Eles encontram restos mortais de 227 crianças sacrificadas no Peru por culturas pré-colombianas

Eles encontram restos mortais de 227 crianças sacrificadas no Peru por culturas pré-colombianas

A equipe de arqueólogos que trabalha no Zona arqueológica de Pampa La Cruz, localizada em Trujillo (Peru), está localizada desde 2018 os restos mortais de pelo menos 227 crianças que foram sacrificadas em três diferentes rituais da cultura Chimú, supostamente nos séculos 13, 15 e 16.

O diretor de Projeto arqueológico Huanchaco, Gabriel Prieto Burmeter, informou que as investigações realizadas até agora na escavação, localizada no distrito de Trujillo de Huanchaco, determinaram que houve pelo menos três cerimônias de sacrifício naquela área, segundo a agência peruana Andina.

O especialista confirmou a conclusão do restos ósseos de 95 crianças com idades entre seis e 15 anos e que, adicionado aos 132 encontrados em 2018, traga o número total de cadáveres localizados para 227. Todos eles correspondem a cerimônias de oferenda ou celebração, pois são extraídos da superposição dos corpos, da via de sepultamento e dos artefatos localizados próximos aos ossos, entre outras indicações.

“É possível que esses sacrifícios tenham sido para promover boas batalhas ou comemorar triunfos”, disse o arqueólogo, que tenta apurar com sua equipe os motivos pelos quais os Chimú sacrificaram crianças e o momento em que essas cerimônias começaram. O primeiro deles teria ocorrido entre 1200 e 1250, o segundo entre 1400 e 1450 e o terceiro entre 1500 e 1520.

“As crianças são o bem mais precioso da sociedade, pois representam o futuro dela. Porém, o que queremos saber é o que mudou nos Chimú para começar a sacrificá-los; porque os Moche sacrificaram adultos, mas não menores ”, afirmou.


Vídeo: Sacrifícios humanos nas civilizações pré-Incas