Apreender ARS-26 - História

Apreender ARS-26 - História

Aproveitar

(ARS-26: dp. 1.940, 1. 213'6 ", b. 30 ', dr. 14'4", s. 14,8
k .; cpl. 120, a. 4 40mm. AA; cl. Mergulhador)

Seize foi lançado em 28 de setembro de 1943 pela Basalt Rock Co., Napa, Califórnia, lançado em 8 de abril de 1944; patrocinado pela Sra. Louis Perkins; e comissionado em Vallejo, Califórnia, em 3 de novembro de 1944, com o tenente Herman B. Conrad no comando.

Após reparos e limpeza, o navio de resgate apresentou-se ao serviço em 11 de maio de 1945 em San Francisco. Em 2 de junho, o Seize chegou à entrada de Pearl Har bor com três pontes flutuantes a reboque. Reportando-se ao Esquadrão 2 da Força de Serviço, Seize passou um primeiro mês agitado em reparos, realizando experimentos de interferência de radar, patrulhamento e reboque.

Em 10 de julho, o navio de salvamento começou com o APL ~ 43 a reboque para as Ilhas Marshall, chegando a Eniwetok no dia 22. Seize partiu de Eniwetok em 4 de agosto, com PB-46 a reboque e acompanhado por Avoyel (ATF-150). Ela chegou a Guam em 13 de agosto.

Em 14 de agosto, ainda rebocando o PB-46, o Seize deu início a um comboio para Okinawa Shima. Ancorando lá no dia 22, ela foi dispensada do PB-46 no dia seguinte e ajudou a resgatar Oberrender (DE-344) de 27 de agosto a 11 de setembro.

Seize partiu de Okinawa em 17 de setembro. Chegando em comboio a Xangai dois dias depois, o navio de salvamento auxiliou a atividade portuária lá, procurando por uma âncora perdida e ajudando Wailer (DD-466) a trocar de berço. Em 10 de outubro, Seize partiu de Xangai na companhia do PC-491 para Pusan, Coréia. Depois de afundar duas minas com chifres a tiros no caminho, o navio chegou a Pusan ​​no dia 13. Duas minas semelhantes foram afundadas enquanto Seize retornava a Xangai em 16 de outubro.

Seize trabalhou ao longo do Yangtze, removendo obstáculos, salvando, rebocando e procurando, pelo resto do ano. Em 22 de outubro, a caminho de Kichow, o navio de salvamento foi atacado por uma metralhadora perto de uma pequena vila de Yangtze. Ela respondeu com tiros de 40 milímetros e calibre .50 e continuou seu caminho meia hora depois, quando tudo se acalmou. Um golpe direto foi recebido em seu mastro de proa e vários ricochetes foram encontrados a bombordo, mas não houve nenhum outro dano ao navio ou à tripulação.

Em 26 e 28 de janeiro de 1946, Seize replantou a bóia de amarração na Área de Hidroavião Naval em Lunghwa. Nos dias 11, 18 e 20 de fevereiro e nos dias 4, 7, 21 e 29 de março, a Seize instalou um cabo telefônico subaquático de San Clemente (AG-79) até a Base Operacional Naval de Xangai.

Aproveite as águas chinesas que partiram em 31 de março, ancorando em Yokosuka, Japão, em 4 de abril. O navio de salvamento pegou o APL-51 a reboque no dia 8 e rumou para as ilhas havaianas, chegando a Pearl Harbor no dia 26.

Seize chegou a São Francisco em 4 de junho. Descomissionado e transferido para a Guarda Costeira em 28 de junho de 1946, ela foi retirada da lista da Marinha em 13 de novembro de 1946.


Depois que a Guarda Costeira assumiu o Serviço Farol dos Estados Unidos em 1939, os planos para o USLS Zimbro classe de bóias marítimas de 177 e # 160 pés (54 e # 160 m) foram modificadas para 180 e # 160 pés (55 e # 160 m). Estes foram construídos em três classes. o Cacto (A) classe tinha 12 navios, o Mesquite (B) classe tinha seis, e o Íris A classe (C) tinha 20. Vinte foram construídos em um dos dois estaleiros em Duluth, Minnesota. [2]

Citrino foi estabelecido em 29 de abril de 1942 na Marine Iron & amp Shipbuilding Corporation em Duluth. Ela foi lançada em 15 de agosto de 1942 e comissionada em 3 de abril de 1943. [1] [2]

Segunda Guerra Mundial

USCGC Citrino foi inicialmente atribuído ao Nono Distrito em abril de 1943. Com porto doméstico em Detroit, Michigan, o cortador seria usado para auxiliares gerais à navegação e quebra de gelo nos Grandes Lagos.

O cortador foi transferido para o Setor do Alasca, Fronteira do Mar do Noroeste em 15 de setembro de 1943. Os trabalhos de construção na cadeia LORAN das Aleutas Ocidentais começaram durante o final de 1943. A partir de novembro de 1943, homens e materiais começaram a chegar aos locais 62 (Sitka), 63 (Amchitka) e 64 (Attu). Citrino e dois navios Liberty, SS George Flavel e SS McKenzie, transportou equipes de construção da Guarda Costeira para erguer cabanas Quonset para o Destacamento de Construção "A" em Massacre Bay, Attu e em Baxter Cove, Adak. O descarregamento em Adak foi feito com barcaças do tipo pontão de aço de 5 'x 7'. Eles chegaram em 24 de dezembro de 1943. As fortes ondas do solo tornaram o descarregamento do material do cortador para a barcaça precário. Apesar da possibilidade de uma tempestade repentina, as duas barcaças chegaram à praia por volta do pôr do sol. Projectores temporários foram então montados e as operações de descarga continuaram até 1200 no dia de Natal. À medida que a tempestade aumentava de intensidade, Citrino foi incapaz de manter seu ancoradouro e foi forçada a retornar à Baía do Massacre até que a tempestade diminuísse em 2 de janeiro de 1944. [1] [4]

No início de fevereiro de 1944, uma tempestade de cinco dias varreu a área da Baía do Massacre com ventos de até 125 e # 160 mph (201 e # 160 km / h). Em Attu, Citrino tirou nove homens de um rebocador do Exército inundado sem perda de vida e, em seguida, afundou o rebocador com tiros. Citrino também ajudou a tirar um navio da Liberty da praia depois que ele foi levado para terra por uma forte tempestade. Citrino chegou a Ketchikan em 7 de fevereiro de 1944. [1]

Em 20 de fevereiro, Citrino foi enviado para ajudar Mary D que foi fortemente encalhado no recife de Point St. Alban. Com a ajuda de USCGC Cicuta e LT-151. Mary D foi re-flutuado. Depois de lançar alguma carga, ela poderia continuar para Ketchikan. Em 27 de fevereiro de 1944, Citrino foi enviado para ajudar o rebocador do Exército USAT ST-169 em perigo no estreito de Chatham após perder o reboque do berço.

