Presidente I - História

Presidente I - História

Presidente

eu

(Fragata: t. 1.576; 1. 175'0 "; b. 44'4"; dr. 13'11 "; a. 32 24-pars,
22 42-pdr. carronadas, 1 1ong 18 pdr.)

O primeiro presidente (fragata) foi construído por Christian Bergh East River, Nova York; lançado em 10 de abril de 1800, e partiu de Nova York em seu primeiro cruzeiro, 5 de agosto de 1800, Comdr. Thomas Truxton no comando.

Pre ~ ident foi a nau capitânia do Comodoro Richard Dale no Mediterrâneo em 1801 e 1802. Ela cruzou o Mediterrâneo em 1804 e 1805, participando das ações contra Trípoli. Ela navegou na costa leste dos Estados Unidos de 1809 a 1812. Ela partiu de Annapolis Md. Em 12 de maio de 1811 e encontrou e disparou contra H.B.M. Sloon Littie Belt, 22 armas.

Ela partiu de Nova York em 21 de junho de 1812 com o Congresso dos Estados Unidos, o Hornet e o Argus em um cruzeiro no Atlântico Norte. Dois dias depois, ela conheceu H.B.M. Fragata Belvidera, e após uma luta runninz de 8 horas Belvidera escapou. Colocando-se em Boston, ela navegou novamente em 3 de outubro de 1812 para o Atlântico Norte, retornando a Boston em 31 de dezembro.

Ela partiu de Boston em 30 de abril de 1813 em um cruzeiro ao largo da costa da Europa. Em 23 de setembro, ela capturou H.B.M. Schooner High.7lyer, 5 canhões, ao largo de Nova York e chegou a Newport, RI, em 27 de setembro de 1813. Ela partiu de Providence em 4 de dezembro em um cruzeiro para as Índias Ocidentais, retornando a Nova York em 18 de fevereiro de 1814, e foi bloqueada lá por quase um ano por um esquadrão britânico.

Ela partiu de Nova York em 14 de janeiro de 1815 sob o comando do capitão Stephen Decatur, e no dia seguinte foi capturada por H.B.M. envia Endgmion, Majestic, Pomone e Tenedos.

O presidente foi levado para a Marinha Real e dividido em Portsmouth, Inglaterra, em 1817.


8 piores presidentes da história dos EUA

Como você determina quem são os piores presidentes da história dos EUA? Perguntar a alguns dos historiadores presidenciais mais notáveis ​​é um bom ponto de partida. Em 2017, a C-SPAN divulgou sua terceira pesquisa detalhada de historiadores presidenciais, pedindo-lhes que identificassem os piores presidentes do país e discutissem por quê.

Para esta pesquisa, a C-SPAN consultou 91 principais historiadores presidenciais, pedindo-lhes que classificassem os líderes dos Estados Unidos em 10 características de liderança. Esses critérios incluem as habilidades legislativas do presidente, suas relações com o Congresso, o desempenho durante as crises, levando em consideração o contexto histórico.

Ao longo das três pesquisas, divulgadas em 2000 e 2009, alguns dos rankings mudaram, mas os três piores presidentes permaneceram os mesmos, segundo historiadores. Quem são eles? Os resultados podem surpreendê-lo!


Presidentes dos EUA

A liberdade, de acordo com minha metafísica, é um poder autodeterminado em um agente intelectual. Implica pensamento, escolha e poder.

… Alguns homens honestos temem que um governo republicano não possa ser forte, que este governo não seja forte o suficiente

Se homens fossem anjos, nenhum governo seria necessário. Se os anjos governassem os homens, nem os controles externos nem internos do governo seriam ...

A que, então, devemos essas bênçãos? Todos sabem que os derivamos da excelência das nossas instituições.

União, justiça, tranquilidade, defesa comum, bem-estar geral e as bênçãos da liberdade - todos foram promovidos pelo governo sob ...

Mas vocês devem se lembrar, meus concidadãos, a eterna vigilância do povo é o preço da liberdade, e vocês devem pagar o preço se quiserem ...

. em todos os atributos de um povo grande, feliz e próspero, não temos paralelo no mundo.

Eu entendo muito bem as perigosas tentações às quais estarei exposto pela magnitude do poder que tem sido o prazer de ...

A riqueza só pode ser acumulada pelos ganhos da indústria e pela economia da frugalidade.

O México ultrapassou a fronteira dos Estados Unidos, invadiu nosso território e derramou sangue americano em solo americano.

. Devo fazer da honestidade, capacidade e fidelidade pré-requisitos indispensáveis ​​para a concessão do cargo.

A grande lei da moralidade deve ter uma aplicação nacional, bem como pessoal e individual.

A tempestade de frenesi e facção deve inevitavelmente se lançar em vão contra a rocha inabalável da Constituição.

O próximo em importância para a manutenção da Constituição e da União é o dever de preservar o Governo livre da mácula ou mesmo da ...

Sem malícia para com ninguém, com caridade para com todos, com firmeza no que Deus nos dá para ver o que é certo, esforcemo-nos por terminar a obra que ...

A legislação não pode ser sábia nem justa se buscar o bem-estar de um único interesse às custas e prejuízo de muitos.

Tive a sorte, ou azar, de ser chamado ao cargo de Chefe do Executivo sem qualquer formação política anterior.

É o desejo da boa gente de todo o país que desapareça o seccionalismo como fator de nossa política.

Não pode haver camponeses privados de direitos permanentes nos Estados Unidos.

A experiência mostra que o comércio do Oriente é a chave para a riqueza e a influência nacionais.

É uma regra clara de honestidade e bom governo que os gastos públicos sejam limitados pela necessidade pública.

. oportunidades oferecidas ao indivíduo para garantir o conforto da vida são melhores do que as encontradas em outros lugares e muito melhores do que aqui ...

É uma regra clara de honestidade e bom governo que os gastos públicos sejam limitados pela necessidade pública.

A guerra nunca deve ser iniciada até que todas as agências de paz tenham falhado. A paz é preferível à guerra em quase todas as contingências.

. a legislação geralmente será imprudente e ineficaz, a menos que seja adotada após uma investigação calma e com moderação.

Nossa política internacional é sempre promover a paz.

O mundo deve se tornar seguro para a democracia. Sua paz deve ser plantada sobre os alicerces testados da liberdade política.

Nossa tendência mais perigosa é esperar muito do governo e, ao mesmo tempo, fazer por ele muito pouco.

O preceito fundamental da liberdade é a tolerância.

No solo envenenado pela especulação cresceram aquelas horríveis ervas daninhas de desperdício, exploração e abuso de poder financeiro.

E o amor pela liberdade ainda é forte e constante na nação hoje.

Nenhum governo é perfeito. Uma das principais virtudes de uma democracia, entretanto, é que seus defeitos são sempre visíveis.

Um povo que valoriza seus privilégios acima de seus princípios logo perde ambos.

Que saia a palavra deste tempo e lugar, para amigos e inimigos, que a tocha foi passada para uma nova geração de americanos.

