Olympia

Olympia

Olympia era uma vibrante cidade da Grécia Antiga. Acredita-se que o local de Olímpia tenha sido habitado desde 3000 aC, porém foi após a queda da civilização micênica que a cidade começou a florescer e, por volta de 900 aC já era considerada um importante local religioso.

História de Olympia

Em 776 aC, os primeiros Jogos Olímpicos foram realizados na cidade em homenagem ao deus grego Zeus. Os jogos do Olympia foram um evento nacional e atraíram participantes e espectadores de todo o país, elevando o status do Olympia. Eles continuariam até 394 DC, quando o imperador romano Teodósio I, vendo-os como um “culto pagão”, os pôs fim.

Com o tempo, a cidade começou a se desenvolver e crescer. Hoje o resultado desse crescimento gradual pode ser visto em Olímpia por meio de locais como os Tesouros, o Templo de Hera, ambos de importância religiosa e contidos no recinto sagrado conhecido como Altis e Pelopion, o suposto túmulo do mítico Pelops. Estes foram construídos por volta de 600 AC.

Até mesmo o estádio em que os Jogos Olímpicos foram disputados foi reformado, uma área construída propositalmente sendo construída por volta de 560 aC e com capacidade para aproximadamente 50.000 pessoas. As ruínas deste estádio impressionante ainda são visíveis hoje.

Olympia atingiu seu auge durante o período clássico e foi nessa época que muitos dos outros locais que podem ser vistos lá foram construídos, principalmente o Templo de Zeus. Era uma vasta estrutura religiosa cujas ruínas se localizavam na zona de Altis.

Mais tarde, o Templo de Zeus foi totalmente destruído, primeiro por um incêndio e depois por um terremoto. No entanto, os arqueólogos foram capazes de escavar várias esculturas e artefatos que se acredita terem se originado do edifício, que agora estão em exibição no Museu Arqueológico de Olímpia, nas proximidades.

Outros locais impressionantes em Olímpia foram construídos posteriormente, durante o período helenístico. Estes incluem os restos do século 4 aC Philippeion memorial, dedicado ao rei Filipe II da Macedônia e sua família (que incluía Alexandre, o Grande, filho de Filipe).

Existem também vários outros locais impressionantes, muitos deles construídos durante o período romano.

Olympia hoje

Olympia está bem sinalizada, o que facilita o passeio pelo local e a compreensão de como ele parecia em seu apogeu. Se você quiser saber mais sobre Olympia, pode visitar o Museu Arqueológico de Olympia.

O antigo estádio é uma das atrações imperdíveis, com muitos visitantes testando sua velocidade em corridas até hoje. Foi aqui que aconteceu o lançamento do peso, durante os Jogos Olímpicos de 2004.

Há também um Museu da História dos Jogos Olímpicos em Olympia.

Chegando a Olympia

Chegar a Olympia de Atenas leva cerca de 4 horas de carro. Os ônibus também circulam entre Olímpia e a capital grega, embora passeios de um dia não sejam viáveis ​​devido à distância.

Olympia fica a cerca de 2 horas de carro de Patras e 2 horas de carro de Trípoli, no Peloponeso Central.

O estacionamento está disponível no site.


Olympia

Localizada no oeste do Peloponeso, Olímpia era um antigo santuário grego dedicado à adoração de Zeus, em cuja honra os Jogos Olímpicos Pan-Helênicos eram realizados a cada quatro anos, de 776 aC a 393 dC. Olympia está listada pela UNESCO como Patrimônio Mundial.

Habitado pela primeira vez no segundo milênio AEC, o primeiro registro arqueológico de habitações data de 1900 a 1600 AEC. A colina de Kronion no local foi talvez o primeiro local de culto, dedicado a Cronos. No entanto, outros edifícios sagrados no sopé da colina no bosque sagrado de oliveiras selvagens, ou Altis, indicam que outras divindades eram adoradas, como Gaia, Themis, Afrodite e Pelops. Com a descida das tribos gregas ocidentais para o Peloponeso, porém, foi Zeus, pai dos deuses do Olimpo, que se tornaria a figura de culto dominante em Olímpia.

Propaganda

O primeiro grande edifício no local foi o Heraion, um templo dedicado a Hera construído por volta de 650-600 AC. No século 5 AEC, o santuário atingiu seu pico de prosperidade, e um enorme templo dórico de 6 x 13 colunas foi concluído em 457 aC para abrigar uma estátua de culto de Zeus. Desenhado por Libon de Elis, o templo era o maior da Grécia naquela época e media 64,12 m x 27,68 m com colunas de 10,53 m de altura. Os frontões do templo exibiam esculturas magníficas: no lado leste, a mítica corrida de carruagem entre Pélops e Oinomaos, e no frontão oeste uma Centauromaquia com a majestosa figura central de Apolo. Metopes do templo representavam os trabalhos de Hércules. A estátua de Zeus dentro do templo era de Fídias (que havia trabalhado no Partenon e na estátua de Atenas) e era uma representação de ouro e marfim de Zeus de 12 m de altura sentado em um trono e considerado uma das Sete Maravilhas do Antigo Mundo. Outros projetos de construção importantes ao longo dos séculos incluíram banhos e uma piscina (século 5 a.C.), o novo estádio com diques para os espectadores (meados do século 4 a.C.), um Palaistra (Século III aC), um ginásio (Século 2 aC), hipódromo (780 m de comprimento), a grande Leonidaion ou casas de hóspedes (330 aC) e Theikoloi (residência do sacerdote).

Os eventos esportivos foram originalmente associados a rituais fúnebres, por exemplo, os jogos fúnebres instigados por Aquiles em homenagem a Patroklos em Homero. Ilíada. Alguns relatos mitológicos atribuem a Zeus o início dos Jogos para celebrar sua vitória sobre Cronos, outros relatos afirmam que Pélops os iniciou em homenagem a Oinomaos. Em qualquer caso, o esporte, um corpo saudável e o espírito competitivo foram uma grande parte da educação grega, e por isso não é de se surpreender que competições atléticas organizadas fossem criadas em algum momento.

Propaganda

Os primeiros Jogos Olímpicos foram realizados em 776 AEC, na primeira lua cheia após o solstício de verão. O vencedor do primeiro e único evento, o estádio corrida a pé (um comprimento da pista do estádio, 600 pés ou 192 m), foi Koroibos de Elis, e a partir de então todos os vencedores foram registrados e cada Olimpíada com o seu nome, dando-nos assim a primeira cronologia precisa do mundo grego. Durante uma trégua pan-helênica de três meses, atletas e cerca de 40.000 espectadores vieram de toda a Grécia para participar dos Jogos. Indivíduos e cidades-estados trouxeram ofertas a Zeus que incluíam dinheiro, estátuas (incluindo a magnífica Nike de Paionios, c. 424 AC, e o Hermes de Praxiteles, final do século 4 AC), tripés de bronze, escudos, capacetes e armas resultando em Olympia se tornando um museu vivo de arte e cultura grega. Muitas cidades também construíram tesouros - edifícios pequenos, mas impressionantes, para abrigar suas ofertas e aumentar o prestígio de sua cidade.

Com o tempo, outros eventos foram adicionados aos Jogos, como corridas mais longas, luta livre, boxe, corrida de bigas, disco, dardo, salto e pentatlo. No seu pico, ocorreram 18 eventos espalhados ao longo de cinco dias. No entanto, sempre foi o original estádio que permaneceu o evento mais importante. Os vencedores ganharam coroas de folhas de oliveira e um ramo de oliveira cortado do bosque assustado, mas muito mais importante, eles ganharam glória, fama e, em um sentido muito real, a imortalidade histórica.

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

Um segundo evento importante realizado em Olympia foram os Jogos de Heraia para mulheres, realizados a cada quatro anos em homenagem à deusa, Hera. Crianças, adolescentes e mulheres jovens correram em corridas a pé separadas ao longo de 500 pés da pista do estádio (160 m). Os prêmios para os vencedores incluíam coroas de oliveira e o direito de colocar um retrato de si mesmos no local. A responsabilidade pela organização de ambos os Jogos e pela manutenção do local quando não estiver em uso é da Eleans.