Em 17 de outubro de 1944 Citrino partiu de Petersburgo para prestar assistência a ATS Brunswick encalhado em Wrangell Narrows. Citrino puxou-a à tona e este continuou por conta própria. Citrino passou o resto da guerra conduzindo ajudas à navegação, logística e tarefas de escolta de embarcações nas águas do sudoeste do Alasca. [1]

Pós-guerra

Do fim da guerra até 29 de junho de 1964, Citrino continuou a ser estacionado em Ketchikan e conduziu ajudas para tarefas de navegação. Em 9 de setembro de 1948, Citrino MV assistida Caledônia em Idaho Inlet. De 29 & # 821131 de outubro de 1948, o concurso ajudou USNS & # 160 Mission Santa Cruz. [1]

De 13 e # 821119 de fevereiro de 1950, Citrino procurou um avião desaparecido da USAF perto de Wrangell Narrows. Durante 25 & # 821127 de agosto de 1950, o cortador prestou assistência à barcaça Bisco 3 perto de Ratz Harbor e um navio de pesca Vermay perto do Cabo Muzon, e rebocou o power scow Chichagof perto de Cape Chacon. [1]

Em 19 de maio de 1951, Citrino escoltado USCGC Azevinho branco para Ketchikan depois que o último bateu em uma pedra. Em 25 de maio de 1951, Citrino embarcação de pesca assistida Dolores perto de Point Gardner e de 21 a 27 de julho de 1951 Citrino procurou uma aeronave canadense Douglas DC-4 desaparecida. [1]

Durante 15 e # 821119 de janeiro de 1952, Citrino escoltado USCGC Cahoone para Sitka. Em 8 de junho de 1952, o cortador rebocou o navio pesqueiro Pioneiro para Ketchikan e ajudou o navio de pesca Vagabundo perto da Ilha de Lincoln em 13 de agosto de 1952. Dez dias depois, em 23 de agosto de 1952 Citrino auxiliou o navio de pesca Cinuk no Canal Behm. [1]

Em 24 de agosto de 1953, ajudou o rebocador Saturno recuperar seu reboque perdido a 56 & # 176 25 'N, 14 & # 176 28' W. Citrino em seguida, passou 25 e # 821130 de agosto de 1953 procurando, encontrando e rebocando uma carreta para Ketchikan. Em 13 de outubro de 1953, Citrino ajudou o aterrado APL-55 perto do rio perigoso. [1]

De 30 de junho de 1964 a 1979 Citrino estava estacionado em Kodiak, Alasca, e operava a partir de lá em apoio à navegação. Em 12 de fevereiro de 1965, ela localizou dois navios de pesca soviéticos a 3,4 e # 160 mi (5,5 e # 160 km) do território dos EUA. Depois que ela os notificou de que haviam entrado nas águas territoriais dos EUA, eles partiram. [1]

Em 8 de março de 1965, o Citrino A tripulação de combateu um incêndio em MV Kalaikh fora do Alasca e rebocou-a para Kodiak. Em 3 de maio de 1965, Citrino transportou um marinheiro do navio de pesca soviético Churkzn para a Ilha Kodiak. [1]

Em 6 de fevereiro de 1967, o navio de pesca Astronauta foi naufragado na costa da Ilha de Akutan, nas Ilhas Aleutas. Seus quatro tripulantes chegaram à costa e sobreviveram. Dois esquifes & # 8211, um de cada um dos navios Honey B e Menshikov & # 8211 foram destruídos ao tentar alcançá-los, todos os quatro tripulantes a bordo dos esquifes sobreviveram e se juntaram Astronauta quatro tripulantes na praia. O navio de pesca Estrela americana resgatou quatro deles, e aviões largaram tendas e sacos de dormir para os outros quatro. Eventualmente, Citrino chegou ao local e os resgatou. [5]

De 24 a 26 de janeiro de 1968, a tripulação do Citrino lutou contra um incêndio em um navio a motor japonês Seifu Maru em Dutch Harbor, Alasca. Em 9 de agosto de 1968, ela ajudou o navio a motor em dificuldades Dantzler depois de Dantzler encalhou, e ela acompanhou Dantzler de perto de Cook Inlet para Homer, Alasca. [1]

USCGC Citrino após a conversão para um cortador de resistência média

Em 1 de abril de 1969, Citrino voou um paciente do navio de pesca Zulyo Maru fora do Alasca. Em 8 de maio de 1970, ela rebocou o navio de pesca desativado Shirley Rose para Kodiak. Em 20 de outubro de 1970, Citrino A tripulação resgatou 31 [pessoas da balsa encalhada Tustumena perto de Kodiak. [1]

Em 19 de janeiro de 1974 Citrino procurou por membros desaparecidos da tripulação da traineira de pesca John e Olaf no Golfo do Alasca.

Em 27 de fevereiro de 1979, Citrino atingiu um objeto submerso em Ouzinkie Narrows entre a Ilha Kodiak e a Ilha Spruce. Embora não tenha havido vítimas, o navio sofreu danos significativos. Em março de 1979 Citrino foi convertido em um cortador de média resistência. [1]

Trabalho de corte de média resistência

Após sua conversão para um cortador de resistência média, Citrino O porto de origem foi Coos Bay, Oregon. A missão do cortador era principalmente a aplicação da lei e busca e resgate. Suas principais atividades de aplicação da lei envolviam o embarque de embarcações de pesca nacionais e estrangeiras. [1]

Depois de tentar enviar um grupo de embarque para uma busca por drogas em 1 de janeiro de 1985, Citrino foi abalroado pelo MV panamenho Pacific Star 680 e # 160 mi (1.094 e # 160 km) a sudoeste de San Diego. Pacific Star foi afundado por sua tripulação. Sete tripulantes foram resgatados e 1.000 e # 160 lb (454 e # 160 kg) de maconha foram apreendidos. [1] [6] [7]


Classe de Mergulhador (ARS-5): Fotografias

Clique na pequena fotografia para obter uma visão ampliada da mesma imagem.

Perto do estaleiro naval da Ilha Mare, em 7 de novembro de 1943.
O mastro duplo da popa com duas lanças fazia parte do projeto original desta classe e foi instalado nas primeiras cinco unidades a serem concluídas (quatro encomendadas pelos britânicos, incluindo Gear e Diver).

Foto No. Desconhecida
Fonte: US Naval History and Heritage Command

Em Cherbourg, França, por volta de agosto de 1944 ao lado de um navio naufragado pelos alemães.
Observe seu mastro gêmeo com duas lanças à popa.

Foto No. 80-G-256076
Fonte: Arquivos Nacionais dos EUA, RG-80-G

No Rio Napa, Califórnia, em 11 de novembro de 1943, cerca de uma semana antes do comissionamento.
Este navio, o segundo deste tipo encomendado para a Marinha dos Estados Unidos, foi completado com uma plataforma de ré modificada que consiste em um único mastro com duas lanças mais longas. Uma das barras foi logo excluída e se tornou o equipamento padrão para o restante da classe.

Foto No. 19-N-57116
Fonte: Arquivos Nacionais dos EUA, RG-19-LCM

No Rio Napa, Califórnia, em 11 de novembro de 1943, cerca de uma semana antes do comissionamento.

Foto No. 19-N-57115
Fonte: Arquivos Nacionais dos EUA, RG-19-LCM

Em testes no Rio Napa, Califórnia, em 16 de maio de 1944, logo após seu comissionamento.

Foto No. Desconhecida
Fonte: Shipscribe

Em andamento por volta do final dos anos 1940.
Seu mastro gêmeo original na popa foi substituído pelo único mastro real equipado para Escape e os navios posteriores da classe. Clamp (ARS-33) e Diver (ARS-5) foram modificados de forma semelhante, provavelmente em 1946-47.

Foto No. Desconhecida
Fonte: US Naval History and Heritage Command

A caminho de Oahu, Havaí, por volta do início dos anos 1960.
O navio ainda tem suas cubas originais atrás da ponte com seus dois suportes de canhão gêmeos de 40 mm.

Foto No. KN-4910
Fonte: Shipscribe

A caminho de Oahu, Havaí, em 13 de abril de 1963.
Seus dois suportes de canhão gêmeos de 40 mm originais e suas grandes cubas de canhão foram substituídos por um único canhão de 40 mm na linha central da ponte de sinal.

Foto nº KN-5507
Fonte: Shipscribe

A caminho de Oahu, Havaí, em 21 de março de 1967.
O novo canhão único de 40 mm na ponte de sinal é claramente visível nesta vista.

Foto No. USN 1122603
Fonte: US Naval History and Heritage Command

Anteriormente USS Seize (ARS-26). A Guarda Costeira classificou este navio como um rebocador oceânico.

Foto No. Desconhecida
Fonte: US Naval History and Heritage Command (MSC)

Anteriormente USS Chain (ARS-20), ela é mostrada aqui por volta do início dos anos 1960, logo após a conversão em um navio de pesquisa operado pelo MSTS para o Woods Hole Laboratory em Massachusetts. Ela foi reclassificada como T-AGOR-17 em abril de 1967 para corresponder à sua nova função.