Acreditamos que todos os homens têm certos direitos inalienáveis. No entanto, muitos americanos não gozam desses direitos.

Em qualquer organização, o homem do topo deve assumir a responsabilidade. Essa responsabilidade, portanto, pertence aqui, neste escritório. Eu aceito.

Estamos unidos pelo mais poderoso de todos os laços, nosso fervoroso amor pela liberdade e independência, que não conhece pátria senão o coração humano.

Simplesmente devemos ter fé uns nos outros, fé em nossa capacidade de governar a nós mesmos e fé no futuro desta nação.

… Vamos começar uma era de renovação nacional. Vamos renovar nossa determinação, nossa coragem e nossa força. E vamos renovar nossa fé e nossa esperança.…

Estamos nos aproximando da conclusão de uma luta histórica do pós-guerra entre duas visões: uma de tirania e conflito e outra de democracia e liberdade.

Nossa democracia não deve ser apenas a inveja do mundo, mas o motor de nossa própria renovação.

Hoje, afirmamos um novo compromisso de viver a promessa de nossa nação por meio de civilidade, coragem, compaixão e caráter.

A mudança não virá se esperarmos por outra pessoa ou algum outro momento. Nós somos aqueles que esperávamos. Nós somos a mudança que procuramos.

. todos nós sangramos o mesmo sangue vermelho de patriotas, todos nós desfrutamos das mesmas gloriosas liberdades e todos nós saudamos a mesma grande bandeira americana.

Esta é uma eleição de mudança de vida. O personagem está na cédula. A compaixão está na cédula. Decência. Ciência. Democracia. Eles estão todos na cédula.


8 John F. Kennedy (20 de janeiro de 1961 a 22 de novembro de 1963)

John F. Kennedy foi o 35º presidente dos Estados Unidos e é sem dúvida um dos presidentes americanos mais famosos conhecidos em todo o mundo. Apesar do fato de que ele foi um grande líder, a maioria das pessoas se lembra dele em relação ao seu assassinato em Dallas, Texas, em 1963, por Lee Harvey Oswald.

A legislação de Kennedy no que diz respeito aos movimentos pelos direitos civis não chegou a ver a luz do dia até depois de seu assassinato, devido à enorme oposição dos democratas do sul. No entanto, as realizações de política externa de Kennedy são algumas das maiores conquistas que ele fez enquanto estava no cargo, especialmente como ele lidou com a crise dos mísseis cubanos de 1962, onde evitou entrar em um confronto nuclear com a União Soviética.

Durante o tempo de Kennedy no cargo, o financiamento da NASA aumentou significativamente, o que levou os Estados Unidos a se tornarem o país líder na exploração do espaço e isso levou à preservação da segurança dos Estados Unidos.


O presidente mais popular da história americana

por TheDarkMan 23 de dezembro de 2020 3,1k Visualizações 11 Votos 5 Comentários

Durante sua campanha para a eleição de 2020, o presidente mais popular da história americana discutiu com um operário, chamou um homem idoso de gordo em uma reunião pública e o desafiou para um concurso de flexões, esqueceu em que estado ele estava , e confundiu sua esposa com sua irmã.

Durante sua campanha para a eleição de 2020, o presidente mais popular da história americana disse que estava orgulhoso de seu filho adúltero viciado em cocaína, e como ele poderia não estar? De fato, poucas pessoas podem ganhar milhões de dólares simplesmente viajando no Força Aérea Dois.

Durante sua campanha para a eleição de 2020, o presidente mais popular da história americana se escondeu em seu porão enquanto seu rival percorria o país implacavelmente. Enquanto dezenas de milhares de pessoas faziam fila para ver Donald Trump, enquanto comboios de veículos e flotilhas de barcos desfilavam em seu apoio, algumas dezenas de pessoas apareceram para ver o presidente mais popular da história americana, um terço delas pertencendo à sua equipe e equipe de segurança, enquanto uma multidão maior do outro lado da estrada gritava por seu rival.

O presidente mais popular da história americana ganhou mais votos do que seu principal rival, mais votos do que Barack Obama em sua primeira corrida presidencial. Joe Biden foi tão popular que, em alguns lugares, as pessoas votaram nele vinte ou trinta vezes. Ele era tão popular que até os mortos votaram nele em números recordes.

A imagem acima é uma captura de tela do recente comício do Partido Democrata na Geórgia. Joe Biden está no pódio Kamala Harris e muitos outros canhões pesados ​​estavam lá. Observe o ângulo estreito da câmera, por que você acha que a mídia local a enquadrou assim, será que eles não queriam que o público percebesse como poucas pessoas compareceram, então eles não percebem o quão impopular o presidente mais popular em A história americana realmente é?


Os três piores presidentes da história dos EUA

Vamos relembrar os três piores CEOs da orgulhosa história de nosso país.

No Presidents & # 8217 Day 2021, vamos lembrar os grandes, mas também relembrar os três piores CEOs em nosso país & # 8217s orgulhosa história.

Jimmy Carter: (1977-1981)

Poucos negariam o lugar de Carter e # 8217 na infâmia. Vou me limitar ao tempo que ele ocupou no cargo, embora, no cenário global, o georgiano tenha sido igualmente prejudicial aos ideais americanos nas últimas quatro décadas.

Uma decisão, considerada polêmica até mesmo por seus partidários fervorosos, foi a negociação final dos tratados do Canal do Panamá em 1977. Esses tratados, que essencialmente transferiram o controle do Canal construído pelos Estados Unidos para o Panamá, tiveram a oposição da maioria do público americano. Os tratados transferiram um grande ativo estratégico - que dezenas de milhares morreram construindo - para um país corrupto do terceiro mundo.

O principal conflito envolvendo nossos interesses internacionais veio nas negociações de Carter & # 8217s com o Xá do Irã. Embora a presidência de Carter tenha sido marcada por várias crises importantes, a Crise de Reféns do Irã dominou seu último ano, enquanto o 39º presidente lutava para resgatar diplomatas e cidadãos americanos mantidos reféns em Teerã, abrindo caminho para a ascensão do Islã Radical.

O Xá era um forte aliado da América desde a Segunda Guerra Mundial. Ele também era amigo dos judeus de Israel, uma ideia que não existiu no Irã por mais de quatro décadas.

Quando a Revolução Iraniana estourou em 1979, o Xá foi derrubado e os EUA não intervieram. No exílio permanente, a administração Carter lhe recusou a entrada na América, mesmo por motivos de emergência médica. Quase um ano depois, Washington cedeu e admitiu o Xá. Ganhando confiança, militantes iranianos tomaram a embaixada americana em Teerã, levando 52 americanos como reféns.

O Xá morreu alguns meses depois no Egito, mas a crise dos reféns colocou as políticas equivocadas de Carter em exibição para o mundo ver. Sua resposta foi não fazer nada no início. Em seguida, ele tentou um resgate que administrou de perto, mas falhou. O fator redentor nesta provação foi a derrota esmagadora de Carter para Ronald Reagan na eleição presidencial de 1980. Os reféns foram libertados em 20 de janeiro de 1981, momentos depois de Reagan tomar posse como 40º presidente.