Os Jogos continuaram durante o período helenístico com a notável adição arquitetônica do Philippeion, um edifício circular com colunatas erguido por Filipe II da Macedônia que continha estátuas de ouro da família real (c. 338 aC). Os romanos, embora dando pouca importância ao significado religioso dos Jogos, continuaram a tê-los em alta conta e, apesar da tentativa de Sulla em 80 aC de mover permanentemente os Jogos para Roma, continuaram a embelezar Olímpia com novos edifícios, banhos aquecidos, fontes (notavelmente o Nymphaion of Herodes Atticus, 150 DC) e estátuas. O mais famoso é que o imperador Nero se esforçou para conquistar a glória da vitória olímpica em 67 dC, competindo e vencendo, sem surpresa, todos os eventos em que participou.

Propaganda

Com o decreto do imperador Teodósio de proibir todas as práticas de culto, os Jogos chegaram ao fim em 393 dC, após uma série de 293 Olimpíadas ao longo de mais de um milênio. O local gradualmente entrou em declínio, foi parcialmente destruído pelo decreto do imperador Teodósio II em 426 EC e foi assumido por uma comunidade cristã que construiu uma basílica no local no início do período bizantino. Terremotos em 522 e 551 CE destruíram grande parte das ruínas restantes, e o lodo dos rios Alfeios e Kladeos próximos cobriu o local até sua redescoberta em 1829 CE pela Missão Arqueológica Francesa e escavação sistemática pelo Instituto Arqueológico Alemão de 1875 CE.


Olympia - História

Olympia é uma das pinturas mais famosas do renomado pintor Édouard Manet. A obra-prima é uma pintura a óleo feita sobre tela. As dimensões das pinturas são 51 por 74,8 polegadas. o Olympia foi pintado em 1863 e foi obtido pela França em 1890. Atualmente é exibido no Musée d & # 8217Orsay, Paris.

Manet e as controvérsias

As obras de Manet se tornaram sinônimos de polêmica. Seu trabalho anterior, The Luncheon on the Grass, havia criado alvoroço. Sua nova pintura chamada Olympia foi exibido pela primeira vez em 1865. Ele criou um furor muito maior, uma vez que os conformistas e conservadores da sociedade de então ficaram horrorizados com a nudez descarada retratada na pintura. Foi prontamente rotulado como obscenamente vulgar.

A obra de arte foi exibida pela primeira vez no Salão de Paris. O governo de lá teve que tomar medidas extras de segurança para evitar que os linha-dura o destruíssem. No entanto, nem todos eram contra o trabalho de Manet. Ele também tinha apoiadores que apreciavam sua pintura da mulher nua como uma forma de representação do artista do mundo real.

Razão de Desdém

O público daquela época não conseguia digerir a exposição descarada que Manet pintara. Não era tanto a nudez que horrorizava as pessoas. Os espectadores ficaram escandalizados com o olhar descarado do artista para a mulher. Tem um olhar mais desafiador, o de uma cortesã & # 8217s, com o qual as pessoas não gostariam de se relacionar. A representação inteira era ousada e um pouco demais para ser aceita pela sociedade conservadora do século XIX.

A pintura

Olympia é como todo mundo sabe uma pintura nua. O artista não fez nenhuma tentativa de encobrir a nudez. Ele talvez quisesse dramatizar o efeito porque bem ao lado da mulher nua está uma empregada totalmente vestida. O artista de fato criou um contraste gritante que é gritante e torna a nudez mais aparente. Vários detalhes da pintura apontam que a modelo escolhida por Manet era uma cortesã.

A mulher totalmente despida é mostrada deitada em uma estola oriental em um sofá. Uma empregada está ao lado dela com um grande buquê de flores. A expressão no rosto das empregadas é curiosamente normal. Não há nenhuma sensação de desconforto em estar ao lado de uma mulher nua que obviamente está posando para a pintura nua. Isso é interessante, pois a sociedade daquela época não era tão liberada como a encontramos hoje.

A modelo usa uma orquídea no cabelo. Há um cordão preto em volta do pescoço, que destaca sua pele pálida. Uma pulseira e brincos de pérola são seus outros adornos. Ela usa um chinelo de alça azul em um pé enquanto o outro está descuidadamente removido.

A mão do sujeito cobre suas partes íntimas, embora seus seios estejam expostos. Não há um sinal de estranheza quando ela posa nua. Parece óbvio que ela sente sua supremacia sobre todos ao seu redor. O gato preto é um símbolo da profissão da mulher que é a prostituição.

Em seu estilo Manet's Olympia divaga do padrão teórico. Ele usou pinceladas largas em vez de tons de cores suaves usados ​​por seus contemporâneos para pintar nus. Olympia ainda é apreciado como uma bela obra de arte.


Olympia - História

De competições de boxe sem classificação de peso ou pontuação a corridas de carruagem onde o perigo espreitava em cada esquina, é fácil ver por que os Jogos Antigos encantaram os gregos por tanto tempo. Aqui, damos-lhe os detalhes essenciais, destacando nossos fatos favoritos.

Cheios de sangue, paixão e feitos extraordinários de esforço atlético, os Jogos Olímpicos foram o destaque esportivo, social e cultural do calendário da Grécia Antiga por quase 12 séculos.

"É difícil para nós exagerar a importância das Olimpíadas para os gregos", disse Paul Christesen, professor de História da Grécia Antiga no Dartmouth College, nos Estados Unidos.

& ldquoO exemplo clássico é que, quando os persas invadiram a Grécia no verão de 480 (aC), muitas cidades-estados gregas concordaram que reunissem um exército aliado, mas tiveram muita dificuldade em reunir um, porque muitas pessoas queriam vá para as Olimpíadas. Então, eles realmente tiveram que atrasar em reunir o exército para defender o país contra os persas. & Rdquo

Com a ameaça de invasão ou não, os Jogos aconteciam a cada quatro anos, de 776 aC a pelo menos 393 dC. Todos os homens gregos livres foram autorizados a participar, desde trabalhadores agrícolas até herdeiros reais, embora a maioria dos olímpicos fosse soldados. As mulheres não podiam competir ou mesmo comparecer. Havia, no entanto, uma brecha nessa regra misógina e os donos de carruagens, e não os cavaleiros, eram declarados campeões olímpicos e qualquer um poderia ter uma carruagem. Kyniska, filha de um rei espartano, aproveitou-se disso, reivindicando coroas de vitória em 396 AC e 392 AC.

No fundo, os Jogos eram um festival religioso e uma boa desculpa para os gregos de toda a bacia do Mediterrâneo se reunirem para um churrasco turbulento. No meio do dia do festival, um vasto número de vacas foi abatido em homenagem a Zeus, Rei dos Deuses Gregos & ndash, uma vez que ele teve uma pequena prova, o resto foi para o povo.

Nos primeiros 250 anos ou mais, toda a ação ocorreu no santuário de Olímpia, situado no noroeste do Peloponeso. Marcado por oliveiras, de onde foram cortadas as coroas da vitória, e apresentando um altar para Zeus, era um local extremamente assustador.

Os Jogos duraram cinco dias inteiros no século V aC e viram eventos de corrida, salto e lançamento, além de boxe, luta livre, pankration e corridas de carruagem. Pelo menos 40.000 espectadores lotariam o estádio todos os dias no auge da popularidade dos Jogos e rsquo, no século II dC, com muitos mais vendendo seus produtos do lado de fora.


Olympia - História

Mitologia

Os Jogos Olímpicos da Antiguidade

Os Eventos Esportivos
Como um lugar sagrado usado regularmente em cerimônias religiosas, além de receber os Jogos Antigos, Olímpia estava no centro da civilização grega. O renomado especialista Paul Christesen oferece ao Olympic.org uma visão única do Olympia e de como o site mudou com o crescimento dos Jogos.

"Em seu coração, os Jogos Olímpicos Antigos eram um festival religioso realizado em um santuário religioso", explicou Paul Christesen, professor de História da Grécia Antiga no Dartmouth College, nos Estados Unidos.

Como disse Christesen, “não era apenas uma questão de praticar esportes”. E o centro desse conceito era o próprio site. Olympia ficava no canto noroeste do Peloponeso (atualmente na região da Grécia Ocidental).

