua saúde debilitada, ele teve tempo para estudar as plantas. Seus talentos floresceram a tal ponto que as pessoas começaram a pedir-lhe ajuda com a vegetação doente.

Em uma entrevista de 1922, ele lembrou: “Muitas vezes as pessoas da vizinhança que tinham plantas me diziam: 'George, minha samambaia está doente. Veja o que você pode fazer com isso. & Apos Eu levaria suas plantas para o meu jardim e logo as teria florido novamente. Naquela época, eu nunca tinha ouvido falar de botânica e mal sabia ler. & Quot

Embora Carver adquirisse novas habilidades com o passar dos anos, o caminho que ele seguiria na vida era claro. & # XA0


Não apenas o homem do amendoim

A criança conhecida como & quotPlant Doctor & quot cuidava de seu jardim secreto enquanto observava as operações diárias de uma fazenda do século XIX. Natureza e criação influenciaram George em sua busca pela educação para se tornar um renomado cientista agrícola, educador e humanitário.

Planeje como um guarda florestal

Busto de concreto moldado de George Washington Carver por Audrey Corwin em 1952.

Bem-vindo ao Parque!

Assista ao filme de orientação do parque.

2021 Agenda de Eventos Especiais do Parque

Junte-se a nós em 2021 para nossos extraordinários eventos especiais.

Calendário de Atividades

Você é incentivado a visitar o parque e experimentar os diversos programas e atividades excelentes que estão disponíveis.

Programas Educacionais

Convidamos você a participar de um de nossos programas educacionais baseados em currículo ou de uma de nossas outras oportunidades educacionais.

Herança afro-americana

Saiba como o National Park Service homenageia a herança afro-americana.


1741-1760

1741
O privilégio de realizar cerimônias de casamento é restrito ao clero da Igreja Anglicana e, em vez de tal, a quaisquer magistrados legítimos.

Uma lei é promulgada exigindo que escravos recém-libertados deixem a Carolina do Norte dentro de seis meses.

1743
O médico e naturalista John Brickell lista os grupos religiosos da colônia, incluindo quacres, presbiterianos, católicos romanos, anabatistas e “muitos sectários”.

1745
Os delegados da Assembleia escolhem New Bern como capital colonial e votam pela representação igual entre os condados. Delegados da região de Albemarle, ausentes por causa do mau tempo, protestam contra essas decisões. Muitas pessoas em seus distritos se recusam a pagar impostos por vários anos.

20 de abril: A primeira lei de controle de bebidas alcoólicas adotada pela assembléia colonial cobra uma multa de qualquer taberneiro que permite que uma pessoa “fique bêbada em sua casa no sábado”.

1747
Uma nova onda de Highlanders começa a chegar à Carolina do Norte após a revolta fracassada na Escócia em 1746. Forçados a partir de sua terra natal escocesa, esses imigrantes se estabelecem principalmente no Vale do Cabo do Medo.

1747–1748
Durante a Guerra do Rei George, os espanhóis atacam Beaufort e Brunswick. No chamado Alarme Espanhol, eles saquearam assentamentos antes que a milícia local pudesse expulsá-los.

1748
Os descendentes de alemães começam a migrar em grande número da Pensilvânia e se reinstalam no oeste do Piemonte.

1749
James Davis instala a primeira impressora da Carolina do Norte em New Bern. Suas primeiras publicações são documentos governamentais.

1750–1751
Squire Boone se estabelece com sua família, incluindo seu filho Daniel, perto da atual Mocksville.

Década de 1750
Conflitos armados surgem entre os Cherokee e os colonos, que continuam a expandir as áreas de assentamento ainda mais para a parte ocidental da colônia.

1751
James Davis começa a publicar o Gazeta da Carolina do Norte, o primeiro jornal da colônia, em New Bern. Ele também imprime o primeiro livro da Carolina do Norte, Uma coleção de todos os atos públicos de assembléia, da província da Carolina do Norte, agora em vigor e em uso.

A primeira reunião mensal de amigos (quacres) na região central da Carolina do Norte começa no condado de Alamance.

1752
O Condado de Orange está estabelecido em uma área de forte imigração. Abrange todos ou partes dos condados atuais de Alamance, Caswell, Chatham, Durham, Guilford, Orange, Person, Randolph, Rockingham e Wake. Sua sede de condado, Hillsborough, ficará conhecida como a "capital do sertão".

1753
Morávios da Pensilvânia compram uma área de 100.000 acres no atual condado de Forsyth de Earl Granville. Eles chamam a área de Wachovia, que significa "vale pacífico". Eles estabelecem o assentamento de Bethabara em novembro.

A colônia relata exportações de piche, alcatrão e terebintina em 84.012 barris.

1754–1763
A guerra francesa e indiana é travada entre a Inglaterra e a França ao longo da fronteira da América do Norte. As tropas da Carolina do Norte servem tanto na Carolina do Norte quanto em outras colônias.

1755
Salisbury foi fundada como a sede do condado de Rowan County, criado a partir do condado de Anson em 1753 para acomodar um número crescente de colonos alemães e escoceses-irlandeses na área.

O reverendo Shubal Stearns lidera um grupo de 15 batistas separados de Connecticut a Orange County e estabelece a Igreja Batista de Sandy Creek, a “mãe das igrejas batistas do sul”.

A população indígena no leste da Carolina do Norte é estimada em cerca de 356. A maioria deles são Tuscarora, que não se mudaram para o norte.

O governador colonial aprova a proposta de estabelecer uma academia indígena no atual condado de Sampson.

14 de outubro: A assembléia concede um contrato para o primeiro serviço postal a James Davis, impressor público. Davis está autorizado a “encaminhar despachos públicos para todas as partes da província”.

1756
O Forte Dobbs, construído perto de Statesville para abrigar colonos em tempos de guerra, foi concluído. Os Morávios construíram um forte ao redor da vila de Bethabara.

1758
A milícia da Carolina do Norte e os Cherokee auxiliam os militares britânicos em campanhas contra os franceses e os índios Shawnee. Os Cherokee decidem mudar de lado após receber maus-tratos dos ingleses e voltam para casa, onde acabam atacando os colonos da Carolina do Norte.

Os Moravians estabeleceram Bethania no atual condado de Forsyth.

1759
A guerra francesa e indiana se intensifica com o ataque Cherokee ao oeste do Piemonte. Refugiados se aglomeram no forte de Bethabara. Tifo mata muitos refugiados e Morávios ali.

Uma segunda epidemia de varíola devasta a tribo Catawba, reduzindo a população pela metade.

1760
Um ato de montagem permite que os carolinianos do Norte que servem contra os aliados franceses indianos escravizem cativos.

Fevereiro: Cherokee atacam Fort Dobbs e assentamentos brancos perto de Bethabara e ao longo dos rios Yadkin e Dan.

