Exclusivo: descoberta de novos túneis subterrâneos pré-históricos nas pirâmides da Bósnia

Exclusivo: descoberta de novos túneis subterrâneos pré-históricos nas pirâmides da Bósnia

Dez anos de investigação científica e arqueológica das pirâmides da Bósnia trouxeram muitos momentos emocionantes, bem como reviravoltas dramáticas que buscam a redefinição do nosso conhecimento sobre a história.

Uma dessas descobertas aconteceu em abril de 2015. Durante os seis meses de limpeza e passagem por novas seções dos túneis subterrâneos pré-históricos, que haviam sido descobertos há algum tempo, os funcionários da Fundação Pirâmide Bósnia do Sol enfrentaram várias dificuldades. Durante o inverno de 2014 e a primavera de 2015, dificilmente ganharam novos metros de túnel. Em um momento, em fevereiro de 2015, um ramo do túnel que leva ao Sul, em direção à pirâmide do Sol da Bósnia, terminou com uma enorme rocha.

Decidimos contornar a rocha usando passagens laterais. Como muitos outros túneis que já descobrimos, estes foram preenchidos com material de preenchimento (cascalho e areia). Duas passagens laterais, a leste e oeste, terminaram em material conglomerado após cerca de dez metros. Tentamos mais uma direção, mas essa também não nos levou ao resultado desejado.

  • História Mundial e Pirâmides da Bósnia
  • Ressonância de Schuman medida nas pirâmides da Bósnia
  • O complexo da pirâmide da Bósnia atrasa os cronogramas da civilização em 20.000 anos

Então decidimos contornar uma grande rocha cavando um túnel ao redor dela. Os funcionários realizavam essa atividade com cuidado, verificando constantemente a estabilidade do material e verificando as medidas de oxigênio e dióxido de carbono. Após trinta metros, a rocha foi contornada.

Descoberta de novos túneis

Eu estava em Houston quando me disseram que descobriram um novo túnel atrás da rocha. Era uma nova seção, sem nenhum material de preenchimento, mas estava submersa. Decidi que os trabalhadores deveriam parar o trabalho e esperar meu retorno à Bósnia.

Formei uma equipe de seis membros para a primeira triagem científica das seções recém-descobertas.

Não era a primeira vez que encontramos seções abertas nas quais o pé humano não entrava há muito tempo. É um sentimento especial para cada pesquisador e o momento em que os sonhos se tornam realidade.

Sempre que os investigadores encontraram túneis subterrâneos pré-históricos no Egito, México, China ou Peru, esses eram frequentemente as atrações do mundo e as principais notícias que eram compartilhadas por todos os meios de comunicação.

Em nosso caso, já exploramos muitas seções de túnel feitas por mãos inteligentes em um passado distante. Até agora, descobrimos 1.550 metros.

Exploração dos novos túneis

O dia da entrada na nova seção do túnel finalmente chegou. No dia 30 de abril de 2015, com todos os equipamentos de proteção, botas de borracha e macacões impermeáveis, lâmpadas e bússolas, estávamos prontos para a aventura.

A equipe era composta pelos seguintes membros:

  • Dr. Sam Osmanagich, descobridor e investigador principal das pirâmides da Bósnia
  • Anela Preljević, B.C.in Archaeology (UCL London) e arqueóloga de campo da Fundação
  • Mejra Kozlo, B.C. em Geologia e geólogo de campo da Fundação
  • Engenheiro Osman Buza, assistente do Ministro Cantonal da Economia
  • Jock Doubleday, cinegrafista e diretor de relações públicas da Fundação
  • Edo Građan, funcionário da Fundação

Fomos para o lado esquerdo, em direção ao oeste. A altura do túnel é de cerca de 110-120 cm. Começamos a andar curvados. Eu liderei a equipe. O túnel foi preenchido com água de 20 cm de profundidade. Em alguns lugares chegou a 30 cm. Encontramos três seções secas, sem água. Estávamos olhando para a esquerda e para a direita, não havia passagens laterais. No chão de cascalho não vimos ferramentas ou artefatos. Não havia vestígios de queimaduras nas paredes ou no teto. Encontramos alguns pedaços de pedra alongados interessantes que nossa arqueóloga Anela levou para análise.

Finalmente, o túnel terminou. Uma seção seca com seixos na extremidade tinha uma piscina redonda de cinquenta centímetros de raio e cinquenta centímetros de profundidade. A água estava límpida e limpa. Demos o primeiro depoimento à câmera e voltamos. Osman e Edo mediram o comprimento dessa parte do túnel. Tinha 41 metros de comprimento.

Voltamos para a entrada. Concordamos em visitar uma seção na direção oposta. Eu disse a Jock para ir primeiro e gravar enquanto a água está limpa. Atrás dele estavam Anela e Meira, depois Osman, Edo e eu. Mudamos para o leste. Depois de alguns metros, chegamos ao primeiro cruzamento. Isso levou exatamente na direção do sul. Eu gostei disso porque é a direção da Pirâmide do Sol. O túnel, que estava aberto, estendia-se por cerca de três metros antes de ser preenchido com cascalho até o teto. Fomos parados lá e tiramos uma foto.

À nossa frente havia uma continuação do túnel em direção ao Nordeste. O nível da água era mais profundo nesta seção, aproximadamente 1 metro. Osman voltou e continuamos. Depois de dezessete metros, chegamos a uma nova encruzilhada. Nossa rota foi bloqueada por paredes de pedra e então preenchida com material. Uma seção aberta continuou à esquerda, em direção ao leste. A água estava ficando mais profunda e encontrou seu caminho até minhas botas.

Nós continuamos, embora estivéssemos nos molhando. A altura do teto agora era de cerca de dois metros. Caminhamos lentamente pelo solo lamacento e argiloso. A água estava gelada. Chegamos a uma nova encruzilhada. Os túneis se cruzavam a 90 graus. As passagens laterais foram bloqueadas por paredes de pedra e, em seguida, por cascalho. Eu comento para Anela:

“Agora você tem a oportunidade de entrar em uma nova seção do túnel. Você pode ver que não é verdade que nossa Fundação faz túneis de drywall ou os cava, são túneis pré-históricos. ”

[Nota: A Fundação já havia sido acusada de fazer os próprios túneis.]

Ela concordou comigo e deu uma declaração a Jock. Mejra se juntou a ela. Continuamos e depois de apenas alguns metros vimos mais um cruzamento e novamente as passagens laterais foram bloqueadas. Uma parte da parede seca estava submersa, comentou Anela. Ela reconheceu uma diferença na compactação do material carregado e conglomerados em que os túneis foram feitos.

Continuamos com a investigação. A cada passo, ficava mais difícil andar. Depois de alguns metros, chegamos ao fim das partes inundadas do túnel. Terminou em solo arenoso. Anela avistou um pedaço de madeira. Material orgânico! Ela pegou algumas amostras.

