Walter (Wal) Hannington

Walter (Wal) Hannington



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Walter Hannington nasceu em 17 de junho de 1896. Foi membro fundador do Partido Comunista da Grã-Bretanha (CPGB) em 1920. No ano seguinte foi nomeado Organizador Nacional do Movimento Nacional de Trabalhadores Desempregados.

Em 4 de agosto de 1925, Hannington e 11 outros ativistas, Jack Murphy, Robin Page Arnot, Ernie Cant, Tom Wintringham, Harry Pollitt, Albert Inkpin, Arthur McManus, Tom Bell, William Rust, William Gallacher e John Campbell foram presos por serem membros do o Partido Comunista da Grã-Bretanha e acusado de violação da Lei do Motim de 1797.

Tom Bell explicou: "A acusação contra os doze foi o seguinte: Que entre 1 de janeiro de 1924 e 21 de outubro de 1925, os prisioneiros: 1. Conspiraram para publicar uma difamação sediciosa. 2. Conspiraram para incitar a cometer violações do Incitement to Mutiny Act, 1797. 3. Conspirou para tentar seduzir pessoas que serviam nas forças de Sua Majestade a quem poderiam vir certos livros e panfletos publicados, a saber, o Workers 'Weekly, e certas outras publicações mencionadas na acusação, e para incitar eles ao motim. " Acreditava-se que as prisões eram uma tentativa do governo de enfraquecer o movimento trabalhista em preparação para a iminente greve geral.

O Partido Comunista da Grã-Bretanha decidiu que William Gallacher, John R. Campbell e Harry Pollitt deveriam se defender. Tom Bell acrescentou: "seus discursos foram preparados e aprovados pelo Bureau Político (do CPGB). Para contestar a legalidade do processo, Sir Henry Slesser foi contratado para defender os outros. Durante o julgamento, o Juiz Swift declarou que era" não crime ser comunista ou ter opiniões comunistas, mas era crime pertencer a este Partido Comunista. "

John Campbell escreveu mais tarde: "O governo foi sábio o suficiente para não basear seu caso na atividade dos acusados ​​em organizar resistência aos cortes salariais, mas em sua disseminação de literatura comunista" sediciosa "(particularmente as resoluções da Internacional Comunista), seus discursos e artigos ocasionais ... Cinco dos prisioneiros que tinham condenações anteriores, Gallacher, Hannington, Inkpin, Pollitt e Rust, foram condenados a doze meses de prisão e os outros (após rejeitar a oferta do juiz de que poderiam ser libertados se renunciaram à atividade política) foram condenados a seis meses ".

Em 1936, Hannington escreveu sobre suas experiências como líder do Movimento Nacional de Trabalhadores Desempregados, intitulado Lutas de Desempregados 1919-1936. Este foi seguido por O problema das áreas aflitas (1937), Uma breve história dos desempregados (1938) e Perigo fascista e desempregados (1939). Pouco antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial, Hannington tornou-se o Organizador Nacional da União Amalgamada de Engenharia.

Walter Hannington morreu em 17 de novembro de 1966.


Walter (Wal) Hannington - História

1,1 anos
1.2 carreira política
1.3 morte, legado

walter hannington, apelido mais conhecido de wal, nascido em 17 de junho de 1896 em camden town, londres. pai pedreiro grande família. ele mesmo foi aprendiz de toolmaker @ 14, juntou-se à sociedade de fabricantes de ferramentas durante a primeira guerra mundial, casou-se com a esposa, Winnie, em 1917. aderiu ao partido socialista britânico durante o período. tornou-se membro do amalgamated toolmakers london Committee. foi em união de engenharia amalgamada em 1920 fusão.

em 1920, hannington membro fundador do partido comunista da Grã-Bretanha.

desde o momento da formação em 1921 até o término em 1939, hannington chefe do movimento nacional de trabalhadores desempregados, ramificação do cpgb.

O delegado de Hannington fundou a conferência do movimento da minoria nacional (nmm) em agosto de 1924. movimento da minoria nacional, chefiado por harry pollitt, grupo de pressão radical formado pelo trabalho cpgb dentro do movimento sindical estabelecido. 1 ou 2 exceções, membros do comitê executivo de membros NMM do partido comunista. wal hannington 1 do círculo interno da organização controlada por executivos, trabalhando como líder em tempo integral da seção de metalúrgicos dedicados.

em 1925, 1 em cada 12 membros do partido comunista condenou @ old bailey sob a lei de motim de incitamento de 1797,, 1 em cada 5 réus foi condenado a 12 meses de prisão.

em 1936, escreveu o livro Experiências Líder de Nuwm, denominado Lutas de Desempregados 1919-1936: a vida, lutas entre desempregados. no livro fala sobre várias posições políticas encarceramentos, atividades, como o governo o teve, membros do Nuwm sob vigilância.

em 1937, o livro problem of distressed areas publicou victor gollancz (editor de tais obras george orwell s road wigan pier) prefácio do professor harold j. laski.

em 1939, hannington tornou-se o organizador nacional do sindicato de engenheiros amalgamado.


COMITÊS SOVIÉTICOS (GRÃ-BRETANHA).

Wal Hannington foi um líder infame das lutas de desempregados na Grã-Bretanha entre as guerras. Ele nasceu em 17 de junho de 1896 em Randall Street, Camden Town, Londres em uma grande família, seu pai era pedreiro. Parentes de um certo Herbert Hannington, suspeitam que Wal era seu tio, caso em que o pai de Wal & # 8217 seria Louis Hannington, nascido em Chalk Farm. Em sua autobiografia, ele descreve vividamente as demandas intermináveis ​​das autoridades locais, as deputações ao TUC, as lutas com a polícia, as marchas da fome locais e nacionais. Ele relata episódios dramáticos envolvendo caixões falsos e ocupações de restaurantes saudáveis ​​para os ricos. Ele organizou uma série de atividades, incluindo um descanso na Oxford Street, para ilustrar os efeitos do desemprego. Ele foi enviado para a prisão por vários meses, após uma marcha de desempregados no Parlamento em 1932, como "um perturbador da paz". Hannington liderou a última marcha da fome, que ocorreu em outubro / novembro de 1936, e liderou o NUWM até seu final efetivo em 1939.

David Brady Explores & # 8216The New Architecture and the Bauhaus & # 8217 por Walter Gropius

JULHO É A época tranquila do ano para o aparecimento daquela mercadoria frágil, um novo livro. Títulos lançados no verão podem ser avaliados por revisores de segunda linha, o público comprador de livros tende a estar de férias. No entanto, em julho de 1935, a Faber emitiu A nova arquitetura e a Bauhaus de Walter Gropius, que então vivia em Londres como refugiado da Alemanha nazista. Este pequeno octavo de preço modesto resumiu a visão de Gropius de seu trabalho arquitetônico e educacional na Alemanha e revelou sua visão de der neue architektur. O que pode interessar agora, em relação ao surgimento deste livro, é o papel do editor - normalmente responsável pela literatura, especialmente poesia, então flertando com a arquitetura - e a recepção dada pela crítica e pelo público interessado às idéias de Gropius. Graças a Erica Somers, ex-arquivista da Faber, tive acesso ao material de arquivo sobre o livro. Salvo indicação em contrário, as citações vêm desta fonte.