Diz-se que Zeus, Rei dos Deuses Gregos, fixou residência em Olímpia por volta de 1200 AC, quando os Eleans conquistaram a área circundante. A temível divindade marcou sua ascensão lançando um raio no bosque sagrado de sua casa no topo do Monte Olimpo.

A cidade-estado de Elis, cujo centro administrativo ficava a cerca de um dia de caminhada ao norte de Olympia, administrou os Jogos durante a maior parte de seu ciclo de vida, com os Eleans assumindo o controle total de seus rivais locais, os Pisatans em 572 AC. Apesar do estádio acomodar mais de 40.000 pessoas durante o auge da popularidade dos Jogos e da popularidade no segundo século DC, ele sempre permaneceu como um ambiente profundamente rural.

& ldquoSabemos que eles plantaram trigo no estádio & rdquo Christesen disse. “Era um grande espaço vazio que não estava sendo usado na maior parte do tempo, então, exceto na preparação para os Jogos, quando eles limparam tudo, era apenas um campo de trigo.”

Da primeira edição em 776 aC até 550 aC, os Jogos aconteceram dentro do próprio santuário. A sagrada oliveira de Zeus, da qual as coroas da vitória foram cortadas, marcou a linha de chegada para todas as raças. O primeiro estádio, um empreendimento simples usando os aterros naturais das colinas circundantes, também permaneceu dentro da área deificada. A descoberta de mais de 150 poços que datam dessa época indica que, mesmo no início da vida dos Jogos Olímpicos, eles atraíram considerável atenção.

Em meados do século IV aC, a terceira encarnação do estádio foi construída. Espaçoso e com a aparência de um local mais moderno, o público cresceu cerca de 50%. A posição do estádio havia sido alterada, com os eventos não terminando mais no altar de Zeus.

No entanto, o local não perdeu nada de sua potência religiosa durante a grande maioria dos mais de 1000 anos dos Jogos Antigos, sua diversidade sendo a chave para sua sobrevivência.

"Os gregos eram agressivamente politeístas", disse Christesen. & ldquoAssim, embora Olympia seja um santuário para Zeus, sabemos que ele não era a única divindade adorada no local. Havia mais de 70 altares diferentes, você poderia sacrificar para praticamente qualquer um que quisesse. & Rdquo

Enquanto os Eleans mantinham uma presença permanente em Olympia, realizando sacrifícios mensais, o local passou, durante uma semana por ano, de um idílio essencialmente pacífico para o centro louco e turbulento da Grécia.

& ldquoQualquer pessoa que quisesse obter um grande público de todo o mundo grego apareceu em Olympia. Pintores, artistas e oradores iam todos lá para expor seus produtos ”, disse Christesen.

& ldquoSabemos que houve um caos total durante uma semana porque qualquer pessoa que quisesse aumentar sua visibilidade, este era o lugar e a hora para fazê-lo. & rdquo

A quarta encarnação do estádio veio no primeiro século quando, impulsionada pelo retorno das corridas de bigas ao programa em 17 dC, a popularidade dos Jogos disparou. O interesse atingiu o auge no século seguinte e a quinta e última renovação ocorreu.

Ao longo dessas reencarnações, o comprimento da pista no estádio permaneceu constante. Há muitas histórias sobre por que ele sempre media 600 pés / 192,2 m, com a mais encantadora sendo que essa era a distância que o herói Hércules poderia correr com uma única respiração.

Além da competição, o treinamento ocorreu no Olympia. No início, isso acontecia ao ar livre, mas durante o período helenístico (323 aC-31 aC), a palestra e o ginásio foram construídos. Lar de praticantes de luta livre, boxe, pankration e salto em distância, a principal atração da palestra era um grande pátio interno quadrado. Era ladeado por colunatas e possuía um amplo sistema de banhos nas salas contíguas. O ginásio era um retângulo alongado com espaço para os lançadores de dardo e disco fazerem suas coisas. Ambos os edifícios eram centros de debate intelectual e aprendizagem, com filósofos e professores aproveitando a sombra e a abundância de mentes jovens.

No período romano, essas instalações de treinamento, juntamente com o resto do local, haviam se tornado, além do aspecto religioso, uma atração turística o ano todo.

"As pessoas colocaram grandes obras de arte extravagantes e dedicatórias, por isso se tornou um local famoso para ver a arte grega", disse Christesen. & ldquoCertamente, no período romano, havia pessoas que ganhavam a vida como guias do local. & rdquo


Os antigos jogos olímpicos

Até que ponto na história as competições esportivas organizadas eram realizadas permanece uma questão de debate, mas é razoavelmente certo que elas ocorreram na Grécia há quase 3.000 anos. Embora de origem antiga, no final do século 6 aC, pelo menos quatro festivais esportivos gregos, às vezes chamados de "jogos clássicos", haviam alcançado grande importância: os Jogos Olímpicos, realizados em Olímpia, os Jogos Pítios em Delfos, os Jogos da Neméia em Nemea e os Jogos Ístmicos, realizados perto de Corinto. Mais tarde, festivais semelhantes foram realizados em cerca de 150 cidades tão distantes quanto Roma, Nápoles, Odesso, Antioquia e Alexandria.

De todos os jogos realizados na Grécia, os Jogos Olímpicos foram os mais famosos. Realizados a cada quatro anos entre 6 de agosto e 19 de setembro, eles ocuparam um lugar tão importante na história grega que, no final da Antiguidade, os historiadores mediam o tempo pelo intervalo entre eles - uma Olimpíada. Os Jogos Olímpicos, como quase todos os jogos gregos, eram uma parte intrínseca de um festival religioso. Eles foram celebrados em homenagem a Zeus em Olímpia pela cidade-estado de Elis, no noroeste do Peloponeso. O primeiro campeão olímpico listado nos registros foi Coroebus de Elis, um cozinheiro, que venceu a corrida de velocidade em 776 aC. As noções de que as Olimpíadas começaram muito antes de 776 aC são baseadas em mitos, não em evidências históricas. Segundo uma lenda, por exemplo, os Jogos foram fundados por Heracles, filho de Zeus e Alcmene.


Conteúdo

Os Estados Unidos sediaram os Jogos Olímpicos de verão quatro vezes: os Jogos de 1904 foram realizados em St. Louis, Missouri, os Jogos de 1932 e 1984 foram ambos realizados em Los Angeles, Califórnia, e os Jogos de 1996 foram realizados em Atlanta, Geórgia. Os Jogos de 2028 em Los Angeles marcarão a quinta ocasião em que os Jogos de Verão foram sediados pelos EUA.

Em 2012, o Reino Unido sediou seus terceiros Jogos Olímpicos de verão em Londres, que se tornou a primeira cidade a sediar os Jogos Olímpicos de verão três vezes. As cidades de Los Angeles, Paris e Atenas sediaram, cada uma, dois Jogos Olímpicos de verão. Em 2024, a França sediará seus terceiros Jogos Olímpicos de Verão em sua capital, tornando Paris a segunda cidade a sediar três Jogos Olímpicos de Verão. E em 2028, Los Angeles se tornará a terceira cidade a sediar os Jogos três vezes.

Austrália, França, Alemanha e Grécia sediaram os Jogos Olímpicos de verão duas vezes. O COI selecionou Tóquio, no Japão, para sediar os Jogos Olímpicos de 2020, quando seria a primeira cidade fora do mundo ocidental a sediar os Jogos Olímpicos mais de uma vez, tendo já sediado os Jogos em 1964. Os outros países a sediaram os Jogos Olímpicos de Verão são Bélgica, Brasil, China, Canadá, Finlândia, Itália, México, Holanda, Coreia do Sul, Espanha, União Soviética e Suécia, sendo que cada um desses países sediou os Jogos de Verão apenas uma vez.

A Ásia sediou os Jogos Olímpicos de Verão apenas três vezes: em Tóquio (1964), Seul (1988) e Pequim (2008). Devido à pandemia de COVID-19, os Jogos Olímpicos de Verão de 2020 em Tóquio, que seria a segunda vez que a cidade sediaria, foram adiados para doze meses a partir da data original programada. Tóquio será a primeira cidade fora das nações predominantemente anglófonas e europeias que geralmente hospedam os jogos a sediar os Jogos Olímpicos de Verão duas vezes [3]. Também será a maior cidade a sediar, tendo crescido consideravelmente desde 1964.