Depois de alguns minutos, voltamos e nos dirigimos para a saída. Desta vez, medi o comprimento do túnel. O ramal que leva para o leste tem 60 metros de comprimento. Dei informações ao Mejra sobre o horário das passagens laterais. O túnel no sentido Nordeste-Sudoeste tem 17 metros de extensão. O último trecho, voltado para o oeste, tem nove metros de comprimento.

Resumimos o comprimento total da seção pré-histórica aberta do túnel. No total, são 127 metros. É uma ótima informação!

Depois de duas horas de investigação e aventuras, saímos. Trocamos de roupa e depois tiramos uma foto do material orgânico.

Em nossas mentes, fizemos um plano sobre o que fazer a seguir com os túneis. Queremos limpar o túnel que leva ao sul, em direção à Pirâmide do Sol da Bósnia. Precisamos construir uma ponte sobre os nove metros de água e fazer uma barreira em direção ao resto do túnel aberto.

Uma fase de investigação dos túneis é concluída e outra apenas começa.

Nossa hipótese de que este é um labirinto, que chamamos de ‘Ravne’, com inúmeros túneis e que você sempre pode escolher uma direção de túnel que ficará desobstruída, foi confirmada.

Gravação de vídeo da expedição:

Imagens: Todas as fotografias são cortesia do Dr. Sam Semir Osmanagich, Ph.D.

Por Sam Osmanagich


Descobridor das Pirâmides da Bósnia: encontrei Tesla & # 8217s & # 8216 Campos de torção & # 8217 nas Pirâmides da Bósnia

Como participante do Programa de Associados da Amazon Services LLC, este site pode lucrar com compras qualificadas. Também podemos ganhar comissões em compras de outros sites de varejo.

O Dr. Semir Osmanagić, o descobridor das Pirâmides da Bósnia, explica que fez outra descoberta fascinante que muda não só a história do continente europeu, mas também de todo o planeta. A descoberta das ondas estacionárias de Tesla & # 8217s no topo da Pirâmide do Sol da Bósnia - que se acredita viajar mais rápido do que a velocidade da luz, embora não perdendo força ao passar por corpos cósmicos - prova a existência de algo conhecido como uma teia cósmica ou internet cósmica que permite uma comunicação intergaláctica imediata em todo o universo, escreve o Dr. Osmanagić.

Os fenômenos energéticos registrados acima da Pirâmide do Sol em Visoko buscam uma definição diferente de pirâmide em comparação com as explicações dogmáticas convencionais. As pirâmides são impulsionadores de energia que enviam e recebem informações através do sol.


VALE DA PIRÂMIDE DE BÓSNIO: OS MISTERIOSOS TÚNEIS RAVNE

Um dos destaques de nossa viagem de acampamento pela Bósnia e Herzegovina foi uma visita aos Túneis Ravne, uma rede supostamente pré-histórica de túneis e câmaras localizada no Vale das Pirâmides da Bósnia perto de Visoko.

Tínhamos recolhido muitas informações sobre as Pirâmides da Bósnia e, embora fôssemos cépticos, queríamos ver e sentir este lugar sozinhos. Bem, acredite ou não: explorar o labirinto foi uma experiência fascinante e enigmática. E com certeza estaremos de volta para uma visita mais completa de todo o complexo!

O Labirinto Subterrâneo “Ravne” se espalha por baixo de todo o Vale das Pirâmides e faz parte do Complexo das Pirâmides da Bósnia, que é, segundo muitos cientistas, uma noção pseudo-arqueológica para explicar a formação de um aglomerado de colinas naturais na Bósnia Central.

A história toda foi iniciada pelo Dr. Semir Osmanagić, um empresário bósnio baseado em Houston, Texas, que afirma ter descoberto a rede de túneis em 2006.

As pirâmides e os túneis são naturais ou artificiais? As discussões continuam… mas, entretanto, o complexo tem atraído inúmeros turistas para Visoko, o que certamente tem um efeito positivo na economia desta região pobre.

Hoje, o labirinto está aberto ao público. Todas as passagens (cerca de 1000m) são iluminadas e a altura média é de dois metros. Os crentes afirmam que mono- e megálitos encontrados aqui fornecem vibrações saudáveis, que a água dentro é excepcionalmente pura e que a alta concentração de íons negativos limpa o sangue e o corpo de vírus e bactérias.

O Labirinto de Ravne está localizado no Vale das Pirâmides da Bósnia, perto de Visoko, cerca de 30 km a noroeste de Sarajevo. Um acampamento com restaurante, supermercado e albergue - com vista para a Pirâmide do Sol - pode ser encontrado na aldeia vizinha de Mulići.

Reservamos uma visita guiada (60 minutos), vestimos um casaco e um capacete e seguimos o jovem guia pelo portão de entrada baixo. A primeira coisa que descobrimos ao entrar na rede de túneis foi o ar puro.

Embora o labirinto esteja localizado 25m abaixo do solo, a temperatura é estável (12,5 ° C) e o nível de oxigênio é de 20,4%. O ar estava realmente fresco, claro e agradável, como se estivéssemos algures nas montanhas. Especialmente Paul, que é um paciente cardíaco, ficou bastante surpreso com essa “injeção extra de oxigênio”. Para os leigos como nós, este parecia ser o primeiro enigma.

O guia nos deu muitas informações. Algumas pessoas argumentam que esses túneis são minas antigas da Idade Média, outras acreditam que foram usados ​​pelo Exército do Povo Iugoslavo (aliás, aqueles que são contra o Projeto Pirâmide da Bósnia afirmam que a Fundação da Pirâmide da Bósnia os está cavando por conta própria ) Mas para que os túneis eram realmente usados? E eram naturais ou artificiais?

Antes das escavações em 2006, a entrada dos túneis de Ravne estava quase cheia até o topo, parecia um buraco em uma colina e as pessoas chamavam de “caverna”.

No entanto, durante as escavações, pôde-se ver claramente que os túneis eram feitos pelo homem: as paredes eram feitas de conglomerado, mas estavam preenchidas com outro material semelhante a areia. Quem os preencheu, por que e quando? As paredes secas que bloqueiam os túneis laterais têm uma função especial? E há uma conexão direta com a Pirâmide do Sol? Ainda há muitas perguntas que precisam de uma resposta.

Em 2012, voluntários fizeram uma descoberta estranha em uma nova seção do labirinto de Ravne. Eles descobriram uma lamparina a óleo em um túnel lateral, obviamente do século XVII. Quem colocou lá? Ninguém sabe…

O guia enfatizou que vários megálitos foram encontrados nos túneis. Como eles entraram no labirinto? Algumas pessoas argumentam que foram construídos e moldados por alguma cultura antes de uma grande enchente que os cobriu com o conglomerado. De qualquer forma, eles precisam de mais pesquisas.