Foto No. Desconhecida
Fonte: US Naval History and Heritage Command (MSC)

Anteriormente USS Snatch (ARS-27), ela é mostrada aqui em 2 de agosto de 1960 após a conversão em um navio de pesquisa para operação pelo Scripps Institution of Oceanography na Califórnia. Depois de abril de 1967, ela foi listada nos registros da Marinha como T-AGOR-18 para combinar com sua nova função.


Apreender ARS-26 - História

Ketchikan Waterfront
Foto da primeira página por Carl Thompson

Nacional: Bush adverte que o fracasso no Iraque seria "grave e de longo alcance" Por STEPHEN KAUFMAN - Ainda há tempo para os Estados Unidos ajudarem a moldar o resultado do conflito no Iraque, disse o presidente Bush, acrescentando que permitir que os extremistas tomem o controle do Iraque. país seria o mesmo que ignorar as lições dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 a Nova York e Washington.

Falando em seu discurso anual sobre o Estado da União no Congresso dos EUA em Washington em 23 de janeiro, Bush disse & quotthe as consequências do fracasso [no Iraque] seriam graves e de longo alcance. & Quot - Mais.
Terça-feira à tarde - 23 de janeiro de 2007

Nacional: Democratas dão resposta contundente ao discurso de Bush Por MARGARET TALEV - Em uma resposta contundente do Partido Democrata ao discurso do presidente Bush sobre o Estado da União, o primeiro senador James Webb, da Virgínia, disse que Bush "nos levou para esta guerra de forma imprudente" e "agora somos uma nação refém da desordem previsível e previsível que se seguiu. & quot

Webb, cujo filho fuzileiro naval está servindo no Iraque, disse que Bush perdeu o apoio da maioria do país e dos militares. - Mais.
Terça-feira à tarde - 23 de janeiro de 2007

Cortador da Guarda Costeira Acushnet To Be
Próxima Coroada & quotQueen da Frota & quot
Foto da primeira página por Carl Thompson

Ketchikan: o cortador da Guarda Costeira Acushnet será coroado na próxima & quot Rainha da Frota & quot - Com o descomissionamento do cortador da Guarda Costeira Storis em 8 de fevereiro de 2007, o cortador da Guarda Costeira baseado em Ketchikan, Acushnet, será coroado como a próxima Guarda Costeira & quot Rainha de a Frota & quot.

O título & quotQueen of the Fleet & quot é uma distinção dada ao mais antigo cortador comissionado da frota. O Acushnet celebrará seu 63º aniversário em 5 de fevereiro de 2007.

Acushnet foi originalmente comissionado como Embarcação de Resgate e Salvamento de Frota da Classe Diver, USS SHACKLE (ARS 9) para a Marinha dos EUA em 5 de fevereiro de 1944. Em 23 de agosto de 1946, Acushnet foi comissionado como Rebocador Auxiliar (WAT) na costa dos EUA Guarda. Nesse mesmo ano, duas outras embarcações da classe Diver da Marinha dos EUA: the Escape (ex-ARS 6) e Yocona (ex-SEIZE ARS 26) também se juntaram à frota da Guarda Costeira como Rebocadores Auxiliares (WAT).

Ao contrário de qualquer outro navio da Guarda Costeira, Acushnet serviu na Marinha e na Guarda Costeira como um navio de resgate e salvamento de frota (ARS), um rebocador auxiliar (WAT), um navio oceanográfico (WAGO) e um cortador de média resistência (WMEC ) É o segundo cutter da Guarda Costeira a ter o nome Acushnet e será o mais antigo cutter de resistência média ainda em operação depois do Storis.

Enquanto os dois navios irmãos, Yocona e Escape, foram desativados, Acushnet continua a servir como um cortador de média resistência no Golfo do Alasca e no Mar de Bering. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007


Melhores histórias
U.S. News
Política dos EUA
Alasca
Ketchikan

Ketchikan: Rep. Johansen nomeado para quatro subcomitês de Finanças - O Representante Kyle Johansen (R-Ketchikan) foi nomeado para os Subcomitês de Administração, Comunidade e Desenvolvimento Econômico, Conservação Ambiental, Transporte e Finanças Públicas.

& quotEstes Subcomitês fazem o verdadeiro trabalho pesado durante o processo de Orçamento Operacional. Nós nos reunimos todos os dias e vasculhamos os livros de orçamento detalhados dessas agências estaduais. É um processo muito intenso para nós e para os Departamentos ”, disse Johansen. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Ketchikan: IFA para servir Metlakatla - O M / V Stikine da Autoridade de Balsas entre as ilhas fornecerá serviço diário de Ketchikan-Metlakatla-Ketchikan de 20 de fevereiro a 1º de março, anunciou o gerente geral da IFA, Tom Briggs. Serviço alternativo para a comunidade da Ilha Annette será fornecido durante o período em que o M / V Lituya estará fora de serviço para uma revisão programada, disse Briggs.

O Stikine partirá de Ketchikan às 11h30, chegando a Metlakatla às 13h, saindo de Metlakatla às 13h30 e retornando a Ketchikan às 15h (os horários são indicados no horário padrão do Alasca, Metlakatla observa o horário do Pacífico). As tarifas Metlakatla-Ketchikan no Stikine serão as mesmas em vigor no Lituya. A IFA coletará as tarifas a bordo do navio. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Alasca: Fundo Permanente do Alasca retorna 5,6% no segundo trimestre - O Fundo Permanente do Alasca retornou 5,6% no segundo trimestre do ano fiscal, de acordo com números não auditados divulgados na segunda-feira. Isso traz o retorno do acumulado do ano para 9,6%. O Fundo cresceu US $ 2,1 bilhões no trimestre, encerrando em 31 de dezembro com um valor não auditado de US $ 36,4 bilhões.

A alta das ações que começou no meio do ano continuou até o segundo trimestre fiscal, e as carteiras de ações do Fundo contribuíram mais para o retorno total. As ações não domésticas foram a classe de ativos mais forte do Fundo, retornando 11,4%, e as ações domésticas retornaram 6,9%. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Alasca: O debate sobre o salário mínimo começa em Juneau - Hoje, seis democratas da Câmara do Alasca lançaram seu esforço para aumentar o salário mínimo do Alasca, que está estagnado desde 2002. O Alasca já teve o maior salário mínimo do país, refletindo o alto custo de vida do estado.

& quotCustos de combustível subiram. Os custos com alimentos e médicos aumentaram. O nível de remuneração das pessoas que trabalham e ainda lutam para sobreviver também deve subir ”, disse o deputado Les Gara (D-Anchorage). - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007


Nacional: Bush pedirá redução de 20% no consumo de gás até 2017 Por STEPHEN KAUFMAN - Em seu discurso anual sobre o estado da União no Congresso dos EUA, o presidente Bush planeja propor a redução do consumo de gasolina nos EUA em 20% em 10 anos, substituindo atuais fontes de combustível com alternativas, como etanol de milho, e aumento da eficiência de automóveis, caminhões leves e veículos utilitários esportivos (SUVs).

O presidente falará no Capitólio dos Estados Unidos às 21h. EST em 23 de janeiro.

Em seus comentários sobre energia, Bush deve discutir os desenvolvimentos tecnológicos que visam diminuir a dependência dos EUA do petróleo estrangeiro e diminuir as emissões de dióxido de carbono que contribuem para a mudança climática global, de acordo com a Casa Branca. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Internacional: Ações do Programa Nuclear do Irã podem estimular maior isolamento Por STEPHEN KAUFMAN - A notícia de que o Irã barrou 38 inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) é um "outro exemplo" das tentativas do governo iraniano de "ditar os termos" à comunidade internacional e ao governo iraniano corre o risco de ficar ainda mais isolado por causa disso, de acordo com um funcionário do Departamento de Estado.