James Buchanan (1857-1861)

A escravidão persistiu até o século 19, e mais de 600.000 bravos jovens americanos perderam a vida para abolir a prática cruel e preservar a União. Os presidentes democratas governaram a América antes do início das hostilidades em abril de 1861 e o pior entre os maus foi o homem que precedeu Abraham Lincoln e deixou o país em ruínas, James Buchanan.

Presidente James Buchanan / Casa Branca

Embora o antecessor de Buchanan, Franklin Pierce, tenha sido quase tão desastroso, durante a administração de Buchanan & # 8217 a União se desfez e, quando ele deixou o cargo, a única Guerra Civil na história dos EUA estava a 39 dias de distância.

O país foi dividido em meados do século 19 devido às graves questões dos direitos dos Estados e da escravidão. A violência estava em toda parte, com abolicionistas assassinados no Kansas, tendo seus assassinatos vingados por radicais na Virgínia, e assim por diante.

Aparentemente não aprendendo nada com as falhas da Lei Kansas-Nebraska de 1854 que levou a esse ponto de inflexão, Buchanan manteve o status quo, afirmando que a escravidão deveria ser uma questão para estados e territórios individuais decidirem. Proprietários de escravos do sul, em grande parte democratas, aprovaram. Seu oponente na eleição presidencial de 1856, John Fremont, o primeiro candidato presidencial republicano, argumentou que o governo federal deveria evitar que a escravidão se espalhe para os novos territórios ocidentais. Buchanan venceu a eleição, embora com 19 estados principalmente do sul e 45%, a Pensilvânia não conseguiu obter uma maioria popular sobre Fremont e o ex-presidente Millard Fillmore, candidato do partido Know-Nothing.

Buchanan decidiu exigir a admissão do território do Kansas como um estado escravista, endossando uma constituição pró-escravidão. Em seu discurso de posse, ele até encorajou a decisão Dred Scott próxima da Suprema Corte & # 8217, que negou a cidadania aos negros e declarou que o Congresso não tinha poder para manter a escravidão fora dos territórios.

Os republicanos ganharam a Câmara em 1858, mas todos os projetos de lei significativos que aprovaram caíram antes dos votos do Sul no Senado dos EUA ou de um veto presidencial. O governo federal chegou a um impasse, e lutas setoriais forçaram os democratas a irem para as alas norte e sul, cada qual nomeando seu próprio candidato presidencial.

Quando os republicanos nomearam Lincoln, era uma conclusão precipitada que ele seria eleito. Buchanan esperava por diplomacia, mas os líderes separatistas recusaram o acordo e defenderam a secessão. O 15º presidente ficou ocioso enquanto a situação saía de controle, acreditando que a Constituição não lhe dava poder para agir contra os separatistas.

Em março de 1861, Buchanan retirou-se para sua casa na Pensilvânia, onde morreu sete anos depois, deixando seu sucessor para resolver a terrível questão que a nação enfrentava.

Lyndon B. Johnson (1963-1969)

Vou evitar discutir as aventuras da política externa de Johnson, em vez disso, vou me concentrar em suas políticas socioeconômicas, que têm efeitos perniciosos duradouros. A agenda da Johnson & # 8217s lançou as bases para a pobreza urbana (e rural) ainda galopante hoje. Muitos historiadores contemporâneos consideram LBJ um & # 8220 pioneiro progressivo & # 8221, mas vejo uma história diferente.

Tomada de posse de Lyndon B. Johnson como presidente / foto da Biblioteca LBJ por Cecil Stoughton

Empossado como nosso 36º presidente no Dallas ’Love Field em novembro de 1963, o homem que nunca tinha sido prefeito ou governador foi eleito para um mandato completo um ano depois pelo senador americano Barry Goldwater. O candidato republicano tinha um bom histórico de apoio aos direitos civis, mas o Arizonan se opôs a certas preferências em projetos de lei que se tornaram a Lei dos Direitos Civis. O voto de Goldwater contra isso levou ao triunfo de 44 estados para LBJ. Johnson se beneficiou muito da expansão do controle esquerdista sobre grande parte da imprensa e da academia, um processo que continua até hoje.

Não foi lembrado nos livros de história que os republicanos propuseram legislação anti-linchamento por décadas, refletindo os tempos da Guerra Civil, quando os democratas estiveram envolvidos neste ato horrível. A legislação foi aprovada na Câmara, mas foi morta pelo Senado controlado pelos democratas e finalmente aprovada em 1939. Um jovem congressista do Texas chamado Johnson se opôs continuamente à legislação anti-linchamento.

  • Em 1956, os democratas expressaram sua oposição à decisão de desagregação de Brown v. Conselho de Educação no Manifesto do Sul. Cem membros do Congresso, todos democratas, assinaram o documento.
  • Em 1957, o presidente republicano Dwight Eisenhower escreveu um projeto de lei dos direitos civis, na esperança de reparar os danos causados ​​aos direitos civis por quase um século. Os democratas do Senado bloquearam a aprovação do projeto.

Mas após o assassinato de JFK:

  • O Congresso aprovou a Lei dos Direitos Civis de 1964, a lei originalmente criada por Eisenhower em 1957. Os democratas obstruíram o projeto. Assim que a obstrução foi superada, uma porcentagem maior de republicanos votou pela aprovação do que os democratas.
  • Em 1965, o Congresso aprovou, e Johnson sancionou a lei, o Voting Rights Act de 1964. Este projeto também teve o apoio de uma porcentagem maior de republicanos do que de democratas. Agora presidente, Johnson recebe crédito pela legislação de autoria de republicanos projetada para desfazer um século de danos causados ​​pelos democratas.

Nesse ponto, a mídia e a academia começaram a usar o controle da informação para engendrar uma grande mudança eleitoral. Os negros, antes exclusivamente republicanos, começaram a votar nos democratas em números superiores a 90 por cento.

As verdadeiras consequências da “Grande Sociedade” de Johnson & # 8217s desencorajaram a iniciativa, encorajaram uma psicologia de vitimização, enquanto criavam uma classe de dependência permanente.

Até 1965, quase 80% das famílias negras tinham mãe e pai em casa, assim como as famílias brancas. Depois de 1965 (o ano em que os democratas pararam de oprimir os negros e começaram a & # 8220 ajudá-los & # 8221 com uma "Guerra contra a pobreza"), a presença de pais negros em casa começou um declínio vertiginoso hoje, a taxa de natalidade negra fora do casamento nos Estados Unidos é mais de 70% e está crescendo em todas as raças.

Ao contrário do New Deal, a Grande Sociedade emergiu em um período de prosperidade. Johnson apresentou seus objetivos em um discurso na ultraliberal University of Michigan em 1964. Tendo pouca fé em seu homem comum, os benfeitores adoraram sua "demanda para acabar com a pobreza e a injustiça racial". As críticas dos conservadores à ineficácia dos programas e à criação de uma subclasse de cidadãos provaram ser corretas.