Os Jogos de 2016 no Rio de Janeiro, Brasil, foram os primeiros Jogos Olímpicos de Verão realizados na América do Sul e os primeiros realizados inteiramente durante a temporada de "inverno" local. Os dois únicos países do Hemisfério Sul que sediaram os Jogos Olímpicos de Verão foram a Austrália (1956 e 2000) e o Brasil (2016), sendo que a África ainda não sediou nenhum Jogos Olímpicos de Verão.

Estocolmo, na Suécia, sediou eventos em dois Jogos Olímpicos de Verão, tendo sido o único anfitrião dos Jogos de 1912 e hospedando os eventos equestres nos Jogos Olímpicos de Verão de 1956 (que são creditados como anfitriões em conjunto com Melbourne, Austrália). [4] Amsterdã, Holanda, também sediou eventos em dois Jogos Olímpicos de verão, tendo sido o único anfitrião dos Jogos de 1928 e anteriormente hospedando duas das regatas nos Jogos Olímpicos de Verão de 1920. Nos Jogos Olímpicos de 2008, Hong Kong forneceu os locais para os eventos equestres, que aconteceram em Sha Tin e Kwu Tung.

Edição dos primeiros anos

O Comitê Olímpico Internacional foi fundado em 1894, quando Pierre de Coubertin, um pedagogo e historiador francês, buscou promover o entendimento internacional por meio da competição esportiva. A primeira edição dos Jogos Olímpicos foi realizada em Atenas em 1896 e atraiu apenas 245 competidores, dos quais mais de 200 eram gregos, e apenas 14 países estavam representados. No entanto, nenhum evento internacional dessa magnitude havia sido organizado antes. Atletas femininas não podiam competir, embora uma mulher, Stamata Revithi, tenha corrido a maratona sozinha, dizendo "Se a comissão não me deixar competir, irei atrás delas de qualquer maneira". [5]

Os Jogos Olímpicos de Verão de 1896, oficialmente conhecidos como Jogos das Olimpíadas, foram um evento multiesportivo internacional celebrado em Atenas, na Grécia, de 6 a 15 de abril de 1896. Foram os primeiros Jogos Olímpicos realizados na era Moderna. Cerca de 100.000 pessoas compareceram para a abertura dos jogos. Os atletas vieram de 14 países, a maioria vindo da Grécia. Embora a Grécia tenha o maior número de atletas, os EUA terminaram com o maior número de campeões. 11 americanos ficaram em primeiro lugar em seus eventos contra os 10 da Grécia. [6] A Grécia Antiga foi o berço dos Jogos Olímpicos, conseqüentemente Atenas foi considerada uma escolha apropriada para sediar os Jogos modernos inaugurais. Foi escolhida por unanimidade como cidade-sede durante um congresso organizado por Pierre de Coubertin em Paris, em 23 de junho de 1894. O COI também foi estabelecido durante este congresso.

Apesar de muitos obstáculos e contratempos, as Olimpíadas de 1896 foram consideradas um grande sucesso. Os Jogos tiveram a maior participação internacional de qualquer evento esportivo até aquela data. O Estádio Panathinaiko, o primeiro grande estádio do mundo moderno, transbordou com a maior multidão de todos os tempos para assistir a um evento esportivo. [7] O destaque para os gregos foi a vitória na maratona de seu compatriota Spiridon Louis, um carregador de água. Ele venceu em 2 horas, 58 minutos e 50 segundos, dando início a grandes comemorações no estádio. O competidor de maior sucesso foi o lutador e ginasta alemão Carl Schuhmann, que conquistou quatro medalhas de ouro.

As autoridades gregas e o público ficaram entusiasmados com a experiência de sediar os Jogos Olímpicos. Esse sentimento foi compartilhado por muitos dos atletas, que até exigiram que Atenas fosse a cidade-sede permanente das Olimpíadas. O COI pretendia que os Jogos subsequentes fossem transferidos para várias cidades-sede em todo o mundo. A segunda Olimpíada foi realizada em Paris. [8]

Quatro anos depois, os Jogos Olímpicos de Verão de 1900 em Paris atraíram mais de quatro vezes mais atletas, incluindo 20 mulheres, que puderam competir oficialmente pela primeira vez em croquet, golfe, vela e tênis. Os Jogos foram integrados à Feira Mundial de Paris e duraram mais de 5 meses. Ainda é disputado quais eventos foram exatamente olímpico, já que poucos ou talvez nenhum dos eventos foram anunciados como tal na época.

As tensões causadas pela Guerra Russo-Japonesa e a dificuldade de chegar a St. Louis podem ter contribuído para o fato de que poucos atletas de alto escalão de fora dos Estados Unidos e Canadá participaram dos Jogos de 1904. [9]

Uma série de jogos menores foi realizada em Atenas em 1906. O COI atualmente não reconhece esses jogos como sendo Jogos Olímpicos oficiais, embora muitos historiadores reconheçam. Os jogos de Atenas de 1906 foram os primeiros de uma série alternada de jogos a serem realizados em Atenas, mas a série não se materializou. Os jogos tiveram mais sucesso do que os jogos de 1900 e 1904, com mais de 900 atletas competindo, e contribuíram positivamente para o sucesso dos jogos futuros.

Os Jogos de Londres de 1908 viram os números aumentarem novamente, assim como a primeira corrida da maratona em sua distância agora padrão de 42,195 km (26 milhas 385 jardas). A primeira maratona olímpica em 1896 (uma corrida apenas masculina) foi disputada a uma distância de 40 km (24 milhas 85 jardas). A nova distância da maratona foi escolhida para garantir que a prova terminasse na frente do box ocupado pela família real britânica. Assim, a maratona tinha sido de 40 km (24,9 mi) para os primeiros jogos em 1896, mas foi posteriormente variada em até 2 km (1,2 mi) devido às condições locais, como a rua e o layout do estádio. Nos seis jogos olímpicos entre 1900 e 1920, a maratona foi disputada em seis distâncias. Os Jogos viram a Grã-Bretanha ganhando 146 medalhas, 99 a mais do que os americanos em segundo lugar, seu melhor resultado até hoje.

No final da maratona de 1908, o corredor italiano Dorando Pietri foi o primeiro a entrar no estádio, mas ele estava claramente em perigo e desmaiou de exaustão antes de poder terminar o evento. Ele foi ajudado na linha de chegada por oficiais preocupados e mais tarde desclassificado por isso. Como compensação pela medalha perdida, a Rainha Alexandra deu a Pietri uma taça de prata dourada. Arthur Conan Doyle escreveu um relatório especial sobre a corrida no Correio diário. [10]

Os Jogos continuaram a crescer, atraindo 2.504 competidores a Estocolmo em 1912, incluindo o grande versátil Jim Thorpe, que venceu tanto o decatlo quanto o pentatlo. Thorpe já havia jogado alguns jogos de beisebol por uma taxa, e viu suas medalhas serem retiradas por essa "violação" do amadorismo, após reclamações de Avery Brundage. Eles foram reintegrados em 1983, 30 anos após sua morte. Os Jogos de Estocolmo foram os primeiros a concretizar a ideia original de Pierre de Coubertin. Pela primeira vez desde o início dos Jogos em 1896, todos os cinco continentes habitados foram representados com atletas competindo no mesmo estádio.

Os Jogos Olímpicos de Verão de 1916 programados foram cancelados após o início da Primeira Guerra Mundial.

Editar era entre guerras

Os jogos de 1920 na Antuérpia na Bélgica devastada pela guerra foram um assunto contido, mas novamente atraiu um número recorde de competidores. Esse recorde só durou até 1924, quando os Jogos de Paris envolveram 3.000 competidores, sendo o maior deles o corredor finlandês Paavo Nurmi. O "Flying Finn" conquistou três medalhas de ouro por equipe e as corridas individuais de 1.500 e 5.000 metros, as duas últimas no mesmo dia. [11]

Os jogos de Amsterdã de 1928 foram notáveis ​​por serem os primeiros jogos que permitiram às mulheres competir no atletismo de atletismo, e se beneficiaram muito da prosperidade geral da época ao lado da primeira aparição de patrocínio dos jogos, da Coca-Cola Company. Os jogos de 1928 viram a introdução de um design de medalha padrão com o COI escolhendo a representação de Giuseppe Cassioli da deusa grega Nike e um vencedor sendo carregado por uma multidão de pessoas. Este projeto foi usado até 1972. [ citação necessária ]

Os jogos de 1932 em Los Angeles foram afetados pela Grande Depressão, o que contribuiu para o baixo número de competidores.

