Eles descobrem uma barra de ouro do saque de Hernán Cortés no México

Eles descobrem uma barra de ouro do saque de Hernán Cortés no México

UMA barra de ouro encontrada nas proximidades do centro da Cidade do México em 1981 Pertenceu ao butim de guerra levado pelos conquistadores espanhóis liderados por Hernán Cortés ao fugir da Grande Tenochtitlán em 1520, de acordo com um novo estudo divulgado na sexta-feira, 11 de janeiro de 2020.

o origem da peça de ouro, encontrado por um trabalhador durante as escavações para uma construção, permaneceu um mistério por quase quatro décadas.

Mas a análise de fluorescência de raios-X por físicos produziu evidências de que a peça corresponde ao tempo e para o características do ouro que os espanhóis arrebataram dos astecas, informou o Instituto Nacional Mexicano de Antropologia e História (INAH).

"As características da barra de metal (...) coincidem exatamente com as referidas em fontes históricas", disse o INAH em nota.

Em 30 de junho de 1520, Cortés e seus anfitriões fugiram da ilhota, agora desaparecida, onde ficava a Grande Tenochtitlán, capital do império asteca, e levaram consigo, segundo os relatos o valioso tesouro do imperador Montezuma.

Este lingote é uma peça chave no quebra-cabeça daquele evento histórico, uma vez que coincide com a descrição de que (o conquistador espanhol) Bernal Díaz del Castillo fez dos ‘teixos de ouro’ obtidos na fundição do ‘Tesouro dos ancestrais de Moctezuma‘”, Diz o INAH.

No entanto, na corrida a cavalo e perseguida pelos astecas, o espanhol perdeu o tesouro em uma estrada que conduz ao norte da agora megacidade.

A barra de ouro, pesando quase 2 kg, foi encontrada em 13 de março de 1981, durante a construção de escritórios do governo localizados justamente em uma avenida que já foi a estrada norte.

Cortés conseguiu se abrigar a poucos quilômetros de Tenochtitlán e sob um frondoso ahuehuete, batizado como "a árvore da noite triste“E de que ainda há vestígios, ele lamentou a derrota de suas tropas antes dos astecas.

Para o arqueólogo Leonardo López Luján, responsável por esta nova investigação, a barra de ouro é uma “dramática testemunha material da conquista espanhola e um testemunho arqueológico único dos chamados‘Noite triste‘”.

Os espanhóis, aliados a outros povos pré-hispânicos hostis aos astecas, finalmente eles venceram e o Grande Tenochtitlán caiu em 15 de agosto de 1521.

Porém, O tesouro de Moctezuma nunca foi recuperado.


Vídeo: What If The Aztecs Had Not Been Conquered By Spain?