John J. Powers DE-258 - História

John J. Powers DE-258 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

John J. Powers DE-258

John J. Powers

John James Powers, nascido na cidade de Nova York em 3 de julho de 1912, formou-se na Academia Naval em 1935. Depois de servir no mar por 5 anos, ele passou por treinamento de vôo, reportando-se em 21 de janeiro de 1941 ao Esquadrão de Bombardeio 5, ligado ao famoso Yorktown (CV- 5). Enquanto a frota se movia para impedir a expansão japonesa nas Solomons em 1942, Powers participou de uma importante incursão em Tulagi em 4 de maio, voando sem cobertura de caça para acertar dois golpes em navios japoneses. Enquanto a batalha principal do Mar de Coral se desenvolvia em 7 de maio, o tenente Powers e seus companheiros descobriram o porta-aviões Shoho e, bombardeando em altitudes extremamente baixas, o afundaram em 10 minutos. Na manhã seguinte, enquanto a grande batalha de porta-aviões continuava, ele se juntou ao ataque ao Shokaku, marcando um importante ataque com bomba. Sua operação intrépida e de baixo bombardeio, no entanto, levou Powers a um forte fogo antiaéreo; e seu avião mergulhou no mar. O tenente Powers foi declarado morto; mas, por seu espírito indomável nesta série de ataques, foi premiado com a Medalha de Honra postumamente. De acordo com a citação: ". Ignorando completamente a altitude de segurança e sem medo ou preocupação com sua própria segurança, ele corajosamente pressionou seu ataque, quase no próprio convés de um porta-aviões inimigo e não lançou sua bomba até que ele tivesse certeza de um ataque direto."

(DE-258; dp. 1.140: 1. 289'5 "; b. 35'1"; dr. 8'3 "; s. 21 k .; cpl. 186; a. 3 3", 4 1,1 "; 9 20 mm., 2 dct., 8 dcp., 1 dcp. (Hh) el. Evarts)

John J. Powers (DE-528) foi tombado em 25 de setembro de 1943 pelo Boston Navy Yard; lançado em 2 de novembro de 1943; patrocinado pela Sra. John J. Powers, mãe do Tenente Powers; e comissionado em 29 de fevereiro de 1944, Tenente Comdr. E. W. Loew no comando.

Após um treinamento de shakedown nas Bermudas, John J. Powers voltou a Boston em 19 de abril para exercícios anti-submarino. Ela então viajou para Nova York para se juntar a um comboio para o norte da Europa, partindo em 2 de maio. O navio voltou com outro comboio em 28 de maio de 1944. Com tropas americanas e construção de equipamento na Inglaterra para a invasão através do canal, John J. Powers fez uma segunda viagem de comboio, chegando a Boston em 2 de agosto de 1944. Ela então se envolveu no treinamento seguido por uma corrida costeira de Nova York a Halifax e vice-versa.

O navio de escolta retomou o embarque para o serviço de comboio no Atlântico em 19 de setembro de 1944, escoltando um comboio de petroleiros e barcaças para a Inglaterra. Sete dias depois, o navio de alerta resgatou quatro tripulantes do tuge do Exército ST-719. Powers voltou a Nova York em 20 de novembro e em dezembro conduziu testes de carga de profundidade especial para o Bureau of Ordnance ao largo de Nova York e na Baía de Chesapeake. Nos meses que se seguiram, o navio fez mais três viagens de escolta para Casablanca, partindo de Mers-el-Kebir em 7 de maio de 1945, dia da rendição alemã.

John J. Powers voltou a Nova York em 23 de maio de 1945 e, após manobras em Casco Bay, Maine, chegou a Miami em 21 de julho para trabalhar como navio de treinamento. Durante o mês de agosto, ela forneceu treinamento tático para oficiais estudantes no Estreito da Flórida. Terminada a guerra, John J. Powers partiu em 8 de setembro de 1945 para Charleston, onde desarmou em 16 de outubro de 1945.

O navio foi desmantelado pelo Charleston Navy Yard em fevereiro de 1946.


John Mearsheimer & # 8217s Teoria do Realismo Ofensivo e a Ascensão da China

A ascensão da China foi recebida com reações mistas. Para os otimistas, a ascensão da China torna um mundo que viveu uma longa paz ainda menos provável de entrar em conflito. Outros adotam uma abordagem mais cautelosa e argumentam que o que o futuro reserva não pode ser previsto. A ascensão da China pode levar a um conflito ou não. Para os pessimistas, a ascensão da China provavelmente causará ou inevitavelmente causará instabilidade e conflito. Assim como Tucídides considerou a Guerra Peleponnesiana inevitável com a ascensão de Atenas e o declínio do poder relativo de Esparta (Tucídides 1996, 163), a história se repetirá com a ascensão da China e o declínio do poder relativo dos Estados Unidos.

John Mearsheimer é um desses pessimistas e indiscutivelmente um dos céticos mais proeminentes da "ascensão pacífica" da China (referindo-se à política externa da China que buscou mitigar a escola de pensamento "Ameaça à China"). Apoiando seu ceticismo em relação à ascensão pacífica da China está uma formulação convincente de realismo ofensivo. O objetivo deste ensaio é examinar se a teoria do realismo ofensivo de Mearsheimer fornece uma base logicamente coerente para a visão de que a ascensão da China não será pacífica. Para responder a esta pergunta, a teoria de Mearsheimer conforme apresentada no A tragédia da política das grandes potências, serão avaliados os escritos anteriores (1990, 1995) e seus escritos específicos sobre o tema da ascensão da China (2005, 2006a, 2010).

O primeiro capítulo deste ensaio apresentará a teoria do realismo ofensivo de Mearsheimer e sua aplicação da teoria à ascensão da China. Esta seção irá esclarecer as suposições que fundamentam sua teoria e a conclusão que Mearsheimer afirma que essas suposições geram logicamente. Será explicado o que diferencia a teoria do realismo ofensivo de Mearsheimer da teoria do realista defensivo de Kenneth Waltz. Curiosamente, os dois estudiosos começam com as mesmas suposições, mas chegam a conclusões muito diferentes. Mearsheimer conclui que os estados irão perseguir incessantemente o poder enquanto Waltz enfatiza como o equilíbrio de poder restringe o comportamento de maximização de poder e torna os estados contentes uma vez que eles têm energia suficiente para estarem seguros. A teoria de Mearsheimer será então aplicada à ascensão da China e apresentarei seu caso de por que a ascensão da China não será pacífica.

O tópico mais amplo de análise no segundo capítulo é se a teoria de Mearsheimer é internamente coerente e se o premissas da teoria de Mearsheimer gera o conclusão que ele afirma que sim. Se sua teoria é internamente inconsistente ou se as conclusões não decorrem logicamente das suposições, a teoria não fornecerá boas justificativas teóricas para a visão de que a ascensão da China será inquietante. Uma teoria que é internamente incoerente e gera hipóteses ilógicas, cria uma falsa visão do mundo (Walt 1999, 12).

Especificamente, este ensaio argumentará primeiro que Mearsheimer exagera o medo de que uma incerteza sobre as intenções da China cause e que ele subestima as formas pelas quais essa incerteza pode ser mitigada (por exemplo, por meio de sinalização cara e aumentando o custo do conflito). A suposição de intenções incertas, portanto, não faz, ao contrário das afirmações de Mearsheimer, fazer os estados assumirem que outros estados têm as piores intenções.

Em segundo lugar, o ensaio irá argumentar que Mearsheimer não consegue distinguir entre licitação por hegemonia e sendo o hegemon. Ser um hegemônico dá a um estado a maior segurança que ele pode esperar. As ofertas de hegemonia são tão arriscadas e raramente bem-sucedidas, entretanto, que essas ofertas não fazem sentido para estados racionais e preocupados com a sobrevivência, exceto em circunstâncias extraordinárias. Propostas de hegemonia, portanto, contradizem a suposição de Mearsheimer de que os estados são racionais e principalmente preocupados com sua sobrevivência.

Terceiro, o caso será que o único candidato à hegemonia regional que teve sucesso, os Estados Unidos, foi bem-sucedido por duas razões extraordinárias: a falta de equilibradores indígenas e incentivos fracos para grandes potências com poderes de projeção global (as grandes potências europeias ) para conter os EUA. Além de ser um modelo para a ascensão da China, como afirma Mearsheimer, a história de sucesso dos EUA ilustra por que seria irracional para a China tentar a hegemonia. A China compartilha uma região com grandes potências indígenas (Rússia, Japão e Índia) e compartilha o mundo com um estado (os Estados Unidos) que tem a capacidade de projetar poder em todo o mundo. Uma tentativa de dominar a Ásia por "imitar o Tio Sam" (Mearsheimer 2010, 389), portanto, contradiria os pressupostos de que a China é racional e preocupada com a sobrevivência.

O restante do segundo capítulo explica as afirmações de Mearsheimer de que o medo e a insegurança são gerados pela incerteza sobre se o poderio militar de um estado se destina a fins defensivos ou ofensivos. Este ensaio irá argumentar que tal incerteza é amplamente irrelevante para os Estados em busca de segurança que têm uma dissuasão nuclear confiável. Este ensaio também explica que, embora o comportamento passado não seja um indicador perfeito do comportamento futuro, comportamento passado pode ser uma boa base para calcular a probabilidade de que um estado represente uma ameaça para outro estado. Esses dois pontos, bem como o resto do capítulo, levam a uma crítica que mostra como A teoria de Mearsheimer nunca mostra como os Estados em busca de segurança tornam-se agressivos em primeiro lugar, ao contrário das afirmações de Mearsheimer. A conclusão será concluída com um argumento conciso construído sobre o conteúdo anterior para explicar por que a teoria de Mearsheimer não é uma base logicamente coerente para a visão de que a ascensão da China será inquietante.

CAPÍTULO UM & # 8211 Teoria de Mearsheimer e a ascensão da China

A teoria de Mearsheimer é construída em cinco suposições fundamentais. O primeiro pressuposto é que existe anarquia no sistema internacional, o que significa que não existe um poder coercitivo hierarquicamente superior que possa garantir limites ao comportamento dos Estados (Mearsheimer 2001, 30). Em segundo lugar, todas as grandes potências possuem capacidades militares ofensivas, que são capazes de usar contra outros estados (2001, 30-31). Terceiro, os estados nunca podem ter certeza de que outros estados se absterão de usar essas capacidades militares ofensivas (2001, 31). Em quarto lugar, os estados procuram manter sua sobrevivência (sua integridade territorial e autonomia doméstica) acima de todos os outros objetivos (2001, 31), pois é o meio para todos os outros fins (1990, 44). Quinto, os Estados são atores racionais, o que significa que consideram as consequências imediatas e de longo prazo de suas ações e pensam estrategicamente sobre como sobreviver (2001, 31).

Em um sistema internacional repleto de incertezas quanto às intenções dos Estados, à natureza das capacidades militares dos Estados e à assistência de outros Estados na luta contra Estados hostis, Mearsheimer (2001, 31) argumenta que a melhor forma de grandes potências garantirem sua sobrevivência & # 8211 uma meta que é favorecida acima de todas as outras & # 8211 é maximizar o poder e buscar a hegemonia. A busca da hegemonia regional e global entre todas as grandes potências dá origem a uma competição constante de segurança com potencial para a guerra. Esta é a chamada “Tragédia da Política das Grandes Potências”: Estados em busca de segurança forçados a entrar em conflito para garantir sua segurança.

A teoria realista ofensiva de Mearsheimer começa com suposições semelhantes à teoria realista defensiva de Kenneth Waltz, mas chega a conclusões diferentes (ver Waltz (1979, cap. 6, especialmente 114-115) para a suposição de anarquia Waltz (1979, 105) para a suposição de capacidades Waltz (1979, 105) para o pressuposto de intenções incertas Waltz (1979, 117) para o pressuposto de sobrevivência e Waltz (1986, 330) para o pressuposto de racionalidade). Uma conclusão central a que Waltz chegou é a de equilíbrio de poder. A teoria postula que um padrão recorrente de equilíbrio ocorre em que os estados se aliam a estados mais fracos para equilibrar estados mais fortes (Waltz 1979, 117). Esse equilíbrio deve evitar que os estados busquem a hegemonia, pois isso levaria outros estados a se unirem contra o candidato à hegemonia (Waltz 1979, 126). Waltz (1989, 40) consequentemente argumentou que os estados não eram maximizadores de poder, mas sim maximizadores de segurança. Uma vez que os estados tinham poder suficiente para se proteger, eles estavam satisfeitos e não buscariam um poder maior (Waltz 1989, 40). Afinal, dada a inevitabilidade de um equilíbrio de poder, estados que disputam a hegemonia provocariam outros estados do sistema internacional a se juntarem a uma aliança de cerco contra o poder emergente, comprometendo a segurança do licitante.

Mearsheimer rejeita essa conclusão e argumenta, em vez disso, que os estados nunca podem ser verdadeiramente seguros e que somente por meio da maximização do poder os estados podem garantir sua sobrevivência (Mearsheimer 2001, 61). Ao contrário da lógica realista defensiva, não há quantidade de poder com que um estado possa se contentar (Mearsheimer 2001, 2). A razão pela qual Mearsheimer rejeita a inevitabilidade do equilíbrio de poder é devido aos problemas de ação coletiva envolvidos no equilíbrio. Como os estados estão receosos de incorrer nos custos de desafiar estados fortes aliando-se a estados mais fracos, eles vão resistir (o que significa que eles permitem que outros estados equilibrem o poder ameaçador) até que sua própria segurança esteja em grave perigo (Mearsheimer 2001, 39-40 ) Considere, por exemplo, a relutância dos Estados Unidos em se envolver totalmente na Segunda Guerra Mundial até o ataque a Pearl Harbor. A ameaça do Eixo, que poderia ter sido cortada pela raiz mais cedo, já havia crescido a ponto de representar uma séria ameaça para os Estados Unidos. Tal como acontece com os problemas de ação coletiva no sentido econômico, o comportamento racional em uma base individual (neste caso, os EUA deixando as potências europeias e asiáticas lidarem primeiro com a Alemanha nazista e o Japão imperial) pode levar a um resultado coletivamente ineficiente (Olson 1965, 1- 2). A tragédia de que fala Mearsheimer poderia, portanto, ser simplesmente chamada de resultado ineficiente.

Isso significa que estados agressivos não podem ser tão facilmente restringidos como Waltz pensa. Como o equilíbrio é uma restrição não confiável às ambições de grande poder, há menos desincentivos à disputa pela hegemonia no mundo de Mearsheimer do que no de Waltz. Dados esses desincentivos mais baixos e as ameaças que outros estados representam, a melhor maneira de garantir a sobrevivência de uma grande potência, argumenta Mearsheimer, é buscar a hegemonia (Mearsheimer 2001, 61). Embora se tornar hegemônico seja difícil, globalmente mais do que regionalmente (Mearsheimer 2010, 387), Mearsheimer insiste que a maximização do poder é a melhor maneira de garantir a sobrevivência dos estados (Mearsheimer 2001, 61).

As implicações da teoria para a ascensão da China podem ser facilmente inferidas e, desde que as suposições de Mearsheimer se apliquem, suas conclusões devem seguir logicamente. Embora alguns argumentem que suas suposições não se aplicam ou não têm sentido, se o fazem está fora do escopo de minha investigação específica. O que este ensaio se preocupa é se essas suposições levam logicamente à conclusão de que a ascensão da China não será pacífica.

Mearsheimer escreve longamente sobre as implicações de sua teoria sobre a ascensão da China no Tragédia da política das grandes potências (2001), mas mais especificamente em escritos subsequentes (2005, 2006, 2010). Mearsheimer argumenta que não há maneira de prever com precisão as intenções atuais ou futuras da China (Mearsheimer 2010, 382-383), que é difícil distinguir entre as capacidades militares defensivas e ofensivas da China (Mearsheimer 2010, 383-384), e que as da China o comportamento pacífico do passado é um indicador não confiável do comportamento futuro (Mearsheimer 2010, 384-385). Esses mesmos pontos se aplicam aos Estados Unidos (Mearsheimer 2010, 385-387). Conseqüentemente, ambos os estados reagirão a essa incerteza mútua assumindo que o outro tem as piores intenções. Ao presumir o pior, ambos os estados, sendo racionais, tentarão acumular poder, o que dá origem a uma competição de segurança com potencial para a guerra (Mearsheimer 2010, 395-396). A ascensão da China, portanto, não pode ser pacífica. A China inevitavelmente fará uma oferta pela hegemonia regional, enquanto os EUA e a maioria dos vizinhos da China tentam conter a China (Mearsheimer 2010, 382).

CAPÍTULO DOIS & # 8211 A Coerência Interna da Teoria e Lógica Causal

O primeiro grande ponto de Mearsheimer contra a ascensão pacífica da China argumenta que não se pode saber com certeza quais são as intenções da China (Mearsheimer 2010, 382-383). Mearsheimer argumenta que & # 8220 falar é barato e os líderes são conhecidos por mentir para o público estrangeiro & # 8221 (Mearsheimer 2010, 383). Embora seja verdade que a mera conversa nas relações internacionais não é confiável, as declarações de intenção podem ser feitas se o sinalizador incorrer em custos (Fearon 1994, 1995, 396-397 Kydd 1997). Os Estados são, portanto, capazes de mitigar a incerteza sobre suas verdadeiras intenções. Por exemplo, Anwar Sadat incorreu em grandes custos para ilustrar que o Egito estava comprometido com a paz quando visitou Jerusalém em 1977. Como o gesto de Sadat para com Israel não era popular entre o público egípcio e ele teria sido visto como incompetente se Israel não tivesse respondido em de forma recíproca, ele foi visto como tendo incorrido em custos de audiência doméstica, colocando sua carreira política e talvez até sua vida em risco para construir a confiança entre os dois estados (Shamir e Shikaki 2010, 32).

A medida de fortalecimento da confiança de Sadat precedeu as negociações que, em última análise, levaram a uma paz duradoura entre dois estados que haviam lutado cinco guerras desde o final da Segunda Guerra Mundial. Mearsheimer está inteiramente correto ao argumentar que não há garantia de que um sinal de intenções seja correto. Sadat pode ter lançado um ataque depois de enganar Israel a assinar um acordo de paz. No entanto, fazê-lo após incorrer em custos de audiência doméstica na busca de um acordo de paz, bem como potencialmente sofrer grandes custos internacionais ao renegar um acordo, teria tornado suas ações arriscadas, beirando a loucura.

Mesmo que haja um possibilidade que um estado pode representar uma ameaça para outro estado, o fato de que os estados são racionais (Mearsheimer 2001, 31), unidades de cálculo de custo-benefício (Mearsheimer 2001, 21) deve fazê-los calcular o probabilidade que um estado representa uma ameaça para outro estado. Mearsheimer essencialmente assume que os estados sempre presumem que outros estados têm as piores intenções. O fato de que & # 8220 não temos como saber quais serão as [intenções da China & # 8217s] no futuro & # 8221 (2010, 383), não nos dá, entretanto, motivos para supor que eles terão as piores intenções. A incerteza sobre as intenções da China pode fazer os Estados temerem a China, mas como os Estados lidam com esse medo não pode ser previsto. Os Estados podem reagir a esse medo aumentando os custos do conflito para a China e diminuindo o medo da China sobre as intenções de outros Estados. Os Estados podem, por exemplo, aumentar o comércio com a China e incorporar a China a organizações internacionais, tornando caro para a China romper esses laços institucionais e comerciais com o lançamento de guerras. Os estados também podem, como Sadat, dar sinais caros para construir confiança e diminuir a desconfiança.

Sendo o Hegemon vs. Licitação para Hegemonia

Mearsheimer está totalmente correto ao afirmar que a hegemonia fornece a maior segurança. Afinal, Mearsheimer define hegemon como um “estado que é tão poderoso que domina todos os outros estados do sistema. Nenhum outro estado tem os meios militares para lutar seriamente contra ele ”(Mearsheimer 2001, 40). Ser capaz de dominar outros estados para conseguir o que deseja e não enfrentar ameaças militares sérias à sobrevivência é preferível a ser igual em um sistema internacional anárquico onde sua sobrevivência contínua é, em algum nível, deixada aos caprichos de outros estados. No entanto, é importante distinguir entre licitação por hegemonia e sendo o hegemon.

“A questão central para uma grande potência ponderando uma oferta pela hegemonia & # 8230 não é 'Se eu fosse o hegemon, terei mais chances de sobreviver?' É, 'Se eu fizer uma oferta pela hegemonia, serei mais provável sobreviver? '”(Kirshner 2012, 61).

O pensamento errôneo subjacente ao argumento de Mearsheimer é aquele que tem sido difundido na literatura de RI.Alguns estudiosos (Waltz 1959, 160 Mearsheimer 2001, 21) argumentam que os estados vão à guerra quando a utilidade esperada da guerra é maior do que a utilidade esperada de não ir à guerra (na verdade, quando os benefícios excedem os custos). No entanto, tal comportamento acabaria por tornar os estados análogos aos “jogadores compulsivos” (Fearon 1995, 388), pois eles colocam tudo repetidamente em risco até que inevitavelmente perdem tudo. Se aceitarmos que um estado tem 60% de chance de sucesso em cada guerra que começa (o que Mearsheimer (2001, 38) afirma que a taxa de sucesso para a agressão é), o estado pode ganhar algumas guerras em sucessão, mas uma vez que o estado inevitavelmente perde uma guerra, coloca sua sobrevivência em jogo. Portanto, mesmo que aceitemos a análise quantitativa de Mearsheimer, ir à guerra toda vez que for considerado benéfico compromete a sobrevivência de um estado de uma forma que o comportamento de busca de segurança defensiva não faria.

