Putin era um agente secreto da Stasi, os serviços secretos da Alemanha Oriental

Putin era um agente secreto da Stasi, os serviços secretos da Alemanha Oriental

O jornal alemão Bild publicado em sua edição ontem, o fotografia do cartão que credenciava o atual presidente russo, Vladimir Putin, como agente dos serviços secretos da Alemanha Oriental, conhecida como Stasi por suas iniciais em alemão (Staatssicherheit).

O cartão, assinado por Putin, foi emitido em 31 de dezembro de 1985, sendo renovado ininterruptamente até final de 1989.

Naquela época, Putin estava na cidade alemã de Dresden, participando como oficial dos serviços secretos soviéticos, a KGB, embora até agora não se soubesse que ele possuía um cartão da Stasi.

Konrad Felber, diretor do arquivo da Stasi, explicou que o cartão permitia que ele entrasse nas instalações da Stasi sem inconvenientes e relatórios de recrutamento sem se identificar como um agente da KGB.

Este documento, Felber explicou, foi arquivado até agora, sem que ninguém percebesse.

Ele acrescentou que “o documento foi encontrado quando membros do arquivo procuraram, a pedido da imprensa, informações sobre quadros e treinamento da Stasi em Dresden. O nome de Putin não apareceu nos arquivos da entrega de documentos aos militares soviéticos”.

Vladimir Putin viveu em Dresden desde agosto de 1985, e mesmo sua segunda filha, Katerina, nasceu naquela cidade em 1986.

O Kremlin declarou o que "não exclui que os serviços secretos da Alemanha Oriental e da União Soviética tenham trocado cartões de identidade”.

o porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov, explicou quando questionado sobre a fotografia publicada no Bild que “Nos tempos soviéticos, a KGB e a Stasi eram serviços parceiros, portanto, a troca de carteiras de identidade não pode ser excluída.”.

Ele também observou que, para obter informações sobre este caso específico, era melhor solicite-o ao SVR (Serviço de Espionagem Estrangeira), quem eles se recusaram a comentar de acordo com a agência russa RIA-Nóvosti.


Vídeo: Showdown In Dresden: The Stasi Occupation And The Putin Myth