Em 1919 Gropius foi nomeado diretor do Grossherzogliche Sächsische Kunstgewerbeschule e a Grossherzogliche Sächsische Hochschule für Bildende Kunst. Privados de seus títulos de grão-ducal, unidos e renomeados como Staatliche Bauhaus, a escola gradualmente se afastou da estética de artes e ofícios que havia sido promovida pelo ex-chefe, Henry van de Velde, em direção ao modernismo. Bauhaus, uma palavra portmanteau inventada por Gropius quando ele assumiu, expressava a crença, em última análise rastreável a John Ruskin, que todas as artes deveriam ser direcionadas para a construção. Mudou-se fisicamente para novas instalações em Dessau, na Saxônia-Anhalt, projetadas por Gropius em 1925. [i] Este foi o curto apogeu da instituição, durante o qual o célebre Bauhausbucher foram publicados, vários pelo próprio Gropius. [ii]

Depois que os nazistas chegaram ao poder em 1933, Gropius deixou a Alemanha e foi para a Inglaterra, onde Max Fry formou uma parceria de curta duração com ele. [Iii] Eles produziram alguns edifícios juntos, o mais significativo deles sendo o Village College em Impington, um pouco ao norte de Cambridge. “Um dos melhores edifícios de sua data na Inglaterra, senão o melhor.” [Iv] A gênese da A nova arquitetura e a Bauhaus encontra-se em uma festa em março de 1934 no apartamento em Londres do reformador imobiliário Elizabeth Denby [v]. Um diretor da Faber, Richard de la Mare, [vi] foi apresentado a Gropius durante a festa, entrando em contato com ele novamente alguns dias depois para buscar a ideia de um livro, que parece ter sido instigado por Herbert Read. [Vii] De la Mare, junto com outro diretor da Faber, o americano Frank Vigor Morley, conduziu o projeto.

A nova arquitetura e o bauhaus é um exercício extenso de solidariedade modernista. Morley menciona abertamente “uma forma adequada para propaganda” em uma de suas cartas sobre o livro. Ele tentou "envolver o Sr. Prichard para ajudar com os custos". [Viii] A tradução do manuscrito de Gropius foi realizada por Philip Morton Shand, poliglota apreciador de maçãs e œnólogo, e colaborador frequente do Revisão da Arquitetura. Frank Pick, diretor da London Transport, contribuiu com um prefácio, instigado por Herbert Read. [Ix] Em seu livro principal sobre Gropius Isaacs menciona a publicação e a sensibilidade de Gropius sobre a introdução de Frank Pick. [X] O coletor de pó pictórico, raramente encontrado com primeiras edições hoje em dia, foi desenhado pelo húngaro Lazlo Moholy-Nagy, outro professor modernista refugiado da Bauhaus. Moholy, que aparentemente inventou a embalagem “na queda de um chapéu”, também morava na Inglaterra na época. Como Gropius, ele também morou na América.

O livro permanece legível, já que Shand era um estilista de prosa considerável e teve o cuidado de esclarecer o texto alemão um tanto místico de Gropius. Uma passagem particularmente metafísica o derrotou inteiramente, então ele simplesmente a omitiu. A narrativa da carreira de Gropius pode estar incompleta - seu relato da fundação e vicissitudes posteriores da Bauhaus foi muito elaborado desde então - mas a clareza e o ataque de seu texto não diminuíram. Ele reconhece as falhas e armadilhas que ameaçam a arquitetura moderna, às vezes soando trotskista: “O movimento deve ser expurgado de dentro para que sua esmola original seja salva da camisa-de-força do materialismo ou da concepção errônea”. Gropius continua fazendo um apelo convincente para padronização e pré-fabricação. Talvez agora esqueçamos as condições de habitação totalmente abjetas que então prevaleciam nas favelas de muitas cidades europeias. A situação aqui dificilmente era melhor, pelo menos nos lugares categorizados como “áreas problemáticas” por Wal Hannington em seu livro com esse título. [Xi]

Alguns sentimentos expressos por Gropius neste livro podem ter parecido um tanto datados para os membros mais radicais do movimento moderno na Inglaterra, como era, em 1935. No entanto, o público britânico em geral não estava nem um pouco sintonizado com o modernismo quase nenhum edifício digno de nota teve início entre cerca de 1931 e 1934, devido aos efeitos posteriores do Crash de Wall Street, os edifícios comerciais ainda tinham um design predominantemente clássico. O prédio de escritórios da agência de publicidade Crawfords em Holborn era o único exemplo de design moderno entre os prédios de Londres. A nova arquitetura termina com um curto apologia invocando e unindo aqueles contemporâneos neoclássicos anglo-saxões K F Schinkel e Sir John Soane, escolhidos talvez para demonstrar o respeito de Gropius pela tradição. [xii]

O leitor pode antecipar que os críticos das revistas de arquitetura deram ao livro uma recepção uniformemente generosa. Foi o "livro do ano" de Myles Wright no Diário do Arquiteto. Jim Richards gostou tanto que o avaliou duas vezes, uma vez no Revisão da Arquitetura e novamente no Burlington revista. O livro de Gropius foi resenhado em publicações tão diversas quanto John O & # 8217Londres 'Weekly e The Christian Science Monitor. Seria eleito o "livro da semana" de hoje Evening Standard como era em 1935? A agora extinta revista BBC, O ouvinte, era então entusiasticamente modernista, o arquiteto irlandês Raymond McGrath revisou o livro de Gropius em termos reverentes, tratando-o quase como um guru. O professor C H Reilly, chefe da escola de arquitetura de Liverpool, escreveu uma crítica entusiasmada no Manchester Guardian. Anthony Blunt - lembra dele? - estava sinceramente entusiasmado com o Espectador. [xiii] O próprio Gropius usou o livro como uma alavanca para promover sua carreira na América, sobre a qual ele fala no livro de Peter John. [xiv]

A cópia particular em consideração era um prêmio de estudante de O construtor revista, apresentada a Arthur Montague Foyle em janeiro de 1937. “Monty” Foyle foi eleito associado do RIBA em dezembro de 1939. Parente distante da célebre família de livreiros, Monty era um metodista ferrenho e objetor de consciência de 1939-45. Ele estudou e, mais tarde, lecionou na Bartlett School of Architecture, escrevendo um PhD sobre 'O desenvolvimento da arquitetura na África Ocidental' em 1959. Como estudante, Foyle trabalhou para Albert Richardson e Patrick Abercrombie, e então começou a praticar particular após a 2ª Guerra Mundial construção de apartamentos em Willesden e restauração de igrejas rurais em Suffolk. A irmã de Monty, Marjory, gentilmente me forneceu algumas informações sobre seu irmão. Podemos nos perguntar se Monty se inspirou na frase final de seu livro de prêmios. Gropius invoca um imperativo moral com estas palavras estimulantes:

A necessidade ética da Nova Arquitetura não pode mais ser posta em dúvida.

E a prova disso é que em todos os países a Juventude está inflamada com sua inspiração.

[i] Ilustrado em Walter Müller-Wulckow, Deutsche baukunst der Gegenwart, Konigstein im Taunis e Leipzig, 1929

[ii] por exemplo. Walter Gropius e Laszlo Moholy-Nagy, Neue Arbeiten der Bauhauswerkstätten, Munique, 1925 Walter Gropius, Internationale architektur, Dessau, 1927


História

Olá! Walt Disney chegou à Califórnia no verão de 1923 com muitas esperanças, mas pouco mais. Ele havia feito um cartoon em Kansas City sobre uma garotinha em um mundo dos desenhos animados, chamado Alice & rsquos Wonderland, e decidiu que poderia usá-lo como seu filme & ldquopilot & rdquo para vender uma série dessas & ldquoAlice Comedies & rdquo a um distribuidor. Logo depois de chegar à Califórnia, ele teve sucesso. Um distribuidor em Nova York, M. J. Winkler, contratou a distribuição das & ldquoAlice Comedies & rdquo em 16 de outubro de 1923, data que se tornou o início da empresa Disney. Originalmente conhecida como Disney Brothers Cartoon Studio, com Walt Disney e seu irmão, Roy, como sócios iguais, a empresa logo mudou seu nome, por sugestão de Roy & rsquos, para Walt Disney Studio.