Pelos danos incalculáveis ​​causados ​​por suas políticas, mesmo ignorando a aventura do Vietnã, LBJ é considerado um de nossos três piores presidentes.

Menção honrosa ao presidente Woodrow Wilson por seu fanatismo e estatismo agressivo, sem restrições de princípios limitadores, esse progressismo era, é claro, insustentável e ingenuamente utópico.

Vou me abster dos ex-presidentes Barack Obama, Donald Trump e do atual autoritário-chefe, já que leva cerca de duas décadas pós-presidenciais para observações completas. O legado do presidente George W. Bush só agora está lentamente entrando em foco.

Embora eu prefira que celebremos e veneremos apenas os melhores presidentes, vale a pena relembrar os homens que prejudicaram este país durante o mandato.


Presidentes mais populares da história dos EUA

1 Barack Obama Barack Hussein Obama II foi o 44º presidente dos Estados Unidos da América. Ele foi eleito em 2008 depois de servir no Senado de 2005-08, vencendo John McCain e se tornando o primeiro afro-americano a ser eleito presidente dos Estados Unidos. Ele foi eleito novamente em 2012, vencendo Mitt. consulte Mais informação.

A administração Bush prejudicou o estado da América. Portanto, reeleger o Partido Republicano parecia uma consequência fatal. O próprio Mccain permaneceu pró-guerra e compartilhou opiniões semelhantes a Bush, enquanto o resto dos americanos se opôs fortemente a ela. Sarah Palin também foi a razão pela qual todos se voltaram contra os Mccain. A missão de Obama para recuperar a América parecia ser desafiadora, mas, no final, a economia permaneceu estável graças às suas políticas e abordagem. A guerra no Oriente Médio ainda era um abalo para sua presidência porque ainda estava em andamento, mas ele ordenou o assassinato de Osama Bin Laden, um terrorista que trabalhava na clandestinidade e responsável pelos ataques de 11 de setembro. Obama é realmente um homem compassivo que se preocupa com todos os americanos. Ele é o presidente moderno que admiro, mas está longe de ser perfeito.

Barack Obama é um verdadeiro líder para os EUA. Ele é um bom homem para todo o mundo, mas não para os EUA. Ele sempre quer paz em todos os lugares.

Este presidente teve que enfrentar uma das piores recessões econômicas da história do país. Além disso, o partido da oposição declarou que este presidente não teria qualquer ajuda do partido da oposição. Este presidente fez com que o inimigo número um da nação fosse capturado, onde seus antecessores não conseguiram. Este presidente conseguiu um projeto de lei de saúde no Congresso sem a ajuda do partido de oposição. É uma pena que este país ainda esteja ouvindo as partes erradas dos cidadãos que não querem igualdade e harmonia neste país. O presidente Obama atuou sem que a oposição fosse capaz de prejudicá-lo.

Ele enfrentou um difícil desafio para colocar este país de volta em pé e eu senti que ele poderia fazer o trabalho! Missão cumprida.

2 Abraham Lincoln Abraham Lincoln foi o 16º presidente dos Estados Unidos, servindo de março de 1861 até seu assassinato em abril de 1865. Lincoln liderou os Estados Unidos em sua guerra mais sangrenta e em sua maior crise moral, constitucional e política. Abraham Lincoln nasceu em 12 de fevereiro de 1809, no condado de Hardin, Kentucky. . consulte Mais informação.

Hahaaahahaaha! Por que Barack Obama é o nº 1? Ninguém gosta dele e não é porque ele é negro, então qualquer pessoa que diga que eu sou racista precisa entender a realidade e entender que a maioria das pessoas não se preocupa com a cor da sua pele e simplesmente não gosta da sua personalidade, desculpe . Abraham Lincoln é a pessoa que devemos admirar para acabar com o racismo, não um cara que simplesmente era negro! Dizer que brancos que são republicanos e não gostam de Obama são racistas, isso por si só é racista! Se fôssemos negros, você não diria isso! Se ao menos seus bisavós (se fossem escravos) estivessem aqui agora. Eles ficariam gratos por seus descendentes terem toda a igualdade que eles têm. Eles seriam muito mais gratos a Abraham Lincoln do que a Barack Obama.

Minha pergunta é por que diabos é BARACK OBAMA antes do homem que libertou os escravos, manteve o sindicato unido e deu a todos os homens o direito de voto. Barack Obama, se Benghazi, pode ter nascido em outro país (nem me fale sobre como isso é racista. Se George Bush nascesse na França ainda teríamos um problema) espionou milhões de americanos e deixou o ISIS assumir o controle da Síria e do Iraque.

Obama só é mais alto porque é recente. Lincoln será lembrado muito mais do que Obama deveria ser o número 1 e Washington o número 2

Gosto muito de Lincoln, ele era meu presidente favorito. Ele não era perfeito em tudo, mas tentou o seu melhor durante toda a vida. Eu não pude acreditar que ele foi morto

3 John F. Kennedy John Fitzgerald Kennedy (29 de maio de 1917 - 22 de novembro de 1963) comumente referido por suas iniciais JFK, foi um político americano que serviu como 35º presidente dos Estados Unidos de janeiro de 1961 até seu assassinato. A crise dos mísseis cubanos, a invasão da Baía dos Porcos, a proibição de testes nucleares. consulte Mais informação.

John F. Kennedy tem o maior índice de aprovação da história presidencial. Ele era um líder jovem, bonito e cativante que apoiou o Movimento dos Direitos Civis e Expandiu a Corrida Espacial enviando o Primeiro Homem à Lua. Esse cara apesar de cumprir apenas dois anos em seu primeiro mandato devido a ser assassinado. Ele é uma inspiração para muitos e para os americanos. Kennedy era totalmente voltado para a liberdade e o único presidente democrata que os republicanos admiravam muito. Ele era basicamente o Lincoln dos anos 60. Ele reprimiu como o dinheiro do contribuinte era enviado, especialmente depois de receber um telefonema sobre a mobília. Ainda surgem conspirações, pois ninguém sabe quem realmente assassinou o 35º Presidente dos Estados Unidos.

John Fitzgerald Kennedy sabia que havia conspirações dentro do governo dos Estados Unidos. Ele estava a caminho de expô-los. É por isso que este homem maravilhoso foi tirado de nós tão cedo. Assim como seu irmão Bobby, cujas intenções eram as mesmas. Para expor os políticos corruptos que procuraram destruir nosso país. Ele tinha grandes sonhos para os Estados Unidos, sonhos que seu filho queria levar adiante e mais uma vez ele também foi levado. Nunca haverá outro como JFK.

Ele era um homem totalmente americano com uma família normal e um presdient maravilhoso. Ele foi um ótimo pai e um líder. ele era um homem que amava seu país e fazia o que era melhor para seu povo. Sua vida foi destruída, ele teve muito mais coisas que ele faria e poderia fazer que um verdadeiro herói americano fosse levado.