A afirmação de Mearsheimer de que a ação ofensiva é bem-sucedida em 60% dos casos é, no entanto, enganosa, pois ele só conta as guerras individuais, mesmo que elas possam fazer parte de uma tentativa de hegemonia regional (Mearsheimer 2001, 39). Por exemplo, a França napoleônica, a Alemanha nazista e o Japão imperial parecem histórias de sucesso, pois ganharam mais guerras do que perderam. O problema gritante com isso para qualquer estudante de história é que uma vez que eles perderam, eles foram destruídos no final das contas. Sua integridade territorial e autonomia doméstica, a essência da sobrevivência de acordo com Mearsheimer (2001, 31), foram perdidas.

Na verdade, de todos os licitantes pela hegemonia regional, há apenas um estado bem-sucedido: os Estados Unidos. Consequentemente, Mearsheimer admite que apenas um em cada cinco estados conseguiu uma licitação para a hegemonia regional e que, embora "não seja uma taxa de sucesso impressionante & # 8230, o caso americano ilustra que é possível alcançar a hegemonia regional" (Mearsheimer 2001, 212-213) . Em escritos anteriores, a taxa de sucesso é ainda mais terrível, pois Mearsheimer (1990, 19) incluiu não apenas a Alemanha Vilhelmine, a França napoleônica, os Estados Unidos, a Alemanha nazista e o Japão imperial (os cinco candidatos à hegemonia listados em Mearsheimer (2001)) mas também o Império Habsburgo sob Carlos V, a Espanha sob Filipe II e a França sob Luís XIV. A taxa de sucesso poderia, portanto, ser tão baixa quanto um em oito.

A criança do pôster do realismo ofensivo

O que a ascensão dos Estados Unidos, o garoto propaganda do realismo ofensivo, nos diz sobre a teoria de Mearsheimer e sua aplicação à ascensão da China? A ascensão dos EUA à hegemonia regional (uma posição de domínio e superioridade militar no hemisfério ocidental) é importante para o realismo ofensivo (é, afinal, o caso que mostra que é possível alcançar a hegemonia regional) e Mearsheimer o usa repetidamente como um modelo para o que a China fará (2005, 2006a, 161-162 2010, 389-390). No entanto, existem limites claros para a comparação. Fatores importantes são deixados de fora da narrativa de Mearsheimer sobre a ascensão dos EUA à hegemonia regional. Esses fatores ilustram por que a China não pode imitar o Tio Sam.

O quintal da China simplesmente não se parece com o dos EUA quando alcançou a hegemonia regional. Primeiro, não havia balanceadores indígenas confiáveis ​​para os EUA na América do Norte (tribos nativas, bem como futuros estados mexicanos e canadenses não representavam uma ameaça confiável para os EUA). Em segundo lugar, as grandes potências europeias não tinham incentivos suficientes para impedir a expansão dos EUA. As potências europeias, consumidas pela política de poder na Europa, priorizaram a maximização do poder em casa sobre a contenção dos Estados Unidos no hemisfério ocidental. O exame de Colin Elman (2004) da Compra da Louisiana (1803), que dobrou o território dos EUA e deu a ele um caminho aberto de expansão para o Sul e Oeste, ilustra isso. Devido a razões geopolíticas complexas, a Louisiana tornou-se um fardo geopolítico para a França (Elman 2004, 568-570). Consequentemente, suas opções eram manter a Louisiana, vender o território aos Estados Unidos, vender parte dele aos Estados Unidos ou vender tudo à Espanha (Elman 2004, 571). Ao manter a Louisiana, a posição da França na distribuição europeia de capacidades teria piorado, pois provavelmente teria encontrado uma aliança Reino Unido-EUA em uma guerra pelo território (o que teria drenado os recursos da França), mas teria contido os EUA (Elman 2004, 572). Vender o território para a Espanha ou parte dele para os EUA teria parcialmente contido os EUA, mas apenas ligeiramente melhorado a posição da França na distribuição europeia de capacidades (Elman 2004, 572-573). A opção que a França escolheu foi vender todo o território aos EUA a um preço elevado, o que melhorou significativamente a posição da França na Europa (pois perdeu um fardo geopolítico e foi bem pago por isso), mas não fez nada para conter os EUA ( Elman 2004, 571-572).

A razão pela qual os EUA se tornaram um hegemon, portanto, não se deve às ineficiências de equilíbrio, como argumenta Mearsheimer, mas à ausência de equilibradores na região. O mesmo, portanto, não se aplica à China, que possui balanceadores na região. No quintal da China existem atualmente duas grandes potências (Rússia e Japão), um gigante emergente (Índia) e pelo menos dois Estados militarmente aptos (Coréia do Sul e Vietnã), além de um balanceador estrangeiro (Estados Unidos) que tem as capacidades para projetar poder militar em todo o mundo e fornecer apoio militar aos vizinhos da China. Tanto a Rússia quanto a Índia têm armas nucleares, e o Japão e a Coréia do Sul provavelmente poderiam desenvolvê-las rapidamente, se necessário. Em contraste com a expansão dos Estados Unidos, seria suicídio para a China fazer uma aposta pela hegemonia regional em tal bairro.

Agressão e Preempção

Um segundo ponto importante que Mearsheimer faz contra uma ascensão pacífica é que não podemos saber com certeza se as capacidades militares da China se destinam exclusivamente a fins defensivos (Mearsheimer 2010, 383-384), que é um ponto inteiramente legítimo e que não contestarei . No entanto, o que Mearsheimer deixa de notar é que a natureza de algumas das armas chinesas e de outras grandes potências, especificamente as armas nucleares, deve diminuir a intensidade da insegurança criada pelas capacidades militares ofensivas de outros (Jervis 1978, 205-209) . Afinal, a posse de armas nucleares impede a agressão externa e torna a China mais segura. Uma doutrina de destruição mútua assegurada (MAD) efetivamente garante que a China não possa fazer uma oferta pela hegemonia. Rússia, Índia e Estados Unidos já possuem armas nucleares, e a Coréia do Sul e o Japão são capazes de desenvolvê-las rapidamente. Qualquer tentativa chinesa de hegemonia e agressão externa faria com que alguns estados apontassem suas armas nucleares para a China, enquanto outros começariam a desenvolvê-las. Da mesma forma, uma China nuclear impede qualquer outro estado, mesmo o único hegemônico, de comprometer a sobrevivência da China. Destruição mutuamente garantida, portanto, alivia a insegurança que a China e seus vizinhos enfrentam à medida que o poder da China cresce. A dissuasão nuclear credível torna irrelevante a incerteza sobre a natureza das capacidades militares de outros estados.

Um terceiro ponto que Mearsheimer faz contra uma ascensão pacífica é que o comportamento passado e atual não pode ser um indicador confiável de comportamento futuro, o que torna irrelevante o comportamento pacífico da China nas últimas décadas (Mearsheimer 2010, 384-385). Claramente, o comportamento passado não pode ser um indicador perfeito de comportamento futuro. No entanto, dado que os estados são racionais, preocupados com a sobrevivência e maximizadores de poder, não faz sentido que eles não devam usar o comportamento passado como uma forma de calcular a gravidade da ameaça representada pela existência de outro estado. Afinal, seria temerário argumentar que não há vários graus pelos quais os estados consideram ameaças uns aos outros e que esses julgamentos são feitos em parte como resultado de relações anteriores (Wendt 1995, 78-79).

Mearsheimer também não dá atenção à importância de mostrar consistência e confiabilidade nas relações internacionais. Considerando que o comportamento pacífico da China fortaleceu as relações em todo o mundo, a participação em organizações internacionais e tratados benéficos, é errado sugerir que o comportamento anterior é irrelevante. O comportamento errático e hostil não atrai amigos. O fato de a China começar a se envolver em um comportamento expansionista errático comprometeria tudo o que foi construído nas últimas décadas.

Se a comunidade mundial contivesse e isolasse a China, o comportamento hostil chinês faria sentido, pois não haveria incentivos para que a China participasse. No entanto, como o mundo se abriu para a China de braços abertos, o que permitiu à China aumentar seu poder e segurança, é difícil entender por que a China daria os primeiros passos para quebrar isso. Mearsheimer certamente não fornece um argumento lógico e internamente coerente para explicar por que a China faria isso.

A agressão americana preventiva também não faz muito sentido. Em primeiro lugar, devido à improbabilidade de uma licitação racional da China pela hegemonia regional (por razões que delineei acima). Em segundo lugar, porque a China, mesmo como uma hegemonia regional, não ameaça a hegemonia regional americana. Mearsheimer propõe que a China se intrometa no quintal dos EUA, o que comprometeria seu status de hegemonia regional. No entanto, como Kirshner (2012, 65) observa, a China poderia se intrometer no quintal dos EUA, independentemente de a China ser uma hegemônica regional ou não. Mesmo se a China tentasse minar a posição dos EUA como hegemonia regional, a hegemonia (conforme definida por Mearsheimer) deveria ser robusta o suficiente para lidar com tais ataques. Tang (2008, 461-462) também observa que nem os EUA nem a China podem se envolver em uma agressão unilateral preventiva sem parecer confiável e ameaçadora, o que os perde aliados e acarreta pesados ​​custos diplomáticos. Isso impede a ação ofensiva preventiva de qualquer uma das partes.

Para estados racionais em busca de segurança que consideram os custos e benefícios e seguem a estratégia mais provável para garantir a sobrevivência de um estado, nem a China nem os EUA na previsão de Mearsheimer realmente parecem considerar os custos e benefícios e não parecem priorizar a sobrevivência acima tudo o mais. Como Waltz, Mearsheimer não explica totalmente como suas suposições levam à conclusão de que os estados se envolvem em comportamento agressivo.

Mearsheimer apenas pressupõe que os estados buscam segurança. Os conflitos que ele conclui resultam de suas suposições são uma tragédia em que os Estados que buscam segurança são colocados em conflito, embora não queiram. No entanto, não há absolutamente nenhuma razão para que os Estados em busca de segurança devam recorrer à agressão como consequência da anarquia no sistema internacional e da incerteza quanto às intenções e capacidades de outros Estados. Assim como "o trem Waltzian nunca sai da estação" (Mearsheimer 2006c, 231), referindo-se ao fracasso de Waltz em assumir que uma ameaça precisava existir para que o equilíbrio de poder surgisse (Schweller 1996, 91-92), a teoria que supostamente corrigia as falhas de Waltz também não parece corrigir. Enquanto Mearsheimer (2001) é bastante ambíguo quanto à relação entre agressão e seus pressupostos, Mearsheimer (2006b, 121-122) esclarece isso explicitamente afirmando que sua teoria "não assume que os estados são agressivos" e que a agressão é simplesmente um conseqüência lógica de suas suposições.

Embora a anarquia leve à incerteza sobre as intenções dos outros e ao medo sobre a própria sobrevivência, não há razão para que os Estados devam fazer o primeiro movimento hostil, mesmo que haja um intenso dilema de segurança. Embora a anarquia signifique que não há nada para evitar a guerra, não há razão para que um estado em busca de segurança que teme as intenções e capacidades de outros estados deva recorrer à agressão. Em nenhum momento está claro que os estados em busca de segurança sempre responderiam ao possibilidade da guerra tornando-se agressivo. Na verdade, é mais provável que o medo resulte em uma resposta defensiva. Como observa Jack Donnelly, “o medo é um motivo essencialmente defensivo; o objetivo central é preservar o que já se tem”, em vez de agir ofensivamente e preventivamente (Donnelly 2000, 44). O exame de Pashakhanlou (2013, 207) da literatura da psicologia sobre o medo confirma que os indivíduos tendem a responder ao medo com um comportamento defensivo. A agressão não é a consequência lógica do medo que Mearsheimer afirma que é.

Se os estados fossem irracionais, se os líderes dos estados estivessem menos preocupados com a sobrevivência de um estado do que suas próprias contas bancárias ou perspectivas de reeleição, se os estados fossem considerados agressivos ou se a maximização do poder fosse inerente à natureza do homem, seria possível entender o tendência a arriscar tudo pela hegemonia. Estados racionais que buscam segurança & # 8220não são considerados agressivos & # 8221 (Mearsheimer 2006b, 121-122) não têm razão para se envolver em tais licitações, entretanto.

Supondo que a China seja um ator racional, em busca de segurança, a perspectiva de uma tentativa de dominar a Ásia parece aumentar suas chances de sobrevivência, dado o conhecido precedente histórico de tal comportamento revisionista? Afinal, apenas um em cinco estados (ou talvez um em oito) fez uma oferta bem-sucedida pela hegemonia. Essa única hegemonia alcançou hegemonia em circunstâncias que não se aplicam de forma alguma à China hoje. Os nascentes Estados Unidos se viram em um continente sem quaisquer desafios indígenas sérios e contidos apenas por potências europeias que priorizavam a política na Europa em vez da contenção dos EUA. A China se encontra cercada por balanceadores regionais e externos, alguns dos quais possuem armas nucleares.

Dada a improbabilidade de que a China fará uma oferta pela hegemonia e comprometa sua segurança, a perspectiva de "estrangular o bebê confucionista em seu berço" (Kirshner 2012, 61) parece aumentar a sobrevivência dos EUA? Uma vez que uma China racional e em busca de segurança não tem motivos para buscar hegemonia, não pareceria que os EUA, sendo um Estado racional e em busca de segurança, teriam qualquer incentivo para esmagar a China ou provocá-la de outra forma.

Em última análise, a teoria de Mearsheimer é internamente incoerente, uma vez que as conclusões que ele tira contradizem as suposições que ele faz e, consequentemente, suas suposições não podem logicamente levar à conclusão de que os estados irão disputar a hegemonia. A teoria do realismo ofensivo de Mearsheimer, portanto, não fornece uma base logicamente coerente para a visão de que a ascensão da China será inquietante. Isso não quer dizer que a ascensão da China será pacífica. A teoria de Mearsheimer pode muito bem prever como será a ascensão da China, mas uma vez que não consegue explicar o porquê de uma forma logicamente coerente, a teoria é inútil.

Donnelly, Jack. 2000. Realismo e Relações Internacionais. Cambridge: Cambridge University Press.

Elman, Colin. 2004. “Extending Offensive Realism: The Louisiana Purchase and America’s Rise to Regional Hegemony.” American Political Science Review 98(4): 563-576.

Fearon, James D. 1994. “Domestic Political Audiences and the Escalation of International Disputes.” American Political Science Review 88(3): 577-592.

Fearon, James D. 1995. “Rationalist Explanations for War.” Internacional Organização 49(3): 379-414.

Jervis, Robert. 1978. “Cooperação sob o Dilema de Segurança.” Políticas mundiais 30(2): 167-214.

Kirshner, Jonathan. 2012. “The Tragedy of Offensive Realism: Classical Realism and the Rise of China.” European Journal of International Relações 18(1): 53-75.

Mearsheimer, John J. 1990. “Back to the Future: Instability in Europe After the Cold War.” Segurança Internacional 15: 5–56.

Mearsheimer, John J. 1995. “The False Promise of International Institutions.” Segurança Internacional 19(3): 5-49.

Mearsheimer, John J. 2001. A tragédia da política das grandes potências. Nova York: W. W. Norton.

Mearsheimer, John J. 2005. “The Rise of China Will Not Be Peaceful.” o australiano, 18 de novembro. Disponível em: mearsheimer.uchicago.edu/pdfs/P0014.pdf (acessado em 18 de novembro de 2013).

Mearsheimer, John J. 2006a. “China’s Unpeaceful Rise.” História Atual 105(690): 160-162.

Mearsheimer, John J. 2006b. “Conversas em Relações Internacionais: Entrevista com John J. Mearsheimer (Parte I)” Relações Internacionais 20(1): 105-123.

Mearsheimer, John J. 2006c. “Conversas em Relações Internacionais: Entrevista com John J. Mearsheimer (Parte II)” Relações Internacionais 20(2): 231-243.

Mearsheimer, John J. 2010. “The Gathering Storm: China’s Challenge to US Power in Asia.” The Chinese Journal of International Politics 3(4): 381-396.

Olson, Mancur. 1965. A lógica da ação coletiva: bens públicos e a teoria de grupos. Cambridge: Harvard University Press.

Pashahkanlou, Arash Heydarian. 2013. “Back to the Drawing Board: A Critique of Offensive Realism.” Relações Internacionais 27(2): 202-225.

Schweller, Randall. L. 1996. "Neorealism’s Status-Quo Bias: What Security Dilemma?" Estudos de Segurança 51(3): 90-121.

Shamir, Jacob e Khalil Shikaki. 2010. Opinião Pública Palestina e Israelense: O Imperativo Público na Segunda Intifada. Bloomington: Indiana University Press.

Tang, envio. 2008. “Fear in International Politics: Two Positions.” Revisão de Estudos Internacionais 10: 451-471.

Tucídides. 1996. “The History of the Peleponnesian War.” no O grego clássico Leitor, editado por Kenneth John Atchity, 157-163. Oxford. Oxford University Pres.

Walt, Stephen M. 1999. “Rigor or Rigor Mortis ?: Rational Choice and Security Studies” Segurança Internacional 23(4): 5-48.

Waltz, Kenneth N. 1959. Homem, Estado e Guerra. Nova York: Columbia University Press.

Waltz, Kenneth N. 1979. Teoria da Política Internacional. Leitura, MA: Addison-Wesley.

Waltz, Kenneth N. 1986. "Reflexões sobre a Teoria da Política Internacional: Uma Resposta aos Meus Críticos." no Neorrealismo e seus críticos, editado por Robert O. Keohane, 322-345. Nova York: Columbia University Press.

Waltz, Kenneth N. 1989. "The Origins of War in Neorealist Theory." no A origem e prevenção de grandes guerras, editado por Robert Rotberg e Theodore Rabb, 39-52. Cambridge: Cambridge University Press.

Wendt, Alexander. 1995. “Construindo Política Internacional.” Internacional Segurança 20(1): 71-81.


Escrito por: Sverrir Steinsson
Escrito em: Universidade da Islândia
Escrito por: Jón Gunnar Ólafsson
Data da redação: dezembro de 2013


PODERES Genealogia

WikiTree é uma comunidade de genealogistas que desenvolve uma árvore genealógica colaborativa cada vez mais precisa que é 100% gratuita para todos para sempre. Por favor junte-se a nós.

Junte-se a nós na colaboração com as árvores genealógicas do POWERS. Precisamos da ajuda de bons genealogistas para cultivar um completamente grátis árvore genealógica compartilhada para conectar todos nós.

AVISO DE PRIVACIDADE IMPORTANTE E ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: VOCÊ TEM A RESPONSABILIDADE DE USAR CUIDADO AO DISTRIBUIR INFORMAÇÕES PRIVADAS. A WIKITREE PROTEGE AS INFORMAÇÕES MAIS SENSÍVEIS, MAS SOMENTE NA EXTENSÃO INDICADA NO TERMOS DE SERVIÇO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE.


Personalidade

"Você sabe, eu estava. Fui forçado a me tornar Hank Henshaw por causa do desespero, mas agora escolho esse rosto. Eu gosto disso. E eu não gostaria de viver em um mundo onde preciso mudar a cor da minha pele para me sentir segura, para me sentir vista, para sentir que não sou um alvo. Prefiro mudar o mundo."—J'onn J'onzz [src] Sob o disfarce de Hank Henshaw, J'onn parecia fria e calculista, acreditando que Kara usar seus poderes apenas aumentaria a agitação pública causada pelo heroísmo de seu primo.

J'onn como Martian Manhunter.

"Quanto mais tempo eu passo como Hank Henshaw, menos terei que enfrentar o que perdi.Mas quando eu mudo meu estado, me transformo em alguém novo, invoco novos poderes, eu fico um passo mais perto de me tornar o Caçador de Marte para sempre. E ele cria pânico e histeria. Eu sei, eu vi isso. Não é só que estou melhor como humano. Todo mundo é."—J'onn J'onzz para Alex Danvers [src]

Depois que J'onn revelou sua verdadeira identidade para Alex e Kara respectivamente, ele é realmente gentil, atencioso, altruísta, inteligente, tem um senso de justiça, honra e boa moral. Ele também tem uma inteligência muito afiada e provou que cuida de Alex e Kara como se fossem suas próprias filhas, a ponto de Clark o acusar de não se importar com o bem-estar de Kara, J'onn atacou, dizendo a Clark para observe sua boca enquanto ele se preocupa profundamente com Kara, no entanto, apesar disso, J'onn rapidamente recua quando Clark o ameaça, de uma forma intimidante provando que ele está aterrorizado com o super-herói kryptoniano e não está disposto a entrar em um confronto com ele.

Normalmente, J'onn é muito calmo, equilibrado e paciente, pois raramente perde a paciência, porém não tolera quem desrespeita seus companheiros. J'onn também é frio com indivíduos de quem não gosta por bons motivos, como Sam Lane, devido aos traços arrogantes, rudes, ingratos, egoístas e imorais deste último.

J'onn estava inicialmente muito relutante em usar seus poderes, pois ele acredita que os indivíduos se machucarão se ele os usar. No entanto, depois que sua identidade como o Caçador de Marte foi revelada ao D.E.O., ele gradualmente se tornou mais confiante em seus poderes e herança alienígena, já que J'onn começou a usar seus poderes com mais frequência.