Uma curta estada nas câmaras de cura - que também são usadas para meditação - foi fascinante, mesmo para nós, holandeses práticos. Mantivemos nossas mãos acima do megálito e ambos sentimos um formigamento estranho de uma forma que estava além de qualquer comparação. Embora não acreditemos em “vibrações de energia”, não podíamos ignorar esta sensação de energia fluindo pelo nosso corpo. Foi realmente apenas auto-sugestão? Não sei, mas uma coisa é certa: nos sentimos bem, saudáveis ​​e cheios de energia, quando saímos do labirinto!

A controvérsia cerca este lugar na mídia e no mundo científico. Você pode estar cheio de ceticismo, mas ao invés de confiar em boatos, você deve ver, sentir e experimentar o lugar por si mesmo. Nem as hipóteses históricas de alguns entusiastas locais são importantes. Conte com seus próprios sentimentos reais, sensações de alguma energia externa ou apenas ALGUMA COISA que o tocou durante a visita.

Nome: Centro de informações Labirinto subterrâneo pré-histórico “Ravne”

Telefone: +387 33 259-935, +387 61 836 842

Horário de funcionamento: todos os dias 9-20 h (junho-setembro) 9-17 h (outubro-maio)

Taxa de entrada: Visita guiada € 10, meditação (2ª visita, 1 hora) € 2,50 bilhete diário € 20


A Pirâmide do Sol

A maior das colinas de Visoko é conhecida como & # 8216Pirâmide do Sol & # 8217 & # 8230 e é & # 8217s a glória culminante da Bósnia & # 8217s & # 8216Valley das Pirâmides. & # 8217 Concedido, é uma aparência anormalmente quadrada Colina. Quatro lados são claramente distinguíveis, embora a parte posterior da elevação, longe da cidade, seja um pouco menos definida.

Era para lá que estávamos indo - contornando a colina, passando por lojas de souvenirs em todo o caminho, para chegar a uma ladeira final ascendendo da parte traseira até o ápice da pirâmide & # 8217s. A estrada parava ao lado de um café com tema de pirâmide e pegamos o resto a pé.


The & # 8216Code of the Pharaohs & # 8217 Souvenir Shop.

Dentro de uma loja de souvenirs em Visoko, Bósnia e # 038 Herzegovina. Os itens à venda incluem isqueiros em forma de pirâmide, pesos de papel, canecas de souvenirs e ímãs de geladeira. A Pirâmide do Sol da Bósnia, vista de sua abordagem ao sul. Visto por trás, o morro parece um pouco menos com uma pirâmide. A estrada chega ao fim e fazemos a subida final até a Pirâmide do Sol a pé. Não há placas de sinalização no topo da colina, e muitos desses caminhos que se cruzam terminam em becos sem saída (altamente pitorescos). Chegando ao topo da pirâmide da Bósnia, encontramos as paredes reconstruídas de uma antiga fortaleza. Para o Leste: A Pirâmide da Lua nasce no centro do vale. Para o Norte: Olhando para baixo em Visoko da Pirâmide do Sol. Um poço reconstruído no topo da Pirâmide do Sol. Não havia informações disponíveis para explicar essas estruturas - mas o cimento entre as pedras foi recentemente colocado. Retornando mais tarde, paramos para um café neste delicioso café ao pé da pirâmide.


PIRÂMIDES DE BÓSNIA: GRANDE DESCOBERTA DE OUTRA REDE DE TÚNEL SUBTERRÂNEO PRÉ-HISTÓRICA

  • Escrito pelo Administrador
  • Sexta-feira, 8 de novembro de 2019 07:49
  • tamanho da fonte diminuir tamanho da fonte aumentar tamanho da fonte
  • Imprimir
  • O email
  • Vídeo
  • Galeria de imagens

Ravne 4 túneis: descoberta inovadora com a galeria de fotos

5 de novembro de 2019 é um dia de outra grande descoberta no Vale das Pirâmides da Bósnia. Enquanto trabalhava no parque 'Ravne 2', os funcionários da Fundação 'Parque Arqueológico: Pirâmide do Sol da Bósnia' descobriram uma entrada potencial para túneis subterrâneos.

O diretor da Fundação, Dr. Sam Osmanagich, formou uma equipe para a primeira prospecção: a arqueóloga de campo Amna Agić, o geólogo de campo Richrd Hoyle, a técnica Evelina Cehajić, a supervisora ​​voluntária Marie-Sophie Gristie e o supervisor de campo Mustafa Bajić.

Às 9h15 a equipe entrou no desconhecido através de uma abertura muito pequena entre a rocha do conglomerado do rio e o solo. A largura da entrada era de cerca de 40 cm, apenas o suficiente para escorregar.

A viagem nos túneis pré-históricos durou duas horas. Várias medições de energia foram feitas. A equipe tem explorado seções que não são visitadas por humanos há milhares de anos. Muitos túneis laterais fechados com as paredes de gesso e materiais de enchimento foram encontrados. Sem dúvida, esses túneis pertenciam à mesma rede de túneis subterrâneos que consiste em túneis Ravne, túneis Ravne 2, túneis de cura e túneis Ravne 3. Novas passagens subterrâneas, a apenas 300 metros ao sul da entrada dos túneis 'Ravne 3' foram chamadas de túneis 'Ravne 4'.

O primeiro documentário foi feito sobre esta descoberta com a equipe original e seus comentários.


Desvendando o mistério das pirâmides da Bósnia

MYSTERY WIRE & # 8212 Civilizações antigas ao redor do mundo construíram pirâmides no Egito, China, América Central, mas a mais antiga de todas pode estar na Europa.

As fotos mostram o Vale das Pirâmides na Bósnia. Parecem montanhas, mas são o produto de um grande programa de engenharia, de acordo com o arqueólogo PhD, que passou mais de uma década como o investigador principal. Ele diz que as evidências mostram que elas não são apenas as maiores de todas as pirâmides, mas também as mais antigas. Abaixo você pode ler a conversa que George Knapp teve com o arqueólogo Dr. Semir & # 8220Sam & # 8221 Osmanagich.

GEORGE
Por que um cara que investiga as pirâmides da Bósnia em uma conferência de OVNIs?

Dr. Semir Osmanagic
Porque fui convidado. E quando eu vi a lista, tínhamos Brien Foerster falando sobre civilizações antigas no Peru. Brad Olsen, a mesma coisa, América do Sul. Eu disse que & # 8230 faz sentido para mim. O resto é um pouco diferente porque, uma vez que sou um cientista, quero que tudo seja, você sabe, confirmado, cientificamente medido, analisado e testado.

GEORGE
Você é um PhD, você fala, você leciona em uma universidade. Existe um estigma associado ao envolvimento com uma conferência de OVNIs?

Dr. Semir Osmanagic
Eu não me importo? Claro que existe. Eu não me importo.

GEORGE
Conte-me sobre sua descoberta, porque eu já li sobre as pirâmides da Bósnia por um tempo. Eu não sabia o que fazer com eles. Eu sei que a comunidade arqueológica tenta descartá-lo, em geral.