Os Jogos de Berlim de 1936 foram vistos pelo governo alemão como uma oportunidade de ouro para promover sua ideologia. O Partido Nazista contratou o cineasta Leni Riefenstahl para filmar os jogos. O resultado, Olympia, foi amplamente considerado uma obra-prima, apesar das teorias de Hitler sobre a superioridade racial ariana serem repetidamente apresentadas por atletas "não-arianos". Em particular, o velocista e saltador afro-americano Jesse Owens ganhou quatro medalhas de ouro. Os Jogos de Berlim de 1936 também viram a introdução do Revezamento da Tocha. [12]

Devido à Segunda Guerra Mundial, os Jogos de 1940 (a serem realizados em Tóquio e temporariamente realocados para Helsinque após a eclosão da guerra) foram cancelados. Os Jogos de 1944 deveriam ser realizados em Londres, mas também foram cancelados. Londres sediou os primeiros jogos após o fim da guerra, em 1948.

Após a Segunda Guerra Mundial Editar

Os primeiros Jogos do pós-guerra foram realizados em 1948 em Londres, com a exclusão da Alemanha e do Japão. A velocista holandesa Fanny Blankers-Koen conquistou quatro medalhas de ouro na pista, emulando a conquista de Owens em Berlim.

Nos Jogos de 1952 em Helsinque, a equipe da URSS competiu pela primeira vez e imediatamente se tornou uma das equipes dominantes (terminando em segundo lugar tanto no número de medalhas de ouro quanto no total de medalhas). O sucesso imediato soviético pode ser explicado pelo advento do "atleta amador em tempo integral" patrocinado pelo estado. A URSS inscreveu equipes de atletas que eram todos nominalmente estudantes, soldados ou trabalhando em uma profissão, mas muitos dos quais eram, na verdade, pagos pelo Estado para treinar em tempo integral, violando, portanto, as regras dos amadores. [13] [14] A Finlândia tornou a lenda de um amável tenente do exército tchecoslovaco chamado Emil Zátopek, que pretendia melhorar suas únicas medalhas de ouro e prata de 1948. Tendo vencido as corridas de 10.000 e 5.000 metros pela primeira vez, ele também participou a maratona, apesar de nunca ter corrido até aquela distância. Ao conversar com os outros líderes, Zátopek liderou a partir da metade do caminho, perdendo lentamente os restantes adversários para vencer por dois minutos e meio e completou um trio de vitórias.

Os Jogos de Melbourne de 1956 foram bem-sucedidos, com exceção de uma partida de pólo aquático entre a Hungria e a União Soviética, que a invasão soviética da Hungria fez com que terminasse em uma batalha campal entre as equipes. Devido a um surto de febre aftosa na Grã-Bretanha na época e às rígidas leis de quarentena da Austrália, os eventos equestres foram realizados em Estocolmo.

Nos Jogos de Roma de 1960, um jovem boxeador meio-pesado chamado Cassius Clay, mais tarde conhecido como Muhammad Ali, entrou em cena. Mais tarde, Ali iria jogar sua medalha de ouro fora de desgosto, depois de ter sido recusado o serviço em um restaurante exclusivo para brancos em sua cidade natal de Louisville, Kentucky. [15] Ele foi premiado com uma nova medalha 36 anos depois nas Olimpíadas de 1996 em Atlanta. Outros artistas notáveis ​​em 1960 incluíram Wilma Rudolph, medalhista de ouro nas provas de revezamento de 100 metros, 200 metros e 4 × 100 metros.

Os Jogos de 1964, realizados em Tóquio, são notáveis ​​por anunciar a era moderna das telecomunicações. These games were the first to be broadcast worldwide on television, enabled by the recent advent of communication satellites. The 1964 Games were thus a turning point in the global visibility and popularity of the Olympics. Judo debuted as an official sport, and Dutch judoka Anton Geesink created quite a stir when he won the final of the open weight division, defeating Akio Kaminaga in front of his home crowd.

Performances at the 1968 Mexico City games were affected by the altitude of the host city. [16] The 1968 Games also introduced the now-universal Fosbury flop, a technique which won American high jumper Dick Fosbury the gold medal. In the medal award ceremony for the men's 200 meter race, black American athletes Tommie Smith (gold) and John Carlos (bronze) took a stand for civil rights by raising their black-gloved fists and wearing black socks in lieu of shoes. They were banned by the IOC. Věra Čáslavská, in protest to the 1968 Soviet-led invasion of Czechoslovakia and the controversial decision by the judges on the Balance Beam and Floor, turned her head down and away from the Soviet flag whilst the anthem played during the medal ceremony. She returned home as a heroine of the Czechoslovak people but was made an outcast by the Soviet-dominated government.

Politics again intervened at Munich in 1972, with lethal consequences. A Palestinian terrorist group named Black September invaded the Olympic village and broke into the apartment of the Israeli delegation. They killed two Israelis and held 9 others as hostages. The terrorists demanded that Israel release numerous prisoners. When the Israeli government refused their demand, a tense stand-off ensued while negotiations continued. Eventually, the captors, still holding their hostages, were offered safe passage and taken to an airport, where they were ambushed by German security forces. In the firefight that followed, 15 people, including the nine Israeli athletes and five of the terrorists, were killed. After much debate, it was decided that the Games would continue, but proceedings were obviously dominated by these events. [17] Some memorable athletic achievements did occur during these Games, notably the winning of a then-record seven gold medals by United States swimmer Mark Spitz, Lasse Virén (of Finland)'s back-to-back gold in the 5,000 meters and 10,000 meters, and the winning of three gold medals by Soviet gymnastic star Olga Korbut - who achieved a historic backflip off the high bar. Korbut, however, failed to win the all-around, losing to her teammate Ludmilla Tourischeva.

There was no such tragedy in Montreal in 1976, but bad planning and fraud led to the Games' cost far exceeding the budget. The Montreal Games were the most expensive in Olympic history, until the 2014 Winter Olympics, costing over $5 billion (equivalent to $22.03 billion in 2020). For a time, it seemed that the Olympics might no longer be a viable financial proposition. In retrospect, the belief that contractors (suspected of being members of the Montreal Mafia) skimmed large sums of money from all levels of contracts while also profiting from the substitution of cheaper building materials of lesser quality, may have contributed to the delays, poor construction and excessive costs. In 1988, one such contractor, Giuseppe Zappia "was cleared of fraud charges that resulted from his work on Olympic facilities after two key witnesses died before testifying at his trial". [18] There was also a boycott by many African nations to protest against a recent tour of apartheid-run South Africa by the New Zealand national rugby union team. The Romanian gymnast Nadia Comăneci won the women's individual all-around gold medal with two of four possible perfect scores, this giving birth to a gymnastics dynasty in Romania. She also won two other individual events, with two perfect scores in the balance beam and all perfect scores in the uneven bars. Lasse Virén repeated his double gold in the 5,000 meters and 10,000 meters, making him the first athlete to ever win the distance double twice.

End of the 20th century Edit

Following the Soviet Union's 1979 invasion of Afghanistan, 66 nations, including the United States, Canada, West Germany, and Japan, boycotted the 1980 games held in Moscow. Eighty nations were represented at the Moscow Games – the smallest number since 1956. The boycott contributed to the 1980 Games being a less publicised and less competitive affair, which was dominated by the host country.

In 1984 the Soviet Union and 13 Soviet allies reciprocated by boycotting the 1984 Summer Olympics in Los Angeles. Romania, notably, was one of the nations in the Eastern Bloc that did attend the 1984 Olympics. These games were perhaps the first games of a new era to make a profit. Although a boycott led by the Soviet Union depleted the field in certain sports, 140 National Olympic Committees took part, which was a record at the time. [19] The Games were also the first time mainland China (People's Republic) participated.