Foi bastante impopular quando estava vivo, e a realidade é que ele foi presidente por apenas cerca de mil dias, e não tinha feito muito com exceção de um belo confronto sobre mísseis em Cuba. Ele foi idealizado devido ao seu assassinato ainda jovem e bonito, e seu assassinato marcou um importante

4 Ronald Reagan Ronald Wilson Reagan (1911-2004) foi um político e ator americano que foi 40º presidente dos Estados Unidos de 1981 a 1989. Antes de sua presidência, ele foi o 33º governador da Califórnia de 1967 a 1975, seguindo uma carreira como ator de Hollywood e líder sindical até sua morte em 2004

O pior presidente da história dos Estados Unidos. As pessoas que o apóiam não são informadas. Os fatos =
1) Triplicou a dívida dos EUA enquanto paralisava as fronteiras e terceirizava a manufatura dos EUA
2) Dobrou o crime e a pobreza, negligenciando a infraestrutura para "Star Wars"
3) Tirou a riqueza dos EUA da classe média e criou a elite "1%" com a Reaganomics
4) Educação destruída e rede de segurança social com cortes no orçamento, resultando em uma posição moderna em todo o mundo em matemática, ciências, saúde e mobilidade social
5) Grandes bancos e indústrias desregulamentadas, resultando em quedas do mercado de ações em '87 e '99 e o grande em 2009. Em contraste, a política de FDR permitiu a queda de UM de '32 -'82.

Ele foi o maior presidente desde Carter. então não é ótimo. Na verdade, ele foi um dos piores líderes mundiais de todos os tempos. Eu sei que vou fazer as pessoas dizerem: "Não, ele foi um grande presidente, você pertence a um asilo", mas acho que está aumentando a dívida de uma nação, subornando terroristas com armas e ignorando uma doença porque você é um homofóbico idiota para fazer de alguém um ser humano terrível, quanto mais um presidente.

Ronald Reagan sempre teve o melhor interesse da América no coração. Ele nos deixou orgulhosos de ser americanos. Criando milhões de empregos e nos tirando da escuridão que foi causada pela inflação e lutas internas. As palavras que ecoam nos meus ouvidos ainda hoje são "derrubar esse muro" e foi assim que o muro de Berlim caiu. Ele sempre foi tão respeitoso com seus militares e muito orgulhoso deles. Ele era bom, melhor do que a maioria. Gostaria de ter outro como ele.

Reagan inaugurou 25 anos de prosperidade econômica com sua política conservadora. A ressessão de Carter foi pior do que Obamas e Reagan nos tirou dela com uma política conservadora real, desregulamentação de impostos mais baixa e governo menor. Obama está fazendo o que Carter fez dez vezes e o país está sofrendo por isso. Mark Levin está lançando um livro The Liberty Amendments. Eu acho que eles poderiam ser a solução para o nosso governo apagado e fora de controle. Precisamos olhar seriamente para isso.

5 George Washington George Washington foi o primeiro Presidente dos Estados Unidos, Comandante-em-Chefe do Exército Continental durante a Guerra Revolucionária Americana e um dos fundadores dos Estados Unidos.

Washington foi o principal pai fundador de nossa nação enquanto liderava a milícia e o exército continental em batalhas cruciais. Vencida a guerra, ele continuou a ser o presidente da convenção constitucional e, mais tarde, o primeiro e único presidente eleito por unanimidade dos Estados Unidos. Ele foi considerado um herói de guerra e semideus entre o povo, permitindo-lhe ter amplo poder para formar a união. Sendo apartidário, ele liderou o jovem país nas primeiras dores de crescimento e deixou-o como uma instituição mais estável na época de sua aposentadoria.

George Washington deve ser o número 1. O único presidente eleito por unanimidade. O presidente que se recusou a candidatar-se a um terceiro mandato quando lhe foi solicitado para assegurar uma transferência pacífica do poder. Sem ele como presidente, mesmo seus inimigos não achavam que a nova nação teria sobrevivido. Ele agiu de forma apartidária, pelo bem do país, pois sabia que o mundo estava assistindo ao experimento americano de construção nacional.

Comandante do Exército Continental a Presidente, ele deu o exemplo para os outros quando aceitou o cargo de Presidência e depois se afastou em nome de seu sucessor eleito. sua renúncia de sua autoridade quase absoluta é um exemplo de liderança notável, serviço ao bem maior e virtude cívica. nosso Cincinnatus.

Muitos presidentes como George Washing, Abraham Lincoln e Thomas Jefferson merecem esse lugar. Ele não!

6 Franklin D. Roosevelt Franklin Delano Roosevelt, comumente conhecido como FDR, foi um estadista americano e líder político que serviu como o 32º presidente dos Estados Unidos de 1933 a 1945. Democrata, ganhou um recorde de quatro eleições presidenciais e dominou seu partido por muitos anos como figura central nos eventos mundiais. consulte Mais informação.

O presidente mais importante desde Lincoln, dirigiu o país durante a Grande Depressão e em uma Vitória Aliada na Segunda Guerra Mundial. Eleito para quatro mandatos foi o primeiro e único presidente a romper com o precedente de 2 mandatos de Washinton.

FDR era tão popular que foi eleito para quatro mandatos consecutivos. Suas políticas liberais não apenas ajudaram os Estados Unidos a derrotar os nazistas na Segunda Guerra Mundial, mas também nos proporcionou a economia mais forte da história. Os programas de FDR do New Deal, por exemplo a previdência social, ainda são amplamente utilizados atualmente. FDR não era apenas um dos melhores presidentes de todos os tempos, ele estava entre os melhores líderes do mundo.

He was elected 4 times, no other president has ever been elected 4 times most is 2. Since he was elected 4 times he must be an outstanding president that the people elected him that many times.

Fantastic statesman who delivered on his promises kind-hearted, optimistic, intelligent individual who was also incredibly realistic and pragmatic in difficult circumstances.

7 Theodore Roosevelt Theodore Roosevelt was an American statesman, author, explorer, soldier, naturalist, and reformer who served as the 26th President of the United States from 1901 to 1909. As a leader of the Republican Party during this time, he became a driving force for the Progressive Era in the United States in the . consulte Mais informação.

Loves Hunting, Loves Nature. Loves Fighting, Loves The People. A Man who puts up a Republicans spirit and a Democrats Beliefs. This Man is Americana just by looking at him. Both a Veteran and Politician, he freed the common man from the snake that was monopolies, and therefore, A Great Man and President.

An incredibly tough person, who survived an assassination attempt during a campaign speech, and with the bullet lodged against his ribs, still finished up the speech before going to the hospital. A shame we have nobody like that today.

Leader who accomplished much. Panama Canal, Our national parks, building up our navy, making the United States a dominant force in the world. Was a likeable, witty person, who told it like it was.

How is Barack Obama ahead of this guy? Anyone ever heard of the Rough Riders? Anyone ever heard of Obama's second-term dictatorship?

8 Thomas Jefferson Thomas Jefferson was an American Founding Father who was principal author of the Declaration of Independence, and served as the 3rd President of the United States from 1801-1809. He was born on April 13, 1743, and died on July 4, 1826, on the same day 2nd United States President John Adams died.