Walt Disney fez suas Alice Comédias por quatro anos, mas em 1927, ele decidiu mudar para uma série de desenhos animados. Para estrelar esta nova série, ele criou um personagem chamado Oswald the Lucky Rabbit. Em um ano, Walt fez 26 desses cartuns de Oswald, mas quando tentou obter algum dinheiro adicional de seu distribuidor para um segundo ano de cartuns, ele descobriu que o distribuidor havia agido pelas costas e inscrito quase todos os seus animadores, na esperança de fazer os desenhos de Oswald em seu próprio estúdio por menos dinheiro sem Walt Disney. Ao reler seu contrato, Walt percebeu que não possuía os direitos de Oswald - o distribuidor sim. Foi uma lição dolorosa para o jovem produtor de desenhos animados aprender. A partir de então, ele se certificou de que era dono de tudo o que fazia.

O Disney Studio original ficava na metade de trás de um escritório imobiliário na Kingswell Avenue, em Hollywood, mas logo Walt teve dinheiro suficiente para se mudar para a casa ao lado e alugar uma loja inteira para seu estúdio. Esse pequeno estúdio foi suficiente por alguns anos, mas a empresa acabou crescendo e Walt teve que procurar outro lugar. Ele encontrou um imóvel ideal na Avenida Hyperion em Hollywood, construiu um estúdio e, em 1926, mudou sua equipe para as novas instalações.

Foi no Hyperion Studio, após a perda de Oswald, que Walt teve que inventar um novo personagem, e esse personagem era Mickey Mouse. Com seu animador-chefe, Ub Iwerks, Walt projetou o famoso rato e deu a ele uma personalidade que o tornou querido por todos. Ub animou dois desenhos do Mickey Mouse, mas Walt não conseguiu vendê-los porque eram filmes mudos e o som estava revolucionando a indústria do cinema. Então, eles fizeram um terceiro desenho animado do Mickey Mouse, desta vez com som totalmente sincronizado, e Steamboat Willie estreou com ótimas críticas no Colony Theatre em Nova York em 18 de novembro de 1928. Uma estrela do desenho animado, Mickey Mouse, nasceu. O novo personagem tornou-se imediatamente popular, e uma longa série de desenhos animados do Mickey Mouse se seguiu.

Walt Disney logo produziu outra série & mdash the Silly Symphonies & mdash para ir com a série Mickey. Ele apresentava diferentes elencos de personagens em cada filme e permitia aos animadores experimentar histórias que dependiam menos das piadas e do humor rápido dos desenhos animados de Mickey e mais do humor, emoção e temas musicais. Eventualmente, as Silly Symphonies se transformaram em campo de treinamento para todos os artistas da Disney enquanto se preparavam para o advento dos filmes de animação. Flores e Árvores, uma sinfonia boba e o primeiro desenho animado colorido, ganhou o Oscar de melhor desenho animado de 1932, o primeiro ano em que a Academia ofereceu tal categoria. Pelo resto daquela década, um desenho animado da Disney ganhou o Oscar & reg todos os anos.

Enquanto os desenhos animados estavam ganhando popularidade nos cinemas, a equipe da Disney descobriu que vender os personagens era uma fonte adicional de receita. Um homem em Nova York ofereceu a Walt US $ 300 pela licença para colocar Mickey Mouse em algumas pastilhas de lápis que ele estava fabricando. Walt Disney precisava dos US $ 300, então ele disse tudo bem. Esse foi o início do merchandising da Disney. Logo havia bonecos de Mickey Mouse, pratos, escovas de dente, rádios, estatuetas - quase tudo que você poderia pensar em ter a semelhança de Mickey. O primeiro livro do Mickey Mouse foi publicado em 1930, assim como a primeira história em quadrinhos do jornal Mickey Mouse.

Em 1934, Walt Disney informou a seus animadores uma noite que eles iriam fazer um longa-metragem de animação e então contou a eles a história de Branca de Neve e os Sete Anões. Havia alguns céticos no grupo, mas logo todos perceberam o entusiasmo de Walt & rsquos, e o trabalho começou para valer. Demorou três anos, mas na época do Natal de 1937 o filme foi concluído e foi um sucesso espetacular. Branca de Neve logo se tornou o filme de maior bilheteria de todos os tempos, um recorde que manteve até ser ultrapassado por E o Vento Levou. Agora o estúdio Walt Disney & rsquos estava em uma base mais firme. Os curtos desenhos animados pagaram as contas, mas Walt sabia que os lucros futuros viriam dos filmes.

O trabalho começou imediatamente em outros projetos de longa-metragem, mas assim que as coisas estavam indo bem, veio a Segunda Guerra Mundial. Os próximos dois recursos, Pinóquio e Fantasia, foram lançados em 1940. Eram obras-primas técnicas, mas seus custos eram altos demais para uma empresa que perdia a maior parte de seus mercados estrangeiros por causa da guerra. Dumbo foi feito em 1941 com um orçamento muito limitado, mas Bambi, em 1942, foi outro filme caro e fez com que o estúdio se retraísse. Muitos anos se passariam antes que filmes de animação do mais alto calibre pudessem ser colocados em produção.

Durante a guerra, Walt Disney fez dois filmes na América do Sul, Saludos Amigos e Os Três Caballeros, a pedido do Departamento de Estado. Seu estúdio concentrava-se em fazer propaganda e filmes de treinamento para os militares. Quando a guerra terminou, foi difícil para o Disney Studio reconquistar sua posição anterior à guerra. Vários anos se passaram com o lançamento de & ldquopackage & rdquo longas-metragens como Make Mine Music e Melody Time, contendo grupos de curtas-metragens embalados juntos. Walt também passou a produzir live action com Song of the South e So Dear to My Heart, mas como o público esperava animação de Walt Disney, esses filmes incluíram segmentos de animação. Walt abriu algumas novas portas ao começar a premiada série True-Life Adventure apresentando fotografia da natureza de um estilo nunca visto antes.

1950 viu um grande sucesso na Disney - o primeiro filme de ação completamente ao vivo, Treasure Island, o retorno aos clássicos de animação com Cinderela e o primeiro programa de televisão da Disney na época do Natal. A empresa estava avançando novamente. Depois de dois especiais de Natal, Walt Disney entrou em grande estilo na televisão em 1954, com o início da série de antologia da Disneylândia. Esta série eventualmente seria exibida em todas as três redes e passaria por seis mudanças de títulos, mas permaneceu no ar por 29 anos, tornando-se a série de televisão em horário nobre mais antiga de todos os tempos. The Mickey Mouse Club, uma das séries infantis mais populares da televisão e rsquos, estreou em 1955 e fez estrelas de um grupo de talentosos Mouseketeers.

Walt Disney nunca ficou satisfeito com o que já havia conquistado. À medida que seus filmes e programas de televisão se tornavam bem-sucedidos, ele sentiu o desejo de diversificar. Uma área que o intrigou foram os parques de diversões. Como pai, ele havia levado suas duas filhas pequenas a zoológicos, carnavais e outras empresas de entretenimento, mas sempre acabava sentando no banco enquanto elas passeavam no carrossel e se divertiam. Ele achava que deveria haver um parque onde pais e filhos pudessem ir e se divertir juntos. Esta foi a gênese da Disneylândia. Após vários anos de planejamento e construção, o novo parque foi inaugurado em 17 de julho de 1955. A Disneylândia era um tipo totalmente novo de parque. Os observadores cunharam o termo & ldquotheme park & ​​rdquo, mas mesmo isso não parece fazer justiça à Disneylândia. Ele tem sido usado como um padrão para todos os parques de diversões construídos desde sua inauguração, tornando-se internacionalmente famosos e atraindo centenas de milhões de visitantes. Walt disse que a Disneylândia nunca seria concluída enquanto houvesse imaginação no mundo, e essa afirmação continua verdadeira até hoje. Novas atrações são adicionadas regularmente, e a Disneylândia ainda é tão popular quanto era em 1955.