Há um lado negro na personalidade de J'onn, pois ele pode ser frio, cruel, implacável e vingativo com seus inimigos contra os quais ele tem rancor, isso é evidenciado pelo fato de que ele fica cara a cara com um Marciano Branco , ele teria matado o último, se Kara e Alex não o tivessem convencido a poupar sua vida. J'onn tem um ódio profundo pelos Marcianos Brancos devido ao fato de que eles exterminaram toda a sua raça e mataram toda a sua família sem nenhum motivo claro, simplesmente para satisfazer seus próprios desejos belicistas. Isso tornava difícil para J'onn aceitar que nem todos os marcianos brancos, como M'gann M'orzz, são maus.

J'onn é cauteloso, mas ao mesmo tempo míope, pois decidiu armazenar criptonita no D.E.O. como uma contingência, para se proteger contra kryptonianos potencialmente desonestos, levando a uma desavença entre ele e Clark Kent, que acreditava que a kryptonita era a D.E.O. poderia cair nas mãos erradas e eventualmente seria usado contra ele ou sua prima Kara, um fato que J'onn não considerou. Este medo de Clark provou estar correto, embora a situação tenha sido resolvida quando toda a criptonita do D.E.O. foi confiada a ele.

Apesar de J'onn ser um alienígena e querer que o planeta Terra seja um lugar seguro onde humanos e alienígenas possam viver em paz, ele é um hipócrita e tem problemas para confiar em outros alienígenas, quando a presidente Olivia Marsdin planejava iniciar a anistia alienígena ato, um decreto sobre a concessão de direitos de cidadãos americanos aos estrangeiros, ele não tinha certeza, alegando que alguns estrangeiros se aproveitariam da boa vontade de Olivia, porém, esta colocou J'onn em seu lugar, lembrando-o de que o mesmo já foi dito sobre ele, quando sua identidade como "Martian Manhunter" foi revelada ao DEO, já que J'onn estava sendo hipócrita.


John J. Pershing

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

John J. Pershing, na íntegra John Joseph Pershing, apelido Black Jack, (nascido em 13 de setembro de 1860, Laclede, Missouri, EUA - morreu em 15 de julho de 1948, Washington, D.C.), general do Exército dos EUA que comandou a Força Expedicionária Americana (AEF) na Europa durante a Primeira Guerra Mundial

Pershing graduou-se na Academia Militar dos Estados Unidos em West Point, Nova York, em 1886. Ele foi comissionado como segundo-tenente e designado para a 6ª Cavalaria, que então conduzia operações contra Geronimo e os Chiricahua Apache no sudoeste. Em 1890, Pershing serviu na campanha para suprimir o movimento Ghost Dance e uma revolta entre os Sioux no Território Dakota, mas sua unidade não participou do massacre em Wounded Knee. Em 1891, ele se tornou instrutor de ciência militar na Universidade de Nebraska, Lincoln. Lá, ele também se formou em direito (1893). Ele foi nomeado instrutor de tática em West Point em 1897.

A Guerra Hispano-Americana deu a Pershing uma oportunidade de promoção rápida. Ele serviu em Cuba durante a campanha de Santiago (1898) e foi nomeado oficial de artilharia com o posto de major dos voluntários. Em junho de 1899 foi nomeado ajudante geral. Ele organizou o Bureau de Assuntos Insulares do Departamento de Guerra e atuou como chefe desse escritório por vários meses. Pershing foi despachado para as Filipinas como ajudante-geral do departamento de Mindanao em novembro de 1899. Ele foi feito capitão do exército regular em 1901 e conduziu uma campanha contra os Moros até 1903. Em 1905 foi enviado ao Japão como adido militar para a embaixada dos EUA, e durante a Guerra Russo-Japonesa ele passou vários meses como um observador com o exército japonês na Manchúria. Em reconhecimento ao seu serviço nas Filipinas, o Pres. Dos EUA. Theodore Roosevelt promoveu Pershing a brigadeiro-general do posto de capitão em 1906, ultrapassando 862 oficiais superiores. Pershing retornou às Filipinas e lá permaneceu até 1913, servindo como comandante do departamento de Mindanao e governador da província de Moro. Em seguida, ele ganhou atenção como comandante da expedição punitiva enviada contra o revolucionário mexicano Pancho Villa, que havia invadido Columbus, Novo México, em 1916. Após a morte do major-general Frederick Funston em 1917, Pershing o sucedeu como comandante nos Estados Unidos -Fronteira mexicana.

Depois que os Estados Unidos declararam guerra à Alemanha (abril de 1917), o Pres. Woodrow Wilson escolheu Pershing para comandar as tropas americanas enviadas para a Europa. A transição das campanhas anti-insurgência que caracterizaram grande parte da carreira de Pershing para o vasto cerco estagnado da Frente Ocidental foi um teste extremo, mas Pershing trouxe para o desafio um senso administrativo apurado e um talento para executar planos apesar da adversidade . Com sua equipe, Pershing desembarcou na França em 9 de junho de 1917 e, naquele mês, apresentou um "Relatório da Organização Geral" recomendando a criação de um exército de um milhão de homens em 1918 e três milhões em 1919. O planejamento americano anterior não havia contemplado isso um grande exército. Tendo assumido que a AEF não poderia ser organizada a tempo de apoiar as operações militares na Frente Ocidental, os Aliados pediram apenas ajuda financeira, econômica e naval. As recomendações de Pershing sobre o número e a disposição das tropas prevaleceram, no entanto, especialmente depois que a sorte dos Aliados piorou durante 1917. No início de 1918, os planos americanos exigiam a concentração de um exército independente na Frente Ocidental, que Pershing esperava desencadear uma ofensiva decisiva contra a Alemanha.

O esgotamento dos Aliados, decorrente dos reveses de 1917, aumentou sua dependência das armas americanas. Também gerou pressão sobre Pershing para tolerar o “amálgama” de pequenas unidades de tropas americanas em exércitos europeus, já que os Aliados queriam desesperadamente substitutos para suas formações esgotadas para resistir aos ataques esperados. Desde o início, Pershing insistiu que a integridade do exército americano fosse preservada, posicionando-se firmemente contra a tutela francesa e o desejo francês de infundir o novo sangue americano em suas fileiras. Pershing também se opôs às propostas para desviar algumas tropas dos EUA para cinemas secundários. O Conselho Supremo de Guerra, uma instituição criada para coordenar a estratégia político-militar dos Aliados, recomendava continuamente o amálgama e que as operações de desvio fossem conduzidas em outro lugar que não a França, mas Pershing permaneceu impassível. Se a postura de Pershing impôs uma pressão sobre os Aliados exaustos, foi justificada pela advertência freqüentemente citada contra "derramar vinho novo em odres velhos". Pershing também achava que tal arranjo representaria um sacrifício sem precedentes do prestígio nacional. Ele argumentou que a colocação de um exército americano independente seria um sério golpe no moral alemão e proporcionaria uma elevação permanente à autoconfiança americana.

Os desastres do início de 1918 pareciam demonstrar o grande risco que havia sido assumido na busca do ideal de Pershing. Os alemães, seus exércitos da Frente Ocidental tendo sido fortemente reforçados por causa do armistício recentemente concluído entre as Potências Centrais lideradas pelos alemães e a Rússia, embarcaram em uma nova onda de ataques destinados a quebrar a vontade dos Aliados antes que os americanos pudessem implantar em força. Na Segunda Batalha do Somme, os exércitos alemães avançaram 40 milhas (64 km) e capturaram cerca de 70.000 prisioneiros aliados. Quando as ofensivas alemãs de março-junho de 1918 ameaçaram Paris, Pershing colocou todos os seus recursos firmemente à disposição do marechal francês Ferdinand Foch. Essas pressões diminuíram quando os Aliados assumiram a ofensiva durante o verão, no entanto, e Pershing voltou à política anterior.

O exército de Pershing nunca se tornou totalmente autossuficiente, mas conduziu duas operações significativas. Em setembro de 1918, a AEF atacou com sucesso o saliente de Saint-Mihiel. Então, a pedido de Foch, no final daquele mês Pershing rapidamente reagrupou suas forças para a ofensiva Meuse-Argonne, apesar de seus planos originais de avançar em direção a Metz. Embora os preparativos incompletos e a inexperiência tenham retardado as operações Meuse-Argonne, a ofensiva inter-Aliada na França destruiu a resistência alemã no início de outubro e levou ao Armistício no mês seguinte.

Pershing foi criticado por erros operacionais e logísticos, mas sua criação da AEF foi um feito notável. Ele voltou para casa com uma reputação sólida e, em 1º de setembro de 1919, foi nomeado general dos exércitos dos Estados Unidos. O apelido de Pershing, "Black Jack", derivado de seu serviço com um regimento negro no início de sua carreira, passou a significar sua postura severa e disciplina rígida. Sua determinação e dedicação conquistaram o respeito e a admiração de seus homens, senão o afeto. Evitando a política, Pershing permaneceu no exército, servindo como chefe do Estado-Maior de 1921 até sua aposentadoria, três anos depois. As memórias de Pershing foram publicadas como Minhas experiências na guerra mundial, 2 vol. (1931).


Notas de rodapé

1 Thomas A. Johnson, "A Man of Many Roles", 5 de abril de 1972, New York Times: 1. "Mantenha a fé, baby" foi uma das respostas mais memoráveis ​​de Powell às perguntas sobre a decisão da Câmara de excluí-lo do Congresso. Mais tarde, ele usou a frase como título de um livro de seus sermões.

2 Peter Wallenstein, “Powell, Adam Clayton, Jr.,” Biografia Nacional Americana 17 (New York: Oxford University Press, 1999): 771-773 (doravante referido como ANB).

3 Charles V. Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr .: A biografia política de um dilema americano (New York: Atheneum, 1991): 47-50.

4 Simon Glickman, “Adam Clayton Powell, Jr.,” Biografia contemporânea negra 3 (Detroit: Gale Research Inc., 1992) (doravante referido como CBB).

5 Wallenstein, “Powell, Adam Clayton, Jr.,” ANB Shirley Washington, Destacados afro-americanos do Congresso (Washington, DC: U.S. Capitol Historical Society, 1998): 71 Ilene Jones – Cornwell, "Adam Clayton Powell, Jr." em Jessie Carney Smith, ed., Homens Negros Americanos Notáveis (Farmington Hills, MI: Gale Research, Inc., 1999): 954-957 (doravante referido como NBAM).

6 Johnson, "A Man of Many Roles" Wallenstein, "Powell, Adam Clayton, Jr.," ANB Bruce A. Ragsdale e Joel D. Treese, Americanos negros no Congresso, 1870–1989 (Washington, DC: Government Printing Office, 1990): 196.

7 Richard L. Lyons, "Adam Clayton Powell, Apostle for Blacks", 6 de abril de 1972, Washington Publicar: B5.

8 Washington, Afro-americanos proeminentes no Congresso: 68 Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr: 144.

9 "Powell Declares‘ Negro First ’Aim", 9 de abril de 1944, New York Times: 25 “Powell Revises Pledge,” 30 de abril de 1944, New York Times: 40.

10 “Election Statistics, 1920 to Present,” disponível em http://clerk.house.gov/member_info/electionInfo/index.aspx Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 149–156 Glickman, “Adam Clayton Powell, Jr.,” CBB Johnson, "A Man of Many Roles".

11 Jones – Cornwell, “Adam Clayton Powell, Jr.,” NBAM: 956 Wil Haygood, Rei dos gatos: a vida e os tempos de Adam Clayton Powell, Jr. (Nova York: Amistad, 2006): 113.

12 Haygood, Rei dos gatos: 115.

13 Washington, Destacados afro-americanos do Congresso: 70.

14 Wallenstein, “Powell, Adam Clayton, Jr.,” ANB.

15 William J. Brady, "Bailey Punches Powell in Row Over Segregation", 21 de julho de 1955, Washington Publicar: 1 John D. Morris, "Powell Is Punched by House Colleague", 21 de julho de 1955, New York Times: 1 Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 235.

16 Wallenstein, “Powell, Adam Clayton, Jr.,” ANB.

17 Registro do Congresso, House, 78º Cong., 1ª sessão (1 de julho de 1943): A3371.

18 Adam Clayton Powell, Jr., Adam de Adam: a autobiografia de Adam Clayton Powell, Jr. (Nova York: Dial Press, 1971): 73 Washington, Destacados afro-americanos do Congresso: 69–70 Alfred Friendly, "Jefferson and Rankin", 14 de abril de 1947, Washington Publicar: 7.

19 Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 178.

20 Registro do Congresso, House, 79º Cong., 1ª sessão (13 de fevereiro de 1945): 1045 Wil Haygood, "Power and Love When Adam Clayton Powell Jr. Met Hazel Scott, Sparks Flew", 17 de janeiro de 1993, Washington Post Magazine: W14.

21 Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 186–187.

22 Ibid., 165 “Powell Demand for D.A.R. Snub Draws Refusal, ”13 de outubro de 1945, Los Angeles Vezes: 2 Glickman, “Adam Clayton Powell, Jr.,” CBB.

23 “Congressos Debates D.A.R. Hall Row ”, 17 de outubro de 1945, New York Times: 19 "Rankin Calls DAR Attacks‘ Communist ’", 18 de outubro de 1945, Washington Publicar: 4 Haygood, “Power and Love.”

24 Para obter mais informações sobre Powell e a Conferência de Bandung, consulte Brenda Gayle Plummer, Rising Wind: Black Americans and U.S. Foreign Affairs, 1935–1960 (Chapel Hill: University of North Carolina Press, 1996): 248-253. Para a citação "ruim" em uma conversa telefônica entre o Secretário de Estado John Foster Dulles e um oficial da CIA, consulte Departamento de Estado dos EUA, Escritório do Historiador, Relações Exteriores dos Estados Unidos, 1955–1957, Volume 21: Segurança Asiática, Camboja e Laos (Washington, DC: Government Printing Office, 1989): 77.

25 Washington, Destacados afro-americanos do Congresso: 71 Haygood, Rei dos gatos: 200–204.

26 Ao longo de sua carreira, Powell fez muitos desses discursos. Para ver um exemplo, Registro do Congresso, Câmara, 91º Congresso, 1ª sessão. (29 de julho de 1969): 21212.

27 Glickman, “Adam Clayton Powell, Jr.,” CBB.

28 Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 276–279.

29 "Powell Gives Innocent Plea in Tax Case", 17 de maio de 1958, Washington Publicar: A2 "Imposto sobre cobrança de impostos Dismisses Powell Jury", 23 de abril de 1960, Washington Publicar: A3.

30 Para saber mais sobre a rixa de Powell com Tammany Hall, consulte Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 299–312. “Powell Gives Inocent Plea in Tax Case” Leo Egan, “Powell, Lindsay Win in Primaries by Wide Margins,” 13 de agosto de 1958, New York Times: 1 "Powell Victory Is an Old Story", 13 de agosto de 1958, New York Times: 18.

31 Johnson, "A Man of Many Roles."

32 Wallenstein, “Powell, Adam Clayton, Jr.,” ANB.

33 Richard F. Fenno, Jr., Congressistas em Comitês (Boston: Little, Brown e Company, 1973): 128.

34 “‘ Think Big, Black ’, Powell Urges,” 29 de março de 1965, Washington Publicar: D3. Para mais informações sobre o relacionamento de Powell com o presidente Johnson, consulte Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 369–374.

35 Fenno, Congressistas em Comitês: 130–131.

36 Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 434–437 John J. Goldman, “Adam Clayton Powell, 63, Dies Politician, Preacher and Playboy,” 5 de abril de 1972, Los Angeles Vezes: A1.

37 Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 485.

38 Johnson, “A Man of Many Roles.”

39 Glickman, “Adam Clayton Powell, Jr.,” CBB.

40 David Shipler, "Powell, in Race, Has Faith in Himself", 16 de junho de 1970, New York Times: 50 Thomas Ronan, "Rangel, Calling Powell a Failure, Says He Will Seek Congressional Post", 21 de fevereiro de 1970, New York Times: 24.

41 Michael J. Dubin et al., Eleições para o Congresso dos Estados Unidos, 1788–1997 (Jefferson, NC: McFarland Publishing Company, Inc., 1998): 672 Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 473–478.

42 "Powell Defeat Confirmed by Recount", 28 de junho de 1970, New York Times: 29 “Powell Loser in Recount of Primary Vote,” 28 de junho de 1970, Chicago Tribuna: A3.

43 Jones – Cornwell, “Adam Clayton Powell, Jr.,” NBAM Hamilton, Adam Clayton Powell, Jr.: 478.


CURRICULUM VITAE

Artigos publicados e # 8212 livros e artigos

& # 8220Anthony Coronel e o conhecimento decorrente da causa natural. & # 8221 Documenti e Studi sulla Tradizione Filosofical Medievale. 17 (2009) 395-418.

Demonstração e Conhecimento Científico em Guilherme de Ockham: Uma Tradução de Summa Logicae III-II: De Syllogismo Demonstrativo, e seleções do Prólogo à Ordinatio. Notre Dame, Indiana: University of Notre Dame Press, 2007.Isso inclui um longo estudo introdutório do trabalho medieval em demonstração de Grosseteste e alguns de seus predecessores através de Albertus Magnus, Thomas Aquinas e Duns Scotus, bem como traduções adicionais de Giles de Roma e João da Cornualha. Avaliações: & # 8220 Sua tradução cuidadosa, compilação de documentos relevantes e história impressionante do empirismo medieval devem interessar a qualquer estudioso da história da filosofia da ciência. & # 8221 * Alexander Hall, Jornal da História da Filosofia 46 (2008). * Anne Davenport, Isis 99: 4 (2008). & # 8220Em suma, esta é uma excelente introdução e tradução dos tratados de Ockham & # 8217s sobre ou relacionados ao silogismo demonstrativo. O comentário é esclarecedor, especialmente nos casos em que o Caminho Longo deixa abundantemente claro por que Ockham pensava que os poderes causais das coisas e relações causais só podem ser conhecidos pela experiência, e por que ele afirmava que as qualidades podem ter poderes causais. Essas opiniões apoiam a conclusão do Longeway & # 8217s sobre Ockham como o fundador do empirismo na tradição europeia. & # 8221 Andre Goddu, Críticas filosóficas da Notre Dame, 2014.

“Aegidius Romanus e Albertus Magnus vs. Tomás de Aquino no mais alto tipo de demonstração (demonstração potissima).” Documenti e Studi sulla Tradizione Filosofica Médievale. 13 (2002) 373-434.

William Heytesbury: On Maxima e Minima. Capítulo 5 de Regulae solvendi sophsmata com uma discussão anônima do século XIV. Traduzido com introdução e estudo. Série histórica sintética. Dordrecht, Holland: Reidel Press, 1984. Avaliações: Eleanore Stump, História e Filosofia da Lógica 8 (1987) 85-87, “Longeway & # 8217s excellent presentation & # 8230 nos dá uma parte importante do quebra-cabeça à medida que continuamos a juntar as peças da história da filosofia neste período.” Peter King, Revisão Filosófica 96 (1987) 146-149, "Uma contribuição sólida em um campo negligenciado." A. Pattin, Tijdschrift Voor Philosophie 49 (3): 539. Edith Sylla, Isis 77 (1986) 710-711.

Com Ebbesen (Editor Supervisor), Del Punta, Izbicki, Serene e Stump. Simão de Faversham: Quaestiones super librum Elenchorum. Toronto: Pontifício Instituto de Estudos Medievais, 1984.

Artigos lidos

“O lugar de Demonstratio Potissima em Some XVI-Century Accounts of Mathematics ”, apresentado no Colloque sur Les traditions médiévales des Seconds Analytiques (Centre d & # 8217 études supérieures de la Renaissance, Université François-Rabelais, Tours, França), 15-17 de outubro de 2012. Organizado por Joel Biard.

“Antony Coronel e o conhecimento surgido da causa natural”, apresentado no Workshop on Ancient and Medieval Commentaries on the Posterior Analytics. Scuola Normale Superiore, Pisa, Itália, 6-9 de julho de 2008. Organizado por Francesco Del Punta.

“Ekthesis in Aristotelian Demonstration,” apresentado na conferência da Marquette University on the Posterior Analytics, julho de 2006.

& # 8220Prova matemática e demonstração aristotélica, & # 8221 apresentada a & # 8220 os gregos, & # 8221 um grupo de leitura em filosofia grega na Universidade de Wisconsin em Madison liderado pela professora Paula Gottlieb, primavera de 2002.

“Guilherme de Ockham sobre a possibilidade de uma ciência demonstrativa de demonstração.” Apresentado no 34º Congresso Internacional de Estudos Medievais, Western Michigan University, Kalamazoo, Michigan, 6 de maio de 1999.

Artigos em obras de referência

“Simon of Faversham.” “Comentários sobre Posterior Analytics.” "William de Heytesbury." No Springer Encyclopedia of Medieval Philosophy, editado por Henrik Lagerlund (Springer, 2011).

& # 8220Simon of Faversham ”,“ William Heytesbury, ”“ William of Sherwood. ” No Blackwell Companion to Philosophy na Idade Média, editado por Jorge J.E. Gracia e Timothy B. Noone, (Blackwell, 2003).

Críticas e notas

Com Kretzmann, Van Dyke e Stump. “Notas e discussões: L.M. De Rijk sobre Pedro da Espanha.” Jornal da História da Filosofia 16 (julho de 1978) 325-333.