Come on, he is the best! Scientist, atheist, smart guy who didn't involved in any shady business, participated in creation of the Bill of Rights, his quotes are inspiring till now. I could go on forever like this. He is just the best, hands off

Jeez, I hope a lot of the voters on this list are non-Americans, who can be excused for not being familiar with all of the names.
Otherwise, it reflects very poorly on our current educational system.

Wrote the Declaration of Independence and purchased the Louisiana territory.

9 Bill Clinton William Jefferson Clinton (Born August 19th 1946) is an American politician who was the 42nd President of the United States. He previously served as governor of Arkansas. He became president after unseating incumbent president George H.W. Bush in 1992. He was re-elected in 1996 after defeating Senator . consulte Mais informação.

This is one of the best presidents we've ever had. He was Rhode Scholar, a brilliant, eloquent, articulate, humane, compassionate, successful and well loved president and human being! wish we could have had him for unlimited amount of terms!

How this man was ever elected the second time is beyond me. One is never really two different people, moral and honest in one situation and corrupt in another. He really pulled the wool over the eyes of millions of people with his smooth talk. No this man should have never been elected the first time, and definitely never the second time. The fact that he is on this list does not speak well of the citizens of this country!

He was another charmer. I enjoyed his presidency. I felt relatively secure with him in the White house -- not as secure as with JFK (hard act to follow).. But, hindsight is 20/2 and, unfortunately, I believe he made serious mistakes such as with CAFTA and/or NAFTA, among others. I believe Hillary will have learned from his mistakes and make the best President since JFK. Here's hoping.

A talented and yet powerful president of the United States. America in the 90s went well under his presidency when the economy increased despite having flaws as well as the Lewinsky Scandal. He plays the saxophone for crying out loud! this goes to show powerful presidents with talents makes America the Best

10 Donald Trump Donald John Trump (born June 14, 1946) is an American businessman, television personality, politician, and the 45th President of the United States. Born and raised in Queens, New York City, Trump received an economics degree from the Wharton School of the University of Pennsylvania in 1968. In 1971, . consulte Mais informação.

He's a man with the right ideas. He's not afraid to spend his wealth on things that he likes, and he's certainly not afraid to face the backlash of American society.

He doesn't play the role of the "good" or "bad" guy -- he just does his own thing and speaks his mind. He's a man who can confidently make decisions he's a man that America needs.

Presidents are not philanthropists. Presidents are human. Humans can be generous. Humans can also be selfish. Being one or the other does not make you a bad person.

However, seeing how our country is more or less made of poor, desperate people who like people who hand out free money, it's no surprise that they're against Trump and his conservative ways.

Trump is going to make us great again we been low on the totem pole for many years in many ways and we are no longer spiraling down. I like a president who talks daily to the people, continually takes abuse from all aspects of the media, does not play the role of politician like the rest of Washington and still manages to accomplish things that no one has in 70 years plus. All of Washington politicians have great benefits so why change things. They are set for life, are you? They are all afraid of a real person. And a person who wants to make change that is needed. I love the comment on Obama, he did NOTHING for me or my health
seguro. And Bill Clinton LOL he used the office that we the citizens of this country OWN for his own shall we say pleasures. Trump is a president your grandchildren should read about and because of him their future will be bright.

O que? 10th? He would make america great again? look at his handling of COVID-19 and the George Floyd Protests! He threatened to kill 26 million people, Is racist (by supporting Kung Flu, that is racist in the United States), Forced people to drink bleach, Got the vaccine for the US only, Slowed down testing so we don't know who has tested positive for COVID, And, worst of all, DIDn't CARE ABOUT PEOPLE DYING FROM COVID19 AND ONLY CARED ABOUT THE US'S WEALTH!

Best president since Reagan. Not even close. Brought self respect back to the USA after Obama spent eight years making us a laughing stock.

11 Dwight D. Eisenhower Dwight David "Ike" Eisenhower was an American politician and general who served as the 34th President of the United States from 1953 until 1961. He was a five-star general in the United States Army during World War II and served as Supreme Commander of the Allied Forces in Europe.

According to most history teachers, this great human being never even existed. No wonder today's young voters are happy with such idiots.

Eisenhower was so popular that both the Democrats and the Republicans wanted him to be their nominee in the 1952 election.

A general that always was the spokesperson for peace. A bit forgotten through the ages, but a brilliant man.

Equally famous as commander of Allied forces in WWII and president during the "prosperity" of 1950's America.

12 John Adams John Adams was born on October 30, 1735 in Quincy, Massachusetts, United States. Adams served as the president of the United States from March 4, 1797 to March 4, 1801. He died on July 4, 1826 at the age of 90.

An important founding father, and the most important in the history of Massachusetts, had a difficult presidency that led to partisan tensions throughout the country.

He wrote " May none but honest and wise men ever rule under this roof."

13 Richard Nixon Richard Milhous Nixon was the 37th President of the United States from 1969 until his resignation in 1974, the only president to resign from office. He had previously served as the 36th Vice President of the United States from 1953 to 1961, and prior to that as a U.S. Representative and also Senator . consulte Mais informação.

He was a great but deeply complicated man, who had good intentions but didn't always do the right thing. His leadership and intelligence helped ease tensions with the USSR and brought China into the international community. He was a great and flawed man, but he was a man.

While Nixon is more commonly hated than any other president, he is easily the most well known. We teach children about him, constantly mock him, and his name is now synonymous for lying. There really isn't a contest here.

Again another president that didn't take the job seriously and is a disgrace to the country

Compared to the Clintons and Obama, Nixon was a Boy Scout.

14 Jimmy Carter James Earl "Jimmy" Carter, Jr. is an American politician and author who served as the 39th President of the United States from 1977 to 1981. In 2002, he was awarded the Nobel Peace Prize for his work with the Carter Center.

Carter may have been one of the most despised presidents of all time, but he was one of the only genuinely good-hearted ones.

Truly a great person, I think we need another like him right now, though maybe a little more competent.

A very kind man and a good human being. No wonder he only lasted one term.

Very nice man. Thoroughly incompetent president.

15 Ulysses S. Grant Ulysses S. Grant was an American soldier and statesman who served as Commanding General of the Army and the 18th President of the United States, the highest positions in the military and the government of the United States.

Seen her getting wasted on hootch before a major battle.

Helped restore America post civil war.

16 Andrew Jackson Andrew Jackson was an American statesman who served as the seventh President of the United States from 1829 to 1837 . He was born near the end of the colonial era, somewhere near the then-unmarked border between North and South Carolina, into a recently immigrated Scots-Irish farming family of relatively . consulte Mais informação.

He is a badass action hero who saved New Orleans from the Bloody Brittish. I think he owed slaves and I'm not sure he was a good President, but he was the man in 1812!

Beloved in his day, but despised now (particularly due to the Indian Removal Act).

His face is on a twenty dollar bill he should be number 4 or 5?