Dr. Semir Osmanagic
As pirâmides da Bósnia são as maiores, as maiores, as mais antigas pirâmides do planeta. Em 2005, viajei pela primeira vez à pequena cidade bósnia de Visoko, no centro da Bósnia, a apenas meia hora da capital Sarajevo, para visitar o museu local. Então eu vi este & # 8212 todo mundo chamava de & # 8220hill & # 8221 & # 8212, mas tinha quatro lados. faces triangulares, quatro cantos, a mesma inclinação de baixo para cima. Peguei uma bússola e a bússola me mostrou que os lados estão perfeitamente orientados para os pontos cardeais. Norte Sul Leste Oeste. A Mãe Natureza não faz colinas com quatro faces triangulares em orientação perfeita. No entanto, fomos programados para pensar nas pirâmides, Egito, deserto, faraós, tumbas. Vamos esquecer aquelas histórias de ninar sobre pirâmides sendo tumbas. As pirâmides são na verdade & # 8212 a primeira, a maior, a mais superior & # 8212 máquinas de energia. Portanto, após minha primeira visita, pedi permissão ao governo para fazer algumas pesquisas preliminares & # 8212 trincheiras arqueológicas, sondagens geológicas e análises de laboratório. Tudo o que fiz: anomalia, anomalia, anomalia. Significado & # 8230 não feito naturalmente. Em 2006, estabeleci uma fundação sem fins lucrativos para pesquisas arqueológicas e científicas e, nos últimos 15 anos, o projeto da pirâmide da Bósnia se tornou o sítio arqueológico mais ativo do mundo. Todos os anos, 300 a 400 voluntários, até agora de 63 países. Nos últimos 10 anos, 3.550 deles. Nossos funcionários trabalham lá. Dezenas de milhares de visitantes. (A) número de especialistas de diferentes áreas. Cinco conferências científicas. Confirmando: que temos um complexo piramidal no coração da Europa, que tem 33.600 anos. Como sabemos disso? Porque uma vez que você remove de 3 a 4 pés de solo acima da estrutura, estamos encontrando blocos de concreto. Algumas retangulares, outras quadradas, de 7 a 40 toneladas. E não um bloco de linha, mas várias linhas. Entre essas fileiras de blocos, estamos descobrindo folhas fossilizadas. É material orgânico. Pode ser datado por radiocarbono, o que fizemos: 29.200 anos mais menos 400 anos. Esta é a data do radiocarbono e calibrada para a data & # 8230, sua idade é cerca de 14 a 15% a mais: 33.600 anos, as pirâmides mais antigas do planeta.

GEORGE
33.000 anos. Isso muda tudo.

Dr. Semir Osmanagic
Isso muda tudo. Portanto, os livros de história estão errados.

GEORGE
Eu imagino que você seja atingido por nada além da hostilidade de seus colegas ao redor do mundo.

Dr. Semir Osmanagic
Desde o primeiro dia. Arqueólogos, geólogos, curadores de museus, historiadores e # 8230, todos contra nós. Eles estão escrevendo petições ao governo da Bósnia para interromper o projeto. Porém, como temos esse aspecto turístico envolvido, as pessoas estão vindo para ver. Eles estão muito felizes. Tivemos grande apoio do público na Bósnia e nos países vizinhos. O governo realmente não queria, por um lado, nos dar apoio financeiro. Mas, por outro lado, eles não queriam nos fechar.

GEORGE
Eu imagino que o governo veria isso como um motivo de orgulho. Ei, as velhas pirâmides do mundo estão aqui.

Dr. Semir Osmanagic
Exatamente. Portanto, embora o establishment cultural seja contra, os políticos estão de acordo com este projeto. Então, agora mesmo está se tornando um projeto que está provando que com conhecimento de engenharia, com instrumentos científicos, podemos medir a existência do feixe de energia passando pelo topo da Pirâmide do Sol da Bósnia, que tem 28 quilohertz de frequência e de natureza elétrica, contínua e focada. Enviamos um drone acima das pirâmides, e o que medimos foi um campo elétrico indo de 13 pés, mais largo até 70 pés, de volta a 13, 70, 13. Na ciência, elas são chamadas de ondas escalares ou campos de torção . Eles as chamam de ondas escalares de Tesla & # 8217 porque ele foi o primeiro a experimentar esse tipo de energia sutil, 120 anos atrás. E as ondas escalares se movem mais rápido do que a velocidade da luz. Portanto, eles são um meio ideal para comunicação de distâncias muito longas. Não AT & ampT de longa distância, mas vastas distâncias cósmicas.

GEORGE
Portanto, a questão é: quem os construiu? Que civilização os construiu?

Dr. Semir Osmanagic
Bem, agora, tudo o que fazemos, tentamos encontrar respostas científicas. Queríamos ver a direção desse feixe de energia. De manhã, principalmente para o leste. Meio-dia, sul. Tarde, sudoeste. Noite, oeste. O que significa que o feixe de energia está seguindo o movimento do nosso sol. Isso significa que este feixe de energia se comunica com nosso filho, usando-o como o portão cósmico, e então se comunica com outros sistemas solares e outras galáxias? Se a resposta for sim, temos a Internet cósmica. Então, sim, foi alguém obviamente muito mais avançado do que nós que construiu as pirâmides. Aqueles que são os mais velhos & # 8212 porque são os maiores, sempre & # 8212 na China, Egito, Bósnia, México. Portanto, o primeiro propósito potencial das pirâmides é a comunicação. E você sabe o quê, quantos pesquisadores independentes nas últimas décadas estão tentando dizer, bem, as pirâmides do Egito não são tumbas, & # 8220Eles & # 8217 são provavelmente isso, eles provavelmente são & # 8230 & # 8221 Eles especulam. Somos os primeiros a realmente provar isso, porque medimos. Temos nosso projeto de campo.

GEORGE
O fato de você ter pirâmides & # 8212 na Bósnia, na China, no México, no Egito & # 8212 todas essas diferentes civilizações terrestres construíram o mesmo tipo de estrutura, uma coincidência? Ou eles estavam todos fazendo a mesma coisa?