According to British journalist Andrew Jennings, a KGB colonel stated that the agency's officers had posed as anti-doping authorities from the IOC to undermine doping tests and that Soviet athletes were "rescued with [these] tremendous efforts". [20] On the topic of the 1980 Summer Olympics, a 1989 Australian study said "There is hardly a medal winner at the Moscow Games, certainly not a gold medal winner, who is not on one sort of drug or another: usually several kinds. The Moscow Games might as well have been called the Chemists' Games." [20]

Documents obtained in 2016 revealed the Soviet Union's plans for a statewide doping system in track and field in preparation for the 1984 Summer Olympics in Los Angeles. Dated prior to the country's decision to boycott the Games, the document detailed the existing steroids operations of the programme, along with suggestions for further enhancements. [21] The communication, directed to the Soviet Union's head of track and field, was prepared by Dr. Sergei Portugalov of the Institute for Physical Culture. Portugalov was also one of the main figures involved in the implementation of the Russian doping programme prior to the 2016 Summer Olympics. [21]

The 1988 games, in Seoul, was very well planned but the games were tainted when many of the athletes, most notably men's 100 metres winner Ben Johnson, failed mandatory drug tests. Despite splendid drug-free performances by many individuals, the number of people who failed screenings for performance-enhancing chemicals overshadowed the games.

The 1992 Barcelona Games featured the admittance of players from one of the North American top leagues, the NBA, exemplified by but not limited to US basketball's "Dream Team". The 1992 games also saw the reintroduction to the Games of several smaller European states which had been incorporated into the Soviet Union since World War II. At these games, gymnast Vitaly Scherbo set an inaugural medal record of five individual gold medals at a Summer Olympics, and equaled the inaugural record set by Eric Heiden at the 1980 Winter Olympics.

By then the process of choosing a location for the Games had become a commercial concern there were widespread allegations of corruption potentially affecting the IOC's decision process.

An the Atlanta 1996 Summer Olympics, the highlight was 200 meters runner Michael Johnson annihilating the world record in front of a home crowd. Canadians savoured Donovan Bailey's recording gold medal run in the 100-meter dash. This was popularly felt to be an appropriate recompense for the previous national disgrace involving Ben Johnson. There were also emotional scenes, such as when Muhammad Ali, clearly affected by Parkinson's disease, lit the Olympic torch and received a replacement medal for the one he had discarded in 1960. The latter event took place in the basketball arena. The atmosphere at the Games was marred, however, when a bomb exploded during the celebration in Centennial Olympic Park. In June 2003, the principal suspect in this bombing, Eric Robert Rudolph, was arrested.

The 2000 Summer Olympics was held in Sydney, Australia, and showcased individual performances by local favorite Ian Thorpe in the pool, Briton Steve Redgrave who won a rowing gold medal in an unprecedented fifth consecutive Olympics, and Cathy Freeman, an Indigenous Australian whose triumph in the 400 meters united a packed stadium. Eric "the Eel" Moussambani, a swimmer from Equatorial Guinea, received wide media coverage when he completed the 100 meter freestyle swim in by far the slowest time in Olympic history. He nevertheless won the heat as both his opponents had been disqualified for false starts. His female compatriot Paula Barila Bolopa also received media attention for her record-slow and struggling but courageous performance. The Sydney Games also saw the first appearance of a joint North and South Korean contingent at the opening ceremonies, though they competed as different countries. Controversy occurred in the Women's Artistic Gymnastics when the vaulting horse was set to the wrong height during the All-Around Competition.

Start of the 21st century and new millennium Edit

In 2004, the Olympic Games returned to their birthplace in Athens, Greece. At least $7.2 billion was spent on the 2004 Games, including $1.5 billion on security. Michael Phelps won his first Olympic medals, tallying six gold and two bronze medals. Pyrros Dimas, winning a bronze medal, became the most decorated weightlifter of all time with four Olympic medals, three gold and one bronze. Although unfounded reports of potential terrorism drove crowds away from the preliminary competitions at the first weekend of the Olympics (14–15 August 2004), attendance picked up as the Games progressed. A third of the tickets failed to sell, [22] but ticket sales still topped figures from the Seoul and Barcelona Olympics (1988 and 1992). [ citação necessária ] IOC President Jacques Rogge characterised Greece's organisation as outstanding and its security precautions as flawless. [23] All 202 NOCs participated at the Athens Games with over 11,000 participants.

The 2008 Summer Olympics was held in Beijing, People's Republic of China. Several new events were held, including the new discipline of BMX for both men and women. Women competed in the steeplechase for the first time. The fencing programme was expanded to include all six events for both men and women previously, women had not been able to compete in team foil or sabre events, although women's team épée and men's team foil were dropped for these Games. Marathon swimming events were added, over the distance of 10 km (6.2 mi). Also, the doubles events in table tennis were replaced by team events. [24] American swimmer Michael Phelps set a record for gold medals at a single Games with eight, and tied the record of most gold medals by a single competitor previously held by both Eric Heiden and Vitaly Scherbo. Another notable star of the Games was Jamaican sprinter Usain Bolt, who became the first male athlete ever to set world records in the finals of both the 100 and 200 metres in the same Games. Equestrian events were held in Hong Kong.

London held the 2012 Summer Olympics, becoming the first city to host the Olympic Games three times. In his closing address, Jacques Rogge described the Games as "Happy and glorious". The host nation won 29 gold medals, the best haul for Great Britain since the 1908 Games in London. The United States returned to the top of the medal table after China dominated in 2008. The IOC had removed baseball and softball from the 2012 programme. The London Games were successful on a commercial level because they were the first in history to completely sell out every ticket, with as many as 1 million applications for 40,000 tickets for both the Opening Ceremony and the 100m Men's Sprint Final. Such was the demand for tickets to all levels of each event that there was controversy over seats being set aside for sponsors and National Delegations which went unused in the early days. A system of reallocation was put in place so the empty seats were filled throughout the Games.

Rio de Janeiro in Brazil hosted the 2016 Summer Olympics, becoming the first South American city to host the Olympics, the second Olympic host city in Latin America, after Mexico City in 1968, as well as the third city in the Southern Hemisphere to host the Olympics after Melbourne, Australia, in 1956 and Sydney, Australia, in 2000. The preparation for these Games was overshadowed by controversies, including the political instability of Brazil's federal government the country's economic crisis health and safety concerns surrounding the Zika virus and significant pollution in the Guanabara Bay and a state-sponsored doping scandal involving Russia, which affected the participation of its athletes in the Games. [25]

The 2020 Summer Olympics were originally scheduled to take place from 24 July to 9 August 2020 in Tokyo, Japan. The city will be the fifth in history to host the Games twice, and the first Asian city to have this title. Due to the COVID-19 pandemic, Japanese prime minister Shinzo Abe, the IOC and the Tokyo Organizing Committee announced that the 2020 Games were to be delayed until 2021, marking the first time that the Olympic Games have been postponed. [26] [27]

There has been a total of 42 sports, spanning 55 disciplines, included in the Olympic programme at one point or another in the history of the Games. The schedule has comprised 28 sports for three of the most recent Summer Olympics (2004, 2008, and 2016) the 2012 Games featured 26 sports because of the removal of baseball and softball. [28]

The various Olympic Sports federations are grouped under a common umbrella association, called the Association of Summer Olympic International Federations (ASOIF).

Qualification Edit

Qualification rules for each of the Olympic sports are set by the International Sports Federation (IF) that governs that sport's international competition. [29]

For individual sports, competitors typically qualify by attaining a certain place in a major international event or on the IF's ranking list. There is a general rule that a maximum of three individual athletes may represent each nation per competition. National Olympic Committees (NOCs) may enter a limited number of qualified competitors in each event, and the NOC decides which qualified competitors to select as representatives in each event if more have attained the benchmark than can be entered. [29] [30]

Nations most often qualify teams for team sports through continental qualifying tournaments, in which each continental association is given a certain number of spots in the Olympic tournament. Each nation may be represented by no more than one team per competition a team consists of just two people in some sports.

Popularity of Olympic sports Edit

Summer Olympic sports are divided into five categories (A – E) based on popularity, gauged by six criteria: television viewing figures (40%), internet popularity (20%), public surveys (15%), ticket requests (10%), press coverage (10%), and number of national federations (5%). The category of a sport determines the share of Olympic revenue received by that sport's International Federation. [31] [32] Sports that were new to the 2016 Olympics (rugby and golf) have been placed in Category E.