Junho: Um exército de regulares britânicos e milícia americana sob o comando do coronel Archibald Montgomerie destrói vilas Cherokee e salva a guarnição do Fort Prince George na Carolina do Sul, mas é derrotado pelos Cherokee em Echoe.

Agosto: os Cherokee capturam Fort Loudoun no Tennessee e massacram a guarnição.


George Washington Carver, The Black History Monthiest Of Them All

Essa é basicamente a resposta que recebi quando perguntei às pessoas - meus amigos, pessoal do Twitter - o que sabiam sobre George Washington Carver.

Os detalhes eram nebulosos, mas as pessoas se lembravam que Carver era muito importante.

Ah, e algo sobre Tuskegee! Espere, ele inventou o amendoim?

Eles se lembravam de escrever relatórios de livros sobre ele na escola primária. E então muitos deles timidamente reconheceram sua ignorância.

No interesse da divulgação completa, devo dizer aqui que compartilhei a mesma compreensão vaga sobre as realizações de Carver, apesar do fato de minha escola ter o nome do cara. Para mim, ele era o cara do amendoim.

Carver é, de várias maneiras, o Monthiest da História Negra de todos os nossos pilares do Mês da História Negra. Todas as outras pessoas que estariam em seu conjunto de cartões de memória da história negra - Martin Luther King Jr., Rosa Parks, W.E.B. Du Bois, Frederick Douglass, Harriet Tubman - tiveram conquistas discretas que podem ser facilmente lembradas, mas foram citadas ao longo do ano. Mas Carver é basicamente um tipo de negócio que só acontece em fevereiro. Não há Lei dos Direitos Civis que ele tenha ajudado a formalizar, nenhuma teoria política fundamental que ele defendeu, nenhuma inovação popular que ele desenvolveu.

E ainda. Em 1941, Tempo o apelidou de "Leonardo negro". Ele era um amigo próximo de Henry Ford, um colega excêntrico e inventor. Ele foi o primeiro não-presidente a ter um monumento estabelecido em seu local de nascimento pelo Serviço de Parques Nacionais. Duas décadas após sua morte, a cantora de ópera Marian Anderson batizou um submarino nuclear que levava seu nome.

Linda McMurry, autora da biografia George Washington Carver: Cientista e Símbolo, escreve que Carver era onipresente em sua época e uma das cerca de uma dúzia de pessoas mais famosas na América. “Nos últimos quatro anos de sua vida, seu nome foi ligado a quase tudo, mesmo remotamente ligado aos negros, como um 'teatro colorido' em Norfolk, uma piscina em Indianápolis, um assentamento em Pittsburgh, um 'edifício profissional' para os negros em Cincinnati e um capítulo da União Feminina Cristã de Temperança em Atlanta ", escreve ela. "Eventualmente, tornou-se praticamente impossível entrar em uma comunidade negra em qualquer lugar da América sem ser lembrado da existência de um homem chamado George Washington Carver."

Então, como é que Carver, que já foi um dos homens mais famosos da América, preto ou branco, se tornou um cara que poucos de nós realmente conhecemos? Como ele se tornou parte integrante do panteão do Mês da História Negra?

Um legado contestado

Quando comecei a pesquisar, descobri que há todo um mundo de fãs de Carver, pessoas que veem o cientista agrícola como um modelo de graça. Mas mesmo alguns deles admitiram que o legado científico de Carver provavelmente foi exagerado.

"Há muitas hipérboles em torno de Carver", disse-me Peter Burchard, um dos mencionados amantes de Carver. Ele está terminando uma biografia de Carver que será lançada neste verão.

Poucas invenções e ideias de Carver tiveram amplo uso, porque ele tinha uma relação relutante com a documentação e suspeitava que seu trabalho pudesse ser roubado antes que ele pudesse patenteá-lo. Como tal, ele não passou muito na área de pesquisas. É uma das muitas ironias de sua fama duradoura. Mesmo em sua época, havia pessoas que se perguntavam se Carver estava sendo esbanjado com a atenção que deveria ter sido dada a alguns de seus contemporâneos, como o biólogo da Howard University Ernest Everett Just.

Em sua vida, Carver foi usado como um símbolo por uma ampla gama de pessoas com agendas incrivelmente diversas - e muitas vezes conflitantes. Muitos negros o citaram como prova do valor da educação, enquanto outros pensaram que o Carver de pele mais escura era uma refutação à alegação comum de que os negros de pele clara proeminentes deviam sua inteligência a alguma suposta herança branca. E muitos brancos apontaram para ele como prova de que os negros poderiam ter sucesso sem desmontar o sistema de Jim Crow. Porque Carver freqüentemente falava sobre Deus e cuidadosamente cultivava uma imagem de humildade, membros de diferentes religiões o reivindicaram como seu, ou pelo menos como uma alma gêmea.

Por evitar fazer declarações políticas, era uma tela em branco na qual qualquer um poderia projetar suas próprias ideologias.

Paxton Williams, que se autodenominava "Carverphile", era o diretor executivo da George Washington Carver Birthplace Association no Missouri. (Ele também escreveu e estrelou uma peça de um homem só sobre a vida do cientista. Quando enviei um e-mail para Williams para escolher seu cérebro, ele respondeu alegremente: "Geralmente sempre encontro tempo para falar sobre meu amigo George.") Williams me contou uma história sobre como, na década de 1920, Carver se desculpou por um jantar oferecido por Henry Ford - Carver seria um dos convidados de honra - porque não queria incomodar os brancos presentes. Ele comeu sua refeição fora sozinho. Este não era um cara incômodo.

Mas em outra ocasião posterior, Carver, com quase 70 anos, apareceu em um hotel na cidade de Nova York que havia reservado apenas para ser informado de que não havia quartos disponíveis. Ele esperou horas para que sua reserva fosse honrada, e figuras locais na imprensa e no mundo editorial ficaram sabendo que Carver estava tendo seu alojamento negado. Eles se apoiaram no hotel e exigiram que Carver fosse servido. Um editor branco e amigo de Carver reservou um quarto e foi prontamente acomodado. Mas quando ele tentou ceder seu quarto para Carver, eles foram novamente negados e informados de que não havia quartos disponíveis. O incidente se tornou notícia nacional e foi um lembrete de que a fama de Carver não o isolava do racismo.

“Seu sucesso instilou o orgulho negro e acalmou as consciências segregacionistas, e também deu esperança àqueles deixados de fora do sonho americano, ao mesmo tempo que justificava a posição dos bem-sucedidos”, escreveu McMurry.