He made great strides for the common American citizen

17 William McKinley William McKinley was the 25th President of the United States, serving from March 4, 1897 until his assassination in September 1901, six months into his second term.

This guy just creeps me out and scares me kinda glad he was assassinated

18 Andrew Johnson Andrew Johnson was the 17th President of the United States, serving from 1865 to 1869. Johnson became president as he was vice president at the time of the assassination of [Abraham Lincoln]. 19 Lyndon Johnson Lyndon Baines Johnson, often referred to as LBJ, was the 36th President of the United States from 1963 to 1969, assuming the office after serving as the 37th Vice President of the United States under President John F. Kennedy. He helped many Americans with the Civil Rights Act, although many Americans . consulte Mais informação.

Not only did he pass the Civil and Voting Rights Acts Kennedy put into motion before his assassination, but his charisma with Congress assured him the passage of those bills. Under the Kennedy Administration, there was not enough party support for the bills but Johnson not only garnered it, he made sure they would pass. Also he passed Medicare and Medicaid, two of the most important pieces of health care legislation. He understood what the persecuted needed. He was a man who represented the minority: the discriminated, the hungry, the poor, etc.

No, in my opinion, Lyndon Johnson should be on the list for the top ten worst Presidents. Just look up pics. Of him on Google, and read the stories that go along with it and you'll see why.

I'm convinced Johnson was in on JFK's assassination

Did a lot for black peeps

20 John Quincy Adams John Quincy Adams (July 11, 1767 – February 23, 1848) was an American statesman who served as the sixth President of the United States from 1825 to 1829 at the peak of a political career during which he served in various capacities as diplomat, United States Senator, United States Secretary of State, . consulte Mais informação. 21 Gerald Ford Gerald Rudolph Ford Jr. was an American politician who served as the 38th President of the United States from August 1974 to January 1977.

Do you like nachos? Do you like beer? Do you like Football? Well, what don't you come to my house and drink beer and eat nachos while we watch the game!

Gerald Ford was an honest man!

22 Woodrow Wilson Thomas Woodrow Wilson was an American politician and academic who served as the 28th President of the United States from 1913 to 1921. Born in Staunton, Virginia, he spent his early years in Augusta, Georgia and Columbia, South Carolina. 23 William Howard Taft William Howard Taft served as the 27th President of the United States and as the tenth Chief Justice of the United States, the only person to have held both offices.

William Taft is famous for getting stuck in the bath tub. His wife planted the cherry trees in Washington DC. Japan gave them to her as a gift. Taft worked in all three branches of government. He's the best president and the cutest and the nicest.

Taft was my favorite president and he didn't really get stuck in the bathtub.

Not the most popular president ever, but definitely the sexiest.

People always talk about how he got stuck in the bathtub. But at least he increased the bathtub’s size.

24 John Tyler John Tyler was the tenth President of the United States. He was also, briefly, the tenth Vice President, elected to that office on the 1840 Whig ticket with William Henry Harrison.

A President I know nothing about, but he sounds like a jerk.

Why is Tyler on this list?
He was a bad president!

25 James Monroe James Monroe was an American statesman and Founding Father who served as the fifth President of the United States from 1817 to 1825.

Although, economic panic took place under his administration, James Monroe continued to be a popular leader as he had an ear for popular opinion.


When a secret president ran the country

Woodrow Wilson may have been one of our hardest-working chief executives and by the fall of 1919, he looked it.

For most of the six months between late Dec. 1918 and June 1919, our 28th president was in Europe negotiating the Treaty of Versailles and planning for the nascent League of Nations, efforts for which he was awarded the 1919 Nobel Peace Prize (an award he did not officially receive until 1920). Back home, however, the ratification of the treaty met with mixed public support and strong opposition from Republican senators, led by Henry Cabot Lodge (R-Mass.), as well as Irish Catholic Democrats. As the summer progressed, President Wilson worried that defeat was in the air.

Bone-tired but determined to wage peace, on Sept. 3, 1919, Woodrow Wilson embarked on a national speaking tour across the United States so that he could make his case directly to the American people. For the next three and a half weeks, the president, his wife Edith Bolling Galt Wilson, assorted aides, servants, cooks, Secret Service men and members of the press rode the rails. The presidential train car, quaintly named the Mayflower, served as a rolling White House. Also joining the party was the president’s personal physician, Cary T. Grayson, who had grave concerns over his patient’s health.

Not that Woodrow Wilson was the picture of health before beginning this grueling crusade.

When Wilson took office, the famed physician and part-time novelist Silas Weir Mitchell ominously predicted that the president would never complete his first term. Dr. Weir was wrong on that prognosis even though Dr. Grayson did fret aloud and often about the Wilson’s tendency to overwork.

For example, while negotiating with European leaders on arriving at an equitable peace to end “the Great War,” Wilson worked incessantly, eliminating all the exercise, entertainment and relaxation sessions from his schedule. And like tens of millions of other people during the worst pandemic in human history, the American president succumbed to a terrible case of influenza in early April of 1919.

All during September of 1919, as the presidential train traveled across the Midwest, into the Great Plains states, over the Rockies into the Pacific Northwest and then down the West Coast before turning back East, the president became thinner, paler and ever more frail. He lost his appetite, his asthma grew worse and he complained of unrelenting headaches.

Unfortunately, Woodrow Wilson refused to listen to his body.

He had too much important work to do. Combining his considerable skills as a professor, scholar of history, political science and government, orator and politician, he threw himself into the task of convincing the skeptics and preaching to the choir on the importance of ratifying the treaty and joining the League of Nations. At many of the “whistle stops,” vociferous critics heckled and shouted down his proposals. In the Senate, his political opponents criticized Wilson’s diplomacy, complained that the treaty reduced the Congress’s power to declare war, and ultimately voted the treaty down.

Late on the evening of Sept. 25, 1919, after speaking in Pueblo, Colorado, Edith discovered Woodrow in a profound state of illness his facial muscles were twitching uncontrollably and he was experiencing severe nausea. Earlier in the day, he complained of a splitting headache.

Six weeks after the event, Dr. Grayson told a journalist that he had noted a “curious drag or looseness at the left side of [Wilson’s] mouth — a sign of danger that could no longer be obscured.” In retrospect, this event may have been a transient ischemic attack (TIA), the medical term for a brief loss of blood flow to the brain, or “mini-stroke,” which can be a harbinger for a much worse cerebrovascular event to follow — in other words, a full-fledged stroke.

On Sept. 26, the president’s private secretary, Joseph Tumulty, announced that the rest of the speaking tour had been canceled because the president was suffering from “a nervous reaction in his digestive organs.” o Mayflower sped directly back to Washington’s Union Station. Upon arrival, on Sept. 28, the president appeared ill but was able to walk on his own accord through the station. He tipped his hat to awaiting crowd, shook the hands of a few of the people along the track’s platform, and was whisked away to the White House for an enforced period of rest and examination by a battery of doctors.