O porta-voz do Departamento de Estado, Sean McCormack, disse em 22 de janeiro que, mesmo que a AIEA seja capaz de contornar a decisão do Irã, é outra indicação de que o Irã continua em sua atitude desafiadora em relação à comunidade internacional. Eles simplesmente não entendem. & Quot - Mais ...
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Internacional: Forças de segurança afegãs obtêm ganhos impressionantes Por JACQUELYN S. PORTH - O secretário de Defesa Robert Gates, revisando o treinamento do exército nacional afegão, disse recentemente que não apenas está muito impressionado, mas que o progresso do exército excede as expectativas dos EUA.

Gates e o general da Marinha Peter Pace, presidente do Estado-Maior Conjunto, estiveram em Cabul para uma visita de três dias em meados de janeiro, na primeira viagem do secretário ao Afeganistão. Embora ganhos tenham sido feitos, ele disse durante uma entrevista coletiva em 17 de janeiro em Washington que as autoridades afegãs e americanas ainda esperam acelerar o processo de treinamento e equipamento do exército. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Internacional: Segurança de Bagdá no topo da agenda dos EUA, general Petraeus diz aos senadores Por JIM FISHER-THOMPSON - a nova direção estratégica do presidente Bush no Iraque - envolvendo o envio de brigadas adicionais do Exército e da Marinha dos EUA com o objetivo, em parte, de proteger Bagdá - agora é o o melhor plano para impedir a queda daquela nação problemática no caos sectário, disse o tenente-general David Petraeus aos senadores em 23 de janeiro.

O general testemunhou perante o Comitê de Serviços Armados do Senado sobre sua nomeação pelo presidente para comandar as forças dos EUA e da coalizão no Iraque. Se confirmado pelo Senado pleno, Petraeus substituirá o general George Casey como comandante das Forças Multinacionais - Iraque. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

CLASSIFICADOS
Publique automaticamente o seu anúncio na categoria adequada,
ou envie seu anúncio e fotos para
[email protected]

Janeiro de 2007
S M T C T F S
31 01 02 03 04 05 06
07 08 09 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31

Dave Kiffer: Totens - Nos últimos anos, todos nós vimos nosso Downtown se transformar em algo diferente do que todos nós nos lembramos. Parte disso é apenas uma constante em todas as nossas vidas: Mudança.

Nada permanece o mesmo, não importa o quão reconfortante essa mesmice seja. Tenho visto muitos negócios familiares fecharem ou saírem do centro da cidade e isso me entristece, mas infelizmente é tão inevitável quanto o clima.

Recentemente, também fui a funerais demais para o meu gosto. Seis pessoas que conheço morreram desde outubro. Essa é uma mudança que eu também poderia dispensar. Cada perda deixa um espaço vazio e Ketchikan fica mais pobre por isso.

Quando estive na Irlanda, anos atrás, fiquei impressionado com um poema de um dos grandes escritores irlandeses John Montague, no qual ele comparava os "velhos" da juventude a "dolmens" ou pedras eretas irlandesas. Os velhos eram imutáveis, sempre presentes. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Martin Schram: Alimentando as chamas da desinformação - é um problema há muito reconhecido, mas raramente admitido: nós, na mídia de notícias, muitas vezes acabamos alimentando as chamas quando cobrimos os incêndios.

Mas o dilema de nossa nave se torna muito pior quando os incêndios que cobrimos foram provocados por incendiários em nosso meio.

E foi o que aconteceu esta semana. Poucos dias depois de o consenso presidencialista da frente começar seu início de campanha muito cedo em 2008, um pequeno, mas sempre pronto segmento da mídia de notícias desencadeou o primeiro incêndio tão rapidamente que até mesmo os trapaceiros políticos sujos tradicionais foram pegos com seus combates baixa.

Uma publicação conservadora pouco conhecida, Insight Magazine, que é propriedade de uma empresa controlada pelo reverendo Sun Myung Moon, que também é dono do The Washington Times, colocou em seu site um item que apresentou como verdade, embora fosse um não verificado e, em última análise, falso, não-fato. A revista Insight informou que o senador democrata Barack Obama, durante sua infância na Indonésia, foi educado em uma madrassa, uma daquelas escolas altamente religiosas nas quais os ensinamentos islâmicos fundamentalistas enfatizam a militância e o ódio - escolas que produziram muitos extremistas islâmicos. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Jay Ambrose: Levando a sério a Previdência Social - agora que os democratas da Câmara nos deram 100 horas de razzmatazz - a aprovação rápida e irrefletida de seis projetos de lei que o Senado misericordiosamente matará ou alterará - talvez eles façam algo responsável, algo desesperadamente necessário, algo crucial para o país. Talvez tratem da reestruturação da Previdência Social.

Mais do que provavelmente, eles não vão.

É fácil bater nas empresas de energia e farmacêuticas porque, bem, quem gosta delas, afinal, e quantos eleitores entendem que a consequência da promulgação dessa legislação vingativa nos anos vindouros seria o aumento dos preços do petróleo e menos drogas que salvam vidas? As outras iniciativas eram também o material de que são feitos os sonhos de aprovação dos eleitores. Mas retrabalhar a Previdência Social de maneira substantiva não é. - Mais...
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Dale McFeatters: O nadir oficial do ano - A segunda-feira passada é o dia mais deprimente e miserável do ano, de acordo com um psicólogo britânico, graças a uma convergência sombria de contas de feriado não pagas, resoluções de Ano Novo caducadas, o brilho agora dissipado do Natal e letargia induzida pelo mau tempo.

E talvez haja algo nessa tempestade perfeita de mau humor de 24 horas. Temos dias para todo o resto, por que não designar a quarta segunda-feira de janeiro como segunda-feira azul, um dia para ser dedicado à tristeza e à autocomiseração, consolado apenas pelo pensamento de que - se o Dr. Cliff Arnall da Universidade de Cardiff estiver certo - as coisas ficaram tão ruins que vão ficar durante o ano e começarão a melhorar na terça-feira.

A desvantagem dessa observância melancólica é que o grande exército de psiquiatras, gurus da dieta, malucos do fitness e visitantes de programas matinais de TV - entre eles o próprio Dr. Arnall - dedicado a contrariar as pessoas arruinará o Blue Monday para o resto de nós. Ele diz que podemos sair do nosso medo resolvendo mudar nosso comportamento e coisas como parar de fumar, comer melhor, fazer mais exercícios e conseguir um novo emprego. ”Oh, obrigado, doutor. Nunca teríamos pensado nisso por conta própria. - Mais.
Terça-feira - 23 de janeiro de 2007

Envie por e-mail suas dicas de notícias, notícias
lançamentos e fotos ampliadas para:
[email protected]

Dick Kauffman, editor / editor
[email protected]

Propriedade local e operado por amplificador.
Online desde 1999

SitNews
Histórias nas notícias
& copy1999 - 2007
Ketchikan, Alasca


Apreender ARS-26 - História

Agradecemos informar que os membros da ARS superaram a situação do COVID e ainda não foram infectados e agora, todos nós fomos totalmente vacinados. Pedimos desculpas por não podermos ver você mais cedo. A banda está extremamente ansiosa para voltar a se apresentar regularmente e, mais uma vez, passar um tempo com todos os nossos amigos na estrada. Obrigado por ser paciente. Foi muito difícil para nós. O ARS fez mais shows nos anos que antecederam a pandemia do que desde os anos 80. De repente, não ser capaz de tocar foi um choque para nós.

Nossos pensamentos continuam a se dirigir a todos vocês, pois todos foram afetados pela pandemia de alguma forma. Esperamos que nossa família de amigos e fãs do ARS estejam agora emergindo saudáveis ​​e prontos para o rock. Felizmente, a maioria de nossos shows foi reprogramada. Por favor, guardem seus ingressos e se você está pensando em comprar um ingresso para um show, por favor, compre um. Qualquer show! Os locais de música e aqueles que dependem deles para seu sustento sofreram significativamente. Nós realmente (REALMENTE, REALMENTE!) Apreciamos o apoio. Todo mundo poderia usar mais coisas para esperar.

É hora de voltar lá. Volte para a estrada. Enfrente os holofotes e faça um barulho glorioso! Obrigado Senhor!