Dr. Semir Osmanagic
Bem, vamos colocar desta forma. Os mais velhos são os maiores. Na China, Indonésia, como Gunung Padang, Koh Ker no Camboja. As pirâmides da Austrália, a pirâmide Gympie veio depois. Pirâmides da Núbia, 155 pirâmides egípcias, pirâmides da ilha de Maurício, sete delas, 104 pirâmides das Ilhas Canárias, 300 Peru, Bolívia. Claro, 100.000 na América Central, México, Guatemala, Honduras, El Salvador, Belize. Pirâmides maias. Pirâmides de Cahokia nos Estados Unidos. O mundo do passado era o mundo das pirâmides. Mas os mais velhos são os mais superiores. Por exemplo, no Egito, o calcário mais antigo & # 8212, granito. Aqueles que vieram depois da 12ª, 19ª, 20ª dinastia e # 8212 tijolos de barro. Na China, o granito de arenito mais antigo & # 8212. Aqueles que vieram depois, novamente, tijolos de barro. Portanto, não temos evolução & # 8230 ao contrário. Então, sabemos que o primeiro propósito é a comunicação, feixes de energia. Mas, os antigos eram inteligentes. Quando eles construíram a estrutura, eles construíram a máquina. É polivalente, use. O primeiro, comunicação. Em segundo lugar, temos uma enorme rede de túneis subterrâneos pré-históricos sob o vale das pirâmides da Bósnia, cinco pirâmides. Agora, essa rede funciona por dezenas e dezenas de quilômetros. Claro, no planalto de Gizé, três níveis de túneis. E Teotihuacan, México, temos túneis, e os túneis de Palenque e as pirâmides chinesas & # 8217 túneis. Mas nossa rede é a mais extensa e, ao contrário de outros países, que proíbem o acesso a esses túneis, temos nossos túneis abertos ao público. Todos os anos, dezenas de milhares de pessoas visitam nossos túneis e temos aspectos de cura nesses túneis. O que isso significa? Não temos centenas, mas milhares de testemunhos de pessoas sendo curadas nesses túneis. As pessoas vêm com alto nível de açúcar no sangue & # 8212 10, 12, 15. Eles voltam depois de uma hora, caiu para 5,7 ou 5,1, que é o nível normal. As pessoas têm pressão alta. Eles voltaram, nível normal. Pessoas com dores, as dores se foram. As pessoas vêm com doenças muito graves. Eles ficam durante a semana. Eles vão duas vezes por dia. Câncer, tumores, alguns outros.

GEORGE
Então, você tem uma investigação separada investigando isso?

Dr. Semir Osmanagic
Claro. Temos médicos fazendo isso. Somos os primeiros a abordar as pirâmides como projeto científico interdisciplinar. Ciências clássicas? Sim & # 8212 arqueólogos, geólogos, todos eles fazem parte do nosso trabalho. Temos 75 funcionários, nossa pequena fundação sem fins lucrativos. Mas além da ciência clássica, arqueologia, geologia, patologia, paleontologia, temos alta tecnologia. Temos geotérmica, satélite, você sabe, investigação de georadar, temos o aspecto de energia, engenheiros, físicos, elétricos, engenheiros solares, engenheiros de telecomunicações, médicos e até cientistas espirituais. O aspecto da cura é muito importante. Como podemos explicar isso? Dez fatores, o melhor campo eletromagnético & # 8212 que medimos. A melhor frequência de ultrassom & # 8212 28 kilohertz, frequência de levitação. A melhor frequência extremamente baixa & # 8212 7,83 Hz., É chamada de ressonâncias Schumann nas ciências, é o campo de energia natural do planeta. Aqui, é de 12 a 15 Hz. Lá, 7,83. Íons negativos de alta concentração. Eles removem vírus, bactérias de nosso corpo. Aqui, 25 a 50 íons negativos por centímetro cúbico. Lá, a pirâmide da Bósnia túneis de 20 a 40.000. Portanto, sem radiações cósmicas prejudiciais, sem radioatividade natural, sem sinal de WiFi, sem sinal de telefone celular. Você entra nos túneis, é o lugar mais bem preservado, mais seguro e protegido do planeta. As células do nosso corpo, sem inimigos de fora, começam a fazer seu trabalho. Qual é o seu trabalho? O processo de regeneração, a autocura. O segundo propósito da energia da pirâmide & # 8212 é a autocura, a proteção do que é mais importante para nós, nossa saúde. Número três, estamos encontrando água nos túneis das pirâmides. Nós analisamos. Em primeiro lugar, produto químico convencional & # 8212, microbiológico, sem vírus, sem bactérias. Ph, excelente: 7,5. Fizemos análises no Dr. Masaru Emoto no Japão, no falecido Masaru Emoto. Estrutura molecular da água da pirâmide da Bósnia & # 8212 linda, hexagonal. Hexágono é a forma geométrica mais poderosa quando se trata de energia. E belas estruturas semelhantes a cristais, como árvores de Natal. Água energeticamente viva. O que você e eu bebemos, a água engarrafada, a água da cidade & # 8212 energeticamente morta. Porque? Sem vírus, sem bactérias, mas cloro. Sim, é tratado. O cloro é veneno & # 8230 fluoretos, venenos & # 8230 vestígios, metais, veneno. Mas o que temos lá é água energeticamente viva e saudável.

GEORGE
Você precisa engarrafar essas coisas.

Dr. Semir Osmanagic
Nós o engarrafamos e esta é uma de nossas fontes de renda. Precisamos cobrir 75 funcionários, escavações arqueológicas. Portanto, água, os turistas visitam, não recebemos um centavo do governo e estamos crescendo a cada ano.

Copyright 2021 Nexstar Media Inc. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.


Túneis onder de Piramides van Bosnië!

Archeologen voeren al 10 jaar opgravingen uit rond de Bosnische piramides. Onder de piramides hebben ze nu nieuwe ondergrondse túneis aangetroffen. Em eerder ontdekte túneis stuitten ze op een bepaald moment op een groot rotsblok. Ze besloten een tunnel om de rots heen te graven.

De nieuwe tunnel werd verkend door een team bestaande uit zes mensen. Onderzoeksleider dr. Sam Osmanagich merkt op dat ondergrondse túneis em Egypte, México, China do Peru vaak trekpleisters worden en overal in het nieuws verschijnen. Hij zegt inmiddels túnel de 1550 metros te hebben blootgelegd. Het gaat volgens hem om túneis morrem em een ​​ver verleden door mensen zijn gemaakt.

Het eerste deel van de tuneis está ongeveer 1,20 meter hoog en op sommige plaatsen bereikt het water een hoogte van 30 centimeter. Er waren geen vertakkingen te vinden. Op de grond were geen gereedschappen of artefacten gevonden. Er werden ook geen brandplekken gevonden. Wel werden er langwerpige stukken steen aangetroffen die door een archeoloog worden onderzocht. De túnel eindigde na 41 metros em een ​​waterpoel.

Eenmaal teruggekomen bij de ingang besloot het team ook de tegenovergestelde richting te verkennen. In dit deel van de tunnels stond het water een stuk hoger, tot ongeveer een meter. Na equipe de 17 metros kwam het usando bij een splitsing. Het ene gedeelte werd geblokkeerd door een muur van gesteente, het andere leidde richting het oosten. A água dele era ijskoud.

Osmanagich werd er eerder van beschuldigd dat hij de tunnels zelf zou hebben gegraven. No vídeo zegt hij dat het prehistorische tunnels zijn. Aan het einde van de tunnels werd een stuk hout gevonden. Een archeoloog nam enkele monsters voor analyse. Het stuk tunnel dat richting het oosten liep estava em totaal 60 metros lang.