Carver não era um homem político, mas era útil como um símbolo para pessoas com uma gama de objetivos diversos (e muitas vezes contraditórios). AP ocultar legenda

Ascensão de Carver

Carver nasceu escravo e foi criado pelos senhores brancos de sua família. Ele foi aceito em uma faculdade, mas foi recusado quando apareceu para as aulas e os funcionários da escola perceberam que ele era negro. Ele acabou se tornando o primeiro estudante negro e o primeiro membro negro do corpo docente do que hoje é a Iowa State University e se tornou um botânico respeitado.

No início de sua carreira, Carver foi ofuscado por Booker T. Washington, o famoso educador que o recrutou com sucesso para ensinar no Instituto Tuskegee, no Alabama. Carver era um devoto dos ensinamentos de Washington e acreditava que sua pesquisa agrícola poderia ajudar os fazendeiros negros a se tornarem mais autossuficientes. Ele queria que as pequenas fazendas do sul se tornassem mais sustentáveis ​​e menos dependentes do algodão - a cultura comercial dominante na região - para sobreviver.

A relação entre Washington e Carver era complicada, em grande parte porque o botânico era uma espécie de diva. Ele era amado por seus alunos, mas não era um bom administrador e evitava ativamente os aspectos mais mundanos do ensino. Ele regularmente ameaçava demitir-se de Tuskegee, embora Washington lhe concedesse todos os tipos de privilégios que outros membros do corpo docente não desfrutavam, e regularmente elogiava o intelecto do jovem cientista.

"A atitude de Washington foi realmente: 'Não damos muitas ordens, mas quando as damos a você, você tem que fazer'", disse Burchard. “Carver tinha um enorme respeito por [Washington], mas era um pouco como uma criança que tinha um ótimo pai que nunca dizia 'Eu te amo'. "

Quando Washington morreu, Carver ficou transtornado. Mas seu próprio perfil começou a subir rapidamente. Sua pesquisa proporcionou-lhe contatos no governo federal, o que lhe deu mais influência. Ele foi nomeado membro da Royal Society of the Arts. (McMurry escreve que nunca foi exatamente claro quem o escolheu para essa homenagem.)

Essa irmandade aumentou sua reputação, e cada nova homenagem e prêmio geravam ainda mais homenagens. E apesar de sua imagem de modelo de humildade, Carver a seguiu. Ele cultivou ativamente sua nova fama. Ele passou tanto tempo em palestras em outros campi quanto em Tuskegee.

Não demorou muito para que o pessoal do amendoim ligasse.

O homem do amendoim

Quando a Primeira Guerra Mundial começou e houve escassez de safras e alimentos, a pesquisa de Carver sobre usos alternativos para a batata-doce ganhou muita atenção de Washington, embora não valesse muito no momento em que a guerra terminou.

E a coisa do amendoim? Carver fez propôs muitos usos para o amendoim, mas poucos deles se tornaram amplamente utilizados. Muito de sua reputação veio depois que ele foi adotado como uma espécie de porta-voz da United Peanut Association of America - embora não sem algum debate interno inicial. (Ele pode ter sido famoso, mas ainda era negro.)

"Apesar de alegações posteriores de que ele quase sozinho transformou o amendoim de uma colheita inconseqüente em um empreendimento multimilionário, um negócio de amendoim considerável, bem organizado e cada vez mais poderoso existia antes mesmo de Carver se tornar seu símbolo", escreveu o biógrafo McMurry. "De fato, se a indústria da batata-doce fosse tão bem organizada, Carver poderia nunca ter se tornado o Homem do Amendoim."

Em 1921, ele foi para D.C. em nome da associação para fazer lobby por uma tarifa sobre o amendoim estrangeiro. Ele deveria dar uma breve palestra na qual mostrou alguns produtos alternativos de amendoim, alguns dos quais ele comeu enquanto falava aos legisladores. (Um congressista perguntou sarcasticamente se Carver gostaria de um pouco de melancia para acompanhar sua comida, mas Carver não mordeu a isca, dizendo que a melancia estava boa, mas era uma comida de sobremesa.)

O mesmo charme que Carver usou para conquistar seus alunos de Tuskegee deslumbrou tanto os membros do Congresso que eles continuaram estendendo seu tempo de uso da palavra. ("Seu tempo é ilimitado", disse-lhe o extasiado presidente do comitê. É ainda mais impressionante considerando a voz estridente e nada imponente de Carver.) Quando ele terminou sua apresentação, os espectadores aplaudiram. A tarifa acabou sendo aprovada. Esse incidente, de forma improvável, transformou Carver em uma grande celebridade nacional.

A imprensa começou a enfatizar a criação de mitos (Carver recusa uma lucrativa oferta de emprego de Thomas Edison!) e Carver não se esforçou muito para corrigir o registro de muitos de seus exageros a respeito dele. "As qualidades exóticas de sua vida foram destacadas e muitas vezes distorcidas, e o que surgiu foi uma imagem de Carver refazendo sozinho o Sul", escreveu McMurry.

Sua fama significava que ele foi inundado com propostas para desenvolver este ou aquele produto à base de alimentos, mas Carver, nunca um defensor dos detalhes, não queria se atolar com a logística de fabricação. Portanto, muitas de suas ideias de negócios - para tintas, corantes e adesivos feitos de batata-doce, amendoim e similares - ou secaram ou mancaram antes de morrer em silêncio.

Carver In Context

À medida que Carver ficava cada vez mais doente com a idade, Henry Ford mandou construir um elevador na casa de Carver para facilitar sua movimentação. AP ocultar legenda

Eu me perguntei em voz alta para uma amiga, Jelani Cobb, historiadora da Universidade de Connecticut e colaboradora do Nova iorquino, se a importância histórica de Carver foi exagerada. Por que Carver, cujo trabalho tem pouca ressonância contemporânea óbvia, importa tanto?

Ele parecia irritado com a premissa da pergunta. "Carver foi importante em parte por causa do que fez e do contexto em que o fez", disse-me Cobb.

É muito difícil argumentar contra isso. Aqui está o pano de fundo de Carver: o intervalo entre o fim da escravidão e o movimento dos direitos civis, um tempo estagnado para os direitos dos negros. Foi durante esse período que Jim Crow se cristalizou, quando a decisão de Plessy veio à tona, quando Wilmington, NC, viu o único golpe político bem-sucedido na história americana, quando o terrorista Ku Klux Klan teve séria influência dominante e a legislação federal anti-linchamento significava controlar o Klan era uma impossibilidade no Congresso.

Vamos pensar no grau de dificuldade de sua trajetória por um segundo. George Washington Carver, nascido escravo no Missouri e que se tornou um excêntrico cientista agrícola, foi o afro-americano mais proeminente nos Estados Unidos após um discurso que proferiu a um comitê do Congresso sobre proteções tarifárias para amendoim - e tudo isso em um momento em que os negros estavam quase ausentes da vida americana dominante. Quando você considera isso, faz sentido que a importância de Carver seja tão difícil de traduzir para a vida contemporânea. Sua celebridade era tão peculiar, tão específica para seu momento.