Muito obrigado a todos que se juntaram a nós no Anderson Music Hall. Estamos aliviados em informar que Rodney não sofreu de nada mais sério do que um ataque de desidratação severa na noite de nosso show. Ele foi minuciosamente examinado por alguns dos verdadeiros heróis médicos do nosso país, que o encheram de fluidos e o mandaram embora. Podemos agradecer bastante à Srta. Hilda e à equipe do Anderson por permanecerem conosco. Nosso mais profundo agradecimento vai para o incrível público que nos transportou por uma situação inquietante e totalmente ROCKED IT!

Sempre nos divertimos muito tocando em Hiawassee, GA. Ao longo dos anos, ARS teve vários concertos memoráveis ​​no Anderson Music Hall, com 2.900 lugares, localizado nas belas margens do Lago Chatuge. Se apresentar na frente de uma grande multidão, em um ótimo local, com todos os seus amigos, nunca fica velho e não fica nada melhor. Tivemos a sorte de dividir o palco do Anderson com a Pure Prairie League, Marshall Tucker Band e Molly Hatchet. Desta vez, saímos com outra grande banda, Orleans. Eles soaram fantásticos e estamos ansiosos para vê-los novamente em breve. Na verdade, temos vários shows agendados com eles este ano.

Não se esqueça da Georgia Mountain Fair, de 13 a 21 de agosto, e confira os grandes shows e eventos que acontecerão em Towns County Georgia no Georgia Mountain Fairgrounds e no Anderson Music Hall. Será difícil encontrar um lugar mais bonito para visitar e as pessoas maravilhosas lá em cima farão você ficar ansioso para voltar.

O Ashejam tem os ingredientes de um evento musical incrível em um lugar incrível e realmente, por um preço verdadeiramente incrível. Na pitoresca Fletcher, NC, no Western North Carolina Agriculture Center, nos arredores de Asheville, junte-se a nós na Southern Atlantic Hemp and Arts Expo para um fim de semana cheio de celebração, arte, comida, música e algumas vibrações totalmente incríveis.

Três dias de bandas fantásticas. Três dias nas belas montanhas da Carolina do Norte com algumas pessoas bonitas. Os locais para trailers estão disponíveis no recinto de feiras para o fim de semana. Vamos jogar no domingo com uma escalação incrível. Definitivamente uma vibe 70 & rsquos acontecendo no domingo, nós dividiremos o palco com: Firefall, Pure Prairie League, Poco, Orleans e os Babys. A junção 280 de Henderson, NC traz um verdadeiro sabor do sabor bluegrass local para começar o dia. Uau! Os lineups de Friday & rsquos e Saturday & rsquos incluem uma variedade de artistas talentosos que se encaixam perfeitamente na vibração do evento.

Não deixe de chegar cedo no sábado para o Jeff Sipe Trio. Encontro você no círculo de tambores!

Nossos corações estão pesados ​​e nossas condolências vão para a família, amigos e fãs de Rusty Young e B.J. Thomas. Temos sido extremamente afortunados por ter andado por aí com Rusty e B.J .. A única coisa maior do que os talentos desses dois era sua graciosidade. Ambos eram bons cavalheiros que tinham a habilidade fantástica de fazer as pessoas ao seu redor se sentirem especiais. Até nos encontrarmos novamente.

O experiente autor sulista Willie G. Moseley escreveu um livro aprofundado sobre a seção de ritmo de Atlanta. Anos de pesquisa e extensas entrevistas são infundidos na primeira e única história autorizada da banda. Um nativo e residente atual do Alabama, o Sr. Moseley tece sem esforço a história de uma banda cujas raízes são tão próximas às suas.

O pano de fundo da Atlanta Rhythm Section & rsquos é uma lição de história da cena musical do Sul durante os anos 60. O Sr. Moseley detalha como Buddy Buie montou um grupo central de músicos sulistas incrivelmente talentosos e desenvolveu o ambiente criativo que permitiu ao conjunto florescer e realmente criar trabalhos incríveis. Buddy tornou real seu sonho de formar um supergrupo para usar como veículo de suas habilidades de composição, visão musical e visão de negócios. Os esforços de Buie & rsquos foram executados como uma sinfonia e um crescendo habilmente conduzidos quando o sucesso do Atlanta Rhythm Section & rsquos atingiu o pico no final dos anos 70.

O que sobe. bem, você pode ler o resto dessa história também. O livro do Sr. Moseley & rsquos investiga as lutas que seguem o sucesso do Top 40 da banda & rsquos. Ele segue as voltas e reviravoltas da banda e rsquos ao longo do novo milênio até os dias atuais. Publicado pela Schiffer Publishing e disponível em muitos varejistas online, & ldquoThe Atlanta Rhythm Section: The Authorized History & rdquo é o décimo terceiro livro do Sr. Moseley & rsquos. Um escritor sênior de Revista Guitarra Vintage, ele é editor de notícias emérito da The Tallassee Tribune.

Muitas vezes descrito como uma versão mais amigável para o rádio do Lynyrd Skynyrd ou dos Allman Brothers, o Atlanta Rhythm Section foi uma das muitas bandas de Southern Rock a atingir o topo das paradas durante o final dos anos 70. Hailing from the small town of Doraville, Georgia, the beginning of the Atlanta Rhythm Section can be traced back to 1970. It was then that a local recording studio was opened, Studio One, and the remnants of two groups (the Candymen and the Classics Four), became the studio's house band. One of the facility's head figures, Buddy Buie, soon began assembling the session band. After playing on several artists' recordings, it was decided to take the band a step further and make the group of players a real band, leading to the formation of the Atlanta Rhythm Section. This collection contains 10 tracks previously unavailable on compact disc.

Liner Note Author: Bill Dahl.

Recording information: Atlanta, GA (1977) Chandler, NC (1977) Cleveland, OH (1977) London, England (1977) NYC, NY (1977) Pittsburgh, PA (1977) Tokyo, Japan (1977) Atlanta, GA (1978) Chandler, NC (1978) Cleveland, OH (1978) London, England (1978) NYC, NY (1978) Pittsburgh, PA (1978) Tokyo, Japan (1978) Atlanta, GA (1981) Chandler, NC (1981) Cleveland, OH (1981) London, England (1981) NYC, NY (1981) Pittsburgh, PA (1981) Tokyo, Japan (1981).


Laststandonzombieisland

Here at LSOZI, we are going to take off every Wednesday for a look at the old steam/diesel navies of the 1859-1946 time period and will profile a different ship each week. These ships have a life, a tale all of their own, which sometimes takes them to the strangest places. – Christopher Eger

Warship Wednesday January 4, 2017: There is no longer an Escape

Here we see a rack of 68-pound MK. V Diving Helmets stored on board the Diver-class salvage and rescue ship USS Escape (ARS-6), during the 1960s. From the NHC caption: “The helmets constantly have a light burning inside to keep out moisture and corrosion when stored in this manner. Sailors on board the ship say it makes a spooky sight, much like a rack of Halloween Jack-O-Lantern.”

Escape had a long and interesting life that saw her role repeatedly redefined.

The Navy was already experienced in marine salvage prior to World War II. Several major operations involved the recovery of three submarines between the wars: USS S-51 in 1925 USS S-4 in 1927 and USS Squalus in 1939.

However, the Navy did not have ships specifically designed and built for salvage work when it entered WWII, and it was not until the start of the war that salvage ships become a distinct vessel type.

The earliest designated United States Navy salvage ships (ARS) were converted WWI-era Lapwing-class minesweepers (USS Viking ARS-1, USS Crusader ARS-2, USS Discoverer ARS-3, e USS Redwing ARS-4) but they were far from adequate when it came to heavy deep sea lifting.

Then came the purpose-built Diver-classe.

Built at Basalt Rock Co., Napa, Calif. — a gravel company who was in the barge building biz– 17 of the new 213-foot vessels were constructed during WWII.