A década de 1950 viu o lançamento do clássico 20.000 Léguas Submarinas, o primeiro de uma série de comédias malucas The Shaggy Dog e uma popular série de TV sobre o lendário herói Zorro. Na década de 1960, veio a Audio-Animatronics & reg, foi pioneira com a Enchanted Tiki Room na Disneyland e depois com quatro shows na Feira New York World & rsquos de 1964, e Mary Poppins, talvez o culminar de tudo o que Walt Disney aprendera durante sua longa carreira de cineasta. Mas os & rsquo60s também trouxeram o fim de uma era: Walt Disney morreu em 15 de dezembro de 1966.

Os planos que Walt deixou para trás mantiveram a empresa por vários anos sob a supervisão de Roy Disney. The Jungle Book em 1967 e The Aristocats em 1970 mostraram que a empresa ainda podia fazer clássicos de animação, e The Love Bug em 1969 foi o filme de maior bilheteria do ano. A Disney entrou em grande estilo em filmes e materiais educacionais com o início de uma subsidiária educacional em 1969.

Depois do sucesso da Disneylândia, era natural que Walt pensasse em outro parque na Costa Leste. Antes de sua morte, a empresa comprou um terreno na Flórida, e o projeto Walt Disney World, localizado em cerca de 28.000 acres perto de Orlando, foi anunciado. Foi inaugurada em 1º de outubro de 1971. Na Flórida, a empresa tinha o espaço que faltava na Califórnia. Finalmente, havia espaço para criar um resort de destino, livre da expansão urbana que havia crescido em torno da Disneylândia. O Walt Disney World incluiria não apenas um parque temático Magic Kingdom, como a Disneylândia, mas também hotéis, acampamentos, campos de golfe e vilas comerciais. Não demorou muito para que o Walt Disney World se tornasse o principal destino de férias do mundo.

Roy O. Disney, que após a morte de Walt & rsquos supervisionou a construção e o financiamento do Walt Disney World, morreu no final de 1971 e, na década seguinte, a empresa foi liderada por uma equipe que incluía Card Walker, Donn Tatum e Ron Miller & mdash, todos originalmente treinados por os irmãos Disney. Um dos últimos planos de Walt Disney foi para a Comunidade de Protótipos Experimentais do Amanhã, ou EPCOT, como ele a chamou. Embora ele tenha morrido antes que os planos pudessem ser refinados, eles foram apresentados novamente em alguns anos e, em 1979, a construção do novo parque na Flórida foi inaugurada. Epcot Center, uma combinação de Future World e World Showcase representando um investimento de mais de um bilhão de dólares, foi inaugurado com grande aclamação em 1 de outubro de 1982.

A WED Enterprises (mais tarde renomeada como Walt Disney Imagineering), a divisão de design e desenvolvimento dos parques, tinha vários projetos em andamento durante o início dos anos 1980. Além de projetar o Epcot, estava trabalhando duro nos planos para a Tokyo Disneyland, o primeiro parque Disney estrangeiro. Tokyo Disneyland foi inaugurado em 15 de abril de 1983 e foi um sucesso imediato em um país que sempre amou tudo Disney. Agora que os japoneses tinham sua própria Disneylândia, eles se aglomeravam nela em números cada vez maiores. A produção de filmes também estava mudando na América no início dos anos 1980. O público estava diminuindo por causa dos filmes para a família que haviam sido o esteio da empresa por muitos anos, e a Disney não estava enfrentando a competição por filmes que atraíam o enorme mercado de adolescentes e adultos. Para reverter essa tendência, a Disney estabeleceu um novo selo, Touchstone Pictures, com o lançamento de Splash em 1984. Ao mesmo tempo, devido à percepção generalizada de que as ações da Disney estavam subvalorizadas em relação aos ativos da empresa e rsquos, dois invasores corporativos & rdquo tentaram assumir o controle Disney. Os esforços para evitar que a empresa se desintegrasse terminaram quando Michael Eisner e Frank Wells se tornaram chairman e presidente, respectivamente.

A nova equipe de gerenciamento imediatamente viu maneiras de a Disney maximizar seus ativos. A empresa havia deixado a rede de televisão em 1983 para se preparar para o lançamento de uma rede a cabo, o Disney Channel. Embora o serviço de TV paga fosse bem-sucedido, Eisner e Wells sentiram que a Disney também deveria ter uma forte presença nas redes, então, em 1985, a divisão Touchstone da Disney & rsquos deu início ao imensamente bem-sucedido Golden Girls, seguido em 1986 por um retorno à televisão de domingo à noite com o Disney Sunday Filme (posteriormente The Magical World of Disney e The Wonderful World of Disney). Filmes da biblioteca da Disney foram selecionados para o mercado de distribuição, e alguns dos filmes de animação clássicos foram lançados em videocassete. Usando a técnica de venda por distribuidores, os clássicos da Disney logo alcançaram o topo das listas de mais vendidos de todos os tempos.

Na Disneylândia, novas colaborações com os cineastas George Lucas e Francis Coppola trouxeram Captain EO e Star Tours ao parque, e Splash Mountain foi inaugurado em 1989. Disney & rsquos Grand Floridian Beach e Caribbean Beach Resorts foram inaugurados no Walt Disney World em 1988, e três novas atrações fechadas inaugurado em 1989: o Disney / MGM Studios Theme Park, Pleasure Island e Typhoon Lagoon. Mais hotéis resort foram inaugurados em 1990 e 1991.

A produção de filmes atingiu novos patamares em 1988, quando a Disney pela primeira vez liderou os estúdios de Hollywood em bilheteria. Quem incriminou Roger Rabbit, Bom dia, Vietnã, Três homens e um bebê e, mais tarde, Querida, encolhi as crianças, Dick Tracy, Pretty Woman and Sister Act, ultrapassou a marca de $ 100 milhões. A Disney mudou-se para novas áreas fundando a Hollywood Pictures e adquirindo a Wrather Corp. (dona do Disneyland Hotel) e a estação de televisão KHJ (Los Angeles), que passou a se chamar KCAL. Em merchandising, a Disney comprou a Childcraft e abriu várias lojas Disney de grande sucesso e lucrativas.

A animação Disney começou a atingir públicos ainda maiores, com A Pequena Sereia sendo vencida por A Bela e a Fera, que por sua vez foi vencida por Aladdin (1992). A Hollywood Records foi formada para oferecer uma ampla seleção de gravações, desde rap a trilhas sonoras de filmes. Novos programas de televisão, como Live With Regis e Kathy Lee, Empty Nest, Dinosaurs and Home Improvement, expandiram a base de televisão da Disney & rsquos. Pela primeira vez, a Disney mudou-se para o mercado editorial, formando a Hyperion Books, a Hyperion Books for Childre e a Disney Press, que lançou livros sobre temas Disney e não Disney. Em 1991, a Disney comprou a revista Discover, a principal revista mensal de ciência do consumidor. Como um empreendimento totalmente novo, a Disney foi premiada em 1993 com a franquia para um time da National Hockey League, os Mighty Ducks de Anaheim.

Na França, o parque agora conhecido como Disneyland Paris foi inaugurado em 12 de abril de 1992. Ansiosamente antecipado, o parque lindamente projetado atraiu quase 11 milhões de visitantes durante seu primeiro ano. A Disneyland Paris é complementada por seis hotéis resort de design exclusivo e um acampamento. Dixie Landings e Port Orleans e um bem recebido Disney Vacation Club ampliaram as possibilidades de hospedagem no Walt Disney World Resort, enquanto Mickey & rsquos Toontown e o Indiana Jones Adventure ajudaram a aumentar a freqüência na Disneylândia. O Walt Disney World abriu o All-Star Resorts, Wilderness Lodge, a Twilight Zone Tower of Terror, Blizzard Beach, o BoardWalk Resort, o Coronado Springs Resort, o Disney Institute, Downtown Disney West Side e redesenhado Tomorrowland no Magic Kingdom.