Com Kretzmann, Van Dyke e Stump. Revisão de Pedro da Espanha (Petrus Hispanus Portugalensis): Tractatus chamado posteriormente Summule Logicales, Primeira Edição Crítica dos Manuscritos com uma introdução, por L.M. De Rijk, (Assen: Van Gorcum, 1972). The Philosophical Review 84 (1975) 560-567.

Coisas não publicadas:


6. Leitura Adicional

Além dos textos de Rawls citados acima, os leitores podem desejar consultar as palestras de Rawls & rsquos sobre Hume, Leibniz, Kant e Hegel (LHMP) e em Hobbes, Locke, Hume, Mill, Marx, Sidgwick e Butler (LHPP) para ver como as interpretações de Rawls & rsquos desses autores informaram sua própria teorização. Reath, Herman e Korsgaard (1997) é uma coleção de ensaios de alunos de Rawls & rsquos sobre seu trabalho na história da filosofia.

A literatura acadêmica sobre Rawls é vasta, abaixo estão alguns pontos de entrada que podem ser úteis.

Voice (2011) é um resumo e defesa dos três principais livros de Rawls & rsquos, acessíveis a quem tem alguma formação filosófica de graduação. Alunos mais avançados que desejam um guia para Uma Teoria da Justiça pode querer ler Mandle (2009). Mandle e Reidy (2014) é um léxico com entradas curtas sobre conceitos, questões, influências e críticas importantes, de Aborto a Maximin a Wittgenstein.

Freeman (2007) expõe em um único volume o desenvolvimento histórico das teorias de Rawls & rsquos, bem como elaborações simpáticas de muitos de seus argumentos centrais. Weithman (2011) detalha a evolução do pensamento de Rawls & rsquos a partir de Uma Teoria da Justiça para Liberalismo Político. Pogge (2007) é uma explicação das teorias domésticas de Rawls & rsquos, que também contém um esboço biográfico e breves respostas aos críticos libertários e comunitários (para os quais ver também Pogge (1989)). Maffettone (2011) e Audard (2007) são introduções críticas aos três principais trabalhos de Rawls & rsquos.

Historicamente, o volume mais influente de ensaios sobre justiça como equidade foi Daniels (1975). Freeman (2003) é uma coleção de artigos sobre os principais temas das teorias domésticas de Rawls & rsquos e também contém uma visão geral introdutória de todo o trabalho de Rawls & rsquos. Brooks e Nussbaum (2015) reúne artigos sobre o liberalismo político de Rawls & rsquos. Coleções mais antigas sobre liberalismo político incluem Davion e Wolf (1999), Griffin e Solum (1994) e Lloyd (1994). Martin e Reidy (2006) enfoca o direito dos povos. Hinton (2015) é uma coleção na posição original.

Mandle e Reidy (2013) e Reidy (2008) são volumes de ensaios acadêmicos que abrangem uma ampla gama de questões decorrentes do trabalho de Rawls & rsquos. Young (2016) é uma seleção de artigos mais críticos. Mandle e Roberts-Cady (2020) pares autores em debates sobre questões importantes nos escritos de Rawls e rsquos.

Um debate sobre Rawls e raça ocorre entre Mills (2017, caps. 8 e 9) e Shelby (2004, 2013). Abbey (2013) é um volume sobre os compromissos feministas com o trabalho de Rawls & rsquos. Bailey e Gentile (2014) é uma antologia que explora como os crentes religiosos podem se envolver na vida política de uma sociedade Rawlsiana. Brooks (2012) e Fleming (2004) são coleções sobre Rawls e a lei. O & rsquoNeill e Williamson (2012) trata do desenho institucional de uma democracia Rawlsiana da propriedade. Edmundson (2017) argumenta que a justiça rawlsiana requer socialismo.

Galisanka (2019) é uma história intelectual que leva a Uma Teoria da Justiça, que também detalha as experiências de Rawls e rsquos na Segunda Guerra Mundial. Gregory (2007) e Nelson (2019, cap. 3) examinam os primeiros escritos religiosos de Rawls & rsquos. Bok (2017) enfatiza as influências wittgensteinianas no pensamento inicial de Rawls & rsquos. Botti (2019) situa Rawls dentro do pragmatismo americano. Tratamentos historicistas recentes do trabalho de Rawls & rsquos incluem Forrester (2019) e alguns dos ensaios em Smith, Bejan e Zimmerman (2021). Neste último volume, Terry (2021) discute a condenação de Rawls & rsquos ao racismo do esboço do Vietnã.


Livros

John J. Abt. Quem tem o direito de fazer a guerra? A crise constitucional. Nova York: International Publishers, 1970. LCCN: 74148515.
KF5060 .Z9 A2

American Enterprise Institute for Public Policy Research. A Guerra Powers Bill. Washington: AEI, 1972. Series: Its Legislative Analysis, 92nd Cong., No. 19. LCCN: 72192536.
KF5060 .Z9 A94

Clarence A. Berdahl. Poderes do Executivo de Guerra nos Estados Unidos. Buffalo, N.Y .: William S. Hein, 2003. LCCN: 2003045294
JK558 .B4 2003

Alan I. Bigel. A Suprema Corte sobre Poderes de Emergência, Relações Exteriores e Proteção das Liberdades Civis, 1935-1975. Lanham, MD: University Press of America, 1986. LCCN: 85022572.
KF5060 .B54 1986

Randall Walton Bland. O Manto Negro e a Águia Careca: A Suprema Corte e a Política Externa dos Estados Unidos, 1789-1953. San Francisco: Austin & amp Winfield, 1996. LCCN: 93031327.
KF5060 .B55 1996

Edward DeV. Bunn. Poderes de guerra presidencial em solo doméstico: uma história e análise dos poderes de emergência presidencial exercidos em solo doméstico. Gainesville, Flórida: Cambridge Lighthouse Press, 2005. LCCN: 2005903919.
KF5060 .B86 2005

Susan R. Burgess. Concurso pela Autoridade Constitucional: Os Debates sobre o Aborto e os Poderes da Guerra. Lawrence, KS: University Press of Kansas, 1992. LCCN: 91034979.
KF8700 .B87 1991

Robert D. Clark, Andrew M. Egeland, Jr. e David B. Sanford. A resolução dos poderes de guerra: equilíbrio dos poderes de guerra nos anos oitenta. Washington: National Defense University Press: U.S. GPO, 1985. Série: A National War College Strategic Study. LCCN: 85600614.
KF5060 .C5 1985

Charles M. Clode. A Administração da Justiça de Direito Militar e Marcial, conforme Aplicável ao Exército, Marinha, Fuzileiros Navais e Forças Auxiliares. 2d ed. rev. e enl. Londres: J. Murray, 1874. LCCN: ltf91025900.
KD6290 .C56 1874

Charles M. Clode. A Administração da Justiça no Direito Militar e Marcial. Londres: J. Murray, 1872. LCCN: 12011075.
KD6290 .C56 1872

Congresso e Política Externa dos Estados Unidos: Controlando o Uso da Força na Era Nuclear. Editado por Michael Barnhart. Albany: State University of New York Press, 1987. LCCN: 86023057.
KF5060 .A75 C66 1987

A Constituição e a Conduta da Política Externa: Uma Investigação de um Painel da Sociedade Americana de Direito Internacional. Editado por Francis O. Wilcox, Richard A. Frank publicou sob os auspícios da American Society of International Law. Nova York: Praeger, 1976. LCCN: 75023999.
KF4651 .A5 C6

A Constituição em Tempo de Guerra: Além do Alarmismo e da Complacência. Editado por Mark V. Tushnet. Durham [N.C.]: Duke University Press, 2005. LCCN: 2004015809.
KF5060 .C58 2005

Edward Samuel Corwin. Total War and the Constitution - Cinco palestras proferidas na Universidade de Michigan, março de 1946. Nova York: A. A. Knopf, 1947. Série: William W. Cook Foundation Lectures v. 2. LCCN: 47000777.
KF5060 .C6 1947

Patrick T. Conley. A Legislação Militar da Primeira e Segunda Sessões do Treze Congresso: Um Estudo da Liderança em Tempo de Guerra. Estados Unidos ?: s.n. 1963. LCCN: 99194550.
KF7221.Z9 C66 1963

Brian R. Dirck. Waging War on Trial: a Sourcebook with Cases, Laws and Documents. 1ª ed. Indianapolis: Hackett Pub., 2003. LCCN: 2004012026.
KF5060.Z9 D573 2003

John Hart Ely. Guerra e responsabilidade: lições constitucionais do Vietnã e suas consequências. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1993. LCCN: 92045769.
KF5060 .E58 1993

John E. Finn. Constituições em crise: violência política e estado de direito. Nova York: Oxford Univ. Press, 1991. LCCN: 90031794.
K5256 .F56 1991

Primeiro uso de armas nucleares: de acordo com a Constituição, quem decide? Editado por Peter Raven- Hansen. Nova York: Greenwood Press, 1987. Series: Contributions in Legal Studies No. 38. LCCN: 86033655.
KF5060.A75 F57 1987

Louis Fisher. Poder de guerra presidencial. 2ª ed., Rev. Lawrence, KS: University Press of Kansas, 2004. LCCN: 2004001962.
KF5060 .F57 2004

Leon Friedman e Burt Neuborne. Obediência inquestionável ao presidente: o caso da ACLU contra a guerra ilegal no Vietnã. Nova York: Norton, 1972. 284 p. LCCN: 76169044.
KF5060 .F7

Michael J. Glennon. Diplomacia constitucional. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1990. LCCN: 89039071.
KF4651 .G59 1990

Nathan D. Grundstein. Delegação presidencial de autoridade em tempo de guerra. Pittsburgh, PA: University of Pittsburgh Press, 1961. LCCN: 61009398.
KF5660.Z9 G7

David Locke Hall. As guerras Reagan: uma perspectiva constitucional sobre os poderes de guerra e a presidência. Boulder: Westview Press, 1991. LCCN: 91013127.
KF5060 .H35 1991

Brien Hallett. A arte perdida de declarar guerra. Urbana, IL: University of Illinois Press, 1998.
LCCN: 98008926.
KF5060 .H355 1998

Ryan C. Hendrickson. As Guerras Clinton: A Constituição, o Congresso e os Poderes de Guerra. 1ª ed. Nashville Vanderbilt University Press, 2002. LCCN: 2002003863.
KF5060 .H46 2002

Pat M. Holt. The War Powers Resolution: The Role of Congress in U.S. Armed Intervention. Washington: American Enterprise Institute for Public Policy Research, 1978. Série: Estudos em política externa, estudos AEI 197. LCCN: 78009571.
KF5060 .A25 1978

Peter Irons. Poderes de guerra: como a presidência imperial sequestrou a constituição, Nova York: Metropolitan Books, 2005. LCCN: 2005041488
KF5060 .I76 2005

Jacob K. Javits. Quem Faz a Guerra: O Presidente Versus Congresso. New York, Morrow, 1973. LCCN: 73009354.
KF5060 .J38

Edward Keynes. Guerra não declarada: Twilight Zone of Constitutional Power. University Park, PA: Pennsylvania State University Press, 1991. LCCN: 92153083.
KF5060 .K48 1982

John F. Lehman. Fazendo guerra: a batalha de 200 anos entre o presidente e o Congresso sobre como a América entra em guerra. Nova York: Scribner's Toronto: Maxwell Macmillan Canada Nova York: Maxwell Macmillan International, 1992. LCCN: 91039228.
KF5060 .L44 1992

Charles A. Lofgren. & quotGovernment from Reflection and Choice & quot: Constitutional Essays on War, Foreign Relations, and Federalism. Nova York: Oxford University Press, 1986. LCCN: 86002357.
KF4651 .L64 1986

Maeva Marcus. Truman e o caso da apreensão de aço: os limites do poder presidencial. Nova York: Columbia University Press, 1977. LCCN: 77004095.
KF5060 .M37

Christopher N. May. Em nome da guerra: revisão judicial e poderes de guerra desde 1918. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1989. LCCN: 88009444.
KF4575 .M39 1989

Clinton Lawrence Rossiter. A Suprema Corte e o Comandante em Chefe. Ithaca: Cornell University Press, 1951.LCCN: 51010308.
KF7220.Z9 R6

Clinton Lawrence Rossiter. A Suprema Corte e o Comandante em Chefe. Edição expandida. Ithaca, NY: Cornell University Press, 1976. LCCN: 76012815.
KF7220.Z9 R6 1976

Arthur Meier Schlesinger. Guerra e a presidência americana. 1ª ed. Nova York: W.W. Norton, 2004. LCCN: 2004009872.
JZ1480 .S35 2004

Martin S. Sheffer. O Desenvolvimento Judicial dos Poderes de Guerra Presidencial. Westport, CT: Praeger, 1999. LCCN: 98038287.
KF5060.A68 S53 1999

Marc E. Smyrl. Conflito ou codeterminação ?: Congresso, o presidente e o poder de fazer a guerra. Cambridge, MA: Ballinger Pub. Co., 1988. LCCN: 88019237.
KF5060 .S57 1988

Abraham D. Sofaer. Guerra, Relações Exteriores e Poder Constitucional. Cambridge, MA: Ballinger Pub. Co., 1976-1984. LCCN: 76015392.
KF5060 .S6

Paul Schott Stevens. Forças Armadas dos EUA e Defesa da Pátria: The Legal Framework. Washington, DC: Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, 2001. Série: Relatório CSIS. LCCN: 2001006308.
KF5060 .S74 2001

Ann Van Wynen Thomas e A.J. Thomas Jr. Os Poderes do Presidente para Fazer a Guerra: Aspectos Constitucionais e de Direito Internacional. Dallas: SMU Press, 1982. LCCN: 82010541.
KF5060 .T48 1982

Robert F. Turner. Revogando a resolução dos poderes de guerra: Restaurando o Estado de Direito na Política Externa dos Estados Unidos. Washington: Brassey's, 1991. LCCN: 90024467.
KF5060 .T86 1991

Robert F. Turner. A resolução dos poderes da guerra: sua implementação na teoria e na prática. Filadélfia, PA: Foreign Policy Research Institute, 1983. LCCN: 82024192.
KF5060 .T87 1983

A Constituição dos Estados Unidos e o poder de ir para a guerra: perspectivas históricas e atuais. Editado por Gary M. Stern e Morton H. Halperin, preparado sob os auspícios do Center for National Security Studies. Westport, CT: Greenwood Press, 1994. LCCN: 93015840.
KF5060.A75 U8 1994

Frank Everson Vandiver. Como a América vai para a guerra. Westport, Conn .: Praeger, 2005. LCCN: 2005004212.
E181 .V36 2005

Lawrence R. Velvel. Guerra não declarada e desobediência civil: o sistema americano em crise. New York, Dunellen Co., 1970. LCCN: 75125541.
KF5060 .V4

Poderes de guerra e a constituição. John Charles Daly, moderador Dick Cheney. [et al.] com um apêndice de Gerald R. Ford realizado em 6 de dezembro de 1983 e patrocinado pelo American Enterprise Institute for Public Policy Research. Washington: AEI, 1984. LCCN: 84070313.
KF5060.Z9 W36 1984

Earl Warren. A Declaração de Direitos e os Militares. Nova York: New York University Law Center, 1962. LCCN: 65006815.
KF5060.Z9 W37

Donald L. Westerfield. Poderes de guerra: o presidente, o congresso e a questão da guerra. Westport, CT: Praeger, 1996. LCCN: 95043774.
KF5060 .W457 1996

Alan F. Westin. A anatomia de um caso de direito constitucional: Youngstown Sheet and Tube Co. v. Sawyer the Steel Seizure Decision. New York, Macmillan, 1958. LCCN: 58009839.
KF5060 .W46

Alan F. Westin. A anatomia de um caso de direito constitucional: Youngstown Sheet and Tube Co. v.Sawyer, a decisão de apreensão de aço. Morningside ed. Nova York: Columbia University Press, 1990. LCCN: 90039178.
KF5060 .W46 1990

William Whiting. Poderes de guerra ao abrigo da Constituição dos Estados Unidos: detenções militares, reconstrução e governo militar. 43d ed. Boston, Lee e Shepard New York, Lee, Shepard e Dillingham, 1871. LCCN: 09023595. Microfilm 01291 reel 182, no. 4 E.
KF5060 .W55 1871

W. Scott Wilkinson. Caso Little Rock: Autoridade do Presidente para Usar Tropas Federais em um Estado da União. [s.l.]: Wilkinson, 1957. LCCN: 77363418.
KF5060.Z9 W5

Francis Dunham Wormuth e Edwin B. Firmage. Para acorrentar o cão da guerra: o poder de guerra do Congresso em história e direito. 2ª ed. Urbana, IL: University of Illinois Press, 1989. LCCN: 88020808.
KF4941 .W67 1989

John Yoo. Os Poderes da Guerra e da Paz: a Constituição e as Relações Exteriores após o 11 de setembro. Chicago: University of Chicago Press, 2005. LCCN: 2005004222
KF5060 .Y66 2005