Fitted with a 20-ton capacity boom forward and 10-ton capacity booms aft, they had automatic towing machines, two fixed fire pumps rated at 1,000 gallons per minute, four portable fire pumps, and eight sets of “beach gear,” pre-rigged anchors, chains and cables for use in refloating grounded vessels. And of course, they were excellently equipped to support divers in the water with one double re-compression chamber and two complete diving stations aft for air diving and two 35-foot workboats. The Mark V helmet shown above? It was put into production in 1942 with these ships in mind.

Líder de classe USS Diver (ARS-5) commissioned 23 October 1943 and the hero of our tale, Escape, followed shortly after.

Escape (ARS-6) in the Napa River, CA. 11 November 1943, about a week before commissioning. This ship, the second of this type ordered for the US Navy, was completed with a modified rig aft consisting of a single kingpost with two longer booms. One of the booms was soon deleted, and this became the standard rig for the remainder of the class. US National Archives, RG-19-LCM, photo #’s 19-N-57115, US Navy Bureau of Ships photos now in the collections of the US National Archives, courtesy Shipscribe.com via Navsource.

Assigned to Norfolk and then Bermuda in late 1943, Escape was based for general salvage and towing duties and during the conflict rescued at least four ships at sea including the steamer SS George Ade which was hit by a Gnat from U-518 about 125 miles off the coast of North Carolina. Despite a hurricane that brought 100-knot winds and 50-foot seas, Escape trouxe Ade into port and the merchantman was eventually returned to service.

Escape 1945, looking a good bit more broken in than in her 1943 photo.

As the war ended, Escape was tasked with getting the Italian submarine Goffredo Mameli back to the spaghetti boat’s home. When she was commissioned in 1929, Mameli was the deepest diving sub in the world and she also became one of the luckiest as the Italians lost something like 8 out of 10 submarines they had in the war. Mameli had spent the last few months of the conflict in the U.S. as a training ship.

Italian Submarine Goffredo Mameli August 27, 1944 off the east coast of the U.S. (Maine). Following the Armistice, Mameli and two of her sisters were sent to the US to serve as training targets for allied forces and were based in Florida, near the SONAR school in Key West. Photographed by a blimp from ZP-11

On 8 November 1945, Escape sailed from Key West escorting, and later towing, Mameli to Taranto, Italy and returned to Norfolk 22 January 1946 onyto be laid up six months later.

Reactivated in 1951, she was soon busy salvaging the wreck of the gunboat USS Erie (PG-50), a past Warship Weds alumni, from the inner harbor of Willemstad, Curacao.

Here is a USN training film on the classic dive dress used during most of Escape‘s Navy service.

In 1958, Escape recovered a full-scale Jupiter IRBM (Intermediate Range Ballistic Missile) nose cone of a returning Jupiter-C rocket from the waters near Antigua and in 1960 was a support ship for Operation Sky Hook, a high-altitude balloon reconnaissance research program, which prepped her for helping in the NASA recovery operations with Project Mercury January 30, 1960, and November and December 1960 Apollo-Saturn 12 (AS-12), November 14-24, 1969 Skylab-2 (SL-2), May 25-June 22, 1973 and Skylab-3 (SL-3), July 28-September 25, 1973.

Oh yeah, and she participated in the 1961 Cuban Missile Crisis blockade.

In short, she was a really busy salvage ship.

In the aftermath of the Yom Kippur War, Escape spent the last six months of 1974 clearing wrecks blocking the Suez Canal as part of Operation Nimrod Spar (316-page SUPSALV report on that here another 115-page one here)

USS Escape on Lake Timash, Egypt, 1974

USS ESCAPE (ARS-6) Entering a Mediterranean Sea Port, during the 1970s. Catalog #: NH 88518 click to big up

USS Escape (ARS-6) moored pierside at Cartagena, Spain, circa 1976-77. Mario Gomes via Navsource

With the Navy having several newer classes of salvage ships (the Âncora, Peso, Bolster e Salvaguarda-class vessels) Escape and her sisters were effectively replaced in by the 1970s.

Escape was decommissioned, 1 September 1978 and laid up with the James River Reserve Fleet near Norfolk. In her 35 years of service with the Navy, 22 skippers had helmed her.

Then came the Cuban boatlift crisis and the Coast Guard was woefully short of ships. In January 1981, Escape was transferred from reserve fleet to the U.S. Coast Guard.


In the rush to convert the grey-hulled salvage ship to a white-hulled lawman, her sponsons were taken off, she was converted from DC to AC, her diving support system and decompression chamber were removed, and much of her salving storage converted. Her armament was landed and she would roll with small arms only.


She was commissioned at 10 a.m. on 14 March 1981 at Portsmouth, Va. and at the time was the largest cutter in the USCG’s Seventh District (outclassing the “puny” 210-foot Reliance class WMECs by three feet oal).

Although the helmets were long gone, she kept her name, hull number and WWII era ship’s insignia.

1945, 1958 and 1981 respectively

Humanitarian service remained a hallmark of her career, rescuing some 586 Haitians from the sea in a single month in 1989, besting this in a three-week period in 1994 with 1193 Haitians from 39 waterlogged “vessels” (at one time having 397 souls clustered on her deck).

USCGC Escape (WMEC-6) on patrol in the Caribbean Sea picking up refugees, circa 1994. Photo courtesy of the National Association of Fleet Tug Sailors, contributed by Scott Vollmer via Navsource

Her service to the Coast Guard, besides the Cuban boatlift, was the stuff of legend and she popped a number of large narco boats including the M/V Portside with 10-tons of grass just six months after she was commissioned, M/V Juan XIII with 13-tons in 1982, the Colombian M/V Mr. Ted with 18 tons of marijuana just 100 miles off the coast of South Carolina in 1988, 515 keys of coke on the U.S. flagged yacht Ojala in 1992 (along with the hydrofoil USS Gemini) and enforcing Operation Support Democracy, the UN embargo on Haiti.

Things sometimes got dicey. In December 1982, the M/V My Lord tried to ram the old girl but the cutter managed to get a boarding team on board to arrest eight and seize five tons of narcotics.

Other conversions from her original salvage role came and her forward cargo boom and salvage wench were removed, a new gyro and weight room added, new reefers added, the ship’s office converted to CPO mess, ship’s store converted to berthing, towing wench landed and two Zodiac Hurricane boats loaded.

She earned the nickname “Workhorse of the Atlantic” picking up a Coast Guard Unit Commendation, three Meritorious Unit Commendations, four Humanitarian Service Medals, two Operational Readiness Awards and five Special Operations Award– the latter all for Operation Able Manner.

When she decommissioned 29 June 1995 at Charleston, Escape was the oldest medium endurance cutter in the Coast Guard’s Atlantic Area and seven USCG captains had skippered her.

With all of the modifications, and her extended age, Escape was not in a condition suitable for recall and re-use by the Navy as a salvage vessel and was laid up at the National Defense Reserve Fleet, James River Group, Lee Hall, VA.

There she remained until the Maritime Administration paid $115,200 to Bay Bridge Enterprises LLC of Chesapeake, VA to scrap the old girl in 2009.

As for her 16 sisters, they all left U.S. Navy service fairly rapidly in the 1970s and disposed of with only the USS Preserver (ARS-8) lasting somehow until 1994. Two went to South Korea one, ex- USS Grapple (ARS-7) is still active as ROCS Da Hu (ARS-552) in Taiwan and one, ex-USS Safeguard (ARS-25), went to Turkey. The latter is supposedly still active as TCG Isin (A-589) though her replacement is nearing.

Two of Escape‘s sisters, USS Seize (ARS-26) e USS Shackle (ARS-9) also went to the Coast Guard as USCGC Yocona (WMEC-168) e USCGC Acushnet (WMEC-167) respectivamente. Seize/Yocona was sunk as a target in 2006 and Shackle/Acushnet, decommissioned in 2011 as the last Diver-class vessel in U.S. service, is currently for sale in Anacortes, Wash and efforts are afoot to save her.

One of the last remnants of her in circulation are postal cancellations honoring her as part of the NASA recovery fleet.

And, of course, MK V helmets.