Depois que Carver morreu em 1943, ele foi comparado a seu mentor, Booker T. Washington, diz Williams. Não foi feito de forma favorável. Carver era visto como um acomodacionista. E seu desinteresse pelo ativismo político não envelheceu muito bem.

“Ele não era o tipo de pessoa que se levantava e dizia: 'Eu quero meus direitos! Você me fez mal!' "Williams disse.

É importante considerar, novamente, que ele não estava vivo na maioria dos momentos que se tornaram os sinais do movimento dos direitos civis. Ele morreu anos antes da integração dos militares, uma década antes dos primeiros protestos, boicotes e marchas. À medida que o movimento dos direitos civis cada vez mais definia a vida dos negros americanos, ele se tornou mais difícil de posicionar nitidamente na trajetória do progresso social dos negros, mesmo que seu nome continuasse a adornar escolas e bibliotecas e as crianças zelosamente escrevessem relatórios de livros sobre ele.

Quando as pessoas criticam e satirizam o Mês da História Negra, não é da história dos negros que eles estão zombando. É um olhar de lado a ideia de que a história dos afro-americanos - de qualquer povo, na verdade - se encaixa perfeitamente em um mês e pode ser reduzida ao tipo de trivialidade que pode ser estampada na parte de baixo de uma tampa de garrafa. Esses meses de história e herança podem parecer excessivamente preciosos, muito prosaicos. Mas, idealmente, eles deveriam nos dar a chance de revisitar e reconsiderar as pessoas que estavam mais caladas sobre as questões mais urgentes de seus dias.

Tudo isso torna Carver, por mais estranho que possa parecer, um argumento bastante forte para o Mês da História Negra.

As pessoas a quem perguntei sobre Carver ficavam tentando se lembrar das coisas importantes que ele fazia com os amendoins. Mas, embora a substância do amendoim seja o principal ponto, isso só importa. São os detalhes mais confusos que fazem alguém como Carver digno de consideração. Ele era um cientista que freqüentou escolas brancas, amigo de alguns dos homens mais poderosos da América. Ele não tinha inclinação política, mas era uma das pessoas mais famosas da América em uma época em que simplesmente ser negro na vida pública era necessariamente um ato político.

E um tanto bizarramente, sua raça o atrapalhou e ajudou a torná-lo enormemente famoso.

"Talvez o maior paradoxo seja que Carver se tornou famoso como cientista porque era negro, embora sua negritude o tenha impedido de se tornar um verdadeiro cientista", escreveu McMurry. "Se ele fosse branco, provavelmente teria feito contribuições significativas para a micologia ou hibridização e morrido na obscuridade. Por ser negro, morreu famoso, sem fazer nenhum avanço científico significativo."

Esses avanços nebulosos são aqueles que as pessoas se esforçam para lembrar, e todos sentem uma espécie de culpa por não se lembrar dos detalhes do trabalho de Carver com amendoim. Mas isso não importa. Portanto, vamos esquecer os amendoins.

Correção em 11 de fevereiro de 2014

Uma versão anterior desta história refere-se incorretamente ao Dred Scott decisão como tendo ocorrido durante a vida de Carver. Na verdade, é anterior ao seu nascimento. Além disso, o congressista que ofereceu melancia a Carver não era do Sul, como descrito originalmente, mas de Connecticut.


Linha do tempo de Theodore Roosevelt

Theodore Roosevelt, de 7 anos. Ele era chamado de & quotTeedie & quot por seus pais e irmãos.
  • 27 de outubro - nasceu em 28 East 20th Street, Nova York, NY, filho de Theodore Sr. e Martha ("Mittie") Bulloch Roosevelt. Ele era o segundo filho de quatro (irmã Anna "Bamie" nascida em 1855)
  • Meu pai ajuda a fundar o Museu Americano de História Natural
  • Cria o "Museu Roosevelt de História Natural" em seu quarto
  • Inicia intenso regime de condicionamento físico continuado ao longo da vida
  • 12 a 25 de maio - faz uma turnê pela Europa com sua família
  • 17 de julho - morre o avô Cornelius Van Schaak Roosevelt
  • Recebe o primeiro par de óculos aos 13 anos
  • Outubro - Família embarca em outra viagem ao exterior, incluindo Egito e Terra Santa
  • Coleta espécimes de animais do Norte da África e Oriente Médio para levar para casa
  • Recebe uma espingarda no seu 14º aniversário
  • Maio - Fica na Alemanha com o irmão Elliot para estudar idiomas
  • 5 de novembro - volta para casa em Nova York
  • Família passa o primeiro verão em Oyster Bay, futura localização de Sagamore Hill
  • Edith Carow se junta à família Roosevelt para uma viagem de verão

Theodore Roosevelt em traje de remo, Harvard.

Universidade de Harvard e a Assembleia Estadual

  • Setembro - começa a estudar na Universidade de Harvard
  • Julho - Escreve Os pássaros de verão dos Adirondacks
  • 9 de fevereiro - Theodore Roosevelt Sr. morre de câncer no estômago
  • 7 de setembro - conhece o lenhador do Maine, Bill Sewall
  • 18 de outubro - conhece Alice Hathaway Lee
  • 14 de fevereiro - noiva de Alice Hathaway Lee
  • 30 de junho - graduados em Harvard, magna cum laude
  • 27 de outubro - casa-se com Alice Hathaway Lee em seu 22º aniversário
  • Dezembro - Entra na Faculdade de Direito de Columbia (será descontinuada em 1882 por causa da carreira política)
  • Junta-se ao Partido Republicano
  • Agosto - escala o Matterhorn enquanto passa férias na Europa com Alice
  • Novembro - Eleito para a Assembleia do Estado de Nova York (o mais jovem já eleito para o cargo)
  • Publica a primeira grande obra literária, A Guerra Naval de 1812 livro mais tarde torna-se leitura obrigatória na Academia Naval de Annapolis
  • Continua a servir na Assembleia do Estado de Nova York
  • 1 de agosto - entra para a Guarda Nacional comissionado um segundo-tenente
  • 1 de janeiro - Eleito Presidente da Assembleia Republicana (líder da minoria)
  • Prepara-se para ir ao Território Dakota para caçar bisões

Theodore Roosevelt em traje de rancho.