John J. Powers DE-258 - História

LISTA DE MEDALHAS DE GUERRA CIVIL DA UNIÃO NÃO RECLAMADAS M-Z NOS ARQUIVOS DO ESTADO DE WEST VIRGINIA

As perguntas devem ser dirigidas a Randy Marcum

Última atualização em 19 de março de 2021

Mace, Jacob C 7th Reg Cav Vols
Mack, John C 10th Reg Inf Vols
Mackey, Horatio N. 1º Tenente 1º Reg Cav Vols
Madden, Ml. D 5th Reg Cav Vols
Maddons, William L. K 4th Reg Cav Vols
Madison, George 45th US
Maer, Berthold C 1st Reg Inf Vols
Maffitt, Isaac H 10th Reg Inf Vols
Mahan, Daniel C 7th Reg Inf Vols
Mahaney, Stephen K 17th Reg Inf Vols
Mail, William H. K 2nd Reg Inf Vols
Principal, Daniel N 6º Reg Inf Vols
Main, Simon A 7th Reg Inf Vols
Major, Joseph G 4º Reg Cav Vols
Malcolm, William T. G 3rd Reg Cav Vols
Mallory, James M 1st Reg Cav Vols
Malone, Emery G 6th Reg Cav Vols
Malone, James H. H 12th Reg Inf Vols
Malone, John H. 45th US
Malone, Joseph B. G 15º Reg Inf Vols
Maloney, George D 1st Reg Cav Vols
Maloney, Ml. K 2nd Reg Inf Vols
Maloney, William G 3rd Reg Inf Vols
Malry, John F. F 1st Reg Cav Vols
Malsed, Andrew J. I 15th Reg Inf Vols
Mane, Stephenson G 17º Reg Inf Vols
Maneer, Francis I 6th Reg Inf Vols
Mank, Harrison A 1st Reg Cav Vols
Mann, John D 5th Reg Inf Vols
Mann, Patrick B 3rd Reg Inf Vols
Manners, Alexander K. 1st Reg Inf Vols
Boas maneiras, James H 1st Reg Lt Art Vols
Manning, Andrew H 1st Reg Cav Vols
Mansell, Samuel Sgt. H 6º Reg Cav Vols
Mantney, Jackson 1º Tenente 5º Reg Inf Vols
Manuel, John J. M 6th Reg Inf Vols
Maple, John J. D Primeiro Reg. Tenente Art Vols
Marckel, James G 2nd Reg Cav Vols
Mariner, Josiah K 3rd Reg Cav Vols
Markey, Thomas H 1 ° Reg Tenente Art Vols
Markley, George W. N 6th Reg Inf Vols
Markly, Isaiah O 6th Reg Inf Vols
Marple, George W. F 10th Reg Inf Vols
Marr, John G 6º Reg Inf Vols
Marsh, James M. D 8th Reg Inf Vols
Marsh, Solomon M 4º Reg Cav Vols
Marsh, Thaddeus F 3rd Reg Cav Vols
Marshall, Alexander Adjutor 7th Reg Inf Vols
Marshall, Andrew A 1st Reg Inf Vols
Marshall, George 45th US
Marshall, George M 7th Reg Cav Vols
Marshall, George L. F 3rd Reg Cav Vols
Marshall, James W. H 17th Reg Inf Vols
Marshall, John D 17th Reg Inf Vols
Marshall, Moses M. I 5th Reg Inf Vols
Marshall, Thomas L. Cpl. F 6th Reg Cav Vols
Marshall, Walter S. H 6th Reg Cav Vols
Marshall, Washington 45th US
Marshall, William H 2o Reg Vet Inf Vols
Marshall, William A. G 1st Reg Inf Vols
Martin, Alexander B 1st Reg Inf Vols
Martin, David K. 1º Reg Vet Inf Vols
Martin, Edward K 2nd Reg Cav Vols
Martin, George I 10th Reg Inf Vols
Martin, George C. Cpl. F 3rd Reg Cav Vols
Martin, Hugh K 2nd Reg Cav Vols
Martin, J. W. D 2nd Reg Inf Vols
Martin, James M. F 11th Reg Inf Vols
Martin, John K. 2º Reg Cav Vols
Martin, John K 6th Reg Inf Vols
Martin, John B. E 7th Reg Cav Vols
Martin, Jos. F 1st Reg Inf Vols
Martin, Ml. W. G 7th Reg Inf Vols
Martin, Robert A 1st Reg Cav Vols
Martin, Thomas I 4º Reg Inf Vols
Martin, William D. B 7th Reg Inf Vols
Mason, George 45th US
Mason, George W. B 6th Reg Inf Vols
Mason, Horatio F 2nd Reg Cav Vols
Mason, Mansfield B. D 2nd Reg Inf Vols
Mason, Peter I 10th Reg Inf Vols
Massey, Joseph Cpl. F 5th Reg Cav Vols
Masterson, George K. 1st Reg Inf Vols
Matheny, Elias B 7th Reg Inf Vols
Mather, Alexander Músico G 1st Reg Inf Vols
Mathers, Lazarus M 1st Reg Cav Vols
Mathews, John I 5th Reg Inf Vols
Matthews, David E 6th Reg Cav Vols
Matthews, Thomas C 11th Reg Inf Vols
Maxwell, B. W. B 5th Reg Cav Vols
Maxwell, Bernard M 2nd Reg Cav Vols
Maxwell, John B. F 4º Reg Cav Vols
Maxwell, Richard G 6º Reg Cav Vols
Maxwell, William A 1st Reg Inf Vols
Maio, John W. B 7th Reg Inf Vols
Maybee, Jame T. G 13º Reg Inf Vols
Mayfield, Sylvanus A 3rd Reg Cav Vols
Mayfield, W. M. V. E 7th Reg Inf Vols
Mays, William C 5th Reg Inf Vols
Maze, Jos. W. B 11th Reg Inf Vols
McAllister, John A 6th Reg Inf Vols
McAnany, Peter B 11th Reg Inf Vols
McAneny, Francis P 6th Reg Inf Vols
McAtee, Richard H. K. 2o Reg Inf Vols
McAvoy, Ml. Um 3º Reg Cav Vols
McCabe, Benjamin E 1st Reg Inf Vols
McCafferty, William B 1st Reg Inf Vols
McCaine, Henry H 1 ° Reg Tenente Art Vols
McCallister, William Cpl. M 4º Reg Cav Vols
McCann, Moses I 6th Reg Inf Vols
McCann, Samuel G 1st Reg Inf Vols
McCanna, Frank B 10th Reg Inf Vols
McCanner, James A 3rd Reg Cav Vols
McCannon, Sampson G 1º Reg Vet Inf Vols
McCarl, George N 6th Reg Inf Vols
McCart, Edward C 4º Reg Inf Vols
McCartney, A. C 1st Reg Cav Vols
McCarty, John W. G 1st Reg Cav Vols
McCarty, Ml. C 7th Reg Cav Vols
McCarty, Thomas C 1st Reg Cav Vols
McCarty, William H. Cpl. E 2nd Reg Cav Vols
McCaslin, George G 2nd Reg Cav Vols
McCaukey, Alexander L. Cpl. B 6º Reg Cav Vols
McCauslin, Robert K. 1st Reg Inf Vols
McCay, Daniel F 5th Reg Cav Vols
McCay, James H. F 4º Reg Cav Vols
McClay, George F 5th Reg Cav Vols
McCleane, Francis H. A 5º Reg Cav Vols
McCleanon, Robert K. 5th Reg Cav Vols
McCleanon, Thomas W. K 5th Reg Cav Vols
McClellan, William D. N 6th Reg Inf Vols
McClintock, J. F. Músico I 1st Reg Inf Vols
McCloskey, James L 6th Reg Inf Vols
McCloud, Thomas H 7th Reg Inf Vols
McCloy, John I 3rd Reg Cav Vols
McCloy, William I 3rd Reg Cav Vols
McClure, William E 5th Reg Inf Vols
McCon, James W. C 12th Reg Inf Vols
McConahey, A. S. C 1st Reg Cav Vols
McConnell, George W. D 1st Reg Cav Vols
McConnell, James H 11th Reg Inf Vols
McConnell, James Cpl. G 2º Reg Cav Vols
McConnis, Ralph K 5th Reg Inf Vols
McCord, Robert D 1st Reg Inf Vols
McCordal, Owen I 5th Reg Inf Vols
McCorkle, Charles M. D 7th Reg Cav Vols
McCormack, James C 1st Reg Inf Vols
McCormack, John K. 1st Reg Cav Vols
McCormack, William I 7th Reg Cav Vols
McCormick, Frank A 1st Reg Inf Vols
McCormick, Robert F 5th Reg Cav Vols
McCormick, Thomas Sgt. D 9º Reg Inf Vols
McCoun, James I 2o Reg Vet Inf Vols
McCoy, Charles D. C 1st Reg Inf Vols
McCoy, Jeremiah 45th US
McCoy, John E 7th Reg Cav Vols
McCoy, John L. L 7th Reg Cav Vols
McCoy, Samuel G 1st Reg Inf Vols
McCoy, Samuel H 1st Reg Inf Vols
McCray, Joshua G 1st Reg Cav Vols
McCrea, Robert D 1st Reg Inf Vols
McCroby, Henry C. B 3rd Reg Cav Vols
McCully, Willace Cpl. D 4º Reg Inf Vols
McDade, Edward E 8th Reg Inf Vols
McDaniel, Caleb D 5th Reg Inf Vols
McDaniel, James I 9th Reg Inf Vols
McDaniel, Milton D 5th Reg Inf Vols
McDaniel, William G 1st Reg Cav Vols
McDermot, Roger B 6º Reg Cav Vols
McDonald, Allen F 1st Reg Inf Vols
McDonald, Archibald B 5th Reg Cav Vols
McDonald, David A 15th Reg Inf Vols
McDonald, John A 7th Reg Inf Vols
McDonald, William I 1st Reg Cav Vols
McDondle, Daniel H. C. F 14th Reg Inf Vols
McDowe, John M. I 1st Reg Cav Vols
McDowell, James F 11th Reg Inf Vols
McDowell, Richard B. Cpl. A 1st Reg Cav Vols
McEntee, Matthew C 1st Reg Inf Vols
McFadden, Elias B. I 3rd Reg Cav Vols
McFadden, James L. B 10th Reg Inf Vols
McFarlane, Johnson C 1st Reg Inf Vols
McGafin, William K 4th Reg Cav Vols
McGarvey, Matthew Sgt. A 1st Reg Cav Vols
McGee, George W. Bugler K 6º Reg Cav Vols
McGhee, John F 1st Reg Cav Vols
McGill, Armstrong G 1º Reg Tenente Art Vols
McGill, David F. A 6th Reg Inf Vols
McGill, Henry F 5th Reg Cav Vols
McGill, John G. 1st Reg Inf Vols
McGilvery, John D 1st Reg Cav Vols
McGinnis, Thomas K. 4º Reg Inf Vols
McGlone, Patrick K 2nd Reg Cav Vols
McGlynn, Patrick K. 17º Reg Inf Vols
McGoffin, Joshua M 7th Reg Cav Vols
McGowan, Edward F 1st Reg Inf Vols
McGraw, James F 6th Reg Cav Vols
McGraw, William E 2nd Reg Cav Vols
McGreary, George I 1st Reg Inf Vols
McGuigan, John G. Sgt. D 14º Reg Inf Vols
McGuire, John H 4th Reg Inf Vols
McGuire, Joseph C, 2º Reg Vet Inf Vols
McGuire, William E 14th Reg Inf Vols
McGunigal, James K. 4º Reg Inf Vols
McGurgen, Peter D 5th Reg Cav Vols
McHenry, William N 6th Reg Inf Vols
McIntosh, Alexander R. Sgt. Um 2º Reg Cav Vols
McIntosh, James G. 1º Reg Tenente Art Vols
McIntyre, John W. G 1st Reg Cav Vols
McJilton, Nelson H 2º Reg Vet Inf Vols
McKee, John T. A 7th Reg Inf Vols
McKeefer, Thomas F 5th Reg Cav Vols
McKelly, James H 13th Reg Inf Vols
McKendry, Isaac A. 1º Tenente 5º Reg Inf Vols
McKennan, T. M. T. F 1º Reg Cav Vols
McKenon, Patrick F 7th Reg Inf Vols
McKenzie, Alexander G 1st Reg Lt Art Vols
McKenzie, James A. B 1st Reg Cav Vols
McKingley, John D 7th Reg Inf Vols
McKinn, Augustus E 1st Reg Cav Vols
McKinney, Alexander G 1º Reg Vet Inf Vols
McKinney, Thomas B 6º Reg Cav Vols
McKinney, William L 1st Reg Cav Vols
McKinsey, George W. K 4th Reg Inf Vols
McKirahan, W. D. Sgt. D 1st Reg Cav Vols
McKnight, William T. K 1º Reg Vet Inf Vols
McLain, Henry A 1st Reg Cav Vols
McLaughlin, Ed. Sgt. G 2º Reg Cav Vols
McLelland, Thomas W. D 7th Reg Inf Vols
McMannon, Thomas C 3rd Reg Inf Vols
McManus, James Cpl. D 1st Reg Cav Vols
McManus, Patrick B 15th Reg Inf Vols
McMillan, Charles M. Cpl. F 4º Reg Inf Vols
McMillan, Samuel H 7th Reg Cav Vols
McMillan, William J. Cpl. Um 3º Reg Cav Vols
McMillen, E. B. D 1st Reg Cav Vols
McMillion, John T. K 11th Reg Inf Vols
McMullen, Angus K 4th Reg Inf Vols
McMullen, William Sgt. G 13º Reg Inf Vols
McMurray, William B. D 2nd Reg Inf Vols
McNabb, John B 1st Reg Inf Vols
McNally, Patrick Major 2nd Reg Inf Vols
McNemar, B.A. M 6th Reg Inf Vols
McNemar, John H. A 3rd Reg Inf Vols
McNickle, John B. H 2o Reg Vet Inf Vols
McOllister, David F 4º Reg Cav Vols
McOrmick, Francis E 1st Reg Inf Vols
McQuown, Albert F 1st Reg Cav Vols
McQuown, Albert H 1st Reg Lt Art Vols
McQuown, Robert D 12th Reg Inf Vols
McSmith, Daniel Sgt. Um 6º Reg Cav Vols
McSwords, James G 1st Reg Inf Vols
McVicker, William K 17th Reg Inf Vols
McWand, Patrick D 5th Reg Cav Vols
McWilliams, Harvey B 17th Reg Inf Vols
Meaker, Jackson G 1st Reg Vet Inf Vols
Meckling, John D 7th Reg Inf Vols
Meddick, James H. A 9th Reg Inf Vols
Meddick, William R. A 9th Reg Inf Vols
Meddock, Charles I 11th Reg Inf Vols
Meder, Lewis I, 2º Reg Vet Inf Vols
Megan, Owen K 2nd Reg Inf Vols
Meighan, James K. 14th Reg Inf Vols
Melvin, Edward K 5th Reg Cav Vols
Menser, William H. C 17th Reg Inf Vols
Meny, James C 15th Reg Inf Vols
Mequillet, David Capitão 1.º Reg Cav Vols
Mercer, Lewis D. H 1st Reg Inf Vols
Mercer, William W. B 4th Reg Cav Vols
Meredith, Robert C. E 5th Reg Cav Vols
Merriman, James F 4th Reg Inf Vols
Merryman, Nicholas H 1 ° Reg Tenente Art Vols
Mertz, Rudolph A 1st Reg Cav Vols
Merz, Rudolph A 1st Reg Lt Art Vols
Metheny, Joseph M. B 4º Reg Cav Vols
Meyer, H. H. A 1st Reg Lt Art Vols
Michael, John A. Cpl. E 1o Reg Cav Vols
Michael, William Cpl. D 15º Reg Inf Vols
Michael, William B 3rd Reg Cav Vols
Middleton, John T. L 2nd Reg Cav Vols
Mier, Jacob H 1st Reg Inf Vols
Milam, Attison H 7th Reg Cav Vols
Miles, Francis M. Capitão 5º Reg Inf Vols
Miley, Joseph F 7th Reg Inf Vols
Millbeck, William D 2nd Reg Cav Vols
Millegan, G. W. Com. Sgt. 9º Reg Inf Vols
Millegan, George W. C 9th Reg Inf Vols
Miller, Allen T. I 1st Reg Cav Vols
Miller, Andrew A 4th Reg Inf Vols
Miller, Conrad C 5th Reg Cav Vols
Miller, David K. L 6th Reg Inf Vols
Miller, Elijah G 6th Reg Cav Vols
Miller, Enos H 17th Reg Inf Vols
Miller, Gabrl. F 1st Reg Inf Vols
Miller, George I 10th Reg Inf Vols
Miller, George T. D 13th Reg Inf Vols
Miller, George W. G 14th Reg Inf Vols
Miller, Jacob G 10th Reg Inf Vols
Miller, Jacob H. Farrier B 4th Reg Cav Vols
Miller, James M. Cpl. Um 7º Reg Inf Vols
Miller, James M. G 10th Reg Inf Vols
Miller, John F. A 3rd Reg Cav Vols
Miller, Morgan L 1st Reg Cav Vols
Miller, Moses K 4th Reg Inf Vols
Miller, Stewart D 7th Reg Inf Vols
Miller, Thomas G. A 1st Reg Cav Vols
Miller, William K. 1º Reg Vet Inf Vols
Miller, William H 17th Reg Inf Vols
Miller, William A 1st Reg Cav Vols
Miller, William D 6th Reg Cav Vols
Miller, William I 2nd Reg Cav Vols
Miller, William I 2nd Reg Vet Inf Vols
Miller, William J. B 1st Reg Inf Vols
Mills, Anderson I 2nd Reg Cav Vols
Mills, William A. Sgt. E 1o Reg Inf Vols
Minke, Christn. P 6º Reg Inf Vols
Minker, William D. A 3rd Reg Inf Vols
Minness, Calihill 45th US
Miskell, John A. Ind Exempt Inf Vols
Mitchell, Andrew J. A 1st Reg Inf Vols
Mitchell, Ellis B. F 10th Reg Inf Vols
Mitchell, George E 7th Reg Cav Vols
Mitchell, Isaac C 10th Reg Inf Vols
Mitchell, Lewis 45th US
Mitchell, Ml. H 1st Reg Cav Vols
Mitchell, Moses M. A 17th Reg Inf Vols
Mitchell, Phelps H 2nd Reg Vet Inf Vols
Mitchell, Robert I 8th Reg Inf Vols
Mitchell, Roseberry Cpl. C 2nd Reg Cav Vols
Mitchell, William A 4th Reg Inf Vols
Mitchell, William B 2nd Reg Cav Vols
Mitchem, Isaac M. A 1st Reg Cav Vols
Mobley, John E. Cpl. H 1º Reg Tenente Art Vols
Moffitt, Will A. E 5th Reg Cav Vols
Moffitt, Will O. K 6th Reg Cav Vols
Mollohan, John H. B 10th Reg Inf Vols
Molly, Edward C. Cpl. K 2nd Reg Inf Vols
Moloy, John H 9th Reg Inf Vols
Monegan, Thomas I 1st Reg Inf Vols
Moninger, Adam D 5th Reg Cav Vols
Monohan, Patrick G 6th Reg Inf Vols
Monroe, James 45th US
Monroe, James M. B 2o Reg Cav Vols
Monroe, Jefferson 45th US
Monroe, Richard M. B 2 ° Reg Cav Vols
Monrough, John T. I 2º Reg Vet Inf Vols
Montay, James C 1st Reg Cav Vols
Montgomery, Andrew J. A 3rd Reg Cav Vols
Montgomery, George B. 1º Tenente 2º Reg Cav Vols
Moody, John I 5th Reg Inf Vols
Lua, Nathaniel G 1.º Reg Cav Vols
Mooney, Andrew L. P 6th Reg Inf Vols
Mooney, George W. B 1st Reg Cav Vols
Mooney, James K 2nd Reg Cav Vols
Moore, Abraham O 6th Reg Inf Vols
Moore, Dan K 7th Reg Cav Vols
Moore, Eli D 17th Reg Inf Vols
Moore, Franklin I 15th Reg Inf Vols
Moore, Ira C. I 10th Reg Inf Vols
Moore, Isaac A. F 7th Reg Inf Vols
Moore, Isaac W. QM Sgt. F 1st Reg Cav Vols
Moore, Jefferson G 6º Reg Inf Vols
Moore, Jesse D 2nd Reg Cav Vols
Moore, John H. P 6th Reg Inf Vols
Moore, John W. B 5th Reg Cav Vols
Moore, Josephus D 17th Reg Inf Vols
Moore, Lee M. Farrier C 4º Reg Cav Vols
Moore, Marion E 5th Reg Cav Vols
Moore, Martin P. F 1st Reg Cav Vols
Moore, Moses E 2nd Reg Inf Vols
Moore, Robert I 4º Reg Cav Vols
Moore, Robert C. I 10th Reg Inf Vols
Moore, Rufus C 8th Reg Inf Vols
Moore, Thomas C. G 4º Reg Inf Vols
Moore, William F 10th Reg Inf Vols
Moore, William Sgt. Um 5º Reg Inf Vols
Moore, William K. 4º Reg Inf Vols
Moore, William H. F 6º Reg Cav Vols
Moore, William H. C 10th Reg Inf Vols
Moose, George W. B 7th Reg Inf Vols (medalha mostra Moore)
Moplington, John G. 45th US
Moral, Philip I 7th Reg Inf Vols
Morehart, John A. 1º Tenente 8º Reg Inf Vols
Moreland, E. N. J. M 2nd Reg Cav Vols
Morgan, Thomas W. Sgt. C 1st Reg Inf Vols
Morgan, William Capitão 1º Reg Inf Vols
Morley, Alamander K 5th Reg Inf Vols
Morris, Alfred H 5th Reg Inf Vols
Morris, Charles L. B 2º Reg Cav Vols
Morris, Dewitt Cpl. B Ind Isento Inf Vols
Morris, Jos. B 1st Reg Inf Vols
Morris, Levi C 7th Reg Inf Vols
Morris, Richard H 5th Reg Inf Vols
Morrison, Daniel E 1st Reg Inf Vols
Morrison, F. A. M. C 1º Reg Cav Vols
Morrison, Patrick B 1st Reg Cav Vols
Morrison, William F. I 2o Reg Vet Inf Vols
Morse, Harrison F 5th Reg Inf Vols
Morse, Wilkinson M. G 6º Reg Cav Vols
Mosslander, Joseph E. D 7th Reg Inf Vols
Mouls, Henry G 7th Reg Cav Vols
Mozier, Anthony H 1 ° Reg Tenente Art Vols
Mullen, Ebenezer B. E 1st Reg Cav Vols
Mullen, John W. K 2nd Reg Cav Vols
Mullenax, Robert D 6th Reg Inf Vols
Muller, Thomas J. D 17th Reg Inf Vols
Mulligan, John R. K 3rd Reg Cav Vols
Mundle, Frederick T. B 17º Reg Inf Vols
Murdock, William D 1st Reg Inf Vols
Murphy, Daniel D. I 11th Reg Inf Vols
Murphy, George K 3rd Reg Cav Vols
Murphy, George W. K 1st Reg Cav Vols
Murphy, Jeremiah D 7th Reg Cav Vols
Murphy, John K. 4º Reg Inf Vols
Murphy, John F 2nd Reg Cav Vols
Murphy, Thomas I 2o Reg Vet Inf Vols
Murphy, William H. 2º Tenente 1º Reg Cav Vols
Murray, Martin H 6th Reg Cav Vols
Murray, Rufus P. Musician 4th Reg Inf Vols
Murray, William A 2nd Reg Cav Vols
Murriner, John E 1st Reg Inf Vols
Murriner, William H 2o Reg Vet Inf Vols
Murry, David K. 4º Reg Inf Vols
Musta, Henry G 1.º Reg Inf Vols
Myers, Benton H 4th Reg Cav Vols
Myers, Finley T. F 1st Reg Inf Vols
Myers, Henry H 1st Reg Cav Vols
Myers, Jacob A 7th Reg Inf Vols
Myers, Jacob A. Sgt. K 2nd Reg Cav Vols
Myers, James H 9th Reg Inf Vols
Myers, Joseph C 7th Reg Inf Vols

Nance, Aaron G 1º Reg Vet Inf Vols
Nance, George H 9th Reg Inf Vols
Naylor, Adam B 11th Reg Inf Vols
Neal, Andrew D. I 7º Reg Cav Vols
Neal, John B. O. E 7th Reg Inf Vols
Neal, Thomas S. Cirurgião 2º Reg Cav Vols
Nease, Elijah D. H 2o Reg Vet Inf Vols
Nee, Thomas O 6º Reg Inf Vols
Needham, Alfred I 4º Reg Inf Vols
Neice, James F 5th Reg Inf Vols
Nelson, Ephraim K 11th Reg Inf Vols
Nelson, Hiram K 2nd Reg Inf Vols
Nelson, Lafayette A 3rd Reg Cav Vols
Nelson, Milton F 5th Reg Inf Vols
Nelson, William L. E 7th Reg Inf Vols
Neumann, Frederick 1º Tenente 8º Reg Inf Vols
Neville, William T. B 13º Reg Inf Vols
Newcomb, John B 15th Reg Inf Vols
Newland, George 45th US
Newlitt, George D. 2nd Reg Inf Vols
Newman, Edward E 2nd Reg Cav Vols
Newman, Henry C. K 4º Reg Inf Vols
Newman, James D 1st Reg Cav Vols
Newman, Samuel G. F 6º Reg Cav Vols
Nicholas, George A 10th Reg Inf Vols
Nichols, George 45th US
Nichols, William T. G 4º Reg Inf Vols
Nicholson, Francis A 6th Reg Cav Vols
Nickel, Harrison L. Sgt. C 2nd Reg Cav Vols
Sobrinha, Alexander F 5th Reg Inf Vols
Nixon, William M 7th Reg Cav Vols
Nixon, William E 2nd Reg Cav Vols
Nixon, William H 6th Reg Inf Vols
Noble, James L 2nd Reg Cav Vols
Nolan, Charles P. K 17th Reg Inf Vols
Nolen, James W. 1º Tenente 8º Reg Inf Vols
Nolen, John R. M 4º Reg Cav Vols
Nolte, Henry D 2nd Reg Inf Vols
Meio-dia, Thomas G 1st Reg Inf Vols
Norfolk, William A 15th Reg Inf Vols
Nariz, Samuel C 10º Reg Inf Vols
Nunnemaker, John Cpl. D 2nd Reg Cav Vols
Nuzum, Charles A. K 17th Reg Inf Vols
Nye, Otis J. B 5th Reg Cav Vols