O sucesso da Disney com filmes de animação continuou em 1994 com O Rei Leão, que logo se tornou um dos filmes de maior bilheteria de todos os tempos. Foi seguido por Pocahontas em 1995, O Corcunda de Notre Dame em 1996, Hercules em 1997, Mulan em 1998, Tarzan em 1999 e Fantasia / 2000 na virada do século. Toy Story foi pioneiro em técnicas de animação por computador e foi seguido por uma sequência de sucesso. A Disney também continuou sua forte presença em programas de animação infantil para a televisão e obteve sucesso com sequências de filmes de animação lançados diretamente para o mercado de vídeo.

Em 1994, a Disney aventurou-se na Broadway com uma produção teatral de muito sucesso de A Bela e a Fera, seguida em 1997 por uma encenação única baseada em O Rei Leão e em 2000 por Aida. Ao restaurar o histórico New Amsterdam Theatre na 42nd Street, a Disney se tornou o catalisador para uma reforma bem-sucedida da famosa área da Times Square. Uma versão musical de O Corcunda de Notre Dame estreou em Berlim, Alemanha.

Em 1996, havia mais de 450 lojas Disney em todo o mundo e, em 1999, esse número subia para 725. Na Flórida, os primeiros sites residenciais foram vendidos na nova cidade de Celebration, localizada próximo ao Walt Disney World. No final, 20.000 pessoas chamarão Celebration de sua casa. Após a morte do proprietário Gene Autry, a Disney adquiriu o time de beisebol California Angels para adicionar ao seu time de hóquei, e em 1997 abriu a Disney & rsquos Wide World of Sports no Walt Disney World.

No início de 1996, a Disney concluiu a aquisição da Capital Cities / ABC. A transação de US $ 19 bilhões, a segunda maior da história dos EUA, trouxe a principal rede de televisão do país para a Disney, além de 10 estações de TV, 21 estações de rádio, sete jornais diários e posições de propriedade em quatro redes de cabo.

Nos últimos anos, assistimos ao lançamento de um grupo de filmes de ação ao vivo muito populares, como Mr. Holland & rsquos Opus, The Rock, Ransom, Flubber, Con Air, Armageddon, culminando no enorme sucesso O Sexto Sentido, que logo alcançou o 10º lugar entre os lançamentos de maior bilheteria de todos os tempos. A animação por computador foi apresentada em A Bug & rsquos Life and Dinosaur.

Um novo parque, Disney & rsquos Animal Kingdom foi inaugurado no Walt Disney World em 1998. Com uma gigantesca Árvore da Vida como peça central, o parque era o maior da Disney, abrangendo 500 acres. A major attraction was the Kilimanjaro Safaris, where Guests could experience live African animals in an amazingly accurate reproduction of the African savannah. An Asian area opened at Animal Kingdom in 1999. In California, Tomorrowland at Disneyland was redesigned.

As the world moved toward a new century, Epcot became the host of Millennium Celebration, Test Track (the longest and fastest Disney park attraction) opened, and other attractions were revised and updated. The Walt Disney Company welcomed a new president &mdash Robert A. Iger &mdash and the Company reached the $25 billion revenue threshold for the first time.

Disney regional entertainment expanded with DisneyQuest and the ESPN Zone in 1998, and that same year, the Disney Magic, the first of two luxury cruise ships made its maiden voyage to the Caribbean, stopping at Disney&rsquos own island paradise, Castaway Cay.

2000 opened with the release in IMAX theaters of an almost totally new version of Fantasia entitled Fantasia/2000. Other classically animated features were The Emperor&rsquos New Groove, Atlantis: The Lost Empire, Lilo & Stitch, Treasure Planet and Brother Bear. Continuing collaborations with Pixar brought the computer-animated blockbuster, Monsters, Inc. Popular live action productions continued with Remember the Titans, Mission to Mars, Pearl Harbor, The Princess Diaries, and The Rookie. The new cable network, SoapNet, was launched, and award-winning productions on ABC included The Miracle Worker, Anne Frank, and Child Star: The Shirley Temple Story.

DVD releases became increasingly popular, especially when the company began adding generous amounts of bonus material for viewers. Snow White and the Seven Dwarfs&rsquo DVD in 2001 sold more than one million units on the first day of release.

For the first time, in 2001, Walt Disney Attractions opened two new theme parks in the same year. In February, Disney&rsquos California Adventure opened after several years of major construction which transformed the entire Anaheim area. The new park celebrates the history, culture and spirit of California, with areas ranging from a Hollywood Pictures Backlot to the amusements of Paradise Pier. Joining it was an upscale shopping area, Downtown Disney and the Grand Californian Hotel, celebrating the Craftsman style of architecture. Across the Pacific in Japan, Tokyo DisneySea opened in September, looking to the myths, legends and lore of the ocean as the inspiration for its attractions and shows. March, 2002, saw the opening of another foreign park, Walt Disney Studios, featuring the history and lore and excitement of the movies, adjacent to Disneyland Paris. Ground was broken in January, 2003, for Hong Kong Disneyland.

In 2001, the entire Walt Disney Company honored the 100th Anniversary of the birth of its founder, Walt Disney. The celebration, called &ldquo100 Years of Magic,&rdquo was centered at the Disney-MGM Studios theme park in Florida, and included several parades, an exhibit of archival memorabilia and the installation of a gigantic Mickey&rsquos sorcerer cap in the Chinese Theater plaza.

2003 saw two Disney films grossing over $300 million at the box office &mdash Pirates of the Caribbean: The Curse of the Black Pearl and Disney-Pixar&rsquos Finding Nemo. In fact, Disney became the first studio in history to surpass $3 billion in global box office. In October, Mission: Space opened at Epcot to great acclaim, and the following month the Company celebrated the 75th anniversary of Mickey Mouse. As the year drew to a close the Pop Century Resort opened at Walt Disney World.

After years of partnering, Disney acquired The Muppets and Bear in the Big Blue House in April 2004. Senator George Mitchell became chairman of the board, and movie theaters welcomed The Incredibles. ABC had a rebirth with such popular series as Desperate Housewives, Lost and Grey&rsquos Anatomy. A major anniversary came in 2005 as Disneyland celebrated its 50th, and all of the Disney theme parks joined in a Happiest Celebration on Earth. A brand new theme park, Hong Kong Disneyland, opened in September and the fall saw the successful releases of Chicken Little and The Chronicles of Narnia: The Lion, the Witch, and the Wardrobe. Robert Iger took over as CEO on October 1 with the retirement of Michael Eisner.

2006 saw High School Musical air on Disney Channel and become an overnight sensation. In May, Disney made a major purchase of Pixar Animation Studios, at the same time gaining the services of Ed Catmull and John Lasseter to be creative heads of Disney Feature Animation. Disney-Pixar&rsquos Cars was released in June. Pirates of the Caribbean: Dead Man&rsquos Chest beat Company records to become the company&rsquos highest grossing feature after its July release. Disney parks celebrated the Year of a Million Dreams with special promotions.

With 2007 came another popular release from Pixar, Ratatouille, and Disney had its first co-production in China&mdash The Secret of the Magic Gourd. The year ended with the hits Enchanted and National Treasure: Book of Secrets. The third Pirates of the Caribbean feature, subtitled At World&rsquos End, became the top-grossing film of the year internationally. Disney Channel reached new heights with High School Musical 2, and Hannah Montana shot Miley Cyrus to stardom. In the summer, Disney acquired Club Penguin. At the parks, Disney built on the Pixar brand with the Finding Nemo Submarine Voyage at Disneyland, The Seas with Nemo and Friends at Epcot and Finding Nemo &mdash The Musical at Disney&rsquos Animal Kingdom.