Dakota Territory

  • 8 de setembro - chega à cidade de Little Missouri no Território de Dakota e contrata Joe Ferris como guia de caça.
  • Passa duas semanas caçando em Dakota e investe $ 14.000 em Chimney Butte (conhecido localmente como Rancho da Cruz Maltesa, com os sócios Sylvane Ferris e Bill Merrifield como gerentes.
  • 23 de setembro - retorna a Nova York e Alice
  • 12 de fevereiro - Nasce o primeiro filho, Alice Lee Roosevelt
  • Retorna para casa após receber telegrama de que sua esposa e mãe estão doentes
  • 14 de fevereiro - Mãe Martha Bulloch Roosevelt morre de febre tifóide horas depois, esposa Alice Hathaway Lee Roosevelt morre de insuficiência renal
  • Março - Casa das encomendas a ser construída em Oyster Bay para sua filha
  • 3 de junho - Delegado à Convenção Nacional Republicana
  • 9 de junho - retorna ao Território Dakota e logo estabelece a Fazenda Elkhorn
  • Agosto - Bill Sewall chega a Dakota para construir e gerenciar o Elkhorn
  • Agosto a setembro - embarca em viagem de caça às montanhas Bighorn
  • Outubro - volta a Nova York para trabalhar na campanha presidencial de Blaine
  • Novembro - viaja para o Território de Dakota para ajudar na construção de Elkhorn
  • Dezembro - ajuda a organizar a Associação de Stockmen do Little Missouri River
  • Retorna a Nova York antes do Natal
  • Março - Termina Viagens de caça de um homem do rancho, primeiro livro sobre suas experiências ocidentais
  • Abril - TR retorna ao Território Dakota e sua Fazenda Elkhorn e permanece por 2 meses
  • Envolve-se em uma briga de bar em Mingusvile (atual Wibaux, MT)
  • Maio - participa do roundup da primavera
  • Junho - Retorna a Nova York após 32 dias na rodada
  • Sagamore Hill é concluído
  • Novembro - cortejando secretamente sua namorada de infância, Edith Carow
  • Março a abril - Com a ajuda de Bill Sewall e Wilmot Dow, captura os infames ladrões de barcos
  • Abril - atua como delegado para a Montana Stock Growers Association
  • 4 de julho - profere discurso em Dickinson (Território de Dakota) como Orador do Dia
  • Agosto - caça cabras da montanha em Montana
  • Novembro - perde a corrida para prefeito da cidade de Nova York
  • 2 de dezembro - casa-se com Edith Carow secretamente em Londres
  • Um dos piores invernos da história registrada se instala no Território de Dakota
  • Publica Vida de Thomas Hart Benton, escrito principalmente durante seu tempo em Elkhorn
  • Abril - visita Dakota para pesquisar as perdas de gado que mais da metade de seu rebanho perdeu durante o inverno
  • Começa a vender participações em seus criadores de gado, garantindo que seus gerentes não sofram prejuízo
  • Muda residência em Sagamore Hill com Edith
  • 13 de setembro - o primeiro filho, Theodore Roosevelt Jr. nasce em Sagamore Hill
  • Dezembro - ajuda a estabelecer Boone & amp Crockett Club, a primeira organização de caça às feiras do país

Theodore Roosevelt e seus Rough Riders, o regimento de cavalaria voluntário que ele ajudou a formar a ideia nasceu de seu tempo passado com cowboys no Território Dakota.

Fazendo ondas no leste

  • Publica vários livros, incluindo Vida de Gouverneur Morris, Vida na fazenda e a trilha de caça, e Ensaios de Política Prática
  • Visita brevemente Dakota para caçar
  • 10 de outubro - Kermit Roosevelt nasce em Sagamore Hill
  • Publica os dois primeiros volumes de A vitória do oeste
  • Maio - começa como Comissário do Serviço Civil dos EUA em Washington, DC mantém o cargo até 1895
  • Visita Dakota em uma viagem de caça
  • Setembro - visita Elkhorn com Edith, as irmãs Anna e Corinne e outras pessoas viajam para Yellowstone
  • Publica História de nova iorque
  • 13 de agosto - a filha Ethel Carow Roosevelt nasce em Sagamore Hill
  • Viaja para Elkhorn para caçar
  • Publica The Wilderness Hunter, último livro sobre suas experiências no oeste
  • Visita Dakota em viagem de caça
  • 10 de abril - Nasce o filho Archibald Bulloch Roosevelt em Washington, DC
  • 14 de agosto - o irmão Elliott (pai de Eleanor Roosevelt) morre
  • Viaja para Dakota para uma viagem de caça
  • Publica Histórias de heróis da história americana, em colaboração com Henry Cabot Lodge
  • 5 de maio - demite a Comissão do Serviço Civil para se tornar Comissário de Polícia da cidade de Nova York
  • 6 de maio - Eleito Presidente do Conselho de Comissários de Polícia
  • Ao longo de 1895-96, recebeu atenção nacional pelas reformas policiais na cidade de Nova York
  • Vai caçar no Rancho Elkhorn
  • Publica Ideais Americanos
  • 19 de abril - nomeado secretário adjunto da Marinha pelo presidente William McKinley
  • 19 de novembro - Filho Quentin Roosevelt nasce em Washington, DC
  • TR vende suas últimas participações em gado em Dakota, no início da Guerra Hispano-Americana
  • 6 de maio - Renuncia ao cargo de secretário adjunto da Marinha para ingressar no 1º Regimento de Cavalaria Voluntária dos EUA
  • Recebe comissão de tenente-coronel e forma os "Rough Riders"
  • Maio a agosto - Servir em Cuba durante a Guerra Hispano-Americana promovido a Coronel
  • 14 de agosto - Os Rough Riders pousam em Montauk, Long Island, para começar uma quarentena de seis semanas
  • 27 de setembro - indicado pelo Partido Republicano para governador do estado de Nova York
  • 8 de novembro - o governador eleito do estado de Nova York serve até o final de 1900
  • Indicado para a chapa republicana vice-presidencial, posição que alguns consideraram um cemitério político
  • Em uma parada de campanha em Medora, ND, declara “aqui começou o romance da minha vida”
  • 6 de novembro - Vice-presidente eleito

Roosevelt como presidente em sua biblioteca em Sagamore Hill.