O'Brien, John H. Primeiro Reg. Tenente Art Vols
O'Bryan, John K. 1º Reg Vet Inf Vols
O'Callahan, Thomas B 3rd Reg Cav Vol
O'Connel, Michael D 1st Reg Inf Vols
O'Donnell, Dominic D 2nd Reg Cav Vols
O'Donnell, Edward O 6th Reg Inf Vols
O'Donnell, James D 1st Reg Inf Vols
O'Haro, John A. 3rd Reg Cav Vols
O'Neal, Hugh K 4º Reg Inf Vols
O'Neal, John D 1st Reg Inf Vols
Oaks, John K. 2nd Reg Inf Vols
Ogle, Samuel H. H Primeiro Reg. Tenente Art Vols
Oldfield, George H 2nd Reg Vet Inf Vols
Oliver, James B. M 7th Reg Cav Vols
Oliver, Jos. Sgt. I 1st Reg Inf Vols
Oliver, Joseph D 1st Reg Inf Vols
Oliver, Zepeniah E 5th Reg Inf Vols
Ollem, Robert W. E 4º Reg Cav Vols
Ollryche, Silas G. D 4º Reg Cav Vols
Otis, Thomas H 7th Reg Inf Vols
Ott, William H, 2º Reg Vet Inf Vols
Otte, William H 6th Reg Inf Vols
Otterson, John F 5th Reg Cav Vols
Otto, William Capitão 2º Reg Inf Vols
Owens, James W. C 10th Reg Inf Vols

Padden, Henry Farrier A 3rd Reg Cav Vols
Página, Stephen 45th US
Palmer, Arthur S. A 3rd Reg Cav Vols
Panner, Philip F 5th Reg Cav Vols
Papp, John Saddler F 2nd Reg Cav Vols
Parcell, Theo. D 4º Reg Cav Vols
Pariott, Robert A. G 17th Reg Inf Vols
Paróquia, Anderson 45º EUA
Paróquia, James 45th US
Paróquia, Reuben 45th US
Park, John P 6th Reg Inf Vols
Parker, James I 5th Reg Inf Vols
Parker, John F. B 2º Reg Cav Vols
Parker, Oliver B 7th Reg Inf Vols
Parks, George Cpl. H 1º Reg Tenente Art Vols
Parmer, George B. E 2nd Reg Cav Vols
Parsons, Eleazer Cpl. F 9º Reg Inf Vols
Parsons, John G 8th Reg Inf Vols
Parsons, Philander C 9th Reg Inf Vols
Partlow, Morgan D 2nd Reg Cav Vols
Pascol, Thomas Sgt. H 2º Reg Vet Inf Vols
Pasters, Robert A 4th Reg Cav Vols
Pastores, James D. Cpl. Um 3º Reg Cav Vols
Pastores, Robert E 1st Reg Cav Vols
Patlow, David McG. L 7th Reg Cav Vols
Patterson, Amaziah B. E 7th Reg Inf Vols
Patterson, Carey E. B 4th Reg Inf Vols
Patterson, James H. G 1st Reg Cav Vols
Patterson, John A 4th Reg Cav Vols
Patterson, Nathaniel I 2º Reg Vet Inf Vols
Patterson, Samuel Wagoner K. 2º Reg Cav Vols
Patton, Henry W. E 2nd Reg Cav Vols
Patton, James P 6th Reg Inf Vols
Patton, Milton M. Cpl. N 6º Reg Inf Vols
Patton, Washington B 2nd Reg Cav Vols
Paugh, Alexander A. G 6º Reg Cav Vols
Paugh, John C. L 1st Reg Cav Vols
Paxton, Francis M. I 1o Reg Cav Vols
Paxton, Samuel 45th US
Payne, William A. C 7th Reg Inf Vols
Pacificador, Ml. I 5º Reg Inf Vols
Pearson, James L. G 7th Reg Cav Vols
Peck, Isaac D 1st Reg Inf Vols
Peden, Hezekiah I 1st Reg Inf Vols
Peirson, James C. 1º Tenente 12º Reg Inf Vols
Pemberton, Lewis D 5th Reg Inf Vols
Pemberton, Solomon H 5th Reg Inf Vols
Pence, David D 9th Reg Inf Vols
Pendelton, John 45th US
Peppers, James G 7th Reg Cav Vols
Peppers, James M. D 10th Reg Inf Vols
Perkins, James B. D 5th Reg Inf Vols
Perry, Armstrong H. Cpl. F 2nd Reg Cav Vols
Perry, James R. I 7º Reg Cav Vols
Persinger, John L. G 10th Reg Inf Vols
Petchell, Clemens A 1st Reg Lt Art Vols
Peterman, Ralph I 9th Reg Inf Vols
Peters, Benjamin F. K 6th Reg Inf Vols
Peters, John I 2nd Reg Inf Vols
Petry, Christian, 2º Tenente, 2º Reg Inf Vols
Petticord, Dawson I 2nd Reg Vet Inf Vols
Pettinger, James Cpl. L 1st Reg Cav Vols
Pettit, Jeremiah H 1st Reg Inf Vols
Pettitt, Jerry L 1st Reg Cav Vols
Pew, Alpheus E 17th Reg Inf Vols
Peyton, John H. I 2o Reg Vet Inf Vols
Peyton, Lewis I 1st Reg Cav Vols
Peyton, William M. G 7º Reg Cav Vols
Pfieffer, Henry I 2o Reg Vet Inf Vols
Pfisterer, Ernest Sgt. Um 1º Reg Tenente Art Vols
Phelps, Hugh D 4th Reg Cav Vols
Phelps, Matthew F 4th Reg Inf Vols
Philben, M. C 1st Reg Cav Vols
Philips, Thomas E 14th Reg Inf Vols
Phillips, Charles S. D 4º Reg Cav Vols
Phillips, Lewis A 1st Reg Inf Vols
Phillips, Louis D 1st Reg Cav Vols
Phillips, Marshall Cpl. I 6º Reg Inf Vols
Phillips, Randolph D 17th Reg Inf Vols
Phillips, Randolph D 6th Reg Cav Vols
Phillips, Samuel Cpl. A 8th Reg Inf Vols
Phillips, Stephen K. 8th Reg Inf Vols
Phillips, Thomas F 7th Reg Inf Vols
Phillips, Thomas B. L 2nd Reg Cav Vols
Phillips, Thomas S. C 7th Reg Inf Vols
Pickenpaugh, Jacob H 6th Reg Inf Vols
Pickett, Charles W. Sgt. B 2o Reg Inf Vols
Pifer, George B 2nd Reg Cav Vols
Pigman, Martin C 2º Reg Vet Inf Vols
Pilcher, George A 3rd Reg Cav Vols
Pine, George W. Cpl. D 9º Reg Inf Vols
Pinnell, James C 6th Reg Inf Vols
Piper, Peter D 1st Reg Inf Vols
Pipes, John H. Hosp. Comissário 4º Reg Cav Vols
Pitts, Simon I 6th Reg Inf Vols
Pixley, George W. C 1st Reg Cav Vols
Playford, Robert W. 1º Tenente 1º Reg Cav Vols
Plummer, Jos. K 12th Reg Inf Vols
Plunkett, James B 15th Reg Inf Vols
Poe, Nathan H. B 6th Reg Inf Vols
Poehm, Charles K. 4º Reg Inf Vols
Pointer, William K 7th Reg Cav Vols
Polônia, John I 10th Reg Inf Vols
Pool, James J. D 7th Reg Inf Vols
Pool, Thomas E 6th Reg Inf Vols
Pool, William R. H 6th Reg Inf Vols
Poole, R. W. G. A 1st Reg Inf Vols
Porter, Bellamy S. G 1st Reg Inf Vols
Porter, George T. H 6º Reg Inf Vols
Porter, James D 1st Reg Inf Vols
Porter, John I 13th Reg Inf Vols
Porter, William L 4th Reg Cav Vols
Porter, William H. Saddler E 2o Reg Cav Vols
Porterfield, Thomas D 1st Reg Cav Vols
Potter, Hinton B 15th Reg Inf Vols
Potter, Newton Sgt. H 3rd Reg Inf Vols
Powell, Bailey L 1st Reg Cav Vols
Powell, George W. 2º Tenente 7º Reg Inf Vols
Powell, Henry C. H 4th Reg Cav Vols
Powell, Henry C. E 5th Reg Inf Vols
Powell, Henry C. G 5º Reg Cav Vols
Powell, John M. K 1º Reg Vet Inf Vols
Powell, John R. D 6th Reg Inf Vols
Powell, Luther H. F 3rd Reg Inf Vols
Powell, Malon D 5th Reg Inf Vols
Powell, Thomas L 1st Reg Cav Vols
Powell, W. Angelo Capitão 1.º Reg Cav Vols
Powell, William B. D 17th Reg Inf Vols
Powelson, Charles T. I 10th Reg Inf Vols
Powers, Edw. D. I 1st Reg Inf Vols
Powers, Isaac L. B 7th Reg Inf Vols
Powers, John F. G 10th Reg Inf Vols
Powers, Joseph T. F. C 9º Reg Inf Vols
Poderes, Woodson Capitão 5º Reg Inf Vols
Pratt, Charles D 4th Reg Cav Vols
Pratt, Ezra G 4º Reg Inf Vols
Pratt, Henry A 10th Reg Inf Vols
Pratt, John D. C 10th Reg Inf Vols
Pratt, William C. D 5th Reg Inf Vols
Presley, William I 2nd Reg Cav Vols
Preston, Morgan K 1st Reg Vet Inf Vols
Price, Anthony 45th US
Price, Archibald G 5th Reg Inf Vols
Price, B. F. A 2nd Reg Cav Vols
Priester, Solomon 1º Tenente 7º Reg Cav Vols
Prim, Benjamin H 2nd Reg Cav Vols
Primbur, George Cpl. D 1st Reg Inf Vols
Prince, Henry J. H 10th Reg Inf Vols
Prince, John W. Blacksmith K 2nd Reg Cav Vols
Profhater, James D 1st Reg Inf Vols
Prophater, Jackson I 1st Reg Inf Vols
Prothers, Reese K 6th Reg Inf Vols
Provance, Joseph Sgt. L 2nd Reg Cav Vols
Pry, James D. F 1st Reg Cav Vols
Puffinberger, Christain E 17th Reg Inf Vols
Pugh, John B. 2º Reg Cav Vols
Pugh, William T. E 9º Reg Inf Vols
Pullins, Wesley "Honorably Dispensado" H 10th Reg Inf Vols
Pullins, Wesley "morto em batalha" H 10th Reg Inf Vols
Pumphrey, William D 10th Reg Inf Vols
Purcell, Harvey H 10th Reg Inf Vols

Quest, James D 2nd Reg Inf Vols
Quimby, George A. M 2nd Reg Cav Vols
Quinn, John F 5th Reg Cav Vols
Quinn, Thomas K. 2º Reg Cav Vols

Raber, Enos M. G 7th Reg Inf Vols
Radell, Jacob C 1st Reg Inf Vols
Rifa, Ralf, Sr. I 1st Reg Inf Vols
Sorteio, Ralph 2º Tenente 2º Reg Vet Inf Vols
Rahrla, Adam D 6º Reg Inf Vols
Rakin, Adia H 7th Reg Inf Vols
Ralston, Jeremiah K 10th Reg Inf Vols
Ramer, Benjamin A 7th Reg Inf Vols
Ramsbottom, Simeon D 10th Reg Inf Vols
Ramsey, George O 6th Reg Inf Vols
Ramsey, George W. A 13th Reg Inf Vols
Ramsey, James D 1st Reg Inf Vols
Ramsey, Milton R. Wagoner B 7th Reg Inf Vols
Rand, Jasper B 11º Reg Inf Vols
Rankin, Hezikiah Cpl. C 7th Reg Inf Vols
Rankin, John K. 4º Reg Inf Vols
Ranste, Morton 45th US
Ratcliff, William G 10th Reg Inf Vols
Rater, Robert A 7th Reg Inf Vols
Ratliff, James G 13th Reg Inf Vols
Ratliff, John E. C 6th Reg Inf Vols
Rauss, agosto Cpl. G 5º Reg Inf Vols
Ray, Alexander L 4º Reg Cav Vols
Ray, James Comm. Sgt. 12º Reg Inf Vols
Ray, John D. H 1 ° Reg Tenente Art Vols
Ray, Samuel F 2nd Reg Cav Vols
Rayburn, Henry H. E 9th Reg Inf Vols
Rayl, James H 17th Reg Inf Vols
Rea, Hirman H. A 4th Reg Cav Vols
Leitor, John K 6th Reg Cav Vols
Readman, David H 1st Reg Cav Vols
Pronto, Eli H 10th Reg Inf Vols
Pronto, John Cpl. D 7th Reg Inf Vols
Pronto, John H. D 1st Reg Cav Vols
Reagan, Henry R. F 14th Reg Inf Vols
Reamer, Jacob F. A 7th Reg Inf Vols
Redmond, Arthur B 4º Reg Inf Vols
Reece, Henry G 7º Reg Cav Vols
Reed, Columbus F 4th Reg Inf Vols
Reed, Jacob H 1 ° Reg Tenente Art Vols
Reed, John H. D 1st Reg Cav Vols
Reed, John P. C 15th Reg Inf Vols
Reed, Richard 45th US
Reed, Samuel K. 2º Reg Cav Vols
Reed, Thomas A. H 17th Reg Inf Vols
Reeves, William H. Sgt. I 4º Reg Inf Vols
Reid, William O. G 1º Reg Cav Vols
Remy, William D 2nd Reg Cav Vols
Reniff, John A. K 1.º Reg Cav Vols
Renshaw, George H. A 15th Reg Inf Vols
Revels, George 45th US
Rexroad, Isaiah H. QM Sgt. 6º Reg Inf Vols
Reynolds, Charles W. Sgt. M 4º Reg Cav Vols
Reynolds, G. D. K 1st Reg Inf Vols
Reynolds, Harvey 2º Tenente 7º Reg Cav Vols
Reynolds, Henry A. D 11th Reg Inf Vols
Reynolds, John F 10th Reg Inf Vols
Rhoader, Jacob I 1st Reg Inf Vols
Rhoades, William J. H 7th Reg Cav Vols
Rhoads, Benjamin K 13th Reg Inf Vols
Rhoads, Peter M. B 13º Reg Inf Vols
Rhodes, Joseph W. C 8th Reg Inf Vols
Rice, Charles K. 1st Reg Vet Inf Vols
Rice, Monterville I 5th Reg Inf Vols
Richards, Alfred O 6th Reg Inf Vols
Richards, Ernest O 6th Reg Inf Vols
Richards, Samuel A 14th Reg Inf Vols
Richardson, Alex M. F 1.º Reg Cav Vols
Richardson, Morgan A 2nd Reg Cav Vols
Richardson, Ralph F 4º Reg Inf Vols
Richardson, Robert D 1st Reg Inf Vols
Richardson, Thomas I 5th Reg Inf Vols
Richbaugh, John H. H 2 ° Reg Cav Vols
Rickard, William H 6th Reg Inf Vols
Riddle, Ransler E 5th Reg Inf Vols
Rider, Granville D 14th Reg Inf Vols
Riffle, Benjamin F. D 6º Reg Inf Vols
Riffle, Granville C 2nd Reg Vet Inf Vols
Riffle, John W. G 13º Reg Inf Vols
Riffle, Joseph A. I 4th ​​Reg Inf Vols
Rigger, George W. C 4º Reg Cav Vols
Riley, Elias F. C 7th Reg Inf Vols
Riley, James I 1st Reg Cav Vols
Riley, James H. K. 4º Reg Inf Vols
Riley, Martin B 1st Reg Cav Vols
Riley, Robert A 7th Reg Inf Vols
Riser, Charles G 6th Reg Cav Vols
Riser, Charles L 4th Reg Cav Vols
Ritchards, John 45th US
Ritters, Carl H. D 1st Reg Lt Art Vols
Roach, Jesse C. D 6th Reg Inf Vols
Roach, Martin G. H 6º Reg Inf Vols
Roane, Gibson G. B 3rd Reg Inf Vols
Robbins, Charles P. H 15th Reg Inf Vols
Robbins, Joseph M. E 1st Reg Inf Vols
Roberts, Daniel J. H. N 6th Reg Inf Vols
Roberts, David E 6th Reg Inf Vols
Roberts, Enoch D 7th Reg Inf Vols
Roberts, George K. 10th Reg Inf Vols
Roberts, Richard G 7th Reg Cav Vols
Roberts, Thomas Músico E 1st Reg Inf Vols
Robinson, Jack 45th US
Robinson, James C. A 7th Reg Inf Vols
Robinson, James T. N 6th Reg Inf Vols
Robinson, James W. E 6th Reg Inf Vols
Robinson, John B. E 1st Reg Cav Vols
Robinson, Joseph K 2nd Reg Cav Vols
Robinson, Thomas G 1st Reg Cav Vols
Robinson, Thomas C 17th Reg Inf Vols
Robinson, Washington D 1st Reg Inf Vols
Robinson, Washington P. B 1st Reg Inf Vols
Robisn. (Robinson) ?, John V. D 1st Reg Inf Vols
Roby, William E 7th Reg Inf Vols
Rochenbaugh, C. H. F 1º Reg, Tenente Art Vols
Rockenbaugh, James J. B 11th Reg Inf Vols
Rodeheaver, John A. O 6th Reg Inf Vols
Rodgers, Benjamin A. 1º Tenente 5º Reg Inf Vols
Rogers, Elisha L. 45th US
Rogers, John W. E 6th Reg Cav Vols
Rogers, Martin V. D 1º Reg Tenente Art Vols
Rogers, Milo 45th US
Rogers, Robert M. A 3rd Reg Cav Vols
Rogers, Samuel F 9th Reg Inf Vols
Rogers, William J. Sgt. E 7º Reg Inf Vols
Rollins, Joseph E 2nd Reg Cav Vols
Rollston, Charles A. F 1st Reg Inf Vols
Romine, Stephen M. Blacksmith K 2o Reg Cav Vols
Rommey, George W. I 4th ​​Reg Inf Vols
Roney, John F 10th Reg Inf Vols
Root, Benjamin B Ind isento de Inf Vols
Rose, George D 8th Reg Inf Vols
Rose, Hamilton L 1st Reg Cav Vols
Rose, Israel D 5th Reg Inf Vols
Rose, James H. A 5th Reg Inf Vols
Rose, Ludum G 6º Reg Cav Vols
Rose, Thomas 45th US
Ross, Thomas L 6th Reg Inf Vols
Ross, William C 17th Reg Inf Vols
Ross, William J. C 17th Reg Inf Vols
Roush, John E 4th Reg Inf Vols
Roush, William A 2nd Reg Cav Vols
Rovo, Samuel E 1º Reg Cav Vols
Rowe, Frederick G. 1º Reg Tenente Art Vols
Roy, William S. K. 11º Reg Inf Vols
Ruby, Sylvanus H 10th Reg Inf Vols
Ruediger, John L. P 6th Reg Inf Vols
Rugg, John T. Sgt. C 9º Reg Inf Vols
Ruggles, Dwight Asst. Surgeon 12th Reg Inf Vols
Runer, Henderson J. K 11th Reg Inf Vols
Runnion, Jacob M 1st Reg Cav Vols
Runnion, James D 1st Reg Cav Vols
Runyan, George G 5th Reg Inf Vols
Runyan, James G 1st Reg Inf Vols
Rush, James F 4º Reg Cav Vols
Rush, Thomas V. Cpl. L 2nd Reg Cav Vols
Rush, William K 2nd Reg Cav Vols
Rusk, Asa C. 1º Sgt. E 2nd Reg Cav Vols
Russell, Benjamin F. I 7º Reg Cav Vols
Russell, Charles B. A 2nd Reg Cav Vols
Russell, Henry Sgt. G 1º Reg Inf Vols
Russell, Thomas I 15th Reg Inf Vols
Russell, William G 1st Reg Inf Vols
Russler, Christopher C 14th Reg Inf Vols
Rutter, George D 7th Reg Inf Vols
Ryan, Asa A Ind Exempt Inf Vols
Ryan, Jefferson A 1st Reg Cav Vols
Ryan, Richard D 2nd Reg Inf Vols
Ryne, John G 1st Reg Inf Vols
Ryner, Henry G. H Primeiro Reg. Tenente Art Vols