Het team wil nu de tunnel die richting het zuiden loopt, in de richting van de Zonnepiramide, beter begaanbaar maken. De onderzoekers vermoeden dat de tunnel deel uitmaakt van een labyrint, bestaande uit talloze tunnels.


Conteúdo

The hills are located near the town of Visoko, northwest of Sarajevo. The town was Bosnia's capital during the Middle Ages, and ruins of a medieval fortress are located atop Visočica hill. [5] Given the defensive strategic value of hilltop locations, other civilizations built facilities at this site: the fortress was built over an old observation post of the Roman Empire, which, in turn, had been constructed on top of the ruins of a further more ancient settlement. [12] The hills are a type known as flatirons. Archaeological geologist Paul Heinrich of Louisiana State University has said that such formations are common throughout the world, for example, the so-called 'Russian Twin Pyramids' in Vladivostok, and there are many in the nearby region. [5]

In October 2005, Osmanagić and his supporters initiated a long-running media campaign to promote the pseudo-scientific belief that Visočica hill and the surrounding hills are an ancient pyramid complex. In an interview with Philip Coppens in Nexus (April–May 2006), Osmanagić suggested that they were most likely constructed by the Illyrians, who (according to Osmanagić) lived in the area from 12,000 BC to 500 BC. He has since argued that Visočica is an example of cultures building on top of other cultures. [12] In 2017 Osmanagić was reported to have claimed that the structures date back 34,000 years. [14]

In addition, Osmanagić claims that tunnels around the hill complex, which have been named Ravne tunnels, are an ancient man-made underground network. [12] [15] They are claimed to be 2.4 miles (3.8 km) long. [12] He claims to have found fossilised leaves in them dating back 34,000 years. [15]

Osmanagić supports a number of fringe claims, saying he discovered 'standing waves' at the top of the largest of the hills waves which he asserts travel faster than light and prove the existence of a 'cosmic internet' that allows for intergalactic communication. [16] He also promotes the idea of ancient astronauts, and claims that human beings are the product of genetic engineering. [14]

Osmanagić has given his own names to the hills. He has named the two largest hills as the 'Pyramid of the Sun' and the 'Pyramid of the Moon' (not to be confused with the genuine pyramids of the Sun and the Moon in Teotihuacan, Mexico). Other hills have been named by Osmanagić as the pyramids of 'Love,' 'the Earth,' and 'the Dragon.' [12] [5]

Local authorities have funded his excavations, and authorized visits to the 'pyramids' by school children, with guides telling them the hills are part of their Bosnian heritage. [1] The site has become a tourist destination. [17]

Osmanagić's methodology and alleged evidence

According to Osmanagić, the dig in 2006 involved an international team of archaeologists from Australia, Austria, Ireland, United Kingdom and Slovenia. [18] But, many archaeologists whom he named have stated they did not agree to participate and were never at the site. [19] Osmanagić also claimed the support of an "Oxford archaeologist," who was found to be an unqualified undergraduate. His foundation's website claimed support of a British Member of Parliament the name given was not that of any sitting member. [20]

Osmanagić claims that the direction of the hills reveals alignment to support ancient human cosmology. According to Enver Buza, a surveyor from Sarajevo’s Geodetic Institute, the "Pyramid of the Sun" is perfectly oriented to the north. [5] Osmanagić has said that the sides of the pyramid are oriented toward the cardinal points, and has claimed that this could not be produced by natural processes. [5]

Osmanagić's claims have also centred on alleged evidence concerning satellite photography, thermal analysis and radar detection. An article by Ian Traynor for O guardião in 2006 reported that Osmanagić and his team alleged that their results from such research showed that the hills were not natural formations and that tunnels may exist inside the hills. [13]

According to Osmanagić, his excavations have produced evidence of blocks that he claims may be part of a man-made outer surface. [12] [13] Osmanagić claims that these blocks are made of a concrete poured on-site that was stronger than today's versions. [5] [13]

Osmanagić's claims have been repeatedly condemned by qualified scientists and archaeologists. Seven leading European archaeologists issued a European Association of Archaeologists Declaration stating:

We, the undersigned professional archaeologists from all parts of Europe, wish to protest strongly at the continuing support by the Bosnian authorities for the so-called "pyramid" project being conducted on hills at and near Visoko. This scheme is a cruel hoax on an unsuspecting public and has no place in the world of genuine science. It is a waste of scarce resources that would be much better used in protecting the genuine archaeological heritage and is diverting attention from the pressing problems that are affecting professional archaeologists in Bosnia-Herzegovina on a daily basis. [9]

The Declaration was signed by Hermann Parzinger, President of German Archaeological Institute in Berlin Willem Willems, Inspector General of Rijksinspectie Archeologie in The Hague Jean-Paul Demoule, President of the Institut nationale de recherches archéologiques préventives (INRAP) in Paris Romuald Schild, Director of the Institute of Archaeology and Ethnology of the Polish Academy of Sciences in Warsaw Vassil Nikolov, Director of the Institute of Archaeology of the Bulgarian Academy of Sciences in Sofia Anthony Harding, President of the European Association of Archaeologists and Mike Heyworth, Director of the Council for British Archaeology in York. [9]

Osmanagić's assertions have been categorically refuted by a number of experts, who have accused him of promoting pseudo-scientific notions and damaging valuable archaeological sites with his excavations. Amar Karapuš, a curator at the Historical Museum of Bosnia and Herzegovina in Sarajevo, said, "When I first read about the pyramids I thought it was a very funny joke. I just couldn't believe that anyone in the world could believe this." [5] Garrett Fagan of Penn State University is quoted as saying, "They should not be allowed to destroy genuine sites in the pursuit of these delusions[. ] It’s as if someone were given permission to bulldoze Stonehenge to find secret chambers of lost ancient wisdom underneath." [21]

Enver Imamović of the University of Sarajevo, a former director of the National Museum of Sarajevo, concerned that the excavations will damage historic sites such as the medieval royal capital Visoki, said that the excavations would "irreversibly destroy a national treasure". [22]

Excavations in the summer of 2008 by archaeologists who are not related to Osmanagić's Foundation uncovered medieval artifacts, which led to renewed calls for the government to cancel Osmanagić's digging permits. [23]

A former employee, Nadija Nukić, told a Bosnian newspaper that carvings on stones that Osmanagić characterizes as dating from ancient times were not present when the stones were first uncovered. They were later inscribed by Osmanagić's team. Osmanagić has denied this statement. [5]

Responses by archaeologists

Curtis Runnels, an American expert on prehistoric Greece and the Balkans from Boston University, states that the inhabitants of the area, to whom Osmanagić credits the building of the 'pyramids', were a primitive people who were small in number and who "did not have the tools or skills to engage in the construction of monumental architecture." [24] Runnels has said that cultures able to build large structures of that type emerged in the region only around 2,500 years ago, but did not construct such earthworks. [15] He has also pointed out that a pyramidal shape is resistant to certain forces it is a surviving, common form produced by natural causes. [14]