Dickinson State University

  • Março a setembro - atua como vice-presidente
  • 6 de setembro - Presidente McKinley baleado enquanto Roosevelt faz uma caminhada em Adirondacks
  • 14 de setembro - torna-se o 26º presidente dos Estados Unidos, o mais jovem a ocupar o cargo
  • Fevereiro - Começa o primeiro de 45 processos antitruste para dissolver monopólios de negócios
  • 22 de maio - estabelecido o Parque Nacional do Lago Crater em Oregon
  • Março - Estabelece Pelican Island, FL como a primeira reserva federal de pássaros
  • Novembro - Assina tratado com o Panamá para construção do Canal do Panamá
  • Presidente reeleito
  • Estabelece Serviço Florestal dos Estados Unidos
  • Estabelece Wichita Forest, OK, como a primeira reserva federal de caça
  • Negocia o tratado de paz russo-japonês
  • Estabelece vários parques e monumentos nacionais
  • Novembro - torna-se o primeiro presidente a deixar o país em visita ao Canal do Panamá
  • Dezembro - Recebe o Prêmio Nobel da Paz por mediar o tratado da Guerra Russo-Japonesa
  • Maio - Primeira conferência de governadores convocada na Casa Branca para discutir conservação
  • Junho - Nomeia Comissão Nacional de Conservação para inventariar os recursos naturais
  • Março - Fim da presidência
  • No total, estabeleceu 230 milhões de hectares de terras públicas
  • O interesse público e a celebridade aumentam após deixar o cargo

A political cartoon depicting Roosevelt as a "Bull Moose"

John Carver Timeline - History

Skid Row is an area of approximately 50 square blocks located just east of downtown Los Angeles. Also known as Central City East, the area has a longstanding history as a residential neighborhood for those with the least.

Since the early 20th century, many of the City’s working poor, unemployed, disabled and otherwise marginalized residents have found homes in the single-room occupancy hotels located throughout this relatively small neighborhood. But between 1950 and 2000, 15,000 residential hotel apartments, the most affordable housing in Los Angeles, were destroyed, threatening Skid Row’s residential community and forcing thousands of people onto the City’s shelters and sidewalks.

In 1989, community activists and business leaders of Los Angeles’ downtown community responded to the alarming disappearance of affordable, permanent housing by coming together to create Skid Row Housing Trust. The Trust swiftly mobilized private equity through low income tax credits, public finance and conventional debt to salvage hundreds of housing apartments that would have been otherwise lost.

Dilapidated hotels were renovated and transformed into safe, attractive and affordable permanent housing in which low-income and formerly homeless men and women could live and thrive.

Over the past twenty five years the Trust has refined its homes to provide not just housing but a supportive community as well. The Trust has increasingly targeted its homes to long-term homeless and disabled men and women, with an emphasis on co-locating housing and services together. By providing an integrated approach to housing, primary healthcare, mental health treatment, substance abuse treatment, and counseling, the Trust provides many of the tools needed to overcome the causes of homelessness.

The combination of beautifully designed, high quality housing, professional property management, and innovative social service provision has made Skid Row Housing Trust the national leader in ending homelessness.

Early History of Skid Row

The term “Skid Row” originated during the construction of the railroads in the mid-19th century. The first railroad construction began in the Pacific Northwest, where tracks made from harvested logs were sent to construction sites along “skid roads.” These “roads” also were built from logs and their purpose was to make it much easier to keep the logs rolling along the heavily muddied streets around sites.

The workers who built the railroads were mostly transient, immigrant men. As the construction took hold, businesses that catered to these men sprang up – usually brothels and taverns for the most part. Since the men were far away from their families and homes, single room occupancy (SRO) hotels were built to house them.

When the men were working, they had money to spend on prostitution, liquor and hotels. But employment was often seasonal and scarce. When the men were out of work, they wound up often drunk and sleeping in the streets. Alcoholism grew among this population of men. The religious community responded to their needs by opening shelters to house, feed and proselytize to the men. These neighborhoods were considered seedy, dangerous and dirty. Because of the “skid roads” that were in the center of the neighborhoods, they became known as “Skid Rows.”

Towards the end of 19th century the rail lines were built in Los Angeles to connect Southern California to the rest of the country. The railroads were constructed to end just east of the historic core of Los Angeles, which was the bustling downtown core of the city at the time. As in other urban areas, the brothels, bars, SRO hotels, and missions developed to serve first the men who worked on the railroads, and later men who traveled west on the railroads in search of work and opportunity.

Since its inception at the end of the 19th century Los Angeles’ Skid Row has been defined by the mix of cheap residential hotels, industry, and religious missions and the people they serve, ranging from workers to those down on their luck to the poor and disabled.

20th Century

During the Great Depression of the 1930’s, LA’s Skid Row saw an infusion of men from the rest of the United States heading West in hopes of earning a living. Often, they wound up on Skid Row, where they could find housing, food or shelter of some kind.

The pattern of this transient population continued into and past the Depression well into the 1950’s and 1960’s. But the 1970’s saw a dramatic and profound change. Where once the population had been dominated mostly by men who suffered from alcoholism, the 70’s brought Vietnam veterans and heavy drug users. In addition, legislation was passed to deinstitutionalize hospitals serving individuals with severe mental illness. Well meaning as this was, the government did not follow through on the community treatment needed to stabilize these individuals outside of hospitals. With nowhere to go, many wound up in Skid Row, where services and shelters were the only help available to them.

In the 1950’s and 1960’s many of the residential hotels fell into disrepair. The city increased building and safety code enforcement of the residential hotels and many owners found it cheaper to demolish the hotels, rather than comply with work orders. The stock of affordable housing provided through the residential hotels was reduced by half during this period and many residents found themselves unable to afford other housing and now homeless.

These years also saw the deterioration of entire inner cities across the entire country. Residents with the resources moved out of urban areas and into the suburbs. To address the growing urban blight issue, a “War on Poverty” was declared by then President Lyndon Johnson. With government funding, commercial interest in urban revitalization grew.

In Los Angeles the urban revitalization began with the Bunker Hill redevelopment (which also displaced many low income residents). Business interests and developers expressed concern that Skid Row and the homeless population downtown would hamper economic development opportunities.

In the 1970’s Los Angeles Mayor Tom Bradley was facing increasing pressure to address the issue, but it was an ethical and moral dilemma. Displacement of the poor and disabled had only increased homelessness downtown. The city clearly needed a new approach. Mayor Bradley created a special Blue Ribbon Commission charged with coming up with a response to the dilemma.

After much study and consideration, the commission recommended that the Community Redevelopment Agency (CRA), which collected and managed developers’ fees paid to the city and generated tax increment financing, use those fees to care for and house the homeless. The commission recommended that the CRA fund residential development in Skid Row to preserve the community for its low income residents and provide decent housing for them. The recommendation was that all housing and services for the homeless be centered in the Skid Row neighborhood where they would both be protected for the pressures of gentrification, but also concentrate the homeless away from Bunker Hill and the new financial core of the city.

During this time neighborhood activists lobbied City Hall and organized civic leaders around the idea of preserving, rather than demolishing the SRO hotels. Advocates lobbied City Hall to pass a moratorium on SRO demolitions or conversions. In 1989 the moratorium was passed protecting the remaining residential hotels in the community and throughout the city for five years.

Skid Row Housing Trust was founded by business and civic leaders to respond to the loss of residential hotels by preserving and rehabilitating the remaining hotels. From its beginning in 1989, the Trust and its board were committed to insuring that their buildings were created with architectural beauty and design to replace slums with true homes. With its emphasis on award winning and nationally recognized architectural style and design, the Trust has proven that affordable housing does not need to be isolated from the rest of the city and can handsomely co-exist in revitalized areas.