Saddler, Lewis I 2nd Reg Cav Vols
Safford, Corban C 4th Reg Cav Vols
Safford, George A. D 6º Reg Cav Vols
Salyards, Daniel H. I 2o Reg Vet Inf Vols
Salzman, John A 1st Reg Lt Art Vols
Sanders, Daniel W. A 2nd Reg Cav Vols
Sanders, Elisha Sgt. E 2nd Reg Cav Vols
Sanders, Emerson Sgt. Um 2º Reg Cav Vols
Sanders, Ezra 1º Sgt. Um 2º Reg Cav Vols
Sanders, James C. F 1st Reg Inf Vols
Sanders, John B 7th Reg Inf Vols
Sanders, John A. M 7th Reg Cav Vols
Sanders, Oscar W. B 2nd Reg Cav Vols
Sands, Charles D 2nd Reg Inf Vols
Sands, William G 4º Reg Inf Vols
Sandy, Vincent 45th US
Sangston, Moses H. L 2nd Reg Cav Vols
Sarger, William H. P 6th Reg Inf Vols
Sarver, George A 7th Reg Inf Vols
Savage, James F 4th Reg Inf Vols
Savage, William F 4th Reg Inf Vols
Sawers, John T. A 6th Reg Inf Vols
Sayre, Richard W. Comm. Sgt. 2º Reg Cav Vols
Scarbrough, Noah H 7th Reg Cav Vols
Sceill, Martin O 6th Reg Inf Vols
Schaerffe, Robert P 6th Reg Inf Vols
Schalch, Martin A 1st Reg Lt Art Vols
Schammahorn, David C 17th Reg Inf Vols
Schegskhie, Goodhelp E 1st Reg Cav Vols
Schilling, M. A 1st Reg Lt Art Vols
Schilling, William 1º Tenente 5º Reg Inf Vols
Schlozer, Henry D 13th Reg Inf Vols
Schmidt, Bernhardt A 1st Reg Lt Art Vols
Schmitz, Charles A 5th Reg Cav Vols
Schmoltz, Levi E 1st Reg Cav Vols
Schneider, C. A 1st Reg Lt Art Vols
Schockey, Francis G 7th Reg Inf Vols
Schofield, Jos. A 1st Reg Inf Vols
Scholand, Peter M 1st Reg Cav Vols
Schondt, Jacob A 6th Reg Inf Vols
Schroder, Agustus M 1st Reg Cav Vols
Schumann, Henry A 1st Reg Lt Art Vols
Schwedns, Christian Sgt. C 2nd Reg Inf Vols
Schwindig, F. C 5th Reg Cav Vols
Scott, Aaron 45th US
Scott, James A 3rd Reg Inf Vols
Scott, Thomas K 2nd Reg Cav Vols
Scott, William P. Cpl. G 7º Reg Inf Vols
Scott, Willis W. B 6º Reg Cav Vols
Scott, Zachariah Sgt. D 7th Reg Cav Vols
Scritchfield, William W. C 4º Reg Cav Vols
Scritchfield, William W. N 6th Reg Inf Vols
Sealock, John F. D 4º Reg Cav Vols
Sears, Stephen S. K 12º Reg Inf Vols
Sebastipol, Leman 45th US
Seeley, Joseph D 1st Reg Inf Vols
Seeley, William D 1st Reg Inf Vols
Seery, Andrew F 1st Reg Cav Vols
Seir, Israel C 6th Reg Cav Vols
Vendedores, James W. I 2nd Reg Cav Vols
Sevarin, John H 6th Reg Inf Vols
Severance, Henry A 4th Reg Inf Vols
Severs, William J. H 3rd Reg Cav Vols
Sevier, David G 12th Reg Inf Vols
Seyock, S. H. V. G 6th Reg Inf Vols
Shafer, David H. E 6º Reg Cav Vols
Shafer, Frederick K 6th Reg Cav Vols
Shafer, John L 2nd Reg Cav Vols
Shafer, John E 2nd Reg Cav Vols
Shafer, Ml. B 6º Reg Inf Vols
Shaffer, Charles L 1st Reg Cav Vols
Shaffer, Henry F 3rd Reg Cav Vols
Shahn, Joseph N. N 6º Reg Inf Vols
Shannon, Edward 45th US
Tubarões, Solomon G 15º Reg Inf Vols
Sharp, Alfred K 3rd Reg Cav Vols
Sharp, Arnold C. I 4º Reg Inf Vols
Sharp, Jacob B 6º Reg Inf Vols
Sharp, William G 4º Reg Cav Vols
Sharp, William K 3rd Reg Cav Vols
Sharp, William B 3rd Reg Cav Vols
Shaw, David G 1.º Reg Cav Vols
Shay, Peter M 1st Reg Cav Vols
Shear, John O. O 6th Reg Inf Vols
Shearer, Samuel J. 2º Tenente 1º Reg Ten Art Vols
Folhas, Benjamin F. E 1st Reg Cav Vols
Shelding, Hyelmer I 6th Reg Inf Vols
Shennan, Adam D 4th Reg Cav Vols
Pastor, Hezekiah D 7th Reg Inf Vols
Sheppard, John B. I 9th Reg Inf Vols
Sheppard, Lewis G 7th Reg Inf Vols
Sherman, Harry F. Sgt. Maior 13º Reg Inf Vols
Sherman, Leroy Cpl. H 3rd Reg Cav Vols
Sherrer, Washington G 6th Reg Inf Vols
Shields, John W. G 3rd Reg Inf Vols
Shillin, Alexander E 1st Reg Inf Vols
Xelim, David L 6th Reg Inf Vols
Shipman, George H 1st Reg Cav Vols
Shisler, Stephen N 6th Reg Inf Vols
Shively, Henry S. A 4th Reg Cav Vols
Sapateiro, Charles F 3rd Reg Cav Vols
Shopp, William W. D 17th Reg Inf Vols
Curto, Leander F 5th Reg Cav Vols
Shortridge, John K 5th Reg Inf Vols
Ombro, Jacob L. B 15º Reg Inf Vols
Mostrado, Samuel I 13th Reg Inf Vols
Shriner, Andrew G 6th Reg Inf Vols
Shriver, William 1 ° Sgt. L 1st Reg Cav Vols
Shront, James V. O 6th Reg Inf Vols
Shry, Jacob D 2nd Reg Cav Vols
Shuler, William D. 1st Reg Inf Vols
Shumate, Benjamin F. H 9th Reg Inf Vols
Sibole, Robert S. A 10th Reg Inf Vols
Siggans, Isaac N. H 4th Reg Cav Vols
Sills, Nathan K 7th Reg Inf Vols
Silver, William H. Sgt. Major 5th Reg Cav Vols
Simmons, Henry 45th US
Simmons, John J. F 7th Reg Cav Vols
Simmons, L. D. E 5th Reg Inf Vols
Simms, John S. 45th US
Simms, William H. Cpl. Um 2º Reg Cav Vols
Simpkins, Daniel B 1st Reg Inf Vols
Simpkins, William H. A 3rd Reg Cav Vols
Simpson, Charles W. H 9th Reg Inf Vols
Simpson, Frederick M. I 2o Reg Vet Inf Vols
Simpson, John H. Cpl. C 1st Reg Inf Vols
Simpson, Roberts J. I 1st Reg Inf Vols
Sims, Alfred D 4th Reg Cav Vols
Sims, Robert D. K 12th Reg Inf Vols
Cantor, John O 7th Reg Inf Vols
Sisley, Lewis A. I 14th Reg Inf Vols
Sisson, William H. H. 1º Tenente 4º Reg Inf Vols
Siuer, John 45th US
Sivert, John G. 2º Reg Vet Inf Vols
Skelton, John C. B 2nd Reg Cav Vols
Skillington, Thomas U. D 4th Reg Cav Vols
Skinnard, Edward D 4th Reg Cav Vols
Skinner, Adolphus C 1st Reg Cav Vols
Slack, John W. B 5th Reg Inf Vols
Slack, Samuel F 13º Reg Inf Vols
Slater, Albert C. K 6º Reg Cav Vols
Slater, William H 17th Reg Inf Vols
Slaughter, Henry 45th US
Slaven, Daniel H 1 ° Reg Tenente Art Vols
Slavens, Harvey E 5th Reg Inf Vols
Escravo, Daniel F 5th Reg Cav Vols
Slayer, Jacob A 5th Reg Cav Vols
Sloan, Granville G 2nd Reg Cav Vols
Sluder, David I 2nd Reg Cav Vols
Smallfoot, Edward D 1st Reg Cav Vols
Smarr, Matthew M. L 1st Reg Cav Vols
Smith, Alfred C. Jr. A 1st Reg Cav Vols
Smith, Andrew J. Cpl. L 2nd Reg Cav Vols
Smith, Armstead B. B 1st Reg Cav Vols
Smith, Arthur B. F 7th Reg Inf Vols
Smith, Charles A. Capitão 7º Reg Cav Vols
Smith, Charles A. B Ind Exempt Inf Vols
Smith, Edward E 6th Reg Inf Vols
Smith, Elias M. Sgt. H 1st Reg Cav Vols
Smith, Elisha H 2nd Reg Cav Vols
Smith, Ephraim K 5th Reg Inf Vols
Smith, Frederick D 4th Reg Cav Vols
Smith, Gabriel P 6th Reg Inf Vols
Smith, George B 11th Reg Inf Vols
Smith, George I 2o Reg Vet Inf Vols
Smith, George W. K. 1º Tenente 1º Reg Tenente Art Vols
Smith, Harrison Sgt. Um 5º Reg Cav Vols
Smith, Henry H 1st Reg Lt Art Vols
Smith, Henry A. B 4º Reg Cav Vols
Smith, Henry S. D 9th Reg Inf Vols
Smith, Hugh F 5th Reg Cav Vols
Smith, Irwin M. K 2nd Reg Inf Vols
Smith, Isaac 1º Sgt. D 7th Reg Inf Vols
Smith, Isaiah F 4º Reg Cav Vols
Smith, Jacob H 1st Reg Cav Vols
Smith, Jacob F 2nd Reg Cav Vols
Smith, James C 17th Reg Inf Vols
Smith, James H 1st Reg Cav Vols
Smith, James G 1st Reg Inf Vols
Smith, James Blacksmith L 7th Reg Cav Vols
Smith, James H. B 1st Reg Cav Vols
Smith, James W. 45th US
Smith, John F 5th Reg Inf Vols
Smith, John H. D 13th Reg Inf Vols
Smith, John J. F 11th Reg Inf Vols
Smith, John J. C 7th Reg Inf Vols
Smith, John W. G 7th Reg Cav Vols
Smith, Jos. O. B 11th Reg Inf Vols
Smith, Milton C 1st Reg Cav Vols
Smith, Oscar D. H 1.º Reg Tenente Art Vols
Smith, Otis B. E 9th Reg Inf Vols
Smith, Peter G 5th Reg Inf Vols
Smith, Reuben 45th US
Smith, Samuel J. B Ind Exempt Inf Vols
Smith, Samuel P. C 7th Reg Inf Vols
Smith, Simeon B. E 5th Reg Cav Vols
Smith, Thomas J. G 6º Reg Cav Vols
Smith, William F 4º Reg Inf Vols
Smith, William C 2nd Reg Cav Vols
Smith, William D 17th Reg Inf Vols
Smith, William M 1st Reg Cav Vols
Smith, William D 7th Reg Inf Vols
Smith, William A. F 2nd Reg Cav Vols
Smith, William B. Sgt. E 7º Reg Inf Vols
Smith, William H. H. H 6º Reg Inf Vols
Smith, William O. L 1st Reg Cav Vols
Smith, Zach. T. E 7º Reg Cav Vols
Smolley, John C 5th Reg Inf Vols
Smyth, James D 7th Reg Inf Vols
Smythe, Douglass G. 2º Tenente 2º Reg Inf Vols
Smytthe, Thomas G. Sgt. D 2o Reg Inf Vols
Snider, Edgar C. W. Cpl. Um 3º Reg Cav Vols
Snider, Isaac H 4th Reg Cav Vols
Snider, Perry J. C 6th Reg Inf Vols
Snider, Samuel I 6th Reg Inf Vols
Snodgrass, Benjamin F. K 4th Reg Cav Vols
Snyder, David H 15th Reg Inf Vols
Snyder, George L. I 4th ​​Reg Inf Vols
Snyder, George W. 1º Tenente 2º Reg Cav Vols
Snyder, John A. G 7th Reg Inf Vols
Sonenburg, Louis K 4th Reg Inf Vols
Soulsby, Matthew E 4th Reg Inf Vols
South, George S. Comissário 2o Reg Cav Vols
Sul, Joseph G 15th Reg Inf Vols
Southerland, David G 5th Reg Inf Vols
Semeadores, Richard B. Adjutor 1o Reg Cav Vols
Spacht, Frank B 5th Reg Inf Vols
Espanha, Joseph H 1st Reg Cav Vols
Spangler, Daniel B 3rd Reg Inf Vols
Palestrante, William B 1st Reg Cav Vols
Spears, James G 3rd Reg Cav Vols
Specer, William G. H 4º Reg Cav Vols
Speilker, Peter H. P 6th Reg Inf Vols
Spence, Ezra E 8th Reg Inf Vols
Spence, William K. 2º Reg Cav Vols
Spence, William H. K. 1º Reg Vet Inf Vols
Spencer, Henry I 5th Reg Inf Vols
Spencer, Thomas G 1st Reg Inf Vols
Sponholtz, August E 2nd Reg Inf Vols
Sprague, Samuel S. A 2o Reg Cav Vols
Spray, Francis Cpl. M 6º Reg Inf Vols
Springer, John B 4th Reg Cav Vols
Springer, William Saddler M 2nd Reg Cav Vols
Sprouse, Calvin G 6th Reg Inf Vols
Sprouse, William S. B 11º Reg Inf Vols
Staffon, Thomas G 5th Reg Inf Vols
Stafford, James P. A 15th Reg Inf Vols
Stahl, Jonathan Capitão 3º Reg Cav Vols
Stanford, Bernard C 4th Reg Inf Vols
Stanford, Edward F 1st Reg Cav Vols
Stanford, Lewis V. Asst. Cirurgião 7º Reg Cav Vols
Stanley, John D 7th Reg Inf Vols
Stanton, Fuller E 11th Reg Inf Vols
Estrela, Charles G 1st Reg Cav Vols
Stark, George 45th US
Stark, John Cpl. H 5º Reg Inf Vols
Starkey, Robert K. A 5th Reg Inf Vols
Comece, Leander I 15º Reg Inf Vols
Estado, James K 2nd Reg Cav Vols
Statler, Harmon C 17th Reg Inf Vols
Statton, Marshall D 13th Reg Inf Vols
Staub, John H 1st Reg Cav Vols
Stave, Benjamin 45th US
Stearns, Robert A 1st Reg Cav Vols
Steed, George V. K 3rd Reg Cav Vols
Steed, John B. C 13º Reg Inf Vols
Steel, Frederick G. Cpl. Um 3º Reg Cav Vols
Steel, Perry E 11th Reg Inf Vols
Steel, Samuel I 13º Reg Inf Vols
Steele, Thomas G. Sgt. G 6º Reg Cav Vols
Steetler, Joseph N. B 6º Reg Cav Vols
Steiger, John C 1st Reg Inf Vols
Stell, Amos H 13th Reg Inf Vols
Stephens, Daniel H 11th Reg Inf Vols
Stephens, David E. C 4º Reg Cav Vols
Stephens, E. J. C 1st Reg Cav Vols
Stephenson, Joseph K 8th Reg Inf Vols
Stephenson, Thomas E 8th Reg Inf Vols
Sterling, Robert F 2nd Reg Inf Vols
Stetler, William C 1st Reg Inf Vols
Stevens, George 45th US
Stevens, Henry C. A 5th Reg Cav Vols
Stevens, James D 7th Reg Inf Vols
Stevens, Joseph R. E 2º Reg Cav Vols
Stevens, Thomas F 2nd Reg Inf Vols
Stevens, Thomas M. H 14th Reg Inf Vols
Stevenson, Christopher D 7th Reg Inf Vols
Stevenson, John W. B 7th Reg Inf Vols
Stevenson, William T. Cpl. I 1st Reg Cav Vols
Comissário, A. C 1st Reg Cav Vols
Steward, Gerard K. 1st Reg Inf Vols
Comissário, Hiram D 7th Reg Inf Vols
Steward, Jefferson A 11th Reg Inf Vols
Steward, Robert Cpl. B 1º Reg Tenente Art Vols
Steward, Samuel I 10th Reg Inf Vols
Stewart, Alexander J. Cpl. Um 7º Reg Inf Vols
Stewart, George 45th US
Stewart, Samuel B. I 12th Reg Inf Vols
Stewart, William E. Musician 4th Reg Inf Vols
Stiles, John Bugler G 4º Reg Cav Vols
Stillar, David F 1st Reg Cav Vols
Stillings, Thomas J. Sgt. Um 6º Reg Cav Vols
Stilly, John D 2nd Reg Inf Vols
Stimson, Albin B. B 2nd Reg Cav Vols
Stoddard, Milton F 2nd Reg Cav Vols
Stoffer, Jonathan E. I 7th Reg Inf Vols
Stogden, John W. E 8th Reg Inf Vols
Stone, Cornelius N. C 7th Reg Inf Vols
Stone, Thomas E 7th Reg Cav Vols
Stoops, Jernice I 11th Reg Inf Vols
Stot, Thomas J. D 6th Reg Inf Vols
Stotler, William C 15th Reg Inf Vols
Robusto, Robert K. 4º Reg Cav Vols
Stoy, Frederick A. F 1st Reg Cav Vols
Strader, Thomas N. D 7th Reg Inf Vols
Estreito, Urias M. Sgt. Um 3º Reg Cav Vols
Street, Jeremiah G 5th Reg Inf Vols
Strobel, Gottfried P 6th Reg Inf Vols
Strobridge, John U. A 3rd Reg Cav Vols
Strosneider, Fred A Ind Exempt Inf Vols
Strosnider, Ulrich N 6th Reg Inf Vols
Strosnyder, William A. Sgt. G 4º Reg Cav Vols
Strother, Erastus 45th US
Stroud, Henry L 1st Reg Cav Vols
Stroud, Joshua G 1st Reg Inf Vols
Strouse, Philip F 2nd Reg Cav Vols
Stuart, John A 7th Reg Inf Vols
Stullers, Thomas E 14th Reg Inf Vols
Stump, Adam G 17th Reg Inf Vols
Sturgel, James I 5th Reg Inf Vol
Sturgiss, Phineas P. Cpl. L 2nd Reg Cav Vols
Sturm, Joshua L. A 6th Reg Inf Vols
Sturrit, James W. G 7th Reg Inf Vols
Stutson, Butler L 7th Reg Cav Vols
Stypes, Samuel H 2nd Reg Cav Vols
Suddarth, Josiah H 10th Reg Inf Vols
Suel, Parker 45th US
Sullivan, Isaac G 7th Reg Inf Vols
Sullivan, Thomas E. Cpl. E 7º Reg Inf Vols
Summerfield, Isaac I 7th Reg Inf Vols
Summers, James L 1st Reg Cav Vols
Summers, James W. M 4th Reg Cav Vols
Summers, John R. L 2nd Reg Cav Vols
Summerville, J. W. E 1st Reg Cav Vols
Sutcliff, William V. A 4th Reg Cav Vols
Sutton, Benjamin K 7th Reg Inf Vols
Sutton, Harrison C 1st Reg Inf Vols
Sutton, John E 12th Reg Inf Vols
Sutton, Thomas P. N 6th Reg Inf Vols
Swartenalter, H. A. I 2o Reg Cav Vols
Jura, James I 12th Reg Inf Vols
Jura, Thomas A. A 6th Reg Inf Vols
Jura, William W. I 12º Reg Inf Vols
Jurador, Isaac D 7th Reg Inf Vols
Sweatland, Joel G. E 2nd Reg Cav Vols
Sweeney, Terrance B 1st Reg Inf Vols
Swesey, John K 6th Reg Inf Vols
Swin, Samuel H. C 15º Reg Inf Vols
Switzer, Daniel W. Sgt. G 4º Reg Inf Vols
Syfers, Abraham E 1st Reg Cav Vols
Synar, James K 6th Reg Inf Vols
Sypult, Andrew W. M 4º Reg Cav Vols