Naval Undersea Warfare Center Keyport dock. US Navy Diver Breslin looks pretty happy in his MK V rig 1950

Specs:
Displacement: 1,441 tons (1943)
1,756 tons (1964)
Length: 213′ 6″
Beam: 39′
Draft: 13′ 11″ (1964)
Propulsion: Four Combustion Engineering GSB-8 Diesel engines
double Fairbanks-Morse Main Reduction Gears
twin propellers, 3,000shp
Ship’s Service Generators
two Diesel-drive 200Kw 120V D.C.
one Diesel-drive 60Kw 120V D.C.
Fuel Capacity: 95,960 gallons
Maximum Speed: 14.8 knots on trials.
Range: 9,000 miles @ 15 knots
Cruising Speed: 10.3 knots (13,700 mile range)
Complement: 7+113 (USN�)
76 (USN�)
USGC: Final crew was 8 officers, 3 CPOs, 35 enlisted. (Authorised in 1981 with 7 officers, 65 enlisted)
Radar: OS-8E (1964)
Armamento:
Designed: one single 3″/50 cal dual purpose gun mount
two twin 40mm AA gun mounts
four .50 cal machine guns
(1964) 2 x 20mm/80
(1981) Small arms

If you liked this column, please consider joining the International Naval Research Organization (INRO), Publishers of Warship International

They are possibly one of the best sources of naval study, images, and fellowship you can find http://www.warship.org/membership.htm

The International Naval Research Organization is a non-profit corporation dedicated to the encouragement of the study of naval vessels and their histories, principally in the era of iron and steel warships (about 1860 to date). Its purpose is to provide information and a means of contact for those interested in warships.

Nearing their 50th Anniversary, Warship International, the written tome of the INRO has published hundreds of articles, most of which are unique in their sweep and subject.


Air and Marine Operations P-3 Crews and Partners Seize 24 Tons of Narcotics in 2nd Quarter of Fiscal Year 2021

WASHINGTON — Air and Marine Operations (AMO) National Air Security Operations Center, P-3 Long Range Tracker and Airborne Early Warning crews partnered with federal authorities to disrupt smuggling of 24 tons of narcotics between January 1 and March 31 in narcotics transit zones, denying transnational narcotics traffickers nearly $900 million USD in illicit proceeds.

U.S. Customs and Border Protection’s Air and Marine
Operations (AMO) operates the P-3 Long Range
Tracker and Airborne Early Warning aircraft
which perform a wide variety of operational
missions, especially those that require long
station time overhead, hemispheric range,
and missions throughout all weather and
environmental conditions.

During the second quarter of fiscal year 2021, AMO P-3 crews worked with federal and international partners to seize 47,345 pounds of cocaine and 1,000 pounds of marijuana. The aircrews flew 1,905 total flight hours and 81 percent of those flight hours occurred in partnership with Joint Interagency Task Force-South.

More information about notable first quarter FY 2021 seizures can be found below:

National Air Security Operations Center P-3 capabilities continue to prove essential to United States Southern Command Operations, contributing to an increased law enforcement presence in narcotics transit zones. This partnership bolsters the effectiveness of U.S. and international law enforcement by sharing information and intelligence to increase interdictions. Key SOUTHCOM partners have been involved in over 60 percent of drug disruptions since April 2020.

AMO has two P-3 National Air Security Operations Centers, located in Jacksonville, FL and Corpus Christi, TX. These P-3 aircraft operate throughout North, Central and South America in defense of the borders of the United States and to prevent attempts to smuggle persons or contraband.

AMO safeguards our Nation by anticipating and confronting security threats through our aviation and maritime law enforcement expertise, innovative capabilities, and partnerships at the border and beyond. With approximately 1,800 federal agents and mission support personnel, 240 aircraft and 300 marine vessels operating throughout the United States, Puerto Rico, and U.S. Virgin Islands, AMO serves as the nation’s experts in airborne and maritime law enforcement.

In FY 2020, AMO enforcement actions resulted in the seizure or disruption of 194,220 pounds of cocaine, 278,492 pounds of marijuana, 15,985 pounds of methamphetamine, 952 weapons and $51.5 million, 1,066 arrests, 47,872 apprehensions of undocumented migrants.


Text of the Enabling Act

O Reichstag promulgou a seguinte lei, que é proclamada com o consentimento do Reichsrat, tendo sido estabelecido que os requisitos para uma emenda constitucional foram cumpridos:

In addition to the procedure prescribed by the constitution, laws of the Reich may also be enacted by the government of the Reich. Isso inclui as leis referidas nos artigos 85, parágrafo 2, e no artigo 87 da constituição.

As leis promulgadas pelo governo do Reich podem divergir da constituição, desde que não afetem as instituições do Reichstag e do Reichsrat. Os direitos do presidente permanecem inalterados.

As leis promulgadas pelo governo do Reich serão emitidas pelo Chanceler e anunciadas no Reich Gazette. They shall take effect on the day following the announcement unless they prescribe a different date. Os artigos 68 a 77 da Constituição não se aplicam às leis promulgadas pelo governo do Reich.

Os tratados do Reich com Estados estrangeiros, que se relacionam com questões da legislação do Reich, devem, durante a validade dessas leis, não exigir o consentimento das autoridades legislativas. O governo do Reich deve promulgar a legislação necessária para implementar esses acordos.

Esta lei entra em vigor no dia da sua proclamação. Ele expira em 1o de abril de 1937 e também expira se o atual governo do Reich for substituído por outro.


CBP Officers Seize Disposable Gloves Under Top Glove Forced Labor Finding

KANSAS CITY, Mo— U.S. Customs and Border Protection (CBP) officers assigned to the Port of Kansas City Missouri seized 4.68 million latex gloves in a shipment that originated in Malaysia and was destined to Kansas City. CBP personnel seized the shipment due to information indicating that the gloves were made by forced labor, a form of modern slavery.

On March 29, CBP directed personnel at all U.S. ports of entry to begin seizing disposable gloves produced in Malaysia by Top Glove Corporation Bhd. (Top Glove). The shipment in Kansas City was seized after an inspection by CBP officers revealed that the gloves were produced in Malaysia by a subsidiary of Top Glove. The estimated value of the shipment was $690,000.

“Considering this seizure took place in the heartland of America, it goes to show that imports produced by forced labor affect everyone nationwide,” said Steven Ellis, Port Director-Kansas City. “CBP will not tolerate forced labor in U.S. supply chains.”

According to the International Labour Organization, 25 million people suffer under conditions of forced labor around the world. Imports made by forced labor hurt vulnerable workers, threaten American jobs and businesses, and subject unsuspecting American consumers to making unethical purchases.

CBP issued a forced labor finding on March 29 based on evidence of multiple forced labor indicators in Top Glove’s production process, including debt bondage, excessive overtime, abusive working and living conditions, and retention of identity documents.

Federal statute 19 U.S.C. 1307 prohibits the importation of merchandise mined, manufactured, or produced, wholly or in part, by convict labor, forced labor, and/or indentured labor, including forced or indentured child labor. CBP will seize shipments subject to findings unless the importer can prove to CBP’s satisfaction that, per 19 C.F.R §12.43, the merchandise was not produced with forced labor.

CBP receives allegations of forced labor from a variety of sources, including from the public. Any person or organization that has reason to believe merchandise produced with the use of forced labor is being – or is likely to be – imported into the United States can report detailed allegations by contacting CBP through the e-Allegations Online Trade Violation Reporting System or by calling 1-800-BE-ALERT.

CBP conducts operations at ports of entry throughout the United States, and regularly screens arriving international passengers and cargo for narcotics, weapons, and other restricted or prohibited products. CBP strives to serve as the premier law enforcement agency enhancing the Nation’s safety, security, and prosperity through collaboration, innovation, and integration.