The current categories are:

Gato. Não. Sport
UMA 3 athletics, aquatics, [a] gymnastics
B 5 basquete, ciclismo, futebol, tênis, voleibol
C 8 tiro com arco, badminton, boxe, judô, remo, tiro, tênis de mesa, levantamento de peso
D 9 canoa / caiaque, hipismo, esgrima, handebol, hóquei em campo, vela, taekwondo, triatlo, luta livre
E 3 modern pentathlon, golf, rugby
F 6 baseball/softball, breaking, karate, skateboarding, sport climbing, surfing

a Aquatics encompasses artistic swimming, diving, swimming, and water polo.


Olympia - History

Édouard Manet. 1863 C.E. Oil on canvas. Realism, movement towards impressionism

Imperfect, harsh style depicting a woman in a manner that does not fit the classical “ideal” and ethereal image of the body

Flatly painted, poorly contoured, abrupt shift in tonality, lacking depth and washed out

No vanishing point or recognizable perspective- hard to understand in space

Loose, choppy brush strokes (clearly a painted representation)

Rebel from previous convention and depict harsh realities of Parisian life

Ordinary people and unglamorous prostitution

Commentary on racial divisions and the class system in Paris

Nude woman reclining on a chaise lounge with a black cat at her feet

She stares with a cold, stark, indifferent expression at the viewer

A black female servant stands behind her holding a bouquet of flowers (a gift for the prostitute from a client)

Highlights the french colonial mindset and injustice in society

the stark contrast of the black skin from the white highlighted racial division

Depicts the world of Parisian prostitution

Depicted marginalized people in society rather than the traditional Bourgeois and aristocratic subjects

This is a salon painting (academic painting) that defied tradition creating an artistic revolution

This received extreme negative reviews from critics in 1865 at the Parisian Salon

It “bewildered” the Parisians and was seen as scandalous and an insult to tradition, caused unease amongst viewers because he shamelessly and obviously depicts a defiant looking prostitute, which unnerved viewers

Both a nude prostitute and a black maid was seen as inferior and animalistic sexuality

Manet mocked the revitalization of classical style by using a contemporary, ordinary subject. He suggested that the classical past no longer had relevance in the modern world.

Manet rejected controlled brush strokes and seamless illusionism

Time of the industrial revolution (linked to the separation from the outdated, classical past)

He recreated the Venus of Urbino but Manet’s creation was believed to be disrespectful and insulting to it

Manet referred to as the father of impressionism, his “rebellious” style inspired future work

Considered the first modernist painter in his technique and subjects

Manet’s realist predecessor was Gustave Courbet and drew inspiration from Velasquez and Goya and Dutch painters

The model was Victorine Meurent

Manet highlighted the injustice of colonial viewpoints, the anxieties of the class system (since many rural people moved to the growing cities), and the uncertainty of the modern world


The History of the Olympic Games

Compare the ancient Olympics to the modern games. Plus, learn how money, politics, and performance-enhancing drugs have become major influences, often causing controversy.

The Olympic Games are an international sports festival that began in ancient Greece. The original Greek games were staged every fourth year for several hundred years, until they were abolished in the early Christian era. The revival of the Olympic Games took place in 1896, and since then they have been staged every fourth year, except during World War I and World War II (1916, 1940, 1944).

Perhaps the basic difference between the ancient and modern Olympics is that the former was the ancient Greeks' way of saluting their gods, whereas the modern Games are a manner of saluting the athletic talents of citizens of all nations. The original Olympics featured competition in music, oratory, and theater performances as well. The modern Games have a more expansive athletic agenda, and for 2 and a half weeks they are supposed to replace the rancor of international conflict with friendly competition. In recent times, however, that lofty ideal has not always been attained.

The Ancient Olympics

The earliest reliable date that recorded history gives for the first Olympics is 776 B.C., although virtually all historians presume that the Games began well before then.

It is certain that during the midsummer of 776 B.C. a festival was held at Olympia on the highly civilized eastern coast of the Peloponnesian peninsula. That festival remained a regularly scheduled event, taking place during the pre-Christian golden age of Greece. As a testimony to the religious nature of the Games (which were held in honor of Zeus, the most important god in the ancient Greek pantheon), all wars would cease during the contests. According to the earliest records, only one athletic event was held in the ancient Olympics &mdash a footrace of about 183 m (200 yd), or the length of the stadium. A cook, Coroibus of Elis, was the first recorded winner. The first few Olympics had only local appeal and were limited to one race on one day only men were allowed to compete or attend. A second race &mdash twice the length of the stadium &mdash was added in the 14th Olympics, and a still longer race was added to the next competition, four years later.

When the powerful, warlike Spartans began to compete, they influenced the agenda. The 18th Olympiad included wrestling and a pentathlon consisting of running, jumping, spear throwing (the javelin), discus throwing, and wrestling. Boxing was added at the 23rd Olympiad, and the Games continued to expand, with the addition of chariot racing and other sports. In the 37th Olympiad (632 B.C.) the format was extended to five days of competition.

The growth of the Games fostered "professionalism" among the competitors, and the Olympic ideals waned as royalty began to compete for personal gain, particularly in the chariot events. Human beings were being glorified as well as the gods many winners erected statues to deify themselves. In A.D. 394 the Games were officially ended by the Roman emperor Theodosius I, who felt that they had pagan connotations.

The Modern Olympics

The revival of the Olympic Games in 1896, unlike the original Games, has a clear, concise history. Pierre de Coubertin (1863&ndash1937), a young French nobleman, felt that he could institute an educational program in France that approximated the ancient Greek notion of a balanced development of mind and body. The Greeks themselves had tried to revive the Olympics by holding local athletic games in Athens during the 1800s, but without lasting success. It was Baron de Coubertin's determination and organizational genius, however, that gave impetus to the modern Olympic movement. In 1892 he addressed a meeting of the Union des Sports Athlétiques in Paris. Despite meager response he persisted, and an international sports congress eventually convened on June 16, 1894. With delegates from Belgium, England, France, Greece, Italy, Russia, Spain, Sweden, and the United States in attendance, he advocated the revival of the Olympic Games. He found ready and unanimous support from the nine countries. De Coubertin had initially planned to hold the Olympic Games in France, but the representatives convinced him that Greece was the appropriate country to host the first modern Olympics. The council did agree that the Olympics would move every four years to other great cities of the world.

Thirteen countries competed at the Athens Games in 1896. Nine sports were on the agenda: cycling, fencing, gymnastics, lawn tennis, shooting, swimming, track and field, weight lifting, and wrestling. The 14-man U.S. team dominated the track and field events, taking first place in 9 of the 12 events. The Games were a success, and a second Olympiad, to be held in France, was scheduled. Olympic Games were held in 1900 and 1904, and by 1908 the number of competitors more than quadrupled the number at Athens &mdash from 311 to 2,082.

Beginning in 1924, a Winter Olympics was included &mdash to be held at a separate cold-weather sports site in the same year as the Summer Games &mdash the first held at Chamonix, France. In 1980 about 1,600 athletes from 38 nations competed at Lake Placid, N.Y., in a program that included Alpine and Nordic skiing, biathlon, ice hockey, figure skating and speed skating, bobsled, and luge.

But the Summer Games, with its wide array of events, are still the focal point of the modern Olympics. Among the standard events are basketball, boxing, canoeing and kayaking, cycling, equestrian arts, fencing, field hockey, gymnastics, modern pentathlon, rowing, shooting, soccer, swimming and diving, tennis, track and field, volleyball, water polo, weight lifting, wrestling (freestyle and Greco-Roman), and yachting. New sports are added to the roster at every Olympic Games among the more prominent are baseball, martial arts, and most recently triathlon, which was first contested at the 2000 Games. The Games are governed by the International Olympic Committee (IOC), whose headquarters is in Lausanne, Switzerland.

The Summer and Winter Games were traditionally held in the same year, but because of the increasing size of both Olympics, the Winter Games were shifted to a different schedule after 1992. They were held in Lillehammer, Norway in 1994, in Nagano, Japan in 1998, in Salt Lake City, Utah in 2002, in Turin, Italy in 2006, and in 2010, Vancouver, British Columbia, Canada.