Taite, George W. L 2nd Reg Cav Vols
Talford, John K. 4º Reg Inf Vols
Talman, Rudolph R. I 3rd Reg Cav Vols
Tannehill, Z. A. A 3rd Reg Cav Vols
Taylor, Benjamin M 1st Reg Cav Vols
Taylor, Charles B. I 4th ​​Reg Inf Vols
Taylor, Richard A 7th Reg Inf Vols
Taylor, Samuel B. B 8th Reg Inf Vols
Taylor, Thomas H 6th Reg Cav Vols
Taylor, Timothy 45th US
Tenner, John 45th US
Terrill, David H, 2º Reg Vet Inf Vols
Terry, Vincent F. G 7º Reg Cav Vols
Terwileger, Joseph B 1st Reg Inf Vols
Thaxton, Henry 45th US
Thomas, Charles 45th US
Thomas, James W. Sgt. L 1st Reg Cav Vols
Thomas, Joel A. H 3rd Reg Inf Vols
Thomas, Joseph N. A 14º Reg Inf Vols
Thomas, Philip E 1st Reg Cav Vols
Thomas, Samuel 45th US
Thomisson, R. S. H 10th Reg Inf Vols
Thompson, Charles Cpl. E 1o Reg Inf Vols
Thompson, Dallas 45th US
Thompson, James D 9th Reg Inf Vols
Thornbury, Barney A 3rd Reg Cav Vols
Thorne, Henry C. I 14th Reg Inf Vols
Throckmorton, Brewer G 2nd Reg Cav Vols
Tignor, Thomas F 2nd Reg Cav Vols
Tiller, Abraham Sgt. G 6º Reg Cav Vols
Tilton, Thomas D 1st Reg Cav Vols
Tiplady, Edmund I 2nd Reg Cav Vols
Tolbert, Archibald H 13th Reg Inf Vols
Toles, Edwin J. E 7th Reg Inf Vols
Toner, Barney F 5th Reg Cav Vols
Towney, David J. H 2º Reg Vet Inf Vols
Cidades, John L. K 3rd Reg Cav Vols
Townsell, James K. 1º Reg Vet Inf Vols
Townsend, William E. I 2nd Reg Cav Vols
Traman, Thomas K. 2º Reg Inf Vols
Travis, Orvil E 6th Reg Cav Vols
Trimble, Thomas D 7th Reg Inf Vols
Trisler, Charles Musician B 1st Reg Inf Vols
Trout, James H. E 2nd Reg Cav Vols
Truman, James M. B 12th Reg Inf Vols
Truman, Jehu G 6º Reg Inf Vols
Truman, Robert S. B 12th Reg Inf Vols
Trunkponeer, J. C 1st Reg Cav Vols
Truslow, James I 13th Reg Inf Vols
Tryon, Reuben F. D 17th Reg Inf Vols
Tucker, Francis M. I 10th Reg Inf Vols
Tucker, Girard R. E 5th Reg Inf Vols
Tucker, Grove A 14th Reg Inf Vols
Tucker, James M. M 7th Reg Cav Vols
Tucker, Ml. E 7º Reg Inf Vols
Tucker, William E. H 2nd Reg Cav Vols
Tuesh, John G 1st Reg Inf Vols
Turley, Charles H. Prin. Músico 5º Reg Inf Vols
Turner, David Sgt. H 1st Reg Cav Vols
Turner, David Saddler Sgt. 1º Reg Cav Vols
Turner, David Farrier D 4th Reg Cav Vols
Turner, John R. C 4th Reg Cav Vols
Turner, John W. G 4th Reg Inf Vols
Turner, Lemuel H. B 4º Reg Cav Vols
Turner, Milan K 2nd Reg Cav Vols
Turner, Peter E. B 7th Reg Inf Vols
Turner, Robert T. C 4º Reg Cav Vols
Turner, William J. D 1st Reg Cav Vols
Turney, John A 11th Reg Inf Vols
Tuttle, James K 14th Reg Inf Vols
Tuttle, Joel G 17th Reg Inf Vols
Tyler, Samuel 45th US

Ullom, Stephen A 11th Reg Inf Vols
Ullum, Stephen I, 2º Reg Vet Inf Vols
Underwood, T. A 10th Reg Inf Vols
Upperman, Theo. F. G 7º Reg Cav Vols
Utterback, John T. F 7th Reg Inf Vols

Valentine, Timothy K 6th Reg Cav Vols
Vanaman, John W. H 17th Reg Inf Vols
Vanatter, Anthony G 7th Reg Cav Vols
Vance, Chapman H 7th Reg Cav Vols
Vance, James S. I 1st Reg Inf Vols
Vanderbilt, John I 4th ​​Reg Inf Vols
Vandergraft, George D 5th Reg Inf Vols
VanEvery, Martin Sgt. B 2nd Reg Cav Vols
Vanhern, William N 6th Reg Inf Vols
Vannatter, William D 5th Reg Inf Vols
Variani, Charles G. Saddler I 2o Reg Cav Vols
Varner, James W. Blacksmith B 3rd Reg Cav Vols
Varran, Daniel I 2nd Reg Cav Vols
Vass, Frederick 45th US
Vênus, William L 6th Reg Inf Vols
Vernatter, William B 8th Reg Inf Vols
Verner, Sylvester I 10th Reg Inf Vols
Vernon, John C 6th Reg Inf Vols
Verry, William C 1st Reg Cav Vols
Veth, John C. B 7th Reg Inf Vols
Vincent, Charles D 4º Reg Cav Vols
Vining, James L. A 9th Reg Inf Vols
Vinson, James 45th US
Vogt, Augustus I 1st Reg Inf Vols

Wade, Benjamin 45th US
Wade, James M. K. 10º Reg Inf Vols
Wade, John 45th US
Wades, Wesley 45th US
Wakely, Samuel G 13º Reg Inf Vols
Walch, Anthony A 1st Reg Inf Vols
Walcott, Henry H. 1º Tenente 5º Reg Inf Vols
Waldo, Newton G. H 4º Reg Cav Vols
Waldron, Henry I 7th Reg Inf Vols
Waldron, Thomas B 5th Reg Cav Vols
Walford, James A 6th Reg Inf Vols
Walker, Eugenius F 17th Reg Inf Vols
Walker, James G 6th Reg Inf Vols
Walker, Joseph G 6th Reg Inf Vols
Walker, N. R. L 2nd Reg Cav Vols
Wallace, George M. B 4º Reg Inf Vols
Wallace, John D 5th Reg Inf Vols
Wallace, John F. H Primeiro Reg Tenente Art Vols
Wallace, Robert G 1st Reg Inf Vols
Wallace, Robert F 11th Reg Inf Vols
Wallace, Thomas H. C 2o Reg Vet Inf Vols
Waller, Colman B. 1st Sgt. K 5º Reg Inf Vols
Paredes, Archibald E 7th Reg Inf Vols
Paredes, Franklin D 4th Reg Cav Vols
Walsh, Coza G. 2º Tenente 1º Reg Cav Vols
Walsh, Joseph A. Q.M. Sgt. 2º Reg Vet Inf Vols
Walsh, Thomas G 2nd Reg Inf Vols
Walters, Isaac S. F 1st Reg Cav Vols
Walters, John H 6th Reg Cav Vols
Walton, Samuel C 9th Reg Inf Vols
Ward, John C 5th Reg Inf Vols
Ward, Robert Capitão 1.º Reg Cav Vols
Ward, William L 7th Reg Cav Vols
Warneke, 2 de agosto, Reg Cav Vols
Warner, George P. F 2nd Reg Cav Vols
Warner, William H. D 17th Reg Inf Vols
Warnicke, Edward D 5th Reg Cav Vols
Warren, Charles D. E 1.º Reg Cav Vols
Warthen, Henry A. F 1st Reg Cav Vols
Washington, Granville 45th US
Washington, John A 5th Reg Cav Vols
Wasson, Edward M. H 15º Reg Inf Vols
Wasson, James I 2o Reg Vet Inf Vols
Wasson, Thomas I 1st Reg Inf Vols
Wasson, Thomas I 12th Reg Inf Vols
Waters, Aaron M 6th Reg Inf Vols
Watkins, James A 6th Reg Cav Vols
Watkins, John C 15th Reg Inf Vols
Watkins, Martin A 3rd Reg Inf Vols
Watkins, Samuel D 2nd Reg Cav Vols
Watkins, Wilford K 7th Reg Inf Vols
Watkins, William W. Sgt. E 7º Reg Inf Vols
Watson, David K ​​7th Reg Inf Vols
Watson, Frederick 45th US
Watson, John I 6th Reg Inf Vols
Watson, Thomas H 3rd Reg Cav Vols
Watterman, Charles Sgt. D 4º Reg Cav Vols
Watts, Felix G 6th Reg Inf Vols
Waugh, Arthur G 6º Reg Inf Vols
Waugh, Charles C. G 4º Reg Inf Vols
Waxler, John T. Cpl. D 4º Reg Cav Vols
Waybright, Cyrus K 8th Reg Inf Vols
Wayne, George W. I 10th Reg Inf Vols
Weaver, Arthur J. 1º Tenente 2º Reg Inf Vols
Weaver, David D 1st Reg Inf Vols
Weaver, George E 2nd Reg Cav Vols
Webb, Francis C 5th Reg Inf Vols
Webb, John D. E 5th Reg Cav Vols
Webb, Milton K 5th Reg Inf Vols
Webb, Thompson C 5th Reg Inf Vols
Webb, William H 8th Reg Inf Vols
Webster, James G 13th Reg Inf Vols
Weddle, James D 7th Reg Inf Vols
Weedon, William H. B 1st Reg Inf Vols
Semana, William Sgt. Um 5º Reg Inf Vols
Weekley, Solomon A 14th Reg Inf Vols
Semanalmente, John C 7th Reg Inf Vols
Semanalmente, Lorenzo C 7th Reg Inf Vols
Semanalmente, Solomon H 4º Reg Cav Vols
Wehei, Julius L 1st Reg Cav Vols
Weir, William C. F 2nd Reg Cav Vols
Weisman, William D 1st Reg Inf Vols
Weitzel, William 1º Ten. 1º Reg Tenente Art Vols
Welch, Edwin L. A 6º Reg Cav Vols
Welch, James D 2nd Reg Cav Vols
Welch, James W. C 1st Reg Cav Vols
Welch, Loman Farrier H 4th Reg Cav Vols
Welch, Owen I 7th Reg Cav Vols
Welch, Robert B 1st Reg Cav Vols
Wells, Elliott H 7th Reg Cav Vols
Wells, James I 5th Reg Inf Vols
Wells, John L. C 6th Reg Inf Vols
Wells, Richard A. Wagoner H 4th Reg Cav Vols
Galês, Anthony I 1st Reg Inf Vols
Welsh, Thomas E. I 2º Reg Vet Inf Vols
Weltner, John M. I 14th Reg Inf Vols
Weltner, Thomas N. L 2nd Reg Cav Vols
Wender, Charles E 1st Reg Inf Vols
West, David E 7th Reg Inf Vols
West, Isaac H 13th Reg Inf Vols
West, John R. E 1st Reg Cav Vols
West, Thomas F. K 5º Reg Cav Vols
West, William A. Capitão 1.º Reg Cav Vols
Weston, Isaiah Sgt. B 1st Reg Inf Vols
Wetzell, Jonathan G 6º Reg Inf Vols
Whalen, James E 9th Reg Inf Vols
Wharton, John W. I 10th Reg Inf Vols
Wheekly, James K. G 7th Reg Inf Vols
Wheeler, Samuel D. Cpl. G 7º Reg Inf Vols
Whety, John D. G 6º Reg Inf Vols
Whetzel, Joseph E 6th Reg Inf Vols
Whipkey, Freeman B 7th Reg Inf Vols
Whipkey, Freeman A 10th Reg Inf Vols
Whirley, Ceprian B 7th Reg Inf Vols
White, Alfred M 1st Reg Cav Vols
White, Andrew D 1st Reg Inf Vols
White, Benjamin F. F 4º Reg Inf Vols
White, Charles L 3rd Reg Cav Vols
White, David H. L 7th Reg Cav Vols
White, Francis J. Cpl. I 5º Reg Inf Vols
White, Henry 45th US
Branco, Isaac K 7th Reg Inf Vols
White, James A Ind Exempt Inf Vols
White, James C 1st Reg Cav Vols
White, James J. D 10th Reg Inf Vols
White, James W. E 6th Reg Inf Vols
White, John W. F 4º Reg Inf Vols
White, John W. F 5th Reg Cav Vols
Branco, Martin D 6º Reg Inf Vols
Branco, Philip F 1st Reg Cav Vols
White, Richard R. F 6th Reg Inf Vols
Branco, William H 1st Reg Inf Vols
Branco, William B 1st Reg Cav Vols
Whitehill, Rezin F 2nd Reg Cav Vols
Whiteman, William K 6th Reg Inf Vols
Whitham, Jos. I 1st Reg Inf Vols
Badejo, Theo. F. D 11º Reg Inf Vols
Whitlock, William E. N 6th Reg Inf Vols
Whitney, James G. D 4º Reg Cav Vols
Whitt, George G 2nd Reg Cav Vols
Whitt, Jesse F 5th Reg Inf Vols
Whitt, Solomon K. H 5th Reg Inf Vols
Whittlesey, Joseph H. F 4º Reg Inf Vols
Whitzel, John D. O 6th Reg Inf Vols
Whitzell, Peter D 11th Reg Inf Vols
Wiber, William H. D 7th Reg Inf Vols
Wilbur, Edward P. Capitão 7º Reg Cav Vols
Wilds, Franklin F. H 1.º Reg Tenente Art Vols
Wilds, William J. E 1st Reg Cav Vols
Wilford, Henry H 1 ° Reg Tenente Art Vols
Wilgus, Daniel 2º Tenente 9º Reg Inf Vols
Wilkes, Albert 45th US
Wilkie, Andrew J. B 7th Reg Inf Vols
Wilkinson, James 45th US
Wilkinson, Mordecai R. Sgt. F 1st Reg Cav Vols
Wilkinson, Samuel A. E 4º Reg Cav Vols
Willhide, Christian K 17th Reg Inf Vols
Williams, Abraham M 6th Reg Inf Vols
Williams, Abraham 45th US
Williams, Adolph I 2nd Reg Inf Vols
Williams, Alfred H 2nd Reg Cav Vols
Williams, Andrew J. F 1st Reg Inf Vols
Williams, Andrew J. E 6th Reg Inf Vols
Williams, Andrew J. H Primeiro Reg. Tenente Art Vols
Williams, Caleb C 4th Reg Inf Vols
Williams, Edward J. D 15º Reg Inf Vols
Williams, Elijah L 1st Reg Cav Vols
Williams, Enoch B 4º Reg Inf Vols
Williams, Hugh E 1st Reg Cav Vols
Williams, John E 2nd Reg Inf Vols
Williams, John K. 45th US
Williams, Lewis A 7th Reg Inf Vols
Williams, Lloyd H 7th Reg Cav Vols
Williams, Matthew F. K 8th Reg Inf Vols
Williams, McConnel Cpl. K 5º Reg Inf Vols
Williams, Owen Cpl. Um 7º Reg Cav Vols
Williams, Peter 45th US
Williams, Peter E 2nd Reg Cav Vols
Williams, Preston 45th US
Williams, Samuel Cpl. L 3rd Reg Cav Vols
Williams, Samuel E. A 1st Reg Cav Vols
Williams, Samuel H. 45th US
Williams, Samuel H. C 12th Reg Inf Vols
Williams, Solomon A 14th Reg Inf Vols
Williams, Sylvester K 7th Reg Inf Vols
Williams, Walter G 1st Reg Inf Vols
Williams, William G 5th Reg Cav Vols
Williams, William 45th US
Williams, Wilson 45th US
Williams, Wyatt 45th US
Williamson, David F. Adjutor 2o Reg Inf Vols
Williamson, George W. E 7th Reg Inf Vols
Willis, Andrew J. A 3rd Reg Cav Vols
Willis, Charles O. C 13th Reg Inf Vols
Willis, Cyrus H. Cpl. C 2nd Reg Cav Vols
Willis, Francis M. A 3rd Reg Cav Vols
Willis, George H. E 5th Reg Inf Vols
Willis, John I 2nd Reg Cav Vols
Willis, William T. E 5th Reg Inf Vols
Willison, George W. M 3rd Reg Cav Vols
Willoby, Thomas G 6th Reg Inf Vols
Wilson, Adam D 1st Reg Cav Vols
Wilson, Albert Sgt. G 7º Reg Inf Vols
Wilson, Amos G 17th Reg Inf Vols
Wilson, Charles I 2o Reg Cav Vols
Wilson, Charles C 1st Reg Cav Vols
Wilson, Ephraim C 6th Reg Cav Vols
Wilson, George A 5th Reg Cav Vols
Wilson, George E 6th Reg Inf Vols
Wilson, George B. P 6th Reg Inf Vols
Wilson, Hannibal K. 1º Reg Vet Inf Vols
Wilson, James F 3rd Reg Cav Vols
Wilson, John B 6th Reg Cav Vols
Wilson, John M 2nd Reg Cav Vols
Wilson, John E 7th Reg Inf Vols
Wilson, John C. L 1st Reg Cav Vols
Wilson, John W. I 1st Reg Cav Vols
Wilson, Jos. G. B 12th Reg Inf Vols
Wilson, Joseph Wagoner F 4º Reg Cav Vols
Wilson, Joseph Cpl. D 4º Reg Cav Vols
Wilson, Solomon H 9th Reg Inf Vols
Wilson, Thomas H 7th Reg Inf Vols
Wilson, Virginus B 17th Reg Inf Vols
Wilson, William 45th US
Wilson, William K. K. 4º Reg Inf Vols
Wilt, Eli E 6th Reg Inf Vols
Windall, John H. H 9th Reg Inf Vols
Winders, Charles H 1st Reg Cav Vols
Winding, George W. M 2nd Reg Cav Vols
Windle, William K 5th Reg Inf Vols
Windsor, Henry H. I 4º Reg Cav Vols
Vinho, James I 4th ​​Reg Inf Vols
Winesburg, Oscar F. C 17th Reg Inf Vols
Winesburg, Samuel A 6th Reg Inf Vols
Winfield, Albert K 1st Reg Cav Vols
Winters, Jackson A. G 4º Reg Inf Vols
Winters, Thomas Capitão 1º Reg Cav Vols
Winters, William G 1st Reg Inf Vols
Wires, Lafayette D 14th Reg Inf Vols
Wires, Nathaniel D 14th Reg Inf Vols
Wise, Thomas S. N 6º Reg Inf Vols
Wiseman, John E. 1st Reg Inf Vols
Wiseman, Joseph N. M 2nd Reg Cav Vols
Witam, James C 1st Reg Inf Vols
Withers, William 45th US
Wolf, Joseph S. E 8th Reg Inf Vols
Wolf, Luther B 6º Reg Cav Vols
Wolvington, Thomas J. C 1st Reg Inf Vols
Wood, Byron G. Cpl. F 4º Reg Inf Vols
Wood, Harvey H. H 6th Reg Inf Vols
Wood, James C.S. Sgt. M 7th Reg Cav Vols
Wood, James T. M 1st Reg Cav Vols
Wood, Jerier N 6th Reg Inf Vols
Wood, John T. B 6º Reg Cav Vols
Wood, Joseph K. 6º Reg Inf Vols
Wood, Moses H. Capitão 8º Reg Inf Vols
Wood, Noah A 5th Reg Inf Vols
Wood, Thomas B. H 11th Reg Inf Vols
Wood, William D 1st Reg Inf Vols
Wood, William K 6th Reg Inf Vols
Wood, William B 6º Reg Cav Vols
Wood, William G 2º Reg Cav Vols
Woodall, James I 4th ​​Reg Inf Vols
Woodfield, Joseph L 3rd Reg Cav Vols
Woods, William Cpl. F 6th Reg Cav Vols
Woodward, R. M. B 5º Reg Cav Vols
Woodyard, M. E. G 13º Reg Inf Vols
Woodyard, Manly P. D 13th Reg Inf Vols
Wooton, George C. K. 1º Reg Vet Inf Vols
Worman, Cornelius H 2nd Reg Cav Vols
Worman, Franklin E 2nd Reg Cav Vols
Worthington, James A. Cpl. G 6º Reg Cav Vols
Worthington, John P. K 3rd Reg Cav Vols
Worthington, William Blacksmith H 1st Reg Cav Vols
Worthington, William M. Asst. Cirurgião 10º Reg Inf Vols
Wright, Gad G 4º Reg Inf Vols
Wright, Henry H. B 14º Reg Inf Vols
Wright, James G. H 4º Reg Cav Vols
Wright, Joseph L 3rd Reg Cav Vols
Wright, Major W. C 15th Reg Inf Vols
Wright, William B 7th Reg Inf Vols
Wroe, George N. N 6th Reg Inf Vols
Wroe, George N. N 6th Reg Inf Vols
Wroe, John W. N 6th Reg Inf Vols
Wyant, Henry M. C 6º Reg Inf Vols
Wyatt, Francis M. A 5th Reg Inf Vols
Wycoff, William G 17th Reg Inf Vols
Wyer, Alpheus G 12th Reg Inf Vols
Wyman, Jacob D 1st Reg Inf Vols

Yager, Henry D 1st Reg Cav Vols
Yates, Biddle G 2nd Reg Cav Vols
Yates, James A. C 13th Reg Inf Vols
Yates, John C 4º Reg Cav Vols
Yearian, Joseph K 5th Reg Cav Vols
Yearian, Joseph S. K 5º Reg Cav Vols
Sim, Patterson F. Cpl. G 7º Reg Inf Vols
Yingst, David R. H 6º Reg Cav Vols
Yoder, Henry O 6th Reg Inf Vols
Yonkie, Lewis D 4º Reg Inf Vols
Young, Christopher D 1st Reg Inf Vols
Young, Edward P. E 7th Reg Inf Vols
Young, Isaac G 1st Reg Inf Vols
Young, John A 4th Reg Inf Vols
Young, John H. 45th US
Young, Joseph H 1st Reg Cav Vols
Young, Loyal G 1st Reg Cav Vols
Young, Philip I 1st Reg Inf Vols
Young, Robert D 4th Reg Inf Vols
Young, Samuel H. I 2º Reg Cav Vols
Young, Thomas N 6th Reg Inf Vols
Yourley, Samuel Musician G 7th Reg Inf Vols

Zahn, William C. F 1st Reg Cav Vols
Zimmerman, Henry H 7th Reg Cav Vols
Zink, George W. F 4th Reg Cav Vols
Zinn, Joseph A 1st Reg Cav Vols