After visiting Visočica hill, [25] British professor Anthony Harding, president of the European Association of Archaeologists, wrote a letter to Os tempos (published 25 April 2006), referring to Osmanagić's theories as "wacky" and "absurd". He expressed concerns that the government of Bosnia had insufficient safeguards in place to protect the country's "rich heritage" from "looting and unmonitored or unauthorised development". [26]

Brian Stewart, assistant curator at the Museum of Anthropological Archaeology at the University of Michigan, said that "There were very worrying reports that he [Osmanagić] and his team have essentially sculpted the sides of these natural hills into something they think resembles pyramids, in the process stripping away sediment which contains layers of actual archaeology from mediaeval and earlier periods". [15]

In June 2006, archeologist Zahi Hawass, former Egyptian Minister of State for Antiquities Affairs, wrote a letter to Archaeology Magazine after his name became linked to the excavations. [27] Osmanagić had allegedly said that Hawass had recommended Egyptian geologist Aly Abdullah Barakat to investigate the hills. Hawass denied all involvement, accusing Osmanagić of spreading falsehoods in his letter he noted that Barakat had no archaeological knowledge or standing. He further noted that Osmanagić was totally wrong to claim that the Mayan civilization of Mesoamerica originated in Atlantis or the Pleiades constellation. [28]


Discovery Of Underground Bosnian Pyramid Tunnels

The tunnel complexes are vast and intricate and strangely at some point all the side entrances were sealed off by dry stone walling and fill material, there is the suggestion of some dating evidence that this was happening around 4,600 years ago according to the project leader Semir Osmanagić.

Because of everything that has surrounded this project it is going to be ignored by mainstream archaeology but i think that's unfortunate, he has in the past been accused of actually making the tunnels whereas he has claimed he is opening them up, and the evidence does suggest they were sealed and filled all along their length, so i think such accusations unfair.


The tunnels are created within compacted river conglomerate, the same material which was claimed as used as concrete on the Bosnian Pyramid, Semir Osmanagić suggests the material excavated from the tunnel construction was used for this, certainly it must all have ended up somewhere, but the purpose of the tunnels seems difficult to establish the only thing that could be extracted is river conglomerate material, stones, the mystery is furthur compounded by the discovery of megaliths within the tunnels, though those could have been within the ancient river bed itself.

The alternative theory for the tunnels in conjunction with the suggested pyramid above currently involves the generation of an energy beam the affects of which can allegedly be measured

The creation, purpose and sealing of the tunnels does require an answer, there may be a simple one but the evidence first needs to be properly considered, in some sense the half sealed chambers off the main passages resemble burial chambers, though no remains have been found and that is invalid if they extended furthur in length before closure, given some of the stone artifacts found and signs on monoliths there is some suggestion this could be related to Vinca culture, but more evidence is needed.

Anyway i'd like to discuss here what these tunnels could have been for and put aside the is it or is it not a pyramid question, the general shape of the natural hill could itself have marked the place as a sacred site.

That's the burning question. what purpose did the tunnels serve?
The subject is so taboo among armchair archaeologists that little information on artifacts can be found. Most endeavors of this size and age have all manner of debris from the scores of people necessary to complete them.

I wont make a guess based on what little I have, but I will watch the videos and thank you once again for the digging. Saúde!

The only reason i can think of for mining an ancient river bed would be if you were looking for secondary deposits of Gold so that would seem the most likely explanation i guess.

That's the conclusion reached here in Light at the end of the tunnel


Finally, on the subject of this particular hypothesis, we may note that Osmanagic, relying on the opinions of ‘experts’, categorically rejects - and we can understand why - the theory of ​​an ancient mine. The ‘experts’ in question are not experts in mining archeology, but coal miners from Zenica, and Dr. Sci. Enver Hasic, an expert in mine safety (bs). Hasic provides two arguments opposing the theory that this was ​​a mine. "No mineral deposits have been found" – but was a proper search conducted? Unlike coal, it is not usually possible to see deposits of gold with the naked eye. And: "all mines in Bosnia-Herzegovina have been documented". However, I very much doubt if all ancient mines really have been documented . especially in the case of a working that might have been a rather artisanal mine, perhaps led by a small group of villagers working independently. A survey of older residents of the sector might turn up something, if the mine in question was in use forty or fifty years ago - and if oral tradition has not already been displaced by the ‘Osmanagician’ version of local history. The tedious job of extracting information from the local archives, if they still exist, might also provide some information on how the Ravne tunnel was used. It goes without saying that, although, before proceeding to excavate, a team of serious archaeologists would have carried out work of this sort in order to amass as much information as possible about the context, there is small chance of the Foundation undertaking any such exercise.


Whatever happens, the search for the ‘structure’ recently revealed by GPR will perhaps help to throw at least a little more light on the subject of the Ravne tunnel. If it reveals the tomb of a king and a queen dating to several thousand years ago, I will have to eat my hat . If it turns out to be a cache of resistance weapons dating to the 1940s, we will at least have cleared up the question of recent use of the tunnel, although without obtaining any information about its origin. Is there a possibility that it might be a mining structure, such as a pit with the remains of timbers? Time will tell, probably very soon

Just more evidence that the groups controlling our world would like discredited as it undermines the historical narrative they have provided for us which doesn't include the many ancient advanced civilizations that once existed on this earth:

I apologize OP for getting slightly off-topic but of course this is all related.

I never thought this was just an ordinary mountain that happened to line up perfectly with the compass points as the disinfo agents would have you believe:

originally posted by: Kantzveldt
a reply to: the owlbear

The only reason i can think of for mining an ancient river bed would be if you were looking for secondary deposits of Gold so that would seem the most likely explanation i guess.

That's the conclusion reached here in Light at the end of the tunnel


Finally, on the subject of this particular hypothesis, we may note that Osmanagic, relying on the opinions of ‘experts’, categorically rejects - and we can understand why - the theory of ​​an ancient mine. The ‘experts’ in question are not experts in mining archeology, but coal miners from Zenica, and Dr. Sci. Enver Hasic, an expert in mine safety (bs). Hasic provides two arguments opposing the theory that this was ​​a mine. "No mineral deposits have been found" – but was a proper search conducted? Unlike coal, it is not usually possible to see deposits of gold with the naked eye. And: "all mines in Bosnia-Herzegovina have been documented". However, I very much doubt if all ancient mines really have been documented . especially in the case of a working that might have been a rather artisanal mine, perhaps led by a small group of villagers working independently. A survey of older residents of the sector might turn up something, if the mine in question was in use forty or fifty years ago - and if oral tradition has not already been displaced by the ‘Osmanagician’ version of local history. The tedious job of extracting information from the local archives, if they still exist, might also provide some information on how the Ravne tunnel was used. It goes without saying that, although, before proceeding to excavate, a team of serious archaeologists would have carried out work of this sort in order to amass as much information as possible about the context, there is small chance of the Foundation undertaking any such exercise.