At the Disney parks in 2008, Disney-MGM Studios was renamed Disney&rsquos Hollywood Studios, Toy Story Midway Mania! opened there and at Disney&rsquos California Adventure, and It&rsquos a Small World opened at Hong Kong Disneyland. The company reacquired ownership of the Disney Stores&rsquo retail locations from The Children&rsquos Place, and the first Disney-operated language training center, Disney English, opened in China. In theaters, audiences flocked to WALL&bullE and Bolt. Tinker Bell, the first of a series of Disney Fairies films, was released, and Camp Rock and Phineas and Ferb debuted on Disney Channel. The Little Mermaid opened on Broadway.

The big news in 2009 was the acquisition of Marvel Entertainment. Theaters presented Up (which would win two Oscars), the first Disneynature film, Earth, and a return to hand-drawn animation with The Princess and the Frog. The first Disney film locally produced in Russia, The Book of Masters, was released. D23: The Official Disney Fan Club launched, Disney twenty-three magazine began publication, and the first biennial D23 Expo was held in Anaheim. Bay Lake Tower opened at Walt Disney World, and a Disney Vacation Club section was added to the Grand Californian Hotel. Disney XD replaced Toon Disney, and at the end of the year the company mourned the passing of Roy E. Disney.

In business news in 2010, the company sold Miramax. Alice in Wonderland and Toy Story 3 were released, and they would go on to win two Oscars each. The latter picture would become the highest grossing animated film of all time. Also on movie screens were Tangled and Tron: Legacy. Video gamers entered the world of Epic Mickey, and World of Color debuted at the renamed Disney California Adventure.

The year 2011 saw the launch of the Disney Dream and the repositioning of the Disney Wonder to the West Coast. The company purchased the rights to the Avatar franchise for theme parks, the Aulani Resort opened in Hawaii, The Little Mermaid: Ariel&rsquos Undersea Adventure debuted at Disney California Adventure, and groundbreaking ceremonies were held for Shanghai Disneyland. In theaters, Disney began distributing DreamWorks films, with The Help winning wide acclaim and a Supporting Actress Oscar for Octavia Spencer. Disney films included Pirates of the Caribbean: On Stranger Tides, Winnie the Pooh, The Muppets (Oscar for Best Song), and Cars 2. In New York, Sister Act opened on Broadway and Peter and the Starcatcher off-Broadway.

In theaters in 2012 were John Carter, Marvel&rsquos The Avengers, Brave, Wreck-It Ralph, Frankenweenie, and Lincoln (DreamWorks). Bob Iger took on the additional title of chairman of the board, and Alan Horn became chairman of Walt Disney Studios. The Disney Junior cable channel replaced SOAPnet. On Broadway, Newsies opened and won two Tony Awards. Cars Land opened at Disney California Adventure, and the Disney Fantasy set sail. At the Walt Disney World Resort, Disney&rsquos Art of Animation Resort, an enlarged and enhanced Fantasyland, and a new Test Track opened. D23 sponsored a Treasures of the Walt Disney Archives exhibit at the Ronald Reagan Presidential Library and Museum. The big corporate news was the acquisition of Lucasfilm, Ltd.

For nine decades, The Walt Disney Company has succeeded in making its name preeminent in the field of family entertainment. From humble beginnings as a cartoon studio in the 1920s to today&rsquos major corporation, it continues its mandate of providing quality entertainment for the entire family.


Who filed amicus curiae briefs on behalf of Walter Irvin?

Who filed amicus Curiae briefs on behalf of Walter Irvin (Groveland Four), if any? I have been reading the history regarding the Groveland Four and I am particularly interested in what amicus curiae briefs were filed, if any, during his parole hearing. The churches in Florida were very participatory in the court hearings for Irvin’s parole. It would be interesting to me if their interest extended into filing amicus curiae briefs on Irvin‘s behalf.

Re: Who filed amicus curiae briefs on behalf of Walter Irvin?
Cara Jensen 23.03.2021 10:53 (в ответ на Nancy Harris)

Thank you for posting your request on History Hub!

We suggest that you contact the State Library and Archives of Florida to request a search of the Inactive case files, 1941-1960 of the Florida Parole Commission for any amicus curiae briefs filed under Walter Irvin. 

Please review NARA’s Supreme Court Records web page and the FamilySearch Research wiki for Florida Court Records for more background information.


Walter (Wal) Hannington - History

A few steps from chalk lines that had circled shell casings and other evidence from a Monday afternoon police shooting in West Philadelphia, family, friends, and neighbors recalled 27-year-old Walter Wallace Jr.:

A father of eight who struggled with mental illness. A quiet neighbor. An Uber Eats driver and aspiring rapper.

A cousin opened the doors of her red Toyota Camry, plugged her phone into its speakers, and played one of Wallace’s songs, “Black Hearted," then doubled over in the middle of the 6100 block of Locust Street and wept.

Neighbors and family members sat on their steps and leaned over porch railings, swaying back and forth, their eyes closed, as the song’s lyrics described police violence and the Black Lives Matter movement.

The words played out in real life the day before, when two police officers responded to a call for help at the Wallace rowhouse and then ended up firing 14 bullets at a distraught young man who they said approached them armed with a knife.

“He was a family man,” said Tasha White, who lives a few doors down. “He walked with his kids and he walked with his mom.”

“He was a quiet kid," White said. “Whatever happened yesterday, that was different. That wasn’t normal.”

Adults with untreated severe mental illness account for one in every four fatal police shootings, according to experts. Wallace fits the pattern. He was also in and out of court throughout his young adulthood, with judges regularly ordering he receive mental health treatment as he faced charges of trespassing, resisting arrest, robbery and simple assault.

Shaka Johnson, a criminal defense lawyer now representing the family, said Wallace was prescribed lithium, which is primarily used to treat bipolar disorder and major depressive disorder.

He said Wallace’s family called 911 Monday afternoon for an ambulance to help a young man in crisis. Police arrived first, he said, and Wallace’s wife told officers that her husband was bipolar. It was reportedly the family’s third call for help that day.

“Officers who are properly trained should notice certain things when they arrive at a scene,” Johnson told reporters Tuesday on the steps of the family’s home. “Especially when his wife tells you, ‘Stand down officers, he’s manic bipolar.’ ”

Wallace’s wife, who is pregnant, is scheduled to have labor induced Wednesday, Johnson said.

A journey through the criminal justice system

Walter W. Wallace Jr., named after his father, also went by the artist name “Whohe” on YouTube, often recording rap songs about issues like gun violence and the time he spent in jail.

Since at least 2013, when he was 19, Philadelphia judges have sought to get him mental health treatment. Wallace was arrested four times that year, court records show, including a guilty plea for resisting arrest that started his adult contact with probation officers that spanned much of the next seven years.

During sentencing for an assault in 2016, Municipal Court judge Marsha Neifield was insistent that Wallace “continue medication management at JFK.” The note is likely a reference to John F. Kennedy Behavioral Health Center on North Broad Street. Neifield “strongly recommended that Supervision be by the Mental Health Unit of Probation.”

A robbery conviction the following year led Common Pleas Court judge Glynnis Hill to require more mental health supervision, a drug treatment assessment, and “Anger Management [is] ordered, if determined by probation.”

Wallace was charged again in March for allegedly making threats, but his trial was delayed repeatedly, along with many city court cases backlogged by the coronavirus pandemic.

Wallace Jr. was killed Monday around 4 p.m. after police responded to his family’s home on the report of a person with a weapon. When police arrived, Wallace Jr. was outside the home and holding a knife.

The two officers told Wallace Jr. to drop the knife, but he didn’t. His mother tried to grab her son and shield him from police as they had their guns drawn, witnesses said. She pleaded for police to put the guns down, and asked her son to drop the knife, but Wallace Jr. brushed her off, bystander video shows. He then walked around a car and as he slowly stepped toward officers, they both backed away and then fired a total of 14 times, police said Tuesday.

