Novas fórmulas estatísticas para atribuir sexo a fósseis humanos

Novas fórmulas estatísticas para atribuir sexo a fósseis humanos

Cientistas da Universidade de Oviedo e do CENIEH desenvolveram um novo método para descobrir o sexo de fósseis humanos. Os resultados do estudo foram publicados na revista Ciências Arqueológicas e Antropológicas.

Graças a este estudo, aprenda mais sobre a paleobiologia das populações humanas do passado, e abre a possibilidade de usar a mesma metodologia para descobrir como eram os representantes do gênero Homo de espécies diferentes da nossa. Além disso, será aplicável em contextos forenses para a identificação de indivíduos, afirmam os autores.

Normalmente, quando fósseis humanos isolados são recuperados de locais é muito difícil atribuir sexo a eles. No caso dos fósseis de pés, costumam ser utilizadas fórmulas matemáticas baseadas nas populações atuais, que permitem uma aproximação do sexo dos indivíduos fósseis com base no maior tamanho dos homens, de forma generalizada, em relação às mulheres dentro dos mesmos. população.

Fórmulas matemáticas

Como explicado Adrian Pablos, pesquisador do CENIEH e um dos autores, “o problema é que existem grandes diferenças entre as populações que tornam os resultados pouco confiáveis ​​quando essas fórmulas são aplicadas a uma população diferente daquela usada para calcular essas fórmulas matemáticas”.

Neste estudo, várias fórmulas discriminantes foram calculadas usando ossos do pé, como o tálus e o calcâneo. Para tornar o método mais robusto, essas fórmulas foram testadas com indivíduos da mesma população da qual as fórmulas são derivadas, e também foram contrastados com fórmulas e dados de outras populações diferentes.

"Mais tarde, essas equações foram devolvidas ao teste com fósseis de sexo conhecido para confiabilidade. Nos casos em que o percentual de confiabilidade era suficientemente alto, essas fórmulas foram aplicadas a fósseis de sexo desconhecido, conferindo maior robustez ao método ”comenta Carmen Alonso-Llamazares, pesquisadora da Universidade de Oviedo e primeira autora do estudo.

Referência bibliográfica:

Carmen Alonso-Llamazares, Adrián Pablos. "Estimativa do sexo a partir do calcâneo e do tálus usando a análise da função discriminante e sua possível aplicação em restos fósseis". Ciências Arqueológicas e Antropológicas (2019).


Vídeo: I Circuito Online SIAMB - Crises Ambientais: A era do antropoceno.