Related Research Articles

USCGC Acushnet (WMEC-167) was a cutter of the United States Coast Guard, homeported in Ketchikan, Alaska. She was originally USS Shackle (ARS-9), a Diver-class rescue and salvage ship commissioned by the United States Navy for service in World War II. She was responsible for coming to the aid of stricken vessels and received three battle stars during World War II, before a long career with the Coast Guard. Acushnet patrolled the waters of the North Pacific and was one of the last World War II era ships on active duty in the US fleet upon her retirement in 2011.

o Medium Endurance Cutter ou WMEC is a type of United States Coast Guard Cutter mainly consisting of the 270-foot (82 m) Famoso- and 210-foot (64 m) Reliance-class cutters. These larger cutters are under control of Area Commands. These cutters have adequate accommodations for crew to live on board and can do 6 to 8 week patrols.

USCGC Dallas (WHEC-716) was a United States Coast Guard high endurance cutter commissioned in 1967 at the Avondale Shipyard in New Orleans, Louisiana. She was the sixth ship or boat to bear the name of Alexander J. Dallas, the Secretary of the Treasury under President James Madison (1814�). She is one of twelve Hamilton-class cutters built for the Coast Guard.

o history of the United States Coast Guard goes back to the United States Revenue Cutter Service, which was founded on 4 August 1790 as part of the Department of the Treasury. The Revenue Cutter Service and the United States Life-Saving Service were merged to become the Coast Guard per 14 U.S.C.  §ف which states: "The Coast Guard as established January 28, 1915, shall be a military service and a branch of the armed forces of the United States at all times." In 1939, the United States Lighthouse Service was merged into the Coast Guard. The Coast Guard itself was moved to the Department of Transportation in 1967, and on 01 March 2003 it became part of the Department of Homeland Security. However, under 14 U.S.C.  §ك as amended by section 211 of the Coast Guard and Maritime Transportation Act of 2006, upon the declaration of war and when Congress so directs in the declaration, or when the President directs, the Coast Guard operates as a service in the Department of the Navy.

USCGC Tétis (WMEC-910) is a United States Coast Guard Famous-class medium endurance cutter. She is the 10th ship of the Famous Class cutters designed and built for the U.S. Coast Guard and the 3rd vessel to bear the name. Laid down August 24, 1984 by Robert Derecktor Shipyard Incorporated of Middletown, Rhode Island. She was launched April 29, 1986 and named for the Greek goddess Thetis, the mother of Achilles. She was commissioned on June 30, 1989. Tétis conducts patrols throughout the Caribbean and the Gulf of Mexico.

USCGC Harriet Lane (WMEC-903) is a United States Coast Guard medium endurance cutter. Named after Harriet Lane, niece and official hostess of President James Buchanan. Harriet Lane was constructed by Tacoma Boatbuilding, Tacoma, Washington and delivered 20 April 1984.

USCGC Legare (WMEC-912) is a United States Coast Guard medium endurance cutter. Legare was laid down July 11, 1986 at Robert Derecktor Shipyard Incorporated of Middletown, Rhode Island. She was named for Hugh Swinton Legare a former United States Attorney General under President John Tyler. Legare was delivered December 1, 1989 and was commissioned August 4, 1990 at her homeport of Portsmouth, Virginia.

USCGC Tampa (WMEC-902) is a United States Coast Guard medium endurance cutter. She was commissioned 16 March 1984. Her motto, "Thy way is the sea, thy path in the great waters", matches the inscription that is engraved on the memorial at Arlington National Cemetery for the 131 persons lost following the sinking of a previous cutter Tampa on September 18, 1918.

USCGC Northland (WMEC-904) is a United States Coast Guard medium endurance cutter. Her keel was laid down in 1981 and she was launched in 1982 by the Tacoma Boatbuilding Company of Tacoma, Washington. She was commissioned on December 17, 1984.

USCGC Escanaba (WMEC-907) is a United States Coast Guard medium endurance cutter based in Boston, Massachusetts. Her keel was laid on April 1, 1983 at Robert Derecktor Shipyard Incorporated, Middletown, Rhode Island. She was launched February 6, 1985 and is named for her predecessor, USCGC Escanaba  (WPG-77) which sank during World War Two, and was named for the Escanaba River and Escanaba, Michigan. Escanaba (WMEC-907) was formally commissioned August 29, 1987 in Grand Haven, Michigan, the home port of her predecessor.

USCGC Campbell (WMEC-909) is a United States Coast Guard medium endurance cutter based at the Portsmouth Naval Shipyard in Kittery, Maine. Campbell is the sixth Coast Guard Cutter to bear the name and is assigned to the Atlantic. The ship bears the distinction of having made some of the largest narcotics seizures in Coast Guard history as well as being the command ship for the TWA 800 recovery effort.

USCGC Reliance (WMEC-615) is a United States Coast Guard medium endurance cutter. She is the first of the 210' Medium Endurance Cutter Fleet and the fourth Revenue Cutter / Coast Guard Cutter to bear the name Reliance. Constructed by Todd Shipyards in Houston, Texas and commissioned in 1964, she was originally homeported in Corpus Christi, Texas. Her duties included offshore oil rig inspections, fisheries, counter drug, alien migrant interdiction, marine pollution patrols, and search and rescue. Reliance has been homeported in Yorktown, Virginia, Port Canaveral, Florida and Portsmouth, New Hampshire. As of May 2014 she is stationed at the Pensacola Naval Air Station, Pensacola Florida.

USNS Vindicator (T-AGOS-3) was a United States Navy Stalwart-class modified tactical auxiliary general ocean surveillance ship that was in service from 1984 to 1993. Vindicator then served in the United States Coast Guard from 1994 to 2001 as the medium endurance cutter USCGC Vindicator (WMEC-3). Since 2004, she has been in commission in the National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) fleet as the oceanographic research ship NOAAS Hi'ialakai.

USS Seize (ARS-26) era um Diver-class rescue and salvage ship commissioned in the United States Navy during World War II. Her task was to come to the aid of stricken vessels.

The auxiliary ocean tug USS ATA-194 was laid down on 7 November 1944 at Orange, Texas, by the Levingston Ship Building Co. launched 4 December 1944 and commissioned at Orange on 14 February 1945, Lieutenant William J. Bryan in command.

Patrol Forces Southwest Asia (PATFORSWA) is a United States Coast Guard command based in Manama, Bahrain. PATFORSWA was created in November 2002 as a contingency operation to support the U.S. Navy with patrol boats. The command's mission is to train, equip, deploy and support combat-ready Coast Guard forces conducting operations in support of Operation Iraqi Freedom (OIF), Operation Enduring Freedom (OEF) and Operation Inherent Resolve (OIR) in the Naval Forces Central Command's area of responsibility. It was commissioned as a permanent duty station in June 2004. In July 2003 PATFORSWA moved from its own compound to facilities at Naval Support Activity Bahrain.

USCGC Point Banks (WPB-82327) was an 82-foot (25 m) Point-class cutter constructed at the Coast Guard Yard at Curtis Bay, Maryland in 1961 for use as a law enforcement and search and rescue patrol boat by the United States Coast Guard. Since the Coast Guard policy in 1961 was not to name cutters under 100 feet (30 m) in length it was designated as WPB-82327 when commissioned and acquired the name Point Banks in January 1964 when the Coast Guard started naming all cutters longer than 65-foot (20 m).

USCGC Point Mast (WPB-82316) was an 82-foot (25 m) Point class cutter constructed at the Coast Guard Yard at Curtis Bay, Maryland in 1961 for use as a law enforcement and search and rescue patrol boat. Since the Coast Guard policy in 1961 was not to name cutters under 100 feet (30 m) in length, it was designated as WPB-82316 when commissioned and acquired the name Point Mast in January 1964 when the Coast Guard started naming all cutters longer than 65 feet (20 m).

USCGC Monomoy (WPB-1326) is a United States Coast Guard Island class patrol cutter. She is the 26th ship of her class. The second ship of the Coast Guard to bear the name, Monomoy is named after Monomoy Island which lies off the coast of Cape Cod.


Assista o vídeo: Вертолёт Ка-26. Авиаэкспорт. 1967. Kamov Ka-26 helicopter. Aviaexport. 1967