The Trust was also one of the national pioneers to combine permanent housing and on-site social services, known as “permanent supportive housing.” By providing homeless men and women with a permanent home (as opposed to temporary shelter), and the treatment and services needed to stabilize disabilities and crises, the Trust ensured that formerly homeless residents would never become homeless again.

The Trust’s dual focus on improving lives and the surrounding neighborhood has helped define the Downtown Los Angeles community. Since its opening, the Trust has helped hundreds of men and women reshape their lives and regain hope. That hope has transformed city blocks, catalyzing the restoration and creation of residential buildings that will result in a diverse, inclusive city where everyone has a place to call home.


Oregon History Timeline

The first Native Americans arrive in the Pacific Northwest by way of Siberia and Alaska. The earliest groups survive by fishing and hunting large game. Around 8000 BCE Native American settlements are found across the geographical region now known as Oregon, with a majority concentrated along the lower Columbia River, in the western valleys, and around coastal estuaries. Many Oregon names are derived from these Native American tribal names, including Multnomah, Willamette, and Clackamas.

Following exploration by the Spanish and French, in the 17th and 18th centuries, Oregon was mapped by the Lewis and Clark expedition in their search for the Northwest Passage. In 1846, the border between U.S. and British territory was formally established at the 49th parallel - the part of the territory that was given to Britain would ultimately become part of Canada. Oregon was officially admitted to the union as a state on February 14th, 1859.

18th Century Oregon History Timeline

1728 - Bering discovered straits between the continents

1741 - Bering and Cherikoff sailed along Alaskan coast

1765 - First know use of name Oregon or Ouragon, by Maj. Robert Rogers

1774 - Perez reaches 54 degree 40' north and discovers Nootka Sound.

1775 - Heceta's voyage, passed Columbia River

1778 - Capt. Cook's visit, begins fur trade on coast

1778 - Carver's Travels published, with maps, using the name Oregon

1787 - Barkley discovers Strait of Juan de Fuca

1788 - Marcus Lopez, cabin boy of Captain Robert Gray, first person of African descent known to have set foot on Oregon soil.

1789-90 - Nootka Sound controversy begins

1792-4 - Vancouver maps the northwest coast

1792 - Capt. Robert Gray discovers Columbia River

1793 - Mackenzie first to reach the Pacific overland

19th Century Oregon History Timeline

1803 - Louisiana purchased from France

1804-1806 - Lewis and Clark expedition overland to the mouth of Columbia River

1805 - York, William Clark's slave, comes west with Lewis and Clark's Corps of Discovery.

1810 - Winship brothers attempt settlement on Columbia

1813 - Astoria becomes Fort George under British flag

1814 - Treaty of Ghen closing war with Great Britain

  • Astoria returned to US. Old Fort Walla Walla founded by North West Company
  • First Joint-Occupancy Treaty with Great Britain

1819 - Treaty with Spain fixing northern boundary of California at 42 degree north

1824 - American treaty with Russia limiting latter's southern boundary at 54 degree 40' north

1825 - Fort Vancouver, on Columbia River, founded by Hudson's Bay Company

1827 - Second Joint-Occupancy Treaty with Great Britain

1828 - Jedediah S. Smith enters Oregon from California

1829 - Location at Willamette Falls (Oregon City) by the Company

1830 - First wagons in Rocky Mountains at head of Wind River.

1832 - Capt. Wyeth reaches Vancouver overland

1833 - Fort Nisqually established on Puget Sound
1834
-

  • Fort Hall established in southern Idaho
  • Methodist Mission in Willamette Valley established under Jason Lee

1837 - Whitman and Spalding Missions established

1841 - Pioneer settlers cross plains to Oregon first steps toward local government

1842 - Whitman hurries east to save his Mission

  • Great immigration first wagons westward from Fort Hall
  • Provisional Government begun, May 2nd

1845 - Reorganized Provisional Government

1846 - Treaty with Great Britain established Oregon title and defines northern boundary at 49 degree north. (concluded June 15, proclaimed by President Aug 5, 1846)

1847 - Whitman massacre Cayuse war

  • California gold discovery
  • Oregon's Provisional Government passes the first Exclusion Law in the Oregon Country following the Whitman Massacre in 1847.

1849 - August 14 - Oregon Territory established (Aug 14, 1848). Federally-appointed Governor Joseph Lane proclaim that Oregon is now a Territory of the United States. Began government March 3, 1849

  • Steamship mail service from San Francisco to Columbia River established
  • The Oregon Donation Land Act becomes law, granting free land to "whites and half-breed Indians" in the Oregon Territory.
  • Jacob Vanderpool, a saloonkeeper living in Salem, becomes the only person known to have been kicked out of the Oregon Territory because of his skin color.
  • February 8 - City of Portland Incorporated

1853 - Washington Territory established Pacific railroad surveys authorized

1853-1859 - Indian wars

1854 - Oregon's Exclusion Law is repealed.

  • Constitutional convention at Salem, August and September. (Ratified by popular vote on 2nd Monday of Nov)
  • The pro-slavery separatists in southern Oregon bring an amendment to vote but again fail to carve a new federal Territory out of the southwestern region of the Oregon Territory.

1858 - First state officials elected. Including Governor "Honest John" Whiteaker

  • February 14 - Oregon becomes the first state admitted to the Union with an exclusion law written into the state constitution. Propositions of Congress accepted by the State 3 June 1859
  • "Oregon Democrat" newspaper begins printing.
  • The Civil War begins in the East.
  • December 1 - ALbany worst flood in known history - waters were 36 feet higher than normal.

1862 - Oregon adopts a law requiring all blacks, Chinese, Hawaiians, and Mulattos (an archaic term referring to people of mixed ethnic heritage) residing in Oregon to pay an annual tax of $5

1863 - Idaho Territory established

1864 - Montana Territory established. Through telegraphy line between Portland and California points established

1866 - Oregon's citizens do not pass the Fourteenth Amendment, granting citizenship to blacks.

  • Railroad building Oregon to California begun. First cargo of wheat shipped to foreign parts
  • Fourteenth Amendment passes in Oregon.

1869 - Union and Central Pacific Railroads connected, May 10 (Promontory Point, Utah)

1870 - The Fifteenth Amendment, granting black men the right to vote, is added to the US Constitution despite failing to pass in both Oregon and California. This federal law supersedes a clause in the Oregon State Constitution banning black suffrage.

1872 - Modoc Indian War.

1873 - Great fire at Portland

1874 - Caves discovered and located in Oregon Caves National Monument are carved within solid marble.