Politics and the Olympics

The ideology of nationalism, which swept the world during the early 20th century, left its mark on the Olympics. Athletic nationalism was brought to a peak by Nazi Germany, which staged the 1936 Games in Berlin and used the Olympics to propagandize its cause. The Germans built a powerful team through nationalized training and scientific advances and dominated the Games in terms of medals won.

The political overtones of the Olympics did not lessen with the fall of Nazi Germany. In 1956, Egypt, Iraq, and Lebanon boycotted the Melbourne Games to protest the Anglo-French seizure of the Suez Canal, and the Netherlands, Spain, and Switzerland boycotted as well to protest the USSR's invasion of Hungary. In Mexico City in 1968, two African American runners used the victory pedestal to protest U.S. racial policies. In the Munich Olympics in 1972, 11 Israeli athletes were massacred by Palestinian terrorists. And in 1976 in Montreal, 33 African nations, to be represented by about 400 athletes, boycotted the Games to protest South Africa's apartheid policies.

The most serious disruptions to the modern Olympics, however, occurred in 1980 and 1984. In 1980, under strong pressure from the Carter administration, the U.S. Olympic Committee voted to boycott the Summer Games in Moscow to protest the 1979 Soviet invasion of Afghanistan. About 40 nations followed suit, including West Germany, China, and Japan, depriving the Soviets of their chief athletic competition and raising doubts about the future of the Olympic movement. Although the 1984 Winter Games, in Sarajevo, Yugoslavia, proceeded without boycotts, the Summer Games, in Los Angeles, were undercut by an Eastern-bloc boycott led by the USSR. Fear of an openly hostile environment in Los Angeles was cited by the Soviet Olympic Committee as the reason for nonparticipation, but most commentators believed the reasons to be political: the poor state of recent U.S.-Soviet relations, revenge for the U.S. boycott in 1980, and possible embarrassment to the Soviets on worldwide television caused by planned anti-Soviet demonstrations and defections of Eastern-bloc athletes. The popularity and financial success of the 1984 Los Angeles Games were, however, greater than anticipated.

In 1988 the Winter Games &mdash in Calgary, Alberta, Canada &mdash went on without incident. At the Summer Games, in Seoul, South Korea, only six nations (including Cuba and North Korea) boycotted, and the focus returned to the athletes.The 1992 Winter and Summer Games (in Albertville, France, and Barcelona, Spain, respectively) were the first Olympics without the Eastern-bloc sports machine, were the last for the "Unified Teams" from the former USSR, and marked the return of South Africa to Olympic competition. The 1996 Summer Games, in Atlanta, Ga., were the largest ever they were marred by a bombing that took the lives of two people. The 1994 and 1998 Winter Games transpired without incident. The 2000 Summer Games were held in Sydney, Australia, to great acclaim. In Sydney, politics took a back seat to the competition, although North and South Korea were temporarily reunited as their athletes marched as one country in the opening ceremonies. Athens, Greece &mdash site of the first modern Olympics &mdash was the site of the Summer Games in 2004. Though it has potential for political controversies due to its rapid modernization and its communist state-Beijing, China was selected for the 2008 Summer Games.

Money and the Olympics

The biggest influence on the modern Olympic Games is money. Commercialism exists side by side with the outstanding athleticism and the spirit of friendship imbuing competitors from around the world. Since the 1984 Games in Los Angeles, it has become clear that a city hosting the Games can anticipate a financial windfall, as spectators and sponsors converge for the event. Because of the tremendous potential for profit, the process of selecting host cities has become politicized, and there is a large potential for corruption. In fact, a scandal erupted in late 1998, when it was found that promoters involved with Salt Lake City's (winning) bid for the 2002 Winter Games had bribed IOC members, who were forced to resign the Nagano and Sydney bids were also under suspicion of bribery.

Athletes, too, especially in the "glamour sports" such as gymnastics, ice skating, or track and field, can reap tremendous financial gains for winning performances, through product endorsements and personal appearances. Originally, Olympic athletes were expected to remain strictly amateurs and not earn money even for endorsing products. However, by the last decades of the 20th century, professionalism among competitors received official acceptance, as the IOC finally recognized that many world-class athletes were already functioning as professionals. At the elite level of competition in many Olympic sports, the athlete must devote him- or herself entirely to the sport, all but precluding the holding of a full-time job.

The end of amateurism began in 1960s in the Communist countries, where top athletes were supported by the state, but were officially considered amateurs. To counter this, in the 1970s and 1980s athletes in non-Communist countries sought out corporate sponsors, in effect becoming "employees" of the sponsor. By the late 1980s, restrictions were eased on athletes earning prize money at their sports, and professional athletes were permitted to represent their countries at the Olympics. This now includes the star athletes who play in the American professional leagues, such as the U.S. basketball "Dream Team" of National Basketball Association superstars who dominated the 1992 Olympic competition. In addition, with IOC rules concerning amateurism vacated, many medal-winning contestants have cashed in on their Olympic fame with product endorsements or performance tours.

Performance-Enhancing Drugs

Winning medals at the Olympic Games has always been considered the most prestigious mark of an athlete, and a source of glory for the athlete's country. This has led to the use of performance-enhancing drugs by athletes, intentionally or otherwise, despite the health risks to the athlete and IOC rules prohibiting the use of these substances. The types of drugs banned include stimulants (which can be found in common cold and cough medications caffeine is also banned), narcotics, anabolic steroids, diuretics, certain hormones (such as human growth hormone), and in some sports, beta blockers. The testing of athletes for drug use began for the Olympics in 1968, at the Mexico City Games, but did not become widespread until the 1972 Games. Over the years, as drugs such as human growth hormone have been developed, tests have been added for newer drugs.

With such great rewards at stake, there are athletes and even national sports programs willing to use performance-enhancing drugs despite the risks to future health and the disgrace of getting caught. The best-known example of drug use is the East German sports federation, which had a systematic program for giving its athletes steroids from 1974 to 1989. During that time East German women suddenly dominated events such as swimming, winning medals in 11 of 13 events both in 1976 and 1980. Other swimmers suspected that the East German women were using steroids, because the drugs affected their physical appearance, but the team was never caught. After the reunification of Germany, the East German sports federation's records were opened and the program was exposed. In 2000 the former head of the federation and the doctor who developed and administered the drug plan were convicted of systematic and overall doping. The former athletes maintain that they never knew they were taking steroids, claiming that they were told that the various medications were vitamins. As drug testing procedures have improved, more athletes have been caught. In Seoul there was suspicion of widespread use of performance-enhancing drugs after Canadian sprinter Ben Johnson tested positive he was stripped of his gold medal. In the mid-1990s, China's female swimmers and runners quickly rose to the top of elite competition, arousing suspicions of drug use by the late 1990s many were caught through more diligent drug testing.

The IOC publicly decries the use of performance-enhancing drugs. However, it is commonly believed that even with out-of-competition testing, the drugs and masking agents available to athletes is far ahead of the tests used to detect these substances. A study released in September 2000 that was financed by the U.S. government accused the IOC of permitting drug use to persist in order to maintain the mystique of the Olympics and record-breaking performances. The IOC formed the World Anti-Doping Agency (WADA) in late 1999 to test athletes at the upcoming Olympics and to increase drug testing standards, but how effective WADA will be in the long run is not yet known.

Bibliografia: Finding, John E., and Pelle, Kimberly D., Historical Dictionary of the Modern Olympic Movement (1996) Greenberg, Stan, Guinness Book of Olympic Records (1992) Guttmann, Allen, The Olympics (1992) Henry, Bill, et al., An Approved History of the Olympic Games (1984) Hill, Christopher, Olympic Politics: Athens to Atlanta, 1896&ndash1996, 2d ed. (1997) Swaddling, Judith, The Ancient Olympic Games, 2d ed. (2000) Wallechinsky, David, The Complete Book of the Summer Olympics: Sydney 2000 Edition (2000) Young, David C., The Modern Olympics: A Struggle for Revival (1996).


8. Simone Biles Debuts𠅊nd Dazzles

Simone Biles performs her routine during the artistic gymnastics women&aposs individual all-around final event at the 2016 Summer Olympic Games in Rio de Janeiro, Brazil, August 11, 2016.