Anthony Fitzhugh, a cousin at the family home Tuesday morning, questioned the police response.

“They were advised that he had mental health issues. I understand he had a knife, and their job is to protect and serve. By all means do so, but do not let lethal force be the means by which you de-escalate the situation," said Fitzhugh, 49.

Family members believe the officers should have used Tasers to subdue Wallace, but the officers at the scene did not have such weapons with them. About a third of the city’s police force carries a Taser, according to the department.

“It didn’t have to happen that way. They didn’t have to shoot him that amount of times he was shot,” Fitzhugh said. "At what point do you draw a line and say, ‘OK, I’m going over a limit. This no longer falls under my job description, this is murder?’ ”

He said the family was upset to see looting break out throughout the night after Wallace’s death.

“That’s not being done in his name, that’s not being done in his honor, and the family does not agree with that," Fitzhugh said.

White, one of the family’s neighbors on Locust, said: “Mental illness is in the ‘hood. He could have been helped.”

It’s a statement many in the community have made, as a fatal police shooting renews questions about police tactics when responding to people in mental health crisis.

Adults with untreated severe mental illness account for one in every four fatal police shootings, according to a 2015 report by the Treatment Advocacy Center, a national nonprofit focused on making treatment for severe mental illness possible. They also are 16 times more likely to be stopped by the police than other people. And while Black adults are more likely to report persistent symptoms of emotional distress, only one in three Black or African American adults who need mental health care receive it.

John Snook, the CEO of the Treatment Advocacy Center, said that about 20% of officer time is spent responding to crises of someone with mental health issues, according to a May 2019 report by the nonprofit.

“It stands to reason that because they have so many interactions with people who are in crisis, all the training in the world can’t solve that problem,” Snook said. “What you’re talking about is a medical concern, and law enforcement officers are not the right people to deal with that.”

Because in Pennsylvania, patients must be a clear and present danger to themselves or someone else to qualify for inpatient commitment, many people can’t get their loved ones the help they need in time, Snook said.

“You run into situations when someone has an illness that is impacting their brain, and you can’t do anything unless they get sicker and act out in some way,” Snook said. “When that happens, police are called, so those situations are really being set up for violence. We’re not responding in the way that we should, so it’s hard to expect any other results.”

Later Tuesday night, outside the family home, two of Wallace’s young sons stood in front of dozens of cameras and reporters, tall but clearly shaken. They praised their dad. “And Black lives still matter,” one Wallace boy said, tears in his eyes

Walter Wallace Sr., who worked as a trash collector for the city for 33 years, in a strong voice laced with anguish, said when he closes his eyes, he can still see his son being “butchered” in front of him. “We got good cops, we got bad cops in the system. Everybody’s got to be held accountable for what they do.”


NFL Picks Against the Spread: Week 1, 2021

NFL Picks (2020): 138-124-7 (+$9,350)
NFL Picks (2019): 148-128-9 (+$1,200)
NFL Picks (2018): 140-134-12 (+$845)
NFL Picks (2017): 137-147-10 (-$4,300)
NFL Picks (2016): 148-127-10 (+$780)
NFL Picks (2015): 133-138-10 (-$3,215)
NFL Picks (2014): 143-133-7 (-$1,885)
NFL Picks (2013): 144-131-8 (+$7,825)
NFL Picks (2012): 130-145-8 (-$7,445)
NFL Picks (2011): 137-133-12 (-$1,335)
NFL Picks (2010): 144-131-8 (+$5,880)
NFL Picks (2009): 151-124-9 (+$4,235)
NFL Picks (2008): 136-125-6 (+$6,105)
NFL Picks (2007): 162-135-10 (+$3,585)
If you don't quite understand the line, total or anything else, go to my Sports Betting FAQ.
Vegas betting action updated . Follow @walterfootball for updates.

NFL Picks Week 1 - Early Games
Cowboys at Bucs, Eagles at Falcons, Steelers at Bills, Vikings at Bengals, 49ers at Lions, Cardinals at Titans, Seahawks at Colts, Chargers at Redskins, Jets at Panthers, Jaguars at Texans

NFL Picks Week 1 - Late Games
Browns at Chiefs, Dolphins at Patriots, Packers at Saints, Broncos at Giants, Bears at Rams, Ravens at Raiders

Get more free NFL picks for every game Doc's Sports

Sports bettors can get the statistics they need to break down the games or compare against the spread analysis with picks from professional handicappers. All for free at SportsBettingStats.com

Last Week's NFL Picks Against The Spread (Week 21, 2020): 1-0 (+$560)
Last Week's 2-3 Unit NFL Picks (Week 21, 2020): 0-0 ()
Last Week's 4-5 Unit NFL Picks (Week 21, 2020): 0-0 ()
Last Week Over-Under (Week 21, 2020): 1-0 ()
Last Week's Prop/ML/Teaser/Parlay Picks (Week 21, 2020 plus 2020 props): +$4,735

2020 NFL Picks of the Month: 3-2, 60.0% (+$665)

2020 Season NFL Picks Against The Spread: 138-124-7, 52.7% (+$9,350)
2020 Season 2-3 Unit NFL Picks: 47-43-3, 52.2% (-$1,965)
2020 Season 4-5 Unit NFL Picks: 37-22-1, 62.7% (+$5,515)
2020 Season Over-Under: 141-122-6, 53.6% ()
2020 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: +$4,975

1999 Season NFL Picks Against The Spread: 27-41-3 (39.7%)
2000 Season NFL Picks Against The Spread: 128-123-8 (51.0%)
2001 Season NFL Picks Against The Spread: 127-122-7 (51.0%)
2002 Season NFL Picks Against The Spread: 123-136-7 (47.5%)
2003 Season NFL Picks Against The Spread: 146-126-8 (53.7%)
2004 Season NFL Picks Against The Spread: 157-123-8 (56.1%)
2005 Season NFL Picks Against The Spread: 156-126-11 (55.3%)
2006 Season NFL Picks Against The Spread: 151-135-9 (52.8%)
2007 Season NFL Picks Against The Spread: 162-135-10, 54.5% (+$3,585)
2008 Season NFL Picks Against The Spread: 148-140-7, 51.4% (+$6,105)
2009 Season NFL Picks Against The Spread: 151-124-9, 54.9% (+$4,235)
2010 Season NFL Picks Against The Spread: 144-131-8, 52.4% (+$5,880)
2011 Season NFL Picks Against The Spread: 137-133-12, 50.7% (-$1,335)
2012 Season NFL Picks Against The Spread: 130-145-8, 47.3% (-$7,445)
2013 Season NFL Picks Against The Spread: 144-131-8, 52.4% (+$7,825)
2014 Season NFL Picks Against The Spread: 143-133-7, 51.8% (-$1,885)
2015 Season NFL Picks Against The Spread: 134-138-12, 49.3% (-$3,215)
2016 Season NFL Picks Against The Spread: 148-127-10, 53.8% (+$780)
2017 Season NFL Picks Against The Spread: 137-140-8, 49.5% (-$4,300)
2018 Season NFL Picks Against The Spread: 140-134-14, 51.3% (+$845)
2019 Season NFL Picks Against The Spread: 149-128-9, 53.6% (+$1,200)