Everything changed on the morning of Oct. 2, 1919. According to some accounts, the president awoke to find his left hand numb to sensation before falling into unconsciousness. In other versions, Wilson had his stroke on the way to the bathroom and fell to the floor with Edith dragging him back into bed. However those events transpired, immediately after the president’s collapse, Mrs. Wilson discretely phoned down to the White House chief usher, Ike Hoover and told him to “please get Dr. Grayson, the president is very sick.”

Grayson quickly arrived. Ten minutes later, he emerged from the presidential bedroom and the doctor’s diagnosis was terrible: “My God, the president is paralyzed,” Grayson declared.

President Woodrow Wilson, seated at desk with his wife, Edith Bolling Galt, standing at his side. First posed picture after Mr. Wilson’s illness, White House, June 1920. Courtesy the Library of Congress

Protective of both her husband’s reputation and power, Edith shielded Woodrow from interlopers and embarked on a bedside government that essentially excluded Wilson’s staff, the Cabinet and the Congress. During a perfunctory meeting the president held with Sen. Gilbert Hitchcock (D-Neb.) and Albert Fall (R-N.M.) on Dec. 5, he and Edith even tried to hide the extent of his paralysis by keeping his left side covered with a blanket. Sen. Fall, who was one of the president’s most formidable political foes told Wilson, “I hope you will consider me sincere. I have been praying for you, Sir.” Edith later recalled that Woodrow was, at least, well enough to jest, “Which way, Senator?” A great story, perhaps, but Wilson’s biographer, John Milton Cooper, Jr. doubts its veracity and notes that neither Edith nor Dr. Grayson recorded such a clever rejoinder in their written memoranda from that day.

By February of 1920, news of the president’s stroke began to be reported in the press. Nevertheless, the full details of Woodrow Wilson’s disability, and his wife’s management of his affairs, were not entirely understood by the American public at the time.

What remained problematic was that in 1919 there did not yet exist clear constitutional guidelines of what to do, in terms of the transfer of presidential power, when severe illness struck the chief executive. What the U.S. Constitution’s Article II, Section 1, Clause 6 on presidential succession does state is as follows:

Em caso de destituição do presidente do cargo, ou de sua morte, renúncia ou incapacidade de cumprir os poderes e deveres do referido cargo, o mesmo caberá ao vice-presidente, e o Congresso poderá, por lei, dispor sobre o caso de Remoção, Morte, Renúncia ou Incapacidade, tanto do Presidente quanto do Vice-Presidente, declarando qual Diretor deverá então atuar como Presidente, e tal Diretor deverá agir em conformidade, até que a Deficiência seja removida, ou um Presidente seja eleito.

But Wilson, of course, was not dead and not willing to resign because of inability. As a result, Vice President Thomas Marshall refused to assume the presidency unless the Congress passed a resolution that the office was, in fact, vacant, and only after Mrs. Wilson and Dr. Grayson certified in writing, using the language spelled out by the Constitution, of the president’s “inability to discharge the powers and duties of the said office.” Such resolutions never came.

In fact, it was not until 1967 that the 25th Amendment to the Constitution was ratified, which provides a more specific means of transfer of power when a president dies or is disabled. Parenthetically, many presidential health scholars continue to argue that even the 25th Amendment is not clear enough in terms of presidential succession and needs revision, especially in the face of 21st century medicine and the increased chances of surviving major illnesses with severe and impairing disabilities.

For the remainder of her life, Edith Wilson steadfastly insisted that her husband performed all of his presidential duties after his stroke. As she later declared in her 1938 autobiography, “My Memoir”:

So began my stewardship, I studied every paper, sent from the different Secretaries or Senators, and tried to digest and present in tabloid form the things that, despite my vigilance, had to go to the President. I, myself, never made a single decision regarding the disposition of public affairs. The only decision that was mine was what was important and what was not, and the very important decision of when to present matters to my husband.

Over the last century, historians have continued to dig into the proceedings of the Wilson administration and it has become clear that Edith Wilson acted as much more than a mere “steward.” She was, essentially, the nation’s chief executive until her husband’s second term concluded in March of 1921. Nearly three years later, Woodrow Wilson died in his Washington, D.C., home, at 2340 S Street, NW, at 11:15 AM on Sunday, Feb. 3, 1924.

According to the Feb. 4 issue of The New York Times, the former president uttered his last sentence on Friday, Feb. 1: “I am a broken piece of machinery. When the machinery is broken — I am ready.” And on Saturday, Feb. 2, he spoke his last word: Edith.

As we look forward to the presidential campaign of 2016, it seems appropriate to recall that Oct. 2, 1919, may well mark the first time in American history a woman became de-facto president of the United States, even if Edith Wilson never officially held the post. Indeed, the prolonged blockage of blood flow to his brain changed more than the course of Woodrow Wilson’s life it changed the course of history.

Left: As we look forward to the presidential campaign of 2016, it seems appropriate to recall that Oct. 2, 1919, may well mark the first time in American history a woman became de-facto president of the United States. Painting by Frank Graham Cootes, via Wikimedia Commons


What do presidents do to make such a bad impression?

Both in the rankings from Siena College and the private, non-profit cable TV channel C-Span, the same presidents traditionally always appear at the bottom: Harding, Buchanan, and Johnson.

Harding was the first president of the decade known as the "The Roaring Twenties". These were particularly lively years for his cronies and his subordinates, who, taking advantage of the Republican president's fondness for poker and fleeting romances, squeezed the public office for their own benefit until they were no longer able to.

"I am not fit for this office and should never have been here," Harding said in a moment of lucidity. He died of natural causes before completing his term.

Andrew Johnson is often blamed for marring the legacy of his predecessor during the era known as Reconstruction that followed the US Civil War (1861-1865). It is often argued that his opposition to those in Congress who sought to guarantee the rights of the newly freed former slaves helped to establish a regime of segregation and submission of the African American population in the defeated Confederate states. And, if that weren't enough, he was the first president to be impeached.

James Buchanan, a Democrat from Pennsylvania, is vilified for his failure to oppose the extension of slavery to the new states that were created with the country's expansion westward and for standing idly while rebellion brewed in the South, which finally broke out with the election of Lincoln.

Watch: How to win a US election


Michael Gottfredson

President 2012-2014

Although Michael Gottfredson’s tenure as president was short, he led the university through one of the most significant shifts in its history. A lifelong advocate for quality public higher education, he worked tirelessly to secure the passage of historic legislation that created institutional governing boards for the University of Oregon and the state’s other public universities, a shift he considered essential to preserving the UO’s standing among the nation’s premier public research universities. As president, he led the establishment of the university’s Task Force on Alcohol and Other Drug Use, the creation of key new positions including university ombudsperson and governmental liaison to Oregon’s federally recognized tribes, and the strengthening of the university’s academic freedom policy. Gottfredson is a widely respected criminologist who has remained active in his academic field throughout his administrative career. He resigned as president in 2014, shortly after the UO’s new board of trustees assumed governance of the institution, leaving as his legacy a new governance structure designed to support the university in a climate of reduced state support for higher education.


Assista o vídeo: Prezydent i Premier o propozycjach budżetowych Unii Europejskiej