1877 - Nez Perce Indian War

1878 - Bannock Indian War

1880 - The Tillamook Rock Lighthouse constructed, and is currently used as the site of the final resting place of up to 467,000 cremated individuals.

  • North Pacific last spike celebration Sept 8 Oregon Railway and Navigation line connected at Ainsworth. Completed to Huntington, 1884)
  • An attempt is made to amend the Oregon Constitution to remove its ban on black suffrage. The effort fails despite the fact that the clause in question was rendered moot following the passage of the Fifteenth Amendment, as noted above. Further attempts to remove the language prohibiting blacks from voting were made in 1895, 1916, and 1927.

1884 - Railroad south from Portland reaches Ashland, May 5, (Completed Dec 7, 1887)

1898 - Oregon troops in first military expedition to the Philippines

  • The Civil War ends at Apomattox Courthouse.
  • The Thirteenth Amendment, banning slavery in the United States, passes by referendum in Oregon.

20th Century Oregon History Timeline

1902 - Mr. W. E. Richards of Albany built a steam engine car. This was the first automobile built in Oregon and ran 12 miles per hour.

1905 - Lewis and Clark Centennial Exposition at Portland

1907 - Spokane, Portland and Seattle Railway constructed

1910 - John Burkhart is second man in Oregon to build and fly his own airplane. The old fair grounds race horse track was used as the landing field.

1913 - South Jetty at mouth of Columbia River completed

1914 - The Portland chapter of the NAACP, the oldest continually chartered chapter west of the Mississippi River, is founded.

  • High above the city of Portland the International Rose Test Garden features more than 500 varieties of roses cultivated continuously since 1917
  • North Jetty completed forty-two feet at mean low water at the mouth of Columbia River
  • Mobilization of Oregon Guard, March 25 war declared April 6th

1918 - Armistice signed, November 11th

1926 - Oregon repeals its exclusion law, amending the state constitution to remove it from the Bill of Rights.

1927 - The Oregon State Constitution is finally amended to remove a clause denying blacks the right to vote.

1951 - Oregon repeals its law prohibiting interracial marriages.

1959 - Oregon voters ratify the Fifteenth Amendment to the Constitution of the United States.

1987 - Legislature designated the Oregon sunstone as the official state gemstone.

21st Century Oregon History Timeline

2002 - Record forest fire season burned 1,000,000 acres

  • Attorney Brandon Mayfield taken into custody by FBI in connection with March terror attacks in Madrid
  • Archdiocese of Portland first in US to declare bankruptcy, cannot meet cost of claims by people allegedly abused by priests

2006 - US Supreme Court upheld law allowing doctors in Oregon to help terminally ill patients die

2010 - 19-year old Somalian held for allegedly plotting car bomb attack in center of Portland


HistoryLink.org

John Jacob Gayton, the oldest child of Black pioneers John T. Gayton (1866-1964) and Magnolia Scott Gayton (1880-1954), continued the legacy of his parents by providing a solid family structure, respect for education, and Christian values to his eight children who have made major contributions to civic betterment in Seattle. They include a university librarian, former Boeing executives, a lawyer, a high school teacher, and a businessman.

Coal Mines and Franklin High School

John Jacob Gayton, born December 27, 1899, was the first child to be baptized in the First African Methodist Episcopal Church of which his father was a founding member. His godmother was Susie Revels Cayton, writer and associate editor of the early black newspaper the Seattle Republican and daughter of Hiram Revels, the first black U. S. Senator.

John Gayton grew up in the family home at 26th Avenue E and E Mercer Street and attended the local schools. When he became a teenager, the family moved for several years to a five-acre homestead in Hazelwood, a small community east of Lake Washington and just west of Newcastle.

He worked in the summers as a screener in the coal mines of Newcastle and Coal Creek, walking miles back and forth. During the school year he took a ferry to Rainier Beach and then rode the interurban to attend Franklin High School. He missed military service by a few months because, just as he was about to be drafted, World War I ended.

A Fine Tenor Voice

Blessed with a fine tenor voice, John Gayton sang at community gatherings and studied under John Pain, a Black vocalist in the 1920s, who went to England and encouraged him to join him there for further study. Roland Hayes, the noted black tenor, heard him sing on a visit to Seattle and urged him to study in Europe. He sang on the radio when it first began broadcasting, accompanied on the piano by his sister, Louise.

Despite these encouragements to study abroad, John Gayton stayed in Seattle because he had met young Virginia Clark, whom he married on April 26, 1926. John Jacob and Virginia Clark Gayton raised eight children: Guela, Sylvia, John Cyrus, Gary, Philip, Carver, Leonard, and Elaine.

The young couple found housing at 24th Avenue and Olive Street, and he worked at E. N. Brooks and Company, a local haberdashery store, and later at Striker and Company, a millinery business. During the Great Depression he found employment as a dogcatcher with the Humane Society and later became a deputy sheriff. He continued his vocal training when he was awarded a scholarship to the Cornish School of the Allied Arts in 1940. His final career was with the U.S. Postal Service, from which he retired in 1967 after 25 years of service.

A lifetime member of the First African Methodist Episcopal Church, he served on the steward board, as president of the church choir and as a member of the board of trustees. He was a member of the East Madison YMCA, where a room has been named in his honor. He was a member of the National Association for the Advancement of Colored People (NAACP), the Seattle Urban League, and president of the International Chorus, which was sponsored by the Christian Friends for Racial Equality.

After his death on September 20, 1969, the family established a library at the First African Methodist Episcopal Church in honor of John and Virginia Gayton.

John Jacob Gayton (1899-1969) and Virginia Clark Gayton (1902-1993)

Gary (l.), Sylvia, and Carver Gayton, Seattle, 1948

Fontes:

Oral History Interviews of: Louise Adams (1976) Leonard Gayton (1976) Virginia Gayton (1976) Guela Gayton Johnson (1998), Washington State Oral History Project (Washington State Archives, Olympia). Note: John T. Gayton's birthdate of 1866, reported in some sources as 1868, is derived from a Yazoo County, Mississippi, census record dated July 2, 1870, at which time John Gayton was reported as 4 years old. Note: This essay was corrected on April 22, 2002.


Carver quotes

"Ninety-nine percent of the failures come from people who have the habit of making excuses."

"Fear of something is at the root of hate for others, and hate within will eventually destroy the hater."

"Education is the key to unlock the golden door of freedom."

"When you do the common things in life in an uncommon way, you will command the attention of the world."

"Where there is no vision, there is no hope."

"Nothing is more beautiful than the loveliness of the woods before sunrise."

"There is no short cut to achievement. Life requires thorough preparation - veneer isn't worth anything."

"Learn to do common things uncommonly well we must always keep in mind that anything that helps fill the dinner pail is valuable."