2002 Season 2-3 Unit NFL Picks: 41-49-2 (45.6%)
2003 Season 2-3 Unit NFL Picks: 52-51-2 (50.5%)
2004 Season 2-3 Unit NFL Picks: 65-44-3 (59.6%)
2005 Season 2-3 Unit NFL Picks: 77-61-1 (55.8%)
2006 Season 2-3 Unit NFL Picks: 65-61-4 (51.6%)
2007 Season 2-3 Unit NFL Picks: 83-59-5, 58.5% (+$4,110)
2008 Season 2-3 Unit NFL Picks: 44-57-3, 43.6% (-$3,510)
2009 Season 2-3 Unit NFL Picks: 49-35-3, 58.3% (+$2,260)
2010 Season 2-3 Unit NFL Picks: 51-38-4, 57.3% (+$3,180)
2011 Season 2-3 Unit NFL Picks: 44-51-3, 46.3% (-$2,715)
2012 Season 2-3 Unit NFL Picks: 45-50-2, 47.4% (-$2,130)
2013 Season 2-3 Unit NFL Picks: 38-42, 47.5% (-$2,890)
2015 Season 2-3 Unit NFL Picks: 47-44-1, 51.6% (-$820)
2016 Season 2-3 Unit NFL Picks: 42-35-3, 54.5% (+$475)
2017 Season 2-3 Unit NFL Picks: 32-40-3, 43.8% (-$2,395)
2018 Season 2-3 Unit NFL Picks: 52-41-2, 55.9% (+$2,670)
2019 Season 2-3 Unit NFL Picks: 44-36-2, 55.0% (+$655)

2002 Season 4-5 Unit NFL Picks: 11-12 (47.8%)
2003 Season 4-5 Unit NFL Picks: 16-13-1 (55.2%)
2004 Season 4-5 Unit NFL Picks: 18-11 (62.1%)
2005 Season 4-5 Unit NFL Picks: 25-22-1 (53.2%)
2006 Season 4-5 Unit NFL Picks: 21-29-1 (42.0%)
2007 Season 4-5 Unit NFL Picks: 35-30-2, 53.8% (+$420)
2008 Season 4-5 Unit NFL Picks: 39-26-2, 60.0% (+$4,055)
2009 Season 4-5 Unit NFL Picks: 29-26, 52.7% (+$330)
2010 Season 4-5 Unit NFL Picks: 32-22, 59.3% (+$4,790)
2011 Season 4-5 Unit NFL Picks: 14-14, 50.0% (-$1,260)
2012 Season 4-5 Unit NFL Picks: 14-21, 40.0% (-$3,650)
2013 Season 4-5 Unit NFL Picks: 17-9-3, 65.4% (+$2,970)
2015 Season 4-5 Unit NFL Picks: 17-16-2, 51.5% (-$1,120)
2016 Season 4-5 Unit NFL Picks: 21-22-5, 48.8% (-$1,465)
2017 Season 4-5 Unit NFL Picks: 20-22-1, 47.6% (-$1,595)
2018 Season 4-5 Unit NFL Picks: 27-32-1, 45.8% (-$4,735)
2019 Season 4-5 Unit NFL Picks: 37-27-2, 57.8% (+$2,185)

2001 Season Over-Under: 3-2 (60.0%)
2002 Season Over-Under: 121-91-3 (57.1%)
2003 Season Over-Under: 126-132-2 (48.8%)
2004 Season Over-Under: 139-124-4 (52.9%)
2005 Season Over-Under: 117-145-4 (44.7%)
2006 Season Over-Under: 129-132-5 (49.4%)
2007 Season Over-Under: 136-145-3, 48.4% (-$1,900)
2008 Season Over-Under: 137-125-6, 52.3% (+$860)
2009 Season Over-Under: 128-135-4, 48.7% (-$3,195)
2010 Season Over-Under: 128-135-5, 48.7% (-$5)
2011 Season Over-Under: 131-131-5, 50.0% (+$135)
2012 Season Over-Under: 125-121-5, 50.8% (+$30)
2013 Season Over-Under: 132-130-5, 50.4% (-$340)
2015 Season Over-Under: 143-119-5, 54.6% ()
2016 Season Over-Under: 123-141-1, 46.6% (+$95)
2017 Season Over-Under: 136-139-2, 49.5% (+$640)
2018 Season Over-Under: 118-128-3, 48.0% (-$225)
2019 Season Over-Under: 126-133-4, 48.6% (-$50)

2007 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: +$1,035
2008 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: +$1,775
2009 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: +$865
2010 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: -$200
2011 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: +$590
2012 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: -$1,685
2013 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: +$2,245
2015 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: -$855
2016 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: -$275
2017 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: -$510
2018 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: +$1,495
2019 Season Prop/ML/Teaser/Parlay Picks: -$1,715

2006 NFL Picks of the Month: 3-3 (50%)
2007 NFL Picks of the Month: 3-3, 50.0% (-$400)
2008 NFL Picks of the Month: 6-1, 85.7% (+$3,720)
2009 NFL Picks of the Month: 3-2, 60.0% (+$640)
2010 NFL Picks of the Month: 2-4, 33.3% (-$1,810)
2011 NFL Picks of the Month: 5-2, 71.4% (+$1,870)
2012 NFL Picks of the Month: 3-2, 60.0% (+$560)
2013 NFL Picks of the Month: 6-0, 100% (+$3,900)
2014 NFL Picks of the Month: 2-4, 33.3% (-$1,350)
2015 NFL Picks of the Month: 3-3, 50.0% (-$100)
2016 NFL Picks of the Month: 5-1, 83.3% (+$2,780)
2017 NFL Picks of the Month: 4-2, 66.7% (+$1,040)
2018 NFL Picks of the Month: 4-3, 57.1% (-$640)
2019 NFL Picks of the Month: 3-3-1, 50.0% (-$625)

Career NFL Picks Against The Spread: 2,995-2,761-179, 52.0% (+$19,655)
Career 2-3 Unit NFL Picks: 957-859-49 (52.7%)
Career 4-5 Unit NFL Picks: 452-396-23 (53.3%)
Career Over-Under: 2,463-2,416-66 (50.5%)
Career Second-Half NFL Picks: 22-15-1 (61.1%)
Career NFL Picks of the Month: 45-29-1 (60.8%)

My Team-by-Team ATS Record
This section shows how well I do when picking each team this year. The purpose is to see how well I read each team. Pushes are not displayed. Winning/losing streak in parentheses.


Deaths for Jun 30, 2021

Copyright © 2021 Martin J Mosley | Mosley Families

Privacy Policy & Cookies

These are necessary cookies, they are used to remember your preferences for the site, including your logged in status, language preferences etc. These cookies do not store any visitor information. I highly recommend you do not turn them off as it will cause the website to not function properly.

These cookies are not necessary for the basic functioning of this site, however de-activating them may impede your user experience.

Google Analytics Cookies are used to identify unique users and allow me to see where users come from and which pages they visit. They do not personally identify you. If you disable these cookies, you will not be recognised when you return. The site will treat you as a new visitor.


Little Walter

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

Little Walter, byname of Marion Walter Jacobs, (born May 1, 1930, Marksville, Louisiana, U.S.—died February 15, 1968, Chicago, Illinois), American blues singer and harmonica virtuoso who was one of the most influential harmonica improvisers of the late 20th century.

Raised on a Louisiana farm, Little Walter began playing harmonica in childhood, and by the time he was 12 he was playing for a living on New Orleans street corners and in clubs. In his teens he gradually worked northward, settling in Chicago about 1946 there he began recording in 1947 and played in Muddy Waters’s blues band (1948–52).

After Little Walter’s 1952 harmonica solo “Juke” became a popular song, he successfully led his own bands in Chicago and on tours. In the 1960s alcoholism curtailed his career, and he died following a street fight.

Little Walter was one of the major figures in postwar Chicago blues. Influenced by guitarists as well as by senior harmonica players, he brought a singular variety of phrasing to the blues harmonica. His solos were cunningly crafted, alternating riffs and flowing lines. He was a pioneer of playing a harmonica directly into a handheld microphone and developed expressive techniques to enhance his playing. Though his vocal range was small, his singing often emulated Waters’s style. His most popular song was “My Babe,” and his finest work included “Sad Hours,” “Off the Wall,” and “Can’t Hold Out Much Longer.” Little Walter was chosen for the inaugural class (1980) of the Blues Hall of Fame, and in 2008 he was inducted into the Rock and Roll Hall of Fame.


Assista o vídeo: Walters Medley