Whatever happens, the search for the ‘structure’ recently revealed by GPR will perhaps help to throw at least a little more light on the subject of the Ravne tunnel. If it reveals the tomb of a king and a queen dating to several thousand years ago, I will have to eat my hat . If it turns out to be a cache of resistance weapons dating to the 1940s, we will at least have cleared up the question of recent use of the tunnel, although without obtaining any information about its origin. Is there a possibility that it might be a mining structure, such as a pit with the remains of timbers? Time will tell, probably very soon

Or perhaps they've barely "scratched the surface" and eventually the will discover a Kings/queens chamber and perhaps even a gallery.


. the last item of interest, which will perhaps shortly throw some light on the question, is the discovery by ground penetrating radar, on 23rd July, about 90 metres from the entrance of the tunnel, of the possible presence of a structure buried in the earth

GPR images are very difficult to interpret, but, although it is far too early to offer any suggestions about the nature of this anomaly, it is very unlikely to be an object of natural origin.:

Or maybe they extracted all the gold and created an idol of two golden fish kissing, then buried it.

But seriously the mines could date back to the Vinca period as they were very keen on mining and metallurgy.


10 Reasons to Visit Visoko

To go back in time and visit places where Bosnian kings used to rule, the place where the Povelja Kulina Bana (Charter of Ban Kulin) was written, represents an unusual and unreal experience for those who love history. The fact that this was the crowning place and burial place of the first Bosnian king Tvrtko I Kotromanić (1377 – 1391) and other Bosnian rulers, the place where the National Assembly was held, the place where official documents were issued and stored, a religious center with the first Franciscan monastery and vicarage in Bosnia, the place where numerous documents and charters were written, confirms that this area was and is an unavoidable place in the millennial tradition of the formation of the state. The locality of Mili/Arnautovići was declared a national monument of Bosnia and Herzegovina in 2003.

In written records, the old town of Visoko was first mentioned on 01. 09. 1355 in the Charter of Ban Tvrtko I to the residents of Dubrovnik, but it is considered to have existed a lot earlier. It is one of the earliest examples of medieval urbanism in the region of Bosnia, and along with Mile/Arnautovići, it is thought to be the center of medieval Bosnia. Apart from its military and defense function, it served as a temporary residence of the Bosnian ruler, the throne of the Great Bosnian Prince, and it also served as a trade center with a suburb at its base called Podvisoki, from which the Visoko center ( čaršija ) gradually developed. Considering its historical significance, it was declared a national monument in 2004, and it is part of the cultural heritage of Bosnia and Herzegovina.

A thousand years of recorded history and hundreds of traces of different cultures and civilizations, which have alternated for centuries in this region, have affected the Visoko valley so that it is abundant in cultural heritage and impressive places of worship, which testify of years of coexistence of peoples of different beliefs and religions. Three symbols of the town, three striking places of worship, serve as witnesses of tolerance and equality: the Franciscan monastery of St. Bonaventura , the Church of St. Prokopije and Tabhanska/Tabačka Mosque.

National monuments serve as witnesses of the long and rich history of Visoko, and they are part of the cultural heritage of Bosnia and Herzegovina, so we must point them out one by one: Old town Visoki, Mili- the crowning and burial Church of Bosnian Kings, Okolište- Neolithic settlement, Tabhanska/Tabačka Mosque, the Church of St. Prokopije, the Franciscan Monastery of St. Bonaventura and the Old Mosque with a harem in Goduša. The Heritage Museum of Visoko is a significant factor, working each day on the protection, preservation and promotion of the cultural heritage of this area.

Visoko is well-known as a place of trade and crafts, and the merchants there are considered to be among the best. Even today, Visoko is best known for leather and fur, cured meat, and traditional crafts from the regions of Goduša and Liješevo, which are thought to make the prettiest souvenirs. If you are a fan of these products, antiques, handmade items, you should visit the shops in Visoko, which are full of a rich and diverse offer of goods.

You cannot come to Visoko, without noticing White Mosque of worship, which attracts the attention of all visitors, regardless of their religion and nationality. The mosque was designed by famous Bosnian-Herzegovinian architect Zlatko Ugljen, and he received the prestigious Aga Khan world architecture award for it in 1983. It is listed at the very top of the best-designed places of worship, and in 2007 it was recognized by Hungarian architects, who listed it among the three best-designed places of worship in Europe.

The Bosnian valley of pyramids consists of the Bosnian Pyramid of the Sun (Visočica), which is a lot higher than the Great Pyramid of Giza at over 220 meters, then there is the Bosnian Pyramid of the Moon (Plješevica), which has a height of 190 meters, the Pyramids of the Bosnian Dragon (Buci) that are 90 meters in height, and the elevation of the Temple of Mother Earth (Krstac) and the Pyramids of Love (Cemerac), and there is also Tumulus in Vratnica. Apart from the prehistoric underground tunnel of Ravne, and park Ravne 2, a new network of tunnels was discovered, Ravne 3 and Ravne 4. All these activities mean that each year tens of thousands of visitors come from various parts of the world to Visoko, and that number goes up each year.

The archaeological and tourist park Ravne 2 was founded in 2016 and represents the central place of gathering for locals, as well as tourists, as that is where most events that take place throughout the year are held. The park consists of numerous stone installations (circles, megaliths), a spiral botanical garden, a labyrinth of energy and love, recreational trails, children’s playgrounds, a multimedia hall, a pyramid, stages for yoga and meditation, a concert stage with a natural amphitheater with a capacity for 5000 visitors, a rose’s triple heart, an alley of organic fruits, and numerous other installations, as well as toilets and parking. All this makes it one of the most attractive tourist and archaeological parks in Bosnia and Herzegovina and beyond. Entrance to the park is free of charge, and making use of all the activities on offer and the installations is also free of charge.

Numerous excursion sites of Visoko, such as: Ravne, Gorani, Zbilje, tourist and archaeological park Ravne 2, the attractive watercourses of the Bosna and Fojnica Rivers, and countless other natural phenomena and terrain are the ideal foundation for an active vacation, i.e. outdoor and adventure tourism. The areas that are suitable for hunting, fishing, camping, mountaineering, hiking, running, horse riding, mountain biking, rafting, and sports, recreational and excursion tourism are just some of the possibilities that the natural tourist potential of Visoko offers locals, as well as tourists in search of an adventure.

Visoko is one of the towns of Bosnia where the tradition and customs of ancestors has been nurtured since ancient times, and that is also the case with the culinary offer. The main culinary products that this town is known for abroad are certainly pies and ćevapi . Another recognizable Visoko brand is their cured meat and sujuk, as the culinary offer of Visoko is unimaginable without them. Taste and enjoy the magic of the rich Bosnian cuisine, which will motivate you to return to Visoko.


Assista o vídeo: Pyramidene i Egypt